Arquivo da categoria: Alimentação saudável

Farovitta lança linha de snacks proteicos veganos

Marca aposta em sabores salgados e proteicos de snacks e crisps

A Farovitta, marca brasileira de superfoods, alimentos funcionais e proteicos, lançou recentemente uma linha de snacks proteicos, com produtos saborosos e práticos para adicionar mais proteína no dia a dia das pessoas. À base de proteína da ervilha, os dois produtos da nova linha – Protein Snack e Protein Crisps – são veganos, assados e temperados naturalmente com “superfoods”, além de serem sem glúten.

Outro destaque é o sabor. “Quando se pensa em snack proteico saudável as opções são sempre doces. Nós conseguimos desenvolver produtos clean label com bons valores de proteína em versões salgadas. Era o que faltava para quem não abre mão de um lanche nutritivo com uma dose extra de proteína. E eles são feitos com proteína da ervilha e superfoods apenas, sem adição de farinhas ou grãos”, revela Luana Stein, diretora de Marketing e Inovação do Grupo Revel Foods, detentor da marca Farovitta.

O Protein Snack pode ser consumido como um salgadinho. Possui baixo índice glicêmico, cerca de 15 gramas de proteína e apenas 130kcal em cada pacote. É possível encontrar o novo snack em 3 sabores, dois salgados (Páprica e Cúrcuma; Nutritional Yeast, que tem um gostinho de queijo) e um doce (Coco e Canela). Esse último é adoçado apenas como eritritol.

Já o Protein Crisps é indicado para ser polvilhado em saladas, sopas, vegetais e refeições diversas adicionando uma porção extra de proteína. São dois sabores salgados, Cúrcuma e Sal do Himalaia e Alecrim e Alho, ambos com 6,5g de proteína e apenas 55kcal na porção.

As novidades já podem ser encontradas em diversas lojas e também no site da marca.

 

Chocolate sustentável e naturalmente lilás

A novidade, 100% artesanal, funcional e sustentável, combina chocolate branco com farinha de uva fermentada

Referência no mercado nacional de chocolates artesanais, a chocolateria curitibana Cuore di Cacao, comandada pelas irmãs Bibiana e Carolina Schneider, apresenta ao público uma novidade que se destaca tanto pela beleza, quanto pelo sabor: o chocolate naturalmente lilás. 100% artesanal e sustentável, o produto tem em sua composição chocolate branco e farinha de uva fermentada, dando ao doce um sabor delicado e exclusivo no segmento.

barra_lilas_01

A novidade foi criada inicialmente para o Clube do Chocolate da Cuore di Cacao, onde assinantes de todo o país recebem mensalmente produtos exclusivos. “Barrinhas contendo matchá e erva mate já fizeram parte dos lançamentos do nosso clube, mas pela primeira vez a aposta foi na utilização de farinha à base de fruta, que resultou no chocolate lilás”, conta Bibiana Schneider, sócio proprietária da Cuore di Cacao.

O chocolate lilás da marca curitibana é produzido com a farinha U-Vita, criada por uma parceria entre pesquisadores da Universidade Positivo e a Vinícola Franco Italiano, da cidade de Colombo (PR). O produto é proveniente do bagaço de uvas fermentadas utilizadas na produção de vinho.

“Além de saudável, rica em nutrientes e fibras solúveis e insolúveis, a U-Vita é um produto que contribui para a sustentabilidade, uma vez que é resultante do reaproveitamento total do alimento. Na Cuore, buscamos sempre aliar qualidade e consciência ecológica, apresentando soluções que tragam sabor e respeito ao meio ambiente”, explica Bibiana.

De acordo com Marcelo Apene, um dos profissionais envolvidos na produção da farinha de uva, além de saborosa, tendo várias aplicações na cozinha, ela traz vários benefícios. “Conseguimos manter de 75% a 80% de resveratrol na U-Vita, resultando em uma grande concentração de antioxidantes e fibras. E é lógico que esses benefícios são encontrados no chocolate, que ganha muito mais do que um gostinho especial”, destaca.

barra_lilas_03

Com o grande sucesso do lançamento, a Cuore di Cacao já está preparando novos microlotes do chocolate lilás. Cada barrinha (50 g) custa R$ 14,00 e, além da farinha de uva, leva em sua composição nibs de cacau, responsável pela crocância e suavidade no sabor do preparo.

A Cuore di Cacao tem seus produtos espalhados por diversos pontos de venda no país. Além disso, pessoas de outras partes do Brasil podem fazer encomendas por meio do site da chocolateria ou pelo WhatsApp (41) 98788-1633.

