Arquivo da categoria: exercícios físicos

Quatro dicas que podem ajudar você a espantar o frio e praticar mais exercícios físicos

Com temperaturas baixas e o frio, o inverno é uma das principais razões para a queda na prática de exercícios físicos; saiba como mudar isso

No próximo dia 23 de julho, começam as Olimpíadas de Tóquio, no Japão. E assistir a uma sequência de grandes esportes como basquete, ginástica artística, atletismo, vôlei, ciclismo e canoagem, dentre outros, pode ser um ótimo estímulo para incentivar a prática de esportes diariamente.

Entretanto, enquanto o Japão está no auge da estação de verão, no Brasil, o inverno já chegou provocando mudanças nos hábitos com temperaturas bem mais baixas principalmente no Sul e Sudeste do país. E essa mudança de clima pode afetar a disposição de fazer exercícios físicos.

Uma cama quente e a sensação de preguiça são os principais fatores que justificam essa diminuição na vontade de se exercitar. Mas vale lembrar que praticar exercícios físicos no inverno pode trazer muitos benefícios, como:

=Queime mais calorias: ao se exercitar em um clima frio, o corpo humano é obrigado a ajustar a temperatura corporal, para que as células aumentem o consumo energético e transforme em calor, para ficarmos aquecidos. Isso resultará em uma significativa perda calórica;

Shutterstock

=Melhore a saúde do seu coração: à medida que você pratica um exercício físico, o seu coração trabalha constantemente para bombear sangue suficiente para suportar o seu ritmo físico. Ou seja, uma ótima forma de manter seu coração ativo e saudável;

=Sinta o bem-estar emocional e mental: praticar uma atividade física auxilia na produção e liberação dos chamados hormônios do “prazer”, tais como: dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina. Essa união é capaz de proporcionar um bem-estar emocional e mental, tão importantes em um momento como o atual, de pandemia.


=Durma melhor: um esporte praticado de forma regular e constante é capaz de proporcionar uma noite de sono bem dormida e ainda melhorar a qualidade de vida.

Vale destacar que, além das dicas acima, a prática de exercícios físicos no inverno é uma das melhores formas para fortalecer o sistema imunológico, pois a exposição ao frio pode balancear o número de leucócitos e granulócitos, responsáveis pelo funcionamento adequado do nosso sistema de defesa.

Pinterest

Se não for possível encarar o frio para se exercitar, não tem problema! Exercite-se dentro de casa, com o auxílio dos móveis – sofá, cadeira, dentre outros. “É muito importante que as pessoas se conscientizem das possibilidades e benefícios da realização de exercícios no frio. Podemos vencer o frio e a preguiça em prol da qualidade de vida e bem-estar”, afirma Renan Conde, clínico geral do HSANP.

Por fim, lembre-se sempre de, durante os exercícios, manter-se aquecido com roupas adequadas e específicas para atividades ao ar livre, além do uso da máscara e, sempre, respirar pelo nariz. Isso previne contra a possível infecção pelo coronavírus (Covid-19) e evita o ressecamento das vias aéreas devido ao contato com ar mais frio.

Fonte: HSANP Hospital referência na Zona Norte da Grande São Paulo

Lazer em ambientes abertos é importante para saúde física e mental

Especialistas dizem que as chances de contágio são reduzidas, ainda mais aliadas ao distanciamento social e uso de máscaras

Mesmo com alta nos casos de covid-19 em todo o país, a prática de lazer e atividades físicas ao ar livre, em parques e praias, é benéfica à saúde. Mas qual é o risco de frequentar ruas, praias e parques? Infectologistas dizem que o contágio pode ocorrer ao ar livre, mas as chances são muito reduzidas. Isso porque o ar livre dispersa e dilui o vírus. Mas sempre há chances de ocorrer infecções em ambientes externos.

Dreamstime

O risco de ser infectado ao passar rapidamente ao lado de um corredor ou ciclista em um parque ou praia não é alto, pelo menos na ausência de um espirro ou tosse, e é ainda mais baixo à distância. As atividades solitárias transmitem menos partículas que os esportes coletivos ou as brincadeiras na água, explica Maura Salaroli de Oliveira, gerente médica da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Sírio-Libanês. “Ir sozinho ou com as pessoas da sua bolha de quarentena minimiza o risco.”

Outro cuidado é não fazer das atividades ao ar livre um motivo de aglomeração e de estar muito próximo com aquelas pessoas que não fazem parte do nosso círculo de convívio habitual. “Então é preciso manter o distanciamento de 1,5 m das pessoas, usar máscaras e a higienização das mãos”, complementa a médica.

Os parques também têm se mostrado um ambiente tranquilo e seguro. Os brinquedos para as crianças atraem as famílias, que muitas vezes residem em apartamentos. Mesmo com um lockdown extremamente rigoroso, a Inglaterra sempre permitiu que as pessoas frequentassem parques, por 30 minutos por dia. Por fim, a infectologista aconselha que, enquanto a doença não é controlada de forma definitiva, o recomendando é evitar lugares aglomerados, em especial aquelas pessoas que pertencem ao grupo de risco para a Covid-19.

