Arquivo da categoria: câncer de mama

Quarentena: aproveite para ficar atenta aos sinais suspeitos de câncer de pele

Maio é o Mês Internacional de Combate ao Melanoma; diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura desse câncer de pele agressivo

O isolamento social imposto pela pandemia relacionada ao novo coronavírus (SARS CoV-2) tem permitido que as pessoas cuidem mais de si mesmas em vários aspectos: seja com alimentação mais saudável, prática de exercícios em casa ou passando mais tempo com a família. Então, por que não aproveitar também para cuidar da nossa pele?

Como maio é o Mês Internacional de Combate ao Melanoma, este é um ótimo momento para aprender a identificar possíveis sinais da doença. Apesar de ser o menos incidente dos cânceres de pele (são estimados 8.450 novos casos por ano), melanoma é o tipo mais agressivo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 55 mil pessoas morram por conta da doença todos os anos, o que representa seis mortes por hora.

Pensando nisso, Antônio Carlos Buzaid, diretor geral do Centro Oncológico da Beneficência Portuguesa de São Paulo e membro do Comitê Gestor do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein, traz algumas dicas para a realização do autoexame. “Como a maioria das pessoas estão em casa, usem esse tempo para observar todo seu corpo e analisar se há pintas ou manchas que se enquadrem na regra ABCDE”, sugere o médico. Essa regra foi criada para contribuir com o diagnóstico precoce e cada letra representa um ponto a ser analisado:

• Assimetria: uma metade da pinta ou mancha é diferente da outra parte.
• Borda: as bordas são irregulares, entalhadas ou dentadas.
• Cor: muitas vezes apresentam cor desigual. Tons de preto, marrom e canela ou áreas brancas, cinza, vermelha ou azul podem estar presentes.
• Diâmetro: o diâmetro é maior que 5 milímetros.
• Evolução: uma pinta ou mancha vem mudando de tamanho, forma, cor, aparência ou coçando ou sangrando.

melanomaimage10b-large

O oncologista ressalta que esses sinais não significam que você esteja com melanoma, mas são um indicativo para procurar por um dermatologista. “Essa regra é uma maneira que encontramos de ajudar a promover o diagnóstico precoce do melanoma. Dado que, quando identificado em seus estágios iniciais, o câncer é tratável e as chances de cura podem ser superiores a 90%”, reforça Buzaid.

Com base no estágio da doença e outros fatores (como idade e saúde geral do paciente), as principais opções de tratamento para melanoma são: cirurgia, terapia-alvo, quimioterapia, imunoterapia e radioterapia. Mediante os avanços dos estudos sobre a linha terapêutica mais adequada para cada perfil de paciente, identificou-se que existem dois tipos de melanoma: o que apresenta mutação genética (como o gene BRAF) e o que não apresenta.

Para os casos em que há mutação no gene BRAF – cerca de 50% dos pacientes[iii] -, uma modalidade de tratamento muito efetiva é a terapia-alvo. Este tipo de tratamento consiste em medicamentos administrados por via oral que atacam as células tumorais que são portadoras da mutação do BRAF e poupam as células normais, o que garante menos efeitos colaterais, por exemplo.

pele pinta indylasercenter
Foto: Indylasercenter

Durante todo o mês de maio, especialistas e associações de pacientes se mobilizam para combater o câncer melanoma com campanhas de conscientização sobre a doença e como realizar o autoexame para obter o diagnóstico precoce. É importante lembrar que o autocuidado também deve ser dedicado ao maior órgão do nosso corpo, que nos protege de tudo: a nossa pele.

Fonte: Novartis

Importância da alimentação na prevenção ao câncer de mama

Hoje, Dia da Mamografia, é bom falar sobre o câncer de mama. Em 2016, por exemplo, a doença foi a causa de 16.069 mortes de mulheres no país, e dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) mostravam que as estimativas para 2019 eram de 59.700 casos novos.

A doença, no entanto, tem mais relação com hábitos de vida, como o sedentarismo, alimentação cheia de ultraprocessados e consumo de álcool do que fatores genéticos, segundo os especialistas.

auto-exame-cancer-de-mama-ibcc-diante-do-espelho-chuveiro-ou-deitada

O nutricionista Leone Gonçalves afirma que, com mudanças na alimentação e nos hábitos, é possível reduzir a incidência da doença em mulheres: “Hábitos saudáveis, principalmente na alimentação, possuem um papel de extrema importância para a prevenção da doença. O consumo exagerado de carnes gordurosas, alimentos ultraprocessados, defumados e ricos em gorduras saturadas e trans oferecem um grande risco para o aparecimento do câncer, em média 30% dos casos, segundo aponta a literatura médica”.

