Arquivo da categoria: dentes

Limão: mocinho ou vilão para os dentes?⁣

⁣A dentista Daniela Yano da algumas dicas para continuar consumindo a fruta sem danificar os dentes.

Já sabemos que ele tem inúmeros benefícios à saúde, mas quando falamos dos dentes precisamos tomar alguns cuidados para que ele não se torne um vilão.⁣

Quando a boca fica muito ácida , os “poros” dos dentes ficam mais abertos podendo provocar sensibilidade dentária. Outra característica dessa situação é deixar os dentes mais susceptíveis aos desgastes , provocando o envelhecimento precoce. Sendo assim, seguem algumas dicas para você que já colocou o limão na sua rotina:⁣

=Após a ingestão do limão, faça bochechos com água para neutralizar o pH da boca⁣⁣

=Aguarde pelo menos meia hora para fazer a escovação dentária ⁣⁣

=Use e abuse dos produtos neutralizadores de pH bucal⁣

iStock

=Fique atento no surgimento e acompanhamento de retrações gengivais ⁣e desgastes dentários

=De preferência, use canudinhos ⁣


=Não bocheche a água com limão ⁣

⁣ =Se surgirem sintomas de sensibilidade, desgastes dentários ou retrações procure um dentista

Fonte: Daniela Yano é graduada em Odontologia pela Unesp, Pós-Graduada em Ortodontia pela NEO. Pós-Graduada em Ortopedia Funcional dos Maxilares pela Cetao. Pós-Graduada em Cirurgia Oral-Menor pela APCD. Pós-Graduada em Estética Dental /Planejamento e Comunicação Interdisciplinar/ Fotografia Odontológica Digital- DSD (Digital Smile Design)
Pós-Graduada em Human Body Total Care (HBTC)- Regulador de Função Aragão. Pós-Graduada em Ortodontia pela Unicsul

Clareamento dental caseiro pode trazer riscos

Especialista alerta para os perigos do procedimento sem acompanhamento profissional e com produtos que prometem ser milagrosos

As pesquisas na internet sobre clareamento dental aumentaram no estado de São Paulo neste ano. É o que mostra o Google Trends sobre as buscas dos internautas paulistas. Entre as principais dúvidas há uma novidade: “como realizar o procedimento em casa?”, movimento que pode estar acompanhado de outra tendência que também tem tomado o mundo virtual com a alta procura pelos produtos de clareamento para os dentes.

Apesar de não existirem contraindicações sobre os métodos caseiros, os mesmos devem ser constantemente monitorados pelo cirurgião-dentista para evitar riscos à saúde bucal. Ao se tratar de pastas clareadoras ou outros tipos de produtos, o mais importante é buscar a indicação profissional para não cair em falsas promessas.

Foto: Zahnreinigung/Pixabay

“O clareamento dental pode ser amplamente utilizado, mas não é um procedimento puramente cosmético, lida com produtos químicos, pode causar irritações, queimaduras, sensibilidade durante e pós-tratamento e até problemas mais graves relacionados à vitalidade da polpa dental. Por isso, muitos cuidados devem ser tomados”, alerta o cirurgião-dentista Camillo Anauate Netto, membro da Câmara Técnica de Dentística e conselheiro do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP).

Os métodos caseiros são seguros. “Apesar de mais lentos, os métodos caseiros são efetivos e permitem o monitoramento a médio prazo, o que dá mais possibilidade para mudanças no protocolo de tratamento em casos de aumento da sensibilidade dos dentes, por exemplo”, explica.

A dica para o tratamento de sucesso, quando necessária maior rapidez e segurança, é o método jump start. “O jump start é a técnica combinada que utiliza produtos mais concentrados na primeira sessão em consultório e, na sequência, o paciente utiliza produtos menos concentrados na técnica caseira, intensificando o clareamento até a obtenção do resultado desejado. Assim, é possível para o cirurgião-dentista proteger as regiões mais sensíveis de risco”, argumenta.

Dados

Fotomontagem: Encinodentalstudio

A análise comparou dados de 2019 e 2020 registrados no Google. No ano passado, “clareamento dental” deixou São Paulo na 14ª posição entre os estados brasileiros onde haviam sido feitas pesquisas sobre esse termo. Este ano, o estado saltou três posições, ocupando a 11ª colocação no ranking.

Quanto à dúvida dos procedimentos caseiros para clareamento, em 2019 as pesquisas não consideravam essa questão entre os internautas. Em 2020, possivelmente por conta da pandemia, ela passou a integrar os 15 temas mais procurados que citam o clareamento dental.

