Arquivo da categoria: Alimentação saudável

Vagem: alimento com baixo valor calórico e rico em proteínas

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo desenvolve um serviço de divulgação dos alimentos que estão na época do ano. Por exemplo, legumes e verduras, começando pela vagem, que possui um baixo valor calórico, é rica em proteínas, possui fibras de boa qualidade que auxiliam na digestão e contribuem para a saciedade.

Saiba mais sobre as verduras e legumes do mês:

Verduras:

alface
Foto: Wunee/Morguefile

•Alface: ajuda a diminuir o colesterol ruim, por conter niacina, mais conhecida como vitamina B3, ajuda a reduzir os níveis de colesterol “ruim”, o LDL e, contribui para o aumento do colesterol saudável, o HDL. Assim, a alface se torna uma aliada da saúde cardiovascular. Pode ser adicionada em salada, sucos e sanduíches.

almeirão
•Almeirão: da mesma família da alface e chicória, o almeirão tem sabor amargo. Presentes na folha, estão a vitamina A, que é responsável pela saúde da pele e visão, a vitamina C, que atua no fortalecimento do sistema imunológico além de minerais como fósforo e ferro, que auxilia no bom funcionamento do organismo.

rucula
•Rúcula:  vegetal muito apreciado por ter um sabor forte e picante. É rica em vitaminas A e C, que auxiliam na saúde dos olhos e na imunidade, respectivamente. Minerais como ferro, cálcio e fósforo também estão presentes na folha. As fibras que a folha contém, ajudam no bom funcionamento intestinal.

Legumes:

abobrinha
Pixabay

=Abobrinha: possui em sua composição muita água e grande quantidade de fibra, vitaminas do complexo B e magnésio. Auxilia no sistema digestivo e no sistema imunológico. Pode ser consumida de diversas formas, entre elas, substituindo massa em algumas preparações, além de ser pouco calórica.

beringela pixabay
=Berinjela: hipocalórica, contendo apenas 20kcal em 100g do alimento. Além disso, é rica em antocianina, (um antioxidante que age na prevenção de câncer e doenças cardíacas), e em fibras, que auxiliam no bom funcionamento do intestino, evitando a constipação.

pepino
=Pepino: rico em nutrientes, como vitaminas A, B1, B2, C, potássio, magnésio e silício. É composto por grande parte de água, sendo um poderoso diurético natural e também digestivo devido às suas fibras. Auxilia no combate a problemas de pele, assim como do diabetes.

pimentao-the-bix-blog
Foto: The Bix Blog

=Pimentão: além de suas propriedades nutricionais como as vitaminas A e C, que são antioxidantes e minerais como cálcio, fósforo e ferro, o pimentão é amplamente consumido por seu sabor picante que se dá por uma substancia chamada de capsaicina que é um anticoagulante natural, auxiliando no controle da pressão sanguínea além de ajudar na redução do colesterol.

tomate-uwe-tuchen-pixabay
Foto: Uwe Tuchen / Pixabay

=Tomate: não é um legume, mas uma fruta muito conhecida e muito utilizada em diversas preparações. Rica em licopeno, carotenoides, vitamina A, B1, B2, B3, C, cálcio e fósforo. Auxilia em várias funções no organismo inclusive na prevenção do câncer de próstata.

Confira a receita:

Torta de vagem

torta vagem

Ingredientes:
1 dente de alho médio (4g)
300g de vagem
100g de queijo branco
3 colheres (sopa) de azeite (45mL)
1 e 1/2 colher (chá) de sal (9g)
4 ovos médios (260g)
1/2 xícara (chá) de leite (120mL)
4 colheres (sopa) de creme de ricota (72g)
4 colheres (sopa) de farinha de trigo (40g)
2 colheres (sopa) de farinha de rosca (28g)

Modo de Preparo:
Descasque, lave e esprema o alho. Lave a vagem e corte em pequenos pedaços. Corte o queijo branco em pequenos cubos e reserve. Em uma panela, doure o alho com 1 colher (sopa) de azeite e refogue a vagem com 1/2 colher (chá) de sal. Em uma tigela, bata os ovos, com auxílio de um garfo e adicione o leite, o creme de ricota, a farinha de trigo, 1 colher (sopa) de azeite, 1 colher (chá) de sal e misture bem com um fue até a massa ficar homogênea. Unte um refratário com 1 colher (sopa) de azeite e coloque a massa. Salpique a vagem refogada, os pedaços de queijo branco e a farinha de rosca. Leve para assar em forno médio por aproximadamente 45 minutos.