Gonçalves aponta que alguns grupos alimentares têm o potencial de ajudar na prevenção do câncer: “Alimentos fonte de ácidos graxos polinsaturado (ômega 3 e linoléico conjugado), vitaminas A, C, E, assim como folato e selênio têm o potencial de prevenir o câncer. Alimentos chamados fitoquímicos, como frutas, vegetais, grãos integrais também parecem atuar na prevenção e controle desta patologia”.

Alimentos que podem ajudar a prevenir o câncer de mama

O especialista cita estudos realizado pela Harvard School of Public Health, nos Estados Unidos, que listam alguns alimentos que podem ajudar na prevenção do câncer de mama quando consumidos regularmente.

suco cenoura organic facts
OrganicFacts

Cenoura: O estudo aponta que devido ao betacaroteno, que protege o DNA contra a oxidação e evita a formação de radicais livres, o risco de contrair câncer reduz em até 17%.

romã
Romã: segundo o estudo, o elagitanino, presente na romã inibe a produção de estrógeno, hormônio que alimenta as células cancerosas.

couve brocolis
Brócolis, couve-flor e o repolho: o sulforano, presente no brócolis e vegetais de folha verde escura, pode combater as células cancerígenas do organismo.

xgeleia-de-framboesa.jpg.pagespeed.ic.rcv9hctnha
Framboesa e amora: segundo o estudo possuem fitonutrientes anti-cancerígenos que desaceleram o crescimento de células pré-malignas.

SARDINHAS PORTUGUESAS ORA POIS, POIS!
Peixes de águas profundas: o ômega 3, presente em animais de águas profundas salgada, como salmão e sardinha, atua desestruturando uma parte da membrana celular, o que impede o crescimento de tumores.

Dia Nacional da Mamografia: descubra algumas curiosidades sobre o exame

Hoje, 5 de fevereiro, é o Dia Nacional da Mamografia, data comemorada desde 2013 que tem como objetivo ressaltar a importância de realizar o exame para a detecção precoce do câncer de mama, uma das principais causas de morte no Brasil entre mulheres.

Segundo estudos, quando diagnosticado precocemente, as chances de cura são de 95%. Apesar das campanhas divulgadas constantemente sobre o assunto pela mídia e órgãos de saúde, algumas pessoas costumam ter dúvidas sobre o exame. Pensando nisso, André Mattar, médico mastologista do Laboratório Rocha Lima, listou alguns tópicos importantes sobre a Mamografia:

– Como é feita a mamografia?

mamografia-1
Muita gente tem receio de fazer o exame, seja por medo de sentir dor ou até mesmo em ver o resultado, mas na verdade a mamografia é um exame rápido e simples. A mama é posicionada no mamógrafo, um aparelho que usa a mesma radiação do raio-x tradicional, e capta quatro imagens, sendo duas de cada mama. O seio é pressionado por um curto período. Após a mamografia, outros exames são solicitados pra um diagnóstico mais preciso.

– Existe alguma idade mais indicada para o exame?

mamografia-2
Por ser um exame essencial, todas as mulheres devem fazer o exame de mamografia, principalmente no caso de mulheres após os 40 anos de idade. Antes de chegar aos 40, um exame a cada três anos é o ideal. Ao completar os 70 anos de idade, a mamografia deve ser feita com indicações médicas.

– Homens também devem fazer o exame de mamografia?

exame homem healthline
Healthline

É raro encontrar homens que tiveram câncer de mama, tanto que eles correspondem apenas entre 0,5 a 1% dos casos. Porém, segundo pesquisas feitas nos último 25 anos, foi constatado um aumento de aproximadamente 26% nas incidências do câncer de mama em homens. Além disso, a mamografia acaba sendo mais precisa nos homens do que nas mulheres, já que eles não possuem mamas densas ou outras alterações que possam interferir no exame.

– O tamanho do peito influencia em algo?

mamografia
Mulheres com peitos avantajados e principalmente que estão abaixo dos 40 anos precisam ter um cuidado maior, já que o tecido mamário pode dificultar a visualização do mamógrafo.

