Arquivo da categoria: Mulheres

Investimentos e Planejamento Financeiro: temas do próximo encontro The Women

Que lugar de mulher não é só mais dentro de casa já é fato consumado nos dias de hoje. As mulheres vêm derrubando uma cultura de décadas, na qual se fala que o homem é quem tem que sair para trabalhar e prover a família. O que se tem observado é um grande aumento do público feminino que se interessa por atividades majoritariamente ocupadas por homens, como as relacionadas a finanças e investimentos.

É isso mesmo. O mercado financeiro virou um tema atraente para as mulheres, que hoje respondem por mais de 46% da população ativa no Brasil. E é justamente para ensinar como investir o seu dinheiro de maneira adequada e inteligente que o The Women realiza o encontro: “Como investir o seu dinheiro de acordo com seus objetivos e sonhos”, no dia 15 de agosto, no IL Barista, em São Paulo.

Para conduzir a conversa sobre esse conteúdo, o The Women convidou a especialista em investimentos e mercado financeiro, Alessandra Boiani. O local escolhido para a realização desta edição é o IL Barista Cafés Especiais, referência há 11 anos em cafés sofisticados e blends especiais.

the women evento2

Cada dia mais as mulheres ganham destaque, se empoderando de espaços públicos e assumindo posições de responsabilidade, autonomamente ou dentro de corporações. E nos investimentos não é diferente. Na Bolsa de Valores, a quantidade de mulheres investidoras saltou de 15 mil em 2002 para 141,7 mil em 2017. No tesouro direto, entre 2013 e 2017, o público feminino quase dobrou, saindo de 80,5 mil para 155,5 mil, um avanço de 93,1%.

“O que mudou principalmente foram os desejos e ambições das mulheres: elas querem e sabem que podem mais. E neste novo contexto de empoderamento feminino é importante saber a como investir o seu dinheiro de acordo com seus objetivos e sonhos”, explica Alessandra.

Durante a palestra, serão abordados diferentes cenários, perfis e formatos de mercado. “Aproveitando o lugar especial que estaremos reunidas, a ideia é fazer um verdadeiro “blend de investimentos”, mostrando que não existem produtos bons ou ruins, mas sim inadequados para aquele tipo de mulher ou perfil”, completa a especialista.

O evento faz parte de mais uma experiência de autoconhecimento, networking, troca e muita descontração proporcionada para mulheres. O convite inclui um coquetel receptivo, um delicioso jantar volante preparado pela gastronomia do IL Barista – sob a curadoria da chef oficial do The Women, Luciane Cataneo – sorteios, presentes, e drinques.

Desta vez, a proprietária do IL Barista, Gelma Franco, que é uma das maiores especialistas em café do país, oferecerá a degustação de dois cafés especiais: “Estamos muito felizes em receber no nosso espaço um evento tão agregador. Escolhi dois blends super especiais para compor o encontro, que promete ser incrível”, comenta Gelma.

the women 2

“Nossos encontros reúnem de 20 a 30 mulheres, criando conexões reais e possibilitando a absorção de um conteúdo que promova o desenvolvimento pessoal e profissional para o universo feminino. Preparamos tudo com muito carinho para que o encontro seja especial e possa fazer diferença na vida das participantes”, finaliza a idealizadora do projeto, Theka Moraes.

Quem participa do ‘The Women’

O conceito inovador do “The Women” atende a mulheres que buscam ter um momento diferenciado do seu hall social e profissional.

Sobre a Palestrante

Alessandra Boiani é corretora de seguros plena, cadastrada na Susep. Tem 21 anos de experiência na área de seguros e investimentos, no Brasil e no exterior. Especializada em planejamento familiar e empresarial, sucessório, tributário e fiscal. Também é assessora de investimentos, cadastrada na CVM e planejadora financeira cadastrada na Planejar.

Sobre Theka Moraes

theka

Formada em Gestão Comercial na Anhembi Morumbi, de São Paulo, Theka Moraes possui ampla experiência no mercado de negócios e relacionamentos conquistados ao longo dos últimos 15 anos, com passagem pela área de negócios da revista Cool Magazine, da plataforma de networking Experience Club, da AEG World Wide, entre outras.

Como investir o seu dinheiro de acordo com seus objetivos e sonhos
Data: dia 15 de agosto
Horário: às 19h
Local: IL Barista
Endereço: Rua do Consórcio, 191 – Vila Nova Conceição, São Paulo.
Informações e reserva de vaga: consultar o perfil no Instagram ou clicar aqui. Valor: R$ 323,00

 

Ikesaki promove palestras em parceria com grupo Mulheres no E-commerce no VTEX DAY 2019

Nos dias 30 e 31 de maio, a rede de hiperlojas promoverá ciclo de palestras com profissionais de destaque no e-commerce. Marca também irá apresentar tecnologia de realidade aumentada xAR, exposição da Maurício de Sousa Produções e mais

A Ikesaki, rede de hiperlojas de beleza profissional, irá apresentar na 7ª edição do VTEX DAY, evento de tecnologia em e-commerce que ocorrerá nos dias 30 e 31 de maio, no São Paulo Expo, uma série de ações que destacam inovação e empoderamento. No Meeting point das Mulheres no E-commerce, a Ikesaki idealizou um espaço exclusivo para receber as profissionais do setor.

