Arquivo da categoria: Bebidas

Drink Rosa do Bem terá renda revertida para o Outubro Rosa

Estabelecimentos de São Paulo criam ação para promover a campanha e doam 50% da venda para o Instituto Quimioterapia e Beleza

Bares e restaurantes da capital aderiram à campanha do Outubro Rosa e criaram o Drink Rosa do Bem especialmente para a ação. Durante todo o mês, 50% do valor dos drinques será revertido para o Instituto Quimioterapia e Beleza, idealizado em 2012 pela ex-modelo e escritora Flavia Flores que promove ações com o objetivo de recuperar a autoestima de mulheres com câncer promovendo diálogo, informações e suporte.

drinque rosa
Foto: Tales Shiosawa

Para a campanha, o Fortunato Bar, na Vila Mariana, traz um drinque especial criado pelo bartender Marquinhos Felix feito com Gin Beefeater pink, tônica e limão, e um algodão doce (R$ 35).

ENOSTRIABartender Amanda Lima
Pink U
Foto: Mauro Holanda

Na Enosteria Vino e Cucina, localizada numa charmosa esquina da Vila Nova Conceição, a bartender Amanda Lima comanda o bar da casa e apresenta uma receita criada por Diogo Sevilio feita com vermute rosé, água tônica e limão siciliano (R$ 28).

Bar Diniz - Outubro Rosa - CRÉDITO MÁRCIO DIREITO (1)
Foto: Márcio Direito

Já no Bar Diniz, localizado no Alto da Boa Vista, o Drink Rosa do Bem é feito com Gin e refrigerante de Umbu artesanal (R$ 29).

A ação ocorre durante todo o mês nas três casas.

O movimento Outubro Rosa tem o objetivo de conscientizar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama e mais recentemente sobre o câncer de colo do útero. A ação chama a atenção para a importância de detectá-lo desde o início para tratar e até mesmo a prevenção.

Bar Diniz: Rua São Sebastião, 169 – Alto da Boa Vista. Horário de funcionamento: segunda fechado. Terça a quinta, das 17hàs 24h; sexta, das 17h à 1h; sábado, das 12h à 1h e domingo, das 12h às 22h

Enosteria Vino e Cocina: Rua Jacques Felix, 626 A – Vila Nova Conceição. Horário de funcionamento: segunda fechado, terça a sábado, das 12h às 23h, e domingo, das 12h às 17h.

Fortunato Bar: Rua Joaquim Távora, 1356 – Vila Mariana. Horário de funcionamento: segunda e terça, das 17h às 23h, quarta e quinta, até 23h30; sexta, das 16h30 às 23h30, sábado, das 12h às 23h30, e domingo, das 12h às 23h.

 

Axado Bar tem drinques sem álcool para clientes que gostam de curtir de forma sóbria

Na tendência de consumir menos álcool, bar com sotaque português apresenta receitas caprichadas e saborosas

Para clientes com paladar refinado, mas que curtem se manter sóbrios, o Axado Bar, bar luso-brasileiro localizado em um charmoso sobrado centenário no bairro de Pinheiros, sugere duas opções de drinques sem álcool para seus clientes.

Criados pelo mundialmente renomado bartender Marcio Silva, os coquetéis de Suco de Tomate Temperado e Pink Limonade (foto acima), com limão, xarope de hibiscos e club soda, são destaque da carta. Além das duas opções sem álcool que custam, respectivamente, R$ 21,00 e R$ 15,00, a casa oferece ainda mais de 30 opções alcoólicas.

axado bar drinque

Axado Bar: Rua Deputado Lacerda Franco, 478 – Pinheiros – São Paulo. Horário de funcionamento: terça a quinta, das 18h à 1h. Sextas e sábados, das 18h às 2h. Domingos, das 15h30 às 23h

Conheça três drinques autorais Ferra Jockey

Ferra Jockey Bar e Lounge possui uma carta de drinques dividida em clássicos e autorais. Apesar dos primeiros serem os queridinhos do público, misturas inusitadas e surpreendentes estão ganhando destaque. Dentre as oito opções de assinatura da casa, confira três que esbanjam sabor e refrescância:

