5 dicas para evitar a incômoda dor na coluna

Problema afeta 41% dos brasileiros e o problema pode ser causado por má postura, estresse, problemas do home office

O estudo da Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), realizado em 2020, mostrou que a dor na coluna entre os brasileiros aumentou 41% durante a pandemia do novo coronavírus. Antes o percentual era bem menor, de 18,5%. De acordo com a pesquisa, o sedentarismo, a redução das atividades físicas e o estresse são os principais fatores para a piora. A dor na coluna na maioria das vezes não é grave, mas gera muito desconforto no dia a dia.

O trabalho remoto é outro fator que também pode ter contribuído para este aumento, justamente pela má postura provocada pela ausência de um ambiente ergonômico. Ou seja, local e equipamentos, como mesa e cadeiras adequados para a realização do trabalho.

Os fisioterapeutas e sócios da Clínica Forgas & Monteiro, Carlos Forgas e Cláudio Monteiro, afirmam que as principais causas da dor são a má postura, muito tempo na mesma posição e retrações e fraquezas musculares. Dependendo do caso, podem provocar danos à saúde, como lesões musculares, discopatias (desgaste do disco intervertebral), artrose, artrite e compressões nervosas. Além disso, a diminuição da mobilidade de tronco e membros, perda da sensibilidade e dores irradiadas pelo corpo.

Forgas e Monteiro elencam 5 dicas para evitar dor na coluna, que são:

-Sentar na posição correta, mantendo a coluna ereta e os pés apoiados.
-Levantar da cadeira a cada 30 ou 40 minutos.
-Fazer caminhadas.
-Realizar mobilizações de todas as articulações.
-Praticar alongamentos dos membros inferiores e superiores e do tronco.

Para as pessoas que trabalham a maior parte do tempo sentadas é importante que os equipamentos utilizados contribuam para manter a postura, como utilizar uma cadeira não muito macia, com apoio total dos pés no chão, o encosto deve “encaixar” no quadril e manter a coluna ereta. A altura da mesa deve permitir que fique com a coluna ereta (tronco), cotovelos a 90° e mãos e punhos em posição neutra.

Carlos ressalta que se o problema for muscular, os relaxamentos e alongamentos da musculatura envolvida contribuem para a melhora. Posteriormente, fortalecer com exercícios físicos para adquirir maior resistência muscular. Com uma intervenção precoce de um especialista é possível obter alívio imediato.

Na clínica Forgas & Monteiro, em São Paulo, um dos métodos utilizados para aliviar as dores é o Método DolorClast, que é um tratamento por ondas de choque (não é choque elétrico) com tecnologia avançada da EMS (Electro Medical Systems). Cláudio relata que este processo estimula, de forma rápida e intensa, de modo que o próprio corpo soluciona (repara e regenera) as lesões musculares ou articulares. “Na nossa opinião os resultados têm sido muito satisfatórios, principalmente quando associados à fisioterapia”, afirmam os sócios.

O procedimento com o Método DolorClast é suave e eficaz, o resultado é o alívio imediato e duradouro da dor, melhora da função e promove a cura da lesão. É possível aliviar a dor em mais de 80% com apenas três sessões, assim evitando cirurgia, inclusive nos casos em que parece ser a única opção para combater a dor e a mobilidade limitada.

Fonte: Clínica Forgas & Monteiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s