Arquivo da categoria: reciclagem

Cinco coisas que talvez você não saiba sobre os produtos Natura

Além do uso de ingredientes da biodiversidade e de produtos com cheirinho e textura envolventes, a Natura também oferece produtos que fazem bem ao planeta. Confira:

Perfumes com longa durabilidade, hidratantes refrescantes e tons marcantes. Por esses e outros motivos a Natura é a marca de cosméticos queridinha entre as consumidoras. Mas, além da funcionalidade e qualidade dos produtos, a empresa tem políticas sustentáveis e de respeito com a natureza. Veja o Top 5 de curiosidades sobre os produtos Natura.

1. Política de refis

Há 35 anos a Natura foi pioneira na utilização de refil de produtos cosméticos no Brasil. Mais de 110 itens da marca, em linhas como Ekos, Erva Doce, Tododia, Plant e Sève, contam com refis, e a economia dessa opção representa entre 20% e 30% em comparação com o valor do produto regular. A iniciativa reforça um dos pilares de sustentabilidade da empresa, o “Mais beleza, menos lixo”. A emissão relativa de carbono de um refil da Natura é, em média, 47% menor do que um item regular do portfólio e contribui para retirar do meio ambiente 1,6 mil toneladas de plástico anualmente, o equivalente ao volume de lixo gerado por 3 milhões de pessoas em um único dia. Veja uma opção de produto:

tododia refil natura

Refil Desodorante Hidratante Corporal: nutrição essencial com textura suave e aveludada, que nutre e hidrata imediatamente, protegendo, restaurando e revigorando a pele. Ideal para pele normal a seca. A versão em refil é feita com 85% menos plástico do que a embalagem original. Preço sugerido: R$ 31,50 (400 ml)

2. Embalagens recicladas

Nas linhas Ekos e Sève as embalagens são 100% feitas de PET reciclado pós-consumo, iniciativa que contribui para evitar o descarte de plástico em oceanos ou aterros sanitários. Esses materiais, que seriam descartados como resíduos, passam por um processo de transformação que permite reutilizá-lo em embalagens, prolongando sua vida útil. Além do uso de materiais reciclados pós-consumo, a Natura também investe no aumento do uso de polietileno verde (PE verde), plástico produzido a partir do etanol de cana-de-açúcar, uma matéria-prima renovável, enquanto os polietilenos tradicionais utilizam matérias-primas de fonte fóssil, como petróleo. O PE verde apresenta mesmo potencial de reciclagem que o PE tradicional, com o benefício de impactar menos na emissão de gases do efeito estufa, que causam mudanças climáticas. Em 2017, 21% das embalagens produzidas pela companhia no Brasil foram ecoeficientes – ou seja, têm 50% a menos de plástico na sua composição ou mais da metade dos materiais são reciclados pós-consumo ou renováveis. Veja uma opção de produto:

manteiga ucuuba

Manteiga reparadora para corpo e áreas ressecadas: possui alta concentração de manteiga de ucuuba, estimulando a produção natural de colágeno e elastina. Textura inovadora: ultraleve e hidratante. Garante reparação profunda para as áreas mais ressecadas do corpo. Preço sugerido: R$ 60,50 (200g)

3. Álcool orgânico

A Natura, a Casa de Perfumaria do Brasil, passou a incluir, já em 2006, um percentual de álcool orgânico na formulação de seus perfumes. Hoje, todos os perfumes da Natura são totalmente formulados com álcool orgânico, contribuindo para a recuperação da vegetação nativa e retorno de mais de 340 espécies ao seu habitat natural, além de reduzirem a emissão de gases causadores do aquecimento global e aumentarem em 30% o volume de água dos córregos e rios na região de cultivo. Veja uma opção de produto:

kaiak ultra natura

Kaiak Ultra Feminino: combinação dos acordes ultrarrefrescantes de anis com o estoraque, envolvidos pela feminilidade do jasmim e pela delicadeza da lavanda. Coloque a fragrância na geladeira antes de usar para uma sensação ainda mais refrescante. Preço Sugerido: R$ 121,90 (100ml)

4. Produtos Veganos

A Natura sempre buscou a vegetalização dos seus produtos, lançando o primeiro sabonete em barra do mercado com óleos 100% vegetais. Além disso, prioriza o uso de ingredientes de origem vegetal e aqueles obtidos por processos industriais verdes em todas as categorias de produtos. Como um dos resultados desse compromisso, hoje grande parte do portfólio possui produtos que podem ser consumidos por vegetarianos ou veganos. Hidratante para o corpo, demaquilante de rosto, desodorante colônia e variadas cores de batons estão entre os produtos que não possuem nenhum ingrediente animal em sua composição. Veja uma opção de produto:

mamae e bebe natura

Mamãe e Bebê Água de Colônia sem álcool: cítrico leve. Aconchego e cuidado em uma fragrância que combina suaves flores de lavanda com notas levemente adocicadas. Preço sugerido: R$ 72,90 (100 ml)