Screenshot-2019-08-26-Recentes---Google-Drive-4-
Ferra – blend de runs, suco de grapefruit, calda artesanal de maracujá, angostura bitter e perfume de priprioca – Valor: R$3 6,00

Screenshot-2019-08-27-Recentes---Google-Drive
Botanic – vodca, manjericão, lima-da-pérsia, limão siciliano, açúcar orgânico e espuma de jambu com cardamomo – Valor: R$ 35,00

Screenshot-2019-08-26-Recentes---Google-Drive-3-
Royals – gin, pitaya rosa, calda de baunilha, limão siciliano, espumante rosé e perfume de laranja – Valor: R$ 37,00

ferra jockey fachada

Ferra Jockey: Av. Lineu de Paula Machado, 1263 – Jardim Everest, São Paulo – SP. Horário de funcionamento: de segunda e terça-feira, fechado (para eventos). Quarta a sexta-feira; almoço, das 12h às 15h; jantar – das 19h às 23h. Sábado, das 12h às 24h. Domingo: almoço, das 12h às 20h

Doktor Bräu cria cervejas exclusivas para Festival de Microcervejarias do Pão de Açúcar

A marca mais vendida e a mais votada em pesquisa do grupo estará nas prateleiras das lojas da rede em 2020

Cinco rótulos para fazer a alegria dos cervejeiros iniciantes e experientes

Session Neipa, Irish Red Ale, Pilsen, American IPA, APA são as cervejas da Doktor Bräu no Festival que acontece de 03 a 30 de outubro . As duas primeiras foram desenvolvidas especialmente para a ação, já as receitas das outras três, que fazem parte do portfólio da Doktor Bräu, foram modificadas e serão encontradas apenas no Pão de Açúcar.

“Decidimos fazer cervejas mais leves e suaves, com menos amargor, porém com muito aroma e sabor tanto para conquistar o público que está entrando no universo das cervejas artesanais quanto surpreender os cervejeiros experientes”, explica Nuberto Hopfgartner, sócio da Doktor Bräu.

As bebidas exclusivas do Pão de Açúcar foram criadas com a intenção de atrair o público habituado às cervejas convencionais para as artesanais. Hopfgartner acredita que o consumo dos rótulos da Doktor Bräu – 16 da linha regular – em empórios e bares especializados vai aumentar com a ação, baseado na sinergia: quando o cliente descobrir que nesses estabelecimentos ele encontra outras cervejas da marca que conheceu no supermercado, vai pintar curiosidade, interesse em outros estilos, vontade de partir para novas experiências.

Importante ressaltar que as bebidas do Festival e as dos bares e empórios especializados em cervejas artesanais não são concorrentes. Enquanto as do Pão de Açúcar são de transição, mais leves, as outras são encorpadas, com maior teor alcoólico, amargor acentuado e notoriedade de maltes, entre outras características, dependendo do estilo. “Mas todas têm algo em comum: o nosso compromisso de elaborar cervejas com qualidade inquestionável para proporcionar a cada gole, uma experiência única e inesquecível”, destaca Hopfgartner, o próprio Doktor.

E se estiver em dúvida sobre o que combina bem com as cervejas exclusivas do Pão de Açúcar, seguem algumas sugestões que valorizam tanto as bebidas quanto os pratos. Mas você pode fazer as próprias combinações e extrair grande prazer das experiências de degustar uma boa cerveja artesanal.

Os cinco rótulos exclusivo da Doktor Bräu para o Pão de Açúcar

Pilsen (lata 473ml): pastel de pizza, escondidinho de carne seca; bisteca com feijão tropeiro; copa lombo defumada; fraldinha na brasa; lombo de porco com laranja; camarão na moranga; brandade de bacalhau gratinado.

