Sociedade Brasileira de Dermatologia alerta para a presença de caravelas no mar do sudeste brasileiro

Brasil vive surto de caravelas há quase 30 anos

Lindas, porém, venenosas, as caravelas-portuguesas, animais parecidos com as águas-vivas, estão cada vez mais presentes no litoral sudeste do Brasil, principalmente no estado de São Paulo. Embora estes bichos sejam comuns no Nordeste do Brasil, estão aparecendo às centenas de maneira brusca no verão paulista.

A aproximação dos animais se dá pelo vento, pelo clima e para a reprodução, o que faz crescer o número de acidentes envolvendo os banhistas. O perigo acontece por conta da liberação de um veneno que é produzido em uma célula – o nematocisto.

SMarques251/Pixabay

De acordo com Vidal Haddad, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia,“não é necessário deixar de frequentar as praias: “No entanto, é preciso tomar cuidado e se afastar dos animais, já que o contato com seus enormes tentáculos causa dor instantânea e violenta, além da vermelhidão”.

Muito raramente, pode haver comprometimento cardíaco e pulmonar, o que torna os acidentes muito graves. O dermatologista reforça: “Se automedicar também não é indicado e pode causar complicações. Urina é folclore, assim como Coca-Cola e remédios de inspiração popular”.

Primeiros socorros:

Healthline

1) Faça compressas de água do mar gelada e aplique vinagre de cozinha para aliviar a dor e retirar parte do veneno do ferimento.

2)Se os tentáculos se fixarem na pele, retire-os com um palito e não com as mãos.

3)Não lave o ferimento com água doce, pois piora o envenenamento.

4)Não toque nos tentáculos das caravelas sem luvas adequadas.

Se realizar os primeiros socorros e os sintomas persistirem ou se sentir falta de ar, taquicardia ou perda dos sentidos, busque atendimento médico rapidamente para tratamento adequado.

E atenção: converse com a criançada sobre nunca tocar em animais marinhos que estejam na areia. “No caso das caravelas, por exemplo, seu veneno fica ativo por horas mesmo no animal já morto”, alerta Haddad. As “bexiguinhas azuis” atraem a atenção das crianças e causam acidentes ao serem manipuladas.

Sobre as caravelas-portuguesas

Alicia CampbellPixabay

São animais marinhos muito confundidos com águas-vivas. São aparentadas e a característica principal é apresentar um balão flutuador roxo ou avermelhado, muito visível e que fica cima da linha d’água. Aparecem com frequência nas regiões Norte e Nordeste, mas também podem surgir em grande número em intervalos de tempos pequenos nas regiões Sul e Sudeste. No litoral de São Paulo, por exemplo, esses animais surgem sazonalmente, no verão, na época de reprodução.

Fonte: Sociedade Brasileira de Dermatologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s