Tempo de preparo: 1h40
Rendimento: 11 porções
Peso da porção: 350g
Valor calórico da porção: 155 Kcal

Fonte: Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Instituto Stop Hunger lança 5ª edição do livro de Receitas Sustentáveis

Estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), mostra que cada brasileiro desperdiça mais de 41 quilos de alimentos por ano. No total, são quase 37 milhões de toneladas de lixo orgânico (restos de alimentos), o que representa cerca de 50% do lixo recolhido em todo o país.

Com a missão de estimular a produção sustentável, promover a alimentação saudável e combater o desperdício, o Instituto Stop Hunger, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) e sem fins lucrativos mantido pelo Grupo Sodexo, anunciou a 5ª edição do Ebook de Receitas Sustentáveis.

A publicação, disponibilizada gratuitamente, apresenta seis pratos exclusivos, que foram formulados por um time de nutricionistas a partir da utilização de legumes, hortaliças e outros ingredientes ricos em valoração nutricional. O conteúdo reforça a importância de desenvolver hábitos alimentares mais saudáveis e proporciona novas alternativas para utilização de matérias geralmente descartadas, em receitas que fazem parte do gosto popular brasileiro, são elas:

Biscoito Salgado de Resíduo de Leite Vegetal
Bolo de Casca de Banana
Sopa Cremosa de Salsão
Quibe de Berinjela
Bolo de Batata-Doce
Bolo Nutritivo de Abobrinha

O material está disponível para download aqui.

CAPA E-BOOK.JPG

Dedicação à causa

O lançamento do e-book encerra um ciclo de iniciativas realizadas pela Sodexo e o Instituto Stop Hunger ao longo de outubro, para celebrar o mês da alimentação saudável. A agenda que envolveu bate-papo com nutricionista em Paraisópolis e Osasco, lançamento de hortas comunitárias na Academia Pérolas Negras (RJ) e um webinar que reuniu especialistas em alimentação, evidencia o compromisso da companhia em conscientizar parceiros, voluntários e o público em geral sobre questões relativas à nutrição e à alimentação, sensibilizando-os para o desperdício de alimentos, orientação nutricional e impacto causado nas comunidades locais.

Andreia Dutra, presidente do Instituto Stop Hunger Brasil, destaca um dado alarmante: “Segundo cálculos da FAO, 8,7 milhões de toneladas de comida vão para o lixo no Brasil, enquanto 13 milhões de pessoas passam fome. Esses números mostram a importância de se aproveitar o alimento como um todo”. Ela ainda afirma que é preciso alertar sobre o grande volume de desperdício que acontece diariamente.

“Durante o mês de outubro celebramos a alimentação saudável e fechar esse importante mês com o ebook de receitas sustentáveis foi mais uma oportunidade de promover mudanças de hábitos e conscientizar sobre o impacto que nossas atitudes geram no meio ambiente e na sociedade de maneira geral”, finaliza Andreia.

“Ano após ano, o Instituto tem atuado com empenho e dedicação para combater a fome e a má nutrição que ainda assola o país. Por meio de ações como estas, realizadas no Mês da Alimentação Saudável, temos contribuído para o desenvolvimento nas comunidades em que atuamos. Daqui para frente, nosso objetivo é progredir com as iniciativas e beneficiar ainda mais pessoas”, afirma Fernando Cosenza, vice-presidente do Instituto Stop Hunger Brasil.