Irishi Red Ale (garrafa 500ml): feijoada; linguini com molho sugo de tomates pelados; tambaqui na brasa; bruschetta caprese com manjericão, queijo gruyere ou brie e geleia de pimenta; javali ao molho de açaí.

APA (lata 473ml): quibe cru com azeite extravirgem, cebolinha e hortelã; costela no bafo com sal grosso defumado; mariscos ao vapor; pasteis apimentados; pizza de calabresa; costelinha de porco ao molho barbecue.

American IPA (lata 473ml): picles; frango ao alho e legumes salteados com manjerona; carré de cordeiro; comidas tailandesas, indianas ou com toque generoso de curry.

Session Neipa (garrafa 500ml): maminha na manteiga; hambúrgueres 30/70 de carne/gordura; batata rústica com cheddar; moqueca de peixe apimentada; peixe branco na brasa; salmão ao molho tarê; carré de cordeiro com geleia de hortelã; bobó de camarão; picanha com alto marmoreio; prime rib.

Ao final do festival, duas cervejarias estarão no portfólio do Pão de Açúcar durante o ano de 2020: a mais vendida durante o evento e a mais votada na pesquisa. Então se você quiser continuar a encontrar as cervejas da Doktor Bräu nas prateleiras do Pão de Açúcar, não deixe de votar aqui.

Dez mitos e verdades sobre Kombucha

Tais Tomaz Roque, nutricionista parceira da Vih!, explica todas as dúvidas sobre a bebida rica em probióticos que tem ganhado adeptos em todo o país

Kombucha é uma bebida milenar feita à base de chá, açúcar e uma cultura viva – leveduras e bactérias – conhecida como scoby (Symbiotic Colony of Bacteria and Yeast). Após a fermentação, o Kombucha transforma-se em uma bebida rica em probióticos naturalmente frisante, saborosa e muito refrescante.

No Brasil, a bebida que tem ganhado adeptos, ainda gera dúvidas e questionamentos sobre sua origem e características. Para esclarecer o tema, a Vih!, marca especializada na bebida há mais de dois anos, preparou uma lista com dez mitos e verdades sobre o assunto com a ajuda da nutricionista Tais Tomaz, parceira da marca. Confira abaixo:

O Kombucha é uma bebida saudável.

kombucha
Verdade: Kombucha é feito a partir de um chá que é fermentado e possui grande variedade de vitaminas, minerais, enzimas e ácidos orgânicos, extremamente saudáveis para o nosso corpo. O agente que ativa a produção desses organismos é o “scoby”, do inglês Symbiotic Colony of Bacteria and Yeast (Colônia Simbiótica de bactérias e leveduras). O scoby é colocado no chá (geralmente verde, mate ou preto) e por meio do processo metabólico transforma a cafeína e o açúcar em probióticos. O Kombucha é rico em nutrientes naturais, como vitamina B, ácido acético, glucurônico, lático, entre outros. Melhora a saúde geral do organismo, facilitando a digestão e a absorção de nutrientes, além da recuperação da flora intestinal. “O Kombucha sempre foi conhecido como um tônico natural, uma vez que ele ajuda a fortalecer o sistema imunológico e melhorar o funcionamento intestinal”, explica a Tais. “Mas a gente toma mesmo porque além de todos esses benefícios é muito gostoso”, afirma Angélica Moretti, fundadora da Vih!

O Kombucha é feito com organismos vivos.

kombuchaaa.jpg
Verdade: scoby, agente ativo da produção da bebida, é uma cultura de bactérias e leveduras. O Kombucha não pasteurizado contém bactérias e leveduras, extremamente benéficas para a saúde intestinal e digestiva, evitando doenças e colaborando na absorção de nutrientes. Os probióticos também possuem grande quantidade de antioxidantes, ajudando e protegendo o organismo de doenças inflamatórias.

O Kombucha emagrece.

kombucha1
Mito: a bebida tem ganhado cada vez mais adeptos por seus diversos benefícios para a saúde, sendo o principal deles o auxílio no bom funcionamento intestinal, aumentando a sensação de bem-estar. Mas é mito achar que o Kombucha é responsável pela perda de peso. Ele contém ácidos importantes para a flora intestinal, além de algumas vitaminas e aminoácidos, mas se não houver uma alimentação adequada aliada a uma vida saudável, o Kombucha sozinho não tem esse poder.

