Arquivo da categoria: plant-based

Rio Branco Alimentos lança linha de produtos à base de proteínas vegetais

Batizada de Club V, marca chega ao mercado em abril – com o início das vendas do hambúrguer congelado – para reforçar o foco do Grupo em inovação, versatilidade e sustentabilidade

A Rio Branco Alimentos reforça seu compromisso com a inovação, a qualidade e a responsabilidade socioambiental e lança sua linha de produtos elaborados com proteínas vegetais. A nova marca, batizada de Club V, chega ao mercado nacional neste mês de abril, com o início da comercialização do primeiro item do portfólio: o hambúrguer congelado à base de planta (plant-based). A novidade abre caminho para a democratização da categoria, em franca expansão no mundo, ao oferecer mais opções de escolha para o consumidor e aliar garantia de sabor incomparável, qualidade, praticidade e um excelente custo-benefício.

O Club V Burger é preparado à base de proteína de origem vegetal, é rico em fibras e possui somente aromas naturais. Desenvolvido para surpreender os paladares mais exigentes, tem como grande diferencial o gosto e a suculência, além do preço mais acessível.

“O lançamento da linha faz parte da estratégia do Grupo de ampliar o mix de alto valor agregado e garantir versatilidade aos clientes. A nova marca vai atender tanto a quem se tornou vegetariano, mas aprecia o sabor da carne, quanto àqueles que comem carne de origem animal, porém querem variar o cardápio”, afirma o vice-presidente de Marketing e Vendas da companhia, Fábio Somogy Coelho.

A atuação com a categoria plant based também evidencia que a Rio Branco Alimentos está atenta e conectada às mudanças de valores e atitudes da nova geração de consumidores (millennials e Z). Eles são responsáveis, em grande parte, por impulsionar a tendência de transformação nos hábitos alimentares. Além disso, as pesquisas mostram que a procura pelos produtos de base vegetal é uma realidade em diversos países.

A linha da Club V tem a proposta de romper as barreiras que ainda afastavam o público brasileiro desse mercado, como preço, disponibilidade e sabor, alinhado à qualidade. “A nova marca fortalece e democratiza esse segmento, atendendo a todos e apresentando uma experiência sensorial única. O lançamento do hambúrguer, neste momento, é só o começo”, completa Coelho. Dessa forma, a empresa valoriza seus clientes, mantendo-os no centro das estratégias de inovação, e ainda evidencia seu posicionamento com foco na saudabilidade e sustentabilidade.

A Rio Branco Alimentos é dona também das marcas Pif Paf, Fricasa, Ladelli, Pescanobre, Flip e Rio Branco Foods. A nova linha Club V amplia e diversifica o mix de mais de 900 itens do Grupo.

O produto Club V Burger é comercializado em embalagens com duas unidades de 230g cada.

Informações: Pif Paf Alimentos

Consumo de carne diminui durante a pandemia; saiba como substitui-la sem prejuízo nutricional

Nutricionista do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz dá dicas de como manter uma dieta saudável sem carne

Segundo pesquisa realizada pelo Ibope e coordenada pelo Good Food Institute Brasil, metade dos brasileiros reduziu o consumo de carne bovina, suína, aves e peixes em 2020. De acordo com Thaís Sarian, nutricionista do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, adotar uma rotina alimentar com menor consumo de carne promove vários benefícios para a saúde a longo prazo. “Podemos destacar, entre diversos benefícios, a melhora da saúde intestinal e a redução da ingestão de gorduras saturadas”, explica a especialista.

O hábito de reduzir o consumo de produtos de origem animal sem interrompê-lo completamente é chamado de flexitarianismo. Ainda de acordo com a pesquisa, das pessoas que diminuíram o consumo de carne, ao menos 47% substituíram a proteína animal por vegetais como legumes, verduras e grãos. Na análise da nutricionista, este é outro ponto positivo da substituição. “Quando ocorre o aumento da ingestão de alimentos vegetais, também aumenta a densidade nutricional dos alimentos e sua consequente ingestão de vitaminas, minerais, fibras e compostos bioativos”, explica Thaís.

