Arquivo da categoria: quarentena

Terraço Itália reabre com salas renovadas e vista ainda mais privilegiada

Depois de quase seis meses temporariamente fechado, o Terraço Itália reabre suas portas, em horários ainda restritos, mas com muitas novidades. As salas foram todas repaginadas, permitindo uma experiência visual ainda mais ampla, a partir da troca de toda a estrutura de vidros que circundam os ambientes. No novo projeto, a Sala São Paulo e todas as áreas comuns do complexo seguem agora o mesmo design da Sala Nobre, renovada em 2016.

“Depois dessa última mudança, aumentou nosso público, principalmente o mais jovem. Mas não houve como dar sequência nos outros espaços. Aí veio a pandemia”, explica Sergio Comolatti, presidente do grupo dono do estabelecimento. Corredores, banheiros e a escada que une os ambientes também foram renovados e podem ser conhecidos. A sala panorama e o bar, este com novos estofados e persianas, devem ser finalizados até o fim do mês. “Não adianta ser cartão-postal que mostra a cidade se dentro o espaço está cansado”, diz Comolatti.

quare

Segundo a arquiteta e designer de interiores, Christina Hamoui foram mantidos os revestimentos em nogueira, pisos em mármore Travertino e detalhes em mármore Nero Portoro. O projeto equilibra elementos clássicos e modernos, mas mantém referências de sua proposta anterior, para preservar a identidade deste Terraço, que é considerado cartão postal da cidade. Foram mantidas as cadeiras clássicas modelo medalhão e as antigas colunas do centro da sala, consideradas marcantes na estrutura original.

Buscou-se uma proposta – que além de bonita, prática e funcional -, proporciona leveza aos ambientes, com espaços integrados e maior aproveitamento de luz natural. Os tons eleitos são o marrom, bege e fendi, elegantes e discretos. O uso de madeira no ambiente trouxe, ao mesmo tempo, aconchego e sofisticação. Quem for conferir, vai encontrar um novo Terraço Itália, que mesmo repaginado em versão mais contemporânea, continua elegante e clássico.

A cozinha segue comandada pelo chef Pasquale Mancini, em que se destacam clássicos da culinária toscana e de outras regiões da Itália. O cardápio italiano ganhou opções como o pappardelle ao ragu de cordeiro (R$ 126,00).

Seguindo as normas e protocolos de segurança e prevenção recomendados pela OMS, as mesas estão dispostas com o espaçamento recomendado, de modo a permitir o distanciamento entre pessoas. Os menus estão disponíveis em QR Code e garçons atendem com máscaras e luvas. Sachês com álcool gel estão disponíveis em todas as mesas. E o serviço de valet recepciona os clientes também com os mesmos critérios rigorosos de higienização no recebimento e devolução dos veículos.

Confira o novo horário de funcionamento:
Jantar – Todos os dias, inclusive domingos, das 18h às 22h-Reservas: 18h – 19h – 20h30
Almoço – Todos os dias, das 12h às 16h. Reservas: 12h – 13h30 – 14h30

Terraço Itália: Avenida Ipiranga, n°344 – 41° – Centro – São Paulo – SP. Reservas: (11) 2189-2929

Cinco pensamentos saudáveis para ter em 2020

Conceitos da psicologia positiva podem ajudar a equilibrar a saúde mental

De acordo com a pesquisa realizada pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), durante a pandemia, o número de casos de depressão praticamente dobrou no país e os sintomas relativos à ansiedade e ao estresse aumentaram 80%.

De fato, 2020 não tem sido fácil sob diversos aspectos, econômicos, sociais e psicológicos, mas há formas de evitar o estresse e a ansiedade gerados pelo momento. O bem-estar pode ser conquistado a partir do cultivo de virtudes e potencialidades pessoais, focos do trabalho da psicologia positiva. Confira abaixo cinco pensamentos que irão auxiliar a tirar o melhor deste momento:

“Devo ter mais autocompaixão”


Um dos males modernos mais frequentes é uma profunda cobrança por sucesso e realização pessoal, comumente, por meio do trabalho, o que não raro é exagerado e impacta no bem-estar do indivíduo, privando-o de prazeres como a companhia e amigos e familiares e podendo gerar distúrbios, como a Síndrome de Burnout, ou seja, o esgotamento emocional por exaustão extrema.