– Quem tem prótese de silicone pode realizar a mamografia?

seios corpo exame breast-lift
Pode, mas no caso de mulheres com implante de silicone é necessário que sejam feitas duas manobras a mais, uma em cada mama, para que seja possível analisar o tecido mamário com precisão. A compressão que é feita durante a mamografia também não causa nenhum dano na prótese.

Fonte: André Mattar é médico mastologista do Laboratório Rocha Lima, Doutor pela Universidade Federal de São Paulo – Unifesp, especializado em Mastologia. Atualmente, é responsável pelos núcleos de oncologia clínica e lesões não palpáveis do Hospital Pérola Byington.

 

Dia Mundial de Combate ao Câncer: prevenção começa pelo prato

Estudos científicos revelam que consumir produtos de origem animal pode aumentar o risco de desenvolver a doença em até 64%

O Dia Mundial de Combate ao Câncer é lembrado hoje (4) em todo o mundo, como forma de alerta conscientização para que as pessoas tenham acesso a tratamento e informações sobre a doença. Anualmente, mais de oito milhões de pessoas morrem em decorrência de algum tipo de câncer, em todo o mundo.

A prevenção ainda é considerada o melhor remédio e tudo indica que ela começa no prato. Análises científicas mostram cada vez mais evidências que os fatores alimentares estão diretamente associados ao surgimento da doença.

Produtos de origem animal e o câncer

salsicha e embutidos pixabay

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por exemplo, já comprovou que a cada 50 gramas de carne processada consumida, o risco de câncer de cólon aumenta em cerca de 20%. Os grupos de estudos formados pela entidade analisaram mais de 800 estudos diferentes, investigando mais de 12 tipos de câncer em seres humanos, relacionados ao consumo de carne vermelha e carne processada, em vários países e com populações diversas.

“Vale a pena lembrar que o consumo de carne (de todos os tipos), no Brasil, é de 233 gramas por dia, em média, por pessoa, que é 3 a 4 vezes mais o que as diretrizes nutricionais sugerem para a população que come carne”, esclarece o médico nutrólogo e diretor do departamento de medicina e nutrição da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), Eric Slywitch.

Dieta vegetariana e prevenção ao câncer

O também médico, Sidney Federmann, acrescenta que o consumo regular e diário de leite e seus derivados, como os queijos e a manteiga, é consistentemente associado ao aumento no risco de câncer de próstata, principalmente ao tipo fatal. “A alimentação vegetariana estrita contém centenas de componentes que provocam a morte (apoptose) das células cancerosas a partir de vários mecanismos”, analisa.

O único fator de atenção está relacionado à vitamina B12. “Como a alimentação vegetariana estrita não contém vitamina B12, recomendamos o acompanhamento periódico dos níveis dessa vitamina no sangue. E vale lembrar que a deficiência de vitamina B12 é, também, bastante prevalente na população onívora, igualmente, demandando atenção”, conclui Federmann.

prato vegetariano

Tecnicamente falando, os cereais integrais, leguminosas, legumes e verduras, frutas, sementes e nozes, como a soja, arroz integral, milho, aveia, chás, brócolis, repolho, agrião, feijões, endívia, alho, tomate, morango, uvas têm polifenóis como kampferol, quercitina, galato de epigalocatequina, isoflavonas, miricetina, genistein, resveratrol, que inibem a captação de glicose pelas células cancerosas, causando déficit energético e levando-as à morte.

“Adotar uma dieta vegetariana é uma estratégia inteligente para a prevenção contra o câncer”, avalia Slywitch. Para aqueles que ainda têm alguma dúvida sobre o assunto, os dados mostram que vale repensar os hábitos alimentares, pois eles podem te salvar.

Quer saber mais? Assista ao vídeo O Câncer e o Consumo de Carne clicando aqui.

 

Alimentos com Vitamina A podem reduzir risco de câncer de pele

 

couve

Segundo estudo publicado em julho de 2019 no Journal of American Medical Association Dermatology, incluir uma batata-doce média ou duas cenouras cozidas diariamente na dieta reduz em até 17% o risco de câncer de pele

O Dia Mundial de Combate ao Câncer é uma data criada para aumentar a conscientização sobre a doença. O dia 4 de fevereiro serve também para incentivar a adoção de estratégias adequadas para atuar na prevenção do câncer, afinal, até 30% dos casos da doença podem ser prevenidos por meio de cuidados como praticar exercícios físicos, evitar fumar e ingerir bebidas alcoólicas, realizar exames anualmente, utilizar fotoprotetor diariamente e manter uma alimentação balanceada.

