Quando o colesterol se torna um problema?

Fundamental para o funcionamento do organismo, essa gordura, quando em níveis mais altos, pode se tornar uma ameaça à saúde

Encontrado exclusivamente em alimentos de origem animal, o colesterol é um tipo de gordura presente em nosso organismo. É matéria-prima dos hormônios esteroides, dos ácidos biliares e da vitamina D, além de ser parte integrante da estrutura das membranas celulares e de atuar na fluidez destas membranas e na ativação de enzimas intracelulares. No entanto, ter níveis de colesterol altos no sangue nem sempre é positivo, podendo até causar um aumento do risco de problemas cardiovasculares, como infarto ou AVC.

Pixabay

“A atividade física regular é fundamental para o controle adequado dos níveis de colesterol”, afirma Fernando Barreto, cardiologista e diretor médico assistencial do São Cristóvão Saúde. Isso porque, conforme explica o especialista, existe o HDL e o LDL: “Ambos são lipoproteínas carregadoras de colesterol e existem para permitir que o colesterol se desloque através do nosso plasma sanguíneo, pois são hidrossolúveis”, completa, mas diz que com relevante diferença:

-HDL (lipoproteínas de alta densidade): conhecido como ‘colesterol bom’, carrega o excesso de colesterol do sangue em direção ao fígado para ser metabolizado;
-LDL (lipoproteínas de baixa densidade): é o ‘colesterol ruim’; leva o excesso de colesterol para ser depositado nas paredes dos vasos sanguíneos, o que poderá causar a obstrução destes vasos e outros problemas sérios, como o infarto agudo do miocárdio.

Desse modo, complementa Barreto, “é conhecida a relação entre obesidade e sobrepeso ao aumento de colesterol ruim e risco de doenças cardiovasculares. A melhor atividade física indicada é aquela que dá o maior prazer ao praticá-la, nem que seja por poucos minutos e poucos dias. Uma simples caminhada, por uma hora, três vezes por semana, já terá efeito cardioprotetor considerável”.

Seletividade

É preciso atenção para se precaver dos males causados por uma má alimentação. A gordura saturada e a gordura trans presentes em embutidos, bebidas alcoólicas, alguns alimentos industrializados e/ou contendo açúcares, aumentam o colesterol ruim. Por outro lado, “as gorduras vegetais, como o azeite extravirgem, frutas, verduras, leguminosas e cereais ajudam no controle do colesterol. Alimentos com fibras auxiliam também no controle do colesterol ruim, pois permitem captar o colesterol e eliminar uma parte dele nas fezes”, recomenda o médico.

Pixabay

Além do controle de peso, a dica final do cardiologista é cessar o tabagismo, consumir álcool apenas socialmente e controlar o stress. “Além de dieta saudável e atividade física, é fundamental ter atividades de lazer e convívio com familiares e amigos”, finaliza Barreto.

Fonte: Grupo São Cristóvão Saúde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s