5. Sem testes em animais

Além do compromisso da vegetalização que se estende por seu portfólio, desde 2006 a Natura não realiza testes em animais no processo de desenvolvimento de seus produtos e ingredientes. Ano passado, conquistou o selo Leaping Bunny, certificação da Cruelty Free International contra testes em animais e da Peta (People for the Ethical Treatment of Animals), outra organização que apoia e atesta que nenhum produto ou ingrediente da Natura (ou de seus fornecedores) foi testado em animais. Veja uma opção de produto:

desodorante gel detox natura

Desodorante Gel Creme Detox: proporciona hidratação imediata, proteção e purificação da pele, pois possui a inovadora Ação Detox Antipoluição e Antioxidante: o produto forma uma barreira protetora contra partículas poluentes que podem agredir a pele, além de combater os radicais livres, moléculas produzidas no organismo que podem danificar as células e provocar o envelhecimento precoce da pele. Sua textura leve como um gel e ao mesmo tempo deliciosamente cremosa, é ideal para a automassagem, que além de promover um momento de conexão com o próprio corpo, também potencializa a ação detox do produto, por aumentar a circulação sanguínea. Preço sugerido: R$ 31,90 (200 ml)

Onde encontrar: por meio de uma Consultora Natura, na Rede Natura ou nas Lojas próprias da Natura, em São Paulo, São Caetano do Sul, Ribeirão Preto, Alphaville São Paulo, Campinas, Florianópolis, Belo Horizonte, Goiânia, Brasília, Campo Grande, Curitiba e no Rio de Janeiro.

 

Campanha da Univali troca tampinhas por ração para animais de rua

Iniciativa do Colégio de Aplicação do Campus Tijucas também recolhe latas, lacres e esponjas

Sabe aquelas tampinhas de plástico (de garrafas pet, produtos de higiene, remédios, sucos, leite e iogurtes) que teriam como destino o lixo? Elas podem trocadas por ração animal e beneficiar cães de rua. É isso que está acontecendo no Colégio de Aplicação do Campus da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em Tijucas (SC).

crianças reciclagem.png

Apenas na última semana, na Unidade de Ensino, foram recolhidas e encaminhadas, ao Abrigo de Animas Tijucas, mais de 70 quilos de tampinhas. Depois a organização se encarrega de vender o material para empresas de reciclagem e, com o dinheiro arrecadado, comprar ração para os animais abandonados.

Jonas Cadorin, diretor do Colégio de Aplicação da Univali em Tijucas, explica que a arrecadação de tampinhas elimina parte da dificuldade logística de armazenar garrafas. Além disso, existe a relevância comercial, uma vez que a tampinha é feita de polipropileno, um plástico que tem muita utilidade no mercado:

“O ganho com a ação vai além do financeiro. Há uma forte integração gerada pelo projeto que gera, também, uma grande consciência socioambiental. Em casa as crianças ficam de olho para que os pais não coloquem as tampinhas no lixo e isso tem um efeito multiplicador incrível”, resume Jonas Cadorin.

Lacres de alumínio, latas e esponjas também são reciclados

As tampinhas de plástico não são alvo exclusivo das ações de reciclagem no Colégio de Aplicação da Univali em Tijucas. Na unidade educacional também são arrecadadas esponjas de cozinha usadas e lacres e latas de alumínio. Cada 140 garrafas pet de dois litros cheia de lacres podem ser trocadas por uma cadeira de rodas.

latas.png

As latas também não deixam de ser aproveitadas. Elas são recolhidas, amassadas, vendidas e, nesse caso, o recurso é utilizado, inclusive, para a manutenção de outras campanhas de conscientização sobre reciclagem no Campus.

Já o recolhimento das esponjas de cozinha faz parte de uma campanha institucional da Univali que integra Programa Nacional de Reciclagem de Esponjas Scotch-Brite. A iniciativa proporciona destino adequado às esponjas descartadas. Para cada esponja arrecadada pelo Programa, R$0,02 são doados para o Hospital Infantil Pequeno Anjo, de Itajaí.

Para realizar a doação, basta entregar a esponja usada em um dos diversos pontos de coletas distribuídos pelos campi da Univali. É importante, no entanto, para evitar a proliferação de insetos e mau cheiro, que a esponja esteja limpa e seca antes de ser depositada nos coletores.