A alimentação possui tamanha importância na prevenção do câncer que um estudo da Brown University, publicado no final de julho no Journal of American Medical Association Dermatology, descobriu que a ingestão de frutas, verduras e legumes ricos em vitamina A está associada a um menor risco de um tipo comum de câncer de pele, chamado carcinoma de células escamosas.

mulher tomando sol protetor solar

E nem é necessário exagerar: ingerir duas cenouras grandes ou uma batata-doce média por dia já reduz em 17% o risco de câncer de pele. “Este é o segundo tipo de câncer de pele mais comum em pessoas de pele clara. O papel da vitamina A em ajudar na renovação das células da pele é bem conhecido, mas sua utilidade na redução do risco de câncer de pele tem sido motivo de controvérsia. O uso de protetor solar, e evitar a exposição à luz solar forte, são as principais recomendações para diminuir a incidência de câncer de pele. O atual estudo sugere que comer frutas e vegetais ricos em vitamina A pode ser outra boa maneira de diminuir esse risco”, diz o dermatologista Jardis Volpe*, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

A pesquisa atual avaliou ingestões dietéticas de vitamina A e taxas de detecção de câncer de pele em dois grandes estudos observacionais realizados ao longo de vários anos. Os dados do Nurses ‘Health Study foram coletados de 1984 a 2012 e analisaram mais de 75.000 mulheres americanas, enquanto o Estudo de Acompanhamento de Profissionais de Saúde acompanhou mais de 48.000 homens americanos de 1986 a 2012. Os dados coletados no acompanhamento incluíram a ingestão de alimentos, história de câncer de pele, cor do cabelo, incidentes graves com queimaduras solares e história familiar de câncer de pele, todos estes podendo contribuir para o risco de câncer de pele.

Dos 123.000 indivíduos, todos eram de fototipo claro (brancos), o que os colocava em maior risco de câncer de pele. Entre eles, havia quase 4.000 casos de carcinoma de células escamosas durante o período de estudo.

De acordo com o estudo, os pesquisadores estavam procurando evidências de associação entre câncer de pele e ingestão de vitamina A. “A conclusão foi a de que aqueles que tiveram a maior ingestão de Vitamina A proveniente de fontes vegetais tiveram um risco 17% menor de carcinoma de células escamosas em comparação com aqueles com a menor ingestão”, afirma o médico. Na dieta, essa “ingestão maior” pode ser comparada a comer duas cenouras grandes ou uma batata-doce média cozida diariamente.

vitamina_a frutas legumes amarelos laranja

Outra descoberta do estudo foi que a maior parte da vitamina A ingerida era proveniente de frutas e vegetais, e não de suplementos ou de produtos à base de animais. “Alimentos ricos em vitamina A incluem vegetais verdes folhosos como alface, além de cenouras e batatas-doces, e frutas como damasco ou melão. Compostos como a vitamina A, como o licopeno, foram encontrados em tomates e melancia, e também reduzem o risco de câncer de pele”, diz o médico.

A vitamina A é uma vitamina lipossolúvel que é convertida em vários retinóides, que são compostos bioativos necessários para a adequada maturação e diferenciação das células epiteliais. Formas sintéticas desses compostos são empregadas para prevenir o câncer de pele em populações de alto risco, mas têm um potencial significativo para danos. Daí o foco do estudo atual em fontes naturais de vitamina A para a quimioprevenção do câncer de pele é justificada. No estudo, a análise compensou a presença dos outros fatores de alto risco.

Mas é necessário tomar cuidado com relação à Vitamina A. O mesmo estudo também lembrou sobre a toxicidade do nutriente. “Fontes baseadas em animais e suplementos podem elevar os níveis sanguíneos de vitamina A, causando náusea, desequilíbrio do fígado, osteoporose e fratura de quadril. Na pele, pode causar ressecamento e no cabelo pode contribuir para a queda. No entanto, fontes vegetais de vitamina A geralmente não resultam em toxicidade”, lembra o médico.

“Como este estudo foi de natureza observacional, ainda é necessário um ensaio clínico randomizado com controles ou um grande estudo prospectivo para se chegar a uma conclusão quanto ao papel da vitamina A na redução do risco de câncer”, finaliza.

