Arquivo da categoria: Saúde

Aromaterapia e óleos essenciais: alternativas para reforçar sistema imunológico

Os ativos dos óleos essenciais podem ser aliados importantes para fortalecer a proteção natural do organismo durante a pandemia do novo coronavírus.

Desde que a disseminação do novo coronavírus foi classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como pandemia, as autoridades médicas têm sugerido uma série de medidas preventivas para mitigar o processo de contaminação do Covid-19. Além das orientações básicas, como lavar cuidadosamente as mãos, higienizar objetos e ambientes, distanciar-se de aglomerações, evitar tocar o rosto, e adotar o uso frequente de álcool gel nas mãos, outra orientação que tem sido bastante lembrada é a importância de fortalecer o sistema imunológico.

Há diversas maneiras de reforçar o sistema natural de defesa do corpo, desde uma alimentação equilibrada, prática de exercícios e sono regulado até ações de lazer e relaxamento. Além disso, nos últimos anos, a indústria cosmética e farmacêutica tem pontuado a relevância da aromaterapia a partir de óleos essenciais (OEs) na proteção do organismo.

“A prática da Aromaterapia pertence às medicinas naturais e, quando falamos de OEs e suas qualidades odoríferas, estamos falando diretamente da força vital de cada planta, um recurso que pode colaborar significativamente para o fortalecimento do nosso sistema imunológico”, afirma a aromaterapeuta clínica da Planta Vital, Janice Zanatta.

scent oleo essencial aromaterapia

Considerando que o período de isolamento social sugerido para combater o novo coronavírus pode limitar alguns dos cuidados vitais para o fortalecimento da imunidade, incluir a aromaterapia na rotina pode ser uma alternativa prática e viável. Porém, é crucial checar a procedência dos produtos e buscar orientações de um profissional qualificado.

“É uma prática em que a qualidade define os resultados. Quando aliada a disseminação da informação responsável e consciente, dispomos de abordagens orientadas e formas de aplicação que vão refletir no fortalecimento do nosso sistema imunológico e consequentemente no bem-estar e qualidade de vida”, declara a profissional.

Há duas formas de utilizar as propriedades terapêuticas dos óleos essenciais em benefício do organismo: inalação e limpeza, e assepsia do ar. “Para a inalação, a indicação é colocar uma gota OE de gerânio, uma gota de OE de lavanda e uma gota de OE de eucalipto em um recipiente fundo com 1 litro d’água quente (não fervente) e, em seguida, colocar uma toalha ao redor da cabeça, aproximando a face do valor e inalando por aproximadamente 15 minutos. Desta maneira, é possível promover a limpeza das vias aéreas superiores com ação antisséptica, fortalecendo os pulmões”, explica Janice.

“Já para os difusores de ar, pode-se colocar duas gotas de OE de tea-tree, duas gotas de OE de eucalipto, uma gota de OE de gerânio e uma gota de OE de lavanda. Lembrando que é importante instalar o difusor longe de correntes de ar para que as moléculas aromáticas atuem nos ambientes de forma eficiente”, completa.

Especializada em produtos veganos com ativos naturais, a Nesh, marca curitibana de cosméticos oferece mais de 13 tipos de óleos essenciais, além de difusores e outros produtos que podem ser usados para maximizar as propriedades de cada Oe. Além disso, todos os itens cosméticos indicados para uso diário possuem OEs em suas fórmulas, e promovem vários benefícios para por meio da aromaterapia.

“Conhecemos os benefícios dessa matéria prima para todos e desenvolvemos diversas linhas que tem como foco nos óleos essenciais. São produtos para o corpo, rosto, casa, que além de ter os efeitos cosméticos esperados promovem também relaxamento, atenuação de sintomas de ansiedade e fortalecimento do sistema imunológico”, comenta o idealizador da Nesh Eco.Cosméticos, Thiago Pissaia.

oleos essenciais

“Neste momento delicado de quarentena é indispensável incluirmos ações de autocuidado no dia a dia, e aliada as demais recomendações de prevenção e cuidado com o organismo, o uso de dos OEs é sem dúvida uma alternativa saudável e sustentável para melhorar significativamente a qualidade de vida e o bem estar do corpo e também da mente”, completa o empresário.

Informações:Nesh Eco cosméticos / Planta Vital

Como manter as emoções equilibradas em tempos de crise?

Desenvolver a Inteligência Emocional é essencial para lidar com os desafios da pandemia do Coronavírus

O mundo inteiro está se deparando com um cenário complicado. Os impactos causados pela proliferação do Covid-19 afetaram – e ainda o faz – a economia, saúde e a rotina da população.

São diversas as situações que podem abalar nossas emoções, deixando-as em desequilíbrio, como mortes, distanciamento social e trabalhar de casa (home office). É importante ter atenção aos nossos comportamentos para que casos de depressão e ansiedade não sejam piorados ou até mesmo, desenvolvidos.

Nesse momento de crise, a nossa Inteligência Emocional é colocada em xeque e se torna extremamente importante para lidar com esses grandes desafios.

Rodrigo Fonseca, presidente da Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional e Especialista em Inteligência Emocional, destacou algumas práticas que ajudam a manter o equilíbrio emocional. Confira:

Use o tempo ao seu favor

livro aberto pixabay
Pixabay

Sabe tudo aquilo que você sempre quis fazer, mas por falta de tempo, nunca conseguiu começar? Cursos online, aprender um idioma, pedir perdão para alguém, se reaproximar de pessoas distantes, ler um livro e até mesmo meditar. O período que estamos vivendo pode ser uma oportunidade para prestar mais atenção na família e em você.

“Separe um momento do seu dia para se concentrar no que é realmente importante. Foque nos seus objetivos, no que você quer para o futuro. Aproveite para conhecer mais a sua família e reatar laços que estavam distantes. Isso fortalece a sensação de segurança e proteção”.

Crie assuntos diferentes para conversar

mulher celular cama

Falar o dia inteiro sobre Coronavírus só alimenta as emoções que estão desequilibradas, como o medo e a tristeza. “Você pode se sentar com todos da sua casa e pedir para cada um contar uma história da sua vida, algo sobre superação e conquista, por exemplo. Se as pessoas que você ama estão longe, faça por chamada de vídeo. Isso vai te acalmar e despertar emoções como amor e alegria”, conta.