O Kombucha não pode ser tomado todos os dias.

kombucha-side-effects-1296x728-feature
HealthLine

Mito: muitas pessoas ao redor de todo o mundo consomem Kombucha diariamente. Mas, por se tratar de uma bebida viva, quando não pasteurizada, é importante usar o bom senso.

Kombucha demora uma semana para ser preparado.

kombucha pixabay.jpg
Pixabay

Verdade: a bebida tem característica funcional graças à ação da colônia de leveduras chamada “scoby”. É essa colônia de micro-organismos que é responsável por fermentar o chá e acrescentar a ele um potencial probiótico imenso. Por isso, a mistura deve fermentar entre sete e 15 dias dentro de um recipiente com algum chá – geralmente preto, verde e mate – e açúcar. Depois disso, é só misturar o líquido às frutas, ervas ou outros chás para saborizar.

Qualquer chá pode ser usado na preparação?

cha--hibisco
Verdade: porém, sabemos que alguns chás funcionam melhor do que outros. Os mais usados na preparação são o chá verde ou preto, mas também podem ser substituídos por infusão de mate, de hibisco ou jasmim. As infusões de hortelã e capim-santo, por exemplo, possuem óleos que destroem a colônia, então não são recomendados.

Kombucha não tem data de validade.

KombuchaBenefitsHeader.jpg
Mito: depois de pronta, a bebida deve ser conservada em geladeira, por aproximadamente cinco meses. A fermentação não pára na geladeira, somente desacelera.

Kombucha pode ser tomado na versão alcoólica.

Kombuchaça sem ferrão
Le Manjue

Verdade: de fato, todo o processo de fermentação gera álcool. Em processos bem controlados de produção, esta quantidade fica abaixo de 0,5%, o que não é considerado alcoólico. Mas, pode-se optar por fermentar de forma a produzir mais álcool. Se quiser deixar o drinque com a cara do happy hour, o sabor aromático do gin pode ser uma opção para ser adicionada ao Kombucha depois de pronto. Ou seja, o que é bom pode ficar ainda melhor.

Kombucha só pode ser tomado de dia.

Kombuchatea-GettyImages-
Getty Images

Mito: Kombucha pode ser bebido a qualquer hora do dia e da noite. Ele é um excelente substituto para outras bebidas, como o refrigerante e suco. Muitos preferem beber em jejum, pela manhã, para ajudar no processo de digestão e substituir o café. A bebida também pode ser usada como um energético natural e ser consumida antes ou depois de atividades físicas. O ideal é tomar bem gelado, realçando o sabor da bebida e a deixando ainda mais refrescante.

Kombucha é uma bebida vegana.

kombucha 2
Verdade: a menos que você use mel para adoçar. A bebida milenar é um poderoso probiótico natural e não é de origem animal. O scoby é uma colônia simbiótica de bactérias e leveduras que bioprocessa o chá e o açúcar, criando o Kombucha.

Fonte: Vih!

Women Wine Talks: mulheres falam sobre protagonismo e mercado na Provino 2019

Fabiana Bracco, Luciana Salton, Ana Paula Oliveira, Juciane Casagrande e Andreia Gentilini Milan estão confirmadas para o WWT

As mulheres têm conquistado cada vez mais reconhecimento no mundo do vinho, na liderança de empresas importantes do setor, encabeçando projetos mundialmente destacados e na gestão de marcas consolidadas.

Mulheres líderes em seus segmentos vão se reunir na Provino 2019 – Feira Profissional de Vinhos e Destilados para o fórum Women Wine Talks, que vai trazer para o primeiro plano a atuação feminina no mercado de vinhos, com a participação de nomes poderosos da indústria.