*Dermatologista; Diretor Clínico da Clínica Volpe (São Paulo). Formado pela Universidade de São Paulo (USP); Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia; Membro da Sociedade Americana de Laser, da SBD e da Academia Americana de Dermatologia; Pós-graduação em Dermatocosmiatria pela FMABC; Atualização em Laser pela Harvard Medical School.

Sete mitos sobre o câncer de mama que precisam parar de circular

Eles aparecem de tempos em tempos nas redes sociais e no WhatsApp, mas não correspondem à verdade sobre a doença

Antes, eles eram espalhados no boca a boca ou em textos impressos que circulavam entre as mulheres; hoje, estão nas redes sociais e são compartilhados livremente em correntes e grupos de WhatsApp. Estamos falando dos boatos sobre o câncer de mama, que não ajudam em nada nas campanhas sérias de prevenção da doença — que causa mais de 450 mil mortes por ano no mundo, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), e acomete principalmente as mulheres (a cada 100 mulheres com câncer de mama, um homem tem a doença).

“Esses mitos são como um bumerangue e sempre voltam a circular, não importa o que seja feito em termos de difundir informação verdadeira”, afirma Daniel Gimenes, oncologista do Grupo Oncoclínicas em São Paulo.

Para o especialista, a maior dificuldade é convencer as pessoas de que elas não devem acreditar em qualquer coisa que leem. “O problema é que, de tanto receberem, elas acabam confiando naquilo e achando que é verdade. Uma mentira falada tantas vezes acaba parecendo uma verdade para elas”, diz.

A seguir, Gimenes esclarece os sete principais mitos sobre o câncer de mama que precisam parar de circular o quanto antes.

É preciso lavar os sutiãs com frequência para evitar o câncer de mama

sutia varal secando istock photo
iStock Photos

A limpeza e a sujeira de sutiãs, tops ou quaisquer outras roupas usadas em contato com os seios não têm nenhuma relação com o câncer de mama. “As causas do câncer de mama são relacionadas a histórico familiar, questões hormonais, obesidade. Não existe fundamento em associar vestimentas à doença”, esclarece o oncologista.

O uso de sutiãs pretos em dias de sol aumenta o risco de câncer de mama

-wallpaper-flare mulher usando sutia preto
Foto: Wallpaper Flare

“Se isso fosse verdade, se descobririam cores que seriam benéficas e se curaria o câncer de mama com cromoterapia. Mas não é o caso. Nenhuma cor é relacionada com o desenvolvimento ou com a cura do câncer de mama”, diz Gimenes.

Usar sutiã para dormir aumenta o risco de câncer de mama.

istock-mulher dormindo
iStock Photos

Não existe nenhuma ligação entre os tumores do câncer de mama e o fato de os seios estarem “livres” ou “presos” durante o sono.

Sutiãs com aro, usados com frequência, causam risco de desenvolvimento de tumor nas mamas

316980_717018_sutiA_demi_roxy_de_r_99_90_por_r_49_90_web_

Mesmo que os aros de arame acabem machucando os seios por causa do contato, as eventuais feridas causadas por eles não se transformam em tumores, como o especialista explica: “O tumor ocorre como consequência de alterações genéticas que fazem as células se dividirem descontroladamente. É um processo interno.”

Expor os seios ao sol, de topless, aumenta o risco de câncer de mama

mulher praia topless pixabay
Pixabay

Não há nenhuma relação entre o câncer de mama e a exposição ao sol. O oncologista alerta, porém, para o risco de câncer de pele nessa situação: “Se os seios forem expostos sem proteção solar passa a haver um risco de câncer de pele”. É importante, portanto, passar filtro solar nos seios — principalmente nos mamilos — e evitar a exposição direta aos raios do sol entre as 10 e às 16 horas.

Desodorantes antitranspirantes causam câncer de mama

mulher usando desodorante clip dealer

“A relação entre câncer de mama e uso de desodorantes de todos os tipos é estudada há muitos anos, e de maneira muito aprofundada, e nunca se encontrou nenhuma evidência científica que ligasse antitranspirantes ou qualquer outro destes produtos às causas da doença”, afirma Gimenes.

Passar desodorante para dormir aumenta o risco de câncer de mama

mulher desodorante

Este é um hábito de muitas mulheres, que não precisam temer e podem continuar indo dormir perfumadas. A não-relação entre o uso de desodorantes e o desenvolvimento de câncer de mama vale para todos os horários do dia e da noite, inclusive durante o sono.