“O grupo Mulheres no E-commerce surgiu com o objetivo de auxiliar mulheres que empreendem ou trabalham com e-commerce. A iniciativa já reúne aproximadamente 4 mil mulheres e promove o crescimento das profissionais, estimula o networking, e oferece suporte às mulheres”, afirma Carolina Moreno, Diretora de Marketing na Original.io e Fundadora do Mulheres no E-commerce.

Confira a agenda de Palestras da Ikesaki no VTEX DAY 2019:

30 de maio – 14h30 – Palestra de Virginia Vieira – A Gestão das Emoções
30 de maio – 16h – Palestra de Elaine Dias – Os cuidados da saúde no dia a dia das mulheres
31 de maio – 10h – Palestra de Andrea Iorio – Relacionamento com o Cliente na Era Digital
31 de maio – 12h – Palestra de Cristiano Santos – A incrível arte de gerar negócios através do Linkedin
31 de maio – 13h – Palestra de Virgínia Vieira – A Gestão das Emoções
31 de maio – 14h – Palestra de Liliane Ferrari – Pinterest: diga-me o que pinas que te direi quem és
31 de maio – 14h40 – Palestra de Renata Melhen – Empreendedorismo Feminino

Para participar das palestras, as interessadas deverão se inscrever no estande da Ikesaki, das 12h às 14h, nos dois dias do evento.

mulher executiva

Além das palestras, a Ikesaki irá apresentar as seguintes atrações em seu estande no VTEX DAY 2019:

Área de realidade aumentada – Por meio da incorporação da solução de Realidade Aumentada xAR, desenvolvida pela xGB, a Ikesaki lançará um game que consiste em apontar o dispositivo, seja um smartphone ou tablet, para marcadores que estarão disponíveis em um painel durante o evento. Por meio de uma matriz de escolha, os jogadores avançarão até concluírem a jornada proposta. Ao final, os usuários serão premiados com brindes das marcas de beleza parceiras.

Exposição Somos Todas #donasdarua, da Maurício de Souza Produções – A exposição da empresa criada por Mauricio de Sousa, o pai da Turma da Mônica, agrega conteúdos que demonstram, por meio de histórias e exemplos, como meninas do Brasil e do mundo podem exercitar seu direito de ser o que quiserem e entender melhor conceitos como empoderamento e igualdade de oportunidades.

Espaço Empodere-se

Nesta área, a Ikesaki irá oferecer sua experiência de salão de beleza gratuitamente aos visitantes do VTEX DAY. Nos camarins, profissionais aplicarão serviços de análise capilar, de tendências em cabelos, como o corte ‘bordado’; maquiagem e esmaltação. No espaço Barber Shop, serão oferecidos serviços de corte e barba. Haverá também máquinas de fliperama e estúdio de tatuagem. As ações ocorrem em parceria com as marcas Bio Extratus, Dailus, Impala, Barba Forte, Bilhares Mercedes e Okashi San.

Entregas em 2 horas

Nos dois dias de VTEX DAY, os produtos profissionais de beleza da Ikesaki serão encontrados a preços promocionais, com brindes e opção de serviço de entrega rápida – em 2 horas – dentro do pavilhão, para compras efetuadas no totem ou no tablet no estande.

O VTEX DAY é um dos maiores eventos do mercado digital. Um público de mais de 15 mil pessoas é esperado na edição de 2019. O VTEX DAY terá mais de 24 horas de conteúdos inéditos, distribuídos em dois dias de programação e apresentados por mais de 80 especialistas em diversos assuntos. Entre os destaques de palestrantes está o criador da Turma da Mônica, Maurício de Sousa.

Ikesaki no VTEX DAY 2019
Datas: 30 e 31 de maio
Local: São Paulo Expo
Endereço: Km 1,5 da Rodovia dos Imigrantes
Horário: 30/05 (8h) e 31/05 (9h)

Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher: saiba o que mais as afeta

Apesar de afastarem-se do trabalho menos que os homens por motivos de doença, a população feminina sofre com problemas de saúde que podem se apresentar de maneira crônica

Hoje, 28 de maio, é comemorado o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher. De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), dentre as principais doenças que mais atingem esse grupo populacional estão câncer de mama, endometriose, infecção urinária, câncer no colo do útero, fibromialgia, depressão e obesidade.

Em paralelo, a Gesto, health tech de corretagem de seguro saúde, baseada em ciência de dados, mapeou uma base de aproximadamente 720 mil vidas formada por beneficiários atendidos por planos de saúde empresariais e observou que o mais preocupante disso é que os problemas estão correlacionados com os motivos crônicos que se apresentam com mais frequência dentre elas.