Se desconectar é necessário

alongamento ioga pixabay
Pixabay

Ficar o dia inteiro vendo notícias sobre o assunto não é saudável! A informação é essencial para nos trazer consciência sobre o momento que estamos vivendo, mas, saiba quando parar. “Escolha fontes de confiança para se manter informado e, depois, deixe isso de lado. É para sair mesmo disso. Se não, você entra na pandemia do medo e isso pode trazer consequências ainda mais graves para o seu corpo físico (medo em excesso causa baixa imunidade) e sua mente”, complementa Fonseca.

A crise vai passar e como estaremos quando isso acontecer? O fator crucial para essa resposta é o modo como estamos lidando com o agora e o significado que estamos dando para tudo que está acontecendo. Então, vamos olhar para as nossas emoções e entender o que podemos aprender com tudo isso.

Fonte: Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional

Nutricionista do Graacc dá dicas para aumentar a imunidade das crianças

 

Em tempos de coronavírus, é importante enfatizar que várias condutas podem reduzir o risco da contaminação e infecção, entre elas o consumo de frutas vermelhas, amarelas, verduras e oleaginosas

Devido à quantidade crescente de casos do coronavírus, essa doença tem se tornado uma grande preocupação em todo o mundo. Pessoas com doenças cardiovasculares, sistema digestivo ou respiratório e com câncer foram consideradas como grupo de risco para contrair o coronavírus. O motivo dessa maior probabilidade é que essas doenças fazem com que o sistema imunológico fique debilitado, mais fraco, e encontre dificuldade para combater a infecção.

Os cuidados básicos como, por exemplo, lavar frequentemente as mãos, utilizar lenços descartáveis, cobrir a boca ao espirrar e tossir, manter ambientes bem ventilados, evitar multidões e contatos com as pessoas, principalmente com as gripadas, são fundamentais nesse momento.

Além disso, vale a pena investir em hábitos para fortalecer o sistema imunológico e ajudar o corpo a combater qualquer doença. Essas dicas valem para todas as pessoas, principalmente para as crianças em tratamento oncológico. E como melhorar o sistema imunológico em tempos de coronavírus? De acordo com a coordenadora de Nutrição do Graacc, Adriana Garófolo, é importante enfatizar que várias condutas podem afastar o risco da contaminação e infecção nesses pacientes, entre elas a higiene das mãos e preparo dos alimentos, realização de alimentação adequada, entre outras estratégias.

Cuidar da alimentação é essencial!

alimentacao para crianças unlockfoodca
Unlockfoodca

Consumir vários tipos de alimentos, especialmente frutas, verduras e legumes auxiliam no bom funcionamento do corpo. “Alguns alimentos com propriedades antioxidantes fortalecem e protegem o organismo contra doenças e infecções, pois protegem as células. Entre eles, as frutas de coloração mais avermelhada, os tomates e também os de coloração amarela, como laranja, manga, mamão e cenoura, ricos em licopeno, vitamina C, betacaroteno e luteína. As oleaginosas, como nozes, amêndoa, castanha do Pará, e as frutas secas, como uva, ameixa, damasco e cranberry também são ricos em compostos antioxidantes como vitamina E e selênio”, esclarece Adriana.

Mãos sempre limpas

menina e mae lavando a mão

Manter a higienização das mãos é fundamental para as crianças, afinal, elas sempre levam as mãos na boca, olhos e nariz, e dali as bactérias e vírus se proliferam para dentro do organismo. A higiene das mãos, bem como a higiene de todo o processo na manipulação dos alimentos é essencial. “Por isso, nesse momento é muito importante realizar as refeições em casa, onde podemos ter controle adequado dos processos, como higiene das mãos com álcool gel, higiene do local da manipulação e dos utensílios que serão utilizados. Importante também é a desinfecção dos alimentos crus adquiridos em mercados e feiras livres com hipoclorito de sódio, como as frutas e outros vegetais”, orienta Adriana.

A importância da alimentação saudável como aliada do sistema imunológico

criança menina comendo

Algumas atitudes e hábitos alimentares podem auxiliar na manutenção e na recuperação imunológica. Primeiramente, a manutenção do estado nutricional (não somente do peso) e a alimentação saudável são as armas iniciais para garantir que o arsenal imunológico possa lutar contra as infecções. Os alimentos ricos em proteínas de alta qualidade e nutrientes antioxidantes e anti-inflamatórios são muito importantes. “Além de peixes bem cozidos, incluir na dieta ovos, linhaça e quinoa são algumas estratégias saudáveis para auxiliar na manutenção e construção de tecidos e células”, esclarece. Outro grupo de alimentos que devem ser estimulados são as frutas e vegetais, além da aveia, iogurte natural e leites fermentados.

“Esses alimentos são ricos em fibras, que chamamos de prebióticos. Eles servem de alimento e têm o poder de equilibrar a flora do intestino, onde moram os probióticos (microrganismos saudáveis). Esses microrganismos saudáveis ajudam a combater as bactérias patogênicas, vírus e fungos, que podem contaminar nossos sistemas e causar infecções locais e generalizadas”, além de fortalecer o sistema imunológico e reduzis o risco de infecções, diz.

A refeição vem de fora?

balance-meals-food-delivery__medium_4x3

Segundo a nutricionista do Graacc, os estabelecimentos recomendados são aqueles que servem refeição à la carte, ou seja, preparam na hora. “Os restaurantes, lanchonetes e barracas de rua, que fornecem alimentos já preparados ou self-service oferecem maior risco, pois estes estão expostos por maior tempo ao ar ambiente, além das pessoas que passam com muita proximidade e exalam partículas da saliva, as quais vão se depositar sobre os alimentos e podem contaminá-los. A dinâmica do Covid-19 ainda foi pouco estudada nesse contexto, mas o risco existe para qualquer contaminação. Assim, a recomendação é escolher estabelecimentos que sirvam refeições à la carte e seguem as determinações da vigilância sanitária para manipulação de alimentos e higiene geral”, esclarece Adriana.

