Frutas, legumes e verduras que são mais baratos em março

É safra de abacate, goiaba, ameixa, repolho, escarola, rúcula, pepino, quiabo e tomate

O grupo alimentar dos hortifrútis ricos em vitaminas, minerais e fibras, que fazem muito bem para saúde, também protegem contra o aparecimento de diversas doenças. Consumir produtos da época como abacate, ameixa, goiaba, repolho, escarola, rúcula, pepino, quiabo e tomate proporcionam uma alimentação mais saudável, são mais baratos e nutricionalmente melhores.

Segundo, Glaucia Braggion, nutricionista e professora do curso de Nutrição da Faculdade Santa Marcelina, o fato de ser período da safra, garante maior oferta no mercado e faz com que os preços caiam. “Os vegetais quando estão no período de safra, geralmente apresentam valor nutricional mais rico, porque conseguem se desenvolver melhor e aproveitar ainda mais os nutrientes ofertados pelo solo, o que garante mais qualidade nutricional e exige menor utilização de adubos e fertilizantes para seu cultivo”, disse.

Confira abaixo algumas frutas, legumes e verduras da safra de março listados pela nutricionista:

Frutas

-Abacate é um alimento rico em energia, que provém das gorduras de boa qualidade como os ácidos graxo poli-insaturados e o ácido oleico (ômega 9) que proporcionam, além da saciedade, redução no risco de dislipidemia. Essa característica se deve ao perfil de lipídios (gorduras) da fruta que ajuda a manter bons níveis de colesterol (promove redução do LDL e aumento do HDL). Devido à característica sacietógena dos alimentos gordurosos (capacidade de aumentar saciedade), ele pode e deve ser indicado em dietas em que se pretende restrição calórica ou redução de peso uma vez que pequenas quantidades dessa fruta podem manter a fome controlada por mais tempo.

Silverstylus/Pixabay

Além disso, ele contém vitaminas (como a Vitamina C e a Vitamina E) que exercem papel antioxidante no organismo, auxiliando no controle do estresse oxidativo e prevenindo doenças crônicas. A Vitamina A presente no abacate tem função antioxidante e, também anti-inflamatória. O teor de fibras solúveis aliado a gordura da fruta ajuda o bom funcionamento do intestino, que é a porta de entrada de todos os nutrientes do organismo.

-Goiaba é uma fruta rica em fibras com baixo teor de calorias capaz de promover vários benefícios para o organismo. Devido ao seu elevado teor de fibras, a goiaba melhora da função do trato gastrointestinal, especialmente quando o intestino está ‘solto’. Por ser uma das frutas mais ricas em vitamina C, ela participa do processo do organismo de aumentar as defesas imunológicas, favorecendo a imunidade e reduzindo risco de infecções recorrentes.

Possui elevado teor de licopeno, especialmente a goiaba vermelha. O licopeno é um composto bioativo que atua em mecanismos que promovem menor risco cardiovascular e redução inclusive do risco de câncer de próstata. Esse composto bioativo também atua na saúde da pele e na proteção quanto ao estresse oxidativo causado pelo sol, protegendo a pele dos raios UV.

-Ameixa é uma fruta com sabor adocicado e muito rica em fibras e vitaminas, que atuam proporcionando efeitos benéficos para a saúde quando combinadas num contexto de dieta equilibrada. Seu elevado teor de fibras, celulose e pectina, auxilia o funcionamento intestinal promovendo efeito laxativo. Esse efeito é ainda mais intenso devido à presença de quantidades significativas de sorbitol e isatina, que são mais disponíveis na versão desidratada (ameixa seca). Essa ação na saúde intestinal promovida pelas fibras auxilia inclusive no controle do colesterol modulando sua absorção intestinal.

Foto: Max Straeten/Morguefile

O seu elevado teor de vitaminas do complexo B, vitamina A, C e K atuam no sistema imunológico, na proteção da pele, da visão e na manutenção da saúde óssea. Outra substância presente em quantidades relevantes na ameixa são as antocianinas, compostos bioativos que conferem a cor arroxeada à fruta e que exercem importante função antioxidante e anti-inflamatória, beneficiando a saúde cardiovascular e atuando na prevenção das doenças crônicas. Esses efeitos são potencializados pela presença de minerais como magnésio, potássio, ferro, zinco, cálcio e fósforo.

Legumes

-Tomate , apesar de ser uma fruta, é tratada como legume. Nutricionalmente muito rica, de baixo teor de calorias e de sabor adaptado perfeitamente ao paladar do brasileiro. Seu consumo é frequente seja cru, na salada, seja refogado nos alimentos, cozido na forma de molhos e até em produtos industrializados. É uma importante fonte de licopeno, um composto bioativo com função antioxidante e que é mais biodisponível na versão cozida do tomate (molhos, por exemplo) uma vez que o aquecimento melhora a absorção desse composto pelo organismo humano.