Fonte: Grupo Oncoclínicas

 

Shopping realiza cortes de cabelo solidário durante Outubro Rosa

Doações serão transformadas em perucas para pacientes oncológicos

Um marco na luta contra o câncer de mama, a campanha Outubro Rosa chega mais uma vez para alertar sobre a importância do diagnóstico precoce. De encontro com essa causa, o Shopping Taboão, em parceria com os profissionais dos salões Lohan Coiffure e Marihá Cabeleireiros, realiza ação de corte de solidário.

A iniciativa, que acontece no período de 21 a 25 de outubro, busca arrecadar cabelos que serão transformados em perucas. Para os interessados em abraçar a causa é necessário a doação de no mínimo 20 cm de cabelo. Os cortes serão gratuitos.

“É nosso papel apoiar e mais uma vez trazer a importância deste tema para dentro do shopping. Falar de Outubro Rosa é lembrar que o cuidado é todo dia. É o se autoconhecer e não deixar que nada nos abale. É lembrar que a vaidade feminina vai muito além do estético e que nós mulheres somos muito mais fortes do que imaginamos. Por isso, é nosso papel exaltar mais uma vez a beleza dessa luta que hoje, é de todos nós” comenta Mariuche Ismerin, gerente de marketing do Shopping Taboão.

Para doar basta comparecer no empreendimento e visitar o salão de beleza montado na praça da entrada principal, das 14 às 20 horas.

SGT-0053-19-G-Outubro-Rosa-Banner-Site-Desktop-952x640px.jpg

Shopping Taboão – Corte Solidário
Período: 21 a 25 de outubro
Horário: das 14h às 20h
Local: Praça da entrada principal
Endereço: Rodovia Régis Bittencourt, 2643 – Taboão da Serra

Informações: Shopping Taboão ou pelo telefone (11) 2699-4000.
Evento Gratuito

Outubro Rosa: alimentação tem papel importante na prevenção do câncer de mama

A nutricionista clínica, Marinna Reis, explica a importância de uma alimentação balanceada na prevenção da doença e explica porque alguns alimentos devem ser evitados

No decorrer deste mês é colocada em foco a campanha “Outubro Rosa”, dedicada à conscientização e combate ao câncer de mama. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), no Brasil, as estimativas de incidência de câncer de mama para o ano de 2019 são de 59.700 casos novos, o que representa 29,5% dos cânceres em mulheres. Em 2016, ocorreram 16.069 mortes de mulheres por câncer de mama no país.

O câncer de mama é uma doença multifatorial — a herança genética é apenas um dos elementos que contribuem para o seu aparecimento (entre 5 % a 10% dos casos segundo o BioMed Research International). Fora este fator, a doença tem mais relação com hábitos de vida, como o sedentarismo, alimentação cheia de ultraprocessados e consumo de álcool.

Hábitos saudáveis, principalmente na alimentação, possuem um papel de extrema importância para a prevenção da doença, é o que explica a nutricionista clínica Marinna Reis: “A literatura reconhece que os fatores dietéticos representam cerca de 30% das causas de câncer, sendo somente superados pelo tabaco, como fator de risco prevenível. Hábitos alimentares nos quais há o consumo exagerado e frequente de gorduras saturadas e trans, carnes gordurosas, alimentos embutidos e/ou defumados e ultraprocessados, oferecem um grande risco”.

Segundo Marinna, estudos recentes também mostram evidências relacionando nutrição e sobrevida após diagnóstico de câncer de mama, que enfatizam os efeitos benéficos dos fitoquímicos presentes na dieta, por meio das atividades antioxidantes e na diminuição do risco de progressão deste tipo de câncer. Portanto, alimentos que apresentem esses compostos são antioxidantes e anti-inflamatórios , tornando-se benéficos na prevenção e tratamento da doença.

Alimentação e Prevenção

Alguns alimentos, merecem destaque na prevenção de patologias como o câncer de mama. Sendo eles fonte de ácidos graxos poli-insaturado (ômega 3 e linoléico conjugado), vitaminas A, C, E, assim como folato e selênio, e alguns fitoquímicos. Dietas baseadas no consumo de frutas, vegetais, grãos integrais e outras plantas parecem atuar na prevenção e controle, minimizando o impacto do acometimento por esta patologia. Ainda no âmbito da prevenção, especiarias como pimenta e gengibre também têm sua importância. Saiba quais outros alimentos têm seus benefícios na prevenção da doença;

Imunidade:

leite_inhame
inhame,

acafrao condimento especiaria pixabay
açafrão,

sal de ervas
ervas,

beneficios-do-cha-de-carqueja_35728_l
chás.

