Arquivo da categoria: cultura

Ano sabático aos 50 pode ajudar a encontrar novos rumos, mas é preciso planejamento

Muitos sonham em tirar um ano sabático para refletirem, desacelerarem, aprenderem e voltarem revigorados e fortes, para continuar ou dar uma grande virada na vida. O comum é passar esse período, que não precisa ser necessariamente de um ano, em outro país ou cidade, mas isso não é algo obrigatório. O importante é mesmo dar um tempo.

O termo sabático tem origem na palavra hebraica shabat que significa repousar. Na antiguidade, de sete em sete anos, celebrava-se o ano sabático, um período de repouso para as pessoas e para a terra, durante o qual não se podia semear nem colher. No ano sabático ocorria o perdão das dívidas. A intenção era que as pessoas não ficassem pobres. Além disso, também significava a libertação de quem trabalhasse como escravo para pagar seus débitos.

“Um ano sabático é o plano de muitas pessoas que almejam ter um período para o autoconhecimento, um momento para o desafio de lidar com o novo, desfrutar e desconstruir modelos mentais que muitas vezes só pesam, porém não agregam”, afirma a psicóloga clínica Sirlene Ferreira. “A pessoa sente a necessidade de se permitir um momento de introspecção, de elaborar algo, ter contato com novas culturas, com pessoas e lugares desconhecidos”, completa.

Para a psicóloga, as pessoas voltam, sim, modificadas e empolgadas com a experiência, e que vale a pena passar por ela: “Pode ser um excelente momento para simplesmente recarregar as energias, ou até mesmo pensar em novos projetos. Porém, o ano sabático requer elaboração, planejamento, disposição e baixa expectativa”, conclui.

E, a cada dia, mais pessoas que estão chegando aos 50 resolvem dar este repouso, seja na vida profissional ou pessoal. Confira alguns depoimentos:

Causa animal

silvana no canadá 5.jpgsilvana no canadá.jpg

Silvana Andrade, 55 anos, mora em São Paulo, fundadora e presidente da Anda (Agência de Notícias de Direitos Animais), divorciada, sem filhos, São Paulo: “O período que tirei não foi programado, ele ocorreu por conta da morte da minha cachorrinha, Nina, que inspirou a criação da Anda. Aliás, ela mudou minha vida em 180º, pois me tornei ativista e vegana por ela. Então, quando Nina morreu senti uma tristeza profunda e percebi que precisava fazer algo. Três semanas depois, comprei um intercambio, havia completado 50 anos em fevereiro e, em março, deixei o site aos cuidados de outras pessoas e fui para o Canadá para aprender inglês. Para isso, vendi carro e alguns bens para me sustentar por lá, o curso já estava pago. Minha intenção era fazer coisas diferentes para quebrar a dor que sentia. Mudou minha vida completamente, após vivenciar tudo o que passei. Fiquei mais tempo do que imaginava, ia para passar seis meses e fiquei três anos, só voltava em dezembro para cá, passava os meses que lá são mais frios aqui e depois voltava. Continuei na direção do site, mas em um ritmo bem menor, poucas horas por dia. Descansei, mas continuei o ativismo pelos animais. Hoje sou uma cidadã do mundo, tenho amigos em todos os lugares, fiz palestras lá e nos EUA, e essa mudança ampliou muito minhas perspectivas e meu trabalho dentro da causa animal. Eu me sinto renovada e muito jovem aos 55 anos, acho que é muito importante, em algum momento da vida, parar, refletir e ver o que se pode mudar, é recompensador. Resolvi fazer o intercambio aos 50 e foi fabuloso, do ponto de vista emocional, me fortaleci. Você também conhece e vivencia outras culturas e volta melhor. Tirando questões muito particulares, de forma geral, sou melhor e mais feliz por ter vivenciado esse período fora do país”.

Uma nova missão

MARCIA OLANDIM 2MARCIA OLANDIM 1

Márcia Olandim Spinola, 54 anos, mora em Belo Horizonte (MG), foi professora e hoje é missionária MPC (Mocidade para Cristo), divorciada, três filhos: “Sempre gostei de fazer coisas diferentes, e passava por um divórcio conturbado, daí resolvi dar uma parada, li sobre ano sabático em um site e achei interessante. Tinha 48 anos quando fui e fiz 49 lá. Queria fazer algo novo, descansar e começar outro ciclo. Eu me preparei primeiro lendo e estudando, tinha um emprego muito bom, era coordenadora em uma escola e tinha três filhos adultos. Pedi demissão e me preparei financeiramente. O dinheiro teria de dar pra viagem e para manter a casa aqui. Emocionalmente, me preparei também para ficar longe, mas tenho um jeito meio livre e tranquilo. Sou extrovertida, corajosa, esta parte foi fácil. Fui para Naples, na Flórida, Estados Unidos. Pesquisei sobre a cidade, cultura e tal. Conhecia os EUA como turista e havia um casal conhecido que me recebeu com muito carinho. Minha intenção era sair do país, fazer algo novo, conhecer gente e ter um tempo livre para servir as pessoas. Você tem de ir com o coração aberto e curtir. Trabalhei em uma revista de negócios que seria publicada no Brasil colaborando nos textos; fui organizer na casa de uma acumuladora; morei na casa de uma colombiana e estudei inglês em um college. Mudou tudo na minha vida, tomei gosto de servir as pessoas. Voltei e fui trabalhar em uma escola, mas pedi demissão depois de uns meses e me tornei missionária. Falo do amor de Deus por meio de Jesus. Faço capelania escolar, servimos professores, alunos, famílias. Levo projetos sociais, aconselhamento, conto histórias com valores para crianças. Valeu muito à pena, tenho vontade de fazer de novo. Aconselho, mas precisa pesquisar, não tomar decisão na emoção, e se planejar, pois você fica longe da família, da zona de conforto. Esse período mudou toda minha perspectiva de vida, e de pessoas próximas a mim, meu filho mais novo foi para lá com 20 anos me visitar, e não voltou. Já os outros dois ficaram mais independentes. A Bíblia diz para ampliar suas tendas, olhar mais longe. Não penso na minha idade, vejo jovens sem ânimo, com medo de viver, com a cabeça tão engessada. Parecem ter mais de 100 anos. Minha cabeça é muito jovem, mas gosto da maturidade porque coisas que me faziam sofrer aos 30, não me atingem mais. Curto de forma vibrante, sei quem sou e qual meu propósito na Terra, convivo bem com o envelhecer, estou bem comigo, cheia de vigor e faço planos como se tivesse 20 anos”.

