Novo bar em Pinheiros, Tantin tem personalidade brasileira

Pelas mãos do chef Marco Aurélio Sena, a nova casa traz comida de todos os cantos do Brasil, drinques autorais criativos em esquina acolhedora

Na memória é fácil de puxar: o bar do bairro, com conservas, cadeiras de madeira, lustres das antigas, e aquelas doses de branquinhas para ninguém botar defeito. Seja em São Paulo, no interior, ou em qualquer canto do Brasil, o “bar da esquina” sempre esteve presente na vida do brasileiro. Foi juntando essas lembranças, a sua experiência em diversos restaurantes paulistanos (como Komah, Marakuthai e o espanhol Me Vá) que o chef Marco Aurélio Sena abre seu primeiro negócio solo.

Caipirinhas – Foto: Rodolfo Regini

Como não poderia deixar de ser, o Tantin — que tem esse nome por representar um “tantinho” de cada lugar do Brasil — fica em uma esquina espaçosa na disputada rua dos Pinheiros, em um casarão antigo que ganhou pouca reforma. Logo de cara, o balcão é um convite para quem quer beber despretensiosamente, sozinho ou acompanhado. De lá saem os drinques pensados e criados por Vina Apolinário — bartender que largou a vida agitada de São Paulo para trabalhar nas barras de Caraíva, Bahia — que recebeu de Sena o seguinte pedido: uma carta bem brasileira, nacional e que fosse inclusiva. O resultado vem em 12 autorais além de 4 caipirinhas, de Tangerina com Poejo, Caju limão e manjericão e Maracujá e Lichia.

Drinque Ode ao Cacau – Foto: Rodolfo Regini

Entre as opções há o Biritin, referência ao bairro Birita de Caraíva onde as infusões em cachaça são comuns, e que leva Gabriela da casa (cachaça com infusão de cravo e canela), vermute tinto, suco de limão e Angostura Laranja (R$ 32); A Mula (uma referência à forma que os potiguares bebem cachaça onde ela é guarnecida com uma fatia de caju e sal) com cachaça, xarope de gengibre, suco de limão, concentrado de gengibre e espuma de caju salgada (R$ 29); o Melissa Real, drinque refrescante com gim, erva cidreira, espumante, xarope de açúcar e suco de limão (R$ 33); o Elis — um versão abrasileirada do penicilina e uma referência e apreço da cantora ao whisky — com whisky, suco de abacaxi, concentrado de gengibre, xarope de canela sassafrás e finalizado com whisky defumado (R$ 29); Purple Pickle, drinque agridoce, com tequila, picles de beterraba, suco de limão e xarope de açúcar (R$ 28), e o Aridan, versão do rabo de galo, com cachaça infundida em fava de aridan — usada no candomblé — com vermute tinto e Cynar (R$ 29).

Além do almoço executivo servido de segunda a sexta, das 12 às 15 horas, há o menu de beliscos e principais, onde Marco colocou sua preferência e amor pela culinária brasileira. “Fui buscar um pouco de cada lugar do Brasil, uma referência, um costume, algo simples que tinha nos pratos dos brasileiros. O resultado é um menu simples, porém repleto de sabor, justamente para combinar quase que à perfeição com os drinks”, comenta o chef. E claro, para trazer a lembrança dos bares das antigas, a casa serve as Conservas da Dona Ruth — mãe de Marco: há de batatas bolinha, azeitonas, cebola e ovo de codorna colorido (R$ 28, a cada 100g.

Macarrão Pantaneiro – Foto: Rodolfo Regini

Para começar, vale o Bolinho de Jerimum e Queijo Cuia (R$ 24), a Carne de Onça (R$ 35), PQP que Moela, que é cozida com cebola, tomate e ingredientes secretos (R$ 32), o Coração de Frango com azeite e alho (R$ 38), o Pão Delícia recheado de legumes condimentados (R$ 16). Para os principais há o Cupim Assado do Rei com mandioca na manteiga de garrafa, farofa de alho e vinagrete (R$ 60), Macarrão Pantaneiro com carne de sol, linguiça curada, cerveja, tomate e cheiro verde (R$ 54), Arroz Maria Isabel — carne de sol, queijo coalho, manteiga de garrafa, pimenta de cheiro, tomate, cebola roxa, cheiro verde de ovo caipira (R$ 56), entre outros.

Cuca de Uva Marinada – Foto: Rodolfo Regini

Não poderiam faltar boas — e simples — sobremesas. A Cocada Cremosa com sorbet de limão (R$ 22), o Pudim de Leite com laranja desidratada, pé de moleque e flor de sal (R$ 18); o Mousse de Doce de leite com pão de mel e amendoim (R$ 26); a Cuca de Uva marinada do chimarrão e sorvete de vinho (R$ 24) e, por fim, o Bolo Floresta Negra (R$ 28) — perfeito para uma larica.

Tantin: Rua dos Pinheiros, 987 — Pinheiros. Horário de funcionamento: segunda, das 12h às 15h. Terça e Quarta, das 12h às 23h. Quinta a sábado, das 12h à 1h. Domingo, das 12h às 18h. @tantinbar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s