O que não pode faltar no meu prato?

Para montar a refeição ideal sem carne, a especialista recomenda a seguinte proporção para um prato vegetariano saudável: 50% de legumes e verduras, 25% de fontes de proteínas vegetais (especialmente presentes no grupo do feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja) e 25% de carboidratos (como o arroz integral, milho, batata, mandioca, entre outros). Para quem segue uma dieta ovolactovegetariana, a inclusão de ovos também é bem-vinda. Ter isso em mente é importante para não correr o risco de substituir a proteína animal por carboidratos mais pobres em nutrientes, uma tendência quando a transição de dieta é feita sem o devido acompanhamento profissional.

Outro risco na substituição da carne é optar por receitas e pratos que contenham grande quantidade de laticínios e derivados do leite, já que o consumo excessivo desses produtos eleva substancialmente a ingestão de gorduras saturadas. “Acontece com frequência da pessoa simplesmente excluir a carne e não mudar o restante da alimentação. Por isso é tão importante um bom planejamento alimentar. Já sabemos que dietas vegetarianas, quando bem planejadas, são saudáveis e nutricionalmente adequadas”, completa a especialista.

Miroro/Pixabay

Segundo pesquisa do Ibope Inteligência conduzida em abril de 2018, 14% da população brasileira se declara vegetariana. Uma opção de proteína tanto para vegetarianos, quanto flexitarianos dispostos a fazer a transição de dieta é a carne vegetal. O alerta da nutricionista é com relação à frequência de consumo do produto, já que a carne vegetal também é um alimento processado. “Na hora de comprar, uma dica é dar atenção à lista de ingredientes do produto e optar por aqueles que tenham menor quantidade de aditivos químicos, mas o ideal é que as refeições sejam preparadas em casa e com ingredientes naturais.”

Reposição de B12

Foto: Jeltovski

Quem pensa em adotar uma alimentação vegetariana estrita (onde não há consumo de alimentos de origem animal), não pode esquecer da vitamina B12, única vitamina que não se pode obter a partir de plantas. Além de ser importante para a formação das células vermelhas do sangue, ela também é necessária para o desenvolvimento e manutenção das funções do sistema nervoso. “Para repor esse nutriente, é necessário fazer a suplementação sempre com acompanhamento profissional, onde também é avaliado o estado de saúde geral do indivíduo”, finaliza a nutricionista.

Fonte: Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Nestlé lançará mais de dez itens plant-based ao longo de 2021

A primeira novidade chega em março, com a marca Nescafé Dolce Gusto, que trará ao mercado as primeiras opções de bebidas vegetais em cápsulas

No ano em que completa 100 anos de presença no Brasil, a Nestlé vai investir na ampliação de seu portfólio plant-based, como parte de seu compromisso de ajudar a levar soluções nutricionais para atender diferentes perfis e necessidades da população brasileira. No total, serão mais de 12 novos itens lançados no mercado brasileiro ao longo de 2021. Nos últimos três anos, a companhia investiu cerca de R$ 40 milhões nesta frente.

As inovações são parte de uma estratégia global da Nestlé para estar ao lado dos consumidores em suas opções, tanto para aqueles que adotaram a alimentação vegana ou vegetariana, quanto para os flexitarianos – ou seja, pessoas que seguem uma mudança de comportamento para reduzir o consumo de itens de origem animal -, além daqueles que buscam adotar hábitos alimentares e estilos de vida diversificados.