No Brasil, a maior parte da saúde suplementar é custeada pelas empresas por meio do plano de saúde. “Ou seja, temos dois agentes corresponsáveis por cuidar do indivíduo: a própria pessoa, que deve querer seu bem maior; e o gestor da companhia, que precisa controlar a sinistralidade para manter a sustentabilidade do benefício”, explica a médica encarregada pela Gestão de Pacientes da Gesto, Lais Fieschi Braun Ferreira.

“Sabendo de maneira antecipada os principais problemas que atingem a saúde das colaboradoras de uma determinada população empresarial, temos um poderoso instrumento para melhor direcionar programas específicos de promoção de saúde e prevenção de doenças com foco em reduzir a incidência de casos crônicos, além de cuidar mais de perto e oferecer apoio médico dedicado às patologias que se concretizarem”, detalha a médica. “Contar com um atendimento focado tranquiliza o beneficiário. A empresa também se beneficia na diminuição dos reajustes do seguro saúde, na redução de ausências dos colaboradores e na melhora do desempenho do time.”

barriga intestino saude mulher

Segundo o estudo, que considerou 375 mil mulheres na amostra, dislipidemia (elevação de colesterol e triglicerídeos), diabetes, problemas reumáticos e oncológicos afetam as mulheres significativamente, assim como questões ortopédicas e infecto-contagiosas. Esse cenário, que contribui para elevar as taxas de internação no País e que se assemelha com os oficiais da ANS, demanda certa atenção para elevar a qualidade de vida delas.

As questões reumatológicas são diversas e necessitam de cuidados direcionados para cada doença. A fibromialgia, por exemplo, não tem cura, mas pode ser aliviada com um trabalho multidisciplinar que envolve a combinação de medicamento, terapia, exercícios, fisioterapia, terapia cognitivo-comportamental e medicina alternativa como acupuntura, massoterapia entre outras técnicas.

No geral, casos como diabetes e dislipidemia podem ser controlados com mudança no estilo de vida investindo em uma alimentação saudável, exercícios físicos regulares, perda de peso, além da medicação para controle dos níveis de açúcar no sangue e da lipoproteína de baixa densidade (LDL). O cuidado com essas doenças que podem se comportar como crônicas no longo prazo evita o surgimento de problemas ainda mais graves como os coronários, os cardiovasculares, a cegueira dentre outras conseqüências possíveis.

Já as pacientes oncológicas precisam de tratamentos específicos para o tipo e grau do câncer detectado, que no caso feminino é mais comum e frequente surgir nas mamas e no colo do útero. Para descobrir o problema no início e aumentar as chances de cura dessa patologia, o ideal é que as mulheres façam anualmente check-up ginecológico com mamografia e papanicolau e outros exames indicados pelos médicos, além de fazer mensalmente o autoexame de mama.

Apesar disso tudo, o mapeamento da health tech também concluiu que, diferente do que a crença popular imagina, as mulheres, excluindo os atestados médicos emitidos durante a gravidez, têm apenas 18% de ausência ao trabalho por motivos de saúde, enquanto os homens apresentam uma taxa de 59% dos documentos. Se incluirmos período da gestação, elas somam apenas 41% do total emitido pela base de vidas.

medica e paciente womansday
Foto: Woman’s Day

“O cuidado que as mulheres têm com a saúde é maior. A responsabilidade histórica com filhos, casa e trabalho pode ser uma explicação para que elas realizem seus check-ups regularmente, diminuindo a incidência de afastamento das atividades”, finaliza Lais.

Fonte: Gesto

Encontro The Women terá degustação especial de vinhos

Ser amante de um bom vinho é fácil. Mas quem nunca passou por aquela cena clássica: na prateleira de um supermercado ou diante de uma carta no restaurante, se depara com milhares de opções de vinho disponíveis e fica completamente perdida em relação a qual bebida levar para casa ou pedir ao garçom?

Dúvidas como qual vinho combina melhor com o prato escolhido, qual é a uva mais leve, qual a melhor safra. Será que tudo isso importa? E é com esse tema tão interessante que o The Women fará o seu terceiro encontro de 2019: “Dicas do Sommelier, da degustação a compra certa!”, que será realizado no dia 30 de maio, em São Paulo, no Show Room da Marel Design Mobili, no Jardim América.

O evento faz parte de mais uma experiência diferenciada de conhecimento e descontração proporcionada para um grupo de 20 a 30 mulheres. Além da degustação das bebidas e de um bate-papo para entender tudo sobre o universo dos vinhos, o convite também inclui um coquetel receptivo, um delicioso jantar harmonizado preparado pelo proprietário do espaço Marel Design Mobili, Fábio Tonetti, e sorteio de presentes exclusivos.

the women

“A ideia dos nossos encontros é justamente criar conexões reais e proporcionar atividades que contribuam para o desenvolvimento pessoal, o networking e a oportunidade conhecer outras mulheres maravilhosas”, conta a idealizadora do projeto, Theka Moraes.

Para realizar a degustação e ensinar tudo o que há de mais interessante sobre os vinhos, o The Women convidou o sommelier Fernando Diniz. A ideia deste encontro é, além da degustação, fornecer um conteúdo bem explicativo com foco em aprender a avaliar as diferenças entre as bebidas, entender as características das uvas de diferentes regiões do mundo, realizar compras assertivas e saber comparar valores de acordo com o custo benefício de cada vinho.