Fonte: CROSP

Máscara não é desculpa para mau hálito

São várias as causas do mau cheiro na boca. Saiba como agir para resolver o problema de uma vez por todas

As máscaras têm sido nossas aliadas na prevenção do coronavírus e o acessório deve permanecer por mais algum tempo como medida de segurança, bem como o afastamento físico. Mas nem o distanciamento entre as pessoas e o uso do EPI é desculpa para descuidar dos hábitos de higiene.

De acordo com a Associação Brasileira de Pesquisas dos Odores Bucais, quatro em cada dez brasileiros têm halitose e a dúvida que fica é: o que causa o mau hálito? Paulo Zahr, dentista e presidente da OdontoCompany, explica como surge o problema e quais os hábitos devemos manter para nos livrar deste incômodo.

Sujeira na língua

Pixabay

A maior parte dos problemas de mau hálito se associa à sujeira na língua, região onde o acúmulo de bactérias produz uma cor esbranquiçada ou amarelada, além do odor característico. Para tratar essa causa, a pessoa deve usar um limpador específico, que consegue remover os restos de alimento ao pressionar o órgão responsável pelo paladar em movimentos de trás para frente.

Cáries

Doenças na boca também podem provocar mau cheiro, como é o caso de cáries, gengivite, placas bacterianas e até periodontite (infecção na gengiva que pode destruir o osso maxilar). O principal motivo são as bactérias, que, ao se desenvolverem, produzem o odor estranho. O tratamento depende do diagnóstico do dentista, mas também pode envolver cuidados com a higiene bucal.

Má alimentação

Se você não tem horários bem regulados para se alimentar, corre maior risco de ter halitose. Pessoas que ficam sem comer por um período superior a cinco horas, tendem apresentar o odor, motivo que justifica o mau hálito ao acordar. Para contornar a situação, não deixe de fazer uma refeição no período entre três e quatro horas e mantenha-se hidratado. “Alguns alimentos, como a couve galega, couve-flor e brócolis ajudam a formar enxofre no organismo, substância que favorece a eliminação de gás pela boca. Mastigar alho e cebola também podem deixar um forte odor no local. Então, se tiver alguma reunião presencial ou um encontro, uma sugestão é evitar esse consumo no dia”, avisa Zahr.

O hábito de fumar

Thinkstock

Uma das consequência do uso do cigarro é a secura que causa na boca, que ocorre devido a diminuição da produção normal de saliva. O resultado é que, sua função de proteger e limpar a microflora bucal é afetada, incidindo diretamente no odor.

Condições médicas

Foto: MD-Health

Em decorrência da gastrite ou má digestão, problemas no estômago provocam comumente a eructação, cujos gases chegam à boca e contribuem para o mau hálito. Outro motivo que leva ao odor é a diabetes, pois um dos sintomas da doença é o hálito cetônico, que provém da formação indevida de corpos cetônicos em alta quantidade no organismo. “O mal-estar pode ser causado, ainda, por infecções na garganta e sinusite. Se esse for o caso, fazer gargarejos com água e sal são uma indicação para remover o pus e diminuir o incômodo”, recomenda o especialista.

Como tratar?

O primeiro passo é recorrer a boa higiene bucal, com a escovação de duas a três vezes por dia ou sempre após as refeições e uso de fio dental, que elimina restos de comida e acaba com a formação de placa bacteriana, e do enxaguante bucal apropriado. Se ainda insistir os sintomas, vale recorrer ao dentista, que poderá indicar um tratamento específico. “Com o acompanhamento clínico, você pode usar enxaguante bucal antisséptico específico para acabar com os germes do mau hálito, principalmente se os vilões forem a sujeira na língua e os restos de alimento na boca”, afirma o profissional, que também sugere o aumento na ingestão de água, redução no consumo de álcool, café e bebidas ácidas.

Fonte: OdontoCompany

Dia Mundial do Sorriso:  dicas para manter a saúde oral em dia e conquistar um sorriso bonito

Hoje, 2 de outubro é comemorado o Dia Mundial do Sorriso.  E a melhor maneira de celebrar essa data é sorrindo muito, afinal, sorrir nos torna mais bonitos, simpáticos, ajuda a estabelecer relações sociais mais facilmente, alivia a tensão e aumenta o bem-estar. O problema é que muitas pessoas sentem receio em sorrir por acreditarem possuir um sorriso inestético.