Sistema imunológico turbinado!

Para deixar o organismo mais forte, com a chegada da pandemia de coronavírus, a nutricionista do Graacc dá algumas dicas para o consumo diário de alguns alimentos:

Salmao+3

Proteínas: carnes, com preferência as carnes brancas, leite, ovos e leguminosas (feijão, soja, ervilha, grão de bico). “Recomendo comer leguminosas junto com cereais, como arroz e milho, para que um complemente o outro”, ensina. Essa mistura fornece aminoácidos de ótima qualidade;

ovos cozidos stocksy
Stocksy

Zinco: carnes de todos os tipos, ovos, leite e derivados e frutos do mar;

leite amendoas 2

Magnésio: leguminosas, oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas) e verduras folhosas;

castanhas

Selênio: a principal fonte é a castanha-do-pará ou do Brasil;

papaya mamao maduro semente pixabay
Pixabay

Vitamina A: está presente em fontes de gordura (queijo, gema do ovo) e em vegetais de coloração alaranjada, como manga, mamão e cenoura;

abacaxi pixabay
Pixabay

Vitamina C: o micronutriente mais famoso quando citamos imunidade é ofertado por frutas cítricas (laranja, mexerica, maracujá, limão, abacaxi);

salada-salmao

Complexo B: É composto por várias vitaminas disponíveis em todos os grupos. Então é necessário ingerir um pouco de cada.

Dicas de refeições da nutricionista do Graacc para aumentar a imunidade:

mingau aveia e mel just a soao
Just a Soap

Café da manhã: mingau de aveia com leite e mel.

omelete espinafre tomate envato elements
Foto: Envato Elements

Almoço: omelete de espinafre com tomate e cebola.

frutas vermelhascom iogurte

Lanches: iogurte com frutas ou salada de frutas com mel e aveia.

panqueca campbells soup uk
Campbell’s Soup UK

Jantar: panqueca com recheio de frango desfiado e milho verde

Fonte: Graacc

 

Namu oferece aulas on-line de mindfulness sem custo para acalmar a mente

Plataforma cria página com dicas, atualizações sobre a pandemia do coronavírus e acesso grátis as aulas de mindfulness

Medo, ansiedade, angústia. Sentimentos como esses podem afetar a todos diante do cenário que o mundo vive hoje. Mas é importante encontrar maneiras de manter a calma. Como se sabe, o estresse contribui para enfraquecer o sistema imunológico e é preciso estar forte para enfrentar esse desafio.

Pensando nisso, o Namu, primeira plataforma de videoaulas voltadas exclusivamente para o bem-estar, liberou gratuitamente por um mês aulas completas do curso Mindfulness: Meditação em Movimento.

A meditação é uma ótima ferramenta para aliviar os sentimentos negativos e proporciona vários benefícios, tais como concentração, equilíbrio, foco, calma. E o Mindfulness: Meditação em Movimento vai além da prática habitual, uma vez que também se estende ao corpo.

Desenvolvida e ministrada pela neurocientista e psicóloga clínica britânica Tamara Russell, a prática ajuda a ter mais controle sobre as emoções, pensamentos e movimentos do corpo.

namu

Como ter acesso às aulas

O Namu colocou no ar uma página na qual fornece informações e dicas para lidar da melhor maneira com o coronavírus, além do acesso às aulas grátis. Basta clicar aqui para saber mais. Com calma e equilíbrio vamos vencer esse desafio. Juntos somos fortes!

Cinco dicas básicas para desinfetar as roupas em casa

Mr Jeff, rede de lavanderias delivery, preparou uma série de recomendações para lavar as roupas e evitar a propagação do novo coronavírus

A pandemia do novo coronavírus é assunto em todo o Brasil. Já são mais de 2.000 casos confirmados em todo o país e, com isso, existe mobilização como o fechamento de comércios, os pedidos do governo para as pessoas não saírem de casa e apenas os serviços básicos de supermercados, hospitais, pet shop e farmácias que estão liberados para funcionar. Sendo assim, como o serviço de lavanderia se enquadra neste cenário?

Este último é de grande importância, pois os germes que voltam para casa são deixados nas roupas e, por isso, é essencial uma limpeza completa para evitar a propagação do Covid-19.

Segundo Jaume Alijotas Reig, especialista do Instituto de Medicina e Imunologia de Barcelona, “o vírus pode durar entre 2 e 3 dias nas roupas, são pouco tolerantes às altas temperaturas e são facilmente removíveis com água sanitária”. Então para combater esta doença que se espalha pelo Brasil, a Mr Jeff oferece cinco dicas importantes para desinfetar as roupas em casa.

maquina de lavar roupa pixabay
Pixabay

1 – Use muita água em cada lavagem e evite cargas muito grande de roupas na máquina. É importante que as peças tenham espaço para mexer de forma adequada durante o processo.

sabao em pó wisegeek

2 – Use mais sabão do que o habitual, pois ele retém melhor a sujeira e tem capacidade de remover qualquer resíduo.

maquina de lavar alvejante generuc surplus

Generic Surplus

3 – Caso a roupa esteja contaminada de produtos químicos ou materiais tóxicos, use um desinfetante especial para lavagem, como o alvejante.

maquina de lavar consumer reports
Consumer Reports

4 – Em caso de pessoas doentes em casa, além do uso do alvejante, é importante que as roupas sejam lavadas com água quente, acima dos 60ºC, para que o vírus não sobreviva nas peças.

Woman Ironing Clothes Using Iron On Ironing Board

5 – Na secagem, o processo em alta temperatura também ajuda a completar o processo de limpeza das roupas. Assim como o secador, no ato de passar a roupa, o ferro quente também é bastante útil para as roupas de algodão e roupas de cama.

Logo após a execução, lembre-se de sempre lavar as mãos com água e sabão, usar álcool em gel e evitar levar a mão ao rosto, de preferência nos olhos, nariz ou boca. É extremamente importante que cuidemos das roupas contra o vírus, mas também mantermos o nosso nível de higiene e, claro, ficarmos em casa o máximo possível.

