Arquivo da categoria: música

Cantar em meio à guerra? Entenda os efeitos da música em nossas emoções

Nos últimos dias, imagens chocantes e de partir o coração após a invasão da Ucrânia pela Rússia circularam pelo mundo. No entanto, em meio a angústia causada pela invasão, um vídeo de uma garotinha cantando “Let it Go” do filme de animação da Disney (2013), viralizou na web. A letra dessa música fala sobre a superação das adversidades, que condiz muito com a situação que o povo ucraniano está vivenciando, o que deixou os internautas ainda mais emocionados.

“O processamento musical é um estímulos que influencia diretamente em diversos estados da nossa consciência, desde estados emocionais, até estados mais racionais, ativando nossa consciência auto reflexiva, por exemplo”, explica a especialista em desenvolvimento humano Madalena Feliciano.

A música se mostrou uma grande aliada em momentos de caos e tensão devido ao que ela causa nas ondas cerebrais, distração, inspiração, esperança, união, emoção, sensibilidade, “diferentes circuitos neuronais são ativados graças à música, já que a percepção e o aprendizagem musical requer e recruta diferentes regiões cerebrais, aumentando a sinapses entre elas”, esclarece Madalena.

Além disso, diversos estudos pelo mundo todo em lugares como Harvard ou Oxford, com ajuda da neuroimagem, também afirmam que a música tem a capacidade de aumentar a neuroplasticidade cerebral (capacidade do sistema nervoso de mudar, adaptar-se e moldar-se a nível estrutural e funcional ao longo do desenvolvimento neuronal e quando sujeito é exposto a novas experiências.)

“O cérebro pode ser condicionado a relacionar estímulos a memórias, como quando sentimos um perfume e lembramos de um pessoa ou ouvimos uma música e ela nos coloca em certo estado de espírito. Esse estímulo influência no nosso estado emocional interno, frequências musicais e letras motivacionais, criam um estímulo interno nas emoções, e que podem ajudar positivamente em ambientes de medo, ansiedade e conflito”, argumenta Madalena.

Assim como a âncora do navio deixa a embarcação parada no porto, a pessoa usa a música para permanecer no estado ideal para a atividade que está desempenhando, aumentando sua determinação e motivação. “Em muitas situações a música traz boas memórias e faz sentir bem. Concentrando-se nesses sentimentos de empoderamento, é possível criar uma âncora emocional que ajuda a pessoa a se centrar mentalmente e não perdendo tanto o controle em meio a situações de ansiedade e desespero”, finaliza Madalena.

Fonte: Madalena Feliciano é empresária, CEO de três empresas, Outliers Careers, IPCoaching e MF Terapias, consultora executiva de carreira e terapeuta, atua como coach de líderes e de equipes e com orientação profissional há mais de 20 anos, sendo especialista em gestão de carreira e desenvolvimento humano. Estudou Terapias Alternativas e MBA em Hipnoterapia.
.

Feira do Bom Retiro é novo programa para o fim de semana na cidade

Evento aos sábados movimenta bairro combinando gastronomia e cultura de vários países

Neste sábado a Feira do Bom Retiro comemora seu primeiro mês de sucesso com crescimento do número de expositores e de apresentações no palco desse evento multicultural que está movimentando um dos bairros mais ecléticos da cidade.

Para amanhã, 12, o evento vai mesclar Coreia e Brasil em uma programação cheia de swing e muitas atividades. A partir das 11h começa o Circuito K-Pop com apresentação de vários grupos e cantores covers e depois é a vez do Circuito BR com direito a funk, capoeira e muita música pop. As 15h terá um show da cantora Cleide Costa com repertório cheio de sucessos sertanejos.

Para deixar a festa ainda mais gostosa, os visitantes poderão dar uma volta ao mundo saboreando receitas típicas de diversos países que serão servidas nas barracas. Tem pratos coreanos como Tteokbokki, Kimbap e Frango Frito superapimentado, Ceviche peruano, Burritos e Tortillas mexicanos, Arepas Colombianas, Esfihas, Kibes e Shawarma da Síria, além de comidas venezuelanas, africana, italianas, doces regionais, coquetéis coreanos, refrigerantes importados e bebidas superrefrescantes.