É o caso de Fabiana Bracco, que comanda a premiada vinícola Bracco Bosca, que se tornou referência na elaboração de vinhos e gestão de sua marca, assim como as brasileiras reconhecidas mundo afora, que completam o time do WWT: Ana Paula Oliveira, brand ambassador da Bodega Garzón, eleita a melhor vinícola do novo mundo pela revista norte-americana Wine Enthusiast; Luciana Salton, da vinícola Salton; e Juciane Casagrande e Andreia Gentilini Milan, que depois de atuarem na direção e gestão de importantes vinícolas e associações, agora encabeçam a Amitiè, uma marca própria de espumantes.

“O Women Wine Talks foi criado para enaltecer, valorizar e promover a participação das mulheres no mercado de vinhos através do diálogo com outras mulheres sobre o que é ser uma profissional de alto impacto”, resume Alessandra Casolato, da CH2A, idealizadora da inciativa. “A Provino apoia e abraça projetos que tragam olhares e experiências atuais sobre o nosso business”, finaliza Malu Slavieri, representante da Messe Düsseldorf, organizadora da famosa ProWein e da Provino.

Fabiana Bracco, Ana Paula Oliveira, Luciana Salton, Juciane Casagrande e Andreia Gentilini Milan vão falar sobre suas trajetórias, cases e os obstáculos em um setor primordialmente masculino. O Women Wine Talks acontece no dia 16 de outubro, às 17h30 e às 19h30.

Provino

A Provino é um projeto idealizado por Malu Sevieri, Rico Azeredo e Christian Burgos. Os dois primeiros possuem mais de 10 anos de experiência na organização de feiras profissionais e em representação da Messe Düsseldorf, organizadora da já famosa ProWein. Christian Burgos é presidente da Inner Group, reconhecido nome na indústria nacional e internacional de vinhos.

ViewImageCA72JK9S.jpg

Provino 2019 – Feira Profissional de Vinhos e Destilados
De 15 a 17 de outubro de 2019 (terça a quinta)
Das 13 às 20 horas
Transamerica Expo Center – São Paulo
Av. Dr. Mário Vilas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro
Informações: Provino – info@provino.com.br

Vie Rose e Emiliana Organic promovem jantar com vinhos sustentáveis e biodinâmicos

Chef Álvaro Alencar assina o menu do restaurante de inspiração mediterrânea, novidade em Pinheiros, e que trabalha com horta orgânica

Nem todo vinho é vegano, nem todo vinho orgânico é vegano ou biodinâmico. Essas e outras curiosidades serão tema de aula-jantar que o restaurante Vie Rose promove, nesta terça (8), às 20 horas, em Pinheiros, em parceria com a Emiliana Organic, empresa chilena considerada hoje a maior vinícola orgânica do mundo.

vinicolas_credito divulgacao.jpg

O jantar harmonizado em seis etapas é assinado pelo chef Álvaro Alencar (ex-Maní, Manioca e A Figueira Rubayat) e custa R$ 260,00 por pessoa, já incluindo os vinhos e bebidas não-alcoólicas.

Na cozinha do Vie Rose, recém-inaugurado em Pinheiros, inspirações numa culinária mediterrânea, simples, fresca e versátil. A restauratrice Leticia Lopes têm a preocupação de trabalhar com pequenos produtores rurais e produtos agroecológicos. Ela fechou parceria com a Fazu Rede de Fazendas Urbanas, que promove um trabalho de produção de hortaliças orgânicas em São Paulo.

Alface, alface roxa, rúcula e agrião são todos hidropônicos, não levam agrotóxicos ou outros produtos químicos e são plantados e colhidos diretamente da horta do restaurante, às vistas do cliente. Total sintonia com a proposta da Emiliana e sua linha de vinhos orgânicos e biodinâmicos.