Todos os tipos de esponjas de uso doméstico são aceitos, independentemente da marca, cor ou tamanho. Após o envio para reciclagem, elas são reintroduzidas na cadeia produtiva como matéria prima e podem virar baldes, lixeiras, pás de lixo e outros materiais.

Fonte: Univali

 

Campanha de reutilização de óleo de cozinha tem mais de 1.400 pontos de entrega no estado de SP

Óleo usado não deve ser jogado na pia, banheiro ou lixo, e pode ser reaproveitado para fabricação de combustível e até sabão

Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais), em parceria com as empresas de alimentos ADM, Bunge, Cargill, Imcopa e Louis Dreyfus e com o Sindicato da Indústria de Óleos Vegetais (Sindoleo), lança um novo site com informações sobre reutilização de óleo de cozinha.

Por meio do site Óleo Sustentável, o cidadão tem acesso a informações de caráter educativo sobre o armazenamento e o descarte correto do óleo usado, como o passo a passo para a coleta, os pontos de entrega, publicações de conscientização para o consumidor e esclarecimentos sobre os benefícios da reciclagem do óleo para o meio ambiente e o bem-estar da população.

A página também traz boletins informativos sobre as ações ambientais das empresas que participam da iniciativa, além de curiosidades a respeito do uso do óleo de cozinha, vídeos educativos e reportagens sobre os destinos do óleo usado. No primeiro vídeo, a dona de casa Regina ensina como fazer a coleta do óleo usado, assista clicando aqui.

oleo 3

Passo a passo do descarte e entrega do óleo de cozinha após o uso:

1° – Deixe o óleo esfriar por pelo menos 30 minutos
2° – Passe o óleo usado em uma peneira e funil, para tirar resíduos de alimentos, e armazene em garrafa pet
3° – Feche a garrafa para evitar odores e insetos
4° – Limpe a panela com um guardanapo de papel e descarte-o no lixo orgânico
5° – Leve ao ponto de entrega (conheça os endereços no estado de SP clicando aqui)

Ao todo, já são 1.423 pontos de entrega no estado de São Paulo. O óleo coletado é levado para cooperativas de catadores e indústrias de reciclagem, e é destinado para a produção de biodiesel e como insumo para outras aplicações, incluindo a fabricação de tintas e sabão ecológico.

Cindy Moreira, coordenadora de sustentabilidade da Abiove, informa que há diversos benefícios em descartar corretamente o óleo. “Nosso intuito é preservar a natureza e fazer dessa ação um hábito da população para que não joguem o óleo no ralo da pia, do banheiro ou no lixo. Além disso, as embalagens de plástico, geralmente PET, são enviadas para cooperativas de catadores credenciadas, onde são separadas e destinadas para as indústrias recicladoras”, explica.

oleo

Ação na praia de Guarujá-SP tem até revistinha infantil

Em parceria com a prefeitura de Guarujá–SP e com as empresas de alimentos, a Abiove lançou a “Campanha Óleo Sustentável no Verão”. Foram inaugurados na cidade sete pontos de recolhimento de óleo de cozinha, além dos cinco já existentes, e, aos fins de semana, promotores realizam atividades de educação ambiental na praia da Enseada, uma das mais movimentadas, e em redes de supermercados.

Na ação, são distribuídos brindes como um funil, para facilitar a separação do resíduo nas residências, e um gibi para as crianças com uma personagem criada especialmente para a campanha, a “capitã Recicla”. Também estão sendo entregues sacolas biodegradáveis contendo informações dos pontos de entrega de óleo. A meta é recolher 1.000 litros do resíduo até o final de janeiro.

Segundo a Abiove, a ação é pioneira e inaugura os projetos setoriais no âmbito do Óleo Sustentável. “Queremos ampliar as parcerias público-privadas e contribuir para aumentar a conscientização ambiental e o volume de óleo coletado no estado de São Paulo”, afirma Cindy.

No Guarujá, o óleo de cozinha usado pode ser entregue nos endereços a seguir:

1) Supermercado Krill Caiçara (Avenida dos Caiçaras s/n) – novo
2) Supermercado Krill Guarujá (Av. Presidente Tancredo Neves, nº 100) – novo
3) Supermercado Krill Vicente (Via Santos Dumont, nº 1.503) – novo
4) Roldão Atacadista (Rua Valdomiro Macário, nº 59) – novo
5) Vencedor Atacadista (Avenida Adhemar de Barros, nº 1.660) – novo
6) Mercadão Perequê (Avenida Bidu Sayão, nº 619) – novo
7) Mercadão Guarujá (Avenida Santos Dumont, nº 619) – novo
8) Revenda Ultragaz (Praça das Bandeiras, nº 31, Jd. Enseada)
9) Revenda Ultragaz (Via Santos Dumont, nº 135, Vila Santo Antônio)
10) Revenda Ultragaz (Marginal Piaçaguera, nº 239, Vila Áurea)
11) Sabesp (Av. Leomil, nº 1.055, Barra Funda)
12) Sabesp (Av. Thiago Ferreira, nº 435, Vila Alice)