“Mesmo com a paralisação temporária de algumas atividades e a restrição de circulação, muitos continuaram a se cobrar produtividade, muitas vezes, em nível até maior, uma vez que a possibilidade de home office os eximiu do tempo gasto com o trânsito, mas os levou a não limitar seu tempo de atividade profissional diária”, analisa Flora Victoria, mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela Universidade da Pensilvânia.

Ela explica que esta cobrança exagerada consigo próprio impacta diretamente na convivência com o mundo exterior. O indivíduo percebe-se ansioso, sem paciência, e quando se dá conta não se permite mais o prazer do convívio e pode até mesmo apresentar sintomas físicos preocupantes.

“A autocompaixão é o ato de carinho que alguém pode ter por si mesmo”, comenta Flora. “O ideal é parar por um instante e se distanciar da própria situação para um maior entendimento que leve a conexões mentais que possam estimular a estabelecer limites para as tarefas cotidianas”, posiciona.

“Busco a empatia e me aproximo do outro”

“O inferno são os outros” já diria Jean-Paul Sartre, mas o convívio com os demais é uma premissa da vida em sociedade. Sendo assim, mesmo que por vias tecnológicas ou com os rostos tampados por máscaras, a conexão com o próximo é inevitável, ou melhor, fundamental de acordo com a psicologia positiva.

“Há evidências científicas de que o convívio com o próximo faz bem”, diz Flora — “a sociabilidade começa a ser construída na barriga da mãe e se expande nas fases de evolução do ser humano. Isolado, o indivíduo perde a identidade porque ela é constituída a partir do encontro com o outro”.

Por isso, embora qualquer um possa encontrar arestas em qualquer que seja a relação — familiar, amorosa, profissional — é importante lembrar que são elas que dão sentido à vida. A especialista aconselha a treinar a resiliência, a paciência, o entendimento e, em casos mais difíceis, até mesmo o distanciamento: “boas relações são fundamentais para o bem-estar”.

“Eu presto mais atenção às minhas emoções positivas”

Há uma teoria na Psicologia Positiva chamada ‘broaden and build’ que entende que as emoções positivas aprimoram o repertório de ação do pensamento de um indivíduo.
“A positividade, inclusive, ativa diferentes áreas do cérebro. Enquanto sentimentos como satisfação, esperança, otimismo, entusiasmo, atingem o neocortex, a negatividade de sentimentos, como medo, impotência, impaciência e frustração ativam a amígdala”, explica. Além do ganho pessoal, a positividade tem efeito quase de “contágio”, ou seja, um efeito cascata de melhora do ambiente, quase que imediato.

“Eu evito focar no medo”

Medo é uma das emoções negativas geradas na amígdala, como visto no trecho acima, e gera a necessidade de correr ou lutar, o que envolve sensações físicas de stress, como tensão, e outras descompensações. Flora explica que o medo foi fundamental para a sobrevivência do ser humano em tempos remotos, quando era ele que alertava sobre os perigos, mas viver sob esta influência constante gera malefícios imediatos e a longo prazo.
Por isso, mesmo num contexto de pandemia, é necessário tomar cuidados, mas não se permitir dominar pelo sentimento.

“Demonstro gratidão pelo que já tenho”

Do outro lado do espectro, a gratidão é uma das emoções positivas mais poderosas para deixar fluir no dia a dia. E não se trata de apenas reconhecer o bem que o outro faz em eventos específicos, mas de enxergar o lado positivo da vida em ações cotidianas, como simplesmente acordar, ou até em algo que à primeira vista seja negativo, mas que pode sempre levar ao aprendizado.

