Mulher: a arte de ser multitarefa

Com maiores responsabilidades e salários, as mulheres procuram por homens que as ajudem nas tarefas domésticas e as apoiem profissionalmente

Durante as últimas décadas do século XX, dentre os vários acontecimentos históricos, um dos fatos marcantes foi a inserção cada vez maior da mulher no mercado de trabalho. Depois de lutarem muito, elas finalmente conquistaram o direito do voto em 1932 – mas não ficaram satisfeitas com essa vitória: elas querem sempre mais, e estão conseguindo.

Pode não parecer, mas as conquistas no âmbito feminino vão desde a permissão para usar de calças compridas até o direito não só de votar, como também de serem eleitas. Aos poucos, a classe feminina prova a sua competência, profissionalismo, criatividade e liderança, conquistando mais espaço e rompendo as barreiras do preconceito.

No mercado de trabalho deve-se muito a fatores econômicos, culturais e sociais do país, mas, independente disso, ficou claro que tanto elas quanto seus parceiros gostaram dessa nova função assumida pelas mulheres.

“As mulheres hoje procuram homens que as entendam e apoiem as suas carreiras, e não que as tornem “mulheres do lar” durante os sete dias da semana”, opina Madalena Feliciano, gestora de carreira e hipnóloga. Muitos casais hoje optam por não terem filhos ou apenas por terem filhos mais tarde, para que possam aproveitar por mais tempo os privilégios do namoro ou casamento com a renda mais estabilizada – objetivo difícil de ser adquirido quando ambos ainda são muito jovens e estão adentrando o mercado de trabalho, salvo exceções.

O que antes era uma forma de submissão ao homem, hoje deu lugar a mulheres executivas, presidentas, governadoras, líderes, mestres e doutoras. “E elas aproveitam essas oportunidades para acrescentarem o seu toque feminino, fazendo com que muitas profissões cresçam e sendo reconhecidas cada vez mais pelos homens, que até pouco tempo tinham preconceito em serem comandados por mulheres”, afirma Madalena.

Devido a essas mudanças, o homem brasileiro começou a ajudar mais nas tarefas domésticas, apesar de ainda ser a mulher quem dedica mais tempo aos afazeres do lar, e cuidar dos filhos. Não se sabe exatamente o que tem motivado os homens a colaborarem mais, se é um maior grau de conscientização ou o fato de suas mulheres não terem mais tanto tempo para a casa, já que passam muitas horas na rua, mas é fato de que eles perceberam que os papéis mudaram e estão dispostos a ajudar e a manter a mulher ao seu lado.

Getty Images

O ideal é dividir as tarefas do lar e deixar tudo claro desde o início do namoro. Querer mudar uma pessoa depois pode ser tarde. É preciso que os dois saibam ceder quando necessário, afinal, é isso o que torna um relacionamento saudável. “Para isso, digo para os casais fazerem uma lista rica em detalhes, das suas funções domésticas e do trabalho. Depois, as listas devem ser comparadas para que as funções de cada um possam ser reorganizadas com base em uma conversa franca, para que haja equilíbrio entre as duas partes”, afirma Madalena.

Informações: Madalena Feliciano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s