Arquivo da categoria: probiotico

Probióticos e prebióticos: qual é a diferença?

Nutricionista Adriana Stavro lista os alimentos e fala tudo que você precisa saber do assunto

Probióticos e prebióticos são tópicos muito importantes na nutrição atual. No entanto, embora pareçam semelhantes, os dois desempenham papéis diferentes. Os prebióticos são um tipo de fibra que o corpo humano não consegue digerir. Eles servem como alimento para probióticos, que são minúsculos micro-organismos vivos, incluindo bactérias e leveduras. Tanto os prebióticos quanto os probióticos podem apoiar bactérias úteis e outros organismos no intestino.

Probióticos: microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde do hospedeiro. São encontradas em certos alimentos ou suplementos, e podem fornecer diversos benefícios à saúde.

Prebióticos: essas substâncias vêm de tipos de carboidratos (fibras) que os humanos não conseguem digerir. As bactérias benéficas em seu intestino se alimentam dessas fibras.

Segundo a nutricionista Adriana Stavro, as bactérias intestinais, chamadas coletivamente de microbiota, desempenham muitas funções importantes no corpo, dentre elas, ajudam a protegê-lo de vírus, bactérias e fungos nocivos à saúde.

Dentro da microbiota gastrointestinal humana, existe um complexo ecossistema de aproximadamente 300 a 500 espécies bacterianas, compreendendo cerca de 2 milhões de genes chamado microbioma.

Ao nascer, todo o trato intestinal é estéril, e o intestino do bebê é colonizado pela primeira vez por bactérias maternas e ambientais durante o nascimento, e continua a ser povoado por meio da alimentação e outros contatos. Fatores que influenciam a colonização incluem idade gestacional, tipo de parto (parto vaginal vs parto assistido), dieta (leite materno vs fórmula), nível de saneamento e exposição a antibióticos.

A composição da microbiota é específica de cada ser humano, que evolui ao longo da vida do indivíduo e é suscetível a modificações exógenas e endógenas (sexo, idade, tipo de alimentação, índice de massa muscular, peso, estado de saúde). Comer quantidades balanceadas de probióticos e prebióticos pode ajudar a garantir o equilíbrio certo dessas bactérias.

A composição da microbiota intestinal é única para cada indivíduo, é variável entre as pessoas, e é razoavelmente estável após o primeiro ano de vida. Apesar disso, a literatura afirma que a dieta influência no perfil microbiano. Como tal, a falta de nutrição adequada tem sido associada à microbiota disfuncional e a disbiose.

Um estudo de 2013 sobre a função das bactérias intestinais na saúde e na doença, confirma que, uma microbiota saudável, pode ajudar nas funções do sistema imunológico, tratar doenças gastrointestinais, auxiliar na redução do colesterol LDL (ruim) e no aumento do HDL (bom), e diminuição dos triglicerídeos, além de ajudar a tratar a obesidade, entre outros benefícios.

Uma revisão sistemática de 2016, com 38 estudos em animais e humanos sobre os efeitos dos probióticos nas funções do sistema nervoso central, mostrou que vários probióticos ajudaram a melhorar os sintomas de ansiedade, depressão, autismo, transtorno obsessivo-compulsivo e memória.

Além disso, algumas bactérias entéricas podem produzir nutrientes e vitaminas como folato, vitamina K e ácidos graxos de cadeia curta (AGCC). Os AGCC são a principal fonte de nutrientes das células que revestem o cólon. Eles promovem uma forte barreira intestinal que ajuda a impedir a entrada de substâncias nocivas, vírus e bactérias. Isso ajuda a reduzir a inflamação e pode ter o potencial de diminuir o risco de câncer.

Como os alimentos auxiliam a microbiota intestinal?


Os alimentos que ingerimos desempenham papel importante no equilíbrio das bactérias intestinais boas e ruins. Uma dieta rica em açúcar e gordura influencia negativamente (geralmente leva a uma diminuição de bacteroidetes e a um aumento de firmicutes, alterações que têm sido associadas à obesidade e subsequente desenvolvimento de doenças crônicas), e pode contribuir para obesidade, resistência à insulina entre outras condições.

Quais alimentos são prebióticos?


Os prebióticos são fibras encontrados em alimentos como leguminosas (feijão, ervilhas, lentilha, grão de bico), aveia, verduras, legumes, frutas que os humanos não são capazes de digerir, mas as bactérias do intestino podem digeri-las. A fibra dietética e o amido são decompostos pelas bactérias em AGCC. Os AGCC são os principais produtos finais da fermentação bacteriana no cólon, e são conhecidos por terem impacto positivo na fisiologia do hospedeiro. O butirato, em particular, é importante para a manutenção da saúde por meio da regulação do sistema imunológico, manutenção da barreira epitelial e promoção da saciedade após as refeições. Pode ser protetor contra várias doenças, incluindo câncer colorretal, doença inflamatória intestinal, diabetes e obesidade. Portanto, estimular a produção de butirato pelo microbioma pode ser útil para manter a saúde e tratar doenças.

Quais alimentos são probióticos?