Fonte: Instituto Stop Hunger

Descubra como o abacate auxilia no emagrecimento e na prática esportiva

Apesar do seu valor calórico, o abacate traz inúmeros benefícios à saúde, sobretudo aos praticantes de atividade física

Muito tem se falado do abacate nos últimos anos, já que cada vez mais são descobertos os benefícios que o alimento pode trazer à saúde. Porém, não foi sempre assim; há poucos anos, ele era visto com maus olhos por ser uma fruta que contém muitas calorias. Mas você sabia que o abacate, mesmo sendo calórico, auxilia na performance esportiva e é um bom aliado no emagrecimento?

Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia, explica: “O abacate é uma fruta rica em gordura insaturada, popularmente apelidada de gordura boa. Isso faz com que seja saudável para qualquer pessoa, em especial praticantes de exercícios, pois esses necessitam de mais gordura insaturada. Além disso, o abacate é rico em vitaminas C e E, ômega 6, ômega 9, ômega 7, ácido fólico, potássio, betassitosterol e uma alimentação que inclui frequentemente a fruta pode aumentar as taxas de HDL (colesterol bom) e diminuir o colesterol total, protegendo, assim, a saúde cardiovascular”.

maionese de abacate california avocado commission
Foto: California Avocado Comission

Outro fator que beneficia os praticantes de exercícios físicos são os antioxidantes presentes na fruta, sendo que os abacates e suas espécies são importantes fontes alimentares de carotenoides e glutationa, potentes antioxidantes. “Os antioxidantes ajudam a destruir os radicais livres gerados pelo exercício intenso. É extremamente importante obter antioxidantes por meio da alimentação, pois eles fornecem elementos com disponibilidade distinta daqueles encontrados nos suplementos. Quanto ao emagrecimento, por ser rico em fibras, o abacate ajuda a dar a sensação de saciedade e diminuir o apetite, controlando a fome e, consequentemente, os níveis de insulina, além de garantir o funcionamento do intestino”, destaca a nutróloga

Ela complementa explicando os efeitos do abacate se consumido na hora de dormir: “Nesse caso, o abacate potencializa a ação do GH – hormônio do crescimento – pois seu pico de produção acontece no período noturno. Dessa forma, ajuda a formar músculos e faz o organismo utilizar a gordura armazenada como fonte energética”, explica.

Vale ressaltar que, além dos benefícios aos que almejam emagrecer ou aumentar a performance esportiva, o abacate possui diversos outros, que incluem: auxílio no tratamento das hiperlipidemias (aumento de gordura no sangue e que pode gerar problemas no coração); efeito anti-inflamatório, graças à vitamina E; melhora na biodisponibilidade de vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K), melhora na circulação sanguínea, fortalecimento do sistema imunológico, gera benefícios à pele e ao cabelo; auxilia no controle do colesterol e triglicérides; seu consumo diminui a chance de diabetes; além de regular o ciclo menstrual e melhorar o sono.

abacate.jpg

“A introdução regular de abacate na alimentação deve ser feita sob acompanhamento nutrológico, para que a quantidade seja indicada corretamente a fim de potencializar ao máximo os benefícios do alimento e minimizar a chance de um efeito indesejado, já que a fruta é calórica, deve ser consumida idealmente em pequenas quantidades, nos planos alimentares de emagrecimento”, finaliza Marcella.

Fonte: Marcella Ferraz é médica nutróloga, mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Previna-se contra a osteoporose na menopausa

Se você tem tido fraturas com muita facilidade, fique atenta: pode ser um indício de osteoporose. Segundo estimativa da Fundação Internacional de Osteoporose (IOF), a doença acomete mais de 10 milhões de brasileiros. As projeções da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) revelam que o número anual de fraturas de quadril, relacionadas à osteoporose, (atualmente, 121.700 fraturas por ano) deverá atingir 140 mil pessoas, até 2020.