Impactos na saúde mental

Getty Images

Com a pandemia prestes a completar um ano, as pessoas que trabalham diariamente em home office relatam sentir a necessidade de descansar. A coordenadora da Unidade de Psicologia do Hospital Sírio-Libanês, Daniela Achette, recomenda o lazer e a socialização com cuidado. “O lazer é um fator protetivo para nossa saúde mental, uma vez que proporciona descanso, divertimento e desenvolvimento”.

Para isso, ela indica ambientes abertos livres, espaços ventilados e enfatiza a necessidade do uso das máscaras, trocá-las após três horas de uso ou quando começarem a sentir umidade nelas e ter sempre álcool em gel. Segundo a psicóloga, apesar de necessário, o período de isolamento social intensificou um quadro de problemas psicológicos no país, como o humor deprimido, as alterações no sono, apetite, conflitos familiares, insônia, medo, irritabilidade, a sobrecarga emocional e a exaustão mental.

Fonte: Sírio-Libanês

Como introduzir hábitos alimentares saudáveis ao dia a dia

Verão e a promessa de todo início de ano alcançar metas desejáveis podem funcionar como incentivos para as pessoas mudarem alguns de seus hábitos, incluindo os alimentares. A coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Internacional Uninter, Thais Mezzomo, ao lado do professor, Alisson David Silva, alertam que a mudança de certos comportamentos automáticos no cotidiano, podem estimular o consumo de alimentos saudáveis na dieta.

Se o ano começa efetivamente somente após o Carnaval, mesmo em tempos de pandemia, os profissionais selecionaram três dicas valiosas de como adquirir hábitos saudáveis na alimentação.

1- Revise a lista de compras em feiras e supermercados

Dê preferência a alimentos in natura e minimamente processados. Os alimentos in natura são aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais, como legumes, folhas, frutas, ovos e leite. Já os minimamente processados são aqueles que foram submetidos a processos que não adicionam substâncias ao alimento original. Alguns exemplos são grãos secos, polidos e empacotados ou moídos na forma de farinhas, raízes e tubérculos lavados, cortes de carne resfriados ou congelados e leite pasteurizado.

Os nutricionistas orientam diminuir o consumo de alimentos classificados como processados e ultraprocessados, tais quais o pão, queijo, compota de frutas e conservas de legumes. “Os processados apresentam métodos usados em sua fabricação que alteram de modo desfavorável a composição nutricional dos alimentos dos quais derivam”, afirmam.
O ideal é não ter sempre à disposição alimentos ultraprocessados, pois geralmente são abundantes em sódio, açúcares e gordura “Por serem alimentos de rápido consumo, muitas pessoas têm a falsa sensação de substituição, e assim ignoram o consumo de alimentos in natura”.

2 – Aposte em receitas com alimentos frescos

Se o alimento in natura não apetecer o indivíduo, uma saída é pesquisar receitas rápidas na internet que utilizem ingredientes saudáveis. Afinal, muitas verduras e legumes apresentam diferentes formas de preparo, e isso pode modificar as preferências da pessoa ao ser introduzida a um novo sabor.

Os professores exemplificam essa prática com a berinjela. Muitas pessoas que não gostam da berinjela podem ter o paladar surpreendido ao incluir o legume em sua dieta na forma de uma saborosa caponata (preparação a base de berinjela refogada com cebola, pimentão, tomates e outros ingredientes conforme a preferência).

“Já para a ingestão de frutas, indicamos para as pessoas que não têm o hábito de comer o fruto in natura, acrescentar alguns pedaços em lanches, saladas, iogurte natural, vitaminas, bolos, sorvetes saudáveis ou cozinhá-las com canela”.

3 – Inclua exercícios físicos em sua rotina

A intenção aqui não é ser um grande atleta, mas é confirmado que adicionando exercícios físicos simples em sua rotina (bicicleta, caminhada, alongamento, entre outros), as práticas podem ser uma porta de entrada para se adotar uma alimentação balanceada.

Em tempos de pandemia, é comum evitar a frequência na academia, então a dica é procurar opções de treinos disponíveis em aplicativos gratuitos, vídeos online na internet ou até procurar um grupo específico no WhatsApp mediado por um profissional de Educação Física.
“Sempre que possível consulte um educador físico para a prática correta dos exercícios e caso sinta algum desconforto, procure um médico”, recomendam.

Fonte: Centro Universitário Internacional Uninter

Dez resoluções de saúde e bem-estar para este ano

Especialista do Freeletics elenca as principais dicas para definir e cumprir os objetivos ao longo do ano

O início de um novo ano é sempre marcado por um frenesi de resoluções, especialmente quando se fala em objetivos de saúde e condicionamento físico. Mas a grande maioria das pessoas não sabe qual a melhor abordagem para garantir o sucesso, como escolher as metas mais adequadas e qual o limite para não cometer exageros.

Diante desse cenário, Thomas Falda, especialista em treinos do Freeletics, aplicativo líder em exercícios físicos e estilo de vida com uso de inteligência artificial, elencou algumas dicas para quem quer definir metas e cumprir essas resoluções nos próximos meses com saúde e da maneira correta. 