Segundo pesquisa da GFI Brasil em parceria com o IBOPE, realizada em 2020, 49% dos brasileiros declaram terem reduzido o consumo de carne e 59% já incluem bebidas vegetais em sua dieta, sendo que 39% afirmam que já consomem alternativas vegetais pelo menos três vezes por semana. Os motivos para o consumo de produtos plant-based acompanham tanto um aumento da população vegetariana quanto um maior envolvimento das pessoas com questões ambientais e busca por novas opções mais equilibradas. No caso das bebidas vegetais, o consumo também é motivado por uma parcela da população que possui intolerâncias ou alergias relacionadas ao leite animal.

Pioneirismo no mercado de cápsulas

O primeiro lançamento plant-based da Nestlé no ano será com Nescafé Dolce Gusto, a primeira marca de cápsulas a adentrar esta categoria. Serão dois novos itens do portfólio de Lattes.

O Macchiato Amêndoas é um produto marcado pela combinação da leveza das notas de amêndoas com o sabor de café levemente tostado.

Já o Macchiato Coco, traz uma mistura de grãos de café do sudeste asiático com o sabor delicioso e a cremosidade do coco. Ambos os produtos têm torrefação média e intensidade 5, além de serem opções zero lactose.

As novidades já estão disponíveis para o consumidor em caixas com 12 cápsulas, exclusivamente no e-commerce de Nescafé Dolce Gusto.

Sorvete Vegano

Em junho de 2019, a Nestlé trouxe para o Brasil mais de 20 opções de produtos plant-based da marca Nature’s Heart, produzidos pela equatoriana Terrafertil, da qual a multinacional suíça é sócia majoritária desde o início de 2018. Agora em 2021, a marca inova ao lançar o primeiro sorvete vegano para a rede Bacio di Latte. O produto será feito com bebida vegetal de aveia da linha Nature’s Heart e estará disponível nas lojas da marca em todo o Brasil a partir de março.

Jornada Plant-based

As novidades vêm somar ao portfólio da companhia nessa frente, que já conta com opções como o Ninho na versão pronta para beber, o primeiro produto plant-based para atender necessidades específicas de crianças no Brasil, lançado em setembro de 2019. Desde 2015, a marca Nesfit também já traz opções nessa frente para o consumidor, sendo a primeira marca a lançar produtos plant-based da companhia no país. Em 2020, a Nestlé lançou Nesfit Sabor Natural, produto com 7g de proteína, além de versões vegetais em pó de Ninho e Molico.

Fonte: Nestlé

Os vários benefícios da dieta livre de proteína animal

Nutricionista da Superbom, empresa pioneira na produção de alimentos saudáveis, destaca os pontos positivos do consumo de alimentos plant-based

Em 20 de março passado, comemoramos o Dia Mundial Sem Carne, movimento que surgiu nos Estados Unidos, em 1985, por meio da ONG Farm Animal Rights Movement (FARM). O objetivo da celebração é a conscientização sobre os efeitos do consumo da carne para o meio ambiente, além de reforçar que é possível ter uma alimentação saborosa, abordando os benefícios de uma dieta sem alimentos de origem animal. Segundo a Global Data, empresa que atua no ramo de pesquisa e análise de dados, 70% da população mundial já está aderindo a esse estilo de vida.

A Superbom, empresa pioneira na produção de alimentos saudáveis, possui um amplo portfólio focado em produtos para veganos e vegetarianos e é considerado um dos principais players do segmento. Desde 1925, ano em que a empresa foi criada, ela incentiva a cultura do estilo de vida saudável, a partir da ideia de que quem se alimenta melhor pode garantir mais qualidade de vida e longevidade.

Muitos se enganam acreditando que as carnes de origem animal não podem ser substituídas. Os benefícios são facilmente encontrados nas proteínas vegetais, como em leguminosas, vegetais crucíferos, cereais e oleaginosas. Cyntia Maureen, nutricionista e consultora da Superbom, destaca os benefícios dessa substituição.

“Quando falamos de leguminosas, o feijão vem rapidamente em nossa mente, mas temos também a ervilha, que é fonte de fibras, o grão-de-bico, um ótimo desintoxicante , e a lentilha, que possui 9% de proteína em sua composição. Tudo isso os torna ótimos aliados na alimentação”.