Sobre Jeff:

Jeff é uma startup criada em 2015 por Eloi Gómez, Adrián Lorenzo e Rubén Muñoz, três empresários espanhóis. Começou como uma plataforma de lavanderia e limpeza delicada com atendimento delivery, com retirada e entrega das peças em domicílio, porém, a marca está em processo de expansão para os serviços do seu aplicativo “Jeff – O Super App de serviços”. O aplicativo está disponível para dispositivos Android e iOS e oferece uma rede de franquias que alteram completamente os modelos de negócios tradicionais.

A importância de se manter otimista em situações de isolamento

O terapeuta transpessoal Robson Hamuche sugere exercícios mentais e físicos para mitigar os efeito psicológicos do confinamento a que a população brasileira precisa se submeter em razão do Covid-19

Quando estreou em 2002, o programa televisivo Big Brother Brasil despertou nos telespectadores curiosidade e estranhamento. O interesse de muitos por esse tipo de entretenimento veio justamente do inusitado da situação, em que os participantes perdiam qualquer contato com o mundo externo, sendo obrigados a ficar confinados em uma casa.

Passados 20 anos, precisamos admitir que a vida é sobretudo irônica. No momento em que mais uma edição do reality show é transmitida, não são apenas os participantes do programa que estão confinados, mas boa parte da boa população brasileira e mundial.

Isso tudo para que consigamos nos proteger da pandemia do novo coronavírus, uma família de vírus que causa infecções respiratórias e que provoca uma doença chamada Covid-19. Trata-se de uma infecção com alto grau de contágio e que acomete com mais gravidade o chamado grupo de risco, formado por idosos com mais de 60 anos e pessoas com doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, asma, problemas cardíacos e renais, além de fumantes. Apesar disso, crianças e jovens saudáveis também se contaminam e podem transmitir o vírus para indivíduos do grupo de risco. Nesse sentido, a grande importância do confinamento.

Manter-se apartado de qualquer convívio social, no entanto, não é uma atitude fácil de se tomar. Problemas emocionais e psicológicos podem surgir deste isolamento. Nesse sentido, para o terapeuta transpessoal com especialização em constelação familiar e escritor, Robson Hamuche, antes de tudo, é necessário distinguir claramente o isolamento a que estamos submetidos atualmente da solidão. Esta pode ser sentida mesmo se a pessoa estiver rodeada de amigos, por exemplo. “Se ela já estiver repleta de pensamentos negativos e pessimismo, estar perto ou distante de alguém não fará nenhuma diferença”, justifica.

Dessa forma, de acordo com Hamuche, a experiência atual de confinamento não precisa necessariamente ser ruim, eivada de tristeza e solidão. “Em relação ao que estamos vivendo hoje, esse isolamento obrigatório, podemos encarar a situação de maneira negativa ou positiva, como sempre. Tudo depende de nós”, diz.

tristeza dor depressão mulher pixabay

Segundo o terapeuta, diante de tal situação, não é recomendável que fiquemos focados exclusivamente na doença. Informações sobre o vírus e como evitá-lo são necessárias e sempre bem-vindas, obviamente. Contudo, conforme Hamuche, sentar-se em frente a televisão e assistir apenas o crescimento exponencial do vírus no Brasil e no mundo e de como milhares de pessoas já faleceram em razão dessa doença, certamente acarretará problemas para a nossa saúde mental, gerando ansiedade e tristeza.

Apesar do momento difícil, é necessário, segundo o terapeuta transpessoal, que as pessoas se mantenham otimistas. “Elas devem estar conscientes do problema e tomando as providências necessárias para combatê-lo, mas repletas de pensamentos positivos e de esperança”, afirma.

Hamuche é autor do livro “Um compromisso por dia – Pequenas ações diárias que podem mudar a sua vida”, que conta com diversos exercícios mentais e físicos, que certamente podem ajudar em situações de isolamento como a que estamos vivenciando na atualidade. De acordo com os ensinamentos do livro, ao invés de sucumbirem, apenas se alimentando de pensamentos negativos e sofrimento, as pessoas podem usar o momento para se redescobrirem, evoluírem mentalmente e se sentirem melhor.

Entre as ações recomendadas por Hamuche em tempos de quarentena estão: a meditação; a leitura; e até a arrumação da casa. Cuidar do corpo também é essencial, para isso exercícios físicos são indicados.

Quarentena não é sinônimo de férias e muitas pessoas continuam trabalhando em regime de home office. Para quem tem família, Hamuche sugere uma separação bem pensada das tarefas, afinal haverá outras pessoas com quem você estará dividindo o espaço. De nada adiantará esse tempo de isolamento, se você se dedicar apenas à função profissional. Nesse sentido, usar o tempo livre em casa para conversar com familiares é muito importante. “Aproxime-se, aproveite a ocasião para passar mais tempo juntos, ouça as dificuldades de seus familiares e entenda como pode ajudar”, sugere.

Para quem tem criança pequena, Hamuche recomenda ainda uma série de brincadeiras com o intuito de ajudar pais e mães na difícil arte de entreter os pequenos no período de isolamento. São atividades lúdicas, permitidas a todas as famílias, independentemente da condição sócio-econômica, pois são realizadas com brinquedos confeccionados a partir de materiais baratos (papel, papelão, pratinhos e copos de papel) e já existentes na casa (rolos de papel higiênico, caixa de fósforo, palitos e pregadores de roupa).

Por fim, o terapeuta acredita que essa situação delicada à qual o mundo atravessa é um momento propício para que as pessoas reflitam e evoluam, pois estão tomando consciência, à força, de que os seres humanos são interdependentes. “Se eu for contaminado por essa doença, posso transmiti-la para outros, o que fará o mundo inteiro sofrer. Fronteiras não separam nada”, argumenta.

mulher triste

Desse modo, de acordo com Hamuche, torna-se claro e evidente que não somos apenas indivíduos isolados, ou seja, que dependemos de muitos outros, e que precisamos agir de maneira conjunta para não sofremos ainda mais. “Precisamos aproveitar o ensejo para compreendermos que somos uma sociedade integral”, encerra.