Organizada pela Associação de Desenvolvimento de K-Town Bom Retiro, a Feira do Bom Retiro acontece sempre aos sábados, das 9h às 17h, no Centro Comercial Bom Retiro, um espaço diferenciado entre as ruas José Paulino e Ribeiro de Lima.

Feira do Bom Retiro
Data: 12/03/2022
Funcionamento: das 9h às 17h
Local: Centro Comercial Bom Retiro – entradas pelas ruas José Paulino, 226 e Ribeiro de Lima, 453 – Bom Retiro
Evento gratuito

Tok&Stok lança linha de acessórios The Rolling Stones – uma coleção cheia de atitude e design

Inspirada no mundo da música, a marca lança coleção com acessórios de decoração temáticos, logotipo e títulos de músicas da icônica banda de rock’n’roll para comemorar o 60º aniversário de The Rolling Stones

Inspirada no estilo rock’n’roll, a Tok&Stok – referência em móveis e acessórios de decoração – anuncia a sua campanha de lançamento: The Rolling Stones – atitude e design se encontram na Tok&Stok; a campanha homenageia os 60 anos de uma das bandas mais influentes de todos os tempos, formada por Mick Jagger, Keith Richards, Brian Jones, Bill Wyman e Charlie Watts.

Essa campanha resulta em uma linha de produtos composta por acessórios que remetem à atitude única dos The Rolling Stones e ao estilo rock’n’roll, traduzidos pelos lábios e língua da banda. São peças de organização, objetos de sala e quarto e utensílios de cozinha nas cores vermelho, preto e cinza; traz ainda o toque industrial da tendência Urbano Contemporâneo e a estampa estonada – característica da banda –, presente em cada peça.

“Além de inspirar os consumidores com produtos icônicos e de design, desenvolvidos especialmente para pessoas conectadas à música e ao rock’n’roll, essa campanha foi pensada para levar acessórios que remetem às características de uma das maiores bandas de rock de todos os tempos!”, afirma Renata Saad, Head de Marketing e Comunicação da Tok&Stok. “Estamos muito animados com essa campanha, pois ela nos conecta ao nosso público e é uma ótima oportunidade para comemorar os 60 anos da banda junto com os fãs, pois agora a paixão deles pode estar dentro de casa, com estilo e autenticidade”, completa.

A essência do The Rolling Stones se reflete em toda a campanha. Os ângulos, referências a momentos entre shows e detalhes das fotos foram inspirados nos fotógrafos que acompanhavam a banda e retratavam os diversos momentos com uma câmera na mão. “A ideia é reunir a atitude única do lifestyle rocker e o amor pela música. O shooting da campanha transmite uma desconstrução criativa da casa para destacar os acessórios da coleção e fazer uma alusão ao palco e às luzes cênicas, fumaça, instrumentos musicais e amplificadores que acompanharam a banda ao longo desses 60 anos de história”, finaliza Renata.

Conhecidos por seu estilo único e ousado, The Rolling Stones já lançaram 55 álbuns, que somam mais de 200 milhões de discos ao longo de toda a sua história.

Os produtos da campanha The Rolling Stones – atitude e design se encontram na Tok&Stok estarão disponíveis a partir de hoje no e-commerce, no aplicativo Tok&Stok e nas 64 lojas físicas da marca.

Sampa

Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas

Ainda não havia para mim, Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João

Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos Mutantes

E foste um difícil começo
Afasta o que não conheço
E quem vem de outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva

Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mais possível novo quilombo de Zumbi
E os Novos Baianos passeiam na tua garoa
E novos baianos te podem curtir numa boa

Caetano Veloso

 

masp
MASP

Mercado Municipal - SP
Mercado Municipal – SP – Foto: Assembleia Legislativa de SP

biblioteca-ma-2
Biblioteca Mario de Andrade

terraco-italia
Terraço Itália – Edifício Copan

 

Feliz aniversário, São Paulo!

Festival Panellão Caipira: o melhor da gastronomia e da música raiz ao artesanato

Festival que reúne representantes de vários municípios do Estado de São Paulo com sua arte e comidas tradicionais, acontece nos dias 5, 6 e 7 de novembro na Praça Oscar da Silva, Vila Guilherme, zona norte de São Paulo

A primeira edição Festival Panellão Caipira, que acontece em novembro na Praça Oscar da Silva, Vila Guilherme, zona norte de São Paulo, é uma oportunidade de passear, num mesmo lugar, dentro da cidade de São Paulo, por mais de 30 municípios do Estado e por toda a diversidade de suas culinárias típicas, artesanato, shows de música e dança.