Ser e não só fazer

DENISE NA ISLANDIA DE BIKEDENISE EM LONDRES

Denise Alves, 52 anos, mora em São Paulo, Engenheira Química de formação, atuou como executiva em marketing, inovação e sustentabilidade por mais de 20 anos, casada, sem filhos: “Saí da Universidade e fui direto trabalhar, primeiro na Unilever (7 anos) e, depois, na Natura (14 anos). Achei que já tinha vivido dentro das paredes e das salas de reuniões por muito tempo. Precisava respirar outros ares, transitar em novos ambientes, ter um tempo livre para pensar na vida, desenvolver outras habilidades. Acredito que para nos desenvolvermos temos que nos colocar em posições diferentes, de desconforto, e o sabático pode possibilitar isso. Tinha 48 anos na época e a proximidade dos 50 pesou por um lado. Tive dúvidas do tipo: será que ao voltar vou ter meu emprego ainda ou será que vou me adaptar novamente ao mundo executivo? Por outro lado, meus anos de estrada me possibilitaram ter uma boa reserva financeira. O fato de não ter filhos também ajudou. Meu chefe na época é o atual presidente da Natura. Quando da minha avaliação de desempenho, no começo de 2014, conversamos, coloquei meu desejo de fazer um sabático no ano seguinte, combinamos quais deveriam ser minhas entregas até lá e acordamos os prazos. A Natura já tinha uma política permitindo o período sabático, de no máximo dois anos, e vários funcionários já haviam saído. Portanto, não era um “big deal”. Financeiramente, foram minhas economias que me permitiram sair tranquila. Fiz todos os cálculos de quanto gastaria em dois anos. Mas, entramos em uma supercrise em 2015 e a desvalorização do real foi tremenda, quase furou todos os meus planos. A intenção, primeiramente, era fazer um mestrado. Cheguei a ser aprovada, mas na hora de pagar a primeira anuidade da escola, a libra estava mais de 6 reais. Havia saído no pior período possível, no começo de 2015, quando o real começou a desvalorizar. Daí, achei que não valia a pena. Fui com minha esposa para Londres, morei lá um ano, estudei inglês, depois viajei pela Europa. Compramos duas bicicletas dobráveis e por todas as cidades andávamos só de bike. Fomos aos países escandinavos, depois um mês na Islândia, de lá para o sul da França, onde aluguei uma casa por um mês e percorremos a região de carro. Sabático é para ser e não só fazer. Na volta, mudou tudo na minha vida, saí da Natura e montei minha própria consultoria. Fui Diretora de Sustentabilidade da Natura por 4 anos e esta bagagem me permitiu montar a GOM, minha própria consultoria em sustentabilidade, juntamente com a Touch Branding e a Touch Green, uma extensão da Touch Branding, especializada em posicionar marcas de um ponto de vista social e/ou ambiental. Valeu muito à pena. Acho que é superimportante dar “rebooting na máquina” de tempos em tempos. Quem tem mais de 50, hoje em dia, passou por tantas mudanças que hoje está superescolado (não confundir com descolado). Quando entrei na Unilever, como trainee em 1993, havia só um microcomputador para todos os trainees. Não tinha mail! Não havia internet, nem Google, nem celular. Dependendo de quando a pessoa nasceu, nem consegue imaginar um mundo assim. O ideal era ser engenheiro, médico ou advogado. O sonho dos pais era que entrássemos no Banco do Brasil, na Petrobrás ou em algum emprego público. Imagine o quanto minha geração já teve que se adaptar nestes últimos 26 anos e como estamos escolados. Esperei na fila do orelhão para ligar para a mãe, hoje é só pegar o celular. Viajava reservando hotel em Budapeste, por telefone, sem saber ao certo o que ia encontrar lá. Hoje, é só entrar no Booking, no Airbnb, pronto, tudo resolvido. Nós, os cinquentões, tivemos o privilégio de ter vivido e estarmos vivendo todas essas mudanças. Para mim, é um privilégio. A mudança me faz correr atrás, me faz ficar esperta, me faz crescer. Por outro lado, nem todo mundo gosta de tanta mudança e quem não for se atualizando ou já perdeu ou vai perder o bonde em breve, porque a tecnologia está promovendo mudanças exponenciais, em todos os aspectos da nossa vida. As relações estão mudando, o trabalho está mudando, os valores estão mudando, enfim tudo. E a uma velocidade surreal. Mas também como temos referências, pra gente algumas coisas são bem chatas! Só para deixar claro que não é tudo cor de rosa, achava mais legal o tempo que íamos aos museus e não tinha fila para tirar self ao lado da obra de arte. Que não tinha nenhum ‘mané’ atendendo o celular no meio do filme! E outras coisinhas aqui ou ali. Mas isso é tão pequeno comparado à quantidade de coisas legais que existem hoje. Em suma, ter 50 é muito bom, se você tem consciência de tudo isso”.

Carnaval gastronômico: guia para saborear delícias brasileiras

Carnaval é época de folia, de felicidade e muita viagem. Uma boa forma de descobrir um pouco mais da cultura do local é se deliciando com os pratos típicos. Roberta Saldanha, autora do livro Culinária brasileira, muito prazer (ed. Alaúde), preparou um guia de cinco destinos brasileiros e os pratos típicos para conhecer ainda mais o seu destino. Confira:

Salvador-BA

acaraje tastemade

Acarajé: bolinho de feijão-fradinho frito no azeite de dendê, servido com camarão seco, cebola e molho ardente de pimenta. Típico da culinária baiana, o famoso bolinho foi tombado pela Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 2004.O ofício das baianas do acarajé também foi reconhecido e regulamentado como profissão.

bebidas drinques
foto: Bebidas e Drinks

Capeta: bebida que mistura mel, guaraná em pó, limão-Taiti espremido e uma dose de bebida alcoólica (gim, rum, uísque, cachaça, conhaque ou tequila).

Rio de Janeiro-RJ

bolinho_bacalhau

Bolinho de bacalhau: herança portuguesa, iguaria apreciadíssima nos botecos cariocas, a massa que leva batata e bacalhau dessalgado desfiado é moldada na forma de pequenas bolinhas, fritas em óleo bem quente.

bombeirinho cocktail para todos
Foto: Cocktail Para Todos

Bombeirinho: drinque de botecos dos anos 1980, é uma mistura de cachaça com xarope de groselha.

Recife – PE

chegadinho veja sp
Foto: VejaSP

Chegadinho: biscoito de massa crocante, feito de farinha, açúcar e água em forma de canudo ou de cone, que leva nomes como cavaco chinês, biju, taboca, cascalho ou cavaquinho. Seco e quebradiço, o biscoito é comercializado por ambulantes, que anunciam a iguaria tocando triângulo pelas ruas.

capile comidas caseiras
Foto: Comidas Caseiras

Capilé: refresco de verão, feito com um pouco de vinho tinto, água e muito açúcar.

São Paulo – SP

bolovo godelicias
Foto: Gordelícias

Bolovo: bolinho frito de ovo cozido e carne moída, empanado com farinha de rosca, é tradição nos botecos da cidade paulista.

catuaba ibahia
Foto: Ibahia

Catuaba: destilado feito à base da planta que promete efeito afrodisíaco. Pode ser consumido quente ou gelado.

Fortaleza – CE

maxixada helena peixoto ed globo
Foto: Helena Peixoto/Editora Globo

Maxixada: prato que leva cebola, coentro e maxixe: leguminosa verde, redonda e de sabor suave, é ingrediente tradicional do Nordeste brasileiro, onde é largamente consumido em refogados e cozidos. O prato sofre variações em alguns estados nordestinos. No Ceará, é feito com carne seca.

aluás o mel e pimenta
Foto: Mel e Pimenta

Aluá: também chamado de aruá, tem origem indígena e é preparo com milho ou casca de abacaxi, água, raiz de gengibre (esmagada ou ralada) e açúcar. A mistura é posta para fermentar em pode de barro por no mínimo três dias. No Ceará é comumente preparada com farinha de milho e água.

Ouro Preto – MG

file a jk div

Filé à JK: filé mignon à milanesa, recheado com queijo e presunto, acompanhado de arroz com ervilhas e ovos, batata e banana fritas. Reza a lenda que o prato foi criado pelo ex-presidente Juscelino Kubitschek em uma de suas inúmeras visitas a Minas Gerais.

pinga RODRIGO BARK getty
Foto: Rodrigo Bark/Getty Images

Pinga: bebida feita a partir da garapa, do caldo de cana fermentado. Recebe as mais variadas denominações, dependendo da região em que é consumida. As pingas artesanais da região de Salinas, em Minas Gerais, representam a excelência da bebida.