Quarentena: nutricionista dá dicas sobre alimentos saudáveis

Com a pandemia mundial do coronavírus, as medidas tomadas acerca da saúde da população catarinense foram de resguardo e higiene rigorosa. Pensando na maioria da população que está de quarentena, com a necessidade de uma alimentação saudável para melhorar a imunidade e com mais tempo para o preparo de alimentos, a nutricionista do Fort Atacadista, Bruna Janaina da Silva, que atua nas lojas da rede na Grande Florianópolis, separou dicas valiosas.

Recentemente, a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA) também informou sobre a relação entre nutrição e imunidade. A ABIA enfatizou que diariamente o corpo humano é exposto a uma ampla gama de estímulos com potencial para comprometer a saúde e o bem-estar. A exposição a vírus, bactérias, estresse e poluição do ar, por exemplo, pode contribuir para um risco aumentado de infecções e de doenças.

Por outro lado, o sistema imunológico é a defesa natural do organismo contra os agentes que prejudicam a saúde. A resposta imune envolve um processo complexo de moléculas, células e tecidos projetados para defender o corpo. Mas, para que esse sistema funcione ativamente, e em seu potencial máximo, é importante que ele esteja fortalecido. Existem evidências que uma alimentação equilibrada, contendo micronutrientes (vitaminas e minerais), ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 e outros compostos bioativos (como os polifenóis) ajuda a manutenção do sistema imunológico.

Hábitos alimentares diretamente ligados à nossa saúde

frutas

Segundo a nutricionista, para se prevenir de doenças contagiosas que se manifestam em pessoas com a imunidade baixa, uma das coisas mais importantes a se fazer é cuidar da alimentação. “Nós somos o que comemos. Os alimentos e seus nutrientes são responsáveis por manter o nosso corpo nutrido, e isso vai depender das nossas escolhas e hábitos”, destaca.

A grande dúvida está no que comer! A nutricionista da rede Fort Atacadista garante que não adianta comer qualquer alimento para manter uma boa imunidade; muitas vezes, as pessoas comem bastante, porém, alimentos pobres em vitaminas, minerais, fibras e gorduras de boa qualidade.

Quantidade faz toda a diferença

Alimentos-que-auxiliam-a-digestao

“O primeiro ponto importante é pensar na quantia de alimentos a serem ingeridos, nem demais, nem de menos. O consumo alimentar deve ser equilibrado, de acordo com as necessidades de cada indivíduo, altura e atividades diárias”, destaca Bruna.

Quanto mais o indivíduo gasta energia, seja trabalhando, praticando atividades físicas ou até em atividades domésticas, mais necessidades energéticas ele terá. Quando consumimos uma quantia insuficiente, o corpo não consegue produzir anticorpos de maneira eficaz, e torna-se mais fácil contrair vírus, e então ficamos resfriados. Por isto é importante comer com consciência!

O que consumir?

Pensando em uma boa alimentação como meio de melhorar a imunidade, a nutricionista Bruna Janaina da Silva destaca quais alimentos merecem destaque neste momento:

A vitamina C tem função de antioxidante, e atua contra os radicais livres, que são responsáveis por causar oxidação nas células. Assim, o sistema imunológico fica melhor, e também previne o envelhecimento precoce, já que a oxidação das células acarreta neste envelhecimento. O ferro também é importante para a manutenção da imunidade, já que é um mineral responsável pelo aumento da hemoglobina no sangue.

mamao pixabay
Pixabay

O licopeno, presente em alguns alimentos de cor vermelha e laranja, como tomate, mamão, goiaba e pimentão, também auxilia na imunidade e combate inflamações.

ginger gengibre

O gengibre também é uma excelente opção: tem ação bactericida, é desintoxicante e ainda melhora o desempenho do sistema digestivo, respiratório e circulatório. Combate a proliferação de vírus e bactérias alojadas no organismo, tem ação anti-inflamatória, antibacteriana e antisséptica. Combate os radicais livres, melhora a imunidade, prevenindo gripes e resfriados.

curcuma pixabay
Foto: Pixabay

A cúrcuma é um poderosíssimo anti-inflamatório e pode ser adicionada em diversas preparações. Use a pimenta do reino junto para melhorar a absorção da cúrcuma no organismo.

frapuccino_cacau_banana_hortela

Outra opção é adicionar hortelã em preparações como sucos ou saladas refrescantes. O mentol presente na hortelã é conhecido no combate às bactérias e vírus, reforçando o sistema imunológico.

mel pexels
Pexels

O mel tem ação bactericida, antisséptica, cicatrizante e revigorante, por isto é incluído em chás quando estamos resfriados. Mas você pode tornar isto um hábito, para que previna a ocorrência de doenças.

shimeji

Alimentos ricos em ácido fólico também atuam na imunidade, pois auxiliam na formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo. Vegetais verdes escuros alimentos como brócolis, couve, espinafre são ricos em ácido fólico, também pode ser encontrado no feijão, cogumelos (como o shimeji e o shiitake) e a carne de fígado.

grao de bico

Alimentos ricos em zinco também devem ser incluídos na alimentação: o zinco tem ação direta no funcionamento dos linfócitos, células de defesa do nosso organismo, melhorando a imunidade e ainda auxilia na cicatrização, porque age nas células que ajudam no processo de cicatrização, como os fibroblastos. Por isso, é importante incluir alimentos como carnes, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão-de-bico).

sardinhas em lata pixabay
Pixabay

Já o ômega 3 auxilia as artérias a permanecerem longe de inflamações, ajudando a imunidade do corpo. Podemos obter ômega 3 em peixes como o salmão, a sardinha e o arenque, óleos poli-insaturados como o azeite de oliva extravirgem e sementes como a chia e linhaça – que podem ser adicionadas a iogurtes, vitaminas, sucos ou até em preparações salgadas.