“Uma visão apreciativa do mundo leva a um estilo de vida que preza o ser grato pelo que ocorre ao redor. Implica em menos julgamento de valor e mais emoções positivas, opostas ao sentimento de depreciação por si próprio e pelo mundo, que pode levar à depressão”, explica a mestre em Psicologia Positiva.

E gratidão é prática, enfatiza Flora: “Sabe-se que o conhecimento é produzido por repetição, assim, quanto maior a prática, menores são as distâncias entre os neurônios e mais fáceis as sinapses entre eles. Portanto, a gratidão pode ser absorvida pela prática e levar a melhores níveis de serotonina e à sensação de bem-estar”.

Fonte: Flora Victoria é mestre em Psicologia Positiva Aplicada pela Universidade da Pensilvânia e embaixadora da Felicidade no Brasil.

Restaurantes ao ar livre são opções seguras de gastronomia na retomada da vida normal

Segundo estudos, a chance de contaminação em ambientes abertos chega a ser até 19 vezes menor do que em salões fechados

A cidade de São Paulo inicia aos poucos a tentativa de retornar ao ritmo normal. Muitos restaurantes se adaptam para receber clientes, ainda um tanto desconfiados e inseguros. Com a incerteza sobre quais seriam as melhores opções em termos de segurança para o lazer gastronômico, alternativas que oferecem boa comida aliada a espaços abertos e bem ventilados tornam-se disputadas pelos paulistanos.

Este é o caso dos restaurantes Cena Jockey, Ferra Jockey e Iulia, localizados nas dependências do Jockey Club de São Paulo. O Cena Jockey, por exemplo, aproveita o espaço avarandado, do alto da arquibancada principal do hipódromo, para servir seu menu à la carte. “Normalmente, aos sábados e domingos, serviríamos em sistema buffet, como o da nossa tradicional feijoada, mas por precaução estamos optando pelo pratos servidos na mesa”, afirma o restaurateur Ênio Gonçalves.

Para a imunologista Ester Cerdeira Sabino, professora da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e responsável pelo sequenciamento do genoma do novo coronavírus, espaços abertos são muito mais seguros do que salões fechados. “Não existe ainda um estudo que indique essa segurança, mas ela é incontestável”, indica Ester.

Não se referindo exclusivamente a restaurantes, um estudo conduzido pelo Instituto de Doenças Infecciosas do Japão aponta um risco até 19 vezes maior de contaminação em espaço fechados quando comparado com ambientes abertos. Segundo o estudo, o risco de contágio aumenta pela maior possibilidade de transmissão secundária.

Os restaurantes do Jockey Club de São Paulo ainda têm uma vantagem que não se compara com os restaurantes que simplesmente colocam mesas na calçada. Os clientes têm uma vista linda da cidade e, se quiserem, nos dias de páreo ainda podem assistir às corridas e fazer apostas sem sair da mesa.

Filet au Poivre Vert – Foto: Gavroche Fukuma

Prato do Cena Jockey

Atualmente, o Jockey Club de São Paulo passa pelo processo de restauro de seu pórtico de entrada e do passadiço – primeira fase de restauração dos edifícios tombados pelo patrimônio histórico. “Quem vier para o almoço pode aproveitar e visitar as obras”, garante Wolney Unes, diretor da Elysium Sociedade Cultural, empresa responsável pela condução das obras de restauro. “Painéis com informações históricas do Jockey foram preparados para que os visitantes possam entender como se dá o processo de restauro”, completa.

Jockey Club de São Paulo: Av. Lineu de Paula Machado, 1263 – Cidade Jardim
Quintas, sextas e sábados, a partir das 12 horas
Reservas: The Fork

Trazer a natureza para dentro de casa é importante para o bem-estar

Sete ideias que ajudam a manter o contato com a natureza e ainda aproximam a família

O contato com a natureza é uma das formas mais simples e eficientes para minimizar o estresse da vida moderna e manter um estilo de vida saudável. Em 2016, um estudo da universidade de Harvard revisou dezenas de pesquisas da área e indicou que o contato com a natureza estimula as pessoas a fazerem mais atividades físicas, perderem peso e terem menos problemas cardiovasculares, além de diminuir potencialmente os problemas de saúde mental, como estresse e depressão.