A doença causa a diminuição da massa óssea, resultando em ossos frágeis e porosos. O curioso é que a osteoporose não causa dor, ou seja, muitas pessoas só a descobrem quando há alguma fratura. Quem está mais propício ao problema é a mulher (apesar de que alguns homens também podem ser acometidos), sendo que o tipo mais comum da doença ocorre depois da menopausa, que é o último período menstrual, identificado após 12 meses de amenorreia (ausência de menstruação). Ocorre, em geral, entre os 45 e 55 anos.

osteoporosis221

Segundo Karina Tafner, ginecologista e obstetra, especialista em Endocrinologia Ginecológica e Reprodução Humana pela Santa Casa, e especialista em Reprodução Assistida pela Febrasgo; neste período, a queda do hormônio estrogênio leva a uma diminuição da densidade óssea (osteopenia/osteoporose), pois o estrogênio ajuda a preservar os ossos.

Mas como evitar a osteoporose?

mulher comendo iogurte

Em primeiro lugar, de acordo com a ginecologista, conhecendo os fatores de risco. Dentre eles, destacam-se o tabagismo, a idade mais avançada, a dieta (alimentação rica em proteína e sal, e alimentação pobre em leite e derivados, principalmente na adolescência, quando o osso atinge o “pico de massa óssea”), baixo peso, medicações (o uso de corticoides e anticonvulsivantes, aumentam a chance de perda óssea) e doenças que interferem na absorção intestinal, como doença celíaca (intolerância ao glúten), por exemplo. Outra grande aliada da osteoporose é a falta de atividade física, incluindo exercícios aeróbicos e musculação.

“Para descobrir se você tem osteoporose é preciso fazer o exame de densitometria óssea, que mede a densidade do osso. O tratamento não é complicado, mas envolve uma série de cuidados como a reposição adequada dos níveis de cálcio (seja por dieta ou medicação), a reposição de vitamina D, além de medicações que vão atuar diretamente no osso, estimulando a formação óssea ou inibindo seu desgaste”, explica Karina.

Para quem faz uso de medicamentos que possam causar a osteoporose, fica o alerta: não deixe de fazer a prevenção, buscando periodicamente o acompanhamento médico. “Lembre-se de que os ossos são fundamentais para a sustentação do nosso corpo, além de servirem de proteção a muitos órgãos”.

Verde Campo lança Iogurte Grego Lacfree

Novidade completa expansão da Verde Campo em suas linhas de iogurtes em 2019

Pioneira e uma das principais linhas sem lactose do Brasil, a Verde Campo ampliou ainda mais sua variedade de produtos. Após lançar novos iogurtes à base de extratos naturais, agora a Verde Campo incrementa seu mix com novos sabores de Lacfree Grego, uma opção de lanche prático e saboroso.

São três novidades em embalagens de 100g – tradicional, superfrutas (amora, cranberry e mirtilo) e frutas amarelas (manga e maracujá). Os iogurtes gregos se destacam pela cremosidade e mantêm as principais características da linha Lacfree. Com apenas 49kcal, os produtos são triple 0% – 0 gordura, 0 açúcar e 0 lactose – além de 100% naturais, livres de conservantes corantes e aromas artificiais.

21973-MOCKUP - COCA COLA - LACFREE IOGURTE GREGO TRADICIONAL 100G_A0221975-MOCKUP - COCA COLA - LACFREE IOGURTE GREGO SUPER FRUTAS 100G_A0221979-MOCKUP - COCA COLA - LACFREE IOGURTE GREGO FRUTAS AMARELAS 100G_A02

Com as novidades, a linha Lacfree passa a oferecer uma família completa, com mais de 10 de opções de produtos, para pessoas que tem restrição à lactose. Alguns mercados já receberam o lançamento em novembro e a expectativa é que até o final do ano a novidade já tenha chegado em todo o território nacional, com valor sugerido de R$ 2,49.

A Verde Campo assumiu o compromisso de eliminar ingredientes artificiais de todo o seu portfólio e não apenas de uma linha. Todos os produtos utilizam leite fresco recebido diariamente por fazendas certificadas em boas práticas produtivas e bem-estar animal.

Informações: Verde Campo

Nove alimentos afrodisíacos para aquecer o relacionamento

Para muitas pessoas, comida e sexo são dois prazeres que costumam andar de mãos dadas. Por isso, não é de se admirar que em diversas culturas, dos persas até os astecas, as comidas afrodisíacas têm sido usadas para impulsionar o desejo sexual.
Para quem não sabe, a palavra afrodisíaco vem de Afrodite, a deusa grega do amor e da beleza.