Os alimentos probióticos que naturalmente contêm bactérias úteis, são o chucrute, o kombuchá, kefir, alguns tipos de picles (não pasteurizados), vegetais em conserva (não pasteurizados), e alguns tipos de iogurtes. Se for comer alimentos fermentados por seus benefícios probióticos, certifique-se de que não sejam pasteurizados, pois esse processo mata as bactérias. Os probióticos também podem ser encontrados em suplementos em forma de comprimidos, pós ou líquidos. Alguns desses alimentos também podem ser considerados simbióticos, porque contêm bactérias benéficas e fibras prebiótica, que servem para as bactérias se alimentarem. Alguns exemplos de alimentos simbióticos são queijo, kefir e chucrute.

Quem pode tomar suplementos de probióticos?

Os probióticos são seguros para a maioria da população, mas podem ocorrer efeitos colaterais em alguns casos raros, como em pessoas com sistema imunológico comprometido, hospitalizações prolongadas ou cirurgias recentes. Nestas circunstâncias podem desenvolver uma infecção por bactérias probióticas. Pessoas com essas condições devem pesar os riscos e benefícios antes de consumir (converse com seu médico). Indivíduos com crescimento excessivo de bactérias no intestino delgado (Sibo), também devem conversar com seu médico ou nutricionista.

Fonte: Adriana Stavro é nutricionista funcional e fitoterapeuta. Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein – Mestranda do Nascimento a Adolescência pelo Centro Universitário São Camilo.

Alimentos que contribuem com a microbiota intestinal

Alimentação é parte essencial dos cuidados com a saúde do intestino

Sabemos que a alimentação é parte essencial dos cuidados com a saúde do intestino. Portanto, vale uma reflexão importante sobre a maneira como nos alimentamos no nosso dia a dia. Afinal, o que colocamos no prato pode influenciar diretamente na saúde, bem-estar e fazer com que escolhas saudáveis virem parte da nossa rotina, como um passo importante para a prevenção de inúmeras doenças.

Um dos órgãos em que a alimentação afeta o funcionamento e eficácia é o intestino, delgado e o grosso. Dentro dele, um conjunto colonizado de bactérias, vírus e outros conjuntos de microrganismos, chamado de microbiota intestinal (conhecida também como flora intestinal), ajuda o corpo a garantir defesas naturais, fortalecendo a imunidade e evitando que as bactérias patogênicas se proliferem.

Além disso, para manter a saúde da microbiota em dia, alguns alimentos são aliados, por conterem nutrientes e outros componentes que o corpo humano irá absorver. Confira a seguir seis deles:

Iogurtes: os alimentos fermentados, como é o caso do iogurte, são ricos em bactérias que contém o ácido láctico. De acordo com um estudo de revisão publicado no periódico Journal of Translational Medicine, esse alimento possui uma fonte de microrganismos ingeríveis que podem regular, de forma benéfica, a saúde intestinal e até mesmo tratar ou prevenir doenças inflamatórias intestinais.

Laticínios: assim como o iogurte, alimentos como leite, queijos e outros derivados são capazes de ajudar a microbiota intestinal por meio das bactérias do ácido láctico. O leite fermentado, por exemplo, é fonte de Bifidobacterium e de Lactobacillus, fontes de probióticos naturais que podem regular o funcionamento do intestino.

Ervilha: fonte de proteínas de origem vegetal, a ervilha é uma leguminosa bastante usada em saladas, ensopados e sopas. Seu consumo, de acordo com um estudo de revisão publicado pelo Nutrients, também pode estar associado ao aumento de probióticos como Bifidobacterium e de Lactobacillus intestinais, além de diminuir a concentração de bactérias patogênicas.

Getty Images

Soja: alimento produzido em grandes quantidades no Brasil, a soja é um grão que pode ajudar no aumento de micro-organismos importante para a colonização da microbiota intestinal, como Bifidobacterium, Clostridiales e Deferribacteraceae. Para os cientistas, o seu potencial benéfico está em um composto natural presente no próprio alimento, chamado de isoflavona, que contrabalanceia os efeitos prejudiciais de outras fontes alimentares com a da soja.

Maçã: de acordo com uma pesquisa publicada pelo International Journal of Biological Macromolecules, a maçã é uma fruta rica em polissacarídeos com potencial efeito de equilibrar os microrganismos da microbiota intestinal, funcionando como um probiótico natural e aumentando a quantidade de bactérias benéficas para a saúde do intestino.

LuminiIslandWild

Peixes: o atum e outras espécies de peixes mais gordurosos são ricos em ácidos graxos importantes para consumo, como o ômega 3. Esses ácidos não são sintetizados pelo corpo humano e, por isso, precisam ser consumidos em uma dieta equilibrada. Eles podem exercer uma ação positiva na microbiota intestinal, restaurando-a e aumentando a produção de compostos anti-inflamatórios para a prevenção de doenças.