“Fiz uma seleção especial de vinhos da Importadora Vinissimo para esta noite. As mulheres terão a oportunidade de degustar vinhos tintos, brancos e roses, originários de países como Argentina, Espanha e Itália”, conta Fernando. Durante o evento, ainda será abordado tudo sobre os utensílios essenciais para uma boa degustação como taças, abridores de garrafas, decanters, aeradores e adegas.

“Será uma aula bem completa. E, ainda para finalizar este encontro especial, falaremos sobre a harmonização de alimentos e bebidas, para a mulherada não correr mais o risco de errar na hora de escolher o vinho para aquele jantar especial”, finaliza o sommelier.

O evento deste mês ainda conta com uma supernovidade: a Movida Aluguel de Carros será um dos parceiros e preparou um presente especial para as participantes. A locadora com a frota de carros mais nova e completa do mercado realizará a ação Carona com a Movida, que sorteará duas participantes para ganhar uma carona exclusiva com carros da locadora.

Sobre o palestrante

Formado pela Associação Brasileira de Sommelier, Fernando Diniz atua no mercado de vinhos a 10 anos. É docente do Senac Osasco no curso de vinhos; sommelier da Importadora Vinissimo. Já visitou mais de 50 vinícolas entre Europa e América do sul, tendo participado de diversas análises de vinhos.

Sobre Theka Moraes

theka

Formada em Gestão Comercial na Anhembi Morumbi, de São Paulo, Theka Moraes possui ampla experiência no mercado de negócios e relacionamentos conquistados ao longo dos últimos 15 anos, com passagem pela área de negócios da revista Cool Magazine, da plataforma de networking Experience Club, da AEG World Wide, entre outras.

A promoção dos eventos é feita com patrocínio e apoio de empresas, como: Amilla Store, Movida, Dress&Go, Villa Pano, Estética Santa beleza, Rox Acessórios, Footner, Su Chapiro, Casa Miracolli, Cris Lopes e Marcos Mesquita. A organização é feita pela TKM Business Advisory.

the women 2

Serviço

Dicas do Sommelier, da degustação a compra certa!
Data: dia 30 de maio
Horário: 19 horas
Local: Show Room da Marel
Endereço: Al. Gabriel Monteiro da Silva, 1903, Jardim América, São Paulo (SP).
Valor: R$ 289,00 por pessoa

Informações e reserva de vaga: as interessadas devem consultar o perfil no Instagram ou clicar aqui.

 

Feminicídio: é essencial que as vítimas de violência doméstica e familiar registrem BO*

Dados divulgados recentemente revelaram que os casos de feminicídio aumentaram 76% no primeiro trimestre de 2019 em São Paulo, se comparados ao mesmo período do ano anterior.

Há quatro anos entrou em vigor a Lei 13104/15 que alterou o Código Penal para incluir mais uma modalidade de homicídio qualificado, o feminicídio, ou seja, quando o crime for praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino, esclarecendo que ocorrerá em duas hipóteses: (i) quando o crime envolve violência doméstica e familiar; (ii) quando há menosprezo ou discriminação à condição de mulher. A pena estabelecida é de 12 a 30 anos de reclusão, tendo sido incluído no rol de crimes hediondos.

Desde que a lei entrou em vigor, os casos de feminicídio vêm aumentando, mas isso não significa um aumento na quantidade de mortes de mulheres em função do gênero, mas a conscientização sobre a tipificação do feminicídio.

Embora seja um passo necessário, a punição mais severa não é suficiente para o combate à violência contra a mulher. É necessária uma ação conjunta, com a adoção de políticas públicas de acolhimento da mulher que é vítima de violência doméstica e educação de gênero para conscientização sobre a questão, o que é previsto na Lei Maria da Penha.

As medidas protetivas de urgência previstas na Lei Maria da Penha são fundamentais e têm relação direta com a diminuição de números de feminicídio. Inclusive, desde abril de 2018, o seu descumprimento passou a ser tipificado como crime.

É essencial que as vítimas de violência doméstica e familiar registrem Boletim de Ocorrência e busquem ajuda na rede de atendimento. Dados estatísticos revelam que a maioria de vítimas de feminicídio nunca registrou boletim de ocorrência ou obteve uma medida de proteção, sendo que romper o silêncio e deferir medidas de proteção é uma das estratégias mais efetivas na prevenção do feminicídio.

casal tristeza

*Daniela S. Martins Cavalcante é graduada em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo em 1997. Pós Graduada em Direito Penal pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC/SP. Possui grande experiência na área penal, atua na defesa de casos concretos em todas as esferas, instâncias e tribunais.

 

Aplicativo classifica locais considerados com risco de assédio a mulheres

Plataforma tem o objetivo de reduzir casos de violência e foi selecionada como finalista do programa Campus Mobile, iniciativa do Instituto NET Claro Embratel

SafeGirl é um aplicativo desenvolvido para contribuir na prevenção de assédio sexual. Pensada para o público feminino, a solução faz parte dos projetos finalistas do Campus Mobile, concurso de inovação e empreendedorismo do Instituto NET Claro Embratel, em parceria com a Associação do Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC/USP) e o apoio da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, que incentiva a formação de talentos junto a alunos universitários e recém-formados para atuação no mercado de conteúdos e novos serviços de telefonia móvel.