São Paulo ganha seis novos pontos de coleta de recicláveis em 2018

Capital paulista é a maior produtora de resíduos no Brasil e vê, em pequenas iniciativas, o motor para a mudança

Em 2018, a cidade de São Paulo ganhou seis pontos de entrega de recicláveis como parte da iniciativa da Molécoola, startup que trabalha com a logística reversa de recicláveis pós consumo. Os pontos foram instalados em locais de grande circulação e em pouco mais de três meses de funcionamento integral recolheram mais de 40 toneladas de recicláveis entre papel, plástico, metal, vidro e eletrônico.

A iniciativa surgiu com o objetivo de ajudar com um problema comum nas grandes cidades: o grande volume de lixo. De acordo com a prefeitura, só em São Paulo, a produção diária é de 20 mil toneladas, sendo os resíduos domésticos a maioria, com 12 mil toneladas recolhidas. Essa grande produção acaba gerando problemas de saúde pública, ambientais, além de logística para o poder público.

molecoola 1

“Percebemos que precisávamos fazer alguma coisa para lidar com o lixo nas cidades. Em um primeiro momento de pesquisa nos deparamos com números alarmantes sobre a produção de lixo e o quanto de perda econômica e social isso representava para todos”, diz Rodrigo Jobim, fundador da Molécoola.

A ideia do programa é simples: o usuário leva o reciclável limpo e separado em uma das lojas contêineres da Molécoola onde será pesado e o peso revertido em pontos pelo aplicativo. Esses pontos, quando acumulados, podem ser trocados por bens de consumo e serviços na própria loja. As opções de resgate vão de cabo para celular e crédito para x-box, até produtos de limpeza e utilidades sustentáveis como canudos de metal e copos de silicone.

“Uma pesquisa do IBOPE aponta que 66% dos brasileiros sabem pouco sobre coleta seletiva, o que nos mostra que a falta de informação é um dos principais desafios. Por isso, desenvolvemos um modelo baseado no incentivo em que a pessoa não acostumada a reciclar, chegue até nós por meio de benefícios que ela possa ganhar. Uma vez na nossa loja, ela será recepcionada por um dos nossos colaboradores, que mais do que operar a loja, são uma interface com o público para que ele tire dúvidas e entenda um pouco mais do processo”, explica Jobim.

Além de beneficiar o meio ambiente, a prefeitura e o cidadão, a iniciativa ainda auxilia as empresas a cumprirem metas internas de sustentabilidade e as metas do Plano Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que determina que a indústria também é responsável pelo retorno das embalagens pós consumo para a cadeia produtiva. De acordo com Jobim, “garantimos que todo o material que coletamos seja reciclado, além de permitirmos a rastreabilidade da cadeia e controle sobre o tipo de resíduo que recolhemos”.

molecoola 2

Para completar o ciclo sustentável, a Molécoola também trabalha para o desenvolvimento social. Seus colaboradores, em sua maioria são ex-catadores ou ex-cooperados, que tem seu trabalho formalizado, além de terem a oportunidade de virarem empreendedores, já que a startup baseia sua expansão em um sistema de franquias, auxiliando na busca por crédito para a abertura de uma loja Molécoola.

Fonte: Molécoola

Molécoola inaugura primeira loja de recicláveis do varejo brasileiro

A abertura da terceira unidade ocorreu na manhã de hoje (12) no Shopping Center Norte, em São Paulo, e a expectativa é atingir mil lojas em cinco anos

Em uma parceria inédita no Brasil, a Molécoola e Shopping Center Norte, de São Paulo, inauguraram, na manhã de hoje (12/9), a primeira loja de recicláveis do varejo brasileiro. Implantada no Estacionamento C e funcionando no horário regular do empreendimento, a lojacontainer atua com base na logística reversa de recicláveis pós-consumo, por meio de um programa de fidelidade que transforma os recicláveis em benefícios.

A proposta desenvolvida pela Molécoola é integrada por um sistema de acúmulo de pontos no aplicativo – disponível para Android e IOS. Ao entregar seus resíduos em uma das lojacontainer, o usuário passa a somar pontos que, acumulados, são revertidos em premiações, com mais de 50 opções de resgates.