Dicas de preparo

Além de alimentos saudáveis e de qualidade, outro segredinho, segundo Bruna, está na forma de preparar os alimentos. A profissional do Fort Atacadista, rede de atacarejos do Grupo Pereira, separou algumas dicas práticas para o dia a dia:

frutas vermelhas

Uma opção é preparar porções saudáveis no início da semana e guardá-las na geladeira, e deixar as frutas lavadas e cortadas, prontas para quando precisar delas.

alface

Uma dica para o preparo de saladas é deixar a alface lavada, cenoura ralada ou cozida, ou algum grão cozido. Vale incluir outros tipos de folhas, como rúcula e agrião, porque folhas amargas têm mais nutrientes antioxidantes. Saladas cozidas, optando pelo brócolis refogado na manteiga, e a cenoura com azeite, também incrementam a nutrição.

sal de ervas

Molhos caseiros e o uso de temperos e ervas, que em alguns casos ajudam até mesmo no aumento de imunidade no organismo, são boas pedidas para dar sabor aos alimentos.

Molho pesto

Os grãos não devem ficar de fora, como o já citado grão-de-bico, ervilha e quinoa, ricos em proteínas. Nas saladas, dá pra fazer um molho pesto com manjericão, nozes, azeite ou ainda colocar um limãozinho e sal a gosto.

Fonte: Fort Atacadista

 

Coronavírus: quando considerar um caso suspeito?

Infectologista da Rede de Hospitais São Camilo esclarece dúvidas sobre sintomas e procura por atendimento médico

Com a confirmação do status de pandemia do novo coronavírus (Covid-19), feita pela Organização Mundial de Saúde (OMS), pacientes com sintomas respiratórios estão cada vez mais em dúvida sobre como distinguir a doença de uma gripe ou resfriado simples, e quando procurar ou não atendimento médico.

De acordo com a infectologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo Michelle Zicker, as doenças que atingem o sistema respiratório costumam se manifestar de forma semelhante, o que dificulta uma avaliação somente considerando sinais e sintomas.

A especialista afirma que os principais sintomas da Covid-19 são febre, tosse e dificuldade para respirar. Ressalta, no entanto, que a população deve estar atenta a outras manifestações do corpo, como coriza, dor de garganta, congestão nasal, dor de cabeça, produção de escarro, dores no corpo, vômitos e diarreia.

“A recomendação é que somente pacientes que apresentem esses sintomas – febre, tosse e dificuldade para respirar – se dirijam às unidades de saúde. Pessoas que estejam com a saúde em dia, sem nenhuma manifestação clínica, ou com sintomas leves, como coriza, não precisam procurar atendimento médico como medida de ‘precaução’ de saúde”, orienta Michelle.

Há algumas semanas, apenas pessoas que tivessem retornado de viagem ao exterior ou tido contato com viajantes eram consideradas como potenciais portadores do coronavírus. Entretanto, com o anúncio da transmissão comunitária do vírus em São Paulo e no Rio de Janeiro, o governo incluiu na lista de suspeita também aqueles sujeitos que vivem em cidades com ao menos um episódio confirmado e que sejam internados devido a uma Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG).

mulher-tosse-doente
Foto: Wallsdesk

A infectologista destaca também a necessidade de atenção com pessoas que correm maior risco ao contrair o coronavírus. “Pacientes com idade avançada ou com doenças crônicas de base podem evoluir com as formas mais graves da infecção e, portanto, devem ter cuidado intensivo com os hábitos de higiene e aglomerações”. E frisa: “na iminência de qualquer piora dos sintomas, deve procurar por reavaliação médica imediatamente”.

O diagnóstico se dá por meio de um teste específico para o Covid-19, disponível nas redes pública e privada. A recomendação para os médicos é que eles avaliem, primeiro, o quadro clínico do paciente e solicitem o exame somente para os pacientes que serão internados por SRAG. Os testes não são aplicados de forma geral e para todos os interessados.

Segundo a especialista, há estudos em andamento para avaliar a eficácia de vacinas e medicamentos para prevenção e tratamento do vírus respectivamente. “Contudo, algumas recomendações são feitas para os infectados com a doença, entre elas o isolamento domiciliar e o uso de alguns medicamentos para dor e febre”, explica.

Plano de contingência

hospital-er emergencia thstrave

Para dar assistência a pacientes que apresentam sinais e sintomas compatíveis com a infecção pelo novo coronavírus, a Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo organizou um consistente plano de contingência.

As medidas da Instituição incluem espaço exclusivo para internação de portadores do Covid-19, no anexo da Unidade Pompeia, com 92 leitos (sendo 45 designados para UTI); pronto atendimento médico diferenciado para pessoas que sejam triadas com sinais e sintomas do vírus, à parte do pronto-socorro principal das Unidades da Rede; e ampliação de contato remoto entre familiares e pacientes, por meio de videochamadas, para diminuir a circulação de possíveis portadores do vírus. Além disso, tem instituído restrições a visitas hospitalares aos pacientes internados.

“Estamos aptos técnica, assistencial e estruturalmente para oferecer à população um atendimento de excelência, contribuindo no enfrentamento da transmissão do vírus em nível nacional”, ressalta a infectologista, membro do Comitê Interno à frente do plano de contingência da Rede São Camilo.

Fonte: Rede de Hospitais São Camilo

Como reorganizar a rotina pode ajudar sua saúde psíquica na quarentena

Quebra da rotina pode trazer impactos psicológicos diversos para pessoas diferentes; conheça algumas estratégias para manter a saúde mental diante da pandemia

Por Valéria Dias – Jornal da USP

Você acorda, toma café, vive normalmente sua rotina diária. Um dia, um vírus que até pouco tempo estava longe, em outro continente, e você conhecia vagamente apenas pelos noticiários, entra na sua casa sem bater na porta e interrompe, não apenas a sua, mas a rotina de toda uma sociedade. Mas qual o impacto psicológico dessa quebra abrupta que a quarentena e a pandemia trouxeram? E o mais importante: como amenizar o problema?

Para o professor e psicanalista Christian Ingo Lenz Dunker, do Instituto de Psicologia da USP, o momento exige que todos reorganizem suas rotinas. “Um dos primeiros efeitos da quarentena é a desorientação atencional. A pessoa se sente mais confusa, menos concentrada, muito mais cansada. Ela pensa que vai trabalhar em casa e vai conseguir descansar, mas não é isso que acontece. Porque uma série de apaziguadores que nós temos no trabalho, como a pausa para o cafezinho ou a conversa com o colega, são suspensos”, aponta o psicanalista.