Esses resultados somaram-se aos de vários outros estudos que também apontam a relação direta da natureza com o aumento na concentração, incremento da memória e a evolução na recuperação de procedimentos cirúrgicos. Mas como manter contato com os elementos da natureza em tempos de pandemia de coronavírus, com parques públicos reabrindo de forma moderada e recomendação de isolamento social? A resposta está na criatividade.

“A natureza é parte integrante e indissociável da saúde humana e, portanto, o acesso a ela deve sempre ser garantido. Além de todos os benefícios que oferece, como ar limpo, água potável e alimentos nutritivos, é na natureza que buscamos o relaxamento, a reconexão com nós mesmos e inspirações para a vida. A natureza é o melhor remédio para a saúde física e para a saúde mental”, diz Leide Takahashi, membro da Rede de Especialistas em Conservação da Natureza (RECN), da Comissão Mundial de Áreas Protegidas da União Internacional para a Conservação da Natureza e gerente de Conservação da Biodiversidade da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

A especialista separou sete maneiras de se conectar com a natureza, mesmo em tempos de isolamento social.

Obras de arte: estudo publicado em 2015 no International Journal of Environmental Research and Public Health apontou que imagens que retratam a natureza ajudam as pessoas a se recuperarem de situações de estresse. Portanto, ter um ou dois quadros em casa com imagens de vegetação ou de paisagens naturais é um jeito simples de cuidar da própria saúde.

Piqueniques caseiros: uma opção bem interessante de manter o contato com a natureza é realizar piqueniques em casa. A atividade é bem simples: basta estender uma toalha colorida na sala, flores, plantinhas e alimentos saudáveis para aproveitar a diversão em família. Essa também é uma oportunidade para educar as crianças sobre a origem dos alimentos e a importância da natureza.

Jardins e hortas: já que não é indicado ainda irmos até à natureza neste momento, por que não trazê-la mais para dentro de casa? Até mesmo quem mora em pequenos apartamentos pode – e deve! – cuidar de plantas, ter um minijardim ou uma pequena horta caseira. O contato com as plantas serve como uma forma eficaz de terapia, ajudando no relaxamento e na sensação de bem-estar. Mais do que isso, quando feito junto com crianças, ajuda a transmitir a mensagem da importância de se conservar e proteger as espécies e o meio ambiente.

Sons da natureza: são como uma música clássica, uma orquestra. Têm o poder de auxiliar o indivíduo a relaxar, se liberar um pouco das questões cotidianas e transportar os pensamentos para lugares e paisagens que transmitem prazer e serenidade. A Fundação Grupo Boticário montou uma playlist no Spotify com sons da natureza para que as pessoas se conectem com o mar, o canto dos pássaros da Mata Atlântica, o coral das aves ao amanhecer, os sons relaxantes produzido pelas baleias, entre outros.

Woodstream Brands

Atividades manuais: esta é uma boa maneira de reunir a família para cocriar objetos que valorizam a vida animal, promover a educação sustentável e se divertir. É possível, por exemplo, chamar a garotada para montar um minhocário, um bebedouro para os pássaros ou um abrigo para pequenas aves. Tudo com material reciclado ou reaproveitado.

Calico’s Nest

Observação de aves: a prática de observação de aves, também conhecida como birdwatching, já mobiliza cerca de 30 mil pessoas no Brasil, segundo dados da Conservação Internacional. E esta é uma prática que pode muito bem ser feita em casa, prestando atenção nas espécies de aves que estão próximas às nossas janelas, varandas e quintais, nas árvores ou até mesmo nas fiações das cidades.

