Infectologistas respondem as principais dúvidas sobre a vacinação contra o vírus Sars-CoV-2

Devo me vacinar mesmo após contrair o vírus? Posso tomar as doses da vacina em locais diferentes? Veja essas e outras respostas sobre o processo de imunização

Quem contraiu a Covid-19 recentemente pode tomar a vacina?
Sim: entretanto, recomenda-se esperar ao menos 30 dias após término dos sintomas para que a infecção não atrapalhe a eficácia da vacina.

O pré-cadastro no site “Vacina Já” garante que eu serei convocado para tomar a vacina?
Não:
o “Vacina Já” somente agiliza o tempo de cadastro do paciente no momento da vacinação.

Quanto tempo após tomar a vacina eu estarei de fato protegido?
Para as vacinas utilizadas atualmente no Brasil — CoronaVac, do Instituto Butantan, e AstraZeneca, da Oxford — espera-se que a proteção efetiva ocorra após os 14 dias de vacinação da segunda dose.

Devo abandonar o uso das máscaras ou qualquer outro meio de proteção logo após tomar vacina?
Não.
O uso de máscara continuará fazendo parte da nossa rotina até quando houver imunidade coletiva.

Após quanto tempo depois de tomar a primeira dose eu poderei tomar a segunda?
Ao tomar a vacina CoronaVac, o indivíduo deve esperar entre 14 dias e 28 dias para receber a segunda dose. Para a vacina da AstraZeneca, de 4 a 12 semanas. Vale lembrar que é preciso seguir a recomendação dos profissionais de retornar ao local de vacinação somente na data da segunda dose, marcada no comprovante de vacina.

Gestantes ou lactantes podem tomar a vacina?
Os estudos de liberação das vacinas contra a Covid-19 não foram realizados em gestantes ou lactantes originalmente. Portanto, ainda não há resposta concreta. De acordo com o Ministério da Saúde “as mulheres, pertencentes a um dos grupos prioritários, que se apresentem nestas condições, a vacinação poderá ser realizada após avaliação cautelosa dos riscos e benefícios e com decisão compartilhada, entre a mulher e o médico prescritor.” Dessa forma, caberá aos envolvidos (profissional e paciente) avaliarem o risco de contágio versus o risco de efeitos colaterais durante a gestação.

Eu já contraí a Covid-19, mesmo assim devo tomar a vacina?
Sim.
Apesar de ser incomum, em 1% dos pacientes que já tiveram infecção pela Covid-19, pode haver nova infecção e apenas a vacina conseguirá dar proteção eficaz contra o vírus.

Quais reações a vacina pode causar no organismo?
A reação principal da vacina é a proteção, conseguida por meio da produção de memória imunológica pelos componentes da vacina. Do ponto de vista de efeitos adversos as vacinas CoronaVac e AstraZeneca têm reações que podem durar de 24h a 48h e geralmente melhoram com analgésico comum. Alguns deles são:
Cefaleia
Náuseas
Diarreia
Dor no local da aplicação
Febre

Existe uma vacina melhor que a outra? Qual a diferença de resultados entre elas?
Todas as vacinas liberadas para uso só conseguem aprovação se tiverem o mínimo de proteção necessária para evitar infecções pela Covid-19 e as únicas diferenças entre elas são em relação à quantidade de efeitos adversos, número de doses e o tipo de vacina.

Quais documentos são obrigatórios apresentar no dia da vacinação?
Para o Estado de São Paulo, recomenda-se realizar o pré-cadastro no site “VacinaJá”, além de apresentar obrigatoriamente, no dia da vacinação, um documento com foto, CPF e número do cartão do SUS. Confira a relação de documentos obrigatórios para o seu estado.

Foto: Lisa Ferdinando

O que significa a taxa de eficácia divulgada pelas farmacêuticas fabricantes das vacinas?
A taxa de eficácia é o quanto a vacina protege contra uma infecção. Quando se fala em eficácia global quer dizer o quanto a vacina protege o indivíduo do vírus. Essa porcentagem pode ainda ajudar a definir quanto da população deveria ser vacinada para evitar novas transmissões.

Quem faz uso de medicamentos controlados pode tomar a vacina normalmente?
Sim.
Não há contraindicação ao uso das vacinas disponibilizadas atualmente no país em combinação com medicamentos controlados.

Se eu demorar para tomar a segunda dose mais do que o recomendado, é possível que a imunidade se perca?
Recomenda-se tomar a vacina dentro do intervalo proposto pelo fabricante a fim de garantir a eficácia da vacina.

Iamspe

Qual a diferença entre as vacinas aprovadas? Principalmente referente às reações adversas de cada uma.
A vacina AstraZeneca tem eficácia geral descrita de 82%, porém variam de acordo com a idade e as populações diferentes, podendo ser menor em alguns grupos e maior em outros.
Já a CoronaVac tem eficácia geral de 50.38%. Em relação aos efeitos adversos, as duas vacinas apresentam resultados muito semelhantes, tendo discreto aumento de reações adversas na vacina da AstraZeneca em relação à CoronaVac.

Posso tomar a primeira dose da vacina AstraZeneca e a segunda da CoronaVac?
Não.
Ainda não há segurança para dizer que as vacinas se complementam.

Tomei a primeira dose num determinado lugar. Posso tomar a segunda em outro lugar?
Preferencialmente não
. A recomendação neste momento é que se retorne ao mesmo local da primeira dose — salvo em caso de troca de Estado.

Existem exames que comprovam a presença de anticorpos contra a Covid-19 após a vacinação? Se sim, quais são?
Existe um exame chamado pesquisa de anticorpos neutralizantes, que poderia avaliar proteção pós-vacina, porém está em fase de avaliação.

Fonte: Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo (Iamspe)

3 comentários em “Infectologistas respondem as principais dúvidas sobre a vacinação contra o vírus Sars-CoV-2

  1. Minha mãe é idosa, e tem um caso de Alzheimer grave ela toma várias medicações, quando foi tomar a vacina da gripe, teve uma reação alérgica extrema, sendo que ela já havia tomado antes e nada havia acontecido, até onde podemos entender a reação alérgica teve ligação com algum medicamento para Alzheimer que ela estava tomando na ocasião…gostaria de saber se ela teria algum problema em tomar essa vacina, considerando que ela está tomando medicamentos para Alzheimer, acamada e extremamente fragilizada.

    Curtir

    1. “Se a alergia pela vacina da gripe foi causada especificamente por conta da proteína do ovo, ela não deve tomar a vacina contra a Covid-19. Em todo caso, é recomendado que ela apresente a queixa, além da documentação que comprove a alergia, a um médico de confiança para que ele determine se existe risco ou não” – resposta do Doutor Durval Gomes – Infectologista do Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE).
      Espero ter ajudado!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s