Resoluções de treino

1. Treine com mais consistência

Para o especialista, pode haver muitos motivos para alguém ter dificuldades em treinar de forma consistente. Um deles é que, às vezes, há uma discrepância entre o que queremos fazer e o que realmente podemos fazer. “Quando tendemos a perder a consistência, é sempre importante nos lembrarmos do básico”, destaca. Portanto, pergunte-se:

1. Seu treino semanal planejado se encaixa de forma realista na sua agenda pessoal? Se a resposta for sim, vá para a pergunta 2. Caso contrário, pare e reavalie;
2. O tempo reservado para cada sessão de treino é realista? Há algum outro horário durante a semana em que você possa fazer uma sessão mais longa ou em que seja preciso uma mais curta? Se isso ainda não te ajudar, vá para a pergunta 3;
3. Defina qual é o mínimo de treino que você pode fazer. É preciso priorizar os exercícios que deseja realizar;
4. Depois de tudo planejado, prepare-se para fazer mudanças em caso de emergência, ou imprevistos. “É melhor manter alguma consistência, mesmo que você não esteja realizando a sessão de treino dos seus sonhos. É importante que você se certifique que realmente possa fazer o que planejou. Isso vai garantir que você mantenha a motivação para treinar e, assim, será mais consistente”, destaca Falda.

2. Experimente um novo jeito de treinar

Segundo o especialista, se você atingiu o ponto em que deseja incluir novas dimensões em seu treino, adicionar corrida ou pesos ao seu programa é uma opção válida. “Você pode fazer isso combinando corrida ou treino com pesos ao seu programa com peso corporal. Você não precisa desistir da rotina de treino com peso corporal a qual já se acostumou, mas isso permite que você defina novos objetivos e veja se o treino extra de corrida vai lhe render algumas novas conquistas”, completa.

3. Aprenda novos exercícios

Falda aconselha: consistência e escolha do exercício certo. “Consistência é fundamental e nada pode ser alcançado sem ela. Aconselho começar treinando uma determinada habilidade duas vezes por semana. Depois de conseguir manter isso por várias semanas, você pode pensar em aumentar a frequência”, explica. “Escolher a habilidade certa para você significa praticar um exercício que seja desafiador, mas não muito. É preciso dominar outros exercícios mais acessíveis primeiro”, alerta Falda.

Resoluções para uma nutrição adequada

4. Cozinhe mais em casa

iStock

“A maioria de nós sabe porque deve comer mais alimentos frescos, mas às vezes não sabemos exatamente como começar. Procure receitas simples, com etapas limitadas de preparação. Depois de se acostumar a cozinhar em casa, não demorará muito mais do que 30-45 minutos, que é aproximadamente o mesmo tempo que você passaria esperando pela sua comida em um restaurante”, destaca o especialista.

5. Prepare suas refeições e separe em porções

Para Falda, a preparação de refeições é uma ferramenta relativamente avançada para uma alimentação saudável e para alcançar objetivos nutricionais. “É uma técnica com foco em preparar a comida e separá-la em pequenas porções com antecedência, de modo que, durante a semana, você só precise reaquecer o que for comer. Ao fazer isso, você garante refeições saudáveis e que talvez não tenha tempo para preparar durante a semana”, explica.

Portanto, se quiser experimentar, siga estas dicas do especialista:

FreeGreatPicture

– Para começar, vá devagar e experimente fazer uma refeição;
– Determine quantas vezes (porções) você está disposto a comer a mesma refeição ao longo de uma semana. O ideal é estar disposto a se alimentar da mesma refeição mais de uma vez, pois facilita o processo e reduz o tempo total de preparação;
– Certifique-se de comprar todos os ingredientes que precisa no supermercado;
– Cozinhe em porções e guarde em recipientes;
– Se você quiser fazer suas refeições em dias consecutivos, talvez nem precise congelá-las. Caso contrário, congelar é uma boa opção para manter os alimentos frescos, caso pretenda variar suas receitas.

6. Alimente-se melhor em casa

“Inicialmente, você deve tentar cozinhar refeições fáceis e rápidas. É como treinar: você não tentaria fazer um Squat com 200 kg na sua primeira tentativa. Cozinhar é a mesma coisa: comece fácil e simples. Qualquer um pode cozinhar arroz ou batata doce. Qualquer um pode comprar frango e colocar na panela”, aconselha o especialista. Assim como nos treinos, comece de forma fácil. Comece cozinhando e comendo alimentos saudáveis uma vez por semana. Assim que puder fazer isso de forma consistente, faça duas vezes por semana, três vezes por semana, e assim por diante. 

Resoluções para o seu bem-estar

7. Tente meditar

Foto: SelfSetFreeLiving

Para iniciantes, a indicação é começar aos poucos. “Se experimentar um estilo de meditação e ele não combinar com você, não desista. Experimente algumas vezes, como num processo de tentativa e erro. Teste outra coisa e veja se gosta. Depois de encontrar algo que goste, seja consistente e faça com cada vez mais frequência para torná-lo parte de sua rotina”, explica Falda. 