O licopeno, por sua função antioxidante, está associado à redução do risco de diversas condições patológicas decorrentes de processo inflamatório e do estresse oxidativo, entre elas destacamos o câncer de próstata, pulmão e estômago, a doença de Alzheimer, o diabetes (papel combinado do cromo presente no tomate), e as doenças cardiovasculares por participar do controle dos níveis de colesterol. Além do licopeno, o tomate contém várias vitaminas como A e C (envolvidas com a visão e o sistema imunológico), a vitamina K (envolvida com a saúde óssea) e vitaminas do complexo B.

Devido à presença de bioflavonoides e carotenoides, o tomate pode contribuir para redução de processos inflamatórios e aliviar dores. O Potássio presente em grande quantidade auxilia na regulação da pressão arterial também. Uma fruta completa e saborosa com versatilidade culinária e fácil acesso não pode faltar na dieta dos brasileiros.

-Pepino é um vegetal muito consumido na forma de saladas e que possui características nutricionais importantes. Por ser rico em água é capaz de ajudar na hidratação do organismo e exercer efeito diurético, auxiliando na redução da retenção hídrica. O pepino pode ser incluído em dietas de emagrecimento por possuir fibras e promover saciedade. Apesar de algumas pessoas apresentarem dificuldade de digerir esse vegetal, sua composição nutricional rica em fibras pode ajudar o funcionamento intestinal em algumas pessoas.

Possui boa quantidade de potássio que ajuda a regular a pressão arterial, além de flavonoides e lignanas, que compreendem compostos antioxidantes que atuam na prevenção de doenças inflamatórias e decorrentes de estresse oxidativo como câncer, doenças cardiovasculares e diabetes. Seu consumo pode ser feito na forma crua, em saladas ou batido em sucos, ou até mesmo em conserva. A única ressalva para a versão em conserva é ficar atento ao teor de sódio e açúcar adicionados na preparação que podem ser bastante elevados.

-Quiabo é um fruto de sabor peculiar e bastante polêmico quanto à sua aceitação ou não. Apesar de muito presente em pratos típicos de culinária regional, muita gente ainda tem preconceito por conta da chamada “baba”do quiabo. Trata-se de uma substância que contém mucilagem e aspecto denso, que atrapalha a característica sensorial do alimento. Mas, se preparado corretamente, pode ficar livre da baba e oferecer diversas vantagens como por exemplo: possuir uma boa quantidade de fibras alimentares, vitaminas A, B, C, E e K. Esses nutrientes cujos benefícios já foram descritos na descrição do tomate, por exemplo.

O ácido fólico presente no quiabo também chama atenção pelo seu potencial benefício na formação desenvolvimento do feto durante a gestação. Com relação aos minerais, no quiabo estão presentes em quantidades significativas o selênio, cálcio, manganês, potássio, zinco, magnésio e ferro, além de ácidos graxos essenciais para o organismo. O magnésio está intimamente ligado ao alívio de sintomas da depressão, de ansiedade e de estresse por reduzir a atividade do cortisol. É, ainda por cima, um alimento pouco calórico, sendo um ótimo aliado nas dietas de emagrecimento.

Verduras

As verduras, ou vegetais folhosos como a rúcula, escarola e repolho, estão presentes frequentemente na alimentação humana e são excelentes opções de alimentos que se encaixam em quase todos os tipos de dieta. Por serem ricos em fibras e água, participam da melhora da função intestinal. Embora sejam pobres em carboidratos, proteínas e lipídeos (os chamados macronutrientes que conferem energia e possuem calorias), as folhas possuem elevado teor de vitaminas, minerais e compostos bioativos que variam de acordo com a coloração e intensidade da cor desses vegetais.

Entre os vegetais crucíferos (como a rúcula, o repolho e até a escarola e o brócolis), a oferta de betacaroteno, vitamina C, vitamina K e minerais como o potássio, ferro, manganês, magnésio, zinco e cobre é abundante, conferindo a esses alimentos um ótimo potencial antioxidante e anti-inflamatório, que associado a diversos fitoquímicos presentes exercem papel anticancerígeno. Possuem também papel digestivo e de melhoria do trânsito intestinal pela presença abundante de fibras alimentares. Eles têm também propriedade diuréticas auxiliando o corpo na eliminação de toxinas.

A sugestão para estimular seu consumo é preparar saladas coloridas, diversificadas e temperadas com molhos caseiros saborosos que facilitam a aceitação. Sugestões de molhos com azeite temperado com limão e especiarias, molhos à base de iogurte desnatado ou até mesmo o tradicional vinagre, limão e sal tornam as saladas mais palatáveis e estimulam seu consumo.

Fonte: Faculdade Santa Marcelina

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s