A solução, criada por Mateus Bezerra da Silva, estudante da Universidade Federal do Amapá, e Vitor Hugo Moraes e Brenda Sá, da Universidade Federal do Maranhão, incentiva mulheres a compartilhar no aplicativo a experiência que vivenciam nos lugares que frequentam, a partir de uma classificação com diferentes graus de segurança.

“A plataforma serve para empoderar as mulheres, reduzindo o número de casos de violência, combatendo diversas formas de opressão e proporcionando um espaço de promoção e proteção dos Direitos Humanos”, comenta Mateus.

celular carro pixabay
Pixabay

Além da classificação dos locais, outras funcionalidades devem ser adicionadas no aplicativo, como descontos para usuárias, acesso às leis que garantem seus direitos e também o contato de organizações de combate à violência contra mulher.

Viagem ao Vale do Silício

O aplicativo dos estudantes concorre com outros dois projetos na categoria Diversidade do Campus Mobile. Os vencedores do concurso serão premiados pelo Instituto NET Claro Embratel com uma viagem ao Vale do Silício, na Califórnia, Estados Unidos, para uma imersão nas principais empresas de tecnologia do mundo, como Google, Facebook, Twitter e até mesmo a Universidade de Stanford, para finalizarem os projetos. O resultado final, com a indicação dos vencedores, será divulgado no dia 6 de maio.

Na sétima edição, o Campus Mobile, concurso de ideias e soluções para telefonia móvel, já premiou 18 aplicativos ao longo dos últimos anos. Durante o programa os participantes selecionados recebem monitoria de especialistas da área de inovação para o aperfeiçoamento dos projetos. Eles também participam de uma semana presencial em São Paulo, que conta com maratona de programação, palestras e visitas a empresas parceiras.

Fonte: Instituto Net Claro Embratel

Infertilidade e depressão: quais as ligações, os sintomas e como enfrentá-los

A infertilidade pode ser angustiante e muitas pessoas experimentam crises de estresse, tristeza ou sentimentos de desesperança. Algumas, porém, chegam a ficar deprimidas. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos, em 2015, encontrou uma alta prevalência de transtorno depressivo maior em pessoas que estavam recebendo tratamento para infertilidade.

Se você está passando por isso ou conhece alguém próximo que esteja, leia com atenção este texto.

Como a infertilidade está ligada à depressão?

mulher depressao cansaço cama pixabay p

Enquanto os médicos há muito entendem que a infertilidade é um problema de saúde, a vergonha e o sigilo continuam prevalentes entre as pessoas com infertilidade. Isso pode dificultar a busca de ajuda de amigos e familiares. Não engravidar depois de tentar por um período prolongado pode ser profundamente decepcionante e frustrante, especialmente sem o apoio dos entes queridos. Uma pesquisa de 2010 descobriu que a depressão pode impedir as pessoas de procurar tratamento para a infertilidade.

Embora muitas pessoas com problemas de fertilidade possam ter um filho após o tratamento, como a fertilização in vitro (FIV), a ansiedade sobre se o tratamento irá funcionar também pode prejudicar a saúde mental de uma pessoa.

“A infertilidade, do ponto de vista emocional, é vivida como uma perda, e toda perda pressupõe um luto. Esta perda pode ser vivida em diferentes momentos: quando se descobre que a gravidez muito provavelmente não acontecerá sem tratamento; quando há insucessos nos tratamentos e quando a gravidez é seguida pelo aborto”, afirma o médico Arnaldo Schizzi Cambiaghi, diretor do Centro de Reprodução Humana do IPGO.

“Os sentimentos depressivos indicam o fim da fase de raiva e revolta, comuns do primeiro momento, e o início de uma nova fase na qual há a possibilidade de suportar as frustrações sem ressentimentos e com menos hostilidade, e as projeções da raiva no mundo externo diminuem”, completa o médico.

Cambiaghi lembra que, apesar de ser uma fase necessária ao processo de elaboração emocional, é extremamente importante que o médico esteja atento para a intensidade e a permanência da paciente neste quadro. Caso os sintomas depressivos se intensifiquem, um aspecto mais severo de depressão pode se configurar. A indicação fármica e psicoterápica é extremamente benéfica e se faz necessária em tais situações.

Algumas das razões pelas quais as pessoas com infertilidade lutam contra a depressão incluem:

=Estresse: a infertilidade pode ser uma experiência estressante, particularmente quando há muita pressão sobre alguém para engravidar.
=Condições médicas: vários problemas médicos podem causar infertilidade, como a síndrome dos ovários policísticos (SOP) e também podem aumentar o risco de depressão. Um estudo de 2010 encontrou taxas mais altas de depressão e ansiedade em mulheres com SOP.
=Os desafios emocionais e físicos do tratamento: um pequeno estudo de 2014 com mulheres que procuraram tratamento de infertilidade ou serviços de preservação de fertilidade descobriu que a ansiedade e a depressão pioravam à medida que o tratamento progredia.
=Efeitos colaterais do tratamento: muitos medicamentos para fertilidade envolvem o uso de hormônios. Às vezes, esses podem afetar o humor de uma pessoa, aumentando o risco de depressão.