8. Escreva seus objetivos

Segundo o especialista, escrever pensamentos e ideias em forma de diário ajuda a organizar o dia e também tira algumas coisas da mente. “Para muitas pessoas, escrever em seu diário pela manhã enquanto toma um café ou chá matinal funciona melhor. Se você não souber por onde começar, faça uma lista de tarefas ou simplesmente escreva seus objetivos e pensamentos diários. Registrar no diário ajuda a dar mais estrutura à sua vida, e ver tarefas riscadas de uma lista proporciona uma sensação de realização. A melhor maneira de começar é experimentar”, pontua. 

9. Durma mais

O sono é vital para a vida, mas seus benefícios no desempenho físico e mental também são comprovados. “O sono aprimora seu desempenho de forma natural e não é uma boa ideia ignorá-lo se você quiser treinar com uma agenda lotada. Para fazer isso, você precisa estar descansado”, alerta Falda. “Dormir o suficiente com uma agenda lotada significa que você terá que priorizá-lo e dar a ele a atenção merecida. Um conselho simples seria programar um alarme à noite que indicará que está na hora de se preparar para dormir, cerca de 30 minutos a 1 hora antes do seu horário de costume para se deitar. A partir desse momento, foque seus pensamentos em se preparar para conquistar os desafios e execute sua rotina de costume antes de dormir”, explica.

Atenha-se às suas resoluções e permaneça motivado

10. Descubra seus porquês

Falda destaca: dedique algum tempo para saber por que você realmente deseja fazer uma resolução. “Quais são seus verdadeiros porquês e objetivos? Depois de saber por que está fazendo isso, lembre-se regularmente e concentre-se apenas em cumprir o que determinou. Nunca faça uma resolução por outra pessoa além de você, os objetivos são seus”, afirma. “É normal que nem todo dia tenhamos motivação para atingir nossos objetivos. Entretanto, saber o que nos motiva e nos faz continuar é muito poderoso. Reserve um tempo para se perguntar o que te motiva: habilidades, aparência, conquistas, peso, competição. Descubra qual tem maior significado para você e persiga até conseguir”, conclui.

Concentre-se nas resoluções mais importantes para você

Para o especialista, é preciso pensar em qualidade acima de quantidade. “É melhor escolher apenas algumas dessas sugestões e torná-las uma parte consistente de seu novo estilo de vida do que tentar tudo de uma vez e falhar. A transformação para a sua melhor versão não vai acontecer da noite para o dia. Ao escolher objetivos realistas, você estará se preparando para o sucesso nos meses seguintes”, finaliza.

Fonte: Freeletics

Herbalife Nutrition dá 11 dicas para garantir hábitos mais saudáveis em 2021

Em um ano desafiador como foi 2020, cozinhar se tornou um hobby e malhar na academia ficou limitado. Por causa disso, muitos desviaram de suas metas de saúde e prioridades e, como consequência, engordaram.

Dados de uma pesquisa realizada pelo IBGE divulgada, em outubro de 2020, mostram que 95,9 milhões de brasileiros acima de 18 anos estão com excesso de peso, sendo que 41,2 milhões deles são considerados obesos — uma consequência dos hábitos alimentares e do sedentarismo da população.

Por outro lado, um levantamento encomendado pela Herbalife Nutrition, e conduzido pela One Poll, entre 22 de setembro e 6 de outubro de 2020, revela que as pessoas estão cada vez mais conscientes sobre o impacto de suas escolhas à saúde. Os dados obtidos apontam que, globalmente, 51% delas aumentaram o consumo de frutas e verduras nos últimos meses, e 62% disseram que gostariam de incorporar mais alimentos à base de plantas em seu cardápio.

Diante disso, confira dicas de como aproveitar o início do ano para adquirir uma alimentação balanceada e uma rotina mais saudável e ativa com a nutricionista e Diretora Global de Treinamentos de Nutrição da Herbalife Nutrition, Susan Bowerman, e a vice-presidente global de desempenho esportivo e educação física da companhia, Samantha Clayton:

Tome café da manhã

Comece o dia com um bom café da manhã. Alimentar-se logo pela manhã mantém seu corpo com mais disposição e a sua mente pronta para as atividades do dia.

Movimente-se mais


Procure trazer mais atividades para o seu dia, como usar as escadas ao invés de pegar o elevador. Se possível, vá de bicicleta ao trabalho ou caminhe enquanto conversa no celular. São pequenas ações que podem fazer diferença para uma rotina mais ativa.

Não faça suas refeições na frente do computador ou da televisão

Quando nos alimentamos em frente a uma tela, o foco está bem longe da comida. Dessa forma, você aproveita pouco a refeição e seu cérebro busca acelerar ao máximo o processo.

Pare de se alimentar enquanto estiver em movimento


Busque não se alimentar no carro, enquanto estiver andando na rua ou enquanto estiver se arrumando para ir ao trabalho. Reserve um tempo para sentar, focar e aproveitar a refeição que está fazendo.

Fique atento às calorias


Cuidado com a ingestão de bebidas ricas em açúcares. Leia os rótulos e busque alimentos com boa densidade nutricional, ou seja, que possui uma boa quantidade de nutrientes em relação ao valor energético.