“O sorriso pode ser prejudicado por fatores como falta de manutenção da saúde oral, estresse e má alimentação, já que favorecem o acúmulo de placa bacteriana, o amarelamento dos dentes e o surgimento de doenças orais, como cáries e gengivite”, explica Hugo Lewgoy, cirurgião-dentista e doutor em Odontologia pela USP. Mas o que poucos sabem é que conquistar um sorriso bonito é mais simples do que parece. Quer saber como? Confira as dicas do especialista abaixo:

Realize a escovação com uma escova adequada: o principal passo para conquistar um sorriso é a escovação regular, que deve ser realizada duas vezes ao dia. Mas é importante realizar essa etapa com uma escova ultramacia, já que escovas com cerdas duras podem desgastar o esmalte de seus dentes e provocar retração gengival. “Além disso, a escova também deve possuir uma grande quantidade de cerdas, pois, quanto mais cerdas, maior é a eficácia da escovação e menor é o acúmulo de placa bacteriana no dente”, alerta o cirurgião-dentista. Um bom exemplo neste caso é a escova CS 5460 ultrasoft, da Curaprox, que conta com 5460 cerdas de Curen, um tipo de fibra mais fina e ultramacia capaz de desorganizar totalmente a placa bacteriana sem causar injúrias ou traumatismos nos dentes e gengivas. Para quem procura por uma escovação ainda mais eficaz, vale a pena apostar nas escovas hidrosônicas, como a Hydrosonic Pro, que, além de diminuir o tempo de escovação, gera um efeito hidrossônico que, em conjunto com a movimentação das cerdas, favorece e facilita a desorganização da placa.

Aposte em um creme dental de baixa abrasividade: para potencializar a escovação, o uso de um creme dental é indispensável. Mas, assim como com as escovas, é preciso ficar atento às características dos produtos utilizados, visto que, segundo o Dr. Hugo, a grande maioria dos cremes dentais possuem ação abrasiva, o que, em excesso, também pode contribuir para o desgaste do esmalte dos dentes e a retração da gengiva. Mas a boa notícia é que existem no mercado produtos pouco abrasivos, como a Herbal Bliss ToothPaste, da Swiss Smile, que possui uma fórmula preciosa e equilibrada capaz de fortalecer os dentes sensíveis e aliviar gengivas doloridas. Livre de SLS (Sodium Laryl Sulphate) em sua composição, possuindo assim baixa abrasividade, o produto ainda conta com propriedades anti-inflamatórias dos extratos de edelweiss, de equinácea e de chá verde presentes na composição corrigem o equilíbrio bacteriano e também regeneram e revitalizam as gengivas inflamadas.

Não se esqueça do fio dental e da escova interdental: apenas a escovação não é suficiente para higienização efetiva da cavidade oral. Por isso, aposte também no uso do fio dental e de uma escova interdental, como a Curaprox CS Prime. “Enquanto o fio dental auxilia na remoção de detritos alimentares e pontos de contato muito apertados, a escova interdental realiza a desorganização da placa bacteriana nas irregularidades e depressões interdentais que o fio dental não consegue higienizar”, destaca o médico.

Higienize a língua: apesar de não estar diretamente relacionada à aparência dos dentas, a higienização da língua é fundamental para manter a saúde oral em dia, evitando o mau hálito e o desenvolvimento de microrganismos que também podem ser nocivos para a dentição. Para isso, utilize escovas e instrumentos próprios para a limpeza da língua, como o sistema Tung, da EHM, composto pela escova Tung Brush e pelo gel Tung. Enquanto a escova tem cerdas um pouco mais firmes que as das escovas dentais convencionais, sendo assim mais eficaz em penetrar nas fissuras e irregularidades da língua para desalojar a saburra lingual, o gel facilita a remoção desta saburra e neutraliza os gases que provocam odor desagradável.

Aposte no enxaguatório bucal: o uso de enxaguatórios, como os produtos da linha Perio Plus+ da Curaprox, também é fundamental, pois, de acordo com o especialista, possuem ação importante na prevenção do desenvolvimento de microrganismos na cavidade oral. “Isso porque esses enxaguatórios são formulados com Citrox, que é um agente antimicrobiano muito eficaz, com efeito bactericida, antifúngico e antiviral. Além disso, possuem Clorexidina, um agente antisséptico de amplo espectro de ação contra microrganismos patogênicos, sendo assim considerado o enxaguatório oral ‘padrão-ouro’ na Odontologia”, completa.

Invista nos clareadores: quem sofre com dentes amarelados, que podem causar grande impacto na autoestima, pode optar pelo uso dos clareadores dentais. Existem diversas opções no mercado capazes de promover o branqueamento dos dentes sem prejudicar a saúde oral, como o Pearl Dental Shine, da Swiss Smile, uma espuma dental microporosa que possui efeito cosmético branqueador e a capacidade de proteger os dentes e gengivas sensíveis por 16 horas. Graças a uma nova e exclusiva tecnologia, o Pearl Shine Dental Conditioner deposita uma delicada e estimulante camada de peptídeos e hidroxiapatita sobre os dentes, cobrindo-os suavemente e reparando os danos no esmalte dental e nos colos sensíveis com um filme protetor.