Japan House apresenta a mostra Architecture for Dogs: Arquitetura para cães

O centro cultural recebe peças assinadas por 15 renomados arquitetos e designers que criaram projetos arquitetônicos usando cães como inspiração em exposição com curadoria de Kenya Hara

De 19 de janeiro a 7 de abril de 2019, a Japan House São Paulo apresenta um novo viés da arquitetura e do design na exposição Architecture for Dogs: Arquitetura para cães com curadoria do designer japonês Kenya Hara e organização da Imprint Venture Lab, empresa americana de investimento e consultoria. A mostra apresenta, por meio do trabalho de renomados profissionais das áreas, irreverentes e conceituais casas de cachorros em um pioneiro exercício de escala que leva em conta as atuais relações da sociedade com esses bichos de estimação. Com passagens pelos Estados Unidos, Japão e China, esta é a primeira exibição no Brasil e inclui projeto inédito feito por um escritório brasileiro, a convite da Japan House São Paulo (JHSP).

projeto niku rug por ma yansong
Projeto Niku Rug por Ma Yansong – Crédito Hiroshi Yoda

Architecture for Dogs: Arquitetura para cães explora uma maneira original de pensar a arquitetura, por meio de casas de estética apurada para cães das mais diversas raças. Desenvolvidos por arquitetos e designers de diferentes partes do mundo, as 15 casas – que poderão ser vistas na mostra juntamente com diversos estudos – são inspiradas em especificidades de diferentes raças e assinadas por nomes como Kenya Hara, Kazuyo Sejima, Sou Fujimoto, Kengo Kuma, entre outros. Um projeto importante dentro da iniciativa é “O Casulo” (The Cocoon), trabalho inédito do escritório brasileiro FGMF Arquitetos que, a partir desta mostra em São Paulo, integrará o circuito Architecture for Dogs representando o Brasil. O FGMF é parceiro do arquiteto Kengo Kuma no projeto arquitetônico da Japan House São Paulo.

Ocupando todo o centro cultural, os projetos com as mais variadas formas, materiais e técnicas de construção retratam a inspiração e os desafios de se pensar propostas em uma nova escala, além de retratar a relação de afeto e a importância cada vez maior desses animais na vida contemporânea, o que representa inclusive mudanças de hábitos da sociedade.

A Japan House São Paulo deixará três desses projetos na área externa do piso térreo à disposição para experimentação por cachorros: Mount Pug (Kengo Kuma), Architecture for Long-bodied-short-legged Dog (Yoshiharu Tsukamoto e Momoyo Kajiima) e Beagle House (MVRDV). Como regra já estabelecida, é proibida a entrada de qualquer animal de estimação na área interna da Japan House São Paulo.

projeto wanmock por torafu architects
Projeto Wanmock por Torafu Architects – Crédito Hiroshi Yoda

A exposição apresenta também um banco de dados online que permite aos usuários o acesso a diagramas, imagens e vídeos das peças expostas para que sejam reproduzidas. Esta iniciativa torna acessível os projetos desses profissionais de reconhecimento internacional. A plataforma permite também que pessoas de todo o mundo compartilhem suas próprias propostas para o tema por meio do site e Instagram.

Sobre esta mostra, Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da Japan House São Paulo, declara: “é uma forma inusitada de mostrar a capacidade criativa de grandes arquitetos, que são desafiados a pensar em uma escala totalmente nova – e a partir de premissas incomuns dentro de seu dia a dia de trabalho – fazendo com que uma mostra conceitual de design seja percebida pelo público de forma divertida e acessível”.

Como complemento da proposta de Architecture for Dogs: Arquitetura para cães, no dia 19 de janeiro, às 15 horas, a Japan House São Paulo realiza uma palestra especial com o designer Kenya Hara, que comentará sobre como surgiu a ideia desta exposição, seu desenvolvimento, principais conceitos, além de trazer um panorama sobre as novas relações da arquitetura.

projeto mount pug por kengo kuma
Projeto Mount Pug por Kengo Kuma – Crédito Hiroshi Yoda

A palestra contará ainda com a participação de Julia Huang, da Imprint Venture Lab, empresa que organizou a iniciativa Architecture for Dogs. O evento é aberto e gratuito e os interessados devem retirar senhas na recepção da casa uma hora antes da atividade. A apresentação será em japonês e contará com tradução simultânea para o português.

Projetos apresentados: *Cães em ordem alfabética
Mvrdv | Beagle (Holanda)
Kazuyo Sejima | Bichon Frise (Japão)
Sou Fujimoto | Boston Terrier (Japão)
Reiser + Umemoto | Chihuahua (Eua E Japão)
Atelier Bow-Wow |Dachshund De Pelo Longo (Japão)
Torafu Architects | Jack Russell Terrier (Japão)
Ma Yansong | Labrador Retriever (China)
Shigeru Ban | Papillon (Japão)
Kengo Kuma | Pug (Japão)
Toyo Ito | Shiba (Japão)
Hiroshi Naito | Spitz (Japão)
Konstantin Grcic | Poodle Toy (Alemanha)
Fgmf | Yorkshire Terrier (Brasil)
Hara Design Institute – Haruka Misawa | Terrier Japonês (Japão)
Kenya Hara | Poodle Teacup (Japão)

Palestra com Kenya Hara e Julia Huang
Quando: 19 de janeiro, às 15h
Local: Japan House São Paulo – Avenida Paulista, 52
Entrada gratuita
Senhas disponíveis uma hora antes da palestra devem ser retiradas na recepção.
Tradução simultânea

Architecture for Dogs: Arquitetura para cães
Japan House São Paulo
Endereço: Avenida Paulista, 52
De 19 de janeiro a 7 de abril de 2019
Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h
Entrada gratuita
Proibida a entrada de animais de estimação

Feira Buona Cucina valoriza cultura gastronômica italiana em São Paulo

O evento será realizado nos dias 8 e 9 de dezembro, sábado e domingo, e contará com pequenos produtores artesanais influenciados pela cultura gastronômica italiana, praça de alimentação e produtos importados e com entrada franca

O Istituto Italiano di Cultura di San Paolo e Grupo FSN têm o prazer de convidar para a segunda edição da Feira Buona Cucina, nos dias 08 e 09 de dezembro, na sede do Istituto – um charmoso casarão de 1922, localizado em Higienópolis.

Após o êxito da primeira edição, serão reunidos, novamente, cerca de 50 expositores, entre eles produtores gastronômicos brasileiros influenciados pela cultura italiana, alimentos e bebidas importados da Itália e restaurantes de tradição italiana da cidade que servirão suas consagradas receitas para nossos visitantes

A ideia é promover ainda mais a Cultura Gastronômica Italiana, por meio de suas tradições de produção artesanal transplantadas ao Brasil. A feira associa a imagem da Itália às tradições da alimentação genuína e sustentável, e se inspira nas excelências italianas como o movimento slow food e a agricultura orgânica.

O objetivo do evento é mostrar a influência da autêntica gastronomia italiana na produção artesanal nacional, histórias por trás das receitas, a tradição e a troca de conhecimentos.

A Buona Cucina marca presença no calendário dos principais eventos gastronômicos da cidade e faz a ponte cultural de sabores, trazendo um pouco mais desta rica cultura.