Cultive seu melhor

Com o slogan “Cultive Seu Melhor”, Culturelle Probiótico chega às farmácias de todo o Brasil com um portfólio amplo, atendendo às necessidades de homens e mulheres adultos, gestantes e crianças, com recomendação para uso diário. Essa é a marca de probiótico mais prescrita por pediatras e a mais recomendada por farmacêuticos nos Estados Unidos, sendo a de maior confiança do consumidor no mercado americano.

Para adultos, Culturelle Probiótico Saúde Digestiva tem apresentações de 10 e 30 cápsulas vegetais com 10 bilhões de culturas ativas (UFC) de origem natural, sem glúten e livre de lactose e açúcar, com recomendação de uso de 1 cápsula ao dia. Preço sugerido: R$ 63,99 para 10 cápsulas e R$159,99 para 30 cápsulas

Para crianças a partir de 1 ano de idade, a marca lança inicialmente Culturelle Probiótico Junior em 2 apresentações, sachês e comprimidos mastigáveis. A apresentação recomendada a partir de 1 ano de idade vem com 6 sachês unitários e 5 bilhões de culturas ativas (UFC). Pode ser adicionada em alimentos e bebidas para consumo. Preço Sugerido: R$ 32,29

Já a apresentação em 10 comprimidos mastigáveis é indicada para crianças a partir de 3 anos de idade e também vem com 5 bilhões de culturas ativas (UFC). Preço Sugerido: R$ 50,99

Fonte: Cellera Farma

Linha Shot Diário da Activia ganha dois novos sabores

Blueberry & Capim-Limão e Abacaxi & Gengibre são as novas apostas para inovar o portfólio da linha Activia que apresenta o dobro de probióticos naturais por grama que os demais produtos da marca

Com o crescimento da busca por saúde e bem-estar entre os brasileiros, Activia continua investindo em seu portfólio de inovações, com a missão de levar saúde digestiva por meio de seus probióticos naturais ao maior número de pessoas. Após pesquisas, a marca decidiu investir em novos sabores para a linha Activia Shot Diário, que tem um formato mais prático de consumo e, duas vezes mais probióticos naturais, por grama, que os demais produtos de Activia.

Cerca de 70% das células do sistema imunológico estão no sistema digestivo, por isso, manter o equilíbrio da microbiota intestinal é tão importante e a ingestão de alimentos enriquecidos com probióticos podem ajudar! Isso porque favorecem o combate das bactérias “do mal” e o aumento das “do bem”. Mas não esqueça, a melhor maneira de fortalecer o sistema imunológico é por meio de hábitos saudáveis, como beber água, ter uma alimentação balanceada e exercitar-se diariamente.

Para enriquecer essa rotina saudável e ampliar o portfólio, a marca traz o sabor Blueberry & Capim-Limão, que combina o sabor da fruta ao toque fresco do capim limão; e Abacaxi & Gengibre, com o cítrico e frescor da fruta aliada ao sabor único do gengibre.
O consumo de probióticos é recomendado para todas as idades, no entanto é sempre importante consultar um médico e/ou nutricionista antes da introdução.

Danone

Os produtos da Linha Shot Diário são zero lactose, sem glúten, sem conservantes e preparados com ingredientes de origem 100% natural. Estão disponíveis nos sabores Tradicional, Framboesa & Hibisco, Tangerina & Cenoura e os lançamentos Blueberry & Capim-Limão e Abacaxi & Gengibre. O valor sugerido é de R$ 2,29 nos principais pontos de venda.

Fonte: Danone

Activia lança dois novos sabores para a linha shot diário

Blueberry & Capim-Limão e Abacaxi & Gengibre são as novas apostas para inovar o portfólio da linha Activia que apresenta o dobro de probióticos naturais por grama que os demais produtos da marca. Com o crescimento da busca por saúde e bem-estar entre os brasileiros, Activia continua investindo em seu portfólio de inovações, com a missão de levar saúde digestiva por meio de seus probióticos naturais ao maior número de pessoas.

Após pesquisas, a marca decidiu investir em novos sabores para a linha Activia Shot Diário, que tem um formato mais prático de consumo e, duas vezes mais probióticos naturais, por grama, que os demais produtos de Activia.

Cerca de 70% das células do sistema imunológico estão no sistema digestivo, por isso, manter o equilíbrio da microbiota intestinal é tão importante e a ingestão de alimentos enriquecidos com probióticos podem ajudar! Isso porque favorecem o combate das bactérias “do mal” e o aumento das “do bem”. Mas não esqueça, a melhor maneira de fortalecer o sistema imunológico é por meio de hábitos saudáveis, como beber água, ter uma alimentação balanceada e exercitar-se diariamente.

Para enriquecer essa rotina saudável e ampliar o portfólio, a marca traz o sabor Blueberry & Capim-Limão, que combina o sabor da fruta ao toque fresco do capim limão; e Abacaxi & Gengibre, com o cítrico e frescor da fruta aliada ao sabor único do gengibre.

O consumo de probióticos é recomendado para todas as idades, no entanto é sempre importante consultar um médico e/ou nutricionista antes da introdução.

