Da dieta rica em sal às roupas apertadas, descubra 7 maus hábitos que pioram a celulite

Conhecer os hábitos que influenciam no aparecimento da celulite é fundamental para saber como combatê-la

Apesar do fator genético ser a principal causa para a celulite, os hábitos de vida influenciam – e muito – no aparecimento ou piora do quadro – e também no resultado dos tratamentos. “Existe tratamento para essa alteração estética, mas eles devem ser iniciados após o paciente ter consciência da importância da mudança do estilo de vida, senão não haverá resultado”, afirma Cláudia Merlo, médica especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS. Abaixo, consultamos especialistas para explicar quais são os hábitos que estão envolvidos com o aparecimento da celulite:

Excesso de peso. Segundo o dermatologista Abdo Salomão Jr., basicamente, os hormônios femininos predispõem gordura nas regiões dos quadris e coxas e onde existe um acúmulo maior de gordura, existe maior probabilidade da instalação de celulite. “A gordura comprime as veias e os canais linfáticos, o que causa um inchaço no local. Então, a região, com pouca circulação, agrava mais ainda a celulite. A partir daí, surge um círculo vicioso que, se não for tratado corretamente, pode permanecer para sempre”, explica o dermatologista. Mas isso não quer dizer que mulheres magras não tenham celulite: “Ao ver uma mulher magra, não estamos realizando uma avaliação de composição corporal, sendo assim, ela pode ter alto percentual de gordura e consequente celulite. Não sabemos dos hábitos de vida dessa mulher magra e, além disso, do consumo de alimentos inflamatórios que ela ingere”, explica Cláudia. Mudar a composição corporal, com dieta e exercícios, é altamente recomendado, segundo os médicos.

Dieta inflamatória e refrigerantes. Os refrigerantes e alimentos ultraprocessados contêm alta concentração de açúcar e sódio. “O açúcar em excesso aumenta a gordura localizada e o sódio aumenta a retenção de líquidos, piorando a circulação local. Não apenas os refrigerantes, como todos os alimentos com alto teor de açúcar e gordura podem agravar as celulites, pois aumentam as células de gordura”, explica a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. “Para celulite, além do excesso de açúcar, o de sal também é extremamente maléfico, na medida em que o sódio piora a retenção de líquidos. Deve-se fazer uma dieta hipossódica, ou seja, com pouco sal. Além disso, é indicado evitar alimentos ultraprocessados, frituras de imersão, massas, fast-foods e sucos de caixinha, que têm alta quantidade de sódio. É importante também inserir fibras na dieta, pois o bom funcionamento do intestino é um aliado na medida em que o aumento da pressão sobre as veias do abdômen, por conta da prisão de ventre e inchaço, pode comprometer a circulação, piorando a celulite. Coma mais frutas como mamão, legumes, verduras e sementes. Os alimentos pré e probióticos também podem ajudar, desde que bem orientados por médicos nutrólogos. Alimentos com atividade termogênica, como o café e chá verde, além das pimentas e especiarias como gengibre, cúrcuma, cravo e canela, também são indicados, já que todos ajudam a estimular a circulação sanguínea e podem trazer benefícios para o quadro”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Sedentarismo. “O ser humano hoje mal faz força; dentro do carro, o vidro é elétrico, o câmbio é automático; chega em casa, sobe de elevador; chega no trabalho, fica sentado. Ou seja, o sedentarismo está cada vez mais presente na vida das pessoas. E ele é perigoso, porque atrapalha a circulação, favorece o acúmulo de gordura e piora a celulite”, explica Salomão Jr. “Então, principalmente para quem vive em cidade grande tem que frequentar uma academia, tem que fazer exercícios físicos, principalmente os aeróbicos, que é o que vão consumir bastante energia e manter uma capacidade aeróbica correta para que a pessoa tenha uma vida saudável. Não adianta comer pouco se não faz exercício, senão o organismo acaba não fazendo músculo, o que deixa o corpo flácido e com mais propensão à celulite”, diz o médico. “A hipertrofia dos músculos aumenta o volume de toda a região e melhora muito a flacidez glútea. O músculo mais ativo melhora a circulação sanguínea de todos os tecidos ao redor e pode melhorar a celulite como consequência”, destaca a cirurgiã plástica Beatriz Lassance, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. “O retorno venoso, e também o linfático, fica extremamente ativo e funcional durante a atividade física. O efeito direto é a diminuição do inchaço das pernas, deixando-as mais descansadas; além de melhorar aquele aspecto de casca de laranja da celulite”, explica a cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