Para começar o jantar, o Vie Rose sugere: Dadinho de Tapioca com Queijo Serra da Canastra e Geleia de Pimenta, Pastel de Abóbora com Especiarias Servido com Geleia de Pimenta, Queijo Coalho Grelhado com Mel Trufado e Tartare de Beterraba (beterraba defumada com sour cream vegano, feito com leite de castanha, óleo de canola e limão). As entradinhas harmonizam com o Adobe Rosé, lançamento da vinícola Emiliana. O vinho é orgânico, ou seja, as videiras são cultivadas com adubos e fertilizantes naturais, preservando o fruto da forma mais pura.

Na sequência, será servida a Salada Tropical com Queijo (folhas verdes colhidas da horta do Vie Rose, acompanhadas de frutas da estação, gorgonzola, nozes e emulsão de mostarda e mel). Para harmonizar, o vinho branco orgânico e biodinâmico Novas Chardonnay, feito com uvas Chardonnay, cultivadas em solo franco-argiloso. Um rótulo que reproduz fielmente seu terroir. Como pratos principais, o Risoto de Cogumelos finalizado com azeite trufado (prato que pode vir na versão vegana) e que combina com o tinto orgânico e biodinâmico Coyam (que, em dialeto mapuche, significa carvalho chileno, fazendo referência às majestosas árvores frondosas dos vinhedos de Los Robles).

www.tbfoto.com.brVIE ROSE - SP/SP - 28/05/2019
Foto: Tadeu Brun
Foto: Tadeu Brunelli

O segundo prato será Filé Mignon com Molho Rôti e Gratin de Mandioquinha, acompanhado do vinho tinto Gê, composto pelas uvas Syrah, Carmenère e Cabernet Sauvignon. O rótulo, intenso em aromas e sabores, traduz muito bem o conceito de biodinâmico: seu nome faz menção ao planeta Terra e a toda a energia biodinâmica que o envolve. Para finalizar com doçura, o Pudim de Leite do Vie Rose e o Brownie de Chocolate, servido com sorvete de caramelo com flor de sal e ganache de chocolate amargo.

Todos os vinhos do menu-degustação da noite no Vie Rose serão veganos. Os enólogos da Emiliana explicarão por que a maioria dos vinhos do mercado não é vegana. No processo de clarificação do vinho, normalmente entra algum tipo de proteína animal: como caseína (proteína do leite), gelatina (de origem bovina ou suína), cola de peixe, óleo de peixe, quitina (produto da casca de crustáceos) e até clara de ovo. Para ser vegano, o produtor faz uso de agentes não-animais no processo, como carbono, argila, calcário, sílica e caseína vegetal.

emiliana_credito divulgacao

O jantar marca também os 20 anos de início da vinícola Emiliana com o trabalho de orgânicos. É considerada hoje a maior empresa do mundo certificada nas práticas de vinhos orgânicos e biodinâmicos, com manejo 100% orgânico. Foi reconhecida como “Companhia Verde do Ano”, em concurso realizado pela prestigiada revista inglesa The Drink Businness. A divisão de vinhos da La Pastina é a responsável pelos vinhos da Emiliana no Brasil. Noite que harmoniza alta qualidade de vinhos e gastronomia com o respeito ao meio ambiente.

Vendas pelo Sympla ou pelo celular: (11) 9 3318-2019.

Vie Rose: Rua Vupabussu, 199 – Alto de Pinheiros

Cachaça Mazzaropi lança novas versões, com vários sabores do Brasil

Produzidas em alambique de cobre, as novas cachaças contam com notas de especiarias, aromas florais, frutados ou tostado de café e chocolate. Entre as novidades está o armazenamento, metade em tonéis de madeiras nacionais e o restante em barris de carvalho

A cachaça é um símbolo do Brasil. E, assim como o país é variado em suas regiões, os estilos da bebida espelham essa diversidade. E agora os tipos oferecidos pela Cachaça Mazzaropi, também. A marca, com produção em alambique de cobre, acaba de lançar oito variedades, com sabores que vão do cítrico ao caramelo.

Cachaça Mazzaropi

Quatro delas, produzidas em 2011, foram armazenadas em tonéis de 20 mil litros. Enquanto a branca traz o gosto suave da cana de açúcar, a bálsamo presenteia o paladar com especiarias que lembram o anis. Já a tatajuba e a grápia, ambas com a tonalidade de um castanho intenso, tem, respectivamente, o adocicado de frutas maduras e um doce levemente cítrico.