Qualquer um pode experimentar depressão por causa da infertilidade.

Sintomas

Não é incomum sentir-se triste ou deprimido ocasionalmente. No entanto, quando esses sentimentos persistem com o tempo e afetam a qualidade de vida de uma pessoa, ela pode estar sofrendo de depressão. Uma pessoa pode receber um diagnóstico de depressão quando tiver cinco ou mais dos seguintes sintomas:

=humor deprimido durante a maior parte do dia na maioria dos dias;
=perda de interesse na maioria das atividades, mesmo aquelas que aprecia;
=perda de peso ou ganho, não devido à dieta deliberada ou condição de saúde;
=dormindo muito ou pouco;
=sentindo-se fisicamente agitado ou lento na maioria dos dias;
=tendo baixa energia na maioria dos dias;
=sentindo-se sem valor, culpado ou envergonhado;
=dificuldade para pensar claramente ou se concentrar;
=pensamentos frequentes de morte ou suicídio.

Para um médico diagnosticar a depressão, os sintomas de uma pessoa não devem ser causados ​​por medicação ou abuso de substâncias. Ele também deve pedir avaliação para outras condições de saúde mental. Se outra condição explicar com mais precisão os sintomas, o médico pode diagnosticá-la com essa condição e não com a depressão.

Quando procurar ajuda

terapia-serena-wong-pixabay
Ilustração: Serena Wong/Pixabay

Pessoas com infertilidade que sofrem de depressão devem procurar tratamento para ambas as condições. Embora a infertilidade possa ser a causa da depressão, é essencial tratar também os problemas de saúde mental.

Casais incapazes de engravidar depois de tentar por 12 meses ou mais devem considerar conversar com um médico sobre a infertilidade. No entanto, mulheres com mais de 35 anos devem consultar um médico caso não tenham conseguido engravidar após 6 meses de tentativas. Casais com história de infertilidade, mulheres com períodos irregulares e pessoas com problemas médicos crônicos, como diabetes, devem procurar um médico antes de tentar engravidar.

Um médico de família pode encaminhar homens a um urologista e mulheres a um ginecologista. Se os sintomas da depressão dificultarem a atuação de uma pessoa em casa, no trabalho ou na escola, elas devem procurar ajuda.

O desespero da depressão pode fazer as pessoas pensarem que o tratamento não funcionará. No entanto, isso também pode ser um sintoma de depressão. O tratamento pode, e muitas vezes alivia, os sintomas da depressão e melhora a qualidade de vida de uma pessoa.

Tratamento

Existem muitos medicamentos disponíveis que podem tratar a depressão. Os antidepressivos vêm em muitas formas, incluindo os inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS), os antidepressivos tricíclicos, os moduladores da serotonina e os inibidores da monoamina oxidase.

Algumas pessoas podem precisar experimentar vários medicamentos antes de encontrar um que funcione bem para elas. Ser honesto com um médico sobre quaisquer efeitos colaterais é essencial, pois o profissional pode alterar a dose ou o tipo de medicação.

A terapia também é uma maneira eficaz de tratar a depressão. Quando uma pessoa está em terapia, ela pode discutir seus sentimentos sobre a infertilidade, estabelecer metas e identificar estratégias para melhorar seu relacionamento. Alguns casais acham que a infertilidade prejudica seu relacionamento, portanto, participar de um aconselhamento em conjunto também pode ajudar.

Para a maioria das pessoas, a medicação e a terapia juntas oferecem os melhores resultados de tratamento. Um estilo de vida saudável, como manter uma dieta nutritiva e fazer exercícios regularmente, também é importante.

Alguns casais acham que um novo hobby ou atividade compartilhada pode ajudar. Ao lidar com problemas de fertilidade, é fácil se concentrar apenas em engravidar e negligenciar outros aspectos do relacionamento. Experimentar novas atividades, ter novas coisas para esperar e construir interesses compartilhados pode ajudar a reequilibrar a vida de um casal.

“A resistência em procurar um psicólogo ainda é muito grande pelos casais. Colocar o sofrimento em palavras, reviver sentimentos dolorosos é visto como algo muito penoso em um primeiro momento. É comum subestimar o impacto emocional ao longo do tratamento, principalmente quando há causas orgânicas absolutamente esclarecidas. Muitas pacientes ficam meses, às vezes anos com o número de telefone do psicólogo guardado em algum lugar até tomarem coragem para ligar”, explica Cambiaghi, que atende casais nesta situação há mais de 30 anos .