Confira aqui uma pequena lista com alguns deles:

1. Chocolate

Chocolate-bom-pra-saúde
Diz uma lenda asteca, que o líder Montezuma bebia 50 cálices de chocolate todos os dias, pois isso aumentava suas habilidades sexuais com as suas 200 mulheres. Talvez, por isso, até hoje o alimento é considerado um sinônimo de amor e paixão, sendo, inclusive, um dos presentes mais tradicionais no Dia dos Namorados. Mas não é só isso, pesquisas indicam que o chocolate amargo contém certos compostos que elevam o humor, como a feniletilamina, que por sua vez controla a ação da norepinefrina, que nos excita (e dá aquela acelerada nos batimentos cardíacos), da serotonina e da dopamina (que são responsáveis pela sensação de bem-estar e felicidade). E isso, com certeza, pode ajudar as pessoas a entrarem no clima.

2. Café

FreeGreatPicture café casal
Nosso cafezinho de todos os dias também pode ser muito afrodisíaco. A cafeína presente na bebida aumenta a resistência e pode elevar o humor, além de aumentar os níveis de dopamina no cérebro, o que aumenta consequentemente o desejo e o prazer.

3. Pimentas vermelhas

pimenta
A capsaicina, uma substância química encontrada em pimentas vermelhas, elas é responsável pelo ardor e também por aumentar a circulação sanguínea e estimular as terminações nervosas, fazendo com que você se sinta mais excitado. Ela estimula ainda as terminações nervosas da língua, liberando adrenalina.

4. Ostras

ostras
As ostras levam a fama de serem afrodisíacas por terem a forma dos órgãos genitais femininos. No entanto, as ostras contêm altos níveis de zinco, substância que pode melhorar o desejo sexual aumentando a produção de testosterona. Elas também contêm tirosina, um nutriente que ajuda na produção de dopamina, que quando em baixa no organismo pode causar uma queda na libido.

5. Morangos

morango
Existe uma lenda que diz que os morangos tiveram origem nas lágrimas de Afrodite, que caíram em forma de coração, assim que ela soube da morte do seu amante Adonis. E por isso, a fruta é tão associada ao sexo, amor e paixão. Mas atualmente, os morangos são considerados comidas afrodisíacas porque são ricos em vitamina C, que é importante para a produção de hormônios sexuais e de neurotransmissores químicos no cérebro que aumentam a libido, além é claro, de ajudar a manter o seu sistema imunológico saudável.

6. Açafrão

acafrao condimento especiaria pixabay
Pixabay

A história deste alimento afrodisíaco remonta a Cleópatra. Dizem que ela se banhava em leite com infusão de açafrão para ficar ainda mais sedutora e despertar o desejo dos homens. Já pesquisas recentes, mostraram que o açafrão ajuda a aumentar a mobilidade dos espermatozoides e pode diminuir alguns dos efeitos colaterais sexuais causados pela ingestão de certos antidepressivos.

7. Abacate

abacate 1
No idioma asteca a palavra ahuacatl significa testículo, mas sua fama de alimento afrodisíaco vai muito além do nome. O abacate possui altos níveis de ácido fólico, vitamina B9 (que fornece energia para o organismo) e vitamina B6 (que ajuda na produção de testosterona). Por isso, ele é considerado uma das comidas afrodisíacas mais eficazes.

8. Salmão

tartar de salmao
O salmão é uma das mais conhecidas comidas afrodisíacas, já que é rico em ômega-3, substância importante não só para manter o coração saudável, mas que também ajuda a aumentar a libido, fornecendo o que é necessário para a produção de estrogênio, testosterona e progesterona.