As outras variedades da Cachaça Mazzaropi são envelhecidas em barris. Produzida em 2006, a cachaça de sete anos preenche a boca com uma mistura de chocolate, café, baunilha e amêndoas, com aromas florais. A umburana, armazenada em barris dessa madeira brasileira, tem um tom marcante de amarelo e aromas amendoados mais doces. Já o sabor de caramelo é intenso, com tostado de café e chocolate, na bebida envelhecida por cinco anos no carvalho francês. Pelo mesmo tempo, quando envelhecida em carvalho americano, a confere um sabor de caramelo suave, com notas de baunilha e coco.

Casa do Jeca Cachaça Mazzaropi P

Desde o período colonial, a cachaça se confunde com a história do país. Com cuidados e novas técnicas, a bebida popular foi elevada a exemplar de alta qualidade e pode ser encontrada em cartas de restaurantes e bares. A Cachaça Mazzaropi já recebeu vários prêmios, como o primeiro lugar para a cachaça de 7 anos no Concurso de Avaliação da Qualidade da Cachaça, promovido pela USP São Carlos, em 2012. As envelhecidas em carvalho francês e americano ficaram com o segundo lugar.

Parte do imaginário do brasileiro, a cachaça também aparece nos filmes de Amácio Mazzaropi, ator e cineasta que tão bem retratou a vida da gente do país. Essa proximidade com o tema levou os administradores dos Hotéis Mazzaropi a investirem na produção da bebida em alambique.

Casa do Jeca Cachaça Mazzaropi - P

As diferentes versões da bebida podem ser compradas no Hotel Fazenda Mazzaropi e no Museu Mazzaropi (ambos em Taubaté), no Hotel Vila Inglesa (Campos do Jordão) e em diversos pontos no país.

Informações: Cachaça Mazzaropi – Tel.: (12) 3634.3481

Shopping Light reúne melhores botecos de São Paulo em evento gastronômico

O sabor inigualável das comidas e bebidas dos points paulistanos se encontram em final de semana na região central da cidade. Festival “Botecaria” conta com apresentações musicais ao vivo e presença de DJ

Uma das paixões dos paulistanos é unir comida e bebida em um ambiente agradável e propício para happy hour. Os famosos botecos da cidade reúnem tudo isso. Para promover uma experiência nova em plena região central, o Shopping Light seleciona os melhores points de São Paulo e abraça a todos em um evento especial. É a “Botecaria”, que chega ao rooftop do empreendimento – um espaço icônico no centro da cidade – nos dias 5 e 6 de outubro. A entrada é gratuita.

Divulgação - Shopping Light (5)Divulgação - Shopping Light (4)Divulgação - Shopping Light (1)Divulgação - Shopping Light (6)

A ação é uma parceria com o Grupo FSN e reúne os melhores botecos da cidade de São Paulo em um mesmo espaço, apresentando seus drinques e petiscos já consagrados e adorados pelo público. A ideia é divulgar e fomentar a cultura botequeira, com destaque ao trabalho desses bares e suas histórias.

Ao todo, cerca de 30 expositores, entre os bares mais queridos da cidade, produtores gastronômicos de bebidas, queijos, embutidos e doces complementam o evento, com opções de doses e porções para serem consumidas no local ou levar para casa. O espaço conta também com muita música, apresentações ao vivo e a presença de um DJ.

