Como usar a alimentação a favor do crescimento capilar

Ir ao dermatologista para tratamentos de clínica e manutenção em casa é o melhor caminho para tratar a queda capilar, mas você pode usar a alimentação do dia a dia para potencializar a ação e favorecer o crescimento dos fios

Os fios dos nossos cabelos crescem em média 1cm por mês, quando bem cuidados. Há diversos tratamentos, cada um mais indicado para tipos específicos de queda, mas em casa há muita coisa a fazer.

“Em casa o que podemos fazer é primeiramente, usar xampus e condicionadores de boa qualidade, selecionados para o nosso tipo de cabelo e de couro cabeludo. Lavar os cabelos em dias alternados também é importante, pois não deixa o couro cabeludo sujo por muito tempo porque isso gera irritação e entope os orifícios dos fios com oleosidade e queratina, o que irá prejudicar o crescimento”, explica a dermatologista Letícia Bortolini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Mas você também pode adequar sua alimentação. Abaixo, selecionamos os melhores meios de usar a alimentação ao favor das suas madeixas:

Pixabay

Mais proteínas no prato: “Os cabelos são formados basicamente de queratina, que é uma proteína. Então, aposte no consumo de alimentos ricos nesse nutriente, como peixe, frango, carne magra, ovos e feijão”, recomenda a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Hidrate-se: “A gente já sabe, mas é sempre bom lembrar: quanto mais hidratado seu corpo estiver, mais hidratada será a sua pele, cabelo e unhas. O líquido ajuda a remover todas as toxinas do seu organismo, deixando tudo mais saudável. Além disso, ela é fundamental para a absorção dos nutrientes dos demais alimentos, garantindo pele e cabelos radiantes”, explica o médico nutrólogo Juliano Burckhardt, membro Titular da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) e da International Colleges for Advancement of Nutrology.

Adicione minerais e vitaminas: silício orgânico, zinco e cálcio (além do ferro) e vitaminas (como a vitamina E e o complexo B) podem ser encontrados em produtos para o cabelo, assim como outros ingredientes naturais são bem-vindos, mas a ingestão de alimentos que são fontes desses nutrientes faz muito mais efeito. “Alimentos como semente de linhaça, castanha-de-caju e amendoim são exemplos”, explica Burckhardt. “Além das proteínas, minerais metálicos como ferro e cobre, presentes, por exemplo, no fígado, também possuem participação importante na saúde capilar, da mesma maneira que as vitaminas do complexo B, como a biotina”, completa a médica Marcella. “O magnésio também é essencial para a formação das proteínas que fortalecem os fios; os frutos do mar são ricos em minerais”, conta o Burckhardt .

Invista na soja e em alimentos com ferro: a soja melhora a circulação no couro cabeludo, diminuindo o risco da queda e que os cabelos fiquem opacos e quebradiços. “Tudo o que for rico em ferro, como carnes vermelhas, fígado e leguminosas, como feijão é importante para a saúde capilar. A falta de ferro é uma das principais causas da queda, pois este mineral faz parte da formação dos glóbulos vermelhos, e nutre os folículos capilares, o que deixa os fios mais fortes”, explica Burckhardt .

Aposte nos aminoácidos do arroz e lentilhas: quando combinados, esses aminoácidos dão origem a proteínas que formam o colágeno e a queratina, componentes que fortalecem os cabelos. “Se consumidos regularmente, estes alimentos protegem os fios da queda”, explica o nutrólogo.

Afaste-se do excesso de açúcar: o aumento de insulina provocado pela ingestão de açúcar faz com que sejam liberados hormônios que inibem a divisão celular da raiz capilar, além de provocar um processo inflamatório que afeta o couro cabeludo, favorecendo o afinamento dos fios e a queda capilar. “O excesso de açúcar e carboidratos de alto índice glicêmico na dieta pode comprometer a saúde dos folículos capilares aumentando a possibilidade de eflúvio (queda de cabelos)”, explica Marcella.

Os alimentos podem ser ingeridos in natura, mas quando existe uma dificuldade de absorção ou uma adesão inadequada a esses alimentos, os médicos podem indicar suplementação exógena. “Se o organismo tem uma deficiência de algo, e precisar ‘escolher’ qual parte do corpo ele vai priorizar com o nutriente, ele vai entregar para os rins, coração, pulmões, cérebro etc., que são órgãos vitais, e por último para o cabelo porque este não é necessário para a sobrevivência, então será o primeiro a sentir a deficiência (parar de crescer, ter queda) e o último a receber o nutriente tornando-se saudável novamente”, explica.

“Podemos suplementar com o silício orgânico, compostos com ácido pantotênico, extrato de acerola, sílica, extrato de cavalinha, D-Biotina, feno negro e extrato de fígado de bacalhau”, explica o Burckhardt. “Dentre os ativos orais mais poderosos para estimular o crescimento capilar estão Exsynutriment e Fosfolipídeos de Caviar (FC Oral), que podem ajudar no tratamento contra queda capilar, conferindo ancoragem e sustentação aos fios, e diminuindo a inflamação”, esclarece a farmacêutica Maria Eugenia Ayres, gestora técnica da Biotec Dermocosméticos. “Procure sempre um médico”, finaliza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s