Hidrate-se


Manter-se bem hidratado é essencial para ter uma vida saudável. Por isso, tenha uma garrafa de água, chás gelados ou sucos sempre à mão.

Inclua proteína em todas as refeições

Pixabay


Consumir proteína satisfaz a fome com maior eficácia do que as gorduras e os carboidratos, por isso, inclua pequenas quantidades em todas as refeições. Algumas sugestões de lanches são iogurtes, nozes, barras de proteína, substitutos parciais de refeição (shakes ou sopas), queijos ou atum.

Consuma vegetais e frutas em todas as refeições

Freepik

Vegetais e frutas oferecem mais nutrientes do que calorias. Eles são repletos de água, vitaminas, minerais e fibras.

Não pule refeições

Pular refeições dificilmente funciona como um medidor de calorias. Você apenas acumula para a próxima refeição. Fazer pequenos lanches entre as refeições, com intervalos de três horas é o mais indicado.

Faça mais atividade física


Treinos queimam calorias, auxiliam no seu humor e ajudam a fortalecer os ossos. Além disso, também ajudam na manutenção e construção da massa muscular, te deixam mais forte e podem acelerar o seu metabolismo. Com o horário de funcionamento das academias limitado, aproveite os programas de treinamento online, que possibilitam treinar a qualquer hora e em qualquer lugar, e ainda oferecem suporte a seus usuários e os motivam a se manterem ativos. Se for o caso, invista em alguns equipamentos ou acessórios para ajudar nos treinos em casa. Apenas avalie bem para não deixá-los parados.

Cuide de sua saúde mental


Ficar em forma também significa cuidar da mente e encontrar maneiras de relaxar, respirar e se livrar do estresse. Não à toa vimos aumentar muito o número de aplicativos que oferecem sessões de meditação e ioga. E, em 2021, muitos apps fitness também devem incluir aulas de bem-estar e saúde mental para ajudar seus usuários a liderem com a solidão, a depressão e a ansiedade agravadas pela pandemia.

Fonte: Herbalife Nutrition 

Dicas para não cometer exageros durante as festas de fim de ano

Não pular refeições, fazer exercícios e testar sobremesas mais saudáveis estão entre as recomendações do Freeletics

No fim do ano, a maioria das pessoas se reúne para celebrar, ao lado de familiares e amigos, o Natal e o Ano-Novo, com fartura de comidas e bebidas e troca de presentes. Essas celebrações, entretanto, são regadas de exageros, e as dietas e refeições mais saudáveis ficam de fora dos planos durante esse período.

“Muitas pessoas ficam preocupadas com esta época e os excessos que ela traz, mas o fim do ano não precisa ser desastroso. Existem certas medidas para controlar os danos. Ou, pelo menos, maneiras de se colocar no ritmo e se certificar de que não se está cometendo nenhum exagero”, destaca David Wiener, especialista em nutrição do Freeletics, aplicativo líder em exercícios físicos e estilo de vida com uso de Inteligência Artificial.

Pensando nisso, o especialista do Freeletics reuniu seis dicas para quem quer se manter nos trilhos e aproveitar as festividades sem tirar o foco de uma alimentação saudável e nutritiva.

1) Não deixe de se alimentar em outras refeições

“Nós todos nos sentimos culpados por isso, por não comer em alguma refeição e aguardar a principal, de modo a tentar aproveitar ao máximo. Algumas pessoas pulam o café da manhã, o almoço”, pontua Wiener. Para o especialista, isso não tem necessidade: “Estar diante de um banquete com o estômago vazio aumenta o risco de se cometer exageros. Quando, na verdade, você só quer o sentimento de satisfação. Então, se você está indo para o almoço de Natal, comece com um café da manhã reforçado. Se for a ceia de Ano Novo, coma um lanche durante o dia”, alerta.

2) Se exercite antes de qualquer coisa

Antes das celebrações, treine. “Coloque seu metabolismo para funcionar. Se prepare. Abra o apetite para o café da manhã, você vai aproveitar ainda mais sua refeição se tiver começado o dia bem”, destaca o especialista.

3) Não ceda ao charme do sofá


Durante o período de descanso, o sofá pode ser tentador. “Mas não caia nessa. O truque para uma refeição saudável é manter seu metabolismo funcionando. Respire fundo e saia para uma caminhada”, recomenda Wiener.

4) Coma estrategicamente

Freepik

Para o especialista, pensar demais nas refeições é um exagero, afinal de contas, são as festas de fim de ano. “Porém, é melhor escolher entre verdes e vegetais ao invés de carboidratos complexos. Deste modo, você não vai se sentir tão estufado para experimentar aquele pedaço de torta que você está cobiçando o dia todo”, ressalta.

5) Experimente uma sobremesa mais saudável

ArlaFoods

Wiener destaca que algumas pequenas mudanças podem fazer uma grande diferença. Por exemplo, colocar canela nas sobremesas ao invés de açúcar, escolher uma torta de abóbora ao invés de chocolate. “Isso vai deixar suas sobremesas tão saborosas quanto, além de mais saudáveis e nutritivas”, pontua.