O evento tem entrada gratuita e contará com a presença dos seguintes expositores

=Abra a Boca e Feche os Olhos: biscoitos com receitas tradicionais vindas da Toscana
=Aguzzo Trattoria: massas, molhos e sobremesas com receitas típicas italianas prontas pra serem preparadas em casa
=A. Mar: projeto de pesca artesanal e valorização de comunidades pesqueiras, resgata técnicas milenares dos antigos romanos
=Cannoleria Brasil: cannoli com receita tradicional italiana
=Azeite Borrielo: azeite extravirgem e extra fresco feitos em Minas Gerais seguindo a tradição italiana de família
=A Italianinha: padaria fundada em 1896 no Bixiga e que faz histórias com seus pães de linguiça, doces e antepastos
=Casa Bonometti: biscoitos finos, pães e focacce
=Café Campo Místico: café arábico de montanha produzido no sul de MG
=Cancian Artesanal: embutidos que seguem as técnicas de preparo e receitas da família de imigrantes italianos que se instalaram na cidade de Tietê, interior de SP
=Cannelle Design: objetos criados pela paixão no design e por todo processo de criação, utilizam materiais naturais e construção artesanal nas suas criações
=Desenrolha: bike que servirá taças de vinhos italianos
=Deliciss: embutidos variados feitos em São Paulo, com toda a tradição italiana

do terra
=Do Terra: óleos essenciais naturais utilizados na gastronomia com aromas como o limão siciliano
=Estúdio Avelós: panos de pratos, jogos americanos, toalhas e cestarias com a cara da cozinha da mamma
=Empório Chiapetta: tradicional empório existente desde 1908 em São Paulo, hoje no Mercado Municipal, apresenta sua linha própria de produtos italianos
=Fazenda Atalaia: queijos fabricados em Amparo – SP, que seguem receitas italianas
Favo: alternativa ecológica aos plásticos de cozinha, reutilizável e 100% natural
=Feito a Pão: padaria artesanal especializada em pães de fermentação natural
Frentano: molhos de tomates e antepastos feitos artesanalmente
=Funghi Caruso: família italiana há mais de 100 anos no Brasil e que produz funghi utilizando técnicas sustentáveis em toda a sua cadeia de produção

giardino
=Giardino: empório localizado em Higienópolis que comercializa produtos italianos
=Jais Hand Made: conservas, geleias, manteigas temperadas, condimentos e defumados
=Il Cello Limoncello: o famoso licor de limão siciliano produzido aqui no Brasil, seguindo a receita dos bisavôs do italiano Giuliano
=Ivini Enoteca: vinhos das mais respeitadas vinícolas italianas, com carta selecionada para agradar os consumidores brasileiros
=La Bottega di Nino: molhos, antepastos e outras receitas feitas pelo calabrês Nino
=Le Botteghe di Leonardo: renomada gelateria fundada na Itália e conhecida por sua qualidade, tradição artesanal e ingredientes 100% naturais
=Laticínio Montezuma: queijos e derivados de leite de búfala produzidos seguindo tradição italiana
=Luisa Abram Chocolates: utilizam cacau selvagem da Amazônia na criação dos seus chocolates premiados internacionalmente
=Moscatel: doceria do Bixiga especializada em doces italianos como o tiramisu, panna cotta e palia italiana
=Negroni Ricetta 45: drinque com receita italiana produzido e engarrafado no Brasil
=Oficina Vovôio: brinquedos artesanais que trazem as memórias da infância, com releituras que fazem sucesso até hoje
=Pardinho Artesanal: queijos elaborados com leite cru e premiados internacionalmente
=Riccio Cucina: grissini e pães especiais
=Rima Queijos: produção artesanal de queijos de ovelhas feitos em Porto Feliz – SP
=Salud Chopp Bike: bike de chopp artesanal
=Sonheria Dulca: doceria fundada em São Paulo em 1951, de origem na cidade de Torino, e especializada em doces, bolos, tortas e panetones
=Tartuferia San Paolo: produtos à base de trufas feitos aqui em São Paulo
Troppo Artesanal: geleias, relishes, antepastos e molhos com receitas especiais

Restaurantes:

restaurantes

=Basilicata: aberta em 1914 no Bixiga como padaria, se transformou em um grande empório e restaurante comandado pelo chef Rafael Lorenti
=Da Moóca Pizza Shop: pizzas com receitas italianas e que despertam lembranças afetivas assinadas pelo chef Felipe Zanuto
=Friccò & Sauro D’Itália: restaurante aberto em 1997, do chef italiano Sauro, vai servir o famoso sanduíche de porchetta e focacce
=Spadaccino: restaurante aberto 1998 pelos irmãos Paula e Roberto Lazzarini em São Paulo, vai servir seu famoso arancini e massa com receita tradicional de Bologna
=Jardim de Napoli: cantina tradicional aberta na capital em 1949 pelo italiano Francesco Buonerba e que ficou famosa pelo seu polpettone
=Pescaria: o chef Pedro Pineda construiu sua formação na vivência da família e também no trabalho em restaurantes renomados na Itália. Na Buona Cucina vai servir misto com frutos do mar, risotto al polpo e panna cotta

Oficinas:

oficinas
Sábado – 8 de dezembro

Das 15h00 às 16h00 – Fusão Gastronômica Itália e Brasil
O uso de ingredientes tipicamente brasileiros em receitas clássicas italianas
Sid Dionello – chef e restaurateur
Público alvo: adultos

Domingo – 9 de dezembro

Das 14h00 às 16h00 – Massas e Cores
Oficina de produção de massas coloridas com pigmentos vegetais naturais
Oquecabeaqui?
Público alvo: crianças de 3 a 12 anos

*As oficinas serão gratuitas, com vagas limitadas e as inscrições serão feitas com os organizadores nos dias das atividades

buona cucina

Feira Buona Cucina
Datas: dias 8 e 9 de dezembro
Horário : das 10 às 16 horas
Local: Istituto Italiano di Cultura di San Paolo
Endereço: Av. Higienópolis, 436 – São Paulo
Entrada gratuita

 

Mais de 50 tipos de queijos invadem festival neste fim de semana em SP

Atenção, loucos por queijos: está chegando a hora. Nos dias 10 e 11 de novembro (sábado e domingo), será realizado o 1º Festival do Queijo Canastra de São Paulo junto com o 2º Festival de Bacon e Cerveja Artesanal. O local é o mais novo point da melhor gastronomia na Vila Mariana. Local coberto, seguro, com acesso a cadeirante, a poucos metros da estação Ana Rosa do metrô.

“Dizer que queijo é exclusividade de mineiro é coisa ultrapassada. Há algum tempo essa deliciosa iguaria rompeu fronteiras e tem conquistado cada vez mais fãs em todo o país. Em São Paulo vem se consolidando como uma verdadeira Paixão Paulistana e conquistado os paladares mais exigentes. O evento trará queijos campeões, de sabor inigualável e que não podem mais faltar na nossa culinária. É imperdível!”, destaca Elaine Vilela, sócia-proprietária do Espaço As Meninas Feiras e Eventos.

A estrela do Festival é o Queijo Canastra, um tipo brasileiro de origem e produção em Minas Gerais, na região da Serra da Canastra há mais de duzentos anos. Ele é primo distante do queijo de São Jorge, de Açores, Portugal, e foi trazido pelos imigrantes da época do Ciclo do Ouro.

Esse queijo minas artesanal foi reconhecido, há 10 anos, como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (Iphan). Ele é o sustento de mais de 30 mil famílias em mais de 600 municípios do Estado.

A grande produção de queijo mineiro – cerca de 220 mil toneladas ao ano – ajuda o Brasil a manter o posto de 6º maior produtor de queijo do mundo. Pouco mais da metade de todo o queijo consumido em solo nacional vem de Minas Gerais. Os frequentadores do festival terão a oportunidade de apreciar e adquirir variados tipos desta iguaria.