Cuore di Cacao – Rua Fernando Simas, 347 – bairro Batel – Curitiba

 

Para um mundo mais sustentável, é preciso diminuir o consumo de carne

Grupo da Faculdade de Saúde Pública da USP traz dados e dicas sobre como assumir uma alimentação sustentável e acessível

Por Yasmin Oliveira – Editorias: Universidade – Jornal da USP

20190729_sustentarea
O ideal é substituir a carne por leguminosas, ovos e comer mais cereais integrais no dia a dia – Foto: Reprodução Sustentarea

Pelo bem do meio ambiente, você deveria reduzir seu consumo de carne. Pelo menos, é o que recomenda o Manifesto Sustentarea, documento produzido pelo Núcleo de Apoio às Atividades de Cultura e Extensão da USP (Nace) da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da USP, em São Paulo.

O manifesto traz recomendações de hábitos saudáveis e sustentáveis, além de informações sobre o assunto. O grupo é formado por alunos de graduação, pós-graduação e profissionais da saúde que são responsáveis pela disseminação do conteúdo.

O documento é direto: o maior problema é um alimento comum à mesa. Estudos do grupo revelam que o brasileiro come mais carne vermelha e processada do que deveria – muito mais do que a média recomendada. Também deixa de lado verduras e legumes.

O problema é que a produção de carne bovina tem impactos significativos para o meio ambiente. “Gera gases de efeito estufa, devastação de florestas e consome grande quantidade de água”, comenta a nutricionista Aline Carvalho, coordenadora do grupo. “É o ponto principal, porque representa 50% do impacto ambiental da dieta.”

Cópia de Manifesto
Capa do Manifesto Sustentarea – Foto: Reprodução

Na saúde, o consumo exagerado aumenta o risco de câncer, como diz estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS). O ideal é substituir por leguminosas, ovos e comer mais cereais integrais no dia a dia, como pão ou arroz. Para quem não quer abandonar a carne vermelha, o Sustentarea aconselha o consumo de até 500 gramas por semana.

Entretanto, o problema não é apenas a carne processada, mas a maneira que a produzimos e consumimos como um todo. “Se continuarmos consumindo do jeito que fazemos hoje, não haverá recursos suficientes para todos em 2050”, explica Aline, baseada em um artigo produzido em Harvard e publicado na revista The Lancet.equipe-sustentarea

Equipe do projeto de extensão Sustentarea coordenando pela nutricionista Aline Martins de Carvalho – Fotos: Cedidas pela Equipe Sustentarea

Como mudar o hábito e a alimentação?

O grupo reconhece que convencer as pessoas a mudar seus hábitos é um processo lento e difícil. Por isso, o manifesto traz o capítulo “O que você pode fazer?” para aproximar o leitor de uma rotina mais sustentável. As recomendações são simples, como evitar desperdícios ou prestar atenção nos rótulos de alimentos.

O Sustentarea também procura outras medidas práticas, como lançamento de revistas on-line de receitas sazonais, que priorizam pratos sem carne e com motivos para sua recomendação. Para Aline, essa é uma forma prática de disseminar informação de qualidade na mesa do brasileiro.

20190729_receitas_sustentare-1
Livros de receita e revista ajudam público a mudar hábitos – Foto: Reprodução

Apesar de ser difícil abandonar todos os alimentos industrializados em rotinas cansativas, é possível avaliar o que se compra de uma forma mais crítica, avaliando como foi produzido e o número de químicos na composição. Quanto mais natural, melhor. A nutricionista também recomenda que se cozinhe mais – uma forma de se conectar com o alimento.

“Quando a população se empodera desse conhecimento, tece o caminho para um futuro sustentável”, finaliza.

Cópia de Manifesto

Mais informações: FSP – USP

Os incríveis benefícios da “Dieta Japonesa da Manhã”

Um dos obstáculos de muitas dietas está no orçamento, conta o portal Visa Saúde. A maioria das pessoas não quer ou não pode gastar muito com uma alimentação saudável. No entanto, há programas de perda de peso que não exigem muito dinheiro. Uma prova está na Dieta Japonesa da Manhã.

Você já percebeu como é difícil encontrar alguém que nasceu no Japão e esteja acima do peso. E não é apenas questão de genética. Mas de manter um cardápio equilibrado. Nessa dieta, o mais surpreendente é o segredo utilizado para ajudar no emagrecimento: a banana.

Criado por Hitoshi Watanabe, o método chegou a ganhar um livro. Entenda como funciona a seguir.

O que é a dieta japonesa da manhã

banana

Chamada também de regime japonês da manhã, a dieta se tornou um sucesso online nos últimos meses. E não é à toa. Sua premissa é simples. Para emagrecer e ter mais saúde, a fórmula seria simples:

=comer 1 banana pela manhã;
=beber muita água em temperatura ambiente ao longo do dia.