Mesmo com acesso a tantas informações sobre o assunto, muitos ainda ficam com receio sobre os benefícios deste hábito. Para auxiliar, Maureen lista alguns impactos positivos.

Saúde

De acordo com a nutricionista, na alimentação sem carnes, a sensação de indisposição e peso logo após as refeições, não existe. A digestão é mais leve quando o prato é composto pela combinação de vegetais, com os nutrientes necessários para o organismo.

Outro benefício é a diminuição do colesterol em até 35%, reduzindo assim o risco de desenvolver doenças cardíacas, além de ajudar na prevenção do câncer, diabetes, obesidade e outras doenças crônicas. A dieta de origem vegetal resulta em maior disposição, energia, saúde e bem-estar, diários.

Meio ambiente

Foto: Marion Wellmann/Pixabay

Segundo a universidade americana, Yale, o gado precisa de 28 vezes mais terra e 11 vezes mais água do que outros animais. “Além das vantagens para a saúde, quem é adepto de dietas livres de alimentos de origem animal preserva as fontes de produção de comida e água utilizadas na criação dos animais”, acrescenta Cyntia.

A frente do seu tempo, a Superbom busca sempre inovar, oferecendo diversas opções para facilitar o dia a dia de seus consumidores. “Estamos sempre antenados para transformar a alimentação das pessoas em um momento prazeroso, cheio de sabor e com muita consciência”, conclui a nutricionista.

Confira abaixo produtos da Superbom excelentes para o Dia Mundial sem Carne e para quem deseja fazer uma mudança no hábito alimentar:

Carne Vegetal

Carne vegetal moída à base de proteína de soja. É um prato preparado com ingredientes nobres e selecionados com garantia de qualidade.

Miniempanado Vegan sabor Legumes

Uma opção crocante, saborosa e saudável dos famosos mini empanados em uma versão multigrãos, super proteica e rica em vitaminas e minerais.

Steak Vegan Sabor Legumes

Uma opção crocante, saborosa e saudável dos famosos empanados, agora, na versão vegan. O Steak Vegan sabor Legumes da Superbom é uma ótima opção para qualquer refeição, além de rica nutricionalmente. Na versão multigrãos, à base de proteína de ervilha, é enriquecido com vitaminas A, B9 e B12, e dos minerais ferro e zinco.

Salsicha à Base de Ervilha

Excelente na elaboração de cachorro quente vegano, a salsicha à base de ervilha é versátil, podendo ser usada em muitas outras preparações.

Fonte: Superbom

Bob’s lança segunda versão de hambúrguer vegetal à base de plantas

Pioneiro entre as redes de fast-food, o Tentador Zero Frango está disponível no cardápio de São Paulo e Rio de Janeiro por R$ 28,00

Um hambúrguer para agradar o paladar de quem deseja uma alternativa à proteína animal. Com textura, sabor e suculência semelhante ao frango, o Tentador Zero Frango chega às lojas Bob’s de São Paulo e Rio de Janeiro com uma receita única à base de plantas, reforçando o pioneirismo e liderança no mercado de sanduíches à base de plantas no país.

Os consumidores das capitais já podem provar o lançamento acompanhado de alface, tomate e maionese em um pão brioche quentinho. O novo sanduíche foi pensado especialmente para vegetarianos e clientes que têm vontade de consumir um hambúrguer saboroso sem proteína animal, os chamados flexitarianos.

Novo Tentador Zero Frango preparado com proteína à base de plantas

“Mais uma vez, o Bob’s sai na frente no lançamento de produtos à base de proteína à base de plantas. Nós trabalhamos fortemente para ser a única rede fast-food no Brasil com uma proteína vegetal que remete à carne de frango, fruto de toda inovação e tecnologia utilizada sem abrir mão do sabor. Oferecemos alternativas saborosas aos consumidores vegetarianos; para aqueles que buscam redução do consumo de proteínas animais ou para aqueles consumidores que são ávidos por novidades.”, revela Raquel Paternesi, diretora de Marketing da rede Bob’s.