Desestresse: além da higienização da boca, é fundamental também que você cuide da saúde de seu organismo como um todo, pois alguns fatores, como o estresse, podem afetar diretamente a saúde bucal. “Em momentos de estresse produzimos altas quantidades de hormônios como hidrocortisona, cortisol e adrenalina, substâncias que desencadeiam um efeito pró-inflamatório no organismo, o que favorece o surgimento de inflamações e infecções, incluindo doenças periodontais”, afirma Lewgoy. “Além disso, quando estamos estressados aumentamos a prática de hábitos negativos, como a má higiene oral, o que somado a vulnerabilidade do organismo pode favorecer o surgimento de doenças como cáries, gengivite e halitose”, alerta. Por isso, invista em cuidados que visem a redução do estresse, como meditar, praticar exercícios físicos diariamente, dormir bem e manter contato com pessoas da família e amigos.

Alimente-se corretamente: outro cuidado importante para conquistar um sorriso bonito é a adoção de uma alimentação balanceada e livre principalmente de açúcar, que é um dos principais vilões da saúde bucal, favorecendo o aparecimento de cáries, gengivite, halitose e outras doenças periodontais. “O recomendado então é limitar o consumo de açúcar, ingerindo, no máximo, uma colher de sopa do ingrediente por dia”, aconselha o especialista. “Além disso, verifique nos rótulos dos produtos se existe algum tipo de açúcar escondido, limite a frequência dos lanches entre as refeições, substitua os refrigerantes por água e evite alimentos açucarados pegajosos, como chicletes e balas, que podem deixar resíduos nos dentes e favorecer o aparecimento das doenças orais”, completa Lewgoy.

Consulte um dentista regularmente: por fim, é fundamental que você consulte um dentista com regularidade, já que ele é o profissional indicado para realizar uma avaliação do estado da sua saúde oral e da qualidade dos seus dentes, indicando assim os cuidados mais adequados para que você consiga conquistar um sorriso mais bonito.

 

Aprenda a identificar cinco doenças que se manifestam pela boca

Muitos sintomas comuns do dia a dia podem indicar problemas maiores

Muita gente não sabe, mas a nossa boca, assim como nossos olhos, é um grande indicador de como vai a saúde. Por vezes, aftas, feridas que não cicatrizam, mudanças no paladar ou até o mau hálito, podem indicar que há um problema mais sério acontecendo em nosso organismo.

A Odontologia Integrativa, que reúne novos conceitos com as Práticas Integrativas e Complementares, busca fazer essa conexão e visualizar as doenças bucais de forma mais profunda, com visão interdisciplinar. Para simplificar, ela enxerga nossa boca como um reflexo do que ocorre em nosso corpo e mente.

A especialista na prática, Rosely Cordon, nos ensina a quais sintomas devemos nos atentar para identificar 5 dessas doenças.

1. Anemia

Pixabay

A anemia acontece em nosso organismo decorrente da falta de alguma substância essencial para o funcionamento, como o ferro ou a vitamina B12. Apesar de os sintomas mais comuns serem a fadiga, falta de ar ou palidez, ela também pode se manifestar em nossa língua. As papilas podem diminuir ou desaparecer, deixando-a com um aspecto liso. Por causa disso, o paciente pode também perder o senso do paladar.

2. Diabetes


O nível desequilibrado de insulina e glicemia no sangue pode causar sintomas bucais como mau hálito, boca seca e um aumento nos casos de cárie. Tais condições de saúde bucal são a porta de entrada para infecções, que interferem diretamente no aumento da glicemia.

3. Câncer Bucal

iStock

Esse tipo de câncer, em seus primeiros estágios, pode se assemelhar com aftas comuns. Para tirar a dúvida, a dica é esperar de uma semana à no máximo 10 dias, tempo em que aftas normalmente cicatrizam. Se depois desse período elas não sumirem, deve-se consultar o odontologista. Também é importante observar se estas feridas surgiram após a colocação de alguma prótese e neste caso, buscar ajuda do profissional o mais rápido possível, pois pode indicar uma má adaptação.

4. Leucemias


As leucemias, um tipo de câncer sanguíneo, podem causar uma gengivite. Mas antes de se preocupar, primeiro deve-se checar as outras causas possíveis, como a limpeza incorreta dos dentes, tabagismo ou até a gravidez. Caso ela persista apesar do tratamento básico, pode ser indicativo de um problema mais grave.