“Inaugurar a primeira loja de recicláveis do varejo no Shopping Center Norte é muito importante para nós, tanto pela relevância que o Shopping tem em São Paulo quanto pela proximidade que conseguimos ter com o público, permitindo que reciclagem se torne parte do cotidiano das pessoas. Essa parceria é um passo muito importante para a promoção da educação ambiental e consequente mudança de comportamento dos cidadãos”, diz Rodrigo Jobim, sócio da Molécoola.

Entre os benefícios apresentados, a Molécoola contribui para a diminuição do extrativismo. A indústria é beneficiada, entre outros, pela logística reversa, uma vez que há rastreabilidade da cadeia. Já o reciclador ganha com o custo competitivo e com o recebimento de material de qualidade, selecionado e limpo. A iniciativa pública é beneficiada diretamente pela diminuição do impacto ambiental local e pela economia na gestão de resíduos, enquanto o varejo tem a oportunidade de se associar a um programa de fidelidade sólido.

A parceria com a Molécoola integra o Programa Elo, iniciativa da Cidade Center Norte cuja proposta é representar e engajar uma corrente em prol da adoção de práticas sustentáveis. “Estamos muito contentes com a chegada da Molécoola no nosso empreendimento. A operação está alinhada à estratégia do Programa Elo de engajar pessoas às práticas que visam contribuir para um mundo mais sustentável”, diz Ricardo Afonso, diretor Superintendente do Shopping Center Norte.

A lojacontainer da Molécoola no Shopping Center Norte funciona como um ponto de coleta que acumula os materiais. Lá eles são pesados e prensados, para serem enviados para grandes recicladores, onde são transformados em matéria-prima, voltando para a cadeia produtiva e depois para as prateleiras.

molecoola

Sobre a Molécoola

Criada em 2017 a partir dos conceitos de economia circular e fidelidade ambiental, a Molécoola atua com base na educação ambiental e na logística reversa de recicláveis pós-consumo, por meio de um programa de fidelidade que transforma os recicláveis em benefícios.

Reunindo dezenas de representantes das iniciativas pública e privada, de diversos setores econômicos, além de ONGs e da própria comunidade, o modelo de negócio adotado pela Molécoola traz benefícios a todos as partes integrantes do projeto. De consumidores, passando pelo estímulo ao microempreendedorismo, chegando até o meio ambiente.

Informações: Molécoola

Tomar um espresso em casa sem culpa é possível

Melitta inovou ao trazer para o mercado cápsulas de café recicláveis. Em parceria com a TerraCycle – empresa que trabalha com a solução de resíduos de difícil reciclabilidade, a marca lançou o Programa Nacional de Reciclagem de Cápsulas de Café Melitta, que permite aos consumidores garantirem a correta destinação desses resíduos, além de contribuir com diversas organizações sem fins lucrativos.

Por meio de uma plataforma da TerraCycle o consumidor fará um cadastro e armazenará as cápsulas usadas em uma caixa. Assim que atingir a quantidade de 50 cápsulas Melitta, basta entrar no site para imprimir uma etiqueta pré-paga e despachar a remessa em qualquer agência dos Correios, sem nenhum custo para o consumidor. Além disso, terão a oportunidade de realizar uma boa ação, pois para cada caixa com 50 cápsulas enviadas, o consumidor terá a oportunidade de doar R$1,00 a uma escola pública ou instituição de caridade de sua escolha.

capsulas melitta 1

Para participar, individualmente ou em grupo, basta se cadastrar no site da TerraCycle e inscrever-se no Programa Nacional de Cápsulas de Café Melitta. Feito isso, o participante só precisa coletar as cápsulas de café Melitta e enviar à TerraCycle gratuitamente de acordo com as instruções indicadas no site. Em parceria com a sócia da TerraCycle no Brasil, RCR ambiental, o resíduo será triado e posteriormente encaminhado para reciclagem que possibilitará a reinserção do material na cadeia produtiva, enquanto a borra de café é destinada à compostagem.

Para mais informações a respeito do Programa Nacional de Reciclagem de Cápsulas de Café Melitta, clique aqui.

Semana do Meio Ambiente tem palestras, workshops, feira de troca e espetáculo musical

A Semana Nacional do Meio Ambiente começou em 1º de junho e vai até 5 de junho, quando se celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente, instituído pela ONU, esta iniciativa visa incluir a sociedade na discussão de pautas que tratem da preservação do patrimônio natural do Brasil.

Para abrir com chave de ouro, a empresa Eloin – Educação pela Experimentação, realiza no dia 5 de junho uma sessão única e exclusiva do espetáculo superpremiado, Os Recicláveis – O musical ♻, uma adaptação da obra do autor Toni Brandão. Somente para escolas e convidados.

