Leptospirose: saiba como se prevenir em época de enchentes

Doença transmitida pela água contaminada com urina de rato é comum no verão, estação marcada por enchentes

O verão brasileiro é conhecido por dias mais longos e chuvas fortes, o que aumenta os riscos de enchentes e alagamentos. Com isso, crescem também o número de casos de leptospirose, doença transmitida pelo contato com a urina de ratos. De acordo com Ivan França, infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, isso ocorre porque quando as enchentes acontecem, a urina de ratos existente em esgotos e bueiros mistura-se à água das enxurradas e à lama.

Segundo o Guia de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, nos últimos dez anos, é registrada média anual de mais de 3.600 casos da doença no país. Em manifestações graves, a letalidade da leptospirose pode chegar a 40% dos casos. A principal medida de prevenção, segundo o infectologista, é evitar o contato com a água de enchentes, assim como evitar lavar, sem proteção adequada, quintais, caixas de esgoto e áreas que possam ter sido contaminadas.

123RF

Em caso de moradias alagadas, o infectologista indica medidas necessárias para limpar os ambientes e utensílios. “O ideal é utilizar luvas, botas de borracha ou outro tipo de proteção, como sacos plásticos duplos, para as pernas e os braços. O que não puder ser recuperado deve ser descartado e a lama que permanecer nos ambientes, utensílios, móveis e outros objetos deve ser removida com escova ou vassoura, sabão e água limpa. Para a limpeza de ambientes e superfícies deve-se utilizar produtos à base de hipoclorito de sódio (como água sanitária).”

Ainda segundo o infectologista, todos os alimentos que tiveram contato com a água das enchentes devem ser descartados, pois mesmo quando lavados e secos, ainda podem estar contaminados.

Sintomas, diagnóstico e tratamento

Os principais sintomas da leptospirose são dores pelo corpo – principalmente nas panturrilhas -, febre, icterícia rubínica (coloração amarelada na pele e nos olhos, que por vezes podem ficar avermelhados) e dor de cabeça. O período de incubação da doença pode chegar a até 30 dias, mas normalmente os sintomas se manifestam entre 7 e 14 dias após a exposição ao risco. O diagnóstico da doença é feito por meio de exame de sangue. Em alguns casos, quando a exposição a água de enchente é prolongada e, portanto, de alto risco para a infecção, existe indicação de mediadas profiláticas. O tratamento da leptospirose consiste no uso de antibióticos e medidas de suporte clínico, muitas vezes requer internação hospitalar.

“A qualquer sinal dos primeiros sintomas é importante procurar um médico e relatar o contato com a enchente, para que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível”, afirma o infectologista. Se não tratada adequadamente, a leptospirose pode causar comprometimento renal, hepático e pulmonar e até mesmo levar à morte.

Fonte: Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s