Essências: além de espalhar plantas e vasos pela casa, inclusive como forma de decoração do espaço, é possível usar incensos e essências naturais que remetam à natureza e ajudem no relaxamento.

Fonte: Fundação Grupo Boticário

Mercearia do Francês oferece deliciosas sugestões para esquentar o inverno

No coração de São Paulo, mais precisamente no charmoso bairro de Higienópolis, está a Mercearia do Francês. Com 15 anos de tradição e entrega da mais perfeita combinação entre pratos dos típicos bistrôs parisienses com temperos e ingredientes brasileiros, a casa comandada pelo chef e sócio José Luiz Balon possui opções para todos.

Soupe L’Oignon – um clássico da Mercearia do Francês – João Erbert

Para os dias frios, as sugestões do chef são La Soupe de L’Oignon (a inigualável sopa de cebolas francesa com uma torrada de parmesão) e o Casoulet Maison com Confit de Canard (Tradicional prato de inverno francês do sul da frança: cozido de feijão branco,com linguiça paio, costelinha de porco e uma coxa de pato confitada), além de outras muitas opções do menu, que vai de entrada a sobremesa, passando por pratos com frutos do mar, snacks e risotos.

Cheesecake du Chef com calda de frutas vermelhas

Para acompanhar, a Mercearia do Francês é possível apreciar vinhos dos mais diversos países, além de espumante Chandon Reserve Brut e champanhe francesa, além de bebidas não-alcoólicas.

Crepe de Nutella com banana e sorvete de creme

Aos que preferem pedir em casa, a casa possui opção de delivery via iFood, na qual há destaques como Menu Premium Mercearia do Francês (entrada + tornedor grelhado com risotto à milanesa, molho roquefort e rolinhos de berinjela + sobremesa) e escalopes de filé mignon ao molho rôti (serve 2 pessoas e acompanha risoto à milanesa, salada e 2 minipastéis de brie e tomate seco).

Mercearia do Francês: R. Itacolomi, 636 – Higienópolis – Tel. (11) 3214-1295. Horário do salão e delivery: segunda a sábado, das 12h às 15h e das 19h às 22h. Domingos, das 12h às 18h (somente almoço). Nestes horários também é possível realizar pedidos via iFood, telefone e take away, além de reservas.

Aumento da queda de cabelo na quarentena

Especialista fala sobre fatores de influência e tratamentos disponíveis

Neste período de quarentena, em que as pessoas tiveram suas rotinas alteradas, o aumento da queda de cabelo tem sido uma queixa recorrente. Uma série de fatores contribuiu para esse aumento, com o stress e a ansiedade encabeçando a lista. Em uma rede de salões de beleza de São Paulo, não foram poucas as clientes que demonstraram preocupação com o problema.

É o que conta a Especialista em Terapia Capilar Kammily Carvalho, do Shades Studio Jardim Pamplona: “Tenho recebido muitos questionamentos relacionados à queda de cabelo. Em grande parte dos casos, a queda acentuada está diretamente relacionada ao momento de isolamento social”, diz a profissional.

Com a sua experiência e formação em tratamento de dermatites do couro cabeludo e queda precoce, a especialista explica: “O nosso cabelo tem três fases: o período durante o qual o cresce chama-se fase anagênica e dura cerca de 1 a 4 anos. A segunda fase chama-se catagênica, é quando a conclusão da produção de fibra ocorre e dura de 2 a 3 semanas. A última fase, conhecida como telogênica, é quando o fornecimento de nutrientes é interrompido, dessa forma, o cabelo cai, deixando espaço para o crescimento de um novo fio e o reinício do processo. É normal cair uma média de 100 a 120 fios diários. Em alguns casos, essa quantidade se multiplica, principalmente por fatores hormonais, pois o folículo piloso é sensível às alterações hormonais”.