Em agosto de 2019, o Bob’s também saiu na frente ao lançar, em parceria com a Fazenda Futuro, o Tentador Zero Beef – um hambúrguer a base de plantas que remete a proteína bovina. “O Tentador Zero Beef foi produto inovador que teve muito sucesso entre os consumidores da categoria, desta forma decidimos ampliá-la. Em ambos os produtos, tivemos um intenso trabalho de pesquisa para entregar sabor e textura semelhantes a carne e frango respectivamente ao consumidor. Foram testadas diversas receitas e formas de preparo até o hambúrguer chegar à consistência e sabor ideal, sem deixar de lado a indulgência. Um processo rico e inspirador que combina muito com o espírito da marca, que está sempre próxima do público, inovando para atender seus desejos”, completa Raquel.

O Tentador Zero Frango possui preço sugerido de venda de R$ 28,00 (sanduíche avulso) e R$ 34,50 (trio com batata palito média e refil de refrigerante). Cabe ressaltar que todas as lojas Bob’s oferecem refil de molhos (Big Bob, Barbecue, maionese e ketchup) e refil de refrigerante Coca- Cola.

Informações: Bob’s

Bolo de cenoura vivo: sobremesa crua é muito saborosa e nutritiva

Essa receita plant-based é divina para dar energia na semana agitada

A alimentação viva, ou crudivorismo é um tipo de dieta baseada no consumo de alimentos crus, evitando alimentos de origem animal e alimentos processados. A dieta é simples e inclui frutas, verduras, castanhas e todos os alimentos in natura que podem ser consumidos sem precisar de cozimento. Porém, as leguminosas e os grãos devem ser germinados ou cozidos em uma temperatura de até 42º C – nunca acima disso, porque as propriedades dos alimentos devem ser preservadas.

A alimentação viva oferece alguns benefícios como, bem estar físico e mental e emocional; equilíbrio do peso corporal; melhora da qualidade do sono; rejuvenescimento da pele, cabelos e melhora da visão; melhor disposição e mais intuição para que os problemas sejam resolvidos com mais facilidade. Amélia Whitaker, empresária e entusiasta da alimentação saudável, ensina como fazer bolo de cenoura vivo. Confira abaixo:

Bolo de cenoura vivo

Ingredientes:
• 2 xícaras de cenoura ralada;
• 1 xícara de tâmaras sem caroço (demolhadas);
• 1 xícara de nozes pecan;
• ½ xícara de coco ralado fresco;
• ½ xícara de farinha de coco #homemade orgânico;
• 1 colher de chá de gengibre ralado;
• 1 colher de chá de canela em pó;
• 1 pitada de noz-moscada ralada na hora;
• Raspas de limão siciliano limão.

Modo de preparo:
Bata os ingredientes no liquidificador e leve à geladeira por aproximadamente 2 horas, em forminhas de cupcake.

Gostou da dica? Amélia Whitaker compartilha essas outras dicas no perfil dela no Instagram. As dicas podem ser acompanhadas também pela hashtag #melrecipe. Na medida do possível, opte por alimentos orgânicos para obter toda a riqueza nutricional que a alimentação crua oferece.

Onde comprar produtos frescos e orgânicos?

A Boa Terra é uma empresa delivery de produtos orgânicos que leva até você o melhor da roça e sem venenos. Há cestas montadas de diversos tamanhos e as entregas podem acontecer semanalmente ou conforme necessidade de cada pessoa.

Informações: Sítio A Boa Terra WhatsApp (19) 99169-7729. No Instagram, você pode encontrar um pouco mais da rotina dos produtores e mais receitas saborosas.

