Até três bilhões de pessoas podem não tomar vacina contra Covid-19 até o fim de 2021

A consultoria Boston Consulting Group (BCG) apresenta quatro fatores essenciais para garantir o combate eficaz à pandemia e indica três cenários de lançamento da vacina, enquanto as medidas atuais de combate a pandemia são mantidas e melhoradas

Apesar da intenção de aumentar a fabricação, agilizar os processos de aprovação e distribuição de vacinas, o cenário mais otimista indica que até 3 bilhões de pessoas ao redor do mundo permanecerão desprotegidas até o final de 2021, com base na capacidade de produção atual da vacina globalmente. Essa é uma das principais análises do estudo “Vaccines Aren’t the End of the Fight, but the End of the Beginning” do Boston Consulting Group (BCG). De acordo com a consultoria, quatro fatores são essenciais para garantir um combate eficaz à pandemia global de coronavírus: disponibilidade, eficácia, segurança e captação.

Foto: Lisa Ferdinando

Para o BCG, a disponibilidade da vacina é uma questão fundamental e se refere a quanto tempo levará para fabricar, distribuir e administrar doses suficientes para proteger uma população global de quase 8 bilhões de pessoas. Já a eficácia dela representa uma possibilidade de que um número maior de pessoas seja vacinado até que a imunidade coletiva seja alcançada. O terceiro fator apontado é a segurança – os testes realizados com vacinas nos últimos meses ajudam a garantir que elas são seguras. O último fator é a captação e está relacionado à importância da vacina ser tão eficiente quanto as estratégias e políticas de comunicação destinadas a gerar confiança em sua segurança e eficácia.

O estudo ressalta que mesmo com um lançamento de vacina de grande sucesso, o público ainda usará máscaras de proteção facial e manterá as medidas de distanciamento social por muitos meses após a autorização regulatória. A expectativa mais otimista é de que essas precauções sejam tomadas até o segundo semestre de 2021. No entanto, se a implementação da vacina for bem menos sucedida, tais intervenções podem permanecer por outros 15 meses ou mais.

O BCG apresenta também três cenários de lançamento da vacina que variam de otimista a pessimista e destacam a necessidade de agilidade e resiliência. Neste sentido, a consultoria ressalta que os países de baixa e média renda provavelmente enfrentarão um cronograma de recuperação mais longo.

Freepik

No cenário otimista, a pandemia persistiria por menos de um ano, o número de infecções diminuiria gradualmente e o vírus estaria sob controle antes do final do terceiro trimestre de 2021. Já no cenário intermediário, o lançamento bom, mas não ótimo, da vacina atrasa o fim da pandemia em cerca de seis meses, até o primeiro trimestre de 2022. O cenário pessimista, por sua vez, sugere que o lançamento não segue conforme o planejado. Nesse caso, surgem ondas subsequentes de casos de coronavírus e a pandemia persiste por mais dois anos.

O estudo pode ser acessado na íntegra clicando aqui.

Fonte: Boston Consulting Group

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s