Foram selecionados bares de diversas regiões da cidade pra enriquecer e agregar ainda mais ao evento. Histórias, quitutes deliciosos, drinks únicos e memória afetiva foram itens importantes para a montagem da lista de participantes. São eles: Bar do Luiz Fernandes, Guarita Bar, Bar Pirajá, Mocotó, Peixaria e Fôrno.

botecaria.jpg

Além dos estabelecimentos já confirmados, o evento terá a presença de produtores de comidas e bebidas que vão servir suas especialidades, como Fazenda Atalaia, Jais Hand Made, Sina, Taste Me!, Guará Vermelho, Pão di Queijo da Mineira, Negroni Ricetta 45, Santo Cutelo, Cerveja Avós, Cervejaria Vinil, Bufala & Co, Ama.zo, Da Mooca Pizza Shop, Joy, Desenrolha, O Chá Lá, Tabuleiro das Meninas, Totó Cannoli e Açucareiro da Nana.

“O Shopping Light aposta cada vez mais em festivais e eventos gastronômicos que se tornem verdadeiros programas culturais para serem aproveitados por toda a família e amigos. A região central da cidade é belíssima e nós estamos em um dos mais importantes cartões-postais. É uma nova opção para reunir a turma e curtir um final de semana saboroso, além de conhecer produtos novos e de alta qualidade”, comenta Wagner Patrocinio, Coordenador de Marketing do Shopping Light.

botecaria 11

Botecaria
Data: 5 e 6 de outubro
Horário: sábado, das 12h às 20h e domingo, das 12h às 18h
Local: Rooftop – Shopping Light
R. Cel. Xavier de Toledo, 23 – República, São Paulo/SP)
Entrada: Gratuita

Cachaça Samanaú promove eventos de degustação

Além de inspirar a criação do Brasil Cachaça Club na capital paulista, com happy hour toda quinta-feira, a bebida estará no Mercado Municipal de São Paulo para o visitante provar na Banca do Ramon no dia 5 de outubro

Produzida em Caicó, no Rio Grande do Norte, a cachaça orgânica Samanaú é uma das grandes descobertas no setor e foi reconhecida mundialmente entre as melhores na categoria envelhecida, levando medalhas de ouro nos mais importantes concursos realizados na Europa e no Brasil.

cachaça sama

A verdade é que a marca vem conquistando apreciadores por onde passa. Além da referência regional, em São Paulo foi sucesso na Cachaça Trade Fair e na Wine Weekend, feiras especializadas no segmento de bebidas adultas, e motivo de encontro semanal em espaço que recebeu o nome de Brasil Cachaça Club, na zona Sul da capital. Lá, são organizados happy hours toda quinta-feira com música ao vivo, degustação de charutos, café Bit Coffee e cardápio do Pan Y Queso Empório.

No próximo sábado, 5 de outubro, a Samanaú estará com ação especial para degustação no Mercadão Central, na banca do Ramon, e seguirá com uma agenda de eventos para conquistar o consumidor. “Desde que assumimos a distribuição e comercialização da cachaça no Brasil e no exterior, temos feedback motivador de especialistas, críticos com know-how para avaliar a qualidade de elaboração da bebida e apreciadores. Todos aprovam Samanaú, isso nos permite alçar voos cada vez mais altos e audaciosos”, ressalta Pedro Mello, CEO da Brascase Brasil.

A Samanaú produz as seguintes variedades: Prata, destilado de mosto fermentado do caldo de cana de açúcar, nas opções de 500 ml e 1 litro; Envelhecida, armazenada em barril de carvalho e garrafa de 500 ml; Ouro, amaciada em barril de louro-canela, nas versões 50 ml, 160 ml, 500 ml 1 litro; e a Sibaúma, fermentada do caldo de cana de açúcar.

Sobre a Samanaú e seu alambique

O alambique fica na cidade de Caicó, encravada no Sertão do Seridó, a 280 quilômetros da capital do Estado do Rio Grande do Norte. E foi em 1994, com a construção da Barragem Passagem das Traíras, que houve o incremento do cultivo da cana de açúcar com ideia de transformá-la em cachaça. Em 2004, Vidalvo Dadá Costa foi pioneiro na instalação de um alambique artesanal onde produz no Sítio Samanaú.

cachaças samanai

Brasil Cachaça Club
Todas as quintas-feiras a partir das 18h
Rua Barão do Triunfo, 347 – Brooklin Paulista

Informações: Cachaça Samanaú