O médico responsável por essa indicação afirma ter testado vários tipos de planos alimentares ao longo de sua vida. No entanto, a fruta teria dado mais resposta. Desenvolvida ao lado de sua esposa farmacêutica, essa dieta seria livre de efeitos colaterais, podendo ser seguida por qualquer pessoa.

Porque a banana está na dieta

Ainda que nem sempre recebam seu devido valor, as bananas são muito ricas para a saúde. Contando com uma grande quantia de amido dentre seus nutrientes, contribuem tanto para a perda de peso quanto para a sensação de saciedade.

Quando consumida, a banana segue diretamente para o intestino grosso, sem se dissolver no intestino delgado. Assim, o amido começa a fermentar no intestino grosso, onde as bactérias do órgão a transformam em ácidos graxos de cadeia curta. Esses ácidos reduzem a síntese de colesterol no fígado e são absorvidos como nutrientes. Além disso, a banana melhora as funções do trato intestinal, alimentando as células. Portanto, deixa o organismo mais saudável.

Quais são os 6 passos da dieta japonesa da manhã

Embora sua base seja simples, há uma lógica específica por trás do método. É preciso seguir algumas regras e entender como elas funcionam. São seis passos:

=Ainda em jejum, você precisa comer 1 banana, e então tomar um copo de água em temperatura ambiente logo em seguida. A ideia é que não consuma mais nada até o horário do almoço. Você deve esperar 20 minutos após comer a banana. Se ainda sentir fome, pode comer mais uma;

=Beba o máximo de água em temperatura ambiente ou morna para acelerar seu metabolismo naturalmente. Não beba nada com álcool e evite a ingestão de leite;
Seu jantar não pode ser consumido depois das 20h. Depois desse horário, é ideal que não comer mais nada.

=Lembre de não sobrecarregar seu estômago. Pense sempre em uma regra de 80/20. Consuma apenas 80% do que está no seu prato e deixe 20%. Para evitar o desperdício, tente diminuir o tamanho de seus pratos.

dormir sono despertador relogio

=Vá para a cama antes da meia-noite. A falta de sono está diretamente relacionada ao aumento de peso.

=Você pode comer o que quiser no almoço e jantar, mas entre as refeições, os lanches só podem ser frutas. Nada de pão, biscoitos ou outras guloseimas.

Embora possa parecer difícil, a verdade é que se você tem muitas frutas à disposição, fica mais fácil não sentir falta de outros alimentos, especialmente com adição de açúcar. E como os resultados vão aparecer em pouco tempo, vai perceber que vale a pena.

Quais são os outros benefícios da banana

banana

Além de contribuir muito para o emagrecimento saudável, o consumo de banana é aliado de todo o organismo. Comer a fruta regularmente ajuda a:

-acelerar o metabolismo;
-aumentar a sensação de saciedade;
-garantir muito nutrientes para o organismo;
-fornecer fibra e potássio;
-reduzir a aparência da celulite;
-diminuir a vontade e o impulso por doces.

Na prática, a promessa é de que a dieta japonesa da manhã vai te ajudar a se sentir com mais energia, com os níveis de açúcar controlados. Para a perda de peso, será um aliado para evitar que coma além do necessário. Para acelerar ainda mais o processo, considere alguns suplementos naturais como cromofina ou zero caps.

Sem contar que nossa alimentação precisa sempre priorizar os alimentos in natura. Quanto mais conservantes são adicionados à dieta, mais chance de ter inchaço e de deixar seu metabolismo mais lento.

Como consumir banana diariamente sem enjoar

Por mais que uma dieta seja eficiente, a verdade é que nosso paladar pode precisar de uma ajudinha. Comer banana todos os dias é desafiador em longo prazo. Por isso, ainda que o ideal seja consumir a fruta naturalmente, você pode prepará-la de diferentes maneiras.

banana com canela canadutch
Canadutcg

Uma receita bastante básica é cortar a banana ao meio, salpicar um pouco de canela e levar ao micro-ondas por um minuto. A textura já será diferente, e a canela também funciona como um meio de acelerar o metabolismo.

banana com aveia frigideira smittenkitchen
Smittenkitchen

Também é possível amassar meia banana, colocar uma colher de farinha de aveia e levar à frigideira. Você terá uma panqueca funcional com preparo simples, e ainda muitos nutrientes. Para evitar que você perca em valor nutricional, por ter aquecido a fruta, deixe metade in natura, para funcionar como uma espécie de recheio.

banana com chia eatwell101
Eatwell101

Outra possibilidade é cortar em rodelas e salpicar com chia. A semente é excelente para aumentar a sensação de saciedade. Logo, se você sente muita fome pela manhã, não vai precisar comer a segunda unidade, pois estará mais cheio.