Os produtos da Linha Shot Diário são zero lactose, sem glúten, sem conservantes e preparados com ingredientes de origem 100% natural. Estão disponíveis nos sabores Tradicional, Framboesa & Hibisco, Tangerina & Cenoura e os lançamentos Blueberry & Capim-Limão e Abacaxi & Gengibre.

activia

O valor sugerido é de R$ 2,29 nos principais pontos de venda.

Informações: Activia

Coronavírus: como reforçar o sistema imunológico para dificultar contaminação*

O coronavírus chegou ao Brasil e colocou governos e órgãos de Saúde em alerta máximo. A propagação do COVID-19, como vimos na China, é rápida e requer uma série de cuidados. A chave para a proteção não está somente em ter um ambiente esterilizado. É preciso que tenhamos cuidados diários para o fortalecimento do sistema imunológico, pois é ele o responsável por proteger nosso organismo e responder a ataques provocados por vírus e bactérias. E isso passa, necessariamente, pelo delicado equilíbrio entre o corpo e a mente.

O surgimento do novo vírus e a pandemia que enfrentamos hoje decorrem de um grande desequilíbrio ambiental, que permitiu a sua multiplicação em um ambiente lotado de pessoas com sistemas imunológicos debilitados ou incapazes de conhecerem esta classe de micro-organismos como sendo de alto risco.

Por isso, ações preventivas são a resposta para minimizar esses fatores. O melhor a fazer é reforçar as defesas do nosso organismo para tentar barrar as ameaças externas. Nos seres humanos, as baixas atividades imunológicas ocorrem quando há desequilíbrios fisiológicos e emocionais.

Neste processo de proteção, tudo começa na comida, já que o intestino representa 90% em um processo imune. Por isso, é necessário cuidar da qualidade dos alimentos que colocamos na nossa mesa e manter em equilíbrio as emoções e pensamentos. Esta, certamente, é a parte mais difícil.

0d739-couve-brocolis

Evitar alimentos industrializados e fontes de carboidratos simples, como açúcar refinado e os sucos industrializados compostos por néctar, e investir na reconstituição da microbiologia, são imprescindíveis, pois mais de 50% das pessoas estão com alguma deficiência em relação aos bacilos que formam e promovem a microbiota intestinal. Nesse sentido, alguns alimentos são indispensáveis: inhame, rabanete, nabo, couve, brócolis e vegetais escuros. Frutas cítricas, como limão e laranja, tomate e linhaça, são outros itens que não podem faltar na mesa durante o processo de fortalecimento da imunidade.

Frontier-Co-op- aniz estrelado
Foto: Frontier-Co-op

É possível, ainda, lançar mão dos complementos alimentares, como ômega-3, lactobacilos e fibras alimentares. Seja em cápsulas ou na forma de chás, a cúrcuma, a maca peruana, a equinácea, o ginseng, o gingko biloba, astragalus, anis estrelado e a erva moura também são aliados de peso na construção da saúde.

estresse

Outro passo importante é controlar o estresse, pois um dos hormônios liberado nestas condições é o cortisol, que, em desequilíbrio, interfere na qualidade do sono, o que resultará na predisposição a contaminações. Sabemos que, em tempos modernos, é difícil se manter livre do estresse e até mesmo desfrutar de uma boa noite de sono, mas estes são fatores preponderantes para que o nosso organismo esteja forte. Um caminho para quem precisa atingir esse estágio é a prática diária de atividade física. Além de preparar o corpo, a liberação de endorfina ajuda a combater o estresse e a melhorar a qualidade do sono. Tudo está interligado.

celular redes sociais trabalho mesa

Depois desses cuidados, entram em cena as dicas referentes ao ambiente. Deve-se tanto higienizar constantemente as mãos e evitar ambientes abafados quanto evitar pessoas, relacionamentos e ambientes emocionalmente “tóxicos”. Outro fator importante é evitar a contaminação eletromagnética, mantendo o celular longe do corpo sempre que possível e, à noite, fora do quarto.

mulher turista praia viagem pixabay
Pixabay

A exposição (com proteção) ao sol e a ambientes naturais é tão vital quanto selecionarmos melhor as informações e programas que assistimos, além das músicas que ouvimos. A boa noite de sono, cada vez mais rara, tem valor fundamental para o nosso equilíbrio. No mais, procure manter a mente em constante funcionamento, seja estudando idiomas, culturas ou tocando algum instrumento musical. E tente, sempre que possível, trabalhar menos e viajar mais. Sempre que possível, claro.

*Fernando Facini é terapeuta quântico, especialista em saúde integral, diretor de prevenção a doenças no Instituto Mispá, bacharel em Educação Física pela PUC de Campinas.

Probióticos: onde encontrá-los e como aproveitá-los em receitas

Elas fortalecem a imunidade, melhoram a digestão e, segundo um estudo da USP, também ajudam a identificar doenças graves como o câncer colorretal. Nutricionista do Oba Hortifruti, Lívia Nogueira, explica como esses micro-organismos contribuem para a saúde e cita em quais alimentos você pode encontrá-los

Quando falamos em bactérias, é muito comum o primeiro pensamento ser algo negativo, afinal, esses micro-organismos estão relacionados a algumas indisposições de saúde. Mas, você sabia que ao lado das vitaminas e minerais está também um grupo de bactérias que são tão responsáveis pelo funcionamento adequado do corpo quanto os outros elementos mais conhecidos?