Prevenção:

ginger gengibre
gengibre,

pimenta
pimenta.

Evitar:

carne-campcarne
carne vermelha,

farinha tapioca flickr
Flickr

farinha branca,

xylitol açucar pixabay
açúcar,

carne vermelha embutidos salame linguiça
Pixabay

embutidos,

crackers biscoito bolacha agua e sal
industrializados.

A cura e novos hábitos

Para o tratamento do câncer de mama é indispensável um acompanhamento multiprofissional, no qual a equipe médica oncológica interage com os demais profissionais da saúde envolvidos para que o paciente tenha um bom prognóstico.Aos pacientes que passaram por todos os devidos tratamentos, a nutricionista reforça a importância de uma nova postura diante os hábitos alimentares.

bacon

“É importante diminuir a quantidade de gordura em suas refeições, substituindo frituras por alimentos assados ou fervidos e o leite integral pelo desnatado. Reduzir a ingestão de carne vermelha (bovina, de porco e de cordeiro) a no máximo 3 ou 4 refeições por semana. Evite usar muito sal e consumir itens defumados (por exemplo, bacon, salsicha e frios) e em conserva, bem como alimentos ultraprocessados, pois possuem substâncias que podem fazer mal para o organismo. Além disso, o álcool é um conhecido fator de risco para o desenvolvimento de câncer, portanto, tente evitar” finaliza.

marinna reis.jpg

Fonte: Marinna Reis é nutricionista formada pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Pós-Graduada em Nutrição Hospitalar – Instituto Israelita de Pesquisa Albert Einstein, Pós-Graduada em Nutrição Esportiva Funcional, Pós-Graduada em Nutrição Esportiva Credenciada pelo método Nutricoaching. Atualmente é membro da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral e membro júnior da Sociedade Europeia de Nutrição Clínica e Metabolismo (ESPEN).

Ação solidária oferece mamografia gratuita em São Paulo

Campanha, promovida pela ONG Américas Amigas, vai beneficiar mulheres em situação de vulnerabilidade

O câncer de mama é o segundo de maior incidência no mundo. Só no Brasil, são cerca de 60 mil novos casos por ano, com a morte de ao menos 17 mil pessoas no mesmo período de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca). Porém, se diagnosticado nos estágios iniciais, a enfermidade tem chance de cura de até 95%. Para aumentar a visibilidade e o alcance de informações sobre a prevenção e o tratamento do câncer de mama, surgiu o “Outubro Rosa”, iniciativa internacional que mobiliza a sociedade em prol da saúde da mulher.

Pensando nisso, a ONG Américas Amigas promove na cidade de São Paulo a campanha “Mulheres Amigas no Outubro Rosa”. A ação, realizada por meio de uma carreta que percorre diversas regiões da capital paulista, leva exames gratuitos de mamografia a mulheres em situação de vulnerabilidade. “O objetivo dessa campanha é ajudar as mulheres a realizarem o exame de mamografia e, assim, terem acesso ao diagnóstico precoce do câncer de mama”, destaca Andréa da Veiga Pereira, presidente da ONG.

A campanha conta com o apoio de grandes empresas do segmento da saúde, entre elas o laboratório DB Patologia, que faz parte do grupo Diagnósticos do Brasil, maior laboratório exclusivo de apoio no Brasil. “O hábito do autoexame e da realização de mamografias é de extrema importância para a prevenção do câncer de mama. Com a ação ‘Mulheres Amigas no Outubro Rosa’, o Grupo Diagnósticos do Brasil pretende aumentar, ainda mais, o foco de atuação no Outubro Rosa, ação que, anualmente, ajuda salvar a vida de muitas brasileiras”, conta Douglas Oliveira, gerente de produto do DB Patologia.

mamografia-com-contraste

A campanha Mulheres Amigas no Outubro Rosa espera atender ao menos 2 mil mulheres até o final do mês de outubro. O agendamento de horário para os exames deve ser feito por meio do site Américas Amigas. As mulheres selecionadas receberão uma confirmação via e-mail e telefone com o local e o horário da consulta. O laudo ficará pronto no mesmo dia e, caso seja detectada alguma anomalia, a mulher será encaminhada a um especialista para novos exames, que também serão gratuitos.