Por que apostar numa dieta que não gasta muito

bananas- pixabay

O segredo de uma dieta bem sucedida não está no valor financeiro de seus alimentos. Na verdade, é possível seguir um plano alimentar gastando menos do que você imagina. A questão é que muita gente usa o dinheiro como desculpa.

Ainda que uma pessoa esteja acima do peso e compre uma pizza de R$ 45,00 por semana, é possível que ela reclame por ter que gastar em frutas e verduras. Ao final do mês, serão R$ 180,00 que poderiam ter sido gastos na feira, por exemplo.

Ao seguir uma dieta que não gasta muito, a mente é mais facilmente convencida de que dá para emagrecer sem precisar se preocupar com o orçamento. Esse impulso psicológico é muito importante para que a perda de peso seja bem-sucedida.

Fonte: VivaSaúde – Karina Lobo é nutricionista com 15 anos de experiência, formada pela UFSC com MBA em Gestão de Negócios pela UNIP. Apaixonada por comida e por alimentação saudável.

Reduzir 300 calorias na dieta pode ajudar coração, revela novo estudo

Quem eliminou essa quantidade de consumo calórico conseguiu baixar a pressão arterial e os níveis de colesterol ruim, dois dos principais fatores de risco para o infarto

Um estudo da Escola de Medicina da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, mostrou que a redução de apenas 300 calorias diárias em uma dieta pode conferir benefícios para a saúde cardiovascular. Isso também vale para quem já está no peso ideal. A pesquisa foi publicada em 11 de julho, na prestigiada revista inglesa The Lancet Diabetes & Endocrinology.

De acordo com a Diretora Executiva do Departamento de Nutrição da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp), Profª Drª Nágila Raquel Teixeira Damasceno, a pesquisa comprova que a alimentação saudável é um dos fatores essenciais para o combate às doenças cardiovasculares em todo o mundo. “A atuação do nutricionista dá-se em todas as etapas de um tratamento cardíaco: desde a prevenção até a plena reabilitação do paciente”, explica a especialista.

O trabalho mostrou que quem reduziu essa quantidade de consumo calórico conseguiu baixar a pressão arterial e colesterol associado à LDL, dois dos principais fatores de risco para o infarto agudo do miocárdio. Além disso, houve diminuição de 24% nos triglicérides, que também influencia significativamente a obstrução das artérias.

“No caso específico do controle da hipertensão, além da redução calórica, é desejável o controle no consumo de sal. Por sua vez, o controle de níveis adequados de colesterol e triglicérides pode ser otimizado, não só pela redução das calorias ingeridas, mas também otimização no consumo de alimentos ricos em fibras e gorduras saudáveis como aquelas encontrados em peixes, abacate e alguns óleos vegetais”, fala a médica. “Portanto, redução na quantidade das calorias e melhora na qualidade dos alimentos é a receita correta para a saúde cardiovascular”, completa.

Dados do DataSUS mostram que as doenças do aparelho circulatório são as que mais matam no Brasil: um a cada três óbitos tiveram estas causas em 2017. No total, foram mais de 358 mil mortes.

“Combater a mortalidade cardiovascular é um grande desafio. Por isso, estudos como esse alertam para a necessidade de eliminar os fatores de risco ao infarto como obesidade, tabagismo, sedentarismo, hipertensão e colesterol alto atuando de maneira preventiva. Por isso, recomendamos sempre uma dieta saudável, o controle do peso corporal e a prática de atividades físicas”, afirma José Francisco Kerr Saraiva, presidente da Socesp.

Afinal, quanto é 300 calorias?

276832_581079_chocolate_em_barras_1

=Uma barrinha e meia de chocolate (120g);
=Seis biscoitos recheados;
=Bife frito ou macarrão (100g);

xicara açucar adoçante cafe cha pixabay
Pixabay

=Dois copos de café com leite, se acrescidos de açúcar;
=Um pacote de pipoca de micro-ondas (80 g);
=Metade de um lanche de fast-food (100g);

fast food
=Uma embalagem de batata frita vendida em Fast Food (100g).

Fonte: Socesp

Nutricionista mostra que é possível ter uma boa alimentação sem gastar muito

Conhecer propriedades dos alimentos, investir na otimização do tempo e adotar novos hábitos fazem bem ao corpo e ao bolso

Fazer um planejamento financeiro, para a carreira e até pessoal é algo que faz parte do dia a dia. Mas poucas pessoas têm em mente planejar a alimentação para que o que venha à mesa seja saudável sem pesar no bolso. É isso que faz a nutricionista Lilian Guedes, especializada em nutrição esportiva e responsável pelo Departamento Gestão de Saúde do Grupo Géia.