Esses bichinhos benfeitores são chamados de probióticos, e estão mais perto do que você imagina: eles vivem dentro do intestino de todo ser humano, em uma grande comunidade chamada microbiota. Apesar de pouco faladas, as funções positivas dessa “colônia de bactérias” são constantemente analisadas pelos cientistas. Um estudo publicado em abril de 2019 pela Nature Medicine, feito pela Universidade de São Paulo (USP), por exemplo, constatou que essas bactérias têm potencial para serem usadas no diagnóstico do câncer de cólon renal.

Segundo a nutricionista do Oba Hortifruti, Lívia Nogueira, “quando ingeridos na quantidade certa, os probióticos trazem muitos outros benefícios para o corpo: eles aumentam a produção das células de defesa do organismo, o que fortalece a imunidade, ajudam na absorção dos nutrientes e afastam problemas como candidíase, infecções urinárias e doenças cancerígenas”.

As vantagens não param por aí. Por estarem presentes no trato intestinal, é claro que as bactérias boazinhas também fazem sua parte por lá, melhorando a digestão e combatendo desconfortos, como a azia e a prisão de ventre.

Quer investir em uma dieta rica em probióticos? Então, segundo Lívia, iogurtes naturais, leite fermentado, missô (pasta de soja), kefir e kombucha não podem faltar no cardápio. A nutricionista ainda ensina o passo a passo de três receitas que também cumprem essa função. Confira:

Iogurte desnatado caseiro

Iogurte-Caseiro--2

“Um dos alimentos probióticos mais conhecidos é o iogurte. Pode ser consumido no café da manhã, no intervalo entre as refeições ou no lanchinho da tarde. É uma ótima opção para quem deseja obter as propriedades desses organismos”, indica Lívia.

Ingredientes:
1 litro de leite desnatado;
1 copo de iogurte desnatado natural.

Modo de preparo:
1) Ferva o leite em um caneco.
2) Depois de alguns segundos, quando ele já não estiver mais tão quente, despeje o iogurte no caneco e misture bastante.
3) Adicione a mistura em uma panela e tampe bem. Para deixar bem fechado, você pode colocar um pano de prato bem higienizado entre a panela e a tampa.
4) Separe a mistura em um canto e deixe descansar por 24 horas.
5) Após isso, coloque na geladeira.
6) Depois que gelar, basta servir.

Sopa de missô com cogumelos

Sopa-de-Missô

Outra indicação da nutricionista é a sopa de missô, ingrediente tradicional da culinária japonesa. Rica em probióticos naturais, essa refeição confere força extra ao intestino, além de ajudar a desintoxicar e a desinchar.

Ingredientes
· ½ cebola média picada
· 4 dentes de alho
· 6 xícaras (chá) de caldo de legumes caseiro
· 2 colheres (sopa) de água
· 1 xícara (chá) de shiitake e cogumelo-de-paris fatiados
· 1 xícara (chá) de cevada em grãos cozida
· 1 xícara (chá) de couve fatiada
· 1 colher (sopa) de missô
· 1 colher (sopa) de endro ou raspas de limão

Modo de preparo
1) Refogue a cebola, o alho e os cogumelos na água, em fogo médio, por três minutos.
2) Adicione o caldo de legumes, a cevada e deixe por 30 minutos.
3) Acrescente a couve fatiada nos últimos 3 minutos de cozimento.
4) Retire do fogo e acrescente o missô.
5) Polvilhe com endro ou raspas de limão.
6) Sirva em seguida.

Chucrute

Chucrute-2

“O chucrute é um tipo de repolho fermentado, rico em probióticos que trazem grandes benefícios para a saúde!”, cita a nutricionista.

Ingredientes
1 repolho verde médio (de preferência orgânico)
1 colher de sopa rasa de sal não iodado
2 dentes de alho em pedaços (opcional)

Modo de preparo
1) Reserve um pote de vidro de 500 gramas para manter o chucrute; uma tábua; um amassador; uma faca e uma tigela para espremer o repolho.
2) Dê uma lavada rápida com cloro em todos os utensílios que você vai usar (esse processo evita a contaminação por micro-organismos indesejados). Descarte as folhas externas do repolho e corte-o em tiras bem finas.
3) Depois de bem cortado em tiras, esprema o repolho na bacia com a mão e espalhe bem o sal e o alho. Depois desse passo, vá colocando o repolho aos poucos no pote de vidro e esprema bem com o amassador, até que ele libere água.
4) A cada porção de repolho colocada no pote de vidro, amasse bem, até que, depois de passar toda a quantidade de repolho para o pote, ele esteja completamente coberto pela água que liberou.
5) Tampe o vidro de modo levemente frouxo para que os gases da fermentação possam sair. Deixe-o de três dias a uma semana fora da geladeira em temperatura ambiente. Quanto mais quente a temperatura, mais rápida será a fermentação.
6) Atenção: não consuma seu chucrute se ele tiver uma aparência escura ou com crescimento de fungos.