5. Imunossupressão

Pinterest

A redução da eficiência do sistema imunológico pode levar ao desenvolvimento de muitos problemas orais, como aftas, herpes e até a candidíase bucal, caracterizada por placas esbranquiçadas no interior da boca, mais conhecidas como ‘sapinho’. Também nos deixa mais vulneráveis ao coronavírus, que tem como um de seus primeiros sintomas a perda do paladar. O enfraquecimento desse sistema pode ocorrer por diversos motivos, como falta de vitamina D ou uma doença autoimune, como a artrite reumatoide, lúpus ou o HIV. Neste momento de pandemia, é sempre bom estar atento ao nosso sistema imunológico, importantíssimo para nos defender de qualquer doença.

Rosely Cordon é cirurgiã dentista é pós-graduada em Bases da Medicina Integrativa pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein, pesquisadora Mapas de Evidências Clinicas e de conteúdo para Vitrine de Conhecimento- Rede MTCI das Américas, BIREME, BVC, OPAS 2020. Projetos: Portal Todos pela Odontologia e Sorrir Muda Tudo. Canes Quality Treinamento Vivenciais. 

 

40% dos brasileiros têm bruxismo e hábito registra alta durante pandemia

O atual momento, aliado à crise econômica e o isolamento social estão trazendo consequências para a saúde de muitas pessoas e o bruxismo é uma delas

A ansiedade e o estresse são fatores que contribuem para o bruxismo, hábito prejudicial e que – segundo dados da Organização Mundial da Saúde – atinge 40% da população brasileira. Mas o que é bruxismo? É o apertar dos dentes de forma involuntária, durante o dia ou durante a noite.

De acordo com uma pesquisa divulgada pela Ipsos, em junho, os brasileiros são os que mais sofrem de ansiedade entre os 16 países envolvidos no levantamento. Quatro em cada dez entrevistados no Brasil afirmaram experimentar algum nível de ansiedade (41%).

Sintomas

bruxismo

De acordo com o ortodontista especializado em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial Bruno Cerci, o bruxismo tem uma série de sintomas que se agravam caso não sejam tratados. “Falamos em dor de cabeça, dor no pescoço, dor na mandíbula, desgaste e quebra dos dentes e implantes, alterações no esmalte, no sono e estalos ao abrir e fechar a boca”, explica.

Um dos sinais de alerta para procurar um especialista é acordar com cansaço ou dor nos músculos da mandíbula. Segundo o especialista, o diagnóstico deve ser feito de forma criteriosa. “Envolve conversa com o paciente (anamnese), somada ao exame clínico e avaliação de possíveis causas dos sintomas de acordo com o histórico médico e odontológico, além dos fatores genéticos”, explica.

O tratamento inclui o uso de placas de proteção específicas para evitar o desgaste dos dentes e acompanhamento com especialista.

Tecnologia

itero-element-2-product-4

Na clínica Cerci Ortho, em Curitiba, os pacientes contam com uma tecnologia capaz de realizar o escaneamento intraoral completo do fluxo ortodôntico. O equipamento – chamado iTero2 – permite mostrar aos pacientes como seus dentes estão se movendo ao longo do tempo e os resultados do tratamento planejado.

“O equipamento possibilita o escaneamento completo para a confecção de placas de bruxismo e, além disso, possui a função Time Lapse que permite acompanhar as mudanças nos dentes e nas gengivas ao longo de todo o período de tratamento”, ressalta Cerci.

Fonte: Cerci Ortho

Saiba quais são maiores problemas de saúde quando se deixa de ir ao dentista

Patrícia Bertges explica que deixar de ir ao dentista periodicamente ou negligenciar os cuidados básicos de higiene bucal pode ter consequências muito mais severas do que a perda dos dentes, levando até mesmo a doenças com risco de morte.

Muitas vezes a higiene bucal diária é negligenciada e só nos lembramos de ir ao dentista somente quando estamos sentindo dores e já é tarde demais para atuar de forma preventiva, sendo necessário recorrer ao consultório dentário em caráter de emergência. Além disso, muitos problemas de saúde têm origem na boca e até mesmo infartos do miocárdio podem estar associados a uma má higiene bucal.

Patrícia relata que é preciso não apenas manter a higiene bucal em dia mas também ter consultas regulares com o dentista: “Mas e se teve todos os cuidados durante o ano e não sente dores? Mesmo assim deve marcar uma consulta com um dentista Mesmo que faça uma higienização completa todos os dias, existem locais na boca que podem acumular placa bacteriana e, consequentemente, resultar em problemas dentários .”