Danone Nutricia traz ao mercado brasileiro a maior marca plant-based do mundo

Vega Protein & Greens chega ao país visando atender a demanda cada vez maior por produtos 100% à base de proteínas vegetais

Estamos vivendo um movimento global de redução no consumo de proteína animal. Segundo dados do estudo “Veganos: um mercado de futuro no Brasil”, da Anufood Brasil, 63% dos brasileiros querem reduzir o consumo de carne. Diante disso, a Danone Nutricia, divisão de nutrição especializada da Danone, acaba de anunciar a chegada da maior marca plant-based do mundo: VEGA.

A preocupação com a saúde é um dos principais fatores que levam ao aumento da procura por itens plant-based. A minimização dos impactos ao meio ambiente é outro fator que leva ao aumento das dietas à base de proteínas vegetais, pois sua produção requer menos terra, água e energia em comparação à produção de proteínas animais.

Mais do que um shake proteico, Vega possui ingredientes reais a base de plantas e proteínas vegetais – o produto é composto por uma combinação de proteínas de ervilha e de arroz e vegetais como espinafre e couve em pó. Além disso, a linha não contém glúten, é sem adição de açúcar e feito com aromatizante natural. Ele é importado dos EUA, onde é produzido em uma fábrica certificada e dedicada a produtos veganos.

Os produtos da linha VEGA podem trazer benefícios para as atividades do dia a dia e, também, são cada vez mais utilizados para quem busca mais disposição e energia em suas atividades físicas. De acordo com dados do OliveTree Institute Report, 72% dos consumidores frequentes de produtos à base de plantas são ativos 4 ou mais vezes na semana. VEGA foi fundada por um ex-triatleta profissional que entende o poder dos nutrientes que vêm da terra para melhorar a motivação e inspiração diária.

Para Fernando Lopes, Diretor de Marketing da Danone Nutricia, a entrada no segmento de produtos veganos está alinhada com a tendência crescente de consumidores e, também, com o propósito da Danone Nutricia. “Com o lançamento de Vega, ofereceremos uma solução que, ao mesmo tempo, contribui para uma vida mais saudável e com o meio ambiente”, complementa.

A nova linha de suplementos Vega Protein & Greens pode ser usada para preparar shakes pré e pós treino, smoothies e, até mesmo, em receitas de panificação, como panquecas, waffles e biscoitos. Os produtos podem ser encontrados em farmácias, supermercados, e-commerces e lojas de produtos naturais em São Paulo e da região sul do país, nos sabores de chocolate e baunilha.

Informações: Danone Nutricia

Vigor entra na categoria plant-based e lança primeira linha de bebidas vegetais

Vigor 100% Vegetal é o primeiro produto de origem vegetal da empresa

Com o propósito de oferecer mais uma opção aos consumidores e atender às novas necessidades, a Vigor Alimentos entrou em um novo segmento do setor e lançou, no fim de 2020, Vigor 100% Vegetal, a primeira linha de origem vegetal da empresa. A novidade é uma bebida livre de qualquer ingrediente de origem animal, que chega com um portfólio variado: Amêndoa, Amêndoa sem Adição de Açúcares, Arroz, Coco e Coco com Chocolate.

A busca por opções desse tipo já é uma realidade no setor de alimentos, especialmente quando se fala em bebidas. Segundo estudo da Euromonitor International, houve crescimento de 12% no consumo de outras alternativas do leite, excluindo soja, de 2019 para 2020 no Brasil. Ainda segundo a pesquisa, a perspectiva de ampliação da demanda pelo segmento não para por aí: é prevista uma taxa de crescimento de 13%, ano a ano, em volume de vendas no varejo para o período de 2020 a 2025 no país.