Chucrute

Fonte: Oba Hortifruti

Tendência de probióticos naturais inspira receitas exclusivas no Botanikafé

Em todo o mundo, os consumidores estão cada vez mais preocupados com a sua saúde e o crescimento no consumo de alimentos e bebidas funcionais, estão impulsionando o mercado de produtos probióticos. Pensando na busca da população por saúde e qualidade de vida, quem for ao restaurante Botanikafé, nos Jardins ou no Butantã, poderá degustar novas opções leves e saborosas preparadas com bilhões de probióticos naturais, assinadas por Felipe Scarpa, sócio e chef das casas.

Em parceria com Activia, suas criações incluem duas receitas exclusivas dos famosos bowls, que são cremes de frutas congeladas com granola, chips de coco, sementes de abóbora, girassol e linhaça, gergelim e chia; e o lançamento de dois smoothies deliciosos, até então não existentes no cardápio do Botanikafé.

As combinações novas dos bowls são Rainbowl – frutas vermelhas, beterraba, banana e shot probiótico de framboesa & hibisco (R$32) e Yellow Prob – manga, banana, maracujá e shot probiótico de tangerina & cenoura (R$ 32). Green Cooler, manga, banana e shot probiótico de matchá (R$ 18); e Red Velvet, com framboesa, morango, banana e shot probiótico de gengibre (R$ 18) são os smoothies exclusivos do menu.

botanikafe.png

Parceria

O objetivo da parceria de Activia com Botanikafé é propagar a importância do consumo de probióticos nas refeições diárias e em diversas ocasiões, levando aos consumidores possibilidades de receitas saudáveis. Com combinações de ingredientes nutritivos e refrescantes junto com a recém-lançada linha Activia Shot Diário os restaurantes oferecem versões ainda mais funcionais e saborosas.

A nova linha contém duas vezes mais probióticos, por grama, que a linha Activia regular – 8 Bilhões de probióticos naturais em 100g – a quantidade diária necessária em apenas uma unidade de produto. Em um formato prático que facilita o consumo diário, conta com uma receita elaborada apenas com ingredientes de origem natural, sem lactose, sem glúten, sem conservantes, nos sabores tradicional, framboesa & hibisco, tangerina & cenoura, matchá e gengibre. Toda a linha shot está disponível para compra e inclusão como “topping” em outras opções do menu do Botanikafé.

Botanikafé
=Alameda Lorena, 1.765 – Jardins – Horário: terça à sábado: das 9h30 às 22h30 / Domingos: das 9h30 às 16h30
=Av. Magalhães de Castro, 286 – Butantã – Horário: terça a sexta-feira: das 7h30 às 21h30 / Sábados: das 9h às 19h / Domingos: das 9h às 17h

Dez mitos e verdades sobre Kombucha

Tais Tomaz Roque, nutricionista parceira da Vih!, explica todas as dúvidas sobre a bebida rica em probióticos que tem ganhado adeptos em todo o país

Kombucha é uma bebida milenar feita à base de chá, açúcar e uma cultura viva – leveduras e bactérias – conhecida como scoby (Symbiotic Colony of Bacteria and Yeast). Após a fermentação, o Kombucha transforma-se em uma bebida rica em probióticos naturalmente frisante, saborosa e muito refrescante.

No Brasil, a bebida que tem ganhado adeptos, ainda gera dúvidas e questionamentos sobre sua origem e características. Para esclarecer o tema, a Vih!, marca especializada na bebida há mais de dois anos, preparou uma lista com dez mitos e verdades sobre o assunto com a ajuda da nutricionista Tais Tomaz, parceira da marca. Confira abaixo:

O Kombucha é uma bebida saudável.

kombucha
Verdade: Kombucha é feito a partir de um chá que é fermentado e possui grande variedade de vitaminas, minerais, enzimas e ácidos orgânicos, extremamente saudáveis para o nosso corpo. O agente que ativa a produção desses organismos é o “scoby”, do inglês Symbiotic Colony of Bacteria and Yeast (Colônia Simbiótica de bactérias e leveduras). O scoby é colocado no chá (geralmente verde, mate ou preto) e por meio do processo metabólico transforma a cafeína e o açúcar em probióticos. O Kombucha é rico em nutrientes naturais, como vitamina B, ácido acético, glucurônico, lático, entre outros. Melhora a saúde geral do organismo, facilitando a digestão e a absorção de nutrientes, além da recuperação da flora intestinal. “O Kombucha sempre foi conhecido como um tônico natural, uma vez que ele ajuda a fortalecer o sistema imunológico e melhorar o funcionamento intestinal”, explica a Tais. “Mas a gente toma mesmo porque além de todos esses benefícios é muito gostoso”, afirma Angélica Moretti, fundadora da Vih!