9. Mel

mel pexels
Pexels

Hipócrates, na Grécia Antiga, tinha o costume de prescrever o mel para aumentar o vigor sexual. E não é pra menos. Ele contém boro, mineral que ajuda a regular os níveis hormonais, e o óxido nítrico, que ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo durante a excitação.

gettyimages casal chocolate
Getty Images

Esses são apenas nove das centenas de alimentos afrodisíacos. Escolhemos as mais acessíveis e muito fáceis de encontrar. Agora, basta testar os seus efeitos em qualquer outra data, afinal todo dia é dia de amar.

Fonte: A Chef Em Casa

Dezembro terá última edição da “Superbom Aberta” de 2019

Fábrica de alimentos saudáveis abre as portas para oferta de produtos a preços promocionais

A “Superbom Aberta”, evento realizado pela empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, será realizada nos próximos dias 6 e 8 de dezembro. O objetivo é ofertar produtos da marca com descontos de até 50% em comparação com os pontos de venda. Ao todo, são mais de 175 de produtos do portfólio da marca disponíveis para compra.

Frango-Vegano-400g-Superbom.png

Entre os itens com desconto, destaque para o Frango Vegano em pedaços, com características idênticas às da carne animal, além de outras proteínas vegetais como o Burger Gourmet, Coxinha, Steak sabor peixe, Burger de Grão-de-bico, todos 100% plant-based.

superbom

De acordo com o diretor de marketing da empresa, David Oliveira, o evento é uma oportunidade para os consumidores encontrarem todo o portfólio da Superbom em único espaço, uma vez que queijos veganos, sucos integrais, snacks, granola, geleias e outros produtos também estarão disponíveis.

O evento ainda terá outras atrações gastronômicas como degustação dos itens Superbom e food truck com comidinhas veganas e vegetarianas.

A fábrica da Superbom está situada no Capão Redondo, em São Paulo. O evento ocorre no dia 6 de dezembro, sexta-feira, das 8 às 14 horas, e no dia 8, domingo, das 8 às 16 horas.

Serviço “Superbom Aberta”
Local: Rua Domingos Peixoto da Silva, 245 – Capão Redondo/ SP, próximo à estação de metrô Capão Redondo da linha lilás.
Data: 6 de dezembro
Horário: das 8h às 14h, e 8 de dezembro, das 8h às 16h
Estacionamento gratuito.

Café Le Manjue, abre unidade no Itaim Bibi

Conceituado por oferecer uma gastronomia saudável com uso de ingredientes orgânicos, o restaurante Le Manjue conta com uma redes de cafés, que abre a sua quarta unidade na região do Itaim Bibi.

O Le Manjue Café Brascan Open Mall segue o projeto sustentável dos outros cafés, criado pela arquiteta Flávia Machado, que resgata a qualidade de vida através do contato com elementos naturais. Com conhecimentos baseados em neurociência e design biofílico, o espaço provoca sentimentos de acolhimento e bem estar.

Entre os materiais utilizados estão madeira de reflorestamento certificada, couro vegetal cor caramelo, plantas, palha, tinta orgânica à base de terra e iluminação com tons quentes. A cozinha está localizada logo na frente da loja e é toda aberta, atendendo à curiosidade dos clientes que, podem apreciar o preparo dos produtos.

O menu, assinado pelo chef Renato Caleffi, oferece diversidade para agradar todos os paladares, servindo bebidas e alimentos com alto valor nutritivo, privilegiando no seu preparo o uso de ingredientes locais e orgânicos com versões de receitas mais saudáveis. Entre os quitutes, que fazem sucesso está a Coxinha Fit, preparada com mandioca, cúrcuma e amaranto nas opções de sabores frango orgânico (R$ 10) ou jaca desfiada (R$ 12); ou ainda o Kibe de Cereais Ancestrais (R$ 28).

O Prato do Dia, é boa pedida para a hora do almoço, que traz uma opção diferenciada para cada dia da semana e oferece uma proteína e um carboidrato, acompanhados de uma salada (R$ 38). Já na parte doce, vale apostar na Torta Tropical com massa de amêndoa e tâmara, recheio de abacaxi com coco e cobertura de AMU chocolate saudável (R$ 14).