Segundo ela, o alto custo está relacionado a má gestão da rotina alimentar. “Quem não se programa, geralmente consome produtos mais caros, calóricos e sem tanto valor nutricional. A correria do dia a dia ligada a má administração do tempo é um perigo para a alimentação, pois faz com que se troque a comida caseira por lanches em fast-foods, salgados na padaria da esquina”, diz.

Na Géia, por exemplo, os colaboradores e funcionários assistem palestras sobre saúde e prevenção, recebem orientações de profissionais, tem acesso a consultas nutricionais e planos alimentares pessoais e personalizados, com o objetivo de instigar os trabalhadores a se preocuparem e prestar mais atenção em sua alimentação.

“Atualmente, nossos colaboradores estão mais antenados e preocupados com sua saúde, tivemos diversos casos de funcionários que mudaram seus hábitos alimentares após as instruções e acompanhamento da Géia. Um dos casos mais impactantes é um colaborador que tinha uma alimentação muito restrita e extremamente resistente a mudança, onde não ingeria nada de legumes, verduras e frutas. Hoje, com as novas orientações e grande disponibilidade de frutas na empresa, ele consome folhas, frutas e legumes, como alface, maçã, banana, cenoura e beterraba”, conta Lilian.

Produtos Feira de Orgânicos (2)

Para os que desejam minimizar os gastos, alguns hábitos como planejar um cardápio semanal, fazer uma lista de compras para levar apenas o necessário e reservar um horário do dia ou da semana para preparar as marmitas fazem total diferença. Também é interessante dar preferência às feiras livres, caso tenha fácil acesso, pois além do preço mais baixo é possível encontrar alimentos que estejam dentro da sazonalidade (frutas, verduras e legumes que sejam da época).

A importância dos grupos alimentares

O cardápio saudável é aquele que compreende os grupos alimentares (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais) de forma harmônica, fornecendo assim, as quantidades adequadas de nutrientes para manutenção das funções vitais.

A grande dificuldade – e também o segredo – para se montar um cardápio saudável é entender a hierarquia dos alimentos e dosar a quantidade calórica e nutritiva para cada porção. Ou seja, o que deve ser prioridade e nunca faltar nas refeições diárias.

Com o planejamento da rotina e o conhecimento dos grupos alimentares fica bem mais fácil e barato manter uma boa alimentação. Para isso, Lilian indica:

arroz integral Jules -Stonesoup
Foto: Jules -Stonesoup

Carboidratos: por serem a principal fonte de energia do corpo humano, os carboidratos formam a base de nossa alimentação. “Importante escolher as melhores fontes, como tubérculos como mandioca, inhame e cereais integrais como aveia, quinoa e arroz integral”, alerta a nutricionista.

alimentos organicos

Vegetais e frutas cruas: o ideal é consumir diariamente vegetais e frutas cruas durante as refeições. “Esses tipos de alimentos fornecem uma grande quantidade de fibras alimentares e água, o que ajuda na digestão e prolonga a saciedade”, explica.

ovos cozidos stocksy
Stocksy

Proteínas: fortalecem a estrutura do corpo humano, sendo amplamente necessárias em todas as refeições.

“Para a montagem de refeições equilibradas, o Guia Alimentar para População Brasileira é a melhor ferramenta, pois tem uma linguagem simples, ilustrações lindas e educativas, além de desmistificar diversas crenças sobre alimentação”, sugere a especialista.

Fonte: Grupo Géia

Hoje é o Dia Nacional de Combate ao Colesterol

Cardiologista do HCor explica a importância de manter o colesterol equilibrado; dieta balanceada, prática de exercícios físicos e controle do peso auxiliam com o controle e prevenção do surgimento de doenças cardiovasculares

Hoje, 8 de agosto, é celebrado o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. Para conscientizar sobre a prevenção desse tipo de gordura que, embora tenha importante função no organismo, quando está em excesso pode prejudicar o sistema cardiovascular, principalmente com a obstrução de vasos sanguíneos no coração e no cérebro. O controle do colesterol é fundamental para identificar riscos de doenças cardíacas e deve ser feito, pelo menos uma vez ao ano, por meio de um simples exame de sangue.

“O colesterol é um tipo de gordura existente no organismo, que auxilia na produção de hormônios como estrógeno, testosterona, cortisol e ácidos biliares. Mais da metade do colesterol é produzido pelo organismo o restante vem da alimentação e se esta estiver desequilibrada pode aumentar os níveis desta gordura no sangue”, comenta o Prof. Dr. Antonio Carlos Chagas, cardiologista do HCor.

Desta forma, é importante saber se o colesterol está dentro dos padrões ou alterado. Mas independente de qualquer atitude, ter uma dieta equilibrada, praticar exercícios físicos e controlar o peso são boas medidas para manter o colesterol dentro dos índices recomendados.