Outubro Rosa: Santa Casa de Mauá realiza mamografias a preços populares

Tradicionalmente, a campanha Outubro Rosa visa a conscientização das mulheres sobre a importância de realizar exames periódicos para a detecção do câncer de mama, doença que mais acomete o público feminino no País. Neste ano, o INCA – Instituto Nacional de Câncer estima cerca de 59,7 mil novos casos.

Para estimular as mulheres a fazerem o exame de mamografia e oferecer um atendimento de qualidade, a Santa Casa de Mauá realizará, até o dia 31 de outubro, o procedimento a preços populares com descontos de até 20%.

A mamografia é um exame não invasivo que captura imagens do seio feminino com o mamógrafo, e consegue detectar tumores malignos na mama. Quando diagnosticado em fase inicial, as possibilidades de êxito no tratamento chegam a 95%.

O câncer de mama é um tumor maligno, consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente. Existem diversos tipos e subtipos de câncer de mama. No geral, o diagnóstico leva em conta se o tumor é ou não invasivo, seu tipo histológico, avaliação imunoistoquímica e sua extensão.

mamografia-1
O sintoma mais comum é o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular, mas há tumores que são de consistência branda, globosos e bem definidos. Outros sinais são edema cutâneo, retração cutânea, dor, inversão do mamilo, hiperemia, descamação ou ulceração do mamilo e secreção papilar. O tratamento envolve cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e tratamento com anticorpos.

Mais informações ou agendamentos de consultas e exames, por meio do telefone (11) 2198-8300.

Outubro Rosa: alimentação x câncer de mama

Escolhas alimentares podem aumentar risco de desenvolvimento da doença

Há anos o mês de outubro é marcado pela campanha nacional de prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que em 2018 foram diagnosticados 59.700 novos casos da doença, sendo que 30% poderiam ser prevenidos com alimentação balanceada, atividade física, eliminação do consumo de bebidas alcoólicas e outros hábitos ligados a um estilo de vida saudável.

Para ajudar a esclarecer como as escolhas alimentares atuam na prevenção do câncer de mama, Jéssica Santos, nutricionista da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, responde abaixo dúvidas sobre o assunto:

A carne vermelha em excesso aumenta a chance de desenvolver o câncer de mama?

churrasco-kebab-carne

Sim, diferentes estudos realizados por instituições como Universidade de Harvard e Universidade de Leeds, da Inglaterra, apontam que o consumo excessivo de carne vermelha pode facilitar o desenvolvimento do câncer de mama. “Para quem deseja tirar o alimento do cardápio, sem perder o sabor e demais valores nutricionais, pode procurar por substitutos da carne à base de vegetais, como os feitos de proteína da ervilha ou de soja”, sugere.

Quais alimentos podem reduzir o risco da doença?

leguminosas

Ao adotar uma alimentação balanceada e rica em alimentos in natura como frutas, legumes, vegetais e cereais integrais, menor serão as chances de células cancerígenas se desenvolverem. Isso porque fibras alimentares e antioxidantes, encontrados em frutas, leguminosas e cereais, atuam diretamente na eliminação de toxinas do organismo que podem desencadear tumores.

A obesidade é um fator de risco?

obesidade
Foto: Xenia/Morguefile

Sim, por estar associada a péssimos hábitos alimentares a obesidade também representa outro fator de risco do câncer de mama. Além de estar relacionada com diabetes e hipertensão que podem dificultar o tratamento do câncer.

Consumo de bebidas alcoólicas também aumenta o risco do surgimento do câncer de mama?

mesa comida festa brinde

Sim, bebidas alcoólicas em geral quando consumidas regularmente podem ajudar no desenvolvimento de células cancerígenas.

“De uma forma geral, a longo prazo, uma alimentação saudável e pobre em gorduras saturadas, açúcar e alimentos ultraprocessados, além de ajudar a prevenir o câncer de mama, também contribui para reduzir agressividade da doença quando afeta a paciente”, argumenta.

Sugestão de produtos

Substitutos da carne à base de vegetais Superbom

Superbom-para-press-manager

A Superbom possui uma linha de proteínas 100% plant-based feitas a partir da proteína da ervilha, sem nenhum insumo de origem animal como a carne vermelha, associada ao desenvolvimento do câncer de mama.

Fonte: Superbom