5 macetes que deixam a pele extremamente receptiva para os cosméticos

Uma das principais funções da nossa pele é a de barreira de proteção natural, protegendo contra agentes químicos, físicos e biológicos. Devido a isso, o tecido cutâneo não permite a penetração da maioria das substâncias na pele, dificultando a absorção inclusive de cosméticos.

“O estrato córneo é a camada mais externa da epiderme e uma das camadas mais importantes quando se fala de permeação cutânea. Nele, estão presentes células mortas, com grande quantidade de queratina, que se descamam continuamente e formam uma barreira que protege os tecidos que estão abaixo dessa camada. Sendo assim, geralmente apenas 1 a 5% daquilo que é aplicado na pele com o estrato córneo intacto e espesso é que tem capacidade de penetrar, sendo que o restante permanece na superfície da pele, trazendo apenas benefício de hidratação”, explica o dermatologista Daniel Cassiano, da Clínica Gru e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Existem alguns fatores que interferem na permeação de um creme, segundo o médico. “Idade, irrigação sanguínea, hidratação, o próprio local de aplicação, a qualidade e o tipo de pele, bem como a presença ou não de impurezas vão modificar o quanto de cosmético a pele conseguirá absorver”, diz o médico. Mas a boa notícia é que existem meios de fazer com que o seu creme aja profundamente.

Higienização e esfoliação – “A preparação da pele é o primeiro passo, com a limpeza que vai retirar impurezas e sujeiras acumuladas ao longo do dia. Essas sujidades impedem que os cosméticos penetrem adequadamente na pele”, explica o médico. Sabonetes que promovam ação hidratante e calmante, como o Sabonete Poros, da Be Belle, podem ser usados. O produto para limpeza da pele melhora também a elasticidade da pele.

Após a limpeza, o dermatologista diz que a pele fica muito alcalinizada devido ao sabonete. “Por isso, é importante também usar um tônico ou água termal para promover o reequilíbrio do pH da pele, assim preparando-a para a etapa seguinte, já que o equilíbrio do pH vai auxiliar na melhor absorção dos ativos cosméticos que serão aplicados”, afirma o dermatologista.
A esfoliação da pele pode ter benefício, mas não deve ser realizada diariamente, já que a barreira cutânea é fundamental para a saúde da pele. Segundo o dermatologista, nesse processo, o esfoliante remove parte do estrato córneo e retira células mortas, sebos e resíduos que ficam mais aderidos à superfície cutânea.

“Além disso, após a esfoliação, ocorre uma renovação do estrato córneo em mais de 50%, o que confere à pele uma textura mais homogênea e uma espessura mais delicada, fazendo com que os ativos penetrem adequadamente”, completa. Quando optar pelo uso do esfoliante, ele deve vir após o sabonete e antes do tônico. Uma novidade para essa etapa é o Esfoliante Facial Rednek, capaz de remover impurezas e células mortas da pele, desobstruindo os poros e ajudando na renovação celular.

Ordem de aplicação – após estes cuidados, a pele está pronta para receber o cosmético. Porém, ainda assim, é necessário atentar-se a alguns fatores, como a ordem de aplicação por exemplo. “Se aplicados na ordem errada, os produtos podem perder seu efeito. Por isso devem ser passados do mais líquido para o mais consistente. Então os produtos devem ser aplicados na seguinte sequência: séruns e elixires, cremes e por último, os fotoprotetores”, explica o médico.

Formulação – a formulação também influencia, já que existem ativos que facilitam a penetração dos cosméticos na pele, garantindo maior eficácia. Um exemplo são os produtos com nanotecnologia. “Os nanovetores são partículas muito pequenas que garantem permeação maior, já que a pele os absorve melhor. Com a nanotecnologia, temos certeza de que o que está sendo usado na pele não para na superfície sem promover nenhum efeito de regeneração”, afirma.

Drug delivery – com o avanço das tecnologias, já existem também técnicas realizadas em cabine que auxiliam a penetração de produtos tópicos nas camadas mais profundas da pele. “O drug delivery é uma técnica que utiliza de métodos para aumentar a permeabilidade da pele e melhorar a penetração cutânea de medicamentos. Ele consiste na aplicação de medicação na pele imediatamente após o uso de lasers ablativos ou microagulhamento, que criam canais de abertura, facilitando a absorção dos ativos pelo tecido”, explica Cassiano.

Hydrafacial – baseado no conceito de Beauty Health, que consiste em melhorar a aparência da pele ao mesmo tempo em que promove manutenção da saúde do tecido cutâneo, o HydraFacial é um equipamento de hidrodermoabrasão capaz de proporcionar uma experiência única, conferindo a melhor pele da sua vida. Como conta com a exclusiva e patenteada tecnologia Vortex-Fusion, gera um efeito de vórtice para expelir e remover facilmente as impurezas da pele enquanto confere hidratação.

A experiência-base, em 3 etapas, é extremamente personalizável para atender às necessidades específicas de cada pele, com esfoliação, extração (com hidratação) e aplicação de antioxidantes, mas pode ser complementado com boosters, peels, LED’s, perks e terapia linfática para personalizar ainda mais a experiência. Dessa forma, o HydraFacial promove melhora instantânea da qualidade da pele, com uniformização do tom e da textura e aumento da firmeza, viço e brilho da pele.

Podendo ser realizado tanto na face, quanto no corpo, o HydraFacial ainda prepara o tecido cutâneo para procedimentos estéticos e cirurgias plásticas posteriores, assim potencializando resultados. Completamente indolor, o HydraFacial confere resultados em apenas uma sessão, que pode ser repetida mensalmente para manutenção dos resultados. A experiência é indicada para todos os tipos de pele, inclusive peles secas e sensíveis, e possui procedimentos rápidos, que duram de 30 a 60 minutos e não tem downtime, assim possibilitando uma experiência exclusiva sem atrapalhar a rotina.

Por fim, Cassiano ressalta que como a capacidade de permeabilidade da pele pode variar de pessoa para pessoa, o mais importante é que você consulte regularmente um dermatologista. “Apenas ele poderá avaliar e dizer quais produtos são ideais para cada tipo de pele e como devem ser utilizados em cada caso”, finaliza o especialista.

Fonte: Daniel Cassiano é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. Cofundador da clínica GRU Saúde, formado pela Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e Doutorando em medicina translacional pela Unifesp. Professor de Dermatologia do curso de medicina da Universidade São Camilo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s