6) Crie seu ritmo


Véspera, Natal, Ano-Novo… e a lista segue. Por isso, estabeleça seu ritmo e o siga. “Faça uma desintoxicação de alguns dias depois de cada um dos eventos, se puder. Continue o treino e não submeta seu corpo ao choque de exagerar logo na primeira refeição”, conclui o especialista.

Fonte: Freeletics

Médico alerta que praticar exercícios físicos após os 50 anos traz inúmeros benefícios

Geriatra explica a importância de fazer atividades com o corpo nessa fase da vida

Muitos mitos e suposições cercam o processo natural de envelhecimento. Mas se tem algo que é unânime é que, para manter uma vida mais tranquila acima dos 50 anos, bons hábitos são fundamentais e fazem toda a diferença. “Nunca é tarde demais para começar uma atividade física. Tem gente que pensa que, se não começou até agora, não dá mais tempo. Mas dá”, garante Felipe Bozi, geriatra da startup Nilo Saúde.

O médico explica que os benefícios de realizar atividades físicas existem independentemente da idade em que se inicia a prática, contribuindo para a melhora da qualidade do sono e do humor, maior controle de doenças como hipertensão e diabetes, melhora da atenção e das funções cardiovascular e respiratória, promovendo mais qualidade de vida e saúde física e mental.

A partir da terceira e quarta década de vida, as pessoas apresentam uma redução natural de massa muscular. A prática de exercícios físicos na juventude consegue impedir ou ao menos atrasar essa perda. Mas, mesmo que esse hábito não venha desde cedo, o início da prática de atividade física é capaz de melhorar a saúde muscular e óssea.

“A perda da massa muscular está associada a um maior risco de quedas, maior desequilíbrio, o que pode aumentar as hospitalizações, reduzir a velocidade e a força da pessoa, tirando a sua qualidade de vida. Hoje em dia se sabe que a atividade física está associada também à prevenção de Alzheimer”, completa.

Para essa faixa etária, o recomendado é que, antes de iniciar os exercícios, a pessoa procure um médico para que seja feita uma avaliação minuciosa, identificando se existe algum tipo de risco ou restrição, além da orientação do melhor tipo de exercício a ser realizado.

Segundo o geriatra, de forma geral, é indicado que os exercícios sejam feitos cinco vezes por semana com duração de 30 minutos, intercalando entre atividades físicas aeróbicas, com intensidade moderada, treino resistido, com o auxílio de pesos e elásticos – para que haja uma resistência muscular -, e exercícios de equilíbrio, que buscam manter o balanço do corpo.

Os exercícios aeróbicos incluem caminhada um pouco mais acelerada, bicicleta ou atividades na água, por exemplo. Os treinos resistidos devem ser feitos pelo menos duas vezes por semana, alternando entre os grandes músculos dos membros inferiores e superiores. Quanto às práticas de equilíbrio, indispensáveis para evitar que as quedas ocorram, são indicados Tai Chi Chuan, yoga, pilates, entre outros. Mas vale lembrar que os treinos devem acontecer sob supervisão de um profissional educador físico que possa ajustar a prática para a especificidade de cada pessoa.

Sobre Felipe Bozi

Felipe Bozi é médico formado pela Escola Superior de Ciências da Saúde em Brasília (ESCS) e especializado em Clínica Médica e Geriatria pelo Hospital das Clínicas da USP. Após terminar a residência de Geriatria, trabalhou por um ano como preceptor dos residentes no HCFMUSP. Depois, passou a integrar o time da Nilo.

Sobre a Nilo Saúde

A Nilo é uma startup criada em janeiro de 2020, que iniciou sua atuação em plena pandemia do coronavírus. É uma clínica multidisciplinar digital, especializada no público acima de 50 anos, que oferece serviços de atenção primária e secundária a todo o Brasil. O processo de apresentação da empresa, triagem de pacientes e consultas é 100% online, com direcionamento a hospitais e laboratórios em caso de internação ou realização de exames, e a especialistas em casos específicos. Um médico da Nilo fica responsável pelo paciente para que possa centralizar o seu histórico e acompanhar constantemente a sua saúde. O objetivo é prevenir doenças e melhorar a qualidade de vida.

Setembro Amarelo: o impacto positivo dos exercícios físicos no combate à depressão

Com bate-papo entre psicóloga e educadora física, Selfit lança podcast sobre saúde mental em apoio ao Setembro Amarelo

Muito além dos benefícios estéticos, a prática de atividades físicas vem mostrando cada vez mais seu impacto positivo na saúde mental. Ao se exercitar regularmente, o organismo libera neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e felicidade, atuando no alívio do estresse e na melhora de quadros de ansiedade.

Atenta a isso, a rede low cost high value Selfit Academias adere ao Setembro Amarelo, campanha criada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM), com o objetivo de conscientizar a população promovendo ações para o combate ao suicídio.

Por meio de um bate-papo entre a educadora física Juciele Sá e a psicóloga Mayara Santana, a primeira edição de setembro do Podcast Inspire, da Selfit, aborda o impacto dos exercícios físicos no combate à depressão.

