28 de fevereiro é o Dia de Combate às LER/Dort; veja como identificar lesões por esforços repetitivos

Fadiga muscular, dores nos membros superiores e nos dedos estão entre os sinais das doenças

Hoje, 28 de fevereiro, é celebrado o Dia Mundial de Combate às Lesões por Esforço Repetitivo ou Distúrbios Osteomusculares — LER/DORT. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o intuito de alertar a população e chamar a atenção das autoridades a respeito da importância de adotar cuidados e medidas preventivas contra lesões associadas à repetição de movimentos.

O corpo apresenta reflexos da pressão no volume de demandas do trabalho. São sintomas como dor nos membros superiores e nos dedos, dificuldade para movimentação, formigamento, fadiga muscular e inflamação. As lesões por esforços repetitivos (LER) e os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort) são as doenças que mais afetam os trabalhadores brasileiros, segundo estudo do Ministério da Saúde.

Como explica o médico e professor do curso de Medicina da Unime – União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura, Luis Filipe Daneu, a LER e o Dort são danos decorrentes da utilização repetitiva, principalmente, principalmente dos membros superiores, por períodos prolongados, não permitindo o descanso e recuperação adequada, associado a ergonomia ruim.

“Ombros, região cervical e lombar são pontos críticos que desencadeiam os sintomas. Punhos e cotovelos também são alvos mediante os esforços repetitivos como a digitação intensa, por exemplo, além da postura incorreta que afeta todo o funcionamento da parte muscular. É válido destacar que o sedentarismo está fortemente associado a esses quadros, sendo a atividade física um fator preventivo importante, pois fortalece músculos e articulações”, explica o especialista.

Ainda de acordo com o Ministério de Saúde, esses problemas podem prejudicar a produtividade laboral e são responsáveis pela maior parte dos afastamentos do trabalho e representam custos com pagamentos de indenizações, tratamentos e processos de reintegração à ocupação.

O tratamento depende do estágio da lesão, entretanto, especialistas indicam que, em qualquer fase, é essencial o acompanhamento interdisciplinar com médico reumatologista, fisioterapeuta, terapia ocupacional, acupuntura e com um psicólogo, quando há traços de depressão. Também são utilizados remédios anti-inflamatórios prescritos por um especialista durante o processo de recuperação.

Confira algumas dicas para evitar lesões:


-A cada 25 minutos de trabalho de digitação, a orientação é fazer uma parada de 5 minutos;

iStock

-É indicado beber água regularmente ao longo do dia;

Pixabay

-Manter postura adequada: ombros relaxados, pulsos retos, costas apoiadas no encosto da cadeira vão ajudar na postura;

-Os pés devem estar totalmente apoiados no chão;

Pexels

-Outra recomendação é que o monitor do computador deverá estar a uma distância mínima de 50 e máxima de 70 centímetros ou de maneira prática a uma distância equivalente ao comprimento um braço. A regulagem da altura da tela deve ser tal que se situe entre 15 e 30 graus abaixo da linha reta de visão.

Fonte: Unime (União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s