Tipos de colesterol

Existem dois tipos de colesterol. O LDL (lipoproteína de baixa densidade), que é conhecido como “mau colesterol” e o HDL (lipoproteína de alta densidade), conhecido como “bom colesterol”. O primeiro é responsável por levar um pouco de triglicerídeos do fígado e do intestino para os tecidos. E o segundo faz o caminho inverso, remover o excesso de colesterol dos tecidos e leva para o fígado.

O LDL descontrolado favorece a formação de placas nos vasos do coração e do cérebro que podem evoluir para um infarto ou AVC. Já concentrações elevadas de HDL ajudam a proteger contra essas doenças. Dai os tipos serem conhecidos como mau e bom colesterol. Há ainda o colesterol total, que é a soma dos dois.

coração médico

“O acúmulo de placas começa na infância e se manifesta décadas mais tarde. Por isso, é importante incentivar o consumo de alimentos ricos em fibras, vegetais, frutas e verduras, cada vez mais cedo. Lembrando que os índices recomendados são: LDL abaixo de 100mg/dl e HDL superior a 40mg/dl. O colesterol total não deve ultrapassar 200mg/dl, isto para adultos maiores de 20 anos”, explica Chagas.

Fonte: HCor

Alimentos que fazem bem aos nossos olhos

Num mundo rodeado de telas de fortes luzes, precisamos cuidar dos nossos olhos

A nutrição desempenha um papel importante em manter nossos olhos saudáveis, principalmente para os mais idosos que precisam fazer cirurgia de catarata. Eles necessitam de certas vitaminas e minerais para se manterem sadios. Dentre os principais nutrientes para os olhos encontram-se as vitaminas C e E.

Precisamos da vitamina C, pois ela ajuda a manter os nossos olhos saudáveis e reduz as chances de contrairmos doenças oculares, como degeneração macular ou catarata. Precisamos de vitamina E, porque ela protege os nossos olhos dos radicais livres. Estes radicais livres causam impacto na saúde das células, por isso que, ao tomarmos vitamina E, os nossos olhos ficam mais saudáveis.

Outros nutrientes que nossos olhos precisam incluem vitamina A, zinco e ácidos graxos ômega 3. Aqui estão alguns alimentos que devemos comer para ajudar a proteger nossos olhos.

Cenouras

cenouras Scarletina
Foto: Scarletina/Morguefile

Um dos principais alimentos que pode ajudar a proteger os olhos. Ela é uma fonte significativa de vitamina A. As crianças que não têm vitamina A sofrem frequentemente de problemas com a cegueira. Se você quiser manter seus olhos saudáveis, considere adicionar cenouras à sua dieta.

Ostras

OSTRAS_Business

Quando comemos ostras, consumimos uma grande quantidade de zinco. Precisamos dele para muitos processos do nosso corpo. Ele ajuda a obter a vitamina A do fígado para as retinas em nossos olhos. Nós precisamos de zinco para processar vitamina A, por isso devemos comer alimentos como ostras, que são ricos em teor de zinco.

Folhas verdes

folhas-verdes-nutri-living
Foto: Nutri Living

Vegetais de folhas verdes-escuras são muito saudáveis para nos ajudar a proteger os olhos de doenças como catarata e degeneração macular. Esses alimentos estão cheios de nutrientes importantes que o nosso corpo necessita, e esses nutrientes também ajudam a manter a saúde dos nossos olhos. Alimentos como brócolis, alface, espinafre, couve e outros verdes-escuros são excelentes opções para ajudar a manter a saúde dos nossos olhos.

Salmão

tartar de salmao

Um dos melhores peixes que devemos comer para sustentar a saúde dos olhos é o salmão. Rico em ácidos graxos ômega-3 que ajudam a proteger nossos olhos de doenças. Outros peixes, como sardinha e atum devem ser incluídos em nossa dieta. Peixes em geral são muito saudáveis e protegem nossos olhos.

Cítricos

frutas-citricas

Frutas cítricas, como laranja, limão e toranja, contêm quantidades elevadas de vitamina C. Nossos olhos precisam de um alto nível desta vitamina para se manter funcionando da melhor maneira possível. A vitamina C é um antioxidante muito potente e pode ajudar a proteger nossos olhos contra danos. Outros alimentos ricos em vitamina C incluem morangos, tomates e pimentões vermelhos.