“Queremos democratizar e espalhar a gastronomia orgânica, saudável e funcional. O nosso café é pensado para agradar todos gostos e para quem tem restrições alimentares, proporcionando uma refeição saudável e prazerosa”, afirma o chef Renato Caleffi.

Com uma unidade localizada na academia Les Cinq Gym, nos Jardins, no Shopping JK Iguatemi, e agora no Itaim Bibi, os sócios Bruno Amaro, Renato Caleffi e Rafael Miranda buscam expandir e franquiar a rede de cafés e oferecer o melhor da culinária orgânica, saudável e funcional.

cafe le manjue

Le Manjue Café Brascan Open Mall: R. Joaquim Floriano, 462 – Loja 7 – Itaim Bibi, São Paulo – SP. Horário de funcionamento: de segunda a domingo das 10h às 22h.

Livro expõe evidências sobre como nutrição pode impulsionar potencial genético humano

Mais de 70 especialistas em saúde discutem como os compostos bioativos presentes nos alimentos podem maximizar as funções fisiológicas para assegurar o bem-estar total, a saúde plena e o melhor desempenho do potencial físico e cognitivo, ao mesmo tempo em que confere um risco mínimo de doenças ao longo da vida.

Embora as disciplinas de nutrição e alimentos sejam estudadas há séculos, a ciência nutricional moderna é supreendentemente jovem. A primeira vitamina foi isolada e quimicamente definida apenas em 1926, ou seja, há menos de 100 anos, inaugurando meio século de descobertas focadas em doenças causadas pela deficiência de nutrientes isolados. As pesquisas sobre o papel da nutrição na etiologia de doenças crônicas não transmissíveis, como cardiovasculares, diabetes, obesidade e câncer, são ainda mais recentes, progredindo nas últimas duas ou três décadas.

Evidências científicas mais atuais conduziram a nutrição humana a outro patamar, evoluindo da estratégia de prevenção primária de deficiências dietéticas – ação associada a uma abordagem reducionista – para elemento fundamental da promoção do bem-estar e da redução do risco de doenças. Nos últimos anos, essa abordagem se expandiu, tornando-se mais holística e visando compreender o papel da nutrição em um contexto ainda mais amplo, culminando no que é reconhecido hoje como o conceito de nutrição ótima.

A nutrição ótima (ou otimizada) fundamenta-se na funcionalidade dos alimentos e nos seus compostos bioativos, buscando maximizar as funções fisiológicas de cada indivíduo para assegurar o bem-estar total, a saúde plena e o melhor desempenho do potencial físico e cognitivo, ao mesmo tempo em que confere um risco mínimo de doenças ao longo da vida.

salada legumes verdura

Não é à toa que a nutrição ótima é um dos pilares da “medicina do estilo de vida”, uma abordagem baseada em evidência proposta recentemente pela Harvard Medical School. Além da estratégia nutricional, a abordagem inclui o gerenciamento do estresse, a qualidade do sono e a prática regular de exercícios como ferramentas essenciais para a prevenção, tratamento e, muitas vezes, até reverter doenças crônicas e condições autoimunes específicas.

Cientes de que essa abordagem é a grande quebra de paradigmas no âmbito da saúde pública, em todos os ciclos da vida, mais de 70 especialistas em nutrição, alimentação e saúde se reuniram para lançar a obra “Alimentos Funcionais e Compostos Bioativos” (editora Manole), incluindo os renomados Doutores Mauro Fisberg, Elizabete Wenzel, Carlos Magnoni, Ligia Araujo Martini, Winston J. Craig, Glaucia Pastore e Claudio Lottenberg.

O trabalho inédito, que conta com a organização das médicas Sonia Tucunduva Philippi, Carolina Vieira de Mello Barros Pimentel e Maria Fernanda Elias, foi desenvolvido sob a concepção e perspectiva interdisciplinar, além de contemplar aspectos que envolvem inovação, tecnologia, tendências, mercadologia, gastronomia, sustentabilidade, e outros fatores relacionadas à complexidade e o entendimento das questões alimentares e nutricionais, assim como os seus principais desafios.