Ele enfatiza que a forma com que os profissionais da equipe de saúde encaminham os pacientes ao psicólogo pode facilitar ou dificultar essa procura. Quando os pacientes sentem que estão sendo encaminhados por estarem “problemáticos”, “dando trabalho”, isso só aumenta o estigma e o preconceito em relação às dificuldades mentais e a resistência na busca de apoio psicológico especializado. Sentem-se mais uma vez “incompetentes”, até para lidarem com suas emoções, e essa procura é dificultada.

“Porém, se o médico encaminha o paciente ao psicólogo de forma acolhedora, acreditando de fato que esse tratamento emocional terá eficácia em aliviar as angústias e ansiedades, aumentando o bem-estar e a qualidade de vida das pacientes, o caminho para a aceitação e procura de apoio psicológico especializado fica extremamente facilitado”, ensina o especialista.

Apoio

depressao terapia ajuda apoio pixabay p

Embora a infertilidade seja comum, ela pode fazer com que uma pessoa se isole. Segundo pesquisa norte-americana, cerca de 6% das mulheres entre 15 e 44 anos não engravidam depois de um ano de tentativas. No entanto, a infertilidade não precisa durar para sempre, e o tratamento permite que muitas pessoas tenham bebês saudáveis.

Encontrar apoio de outras pessoas com experiências semelhantes pode ser útil. Elas podem oferecer recursos para controlar o estresse, manter um bom relacionamento e mostrar que ninguém está sozinho. Grupos on-line, como alguns privados do Facebook e fóruns de mensagens de fertilidade, também podem oferecer suporte.

“Não queremos que as pacientes deixem aspectos psicológicos implícitos na infertilidade tomarem conta da vida delas ou tirarem a energia e a esperança não só de continuar tentando a gravidez, mas, também, de viverem a vida em toda a sua plenitude”, afirma Cambiaghi, completando: “É preciso lembrar que não há apenas sofrimento e dor nos obstáculos que a vida impõe, mas também a possibilidade de encontrar força, saúde e resistência para enfrentar com coragem os novos desafios. Quanto maior o bem-estar, quanto maior a compreensão dos conflitos emocionais íntimos e profundos que a infertilidade provoca, menor a angústia e a ansiedade e maiores são as chances de o corpo encontrar um caminho ‘livre’ para a realização do desejo”.

Fonte: Arnaldo Schizzi Cambiaghi é diretor do Centro de reprodução humana do IPGO, ginecologista-obstetra especialista em medicina reprodutiva. Membro-titular do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica, da European Society of Human Reproductive Medicine. Formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa casa de São Paulo e pós-graduado pela AAGL, Illinois, EUA em Advance Laparoscopic Surgery. Também é autor de diversos livros.

Saúde: quais cuidados as mulheres devem ter após os 50 anos

Normalmente, a maioria das mulheres atinge a menopausa entre os 48 e os 52 anos. Nesta fase, elas se tornam um grupo de risco para a osteoporose. Por isso, ter um cuidado especial com os ossos é importante. Atividade física, alimentação rica em cálcio, não fumar e ter a taxa de vitamina D adequada são imprescindíveis para a prevenção.

O aumento na incidência de Doença Arterial Coronariana na mulher após os 50 anos, está relacionado às modificações hormonais, circulatórias e sanguíneas. Essas modificações, constituem a principal causa de mortalidade entre a população de meia-idade.

coração estetoscopio
Foto: Imelechon

No processo de envelhecimento das mulheres, ocorrem alterações no perfil metabólico que resultam em modificações na composição e distribuição do tecido adiposo, favorecendo tanto o aumento de peso, quanto também a progressão de eventuais processos ateroscleróticos. Dentre os principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares estão: idade, obesidade, tabagismo, hipertensão arterial sistêmica, dislipidemias, diabetes mellitus, histórico familiar, estresse e sedentarismo.

papada pescoço mulher meia idade

Para a pele, além da hidratação com a ingestão adequada de água, capriche na hidratação do pescoço, colo e mãos, regiões que, com o passar do tempo, acabam evidenciando sinais de envelhecimento. Cosméticos indicados por profissionais e tratamentos estéticos, como a toxina botulínica (botox), luz pulsada e laser fracionado auxiliam na manutenção da pele rejuvenescida, ao corrigir linhas de expressão, clarear manchas e melhorar a flacidez.

O câncer de mama não tem somente uma causa, por exemplo. A idade é um dos mais importantes fatores de risco para a doença (cerca de quatro em cada cinco casos ocorrem após os 50 anos).

