Cinco motivos para você fazer o check-up no dentista a cada seis meses

Engana-se quem pensa que a visita ao dentista deve acontecer somente quando algum dente começa a incomodar. Neste caso, quando isso acontece é sinal de que já há ali algum problema que pode ser uma cárie, mas também pode ser algo que pode comprometer muito mais a saúde bucal. Por isso, assim como acontece com as demais áreas do seu organismo, as visitas ao dentista devem ser vistas como um check-up para uma vida mais saudável. E, desse modo incorporar a cada seis meses a vista ao dentista é fundamental para se ter a sonhada qualidade de vida.

E como diz o velho ditado: se a saúde começa pela boca, não deveríamos adiar tanto a visita ao dentista, especialmente para a prevenção de doenças. “A visita ao cirurgião dentista pode prevenir ou tratar rapidamente desde problemas, como o aparecimento de cáries, tártaros, até a um tratamento de gengivite, periodontite. Além de o especialista poder detectar problemas de saúde mais graves como bruxismo, distúrbio de ATM e até câncer”, alerta Rosely Cordon, professora-doutora em Ciências da Saúde, Odontologia e consultora científica do Projeto Sorrir Muda Tudo. Todas essas doenças terão uma forma de tratamento, se tratadas em um diagnóstico precoce. “Podendo acarretar outros tipos de procedimentos mais longos, doloridos, que poderá mexer com a disponibilidade de tempo, de orçamento, além de alterar as emoções do paciente”, alerta a professora. Tudo isso porque foi feito tardiamente, quando a saúde bucal já estava comprometida.

A seguir, confira os 5 motivos para você não deixar de fazer o seu check-up a cada seis meses:

Limpeza odontológica
Um ponto importante é que somente a limpeza feita em consultório consegue eliminar todo o tártaro entre a gengiva e o dente. “Esse é o tártaro responsável pela perda óssea”, afirma Rosely. Esse tipo de avaliação, segundo a professora pode ser feito por um cirurgião-dentista. Identificando outros problemas, como doenças periodontais (gengivas) mais graves e encaminhar para outro profissional especializado nas áreas especificas da odontologia.

Tratamentos dentários
Depois do diagnóstico, é preciso se submeter aos tratamentos dentários adequados, que como os já mencionados pela professora Rosely podem ser mais simples, rápidos, e baratos, ou serem complexos, longos e caros, a depender da frequência que o paciente visita o cirurgião-dentista. Em casos quando há problemas específicos como sensibilidades dental, dentes quebrados ou tortos, coroas e próteses, os retornos devem ser mais frequentes para tratar e acompanhar o avanço do tratamento. “Hoje vemos um número cada vez maior de pessoas com menos e 40 anos que procuram o consultório dentário mais por estética. Estes pacientes normalmente apresentam problemas periodontais, bruxismo ou apertamento e de alinhamento dos dentes”, relata a especialista. Segundo ela, neste caso, os pacientes são orientados primeiro a fazer o tratamento dentário para ter funcionalidade e, como consequência, a estética. E não o contrário. “Já os pacientes com mais de 40 anos Tem maior incidência de cáries cervicais (próximo à gengiva), doenças periodontais, podendo levar a perda de dentes. “Esses pacientes estão mais preocupados com a sua saúde bucal e a qualidade de vida. Eles buscam soluções mais duradouras. A estética para eles é uma consequência”, admite.

Prevenção de perda de dentes
Quando você faz a prevenção em todas as faixas etárias, fazendo as visitas regulares ao dentista, consegue prevenir muitas doenças dentárias e da cavidade oral como um todo.
Dificilmente vai desenvolver problemas mais sérios que podem levar a reabsorção óssea, gengivite ou até mesmo a periodontite que podem ocasionar à perda dos dentes. Pessoas que sofrem de bruxismo costumam ter os dentes desgastados, por conta da pressão que faz nos dentes. Mas com a indicação de tratamento adequado também é possível reverter o problema, sem que isso leve a perda de dentes.

Unplash

Prevenção de doenças
Com as visitas a cada seis meses ao consultório odontológico, o profissional consegue avaliar precocemente a condição temporomandibular, se o paciente sofre de bruxismo, ou até mesmo se o desgaste pode ter outra origem. Diversas condições como a articulação da boca (DTM), músculos da face e desgaste dos dentes e suas relações por exemplo com o bruxismo, apertamento e qualidade do sono, podem estar relacionados entre si e ao consumo de medicamentos e outras drogas. “Com o histórico das avaliações feitas nas consultas a cada seis meses, o profissional pode ter indicativos de algum outro problema como diabetes, cardíaco e câncer, de modo precoce e que esteja ligado a boca e estruturas ao redor.” Dentre os exames pedidos pelo especialista estão o raio-X, que analisa principalmente os dentes e suas posições, estrutura óssea e suas patologias, seios paranasais. As tomografias que através de várias imagens traz avaliação mais minuciosa e precisas de determinadas áreas como articulação temporomandibular e áreas de implantes dentários. Outros exames também são importantes como clínicos laboratoriais de sangue.

Melhora da autoestima
As visitas regulares ao dentista também criam um vínculo de confiança entre profissional e paciente. Vendo os resultados satisfatórios, o sorriso aberto sem medo, sem o menor sinal de dor e de sofrimento, também eleva a autoestima de qualquer pessoa. “Com os dentes bem cuidados, tanto no consultório como no seu dia a dia, você está tratando tanto da saúde bucal como do corpo como um todo. Refletindo no nosso bem mais precioso: O sorriso fácil e sem medo.”, finaliza a professora.

Fonte: Abimo – Associação Brasileira da Indústria de Dispositivos Médicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s