Já nos dias 9 e 10 de junho, das 10 às 16h, acontecerá uma superfeira de troca em parceria com o Canto do Escambo. O objetivo é estimular a prática da troca, a economia solidária, e também, uma tentativa de substituir o lucro, o acúmulo e a competição por solidariedade e cooperação.

“Vamos repensar a nossa relação com o que consumimos”, frisa Carla Plannerer (Relacionamento & Marketing Eloin).

Feira de Trocas

escamboescambo2

Os interessados devem se inscrever pelo telefone: (11) 2941-7255 ou via e-mail: relacionamento@eloin.com até o dia 7 de junho. O pagamento será feito na entrada. (R$ 10,00)

Os Recicláveis – O musical
As escolas interessadas deverão entrar em contato com a equipe Eloin no tel: (11) 2941-7255 ou via e-mail: relacionamento@eloin.com

Eloin

Nascida do sonho da educadora Elisabete da Cruz, a Eloin é uma consultoria de roteiros pedagógicos personalizados e conteúdos educativos, criada com o propósito de transformar ideias em experiências enriquecedoras. Com uma equipe multidisciplinar, tornou-se referência entre clientes e parceiros com atuação em São Paulo e outros Estados brasileiros. Única no mercado de criação e elaboração de projetos que complementam os conteúdos didáticos curriculares

Gratuito: Upcycling Day debate e ensina tendência no Sesc Vila Mariana

Cada vez mais fala-se de consumo consciente em todos as camadas da nossa vida. E a moda também tem sido discutido. Por que não reformar suas roupas você mesmo e economizar? Como construir um estilo próprio e andar na moda sem consumir de maneira desenfreada? O SESC Vila Mariana vai tratar do assunto e te ensinar a reformar suas roupas sozinho ou criar objetos a partir de roupas velhas com Upcycling Day, no dia 31 de maio.

A programação terá um conjunto de ações desenvolvidas ao longo de um dia com o objetivo de divulgar diferentes modalidades de upcycling (termo usado para reformar, em inglês) e, com isso, promover práticas inovadoras no que tange ao consumo de moda, estimulando uma nova relação do indivíduo com o vestuário, compreendido enquanto parte fundamental de nossa construção cultural. As ações, que serão gratuitas, irão falar com o público adulto, jovem e crianças também.

O dia será aberto com Aline Vito ensinando as crianças a fazerem roupa para bonecas a partir de retalhos. Serão peças mais simples, sem cortes elaborados, mas que busquem aumentar a vida útil de outras peças de roupas, sem desperdícios de tecido.

Monique Brasil irá ministrar a oficina de conserto e customização de calçados. Os participantes conhecerão diversas técnicas de customização e restauração de sapatos, adquirindo conhecimentos suficientes para executar qualquer tipo de conserto e transformação. Irão aprender a partir de seus próprios sapatos usados, dando-lhes uma “nova cara” e desenvolvendo um novo olhar sobre eles.

Simone do Prado Romeo irá debater com o público porque devemos aderir a prática do upcyling em sua palestra. A ideia é mostrar como a prática de insere em movimento social mais amplo em torno da sustentabilidade. A conversa irá falar sobre modelos econômicos vigentes, a moda cada mais rápida, além de debater a relação entre sociedade, consumo e felicidade.

Os adolescentes também serão contemplados no Upcycling Day. Ana Carolina Secatti irá falar sobre a tendência com jovens e mostrar como usar o conceito dentro de um desenvolvimento do estilo pessoal e à formação de práticas éticas e sustentáveis a partir do estímulo de novas formas de uso e consumo de moda.

A programação se encerra com a oficina A reconstrução da moda: crie produtos novos reconstruindo antigos, que será feita por Camila Monteiro. Os participantes irão criar uma almofada a partir de uma camisa. A ideia é estimular a reflexão sobre novas formas de consumo e produção, estimulando a prática do “faça você mesmo” e o do desconstruir para construir.

Sobre Aline Vito: graduada em Design de Moda pela Universidade Anhembi-Morumbi e pós-graduada em Consultoria de Imagem e Estilo pelo Centro Universitário Belas Artes. Além disso, é a criadora da marca que leva seu nome.

Sobre Monique Brasil: graduada em design digital, com formação pedagógica em artes e confecção e modelagem de calçados pelo Senai. É proprietária da marca de calçados Rabble, que valoriza o comércio justo e a sustentabilidade.

Sobre Simone do Prado Romeo: mestre e graduada em Ciências Sociais e especialista em Fundamentos da Cultura e das Artes. Desenvolve pesquisas na área de Sociologia da Cultura e atualmente é doutoranda da Escola de Comunicações e Artes da USP e docente da Universidade Anhembi Morumbi.