Cardápio irresistível

queijos

A variedade é grande e de dar água na boca. Estão confirmados queijos “in natura”, como os Canastra, Frei Rosário (maturado em caverna, grana pândano, brie, camembert, santo casamenteiro, azul de minas, queijo de cabra e recheado com requeijão); e os queijos Trem Bom de Minas, Bom da Fazenda e Vialat.

Haverá queijos artesanais, trufados (recheados, únicos do Brasil a ganhar medalha no Prêmio Queijo Brasil), Ouro Branco (queijos de cabra, camembert, mofo azul tipo roquefort), muçarela, requeijão tradicional e de corte, Edam, Gouda, temperados, coalho, meia cura, maturados com cachaça e maturados com cerveja. E mais: opções variadas com o saboroso ingrediente, como macarrão no queijo cremoso, cupcake de queijo canastra e bacon, e brigadeiro de queijo, entre outras.

Na parte de doces: bolos confeitados, bolos, tortas, canolli, brigadeiros gourmet (destaque para os de queijo e goiabada com queijo), churros assados, pão de mel, biscoitinhos, doces de minas, mini tortinhas, cheesecake, brownie, delícia de abacaxi, slice cake, bolo bombom, cupcake e raspadinha entre outros.

Bacon e Cerveja Artesanal

Essa dupla irresistível também marcará presença em paralelo ao 1º Festival do Queijo Canastra de São Paulo. Além das receitas campeãs com muito bacon, haverá novidades elaboradas exclusivamente para o evento. No cardápio: bolo especial de bacon com buttercream de queijo, pastéis de bacon com queijo, crispys de bacon com chocolate belga e brigadeiro de bacon, além de lanche de costela desfiada e de fraldinha desfiada, espeto de churrasco (carne, frango, queijo coalho, coração e medalhão com bacon), hambúrgueres com queijo canastra, lanche de pernil e linguiça, pasteis de sabores variados (incluindo o especial de queijo com bacon), croquete de costela, escondidinhos variados (incluindo de costela e de queijo canastra), batata rosti, batatas recheadas, porções (onion rings, batatas), massas e frango ao estilo americano, tortas salgadas, paella caipira, sanduíche buraco quente, espetinhos, crepes, fondues, waffles, coxinhas, tapas e pinxton. E tem mais: embutidos como presunto parma, salame, copa, panceta, lombo e linguiça, tudo artesanal com SIF e molho de pimenta.

Para acompanhar, os melhores rótulos de cervejas artesanais já estão garantidos: Chopp Nuremberg, o Beer Truck do Veloso, a Cervejaria Camilos, a Cervejaria Mundo (Villa Alemã e Providência), Cervejaria DNA e 607 Cervejaria Artesanal, além de vinhos, suco de uva, refrigerantes e água.

Entretenimento para todos os gostos

Para atender aos apaixonados por boas compras e quem já quiser antecipar as compras de fim de ano, haverá uma Feira de Variedades, com semijoias, acessórios, roupas, brinquedos, cosméticos, diversos itens de moda e decoração para casa. É possível também cuidar do lado esotérico com leitura de tarot.

Haverá sorteios de ingressos para a atração de maior adrenalina em SP, o Wind UP, simulador de paraquedismo indoor. Para animar, o som fica a cargo do consagrado DJ das noites paulistanas Dinho Garcia, com a melhor seleção de Rock dos Anos 80/90. É um programa de lazer completo para as famílias paulistanas. E tudo com entrada gratuita!

Responsabilidade Social

Mantendo a parceria de vários anos com o Centro de Convivência Início de Luz, que abriga uma creche, serão arrecadados alimentos não perecíveis para a entidade sem fins lucrativos, que cuida de mais de cem crianças carentes das regiões do Cambuci e centro da capital paulista.

Selo Paixões Paulistanas

O 1º Festival do Queijo Canastra de São Paulo e o 2º Festival de Bacon e Cerveja Artesanal do Espaço As Meninas têm a certificação dos eventos e ações idealizados sob medida para o gosto dos paulistanos. Para criar o selo e o calendário de eventos, os organizadores fizeram uma vasta pesquisa e identificaram os temas que mais atraem o público da cidade de São Paulo, terra de todos os gostos e sabores. Este selo está produzindo uma variedade de festivais inéditos que acontecem desde 2012 e continuarão ao longo de 2018.

44342849_2064215736964238_3945305324008767488_n

1º Festival do Queijo Canastra de São Paulo

39919967_1992635670788912_7824659406552825856_n
2º Festival de Bacon e Cerveja Artesanal
Data: 10 e 11 de Novembro (sábado e domingo)
Horário: das 12 às 19 horas
Endereço: Rua Joaquim Távora, 605, Vila Mariana – próximo ao metrô Ana Rosa. Local amplo, seguro e coberto.
Entrada Gratuita

Hoje e amanhã tem Fiesta Día de Muertos no Memorial da América Latina

De acordo com a tradição do México Antigo, no Dia dos Mortos os vivos se encontram com os mortos para celebrar a vida e a morte em um banquete de sabores, cores e música.

Este ano, a festa, considerada como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – para toda a família terá apresentações musicais típicas, feira de artesanato, exposição de altares, exibições e workshops de luta livre, palestras, exposição fotográfica sobre a celebração do Día de Muertos, intervenção artística em graffiti, concurso de fantasias (infantil, juvenil e adulto), Espaço Kids com monitores e atividades recreativas para o público a partir de três anos e Festival Gastronômico de Tacos. Tudo isso em um lugar de fácil acesso por transporte público (metrô/trem Barra Funda ao lado e pontos de ônibus pertinho), bike (ciclofaixa no canteiro central da Av. Auro Soares de Moura Andrade e bicicletário no portão 9) e carro (diversos estacionamentos pagos ao redor).

Exposição de altares

Durante a Fiesta, o público poderá conhecer os dois altares vencedores – um de cada categoria, ETEC e FATEC – do concurso organizado pelo Centro Paula Souza em parceria com o Consulado do México, envolvendo ETECs e FATECs do estado de São Paulo. Parte importante da cultura mexicana do Dia dos Mortos, os altares reúnem os elementos mais queridos daqueles que já partiram e este ano homenageiam o mexicano Rayo de Jalisco, ícone da luta livre, e a atriz Beatriz Segall, falecidos em julho e setembro deste ano, respectivamente. Haverá também um altar interativo chamado Espaço Comunidade, em que fotos enviadas pelo público com a #homenagemamimuerto poderão ser exibidas ao longo do final de semana como forma de honrar entes queridos já falecidos.

Artesanato

Cerca de 20 expositores expositores levarão à festa diversos produtos típicos como muñecas de Frida (bonecas de Frida Kahlo), caveiras decorativas, roupas e acessórios mexicanos, piñatas e outros objetos de decoração, e máscaras de lutadores. Dois postos farão maquiagem artísticas no público com a temática Día de Muertos.

Luta Livre

Haverá um ringue da Brazilian Wrestling Federation (BWF) para apresentações de luta livre e workshops para que o público interessado possa aprender os fundamentos básicos dessa modalidade. As atividades serão comandadas pelo lutador Bob Junior.