Por esse motivo, a dentista aponta quais são os cinco principais problemas de saúde associados a deixar de visitar um dentista regularmente. Confira:

1-Endocardite bacteriana

mulher dor coração enfarte medicalnews today

Endocardite é o nome que damos à inflamação das estruturas internas do coração, principalmente das válvulas cardíacas. A doença surge habitualmente quando uma bactéria que está circulando na corrente sanguínea se aloja em uma das válvulas cardíacas, multiplicando-se e formando o que chamamos de vegetação valvar. A vegetação das válvulas é um emaranhado de bactérias, glóbulos brancos, glóbulos vermelhos, fibrinas e restos celulares, que é capaz de destruir a própria válvula e impedir o normal funcionamento do coração. Uma das principais causas desta doença é a falta de cuidado com a higiene bucal, que leva as bactérias que estão na boca para a corrente sanguínea através de uma gengivite ou inflamação local, podendo ocasionar em infarto, AVC, embolia pulmonar, isquemia dos membros e até mesmo, morte.

2-Cáries que pode virar um tratamento de canal ou até a perda de um dente

shutterstock_carie
Shutterstock

Quase 90 por cento da população mundial pode ter cáries, segundo estimativas. A cárie é provocada pela ação de determinadas bactérias que podem originar a destruição parcial ou total do dente, ocasionando na perda do mesmo ou até mesmo em dor extrema que culmina na necessidade de se extrair os nervos do local através de um tratamento de canal. A presença dessas bactérias na boca, associada a uma alimentação inadequada e a uma higiene oral deficiente, facilita o aparecimento de cáries. Em situações extremas, a cárie dentária pode originar infecções de extensão variável e que podem ter graves repercussões na saúde geral do indivíduo.

3- Gengivite e periodontite

dentista 1 (002)

Gengivite é o termo médico para a inflamação das gengivas, que costuma provocar vermelhidão, inchaço e sangramento do tecido das gengivas, especialmente quando escova os dentes ou usa o fio dental. Já periodontite (ou doença periodontal) é uma infecção bacteriana dos tecidos especializados, ligamentos e ossos que rodeiam e apoiam os seus dentes, conhecidos coletivamente como o periodonto. É a segunda e mais grave fase da doença gengival. Uma vez que se sofre de periodontite, é irreversível e pode levar à perda permanente de dentes.

4- Perda óssea e dentária por falta de manutenção de aparelho ortodôntico

colgate aparelho dente

Sem a devida manutenção e cuidado, pacientes que estão em tratamento ortodôntico e não comparecem regularmente ao dentista podem vir a ter perda óssea e perda dentária, devido ao acúmulo de bactérias na região e problemas ortodônticos.

5- Pacientes que têm implantes dentários (protocolo) precisam ir regularmente ao dentista

implante

Muitos pacientes não respeitam a necessidade de ir ao dentista pelo menos semestralmente para fazer uma limpeza dos seus implantes dentários, o que pode levar a desenvolver uma peri-implantite e até culminar na perda dos implantes, fazendo com isto que haja a necessidade de se realizar cirurgias mais invasivas para a recolocação de um novo implante dental.

Fonte: Patrícia Bertges

Especialista explica a importância bucal para prevenir doenças

Nunca se falou tanto em prevenção, o que abrange desde o isolamento para evitar contágios de doenças que prejudiquem o sistema imunológico quanto as boas práticas de alimentação e saúde. Isso inclui a higiene bucal, que é fundamental para prevenir quadros inflamatórios e infecciosos que comprometem diretamente a resposta imunológica do corpo e predispõem ou agravam outras doenças que fragilizam ainda mais o organismo.

Para se aprofundar no assunto, a marca de higiene bucal, Kess, também mantenedora da ONG Turma do Bem, convidou a dentista Luciana Bruzadin para apontar quatro cuidados indispensáveis que ajudarão a manter a saúde bucal. E, consequentemente, reduzir o risco de contágio nesse período de pandemia. Confira:

1) Manter o hábito correto de escovação e uso de fio dental

floss fio dental westfrisco pixabay
Ilustração: Westfrisco/Pixabay

“Quando não se escova os dentes corretamente, é comum acumular placa bacteriana, principalmente ao redor da gengiva. A primeira coisa que isso pode causar é gengivite, que é uma doença inflamatória. Quando isso acontece, o nosso sistema imunológico é ativado e, consequentemente, fica sobrecarregado, dificultando ao corpo se proteger contra doenças, como uma gripe”, explica a dentista.

De acordo com a especialista, quando o sistema imunológico é ativado para um problema, ele perde forças para combater outras doenças, dificultando a recuperação do organismo. “Existem diversas comprovações científicas de que focos inflamatórios e infecciosos bucais predispõem e/ou agravam várias doenças sistêmicas, como as cardíacas e pulmonares. Em pacientes entubados, o risco de se contrair pneumonia é alto na presença de foco infeccioso bucal, um grande problema a ser enfrentado no quadro de cuidados na Covid-19.”