Dicas:

-Faça check-up ginecológico e cardiológico anual

medico e paciente uc health
Foto: UC Health

-Acompanhamento com geriatra para prevenção e acompanhamento visando qualidade de vida e envelhecimento saudável

-Check-up dermatológico para tratamento estético e prevenção de câncer de pele

menopausa mulher bicicleta

-Atividade física é fundamental para prevenir osteoporose, doenças cardiovasculares, ganho de peso e Doença de Alzheimer

-Alimentação saudável, rica em ômega 3, reduzida em sal e em gorduras saturadas

mulher meia idade tomando agua

-Hidratação adequada – recomendado 1,5l a 2l de água por dia

-Terapia de reposição hormonal quando não houver contraindicação

tatiana aquino

Fonte: Tatiana Aquino é formada pela Faculdade de Ciências Médicas de Santos
e tem consultório na Rua Sabará, 566, conj. 113 – Higienópolis- SP

Boas noites de sono são fundamentais para o bem-estar da mulher

Dormir bem evita o estresse e melhora a disposição para enfrentar a rotina do dia a dia

Muitas vezes, os compromissos e as tarefas do dia a dia podem deixar a rotina da mulher ainda mais agitada. Para enfrentar essa correria, boas noites de descanso são essenciais. Segundo pesquisa da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, quando o assunto é sono, o sexo feminino tem padrões diferentes do masculino.

cama mulher sono dormir pixabay dieter robbins
Foto: Dieter Robbins/Pixabay

“Devido à diferença hormonal, o público feminino precisa de mais horas dormidas para manter a mesma disposição, se comparado ao sexo oposto” explica Renata Federighi, Consultora do Sono da Duoflex.

Outro estudo, realizado pelo Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), mostrou que as mulheres levam mais tempo para adormecer, porém o tempo do sono mais profundo (REM) é mais longo. Além disso, elas são mais propensas a terem sonhos ruins, os chamados pesadelos.

“Elas têm alterações hormonais que prejudicam o sono normal, como o período menstrual, a menopausa e a gravidez. A progesterona (hormônio feminino) tem papel fundamental nos mecanismos reguladores do sono. Tanto que as mulheres em pós menopausa, por exemplo, apresentam queda na qualidade e no número de minutos de sono”, esclarece a consultora.

Além disso, as mulheres estão mais propensas a desenvolver doenças cardíacas e depressão quando não dormem bem durante um período longo da vida.

Outra preocupação recorrente entre as mulheres é com a aparência. E ao contrário do que se imagina, sono da beleza não é só uma expressão. De acordo com Renata, o corpo produz hormônios associados ao estresse quando não há repouso adequado.

“Isso altera funções vitais e provoca vasoconstrição, ou seja, palidez e cansaço. Dormir menos do que precisamos deixa a pele sem brilho, com aumento dos vincos e flácida, pois o hormônio do crescimento, que é responsável pelo tônus muscular e pela renovação celular, é liberado em grande quantidade enquanto dormimos. As olheiras também se acentuam, o que faz com que a aparência fique ainda mais abatida”, explica.

Cerca de 40% da população apresenta algum tipo de distúrbio do sono

Conhecer estas particularidades é essencial para se garantir horas de sono realmente reconfortantes e, consequentemente, o bom funcionamento do organismo. Outras práticas podem ajudar a ter boas noites de sono.

“É importante se atentar à postura, usar um travesseiro e colchão que ofereçam conforto e sustentação para a cabeça e corpo, preservando a curvatura natural e alinhando a coluna, seguir uma alimentação saudável e hidratar-se bem, manter o ambiente arejado e o mais silencioso e escuro possível e evitar atividades estimulantes antes de dormir”, orienta a consultora do sono da Duoflex.

Fonte: Duoflex

99 e Peita lançam camiseta exclusiva para mulheres

Estampando a frase “Dirija como uma garota”, aplicativo questiona o estereótipo que difama motoristas mulheres

“Mulher no volante, perigo constante”. Ano a ano, a piada machista usada repetidamente em todos os cantos do Brasil vai perdendo sua força. Afinal, apesar do preconceito, a primeira pessoa na história a dirigir um automóvel a longa distância foi uma mulher. Em 1888, a alemã Bertha Benz dirigiu seu Benz Patent-Motorwagen por 106 quilômetros entre as cidades de Mannheim e Pforzheim.

Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), nos últimos anos apenas 11% dos acidentes de trânsito foram provocados por motoristas mulheres. Além disso, de acordo com o Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), das vítimas fatais de acidentes de trânsito em 2017, apenas 24% eram mulheres.

Diante desse cenário, a 99 – empresa de mobilidade urbana que integra a gigante chinesa DiDi Chuxing – desenvolveu uma camiseta exclusiva, em parceria com a marca curitibana Peita, que traz a frase “Dirija como uma garota”, para romper com o preconceito quando o assunto é gênero e direção. No Paraná, terra da Peita, onde a 99 atua em mais de 70 cidades, as mulheres já representavam quase 40% dos motoristas do estado em 2017.

O lançamento faz parte das ações especiais da 99 para o mês de março. Além dele, há ainda treinamentos de direção evasiva, finanças pessoais, segurança e incentivos para cadastramento de novas motoristas. A camiseta “Dirija como uma garota” será lançada oficialmente no próximo dia 23 de março, em evento para motoristas na Casa99 de Curitiba (R. Pasteur, 463 – Batel). Condutoras parceiras da plataforma em Porto Alegre, Belo Horizonte, Goiânia, Brasília e São Paulo também serão presenteadas com a peça exclusiva.

Peita_.jpg

Para mostrar que contra números não existem argumentos, e muito menos falta de respeito, a 99 fez uma seleção de dados para o mês das mulheres. A lista completa pode ser acessada aqui.