Concurso de Fantasias

Uma das mais aguardadas atrações do evento é o concurso de fantasias dividido em três categorias – infantil (3 a 12 anos), juvenil (13 a 17 anos) e adulto masculino e feminino (acima de 18 anos) – que acontecerá no domingo (28). Para participar é preciso se inscrever até 30 minutos antes do início do concurso (programação abaixo) apresentando um documento oficial e a fantasia deverá ter relação com o tema e com a cultura mexicana. Os vencedores receberão prêmios de acordo com suas categorias como ingressos para parques, teatro e cinema IMAX, brinquedos, jantar no Taco Tuesday, tequila e hospedagem em hotel.
Programação – Sábado, 27/10

Horário / Atração

13h – Migrante Calavera, grupo que apresenta música com variadas origens, sentimentos, loucura (palco Praça da Sombra)
Exibição da animação Viva – A vida é uma festa (CineTransformer)

14h – Danilo Dunas, cantor paulistano com fortes laços com a cultura mexicana (palco Praça da Sombra)
Palestra sobre a tradição de Día de Muertos com Victor Barrionuevo

15h – Mariachi Sol de América, grupo hispano-americano que coloca a música a serviço da felicidade (palco Praça da Sombra)

16h – Música mexicana com artistas convidados (palco Praça da Sombra)
Workshop de luta livre com Bob Júnior (ringue Praça da Sombra)

17h – Exibição de luta livre com a participação de Bob Júnior (ringue Praça da Sombra)
Palestra sobre Gastronomia Mexicana com Marsia Serrano, nutricionista e pesquisadora da faculdade de farmacobiologia da USP (CineTransformer)

18h – Triptico Caribe, banda formada por músicos colombianos que apresentam uma autêntica festa caribenha (palco Praça da Sombra)
Workshop de luta livre com Bob Júnior (ringue Praça da Sombra)

Programação Domingo, 28/10

12h – Migrante Calavera, grupo que apresenta música com variadas origens, sentimentos, loucura (palco Praça da Sombra)

13h – Apresentação musical a confirmar (palco Praça da Sombra)

14h – Concurso de fantasia – categoria infantil (palco Praça da Sombra)
Palestra sobre a tradição de Día de Muertos com Tom Almeida (CineTransformer)

15h – Concurso de fantasia – categoria juvenil (palco Praça da Sombra)

16h – Mariachi Sol de América, grupo hispano-americano que coloca a música a serviço da felicidade (palco Praça da Sombra)

17h – Concurso de fantasia – categoria adulto (palco Praça da Sombra)
Palestra sobre ingredientes tradicionais do México com Hugo Delgado, promotor da gastronomia mexicana no Brasil e fundador do Taco Tuesday Brasil

18h – Exibição de luta livre com a participação de Bob Júnior (ringue Praça da Sombra)
Palestra sobre a tradição de Día de Muertos com Victor Barrionuevo

19h – Workshop de luta livre com Bob Júnior (ringue Praça da Sombra)

Festival de Tacos recebe diversas iguarias latinas

tacos___shutterstock

Um dos quitutes mais famosos da gastronomia mexicana será estrela do festival gastronômico que acontece na festa de Dia dos Mortos. Nacho Libre, La Mexicana, Dedo de La Chica, La Buena Station, Mexicaníssimo e La Sabrosa, integrantes do Taco Tuesday Brasil, além de Mi Sabor Latino, Dos Taqueria, Mexicano Loko e as tequilas José Cuervo e El Jimador são os representantes do México. Completam as delícias latinas os bolivianos Flora Fernandes, La Cholita e Pollo Loko, e o colombiano Obleas Guaca.

E para quem quer curtir o evento, mas prefere outro tipo de culinária, vai encontrar pastel, yakissoba, tempurá, espetinhos, comida baiana, lanches (pernil, picanha, calabresa e costela), galinhada, joelho de porco, batata frita, hambúrgueres, milk-shakes, espeto de fruta com chocolate, doces cristalizados, donuts, waffles, churros, água, sucos, refrigerantes e cervejas artesanais.

O cardápio mexicano dá água na boca. Quer conferir? Tacos de lombo suíno, carne bovina, frango, pernil, peixe, vegetariano (a partir de R$15,00); nachos (R$10,00 a R$35,00); quesadillas de carne bovina/suína, frango, queijo, vegetariana (R$12,00 a 26,00); tostitaco com carne moída, bacon, cebola e milho verde, refogados e flambado, misturado com feijão preto (R$25,00 porção com 4 unidades); burritos de carne bovina/suína, frango, vegetariano (R$25,00 a R$28,00); tlacoyos de frijol (R$15,00); chili dog (R$15,00); porções de guacamole (R$10,00) e chili (R$25,00). Os pratos podem vir acompanhados de repolho, chipotle, pico de gallo (vinagrete), salsa taquera etc. e diversos expositores oferecem combos. Que tal um delicioso brigadeiro de tequila (R$8,00 a R$15,00) como sobremesa? Para beber tem margaritas (a partir de R$14,00); Michelada – cerveja Sol temperada como no México ( R$12,00 a R$18,00); e as refrescantes água fresca de Jamaica e água de tamarindo (R$6,00).

E ainda tem mais iguarias latinas deliciosas: empanadas (R$5,00 a R$10,00); salteñas (R$10,00); chincharron – costelinhas suínas com batatas (R$30,00); choripan e sanduíches de pernil ou chola (R$25,00); costilla al palo (R$35,00); arepas com diversos recheios (20,00); patacones (R$23,00); hamburguesa colombiana (R$25,00 a R$35,00); obleas – feitos com discos de wafer recheados com doce de leite/frutas vermelhas/creme de avelã/doce de café/queijo/morango (R$10,00); limonada com coco, tradicional em Cartagena, na Colômbia (R$8,00); chicha morada – refresco artesanal de origem andina que leva milho roxo, abacaxi, canela, cravo e maçã (R$10,00).

A Festa Día de Muertos é uma realização do Consulado Geral do México em São Paulo, com apoio da Fundação Memorial da América Latina, patrocínio de Chili Beans e curadoria gastronômica da Art Shine Promoções e Eventos.

Serviço – entrada gratuita
Fiesta Día de Muertos
Festival de Tacos
Local: Memorial da América Latina (ao lado do metrô Barra Funda) – Praça da Sombra
Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664
Data: 27 e 28 de outubro
Horário: das 11h às 20h
Estacionamento (pago): portão 15, mais próximo do auditório (preço único 25 reais); portão 8 (R$10,00 a 1ª hora; R$10,00 cada hora adicional)
Bicicletário: portão 9

Biguaçu recebe feira ecossolidária no Campus da Univali

Hoje, 20 de setembro, a Universidade do Vale do Itajaí (Univali) recebe, em Biguaçu, artesãos e produtores de alimentos veganos e orgânicos para a realização da edição de setembro da Feira Universidade EcoSolidária. O encontro ocorre, entre 15 e 21 horas, no corredor térreo do bloco 1, do Campus localizado às margens da BR 101, em Biguaçu.

O encontro, que marca a chegada da primavera e integra a programação do 14º Festival Cultural da Univali, contará com a participação de empreendedores solidários da região. No local, além da comercialização de produtos, a feirinha oferecerá uma programação diversificada com apresentações culturais que iniciarão às 18 horas.

feira ecossolidaria univali.png

A atividade, organizada pela Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP), da Univali, em parceria com os Fóruns Regionais de Economia Solidária Litorâneo e de Florianópolis, tem como foco a promoção de alternativas para geração de renda e inclusão social. A participação é gratuita e aberta ao público.

Fonte: Univali

Caiçaras, Caipiras e Tropeiros de volta à Capital Paulista

Os sabores, aromas e fazeres de cerca de 140 municípios invadem São Paulo, de 19 a 23 de setembro, durante a 21ª edição do maior evento de cultura tradicional do Estado

O Revelando São Paulo chega a sua 21ª edição, trazendo para a capital paulista as tradições que fazem a diversidade e pluralidade do Estado de São Paulo, com a participação de culinaristas, artesãos, violeiros e dançantes de diversos municípios do Interior e Litoral. De 19 a 23 de setembro, o Parque do Trote/Mart Center irá se transformar em um grande espaço de celebração multicultural.