Além dos hormônios, os cabelos podem apresentar queda por fatores nutricionais, emocionais e doenças de base autoimune. Outros indícios foram apontados pela cabeleireira, como eflúvio telógeno, fator reversível no qual o cabelo cai depois de uma experiência estressante; alopecia androgênica, que é a perda permanente de cabelo, causando a calvície; seborreia – doença cutânea que provoca manchas descamativas e vermelhas na pele e no couro cabeludo; e alopecia areata, queda repentina de cabelo que começa com uma ou mais áreas calvas circulares, que podem se sobrepor. A ansiedade causada pelo período pandêmico, o estresse e a má alimentação contribuem para a deficiência na ingestão vitaminas e proteínas que ajudam a fortalecer o folículo piloso.

Apesar desses diversos fatores, a especialista destaca alguns pontos que ajudam a evitar a queda excessiva dos fios:

Depositphotos

• É ideal lavar o couro cabeludo todos os dias ou dia sim, dia não, para evitar a oleosidade (fator que também estimula a queda excessiva e acentuada, podendo evoluir para outros agravantes, como a caspa);

• Não deixar o cabelo tracionado (esticado) por muito tempo;

• Não dormir com o cabelo molhado;

• Tentar diminuir o estresse;

• Melhorar a alimentação e ingestão de vitaminas;

• Ir sempre ao cabeleireiro ou profissional especializado em tratamento antiqueda e realizar um tratamento de limpeza do excesso de produtos na raiz do cabelo;

• Atenção e cuidado com produtos de alisamento, relaxamento, progressivas ou qualquer química que venha a ser aplicada no couro cabeludo e podem provocar alergias e queimaduras;

• Cuidado com os produtos finalizadores, para evitar o entupimento e a circulação sanguínea no couro cabeludo e poros;

• Desembaraçar os cabelos no banho.

Em casos mais graves, o recomendado é buscar um tricologista, especialista em queda de cabelo e calvície, que irá descobrir qual é a causa da queda e orientar sobre o tratamento. Alguns salões oferecem tratamentos nesse sentido, como argiloterapia, alta frequência, ozonoterapia, luz de led e óleos essenciais.

“Aqui no Shades Pamplona, a especialista Kammily Carvalho desenvolve tratamentos que aliam essas ferramentas e produtos de qualidade e confiabilidade, de marcas reconhecidas no mercado de tratamento para queda e dermatite”, finaliza Maria Eugênia Dickerhof, proprietária da rede.

Fonte: Shades Studio

Hamburgueria artesanal no Butantã, BurgUP, opera com cardápio completo

Após pouco mais de cinco meses operando apenas com delivery, a loja sede da BurgUP, no Butantã, está funcionando para atendimento no salão, em novo horário e com capacidade reduzida – das 17 às 22 horas, 40% da capacidade e, no máximo, seis pessoas por mesa. Com o retorno do atendimento presencial, estão disponíveis todos os itens do cardápio, como, por exemplo, o milk-shake de bacon, que faz sucesso entre o público que é apaixonado pela iguaria, devido ao sabor e visual marcante.

Carros chefes da casa

A BurgUP possui um cardápio variado, com opções para todos os gostos, incluindo uma seção do menu totalmente dedicada ao público vegano. Entre os carros chefes da casa estão o Pesto Burger, preparado com hambúrguer artesanal de linguiça toscana, maionese, mussarela de búfala, tomate seco, rúcula, finalizado com molho pesto e Beach Burguer: hambúrguer artesanal de 180 gramas, maionese, alface, tomate e queijo coalho.

Em porções, os destaques são para o Dadinhos de tapioca preparados na casa e que tem como acompanhamento a geleia de pimenta e a Batata Cheddar-Bacon, a porção de batatas da casa que é amplamente elogiada por visitantes e crítica especializada, que acompanha a cobertura de cheddar e bacon crocante.

A BurgUP também inaugurou este ano 3 unidades com foco na linha de smash burgers que operam apenas com delivery – Eiras Garcia, Taboão da Serra e KM18.