Beber pouca água. “A ingestão de água ajuda o organismo a eliminar as toxinas do organismo, ocasionando uma melhora na pele. O ideal é ingerir, no mínimo, 2 litros de água por dia”, diz a Dra. Paola. É claro que essa não será a solução do problema, mas Cláudia destaca que os tratamentos para a alteração estética devem ser iniciados após o paciente ter consciência da importância da mudança do estilo de vida, senão não haverá resultado. “Dieta, exercícios físicos e drenagem linfática são altamente indicados para tratar a celulite”, conta Cláudia.

Stefan Obermeir/Getty Images

Fumo e bebidas alcoólicas. “As substâncias tóxicas do cigarro acometem diversas funções do organismo, piorando a oxigenação e microcirculação da pele, o que diminui a produção de colágeno e promove o acúmulo de gordura localizada”, diz Paola. Não tem jeito: você precisa parar. “Para muitas pessoas, o cigarro está ligado ao hábito; quem consegue identificar o gatilho que a faz ter vontade de fumar pode tentar mudar esse hábito mais facilmente e largar o vício”, afirma Beatriz. “O álcool piora a celulite por ser uma substância inflamatória e de alta concentração de calorias, que consequentemente contribui com o ganho de peso e obesidade”, completa a Cláudia.

Sono e hormônios. Além desses hábitos, também é importante ficar de olho em pelo menos mais duas coisas: o sono e o uso de anticoncepcionais. “Não dormir bem dificulta a produção hormonal, atrapalha a circulação e piora o quadro de celulite”, diz o médico. “O sono é um potente detox. Durante o sono produzimos várias substâncias consideradas antioxidantes, como hormônio de crescimento e melatonina e diminuímos a produção de radicais livres, ou seja o sono é um regulador do estresse oxidativo”, afirma Beatriz. “Com relação aos hormônios, incluindo anticoncepcionais, eles podem iniciar ou agravar o quadro”, explica o dermatologista.

Shutterstock

Roupas apertadas. Paola explica que o uso de roupas apertadas não causa, mas pode agravar a celulite existente, uma vez que piora a circulação linfática e sanguínea. “Isso causa retenção de líquidos e piora a microcirculação local. Se você está tentando se livrar das celulites, dê preferência para roupas mais confortáveis”, diz a médica. Já as meias de compressão podem ajudar. “Mas elas precisam ser orientadas por especialistas vasculares (cirurgião vascular ou fisioterapeuta vascular), pois são inúmeras características de compressão da meia, portanto o uso é individualizado”, explica Cláudia.

Sobre os tratamentos, o dermatologista indica a tecnologia macrofocada do Atria, que conta com a Coagulação Radial Intermitente para entregar a energia de forma pulsada, com a mesma eficácia e menos dor, em um protocolo de quatro tratamentos a cada 15 dias. “Esse tratamento age na gordura, reduzindo seu volume, além de quebrar as traves fibróticas que puxam a pele para dentro e causam aqueles furinhos, e, também, melhora a tensão superficial, causando uma retração no tecido, tratando também a flacidez. Com isso, acontece uma reestruturação dos tecidos, com consequente melhora da celulite e da aparência da pele como um todo”, diz o Salomão. De acordo com Cláudia, em consultório, há opções como injeções redutoras de gordura, que são aplicadas em regiões com maior resistência de eliminar com dieta e exercícios físicos, subcisão das bandas fibrosas, radiofrequência e bioestimuladores de colágeno injetáveis. “Os procedimentos podem ser associados, de acordo com a avaliação médica sobre a necessidade da paciente”, finaliza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s