Resumo

olhos esverdeados.jpg

Manter uma dieta saudável e equilibrada é muito importante para manter nosso olhos saudáveis. Segundo Itamar Serpa, especialistas do IORJ (Insitituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro), devemos ter uma dieta rica em frutas e legumes, peixes e alimentos similares. Se mantivermos uma dieta natural, repleta de vitaminas e minerais, isso vai nos ajudar a percorrer um longo caminho livrando a nossa visão de danos, bem como a reduzir as chances de termos doenças oculares. E não deixe de se consultar regularmente com um oftalmologista.

Fonte: IORJ

Especialista lista alimentos que ajudam na digestão

Saiba por que alguns alimentos são benéficos para o sistema digestivo e cita quais devem ser evitados

O bom funcionamento do sistema digestivo é fundamental para mantermos o equilíbrio da nossa saúde e bem-estar. A nutricionista do Grupo São Cristóvão Saúde, Cintya Bassi, explica que uma boa digestão significa que o corpo conseguiu reduzir os alimentos a compostos simples, para que esses sejam utilizados para o funcionamento do organismo, auxiliando também na eliminação de toxinas. No entanto, quando ela não ocorre bem, nós sentimos dores e desconfortos.

Alguns dos sinais mais comuns da má digestão são gases, azia e queimação, náuseas, refluxo, diarreia ou prisão de ventre e sensação de peso no estômago. “Esses sintomas afetam até mesmo nosso humor, podendo nos deixar irritados e impacientes, o que atrapalha a realização de atividades rotineiras, por exemplo”, comenta Cintya.

Para evitar isso, ela indica quais são os alimentos que mais contribuem para uma boa digestão. “São alimentos que fornecem substratos, que protegem o estômago e ajudam o intestino a funcionar de forma adequada, extremamente benéficos à nossa saúde”, frisa.

Confira quais são eles e conheça suas vantagens:

Cereais Integrais

cereal pippalou morguefile
Foto: Pippalou/Morguefile

São ricos em fibras e outros nutrientes que facilitam o trânsito intestinal. Além disso, a especialista conta que os cereais integrais protegem contra alguns tipos de câncer, como o colorretal.

Gengibre

ginger gengibre

Esse tubérculo possui alto teor de óleos essenciais, além de seus princípios picantes, que ajudam no tratamento da dispepsia (desconforto digestivo), náuseas e vômitos.

Frutas Vermelhas

frutas vermelhas

Morangos, amoras, cerejas e demais frutinhas vermelhas são ricas em antioxidantes, ajudam a manter a saúde das células e protegem o corpo contra o surgimento de câncer de fígado e intestino, além de ter forte ação anti-inflamatória.

Abacaxi

abacaxi-pippalou-morguefile

Não é à toa que algumas churrascarias oferecem fatias de abacaxi ao final das refeições. Essa fruta, segundo a nutricionista do Grupo São Cristóvão Saúde, apresenta uma enzima digestiva natural que tem ação, principalmente, no estômago. Facilita a digestão e auxilia na quebra de nutrientes, como proteínas e gorduras, gerando melhor absorção e metabolização. “O abacaxi alivia aquela sensação de peso no estômago após uma refeição”, esclarece.

Mamão

papaya mamao maduro semente pixabay
Pixabay

O mamão é muito bom para pessoas que sofrem com constipação, pois suas propriedades laxativas ajudam a melhorar o funcionamento do intestino. Além disso, Cintya conta que o mamão tem uma enzima que facilita a digestão.

Iogurtes

iogurte profet77 pixabay
Foto: Profet77/Pixabay

Rico em proteínas, carboidratos e outros nutrientes. Ainda, apresenta um diferencial: bactérias benéficas, favorecendo uma colonização saudável da flora intestinal e eliminando bactérias nocivas, o que reduz gases, infecções intestinais, entre outros males.

Azeite

azeite-de-oliva-5

“O óleo vegetal mais saudável”, conforme aponta a especialista, é capaz de melhorar a secreção biliar, facilitando a digestão e atuando positivamente em órgãos como pâncreas e vesícula.

Vilões da digestão

Enquanto os alimentos dos grupos acima são ótimos para melhorar a digestão, alguns podem ter efeito contrário, tornando a absorção dos nutrientes mais difícil e trazendo riscos à saúde aos órgãos do sistema digestivo. Dessa forma, a nutricionista sugere que os alimentos abaixo sejam evitados, sobretudo em caso de problemas digestivos:

– Adoçantes artificiais: o consumo em excesso pode provocar má digestão e irritação intestinal, aumentando a ocorrência de gases, inchaço e diarreia.

– Café: se consumido em grandes quantidades, ele pode causar irritação gástrica e sintomas como dor e azia, pois o café aumenta a produção de ácido no estômago.

carne de porco gordura pixabay
Pixabay

– Frituras e gorduras: esses alimentos deixam a digestão mais lenta, prejudicando o processo e podendo causar gases, inchaço, prisão de ventre entre outros problemas.