Serão 3 dias de festa ao ar livre em que representantes de 33 municípios paulistas, como Cananeia, Guaratinguetá, Itapetininga, Itu e Redenção da Serra, apresentarão ao público suas peculiaridades gastronômicas e artísticas, incluindo a arte e a cultura dos povos originários do nosso país, as tradições ciganas e o rico artesanato paulista.

Bolinho de Bacalhau da Quinta do Olivardo

Pratos regionais como a linguiça bragantina de, claro, Bragança Paulista; os Espetos de Rojão, do município Ribeirão Grande; o Acarajé do espaço Redandá, de Jundiaí; as cachaças  e licores do Alambique do Décio, de Guararema; a Galinhada de Salesópolis; a Pamonha e derivados de milho da capital, vinhos, sucos e o tradicional bolinho de bacalhau da Quinta do Olivardo, de São Roque, são algumas das especialidades que serão comercializadas no festival, distribuídas pelas 23 tendas e ranchos Tropeiros característicos com madeiras.

No palco, durante o festival, estão previstas mais de 40 apresentações de música e dança, passando por todas as regiões e estilos como: carimbó, modas de violas, forró, instrumental, MPB, rap e samba, dança grega, além da presença de grupos indígenas e imigrantes bolivianos, venezuelanos e caboverdianos. E 36 tendas de artesanato também estarão presentes, mostrando o que tem de melhor no Estado.

Com intenção de proporcionar, além de um programa saboroso, uma troca de experiências e integração entre pessoas de todas as idades, o Festival Panellão Caipira vai contar também com um espaço dedicado às crianças.

Um convite para uma forma de lazer ao ar livre e compartilhar os aromas, cores, sabores, e uma boa parte da tradição cultural paulista. O festival fará em sua abertura, como homenagem aos preceitos da cultura de paz, uma celebração inter-religiosa, com a presença de representantes de diversas denominações.

Atentos à pandemia, todos que trabalharão no Festival terão comprovada a imunização pela vacina contra a Covid-19 e o evento seguirá à risca as diretrizes sanitárias estipuladas pelo Governo e Prefeitura de São Paulo.

Festival Panellão Caipira
Praça Oscar da Silva, Vila Guilherme. São Paulo, SP
De 5 a 7 de novembro de 2021, das 10h às 22h
Entrada gratuita

Noite de Fados é experiência especial em restaurante português

Jantar à luz de velas e culinária lusitana na Quinta do Olivardo do Brooklin

O tradicional restaurante português Quinta do Olivardo que funciona há mais de 10 anos em São Roque, tem sua filial oficial em São Paulo, no bairro do Brooklin. A Quinta do Olivardo Tasca do Brooklin traz a mesma qualidade dos pratos típicos da Ilha da Madeira servidos no endereço do interior para a capital paulistana.

A fadista Ciça Marinho

A casa apresenta todos primeiros sábados do mês uma noite especial com jantar à luz de velas e fados cantados pela fadista Ciça Marinho, que mostra clássicos da música portuguesa, acompanhada do jovem talento da guitarra portuguesa no Brasil, Wallace Oliveira e Sérgio Borges no violão.

Bacalhau à moda da casa

Além da boa música, iguarias especiais como o tradicional Bacalhau à Lagareiro, o irresistível bolinho de bacalhau e deliciosos pastéis de nata acompanhados de um bom vinho de fabricação própria, fazem do local uma inesquecível experiência aos sentidos.

Quinta do Olivardo – Tasca Brooklin – Rua Arizona, 1485 – Brooklin – São Paulo. Almoço todo os dias de segunda a domingo – das 11h às 16h. Jantar todos primeiros sábados do mês. Reservas e mais informações: WhatsApp (11) 99110-1777 (11) 94223-0195 (11) 5505-7305

A importância da musicoterapia para a saúde mental

Como a música pode ajudar no tratamento e qualidade da saúde mental

Quem nunca ouviu que, para começar bem o dia, é importante ouvir uma música bem animada logo de manhã? Apesar de ter se tornado até mesmo senso comum, a raiz desse ditado é científica. Ouvir a música preferida tem grande influência sobre o humor e qualidade de vida. Por isso, com inúmeros benefícios para o nosso bem-estar, a música, além de lazer, “também pode ser utilizada como método terapêutico”, afirma o psicólogo e musicista Alessandro Scaranto.