“Cada vez mais, as pessoas não querem se alimentar simplesmente por prazer ou para cobrir as necessidades nutricionais básicas. Elas buscam a funcionalidade dos alimentos no sentido de viver mais, com mais saúde, atingindo sua capacidade genética máxima”, explica Maria Fernanda. “Nós reunimos o que existe de evidência científica atual no sentido de tornar esse desejo uma realidade”.

Para Sonia Tucunduva, “Os compostos bioativos presentes no alimentos, incluindo vitaminas, probióticos, fibras, carotenoides e peptídeos, estimulam a curiosidade dos cientistas e estudiosos, que buscam esclarecer seus mecanismos de ação e as várias possibilidades de proteção ao organismo contra o desenvolvimento das chamadas doenças crônicas não transmissíveis, altamente prevalentes no mundo atual”.

Já Carolina Pimentel ressalta: “Nosso desejo é que todos os profissionais de saúde tenham acesso às ferramentas nutricionais que suportam o conceito da medicina do estilo de vida, integrando os comportamentos positivos em suas próprias vidas e, mais importante, incorporando-os em suas práticas clínicas em benefício da sociedade”, conclui.

capa

Alimentos Funcionais e Compostos Bioativos
Organizadores: Carolina Vieira de Mello Barros Pimentel, Maria Fernanda Elias, Sonia Tucunduva Philippi
Editora Manole
Número de páginas: 936
Peso: 1.290 kg
Largura: 15,5 cm
Altura: 22,5 cm
Profundidade (lombada): 5,5 cm
Encadernação Flexível
Preço: R$ 178,00

A importância da água e de alguns alimentos para a cicatrização

Uma das coisas mais importantes nos pós-operatório é a importância da boa hidratação e alimentação para a recuperação do corpo e boa cicatrização.

Após uma cirurgia, o corpo como um todo entende que sofreu uma agressão e dispara vários mecanismos de defesa, mudando assim todo seu metabolismo. Uma das formas para uma boa recuperação é manter o corpo hidratado, com ingestão de dois a três litros de água por dia.

agua copo

A água é um dos principais elementos necessários para nossas reações enzimáticas e para manter o bem-estar de nosso metabolismo, além de ser umas das precauções para evitar eventos tromboembólicos. Faz os rins funcionarem adequadamente excretando os metabólitos tóxicos.

“Após tratamentos estéticos ou cirurgias plásticas há uma série de cuidados para que o resultado do procedimento seja favorável, bem como para mantê-lo. Entre eles, há um método muito simples, eficaz e econômico que é beber água”, afirma o cirurgião plástico Juliano Souto Ferreira .

Segundo o especialista, a água não deve ser ingerida nem muito e nem pouco. Na dose certa, ela evita desidratação e não potencializa o efeito diurético, aquela vontade de fazer xixi muitas vezes.

Portanto, o ideal é que, no período de recuperação de uma cirurgia, sejam ingeridos por volta de dois litros de água por dia.

dieta proteica alimentos proteina

De forma geral a alimentação deve ser baseada em proteínas de alto valor biológico, como carnes, frango, peixes e ovos. Muito importante: os bons carboidratos de baixos índices glicêmicos para dar a energia necessária para a recuperação. Vitaminas como a C é muito importante para a formação do colágeno e uma boa cicatrização. Por isso é contraindicado fazer dietas restritivas nos primeiros 30 dias de pós cirurgia sem orientação adequada.

Isto também vale para manter bem a saúde, independente de fazer uma cirurgia ou não.

Fonte: Juliano Souto Ferreira é Cirurgião Plástico, formado pela Universidade do Oeste Paulista (Unoeste). Fez residência médica de cirurgia geral no Hospital Prof. Dr. Alipio Corrêa Neto. Residência de cirurgia plástica no Hospital dos Defeitos da Face (atual Hospital da Cruz Vermelha Brasileira). Membro especialista em cirurgia plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Preceptor da residência de cirurgia plástica do Hospital da Cruz Vermelha Brasileira. Médico do corpo clínico do Hospital São Luiz do Itaim e do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês.