A pele na “segunda adolescência”: período de forte impacto hormonal na vida da mulher

Assim como na adolescência, em que os hormônios mexem com todo o organismo do jovem, após os 40 anos a mulher enfrenta uma série de alterações na pele por conta da variação hormonal. Descubra como minimizar os impactos

Após os 40 anos, várias áreas do corpo da mulher passam por mudanças significativas que podem interferir na autoestima. “Essa fase é como uma segunda adolescência. É esperado uma possível ‘rebeldia’ por não aceitarmos mudanças no nosso corpo. O declínio físico é inevitável” – afirma Isabel Piatti, especialista em Estética e Cosmetologia, embaixadora do CIA — Centro e Instituto Internacional de Aprimoramento e Pesquisas Científicas, Membro do Conselho Científico da Academia Brasileira de Estética Científica – ABEC.

Ela completa: “O cansaço será maior e a aparência física passará por mudanças. Há os que se importam demais com isso, mas é necessário manter os cuidados com a pele e ter hábitos saudáveis para minimizar esse impacto e aceitar que o envelhecimento também traz benefícios. O corpo fala. É preciso saber ouvi-lo e manter equilíbrio em tudo para ter uma qualidade de vida, de pele e de mente”.

A partir dos 40 anos as glândulas sebáceas diminuem a produção de oleosidade deixando a pele mais ressecada. “A pele dessa faixa etária já tende a estar seca e sensível, com a drástica perda de elasticidade e com o começo da flacidez, além da intensificação das rugas”, explica a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

mulher rugas nasoge

“Ocorre também a diminuição da presença dos minerais na pele, podendo determinar naquelas desidratadas o surgimento e dilatação de pequenos vasos na face e no nariz (coperouse). A fragilidade das fibras elásticas e a carência das fibras colágenas solúveis determinam o 1º grau maior das rugas na testa, nasogeniano (bigode chinês) e ao redor dos olhos. Ocorre também uma queda natural na produção hormonal refletindo tudo isto na pele”, diz Isabel.

De acordo com o cirurgião plástico Paolo Rubez, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, em geral, as áreas mais expostas são as que apresentam os sinais de envelhecimento. “Por exemplo a face e as mãos. Isto é consequente principalmente da maior incidência do sol”, diz o médico.

Isabel explica que, nesse processo, há diminuição do aporte de sangue na pele, resultado da combinação dos diferentes fatores como: redução do calibre dos vasos; afinamento da pele; e redução de oleosidade natural que dá proteção e umectação. “Isso exerce um efeito adverso sobre determinados constituintes da epiderme e da derme: queranócitos (pele mais fina), melanócitos (mais manchas), células de langerhans (diminuição do sistema de defesa) e os fibroblastos (redução da produção de fibras elásticas)”, diz a especialista.

papada pescoço mulher meia idade

Para cuidar bem da pele e tratar essas alterações, a hidratação do rosto, colo e pescoço são fundamentais, com dermocosméticos que têm função antioxidante, além de ativos que estimulam o colágeno. “Dependendo da pele da pessoa, pode-se aplicar ácido retinóico ou algum outro ácido. Para os que apresentam rosácea, por exemplo, o ácido azelaico ou glicólico são os de melhor escolha para tratar o problema, já que não estimulam a formação de novos vasos”, acrescenta Paola. “Continua sendo indispensável a proteção contra os raios solares, assim como em todas as idades, e nessa idade devemos introduzir nutracêuticos antioxidantes e estimulantes do colágeno”, diz a médica.

Além desses cuidados, Isabel destaca a necessidade de uma alimentação mais equilibrada e natural. “Além disso, quanto ao uso de cosméticos, o ideal é que tenham tecnologia de ponta, de preferência com ativos nanoencapsulados para penetrar profundamente, e tragam bases biocompatíveis. Consumir quantidade de água adequada e melhorar a qualidade no sono para uma reparação do corpo e da pele também são dois fatores essenciais”, diz.

Para quem quer buscar tratamentos em clínica e não sabe por onde começar, o primeiro passo antes de optar por qualquer tipo de procedimento estético para rejuvenescer o rosto, seja ele cirurgia plástica, uso de tecnologias ou aplicação de toxina botulínica, é realizar uma consulta com o cirurgião plástico ou dermatologista.

colageno bioestimulador preenchimento

“Apenas ele poderá realizar uma avaliação para identificar qual parte do rosto necessita de um rejuvenescimento mais intensivo. Ou seja, o médico poderá indicar se o procedimento precisa focar na melhora da textura da pele, na reposição de volume perdido ao longo dos anos ou no tratamento das camadas mais profundas do rosto, como músculos e ossos. Um diagnóstico preciso é fundamental para atingir os melhores resultados possíveis”, destaca o médico.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s