O festival, realizado desde 1997, dispõe de espaços de culinária e ranchos tropeiros de diferentes regiões do estado, com culinaristas produzindo os doces caseiros, bolinhos caipira, broas, pamonhas, bolos, café caipira, virados, afogados, galinhadas, feijão tropeiro, farinha de mandioca, peixes e moquecas, entre outras iguarias que compõe a “Mesa Paulista”. Nos espaços de artesanato, artesãos de diversas regiões produzem palha de milho, folha de bananeira, cipó, madeira, ferro, cerâmica, crochê e bordado, entre outros materiais, com técnicas passada através de gerações da família.

O público poderá ainda conhecer manifestações culturais e artísticas de diferentes regiões do Estado. A cada dia, o Revelando apresenta uma programação diversificadas, como catira, folia de reis, grupos de congadas e moçambiques, batuque e violeiros.

A edição desse ano também comemora também os 70 anos da Comissão Paulista e Nacional de Folclore.

Com a realização do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, o Revelando São Paulo – Festival da Cultura Paulista é um evento gratuito, que acontece das 9h às 21h.

Programação
Programação Permanente das 9 às 21h
Artesanato – Exposição e comercialização de produtos artesanais de tradição, bem como demonstração dos misteres dos artesãos.
Comensalidade – Os humanos se encontram, compartilham ideias e sentimentos. Celebram o encontro e a sintonia compartilhando a mesa, o comer e beber juntos.
Culinária – Preparo e consumo de iguarias da culinária paulista tradicional.
Em Torno do Barro – Espaço concebido para a reunião de arteceramistas tradicionais e o compartilhamento de saberes e conhecimentos nas artes do fogo e do barro.
Homem do Realejo Presença dos homens do Realejo durante o festival.
Espaço Interétnico – Indígenas do estado de São Paulo, com sua musicalidade, seu artesanato e outras práticas culturais.
Comunidades de Ciganos, convivência e compartilhamento de músicas, danças e outros elementos culturais identitários.
Recitação do Rosário – Todos os dias às 8h na Capela e às 9h no Quintal de São Benedito.
Comemoração CPF – Celebração dos 70 anos da Comissão Paulista de Folclore, com exposição fotográfica sobre a cultura tradicional Paulista obra dos fotógrafos; Reinaldo Meneguim, Diego Dionisio, Flavio Pilege, César Dinis e Leonil.

artesanato foto reinaldo maneguim
Foto: Reinaldo Maneguim

20 de Setembro – Quinta – Feira – Vila + (antigo Mart Center)
09h- Abertura de Palco: Banda Municipal de Jacupiranga; Banda Marcial Municipal de São Sebastião
XIX Encontro de Violeiros: Grupo Raízes Viola Caipira – Atibaia; Denirval e Davi – Atibaia; Rubens e Fabinho- Atibaia; Tomás e Romancito – Atibaia; Vanderley e Waldir – Atibaia; Claudinei e Pires – Violeiros – Guarulhos; Vera Bianca e Guaru – Guarulhos; Grupo de Violeiros Som das Dez – Guarulhos; Toshio e Luiz – Violeiros – Guarulhos; Quesia Ribeiro – Guarulhos; Cesar Viola e Cuiabá – Iporanga; Violeiros Itaóca; Paco e Thiago – Pedra Bela; Raízes do Ribeira
Os Rouxinóis – Dupla de Violeiros – São Paulo; Tropeirinhos Rancho da Viola Catira – Tatuí
17h – Tarde Seresteira: Seresteiro da viola – São Caetano do Sul; Seresteiros com Ternura – Tatuí; Gabiroba Congo Capixaba – São Paulo – Rancho Tropeiro; 18h XIX Encontro de Orquestra de Viola; Camerata de Viola Caipira SLP – São Luiz do Paraitinga; Orquestra de Violeiros – Taboão da Serra; Conjunto de Música Sertaneja de Raiz – Várzea Paulista; Grupo de Viola Caipira São Gonçalo – Votorantim
20h Encerramento: Orquestra de Viola de Guarulhos.

SONY DSC
Foto: Rafael Leitão

21 de Setembro – Sexta – Feira – Vila + (antigo Mart Center)
09h – Abertura do Palco: Trança fitas – Itaóca; Adoradores da Santa Cruz – Mirim – Embu das Artes
XIX Encontro de Fandango: Fandango de Tamanco – Itaóca; Fandango do Cuitelo – Ribeirão Grande
XIX Encontro de Catira: Grupo de Catira de Monteiro Lobato; Rainhas do Catira – Hortolândia;
Cururueiros – Tatuí; Dança do Barro – Apiaí
XIX Encontro de São Gonçalo: São Gonçalo – Atibaia; São Gonçalo – Jarinu; Grupo de Dança de São Gonçalo de Pardinho
13h – Encontro de Orquestra: Orquestra de Violeiros de Descalvado; Orquestra de Violeiros e Cantores Ouro na Serra – Guapiara; Orquestra de Violeiros Coração da Viola – Guarulhos; Orquestra de Viola Matutos da Mantiqueira – Joanópolis; Orquestra Torrinhense de Viola Caipira
18h Comemoração do Dia internacional da Paz e Conexão de Cura
Grupo Orgulho Caipira – Dança do Sabão – Lagoinha
20h X Noite de São João: Quadrilha Terceira Idade Juventude Imaculada – Cruzeiro;
Encerramento: Bonecões da Mantiqueira – Caçapava

SONY DSC
Foto: Rafael Leitão

22 de Setembro – Sábado – Vila + (antigo Mart Center)
9h Cortejo – XXIII Festival de Bonecos de Rua e Cabeções: Bloco da Vaca – Artur Nogueira; Bonecões Caçapava; Bonecões Gigantes Pereirões – Monteiro Lobato; Bloco Zé Pereira – São Bento do Sapucaí; Bonecões Torrinha; Banda Waldemar Tedeshi – Torrinha; Cia Caracaxa – São Paulo
9h – Palco – Encontro de Reiada: Folia de Reis Luz Divina – Artur Nogueira; Cia. Ases do Brasil – Folia de Reis – Campinas; Grupo de Folia de Reis de Santo Antonio do Bairro Tinga – Caraguatatuba; Folia de Reis Paróquia de Nossa Senhora da Boa Esperança – Caçapava; Folia de Reis de Cândido Mota; Folia de Reis – Embu das Artes; Folia de Reis Estrela Guia de Guarulhos; Folia de Reis de Pedra D’Alva de Guarulhos; Folia de Reis de Palmital; Folia de Reis Morro do Abrigo – São Sebastião; Cia. de Reis Litoral – São Sebastião; Grupo Folia de Reis da Vila Formosa – Sorocaba; Folia de Reis de Torrinha; Companhia de Santos Reis – Várzea Paulista; Divino Espírito Santo da Rainha da Paz do Julio Mesquita – Sorocaba; Confraria do Divino Espírito Santo _ Joanópolis; Folia de Reis do Pontal Cruz – São Sebastião; Moçambique da Vila Tesouro – São José dos Campos
13h – Dança da Santa Cruz – Carapicuíba; Grupo Sarabaque – Carapicuíba
– XVII Festival da Amizade – Devi – Dança Indiana – Atibaia; Grupo Cheiro de Mate – Capão Bonito; Reisado Sergipano e Bumba meu Boi do Guarujá; Grupo Folklorístico Stella Bianca – Jarinu; Coral Guarani da Aldeia Araça-Mirim – Pariquera Açu; Grupo de Danças Gaúchas Tropeiros da Nascente – Pilar do Sul
Rancho Folclórico Típico Madeirense do Morro do São Bento – Santos; Mi Vejo Simón – São Paulo; San Simón – São Paulo; Grupo de Danças Parafolclóricas de Pirassununga; Associação Cultural Anástasis – Olímpia; Ribeira Ryofu Daiko – Registro; Grupo Apolo de Danças Gregas – São Paulo; Folclore e Etnografia Região Autónoma da Madeira – São Paulo; Ballet Folclórico Boliviano – Guarulhos
15h Mesa de Cosme e Damião – No Saguão
19h XVII Noite dos Tambores – Grupo Baobá de Melê – Coco de Pisada – Peruíbe; Grupo de Jongo Filhos da Semente – Indaiatuba
20h Encerramento: Grupo Samba Lenço – Mauá; Jongo Quilombolas do Tamandaré Guaratinguetá