2) Trocar periodicamente a escova dental, principalmente após qualquer quadro infeccioso

mulher escovando dentes
Foto: JanFidler/Morguefile

“A periodicidade para a troca da escova de dente é relativa, em média três meses. Porém, isso pode variar de acordo com a forma de uso de cada um. A pessoa que usa a escova de uma forma que deforma mais rapidamente as cerdas, terá que trocá-la com mais frequência. A troca em si vai depender de como estão as cerdas. Se ela estiver deformada, a qualidade da escova está comprometida e passa a ter uma função negativa na saúde bucal”, diz a dentista.

De acordo com a especialista, a troca da escova de dente é fundamental por ser um acessório que facilita o contágio. “É muito raro uma pessoa ter o hábito de descontaminar uma escova de dente com o produto específico para isso. A água, por si só, não descontamina a escova, as cerdas mesmo quando enxaguadas corretamente seguram resíduos que são invisíveis aos olhos. Por isso a importância de trocar a escova regularmente”, explica.

Para Luciana, essa cautela é ainda mais importante para quem teve uma gripe, virose ou infecção bucal. “Se a pessoa teve qualquer tipo de problema viral, é preciso trocar a escova de dente, para que ela não seja objeto de contágio novamente para o usuário”.

3) Não compartilhar itens de higiene, principalmente a escova dental

crianças escovando dentes collusor pixa

“Isso parece algo óbvio, mas muitos não têm condições de ter a sua própria escova. Eu atendo, pela ONG Turma do Bem, famílias humildes que compartilham a escova entre várias pessoas da casa. Por isso é muito importante as empresas se conscientizarem sobre a necessidade de tornar as escovas de dente e outros acessórios para higiene bucal mais acessíveis aos consumidores de baixa renda”, explica a especialista. Ela destaca a linha Kess Basic, com escovas de dente e fios dentais a preços acessíveis como uma boa iniciativa da marca em ajudar as famílias de baixa renda a adquirirem uma escova de dente para cada membro da casa sem prejudicar a renda.

4) Evitar roer as unhas, mordiscar objetos ou levar a mão à boca

roer unhas dentes
Foto: Mouthhealthy.org

Esses hábitos, chamados parafuncionais, são prejudiciais para a saúde bucal no geral. “O hábito de mordiscar objetos, como por exemplo uma tampa de caneta, pode prejudicar e até quebrar a estrutura do dente, além de ser um objeto sujo. A mão é muito contaminada, quando a colocamos desnecessariamente na boca, estamos assumindo o risco de contrair e transmitir várias doenças”, finaliza.

Fonte: Kess

Testes glicêmicos e orientações de higiene bucal promovidos na Avenida Paulista

Prevenção do Diabetes e relação da doença com a saúde bucal é tema de evento gratuito à população

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a relação entre saúde bucal e diabetes, além da importância das ações de prevenção, a Fiesp, em parceria com os Conselhos Regionais de Odontologia de São Paulo (Crosp) e de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP), promove a ação Diabetes na Mira dos Cirurgiões-Dentistas e Farmacêuticos – Prevenir para Controlar.

O evento será aberto e gratuito ao público e serão oferecidas experiências em realidade virtual, orientação de higiene bucal e testes glicêmicos (diabetes) para a população. A ação contará ainda com apoio das empresas odontológicas G.U.M e Curaprox e da Panvel Farmácias.

A iniciativa ocorre na quinta-feira, 14 de novembro, quando é celebrado o Dia Mundial de Combate ao Diabetes.

O diabetes é uma doença caracterizada pelo desequilíbrio do nível de glicose no sangue pela falta de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas. A doença não tem cura, mas pode e deve ser controlada.

Quando o diabetes não é bem controlado podem surgir graves complicações à saúde como infecções bucais, problemas de visão (glaucoma e catarata), perda da função renal e, nos casos mais graves, podem ocorrer cegueira, amputação de membros inferiores, infarto e AVC (derrame), além de outras complicações.

teste-de-glicemia-diabetes-tipo

Os cirurgiões-dentistas vão orientar a população sobre os problemas bucais causados pela doença, que pode interferir na produção salivar, aumentando o risco de infecções. A gengivite e a periodontite, estágio mais avançado da inflamação na gengiva, inclusive com perdas ósseas, são os problemas bucais mais comuns entre os diabéticos.

Os farmacêuticos realizarão testes de glicemia capilar (diabetes) e orientarão a população sobre a importância do controle de nível de glicose no sangue e o uso correto dos medicamentos para controle da doença.

O evento será realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na Avenida Paulista nº 1313, das 10h às 16h.

