Herpes de repetição: o que é, tratamentos e métodos de prevenção

A herpes de repetição acontece quando o paciente tem uma série de crises em um único ano, desencadeadas por gatilhos variados

Quando o assunto é herpes, os tipos e sintomas são tantos que fica difícil saber diferenciá-los. Mas, vamos começar pelo básico: as infecções pelo vírus herpes simples (HSV) são comuns na população mundial, e as versões da doença mais frequentes são as chamadas tipo 1 e tipo 2.

Aproximadamente 90% dos adultos já tiveram contato com esse vírus de alguma forma, mas nem todos desenvolveram as lesões. Por conta disso, entender as suas implicações, e até mesmo os sintomas, é importante – afinal, as chances de você ter mais de uma vez o problema são altas.

“A herpes tipo 1 gera lesões dolorosas”, explica Brianna Nicolleti, alergista e imunologista pela USP. “São pequenas bolhas de base avermelhada, mais frequentemente localizadas nos lábios, mas que podem aparecer em outras áreas do corpo também”, completa.

Já a herpes tipo 2 ocasiona lesões de características semelhantes, mas em especial na região genital (tanto de homens quanto de mulheres). Por fim, a herpes de repetição acontece quando os pacientes apresentam mais de uma crise de herpes por ano – é o típico caso da pessoa que, sempre que a imunidade cai, ou ela passa por um caso de estresse, surge com as bolhas na boca.

Para a Brianna, existem fatores importantes que colaboram para o surgimento de novas crises. São eles:

-Exposição à radiação ultravioleta ( luz solar)
-Traumatismos locais
-Menstruação
-Distúrbios hormonais importantes
-Estresse físico ou emocional
-Crises depressivas
-Insônia ou noites mal dormidas
-Uso prolongado de antibióticos
-Imunodeficiência congênita ou adquirida
-Quadros crônicos inflamatórios (como doenças autoimunes)

Como tratar os casos de herpes de repetição?

“O tratamento dos quadros agudos de herpes é feito, na maior parte das vezes, com medicamentos antivirais, capazes de impedir que o material genético do vírus se multiplique e, consequentemente, melhorando o quadro clínico”, explica a especialista.

Além disso, é importante fazer ajustes no estilo de vida para impedir novos episódios de herpes de repetição. Por exemplo:

-Manter uma alimentação saudável
-Seguir uma rotina de exercícios físicos
-Fazer o autogerenciamento do estresse
-Priorizar boas noites de sono
-Fazer uma reposição vitamínica, caso necessário
-Garantir as medidas locais de hidratação e evitar gatilhos irritativos locais e alérgicos

O uso da lisina – um aminoácido conhecido por inibir a multiplicação do vírus da herpes -, também pode ser essencial para evitar a herpes de repetição, assim como a imunoestimulação, que melhora a atividade das células e das mucosas da pele, protegendo o organismo contra novas crises. Vale lembrar que ainda não existe vacinação contra a herpes, por isso, a prevenção segue sendo o melhor remédio nesses casos.

Fonte: Brianna Nicoletti é médica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas; Residência médica em Medicina Interna pela Universidade Estadual de Campinas; Residência médica em Alergia e Imunologia Clínica pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (2009). Associada à Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia. Médica Especialista em Alergia e Imunologia do Corpo Clínico do Hospital Israelita Albert Einstein). Integrante da equipe de Qualidade da UnitedHealth Group.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s