Sobre Ana Carolina Secatti Gâmbaro:  graduada em Geografia pela Unesp e pós-graduada em Consultoria de Imagem e estilo pelo Centro Universitário Belas Artes. Cursou também o técnico em Estilismo e Coordenação de Moda no SENAC-Campinas, e fez cursos de especialização na área de consultoria de imagem e estilo com Ana Vaz e Luciana Ulrich. Cursou também o antigo magistério.

Sobre Camila Monteiro: graduada em hotelaria pelo SENAC/Campos do Jordão e fez diversos cursos livres de moda pelo SENAC, SENAI, Parsons, Escola São Paulo. É criadora da marca Camon, especializada em upcycling, zero waste e wearables.

Upcycling Day – Dia 31 de maio, SESC Vila Mariana. Atividades gratuitas – entrega de senhas na Central de Atendimento, 30, minutos antes. Local – Praça de Eventos

be7295e2aa39.jpg

Oficina de roupas de boneca com retalhos – Com Aline Vito
Horário – das 11 às 13 horas.
Não recomendado para menores de 10 anos.

6e3a20f46346

Palestra Por que upcycling? – Com Simone do Prado Romeo
Horário – das 13 às 14 horas.
Livre.

d93d479b7f7b

Oficina de estilo upcycled para adolescentes – Com Ana Carolina Secatti
Horário – das 14 às 16 horas.
Não recomendado para menores de 12 anos.

4190655c6b1d

Oficina conserto e customização de calçados – Com Monique Brasil
Horário – das 14 às 16 horas.
Não recomendado para menores de 16 anos.

b21948e17905

Oficina A reconstrução da moda: crie produtos novos reconstruindo antigos – Com Camila Monteiro
Horário – das 14 às 16 horas.
Não recomendado para menores de 16 anos.

Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141 – Vila Mariana. Telefone – (11) 5080-3000. Acesso para deficientes físicos.

Toda mãe cervejeira merece ser presenteada com um growler

A mulher é mais do que bem-vinda no universo cervejeiro. Atualmente, não há uma função que ela não ocupe. Estão na produção de insumos, na fábrica, na distribuição, no escritório, na sala de aula, no evento e na mesa do bar com um copo gelado ao lado.

Pode-se dizer que elas estão retomando um posto que sempre foi delas, isso porque por muitos anos a produção da cerveja era responsabilidade das mulheres. Enquanto os homens saíam para caçar ou para guerrear, eram elas que preparavam a bebida para toda família.

Na América do Norte e na Europa, elas produziam cervejas artesanais para acompanhar os alimentos e para vender. O domínio feminino só diminuiu no final do século 18 quando a produção de cerveja em larga escala se tornou um negócio rentável e foi assumido pelos homens.

Ao longo dos anos, a mulher retoma sua notoriedade no mundo cervejeiro. Ela começa a consumir e entender muito sobre o produto e, em alguns lares, passa a ser decisora final sobre as compras da família. Com as mudanças nos hábitos da sociedade, observou-se um crescimento da participação feminina no consumo de cerveja artesanal. Do final do século XX aos dias atuais, a mulher vem ganhando mais espaço, seja como profissional do ramo ou como exigente consumidora.

O growler é a forma mais sustentável de beber chope
O growler é a forma mais sustentável de beber chope

 

Para as mamães cervejeiras, o growler é o presente perfeito para o Dia das Mães. Bonito e prático, esse utensílio cervejeiro possibilita o consumo de chope fresco onde, quando e com quem quiser. Ele nada mais é do que um garrafão retornável próprio para chope, que consegue conservar a bebida por até 30 dias. Basta ir em uma Growler Station e encher o frasco com a sua craft beer preferida.

A My Growler ainda traz a possiblidade de você customizar o seu growler. Afinal, toda mãe merece um presente exclusivo, não é mesmo? Seja uma imagem, um personagem ou até mesmo uma frase, o momento de beber uma boa cerveja gelada vai ser muito mais prazeroso por ter a personalidade dela no utensílio.

Consumir cerveja em growler é sustentável e mais econômico. Afinal, não são utilizadas embalagens descartáveis como latas, garrafas, tampinhas, rótulos e tudo mais necessário para que a garrafa industrial chega até a prateleira do supermercado, como processos industriais de envase e pasteurização e logística. Desta forma, diminui a poluição do planeta.

O growler também pode fazer parte da decoração
O growler também pode fazer parte da decoração

Gostou da dica? Adquira seu growler no e-commerce da My Growler. Além dos diferentes modelos e personalização, você encontra acessórios e equipamentos para tornar o consumo em growler ainda mais fácil. Aproveite e brinde o Dia das Mães com um delicioso chope. Cheers!