Números

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 12,5 milhões de brasileiros são afetados pelo diabetes. Isso classifica o país na quarta posição entre as nações com maior número de pessoas com a doença no mundo, segundo dados da Federação Internacional de Diabetes (IDF na sigla em inglês).

A enfermidade também está entre uma das principais causas de morte no mundo segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Diabetes na Mira dos Cirurgiões-Dentistas e Farmacêuticos – Prevenir para Controlar
Atividades: experiência de realidade virtual, orientação de higiene bucal, testes glicêmicos e orientações sobre o controle da doença e uso correto de medicamentos.
Data: quinta-feira, 14 de novembro.
Horário: 10h-16h
Local: Fiesp
Endereço: Avenida Paulista, 1313 
Quanto: Gratuito

Fonte: Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp) 

 

Mitos e verdades sobre clareamento dental

Apesar do aumento da procura, ainda existem muitas dúvidas sobre este procedimento estético

A busca pelo sorriso perfeito aumenta cada vez mais a procura pelo clareamento dental nos consultórios odontológicos. Apesar de não existirem estatísticas sobre o assunto, os cirurgiões dentistas afirmam que atualmente os pacientes não priorizam apenas a saúde bucal, mas buscam também procedimentos estéticos para garantir, por exemplo, dentes alinhados e brancos.

O método, no entanto, ainda gera algumas dúvidas, por isso o especialista em dentística restauradora, mestre em prótese dentária e membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética, Ricardo Luiz Annibelli, esclarece o que é mito e o que é verdade, quando se fala em clarear os dentes. Confira:

Qualquer pessoa pode fazer clareamento.

275522_577052_look_1_gravidas_web_

Mito: o tratamento é contraindicado para pacientes gestantes, lactantes ou menores de 15 anos. Também deve ser evitado em pacientes com patologias periodontais (doenças na gengiva), com rizogênese incompleta (a raiz do dente permanente não completou sua formação) e pacientes com alergia aos peróxidos de carbamida e de hidrogênio, que são substâncias químicas presentes nos produtos utilizados para clarear os dentes.

O clareamento dental é apenas uma questão de estética.

sorriso boca dentes perfeitos

Mito: na maioria dos casos, sim. Porém, existem situações em que o procedimento é indicado para garantir um melhor resultado no tratamento dentário no que se refere ao aspecto visual dos dentes. Por exemplo, quando colocamos uma coroa com pino de metal no paciente. Essa peça contém substratos muito escuros e para minimizá-los, usamos zircônia. Com isso, recorremos ao clareamento dos outros dentes para que essa diferença na luminosidade passe despercebida.

Os dentes ficam mais sensíveis após o clareamento.

dor de dente

Mito: isso acontece apenas se o protocolo de dessensibilização, com o uso de nitrato de potássio e Glu-hema, não for realizado antes do procedimento. Isso é fundamental para fechar os canalículos dentinários e as trincas.

Existem alimentos que devem ser evitados para não escurecer os dentes.

café jurerer2

Verdade: todos os alimentos e bebidas com corantes devem ser evitados ou ter consumo reduzido, após o clareamento dental, para não prejudicar o resultado e prolongar o efeito do tratamento. Entre eles, estão o café, vinho tinto, chás em geral, refrigerantes, sucos industrializados e alimentos com condimentos pigmentantes.

Clareamento dental pode ser feito em uma única sessão.

dia do dentista mulher

Mito: quando feito no consultório, os resultados já começam a aparecer em uma única sessão, diferente do clareamento caseiro que necessita de uso do kit clareador. Depois de fazer o protocolo de dessensibilização dos dentes, o dentista aplica um gel clareador, com intervalo de sete dias entre uma sessão e outra. Em média, são realizadas duas sessões.

Clareamento caseiro tem o mesmo resultado do que realizado no consultório.

clareamento dentario dentes

Parcialmente verdade – “Na minha opinião, o melhor método é o tratamento combinado, no qual o paciente recebe uma sessão de clareamento no consultório, sob o acompanhamento do cirurgião dentista. Paralelamente a isso, ele recebe uma moldeira pré-fabricada para fazer a aplicação caseira por duas horas de gel de peróxido de hidrogênio. Feito isso, após sete dias, retorna ao consultório quando será reavaliado para ver se há necessidade de repetir o procedimento”, aponta Annibelli.

Os cremes dentais que prometem clareamento podem prejudicar o esmalte dos dentes.

dentes

Verdade: os produtos disponíveis hoje no mercado contêm bicarbonato de sódio ou partículas abrasivas que desgastam a superfície do esmalte, por isso clareiam, então é necessário estar atento às fórmulas. A ação de clareamento é bem pequena. A indústria prevê lançamentos que prometem um bom clareamento. Vamos aguardar para ver essas novidades.

Fonte: Dental Cremer