BurgUP – Av. Corifeu de Azevedo Marques, 1164 – Butantã, São Paulo – SP

Vila Don Patto e Quinta do Olivardo reabrem em São Roque

Vila Don Patto reabre após quatro meses

Desde 14 de agosto, complexo enogastronômico localizado em São Roque (SP) retoma suas atividades com todos os cuidados exigidos pelas autoridades

A Vila Don Patto anuncia a reabertura de parte do seu complexo. Nos próximos finais de semana, o restaurante português funciona das 11 às 16 horas desde o dia 14 de agosto. Já, Café e Grelhados, Adega e a Sorveteria, funcionarão todos os dias, das 8 às 16 horas. Com limite de capacidade – apenas 40% permitida – o controle de pessoas será feito por um cartão (liberado após outros saírem e com o local já higienizado). Os funcionários estarão treinados para este novo formato, atenderão com máscaras face shield e terão, a todo o momento, dois colaboradores disponíveis na Vila para orientação.

Em relação à higienização dos restaurantes, serão disponibilizados frascos de Álcool 70º INPM em todas as recepções, além de placas de acrílico nos caixas, guardanapos de papel, talheres em sacos plásticos descartáveis. Além disso, o mapa da Vila e cardápios dos restaurantes poderão ser visualizados via QR Code, visando ainda mais proteção. Com isso, todo o complexo terá novas placas sobre o direcionamento de cada empreendimento.

Vila Don Patto e a quarentena

Após quatro meses fechada, a Vila Don Patto vem se adaptando às normas relacionadas à pandemia do novo coronavírus. Em primeiro momento, foi fechado o complexo – conforme recomendações – e, aos poucos, voltaram a funcionar o restaurante, a adega, sorveteria, artesanato, café e grelhados em formato delivery e/ou take away. Além disso, foi antecipado o lançamento do seu e-commerce, no qual é possível comprar geleias, vinhos e presentes pelo site. 

Gran-Bacalhau (1)Gran-BacalhauCostelinha da terrinha do restaurante Villa Don Pattovinhos don patto

“Para nós é com grande satisfação a retomada de nossas atividades, mesmo que parcialmente, pois temos uma relação muito próxima com nossos clientes e sentimos falta do dia a dia com famílias se divertindo em nossa Vila”, comenta o diretor Tulio Patto. “Fizemos algumas lives ao longo das semanas, mas nada se compara ao calor humano, mesmo com distanciamento”, acrescenta o empresário.

Quinta do Olivardo reabre seu restaurante em São Roque

Com rígido protocolo sanitário, casa está pronta para receber clientes todos os dias

Depois de cinco meses cumprindo as regras do isolamento social proposto pela Plano SP, a Quinta do Olivardo, tradicional restaurante português de São Roque reabre seu restaurante. O funcionamento é parcial seguindo as regras da Vigilância Sanitária da cidade.

O restaurante, neste período, tem novo horário de funcionamento: de segunda a domingo, das 11 às 17 horas. A Loja de Produtos e Adega ficam abertas nos mesmos dias, mas com o horário das 10 às 16 horas.

A Quinta do Olivardo está dentro de uma área de 20 mil m² com muito verde, mais de 8 mil pés de uva plantados e muito espaço aberto, o que proporciona maior segurança a todos os clientes, funcionários e colaboradores.

O sistema de entrega Delivery continua em São Paulo, aos sábados e domingos, das 11 às 15 horas. Na cidade de São Roque funciona o drive-thru, de segunda a domingo, das 11 às 17 horas.

Espetada-Madeirense--2-Bolinho-de-Bacalhaubacalhau lagareiroDoces-portugueses1 (1)

Quinta do Olivardo
São Roque – De Segunda a Domingo
Restaurante e Drive-Thru: 11h às 17h
Loja de Produtos e Adega: 10h às 16h
Estrada do Vinho, km 4
Estacionamento no local: Gratuito

São Paulo – Sábados e Domingos
Delivery e Drive-Thru- 11h às 15 horas
Rua Uruana, 94, Vila Mariana
Informações: (11) 97088-5401 WhatsApp