Atenta ao cenário, a marca traz ao varejo uma linha que proporciona diferencial de sabor e variedade, e que entrega importantes benefícios nutricionais. Vigor 100% Vegetal é fonte de cálcio e rico em vitaminas e zinco, além de não conter lactose, colesterol, glúten, aromatizantes e soja. O produto é prático e extremamente versátil, podendo ser consumido puro, combinado com café, capuccino e achocolatado, batido com frutas em vitaminas, ou até usado na culinária, em diversas receitas salgadas e doces.

Vigor 100% Vegetal está disponível em embalagem de 1 litro, nos principais pontos de venda do país, pelo preço sugerido de R$ 13,99.

Naveia: leite sem lactose, naturalmente doce e vegano/plant-based chega ao mercado

Leite de aveia surge como uma evolução mais sustentável, mais saudável e mais gostosa do leite de origem animal

Felipe Melo, também conhecido como Felipe UFO, é um explorador nato. Depois de cinco anos trabalhando no mercado financeiro, sentia que precisava ver o mundo ao vivo, e não mais pela tela de um computador. Com 20 e poucos anos, tinha muitas perguntas, e sabia que não iria conseguir respondê-las através dos olhos dos outros. Precisava ver com seus próprios olhos, sentir, observar, soar, conversar, carimbar seu passaporte.

Sua primeira investida, que o possibilitava explorar o mundo, foi no mercado da moda. Felipe foi sócio da marca Langak durante dez anos. Em seguida, ajudou a criar e foi produtor/apresentador dos programas “Não Conta Lá em Casa”, exibido por oito anos no Multishow, e “Que Mundo É Esse?” na GloboNews. Foi nessa época que UFO percebeu que as perguntas que tinha ao sair do banco só aumentavam. Mas também já tinha algumas respostas.

Entendia que a relação do ser humano com o mundo precisava mudar, que tudo o que é feito gera uma consequência, e é preciso escolher o impacto a ser causado. Entendia também que se somos o que comemos, o mundo é o que consumimos. E o consumo consciente era uma ferramenta poderosa de transformação. Vegetariano há 23 anos e vegano há oito, precisava encontrar algo que pudesse causar o máximo de impacto positivo no que me movia: os animais e o planeta.

Felipe decidiu passar um ano sabático, em Berlim, na Alemanha, onde morava sua namorada, Alex Soderberg, uma sueca com um estreito elo com o Brasil. Alex viveu durante dois anos no país, por conta do trabalho do pai. “Eu saí do Brasil, mas o Brasil nunca saiu de mim. Sempre tive o sonho de voltar a morar aqui”, afirma.

Em Berlim, considerada a capital mundial do veganismo e a Meca para o movimento de sustentabilidade, Alex estudou e trabalhou com agricultura sustentável e na indústria de alimentos. Em uma plataforma de startups, buscava soluções inovadoras para os desafios de uma cadeia alimentar mais sustentável, tudo desde serviços logísticos com baixo impacto, embalagens biodegradáveis, produtos com propósito e um senso forte de responsabilidade ambiental e social.

“Os nossos assuntos preferidos sempre foram sobre as infinitas possibilidades de fortalecer esse mesmo movimento no Brasil. Quando começamos a estudar a indústria de laticínios no Brasil, um país com o maior rebanho de gado do mundo, e com 80% de suas pastagens em estado de degradação, fomos atrás da melhor maneira para mudar essa realidade. E enxergamos que uma verdadeira mudança só seria possível se tivéssemos uma bebida mais gostosa do que o leite de vaca e que com o tempo também poderia concorrer com o preço dos leites de origem animal. Uma missão difícil, porém mais necessária do que nunca”, conta Alex.

Em 2017, numa vinda ao Brasil, o casal apresentou para três amigos o projeto de uma empresa de laticínios vegetais. Daquele encontro se formou a sociedade que daria vida à Evolat, marca que tem como objetivo criar os laticínios vegetais mais gostosos e acessíveis possíveis. O primeiro produto da Evolat, lançado em novembro de 2020, é o Naveia, um leite feito de… aveia. Um produto mais sustentável comparado aos outros leites vegetais, como arroz e castanha, mas principalmente comparado ao leite de origem animal.