De acordo com Mayara, que faz parte da plataforma de saúde emocional Moodar, empresa parceira da Selfit, o exercício físico fortalece o crescimento das células cerebrais. “A atividade melhora o fluxo de nutrientes que vão para o cérebro, retardando o nível de envelhecimento e aumentando a sensação de felicidade e bem-estar.”

Um ponto fundamental para criar uma boa rotina de exercícios e trazer benefícios à saúde mental é realizar atividades prazerosas, que atendam às individualidades de cada um.

Juciele explica que, ao praticar exercícios adequados ao seu estilo de vida, o aluno encontra motivação para continuar aumentando os ganhos em todos os sentidos. “Podemos perceber que o aluno passa a apresentar melhora na capacidade cognitiva, reduzindo os níveis de ansiedade e estresse, fornecendo mais energia e aumentando a autoestima”, completa.

Para pessoas que sofrem de quadros avançados de depressão, os efeitos podem ser ainda mais significativos. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a depressão afeta mais de 300 milhões de pessoas no mundo, sendo a principal causa de incapacidade.

Por isso, Mayara destaca a importância, nestes casos, de um acompanhamento multidisciplinar. Juntos, médicos especialistas em saúde mental, psicólogos e profissionais de educação física podem oferecer uma rede de apoio ao paciente com quadro depressivo, auxiliando na sua recuperação.

“Com a orientação profissional adequada e uma adaptação nos exercícios iniciais, o indivíduo que sofre de depressão poderá, de forma gradual e progressiva, se sentir mais confortável e estimulado a buscar atividades que dão prazer e proporcionem melhora na sua qualidade de vida”, destaca a psicóloga.

E para aqueles que não têm o hábito da prática diária de atividades físicas, a profissional da Selfit Academias faz uma recomendação. “É importante encontrar um tipo de atividade que seja prazerosa, tentando realizá-la no mínimo duas vezes por semana, sempre seguindo a orientação de um profissional.”

Para ouvir o bate-papo entre as duas especialistas na íntegra, confira a partir do dia 7 de setembro pelo Spotify, Deezer e outros agregadores de podcasts.

O Podcast Inspire conta com episódios semanais, sempre trazendo dicas e orientações de profissionais de diferentes áreas relacionadas à saúde, como nutricionistas, psicólogos e educadores físicos, entre outros parceiros da rede.

O canal faz parte de um conjunto de ações idealizadas pela Selfit com o propósito de levar informação de qualidade aos seus alunos, diminuindo a distância entre a academia e seu público, especialmente neste momento de isolamento social.

Aulas virtuais

A rede segue ativa virtualmente com a campanha “Em Casa do Seu Jeito”, oferecendo diariamente Lives e aulas em seus canais na Internet, com dicas de exercícios fáceis a serem realizados em casa, sem a necessidade de contato físico ou uso de equipamentos.

As ferramentas digitais da rede são gratuitas e podem ser utilizadas por toda a população, não apenas por alunos. A Selfit conta ainda com outros dois aplicativos exclusivos para alunos da rede, um para orientação nutricional (App Self Sem Culpa) e outro para treinos, o App Selfit.

Além disso, a marca lançou recentemente um novo site totalmente interativo e responsivo, para auxiliar alunos e toda população durante o período de isolamento social.

O novo portal tem como objetivo reunir em um só lugar todas as ferramentas e conteúdo online trabalhados e disponibilizados pela rede até agora, num ambiente de fácil navegação, mais atrativo, moderno e de maior identidade com a marca.

O site conta ainda com um espaço voltado às empresas parceiras (Deezer, Integralmedica e Liv Up, entre outros), com descontos e promoções especiais, além de um blog com quatro tipos de conteúdo distintos: exercícios físicos a serem feitos em casa, dicas de nutrição, mitos e verdades e temas motivacionais.

Informações: Selfit

 

 

Você sabe o que é sarcopenia?

Pois é bom fazer uma poupança de massa muscular enquanto há tempo e garanta um envelhecimento saudável

O que é sarcopenia?

O termo vem do grego e significa perda ou pobreza de carne. Ou seja, perda significativa da massa muscular (massa magra), prejudicando muito a qualidade de vida da pessoa. Geralmente atinge idosos a partir dos 60 anos. Resumindo, é o resultado do processo de envelhecimento.

Sintomas

jardim jardinagem regar regador mulher idosa pasja1000 por Pixabay
Foto: Pasja1000/Pixabay

Os principais sintomas envolvem a perda da força, do equilíbrio e do desempenho físico para realizar atividades como caminhar, levantar da cama, subir escadas, carregar compras, trocar uma lâmpada, desequilíbrio ao andar em terrenos com desníveis, conferindo assim, maior risco para quedas, fraturas, incapacidade, dependência, hospitalização recorrente e mortalidade no idoso.

Causas

20170822_00_alimentacao_prato_comida1
Foto: Visual Hunt/CC

As causas são múltiplas, como as alterações hormonais e fisiológicas do próprio envelhecimento, sedentarismo, má alimentação, limitações físicas, depressão e falta de proteína. Em alguns casos, ela é decorrente de doenças como câncer, infecções e inflamações, traumatismos sérios e outros, que são fatores que levam à perda de massa muscular de forma rápida e muito mais grave do que a que ocorre no envelhecimento.