café caipira reinaldo maneguim
Foto: Reinaldo Maneguim

23 de Setembro – Domingo – Vila + (antigo Mart Center)
9h Palco – BAMUC – Banda Municipal de Cajati; Corporação Musical Maestro Custódio Possidônio Martin – Apiaí; Associação Cultural Som & Arte – Peruíbe
12h – Cortejo – Entrada no Recinto – XX Congado Paulista – Congada Rosa – Atibaia; Congada Verde – Atibaia; Cia. de Moçambique de Caraguatatuba; Cortejo do Divino de Itanhaém; Congada de São Benedito e Nossa Senhora da Conceição – Lagoinha; Grupo Folclórico e Religioso Moçambique de São Benedito de Lorena; Moçambique Esperança – Monteiro Lobato; Congada Santa Ifigênia – Mogi das Cruzes; Congada Batalhão Nossa Senhora de Aparecida – Mogi das Cruzes; Congada do Divino Espírito Santo – Mogi das Cruzes; Congada Preto e Branco – Nazaré Paulista; Congada São Benedito – Pindamonhangaba; Grupo de Moçambique Leal Bahia – Piraju; Congada Terno de Sainha Irmãos Paiva – Santo Antônio da Alegria; Congada São Benedito – São Sebastião; Congada de São Benedito e do Divino Espírito Santo – Socorro; Bandeira do Divino Espírito Santo – Votorantim; Irmandade do Divino da Paróquia Nossa Senhora do Ó – São Paulo; Caminheiros de Santo Expedito – Mairiporã; Irmandade de Moçambique Vila do Tesouro – São José dos Campos Caiapó de Piracaia; Afoxé Filhos do Cacique – São Paulo
18 h : Encerramento: The Sun – Orchuestra – São Paulo

doces

21º Revelando São Paulo
De 19 a 23 de setembro, das 9h às 21H
Local: Mart Center – Vila Maria/Vila Guilherme.
Entrada gratuita

 

Festival da Coreia tem atrações gratuitas

A 12ª edição do Festival da Coreia começa hoje(10) e vai até domingo (12), na Praça Coronel Fernando Prestes, em São Paulo (SP), contando com diversas atrações, que marcam a comemoração do 55º aniversário da migração coreana. O Festival é considerado um evento multicultural, com entrada gratuita, organizado pela Associação Brasileira dos Coreanos (entidade oficial e representativa da comunidade coreana), que terá muitas atrações para o público.

“Serão shows de grupos vindos da Coreia, apresentações de Taekwondo, dança tradicional coreana, grupos de canto e percussão tradicional coreana, exposições e oficinas de arte, roupas e jogos típicos, atividades culturais, grupos covers de K-pop, concursos e (muita, mas muita) comida típica coreana, na Praça Coronel Fernando Prestes, localizada no bairro do Bom Retiro, que certamente é o pedaço mais multicultural da cidade”, explicou Yeo Jin Kim, presidente da Associação Brasileira dos Coreanos.

Entre as principais atrações estão, o cantor Juliano Son, grande nome da música gospel, e o conceituado ilusionista Pyong Lee. “Juliano Son, Pyong Lee, comidas típicas coreanas, artes e muitas outras atividades, além daquele congraçamento salutar entre os coreanos que residem em São Paulo e região. A data comemora o aniversário da imigração coreana no Brasil, por isso, estamos fazendo esse megaevento, que será extremamente atrativo também para os visitantes de outras nacionalidades”, acrescentou.

De acordo com Yeo Jin Kim, a estimativa é de um público rotativo de cerca de 30 mil pessoas por dia. “Temos essa expectativa, pois o evento comemorativo ganhou mais um dia, em relação ao realizado no ano passado, por isso, esperamos um público maior, com cerca de 30 mil visitantes por dia, pois não há custo de entrada – apenas as comidas típicas serão vendidas a preços variados. Outro ponto importante a se destacar é a programação variada, com muita qualidade, contando com shows expressivos, artes e a culinária coreana, entre outras coisas”, relatou.

festival_03

A festividade coincide com o 55° ano do início oficial da imigração coreana no Brasil; atualmente cerca de 50.000 imigrantes e descendentes vivem em harmonia com os demais povos que fazem do Brasil um país multicultural. “E boa parte da comunidade coreana vive ou trabalha no bairro do Bom Retiro, misturada em harmonia com portugueses, judeus, italianos, bolivianos e tantos outros povos que ali se estabeleceram”, comentou Yeo Jin.

A cultura coreana, atualmente, está bastante difundida no Brasil, com novelas (K-dramas) e a música pop (K-pop), elementos que fazem parte da “Onda Hallyu” (cultura coreana em geral), são bastante apreciados. Este fenômeno fez com que muitos brasileiros procurassem escolas de língua coreana ou mesmo cursos de graduação e pós-graduação na Coreia, por onde passaram mais de mil estudantes universitários em intercâmbio internacional.

“Além do já conhecido polo de moda feminina, o bairro do Bom Retiro abriga dezenas de restaurantes, cafeterias, lojas de produtos coreanos e mercearias que atraem cada vez mais interessados na cultura coreana, fazendo dele um pedacinho da Coreia no Brasil”, complementou Kim.

12° Festival da Cultura Coreana
Datas: 10, 11 e 12 de agosto de 2018
Local: Praça Coronel Fernando Prestes, no Bom Retiro, em São Paulo (SP) – acesso direto pela estação Tiradentes do Metrô, na Linha Azul
Entrada: gratuita, com comidas típicas à venda a preços variados
Fotos: Divulgação/ABC

Projeto Difusão chega a 23ª edição

Com o apoio do Governo do Estado de São Paulo e da Secretaria da Cultura, o Projeto Difusão chega a 23ª edição que ocorrerá no próximo dia 1º de março, a partir das 21 horas, no Jai Club, Rua Vergueiro 2676, trazendo bandas autorais de diversos estilos, como forró, rock, reggae, hip hop etc.

As bandas participantes serão Aloha Session, Tripper, com o convidado especial PH Moraes e Projeto Acaso. Na abertura, intervalos e fechamento do festival, o público irá curtir a discotecagem do DJ Andi Vannelli, tocando os maiores sucessos, de todos os tempos.

Os ingressos custam R$ 20,00 inteira ou R$ 10,00 meia entrada, para quem levar um quilo de alimento não perecível. Quem chegar antes das 22 horas, terá entrada vip. Todos os alimentos arrecadados serão doados para instituições de caridade.

▽Entrada somente com documento original
▽Proibida a entrada de menores de 18 anos

4a2005bd-66dd-457b-b434-415147a9d805

Informações pela página do evento, clicando aqui.

Patrocínio: 51
Realização: Proac SP
Produção: Playlive