O Kombucha é feito com organismos vivos.

kombuchaaa.jpg
Verdade: scoby, agente ativo da produção da bebida, é uma cultura de bactérias e leveduras. O Kombucha não pasteurizado contém bactérias e leveduras, extremamente benéficas para a saúde intestinal e digestiva, evitando doenças e colaborando na absorção de nutrientes. Os probióticos também possuem grande quantidade de antioxidantes, ajudando e protegendo o organismo de doenças inflamatórias.

O Kombucha emagrece.

kombucha1
Mito: a bebida tem ganhado cada vez mais adeptos por seus diversos benefícios para a saúde, sendo o principal deles o auxílio no bom funcionamento intestinal, aumentando a sensação de bem-estar. Mas é mito achar que o Kombucha é responsável pela perda de peso. Ele contém ácidos importantes para a flora intestinal, além de algumas vitaminas e aminoácidos, mas se não houver uma alimentação adequada aliada a uma vida saudável, o Kombucha sozinho não tem esse poder.

O Kombucha não pode ser tomado todos os dias.

kombucha-side-effects-1296x728-feature
HealthLine

Mito: muitas pessoas ao redor de todo o mundo consomem Kombucha diariamente. Mas, por se tratar de uma bebida viva, quando não pasteurizada, é importante usar o bom senso.

Kombucha demora uma semana para ser preparado.

kombucha pixabay.jpg
Pixabay

Verdade: a bebida tem característica funcional graças à ação da colônia de leveduras chamada “scoby”. É essa colônia de micro-organismos que é responsável por fermentar o chá e acrescentar a ele um potencial probiótico imenso. Por isso, a mistura deve fermentar entre sete e 15 dias dentro de um recipiente com algum chá – geralmente preto, verde e mate – e açúcar. Depois disso, é só misturar o líquido às frutas, ervas ou outros chás para saborizar.

Qualquer chá pode ser usado na preparação?

cha--hibisco
Verdade: porém, sabemos que alguns chás funcionam melhor do que outros. Os mais usados na preparação são o chá verde ou preto, mas também podem ser substituídos por infusão de mate, de hibisco ou jasmim. As infusões de hortelã e capim-santo, por exemplo, possuem óleos que destroem a colônia, então não são recomendados.

Kombucha não tem data de validade.

KombuchaBenefitsHeader.jpg
Mito: depois de pronta, a bebida deve ser conservada em geladeira, por aproximadamente cinco meses. A fermentação não pára na geladeira, somente desacelera.

Kombucha pode ser tomado na versão alcoólica.

Kombuchaça sem ferrão
Le Manjue

Verdade: de fato, todo o processo de fermentação gera álcool. Em processos bem controlados de produção, esta quantidade fica abaixo de 0,5%, o que não é considerado alcoólico. Mas, pode-se optar por fermentar de forma a produzir mais álcool. Se quiser deixar o drinque com a cara do happy hour, o sabor aromático do gin pode ser uma opção para ser adicionada ao Kombucha depois de pronto. Ou seja, o que é bom pode ficar ainda melhor.

Kombucha só pode ser tomado de dia.

Kombuchatea-GettyImages-
Getty Images

Mito: Kombucha pode ser bebido a qualquer hora do dia e da noite. Ele é um excelente substituto para outras bebidas, como o refrigerante e suco. Muitos preferem beber em jejum, pela manhã, para ajudar no processo de digestão e substituir o café. A bebida também pode ser usada como um energético natural e ser consumida antes ou depois de atividades físicas. O ideal é tomar bem gelado, realçando o sabor da bebida e a deixando ainda mais refrescante.

Kombucha é uma bebida vegana.

kombucha 2
Verdade: a menos que você use mel para adoçar. A bebida milenar é um poderoso probiótico natural e não é de origem animal. O scoby é uma colônia simbiótica de bactérias e leveduras que bioprocessa o chá e o açúcar, criando o Kombucha.

Fonte: Vih!

Probióticos são realmente eficazes? Descubra benefícios desses organismos

O equilíbrio e a saúde do trato gastrointestinal têm apresentado uma importância sobre o restante do organismo muito maior do que se pode imaginar. As inúmeras bactérias presentes nesta região podem beneficiar ou atrapalhar o andamento natural do organismo. Para manter essa equação positiva, a nutricionista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Silvia Ribeiro Messalem, aconselha fazer o uso frequente de probióticos e prebióticos.

mulher tomando remedio probiotico suplemento

Segundo a especialista, o intestino humano é composto por milhões de bactérias, porém, para que se mantenham em equilíbrio, é preciso incluir os probióticos na rotina alimentar. “Para que a microbiota intestinal se mantenha saudável, e possa trazer muitos benefícios como a prevenção de doenças, manter fontes de probióticos vindas da alimentação ou dos probióticos industrializados é necessário”, explica a especialista.

As vantagens não se restringem só à prevenção de doenças, na lista de pontos positivos ainda é possível adicionar a melhora da função intestinal, auxílio na digestão e absorção de nutrientes, garantia do equilíbrio da microbiota intestinal, controle do excesso de peso, destacando-se o fortalecimento do sistema imunológico.

