Estudo aponta que apenas 56% das mulheres sentem-se realizadas profissionalmente

Índice Geral de Bem-Estar, feito pelo Todas Group, fornece um raio-x personalizado da real situação das colaboradoras

Mesmo que enfrentem uma dupla jornada diária de trabalho, as mulheres têm conquistado seu espaço no mundo corporativo e o nível de ocupação feminino no número de empregados alcançou 45,7% de acordo com a última pesquisa do Pnad. Assim, a realização profissional e a qualidade de vida e bem-estar são preocupações frequentes na vida das mulheres, que se questionam como podem lidar com suas vidas profissionais nos dias de hoje.

Foto: CPA/Canada

Com base nesse cenário, o Todas Group, primeira edtech da América Latina totalmente dedicada ao público feminino, com o apoio de Viviane Leite, especialista em bem-estar, e da consultoria de pesquisa Inside Consumer Insights, realizaram uma pesquisa quantitativa com 673 mulheres que atuam no mercado de trabalho brasileiro. Nela, as participantes avaliaram as seguintes esferas de suas vidas: situação no trabalho, confiança e saúde mental, relacionamentos, saúde física e padrão de vida. Essas informações foram, em seguida, cruzadas com 12 indicadores de perfis, como faixas etária e salarial, tempo de empresa, área de atuação, tamanho da companhia, cargo e estado, entre outros.

Uma das informações derivadas deste estudo é que 74% das mulheres sentem orgulho da empresa em que são colaboradoras e acreditam que podem crescer e se desenvolver profissionalmente. Em contrapartida, apenas 56% se sentem realizadas no trabalho.

Sobre saúde e bem-estar é revelado que 79% das mulheres sentem-se gratas pelo trabalho e 67% sentem-se seguras para dar sua opinião. Contudo, como ponto de atenção, 63% das mulheres se sentem tensas frequentemente pela pressão que sofrem diariamente em seus empregos.

“É preciso ter em mente que o bem-estar é formado por vários fatores subjetivos, como relações pessoais e o estado de saúde, entre outros”, explica Tatiana Sadala, cofundadora da Todas Group, sobre os pontos positivos e negativos que o estudo mostra sobre a vida profissional feminina.

Além disso, o cenário de relacionamentos é um dos mais confortáveis para as mulheres de acordo com a pesquisa. Em torno de 70% das mulheres dizem que os chefes e colegas de trabalho fazem bem a elas, deixando sua saúde social em dia, 64% sentem-se parte de grupos e seguras para opinar com seus colegas. Porém, 50% delas sentem falta de terem lideranças femininas reais por perto para aprenderem.

Com base nestes resultados, o Todas Group criou um Índice Geral de Bem-Estar, com parâmetros bem definidos para cada esfera, que serve de base de comparação para qualquer empresa interessada na implementação de políticas que realmente atendam às necessidades de suas colaboradoras.

“Esses pontos de atenção precisam ser investigados pelas empresas, uma vez que comprometem uma série de coisas, como a autoconfiança e a segurança psicológica no trabalho. A partir da identificação real do bem-estar das funcionárias, fica muito mais fácil para desenvolverem soluções também reais”, explica Viviane Leite, especialista em bem-estar.

Fonte: Todas Group

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s