É uma crise geral, mas é muito importante a gente ter em mente que isso tudo vai passar. Pode demorar muito tempo, pode demorar mais tempo do que a gente gostaria, mas vai passar”, ressalta. É como uma guerra: uma hora termina. Dunker lembra que é uma situação que vai ter várias fases e agora estamos apenas começando. “Ter consciência disso é muito importante para fazer a travessia deste momento”, aponta.

Dunker destaca os possíveis efeitos da quarentena em dois grupos de pessoas. O primeiro é de quem nunca foi ansioso, mas passa a ter ansiedade; nunca teve insônia, mas fica com dificuldade de dormir, apresenta reações muito agressivas ou irritadas; ou então começa a se sentir confuso ou desorientado.

Do outro lado, estão aquelas pessoas cujos efeitos da quarentena irão intensificar as dificuldades e fragilidades que já estavam presentes antes. Por exemplo, para um paciente com uma orientação paranoide (um tipo de transtorno de personalidade), é possível que a quarentena ou incremente o sofrimento ou traga um efeito relativamente apaziguador. Outro exemplo são as pessoas com fobia social e que diariamente lutam para ir ao trabalho. Em casa, elas podem se ver em um ambiente mais protegido, mais favorável.

dunker2-300x300
Christian Ingo Lenz Dunker – Foto: Reprodução via Facebook

Dunker conta que vários de seus pacientes com algum tipo de depressão disseram a ele que agora as coisas estavam melhores, pois antes da quarentena era muito difícil sair da cama ou de casa e agora não precisavam mais se preocupar com isso, podiam passar o dia de pijama, demorar mais para sair da cama etc. O professor alerta que, no caso dessas pessoas, o que agora está sendo sentido como um relativo alívio, pode se tornar potencialmente mais grave com o passar do tempo.

Uma atitude preditiva para um mal percurso, de acordo com o psicanalista, são aqueles que negam a gravidade da epidemia. “Esse tipo de negação é muito ruim porque, no fundo, a gente sabe que é uma espécie de autoengano, às vezes, de autoengano coletivo. E tende a produzir uma espécie de ruptura, de violação, de sentimento de traição, de instabilidade psíquica derivada da ruptura das nossas referências simbólicas”, diz.

Dunker também chama a atenção para a forma como algumas pessoas lidam com o medo, emoção esperada diante da situação: com excessivo compartilhamento de informações. Ele destaca que os dados confiáveis são muito importantes, agem até como medidas protetivas. Mas há quem, em vez de se acalmar, se aquietar e se conter, age com muita compulsividade, seja na obtenção ou na disseminação de informações, sem uma reflexão ou contextualização.

Tarefas a cumprir

Quem está na quarentena tem algumas tarefas a cumprir, de acordo com o psicanalista. A primeira é a reorganização cotidiana, pensar em horários para fazer cada coisa. A segunda tarefa é cuidar da higiene e manter a salubridade corporal, pois vamos entrar em um período de baixa atividade física e isso nos fragiliza. Dunker diz que o Youtube para encontrar a técnica mais adequada para cada pessoa. Mas é preciso selecionar bem as fontes de informação, também neste caso.

Ele também recomenda a prática da meditação e lembra que o Conselho Regional de Psicologia autorizou o tratamento psicológico online. Se os sintomas de ansiedade e depressão passarem da conta, o psicanalista sugere procurar ajuda de um profissional da área e pensar em um tratamento via internet.

Para o equilíbrio mental, o psicanalista sugere fazer pausas ao longo do dia e encontrar atividades que não sejam exatamente produtivas, mas sim restaurativas: pode ser uma leitura, a jardinagem, o cuidado com os animais, ou a arrumação de armários e da casa, mudar os móveis de lugar, etc. “Eu acho a leitura uma boa prática para isso, diferente das telas [televisão, celular, computador], porque a leitura convoca uma reestruturação da atenção da pessoa. Você precisa entrar no livro, seguir o personagem.”

Outra coisa muito importante é a recuperação dos laços afetivos e sociais. Aquele avô ou avó talvez precise de alguns empurrões para, finalmente, entrar no mundo digital, e conversar, por exemplo, via Skype (um comunicador de voz e imagem via internet).

Dunker lembra que há lugares onde o Skype fica ligado durante o dia, continuamente, e não apenas durante as ligações, assim podem ouvir e partilhar a rotina diária com pessoas que estão em outra residência. São usos diferentes para recursos que já estamos acostumados.

Sobre as crianças, elas demandam, segundo o professor, uma atenção especial, pois terão mais dificuldades em substituir os laços físicos pelos digitais. É um momento para acompanhar o filho mais de perto, contar histórias, participar das brincadeiras, interações que foram perdidas ao longo do tempo.

“Para os pais que vivem dizendo ‘eu não tenho tempo pra isso’, agora chegou o momento de fazer esses ajustes. Também é necessário observá-las, se pararam de brincar, se se isolaram demais, se estão comendo e dormindo direito, porque a quarentena é uma situação muito adversa e elas são muito sensíveis para captar a preocupação dos adultos”, informa o psicanalista.

Os pais precisam falar a verdade sobre a quarentena porque, em geral, mentir nesse momento aumenta a problemática. A criança vai ter de lidar com pensamentos como “por que será que os meus pais estão me escondendo alguma coisa?”, além de todas as outras pressões que atingem a todos neste momento. Os idosos também demandam muita atenção pois geralmente mantêm uma relação muito específica com o cotidiano e são muito sensíveis às reformulações mais radicais

Para Dunker, é um momento para cultivarmos a solidariedade, o altruísmo e também a humildade, pois estamos diante de algo maior e mais poderoso que nós. É preciso fazer essa travessia em conjunto e não viver esse momento de forma excessivamente individualizada.