– Leite: o açúcar do leite (lactose) pode causar dores abdominais, diarreia e distensão sobretudo para pessoas que têm intolerância à lactose.

– Carnes processadas: produtos como salame, salsicha, linguiça entre outros podem causar inflamações e acúmulo de toxinas, devido a quantidade de substâncias artificiais adicionadas ao alimento.

Quatro dicas para uma boa digestão

Para ajudar ainda mais no bom funcionamento do aparelho digestivo, além de atentar para os alimentos indicados acima, Cintya também dá 4 dicas importantes:

prato comida mulher fome dieta

=Mastigação: é importante comer sem pressa, mastigando bem cada alimento para que ele esteja pronto para uma digestão adequada.
=Descanso: a nutricionista recomenda que se evite deitar-se logo após grandes refeições, sobretudo quando ingerimos alimentos pesados, pois isso atrapalha o processo de digestão.
=Jejum: segundo a especialista, deve-se evitar jejuns prolongados, pois esse hábito deixa o sistema digestivo mais exposto ao ácido gástrico;
=Medicamentos: Cintya explica que alguns remédios, especialmente os antibióticos, podem destruir as bactérias que auxiliam na digestão e proteção do organismo. “Por isso, em alguns casos, recomendamos ao paciente associar probióticos ao uso da medicação, como os encontrados no leite fermentado e iogurtes”, finaliza.

Fonte: Grupo São Cristóvão Saúde

Bisnaguinha de mandioquinha saudável para o lanche das crianças

As férias de meio de ano estão acabando. Que tal fazer um salgado para animar a meninada? E, em especial para os pequenos alérgicos, intolerantes e aqueles que estão em busca de uma alimentação saudável, a chef Paula Rosignoli, da Pra Lá de Bom Delicias Sem Glúten preparou uma receita nutritiva e saborosa: bisnaguinha de mandioquinha.

Dentre os diferenciais, a chef destaca as farinhas de painço e de amêndoas. “Esses ingredientes oferecem diversos benefícios para saúde, como, por exemplo, o bom funcionamento do intestino, a melhora do sistema digestivo e imunológico, saúde respiratória e aumento dos níveis de energia”, ressalta Paula.

Para aqueles que desejam saborear as bisnaguinhas de mandioquinha da chef Paula, elas são vendidas na Pra Lá de Bom Delicias sem Glúten, localizada em Santana (SP). Também integram o cardápio da padaria bolo de chocolate, brownies, bolo zebra (massa de cenoura mesclada com massa de chocolate), cookies de chocolate e cupcakes. Além dos doces, o público conta com diversas opções de pães, bolos, tortas, massas de pizzas, sem glúten, diet e sem alergênicos.

Os preços variam entre R$ 3,00 e R$ 200,00 e de acordo com a encomenda para serviços personalizados. Confira o passo a passo da receita a seguir:

Bisnaguinha de mandioquinha saudável

Bisnaguinha de mandioquinha

Ingredientes

Para o creme:
2 unidades pequenas de mandioquinha picada
1 ovo inteiro
1 gema de ovo
1 colher (sopa) de vinagre
4 colheres (sopa) de azeite
1 xícara (chá) de água
1 pitada de cúrcuma

Para os ingredientes secos:
3 colheres (sopa) de farinha de painço (50g)
4 colheres (sopa) de farinha de arroz (70g)
5 colheres (sopa) de polvilho doce (80g)
2 colheres (sopa) de fécula de batata (40g)
2 colheres (sopa) de farinha de amêndoas (30g)
2 colheres (chá) de goma xantana (10g)
1 colher (chá) de sal (5g)

Fermentação:
2 colheres (chá) de fermento biológico (7g)
2 colheres (chá) de açúcar demerara (10g)
5 colheres (sopa) de água morna (50g)

Para a Cobertura:
Chia a gosto
Mandioquinha crua a gosto

Modo de preparo

Fermentação:
Juntar os três ingredientes da fermentação e deixar por 5 minutos em lugar quentinho até ativar o fermento e ele espumar.

Creme:
Colocar todos os ingredientes no liquidificador e bater até formar um creme.

Secos:
Juntar todos os secos formando uma única farinha homogênea.

Juntar o creme nos secos e homogeneizar. Acrescente o fermento e misture bem.
Coloque em assadeira untada para bolinho ou cupcake. Cobrir com a chia.
Deixar fermentar por mais 15 minutos. Assar (200º) por 25 minutos.

bisnaguinha de mandioquinha 2

Fonte: Pra Lá de Bom – Rua Dona Luiza Tolle, 678, Santana (SP). Horário de funcionamento: de terça a sexta das 10h às 20h; aos sábados das 9h às 18h.