Depois de um dia estressante no trabalho ou cansado no trânsito, ouvir uma música pode, sem dúvida, mudar o nosso humor. Isso porque “a música evoca em nós emoções e sentimentos diferentes”, afirma o especialista em saúde mental. Com determinadas emoções ativadas, a música consegue melhorar a nossa criatividade, humor, concentração e bem-estar.

Fora do dia a dia comum, a arte dos sons também pode ser usada como forma terapêutica. Isso porque, a música ajuda a expor problemas internos de uma forma tranquila, que não se priva somente à utilização das palavras para expressar as emoções sentidas.

“Há músicas que contêm memórias de momentos vividos. Trazem-nos de volta um passado. Lembramo-nos de lugares, objetos, rostos, gestos, sentimentos. (…) Mas há músicas que nos fazem retornar a um passado que nunca aconteceu”, afirma Rubem Alves, psicanalista e educador. Ao complementar a citação de Alves, Scaranto afirma que há músicas que nos direcionam a um futuro que pode acontecer.

Desse modo, por meio da musicoterapia é possível sentir, compreender, expressar e perceber sentimentos e emoções difíceis de expor. A raiva, o medo, a tristeza e a preocupação são sentimentos que, por meio dos sons, são colocados para fora e, assim, se tornam mais fáceis de serem tratados.

“Cantar, ouvir ou tocar uma música tem um grande poder sobre as emoções das pessoas”, atesta Scaranto. Mesmo quando não é você quem está cantando, a música, pela letra ou pela melodia, faz você entrar em uma nova realidade que te tira de toda a aura em que se encontra. “Desse modo, de acordo com a sonoridade ouvida, o paciente consegue sentir as suas emoções representadas, mesmo que a letra não retrate exatamente a realidade em que ele vive”, completa.

Nos consultórios, a música pode ser ouvida, cantada, ou até mesmo tocada. Sempre de acordo com a realidade do paciente, também é possível a utilização de karaokês para a expressão das emoções. Assim, mesmo fora da sala de consulta, o paciente consegue também utilizar no seu dia a dia a música como uma válvula de escape. Para finalizar, Scaranto explica que a musicoterapia ajuda na melhora do humor, da criatividade e em questões físicas, como na regularização da frequência e respiratória em pacientes com doenças arteriais ou coronárias.

Fonte: Alessandro Scaranto – Psicólogo – Especialista em Saúde Pública e Saúde da família
Acupunturista

HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

E L A

Ela pode ser o rosto que eu não consigo esquecer
Um traço de prazer ou de arrependimento
Talvez meu tesouro ou
O preço que eu tenho que pagar

Ela pode ser a música que o verão canta
Talvez o frescor que o outono traz
Talvez uma centena de coisas diferentes
No espaço de um dia

Ela pode ser a bela ou a fera
Talvez a fome ou a fartura
Pode transformar cada dia em um paraíso ou em um inferno

Ela pode ser o espelho do meu sonho
O sorriso refletido no rio
Ela pode não ser o que parece ser
Dentro de sua concha

Ela, que sempre parece tão feliz no meio da multidão
Com os olhos tão pessoais e tão orgulhosos
Mas que não podem ser vistos
Quando choram

Pode ser o amor que não espera que dure
Pode vir das sombras do passado
Que eu irei me lembrar até o dia de minha morte

Ela talvez seja o motivo para eu sobreviver
A razão pela qual eu estou vivo
A pessoa que cuidarei através
Dos difíceis e imediatos anos

Eu, eu pegarei as risadas e as lágrimas dela
E farei delas todas minhas recordações
Para onde ela for, eu tenho que estar lá
O sentido da minha vida é ela, ela, ela

S H E

She may be the face I can’t forget
A trace of pleasure or regret
May be my treasure or
The price I have to pay

She may be the song that summer sings
May be the chill that autumn brings
May be a hundred different things
Within the measure of a day

She may be the beauty or the beast
May be the famine or the feast
May turn each day into a heaven or a hell

She may be the mirror of my dream
A smile reflected in a stream
She may not be what she may seem
Inside her shell

She who always seems so happy in a crowd
Whose eyes can be so private and so proud
No one’s allowed to see them
When they cry

She may be the love that cannot hope to last
May come to me from shadows of the past
That I’ll remember till the day I die

She may be the reason I survive
The why and wherefore I’m alive
The one I’ll care for through the
Rough and rainy years

Me, I’ll take her laughter and her tears
And make them all my souvenirs
For where she goes I’ve got to be
The meaning of my life is she, she, she

Charles Aznavour/Herbert Kretzmere

Biografia mais importante do The Doors honra os 50 anos da morte de Jim Morrison

50 anos após sua morte, a Editora Belas Letras publica a biografia definitiva que revela Jim Morrison em toda a sua complexidade: cantor, filósofo, poeta, delinquente.