Prevenção

corrida caminhada inverno

A médica Bruna Marisa, Membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e com grande atuação na Medicina Esportiva aconselha: “O mais importante de tudo para prevenir essa perda é fazer uma poupança muscular durante a vida para garantir um envelhecimento saudável, com mais músculos, mais força e mais vitalidade”. Exercícios físicos de resistência também são fundamentais. Isso reforça a importância de se buscar massa magra enquanto se é jovem. Certamente isso ajudará e muito na sua qualidade de vida durante a terceira idade.

Hoje recomenda-se a ingestão de pelo menos 1g a 1,2 g de proteínas por quilo de peso corporal, ao dia.

Diagnóstico

desintometria mv imagem
MV Imagem

O diagnóstico é feito por um médico clínico geral ou geriatra através de testes simples para avaliar a força muscular e exames de tomografia nas regiões da perna e do abdômen para estimar o volume muscular. Pode-se pedir também exames de densitometria de corpo inteiro, ressonância magnética e ultrassom, embora sejam menos usuais.

Tratamentos

telemedicina nutricionista

“A dieta adequada, hormônios e equilíbrio na alimentação rica em proteínas acompanhada por um nutricionista são as melhores formas de prevenir e também amenizar os sintomas da sarcopenia durante o tratamento, o que envolve basicamente exercícios de resistência conforme as condições físicas de cada paciente, dieta com suplementação de proteína e, em casos mais avançados, pode se incluir também o uso de anabolizantes com acompanhamento médico”, avalia a médica.

casal idosos bicicleta Mabel Amber por Pixabay
Mabel Amber/Pixabay

Portanto, se você quer ter um envelhecimento saudável? Cuide hoje de sua saúde física agora. Seu corpo agradecerá.

Fonte: Bruna Marisa é médica, pós graduada em Endocrinologia, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, atua na área de Medicina Esportiva, Ortomolecular e é Especialista em Emagrecimento. Ela também é Médica do Complexo Hospitalar São Francisco e da Santa Casa De Misericórdia de BH.

Hoje é o Dia da Saúde: veja dicas para manter a sua

Cardiologista ensina a ter qualidade de vida e alerta: mesmo na pandemia, é preciso manter os exames de rotina em dia

Hoje, 5 de agosto, é comemorado o Dia Mundial da Saúde. Em tempos de pandemia, quando milhares de pessoas estão perdendo a vida por causa de um vírus, muitas estão com receio de manter uma rotina de exames em dia. Porém, vale ressaltar que essa espera pode ser desastrosa para a saúde.

De acordo com o cardiologista Augusto Vilela, da Rede MaterDei e do Hospital Belo Horizonte, muitas pessoas estão deixando de visitar regularmente o médico com medo do novo coronavírus.

“Nestes tempos de pandemia, sabemos que tem muita gente protelando esses cuidados, o que não é bom. O melhor a fazer é colocar sua máscara, usar o álcool em gel nas mãos e ir ao médico sim, pois os hospitais e clínicas estão tomando todas as medidas necessárias para a prevenção”, alerta.

O médico salienta que, independente do momento, alguns cuidados são importantes para que ter mais qualidade de vida. Entre eles, estão:

mulher-dormir_maquiada

. Dormir bem: uma boa noite de sono melhora o sistema imunológico, reduz o estresse e a depressão. “Em aproximadamente 10% a 20% dos casos, pacientes depressivos podem se queixar de excesso de sono. Apesar de a insônia ser mais prevalente, a sonolência excessiva também é um transtorno do sono que faz com que o paciente busque tratamento médico”, avalia.

Running in winter

. Atividade física:  é um grande consenso na medicina. A atividade física feita regularmente previne inúmeras doenças, entre elas a obesidade, uma doença que precisa ser combatida e que tem inúmeras consequências para a saúde.

mulher comendo salada de frutas botswana youth
Botswanayouth

. Alimentação: deve andar junto com a atividade física, porém não se trata apenas de manter o peso saudável. Boas escolhas alimentares também previnem e combatem doenças. Um bom prato de salada, legumes, vegetais e carnes magras são como um remédio natural, gostoso e bem mais barato que medicamentos da farmácia.

depressao terapia ajuda apoio pixabay p

. Saúde emocional: até mesmo antes do isolamento social as doenças de fundo emocional já chamavam a atenção das autoridades de saúde. Isso se agravou bastante com a pandemia. Buscar ajuda, conversar e se exercitar ajudam na conquista de uma boa saúde, inclusive a saúde mental.

GettyImages remedios pilulas suplementos

. Automedicação não: também mais comum ainda nesta fase da pandemia, a automedicação tem sido amplamente combatida pela comunidade médica. Nunca tome nenhum medicamento sem o conhecimento do seu médico, nem mesmo os que parecem ser inofensivos. As interações medicamentosas ou mesmo os efeitos colaterais podem ter consequências muito graves para a saúde.

Augusto-Vilela-foto- (1)

Fonte: Augusto Vilela é cardiologista, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia e médico do Departamento de cardiologia da Rede MaterDei e do Hospital Belo Horizonte