Segundo a nutricionista, o consumo pode ser feito por meio de produtos como iogurtes naturais, feitos com o tão falado kefir, leites fermentados, kombucha e alguns produtos orientais à base de soja. Entretanto, ela ressalta que muitos desses alimentos podem conter quantidade alta de açúcar, o que deve ser um alerta, além disso, muitos deles, para se manterem vivos, dependem de temperatura adequada, por serem termossensíveis.

“Essas peculiaridades, como a questão de temperatura, por exemplo, podem interferir na ação das bactérias se forem em alimentos. Por isso, muitos profissionais preferem indicar o produto pronto, seja manipulado em cápsula ou em pó liofilizado, até por uma questão da praticidade também”, cita.

Cada indivíduo necessita de um grupo específico de bactérias. “É preciso uma avaliação adequada para a identificação de quais cepas, ou seja, qual grupo de bactérias específico devem ser usados para apresentar melhoras nos sintomas referidos, afim de garantir maior benefício ao indivíduo. De modo geral, o mix de lactobacillus e bifidobactérias não é padrão, são sugeridos conforme os sinais e sintomas de cada paciente. Porém é necessário ficar atento, pois em altas doses pode gerar desconforto, gases e inchaço”, afirma a nutricionista.

Recomenda-se como melhor opção de horário uma dose antes de dormir, lembrando que, dependendo do caso, é possível administrar duas vezes ao dia, ou conforme orientação do nutricionista, aconselha Silvia.

mulher comendo iogurte

Não menos importante; incluir os prebióticos (fibras) na alimentação fará com que a microbiota intestinal seja nutrida e mantenha-se em crescimento, pois as fibras serão fermentadas pelas bactérias (probióticos) proliferando aquelas benéficas ao organismo.

Fonte: Hospital Edmundo Vasconcelos

Intestino saudável = pele perfeita

Dermatologista investiga hábitos de vida e problemas gastrointestinais para solucionar queixas como dermatites e acne

“Você é o que você come”. O velho ditado popular nunca fez tanto sentido – afinal, hoje a medicina sabe que a forma como nos alimentamos tem impacto direto na saúde e na qualidade da pele. “A pele é o maior órgão do corpo humano e reflete muito sobre o nosso bem-estar e saúde”, revela a médica dermatologista Mayara Bravo, da Clínica Karla Assed Curitiba.

Por isso, o intestino e as bactérias que habitam o sistema digestivo têm ganhado cada vez mais a atenção no consultório dos dermatologistas. Uma alimentação equilibrada, rica em fibras e vitaminas, tem o poder de melhorar o sistema imunológico e reduzir inflamações, incluindo as que afetam a pele. “Os problemas gastrointestinais muitas vezes entregam pistas para problemas mais graves que podem estar relacionados com depressão, ansiedade e condições da pele, como a acne”, explica a dermatologista.

Além da alimentação e de um estilo de vida saudável, nosso estado emocional também pode alterar a flora intestinal, aumentando a permeabilidade e contribuindo para a inflamação sistêmica. “A pele é um dos órgãos que sente quando há uma disbiose (desequilíbrio da flora intestinal), desencadeando respostas inflamatórias na face e no cabelo, por exemplo. Por isso, hoje levamos todos estes fatores em conta a fim de oferecer um tratamento com melhoras de dentro para fora”, ressalta a médica.

Probióticos

probioticos

Nos últimos anos, o número de estudos sobre a influência da microbiota na saúde aumentou muito. Um dos tratamentos que podem auxiliar os pacientes a ter sucesso na melhora do corpo como um todo é o uso de probióticos (grupo de bactérias benéficas para o organismo).

“A gente trata o intestino e o paciente melhora de problemas como dermatite atópica, dermatite seborreica, psoríase e implicações como a acne”, afirma a dermatologista. Segundo ela, os probióticos ajudam a conter o processo inflamatório que leva a lesões na pele. De quebra, também ajudam a melhorar a imunidade de maneira geral.

Para tratar as doenças cutâneas, o médico pode prescrever uma família de bactérias de acordo com o perfil do paciente. “Fazendo o uso oral de probióticos é possível trocar a população de bactérias nocivas no organismo por outras benfeitoras e sentir as melhoras desejadas. Durante a consulta, conseguimos indicar compostos prontos ou que podem ser manipulados de acordo com a queixa específica do paciente”, comenta.

Dosagem certa

mulher tomando probiotico foto alamy
Foto: Alamy

Os probióticos são encontrados facilmente em algumas farmácias e lojas de suplementos, no formato oral e tópico. Com custos cada vez mais acessíveis, eles podem ser usados por pessoas de qualquer idade. Mas antes de sair por aí comprando um de cada, é fundamental ter orientação médica: para ter o efeito desejado, é importante estar atento à dosagem, concentração e até mesmo à qualidade de cada produto.

Assim como os probióticos, os nutricosméticos de marcas de skincare também ganham cada dia mais destaque – existem hoje linhas de probióticos faciais com promessas interessantes. “A grande maioria são produtos muito bem-vindos, mas a recomendação e orientação deve ser sempre acompanhada de um médico especializado para garantir o efeito desejado”, finaliza Mayara.

Fonte: Clínica Karla Assed Curitiba