O objetivo da marca não é conquistar só o mercado vegano, mas também o não vegano, oferecendo uma opção que convence pelo sabor, e pelo preço, além de ser a escolha de consumo mais consciente. A princípio são três sabores: o original, já à venda, o barista, que fica perfeito no café, com lançamento no início deste ano e o achocolatado. Sem lactose, naturalmente doce e vegano/plant-based. A aveia é produzida no Rio Grande do Sul fazendo o produto ser 100% nacional.

Naveia por Naveia

Não somos uma marca com propósito, mas um propósito que criou uma marca! Pra começar, estamos longe de sermos perfeitos. Sim, somos um deleite vegetal (ok, gostoso pra caramba). Mas ser “vegetal” não é caso de medalha olímpica, Nobel da paz, nem homenagem em praça pública — a gente também leva multa no trânsito, esquece aniversário de amigo e acumula louça na pia como quase todo ser humano. Então, ufa, senta aqui porque vamos tocar a real: o que a gente quer é fazer diferença no mundo, oferecendo um produto que é a evolução do leite convencional. E chamamos de “evolução” com toda convicção, afinal, não dá mais pra suportarmos um tipo de atividade que traz tanta destruição e sofrimento ao
planeta.

Ainda temos muito o que aprender e fazer. E, assim como não somos perfeitos, também não somos uma panelinha. No máximo, um liquidificador que mistura tudo: veganos, vegetarianos, flexitarianos (sim, notamos vocês!), simpatizantes e todos os curiosos restantes. Por isso, se você escolheu viver sem consumir nada de origem animal, me abraça. Mas se você só quer um leite delicioso, que cabe no bolso e é bom pro seu corpo, pro mundo, pro futuro (e pra vaca!), ficaremos felizes de estar junto com você nessa escolha.

Uma saga de três anos…

A ideia surge em 2017, e as primeiras pesquisas começam em novembro de 2017. Os primeiros desenvolvimentos de produto começam em fevereiro de 2018, junto com um laboratório de alimentos em SP, especializado em desenvolvimento de alimentos de origem vegetal.Tivemos a sorte de encontrar uma PhD em Alimentos e Nutrição fantástica para nos ajudar. Pessoa incrível que acabou virando grande amiga e está no projeto com a gente desde então. Com todas as dificuldades de sermos os pioneiros no desenvolvimento de um leite de aveia no Brasil, todo esse desenvolvimento demora mesmo.

No início de 2019, sabendo do nosso projeto, fomos procurados por uma empresa alemã com anos de experiência na Europa em leite de aveia para fecharmos uma parceria nesse desenvolvimento no Brasil. A sorte foi ter uma das fundadoras metade sueca, metade austríaca e que morou por oito anos em Berlim, trabalhando com a indústria de alimentos.

Infinitos testes com a aveia do Brasil. A qualidade do produto final surpreendeu a todos. Já estávamos com o nosso primeiro produto, o Naveia Original, pronto no início de 2020, e prevíamos lançar em março desse ano. Aí veio a pandemia…

Seguramos o lançamento, pois entendíamos que não era o melhor momento para lançar um produto tão novo assim no mercado brasileiro. Ao mesmo tempo, queríamos seguir com o desenvolvimento dos próximos produtos, como o nosso leite barista (especialmente feito para misturar com café), só que o nosso laboratório parceiro entrou em lockdown. Com isso, tivemos que comprar todos os equipamentos mais essenciais para a nossa PhD continuar esse desenvolvimento em casa, até a reabertura do laboratório.

Dezembro de 2020, finalmente, fizemos o lançamento do Naveia Original e estamos com Naveia Barista pronto para ser lançado em janeiro de 2021. E muitos outros produtos já desenvolvidos para serem lançados ao longo do ano que vem.

Informações: Naveia