 

La Loba é primeira empresa de moda vegana no país a receber o selo Vegan Society

Marca comemora também as conquistas dos selos PETA, CO² Neutro e EuReciclo que reforçam comprometimento da marca com valores como ética, transparência e responsabilidade socioambiental. Além de ser uma das indicada ao Prêmio EcoEra.

Com coleções em edições limitadas, a La Loba, marca pioneira na produção de bolsas veganas no Brasil, se propõe a uma nova forma de fazer moda, com peças sofisticas que unem materiais alternativos e livres de crueldade, com temáticas místicas e atemporais. E em 2018, comemora a conquistas de importantes selos que reforçam comprometimento da marca com valores como ética, transparência e responsabilidade socioambiental.

Durante mais de um ano, a La Loba passou pelo processo de avaliação para adquirir o selo de registro Vegan Society, organização que criou e registrou o termo veganismo em 1944, em Birmingham (UK), e que foi introduzida no mercado em 1990, como padrão internacionalmente reconhecido no mundo todo para produtos e serviços veganos. “Foi um processo longo e ​por tudo isso, me sinto orgulhosa e muito, mas muito feliz”, comemora Kaline.

A criadora da marca, Kaline Demarchi, explica que esse selo é essencial para o crescimento da La Loba. “Somos a primeira empresa de moda nacional a ter seus produtos registrado pela Vegan Society. Esperamos ​que este reconhecimento nos traga ainda mais força, a fim de continuarmos vivenciando e propagando o nosso sonho de ressignificar o ‘Mercado da Moda’, tornando-o mais consciente através de práticas que respeitem todo o ciclo de consumo, todas as pessoas envolvidas, e em especial os animais e o Planeta, pois estes têm sido ​os mais prejudicados pelos hábitos tão antigos e tão disseminados em nossa sociedade. Queremos mudança, e acreditamos que ela possa realmente acontecer, como já está acontecendo”.

O selo vegano está registado na Europa, EUA, Canadá, Austrália e Índia e usado no mundo inteiro em mais de dezoito mil produtos.

La Loba - Bolsa vegana saco preta estampada R$27900 www laloba com br

Outra conquista superimportante para a La Loba foi o certificado do PETA, a maior ONG em defesa dos animais no mundo, com mais de 6,4 milhões de membros e apoiadores. O selo garante que a empresa está o cumprindo várias normas para assegurar a não utilização de matéria-prima de origem animal em seus produtos. Para conquistar a certificação, a marca passou por um rigoroso processo que examina vários aspectos para comprovar que a marca é vegana e apresentar declarações de matérias-primas totalmente isentas de origem animal.

Preocupada com o processo de descarte de suas embalagens, a La Loba trará nas tags da marca o selo Eu Reciclo, que assegura que a empresa compensa no pós-consumo a quantidade de lixo produzido. Com ele estampado, o consumidor terá ciência sobre o compromisso da marca e a certeza de que está adquirindo um produto de uma marca engajada com o reaproveitamento e promoção de um destino ambientalmente adequada de resíduos, processo semelhante à compensação de carbono.

As tags que acompanham as bolsas são desenvolvidas com papel semente, para que sejam plantadas e cultivadas. As embalagens são feitas de material reciclado, em parceria com a ONG Idesam, de Manaus (AM), que confere o selo Carbono Neutro. Ao final de cada ciclo, é realizada a compensação do CO² emitido no processo de produção da marca, mediante o plantio de árvores na floresta Amazônica, beneficiando, assim, a comunidade ribeirinha da região e o meio ambiente como um todo.

majesty2 peq

“Os selos certificam ​e de certa forma reconhecem ​o nosso trabalho, ​servindo como ​um grande incentivo para que cada vez mais pessoas ​​possam conhece​-​lo e se identificar com ele. Acreditamos que além de criar produtos livres de crueldade, também devemos cuidar d​o ​Planeta, ​e foi ​por ​essa razão que, desde o início​, sempre buscamos parceiros ​conscientes ​e ​práticas capazes de gerar impactos positivos no meio em que atuamos. Plantar ​árvores no Amazonas, zerar o carbono ​emitido com a nossa atividade, reciclar nossas embalagens, criar tags com papel semente​,​ são algumas das ações que priorizamos​. E claro, fazemos ​tudo ​com muito amor​, pois acreditamos que daí vem a nossa força”, finaliza a criadora.

la loba.png

A La Loba também foi uma das marcas indicadas ao Prêmio EcoEra deste ano, idealizado pela especialista em consumo consciente Chiara Gadaleta com o objetivo de analisar os mercados de moda, beleza e design com indicadores de sustentabilidade.

Informações: La Loba