O kit exclusivo de colecionador vem com 1 livro “Jim Morrison – Ninguém sai vivo daqui”, com mais de 400 páginas + 1 marcador de páginas personalizado + 1 adesivo do The Doors + 1 Paper Morrison para montar em casa. Os kits são limitados, por isso ficam disponíveis na loja virtual apenas enquanto durar o estoque. Os envios começam no dia 15 de fevereiro.

O livro que inspirou o filme de Oliver Stone (1991) é a biografia mais cultuada de todos os tempos sobre o The Doors e também foi a primeira a ser escrita, publicada originalmente em 1980. “Ninguém sai vivo daqui” se tornou best seller nos Estados Unidos, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos. E foi a partir desse livro que o mercado editorial adotou o rock como uma categoria literária.

A biografia foi escrita por Danny Sugerman, um dos confidentes e assessores dos Doors que conseguiu um emprego no escritório da banda aos 13 anos para responder carta de fãs e compartilhou da intimidade de Jim Morrison como poucos – a ponto de o próprio Jim tê-lo incentivado a escrever sobre música.

Jim Morrison protagonizou uma das histórias mais emblemáticas do rock, uma tragédia moderna que o elevou à condição de lenda. Carismático, brilhante, genial e genioso, Jim rejeitou todas as formas de autoridade e, como um explorador obcecado, testou “os limites da realidade para ver o que aconteceria”. Morrison morreu aos 27 anos, o que fez dele mais uma lenda do maldito Clube dos 27.

Sex symbol dos anos 60, o Rei Lagarto, como ele próprio se definia por ser fascinado pelos répteis e pelo xamanismo, cantava como se fizesse um ritual. Para ele, música era mágica, performance era adoração e ritmo podia libertar. Cantor, filósofo, poeta e delinquente, Morrison tinha um jeito tão único de ver o mundo que criou seu próprio gênero musical, para além do rock’n’roll. Consegue escutar daí o som marcante dos teclados dos Doors?

“A biografia mais importante do The Doors, que serviu de inspiração para o aclamado filme de Oliver Stone de 1991.”  Rolling Stone

“O melhor livro já escrito sobre o The Doors.”   André Barcinski, Folha de S.Paulo

“Um livro que todo fã (novo ou velho) do The Doors deve ler, repleto de revelações picantes, memórias agridoces e uma investigação exaustiva sobre a morte bizarra de Morrison.” – Los Angeles Times

“Brilhante… um relato intensamente vívido e selvagemente cativante de uma breve vida, desfrutada no limite; na verdade, sem limites… Uma viagem feroz ao lado sombrio da humanidade. É um livro bem elaborado, feito com o tipo de perfeição muscular que Jim Morrison teria apreciado. Leia.” – Kicks

Jim Morrison – Ninguém sai vivo daqui
Autores: Jerry Hopkins e Danny Sugerman
Tradução: Renato Rezende
Editora: Belas Letras
Páginas: 440
Formato: 15,5 cm x 22,5 cm
Peso: 0,5 kg
Preço de capa: R$ 84,90

Feliz Aniversário São Paulo

SAMPA

Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas

Ainda não havia para mim, Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e a avenida São João

Quando eu te encarei frente a frente não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos Mutantes

E foste um difícil começo
Afasta o que não conheço
E quem vem de outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva

Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mais possível novo quilombo de Zumbi
E os Novos Baianos passeiam na tua garoa
E novos baianos te podem curtir numa boa

Caetano Veloso

MASP
MERCADO MUNICIPAL
BIBLIOTECA MÁRIO DE ANDRADE
EDIFÍCIO COPAN
IBIRAPUERA
ESTÁDIO DO PACAEMBU
A CIDADE VISTA DO TERRAÇO ITÁLIA