O pior e o melhor de cada um

É uma situação limite, inédita, que está trazendo o melhor e o pior do ser humano. De um lado, o aumento abusivo do preço do álcool em gel e as pessoas estocando comida e papel higiênico. Do outro, exemplos de solidariedade, amizade e empatia, como os daqueles que se oferecem para fazer as compras dos vizinhos idosos. Para Dunker, isso traz respostas criativas, mas também respostas egoístas e destrutivas. Um bom conselho é ficarmos mais tolerantes com nós mesmos e com os outros. Ao mesmo tempo, poderão surgir oportunistas, que se aproveitarão desse momento delicado e da fragilidade alheia para enganar pessoas.

saude-mental_coronavirus
De um lado, há quem nunca foi ansioso, mas passe a ter ansiedade, insônia, reações agressivas ou se sinta desorientado; de outro, existem pessoas cujos efeitos da quarentena irão intensificar dificuldades que já estavam presentes antes – Arte sobre silhueta Flaticon e Pixabay

A tendência é os preconceitos aumentarem

“Na história da humanidade, as pestes sempre foram associadas com o estrangeiro. Isso às vezes se entranha nos delírios de perseguição que já estão aí funcionando no nosso lado social. Acho que o Brasil está em uma situação muito desvantajosa em relação a outros lugares pela situação de polarização”, opina

Segundo o professor, outra coisa bastante complexa, mas necessária de ser trazida à discussão, é que todos nós vamos ficar mais pobres. Temos menos produção e as pessoas que vivem na informalidade viverão um perigo maior, inclusive de sofrer efeitos secundários da quarentena, como dificuldades de se alimentar, e isso pode levar a um aumento da violência. “Esse é o lado pior. Mas, no aspecto positivo, quero crer que essa situação possa nos ajudar a reformular completamente nossos pactos de trabalho e financeiros”, sugere.

Dunker diz que estamos vivendo em uma anomia (suspensão da ordem normal) e isso deve afetar e deve valorizar as novas formas de contratos que podemos estabelecer com funcionários, patrões, ciclo produtivos etc. E isso não se resume a trabalhar ou dar aulas de casa. Vai muito além, pois é uma situação que vai durar muito tempo e vamos ter de nos preparar para isso, inclusive, reduzindo nossas expectativas de gastos e de ganhos, e entender isso como um processo comum a todos.

Para o professor, vamos ter a oportunidade de ver a civilidade e a incivilidade da barbárie que já estava aí no país. Ele lembra que os esforços civilizatórios ainda podem ser tomados e as guerras – uma boa metáfora para o enfrentamento ao coronavírus – sempre trouxeram grandes avanços tecnológicos, inicialmente, na área da defesa, mas que depois foram integrados à sociedade.

Dunker destaca que, atualmente, há um esforço para disciplinar a população, de fazer ela obedecer as orientações das autoridades de saúde e incorporar a ideia de que a quarentena está sendo feita para o bem coletivo e não individual. Para ele, estamos em uma circunstância que pode ser educativa para o nosso país.

Como diz Freud, [Sigmund Freud (1856-1939), médico psiquiatra austríaco criador da psicanálise] é uma situação que pode convocar os nossos fantasmas para a gente bater um papo com eles e resolver assuntos pendentes.”

Ebola, SARS e quarentena

No dia 14 de março, a revista científica The Lancet publicou a revisão The psychological impact of quarantine and how to reduce it: rapid review of the evidence. Dentre 3166 artigos das bases Medline, PsycINFO e Web of Science analisados por pesquisadores do King’s College (Reino Unido), foram selecionados 24 estudos realizados em dez países sobre pessoas que passaram por quarentena em função da SARS, ebola, influenza H1N1, síndrome respiratória do Oriente Médio, e de influenza equina.

A revisão mostrou que a quarentena pode trazer impactos psicológicos negativos, como estresse pós-traumático, confusão e raiva, entre outros. Dentre os fatores que levam ao estresse, os artigos destacam uma maior duração da quarentena, medos de infecção, frustração, tédio, suprimentos inadequados, perdas financeiras e estigmas. O texto destaca a importância de uma comunicação rápida e eficaz, de as pessoas em quarentena entenderem o porquê da situação, e os benefícios do isolamento, entre outras considerações.

Dunker ressalta a qualidade dos artigos, mas aponta algumas diferenças em relação ao que está ocorrendo na sociedade brasileira, pois estamos enfrentando algo completamente distinto. Uma delas é o tempo de duração da quarentena. Um ou outro artigo da revisão citava períodos de 20 ou 30 dias. Aqui no Brasil, há estimativas de que a quarentena deve ultrapassar esse período.

Outro ponto são as doenças analisadas, entre elas SARS e ebola, muito diferentes da covid-19. No caso da ebola, cuja letalidade é muito alta, Dunker lembra da variável cultural, pois os casos ocorreram em países africanos, onde a sociabilidade é diferente, e o agrupamento, a presença e o convívio com a família são bem distintos do restante do mundo.

Fonte: Jornal da USP

Como limpar o celular para se proteger do coronavírus?

Os cuidados básicos que todos devem tomar para evitar a contaminação do novo coronavírus vão além do uso do álcool em gel nas mãos e o isolamento. Também deve-se levar em consideração a higienização correta de todos os objetos tocados no dia a dia, entre eles, o próprio smartphone, que tem potencial para ser um hospedeiro momentâneo do vírus.

O tempo de uso desses aparelhos pode aumentar devido ao número de profissionais trabalhando em casa, que estão em quarentena ou que utilizam o aparelho para se manter informado o tempo todo.

Segundo última pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), o Brasil tem hoje dois dispositivos digitais por habitante, incluindo smartphones, computadores, notebooks e tablets. Entre os aparelhos, o uso de smartphone se destaca: são 230 milhões de celulares ativos no país.

Para ajudar a conter o grande índice de contaminação, a Yesfurbe , plataforma de compra e venda de smartphones refabricados, separou algumas dicas sobre como fazer a limpeza correta do seu aparelho e combater o coronavírus:

1. Realize a limpeza com o aparelho desligado

clean-smartphone dignited

A umidade dos produtos usados para a limpeza pode se infiltrar no celular e percorrer circuitos eletrônicos causando grandes danos.

2. Use álcool isopropílico 70%

limpeza celular alcool pinterest
Pinterest

O álcool isopropílico com concentração de 70% tem maior efeito bactericida. Não é recomendável submergir ou jogar diretamente o produto no aparelho. O ideal é aplicar com um pano apropriado.

3. Use somente panos que não soltem fios

limpando celular technology and us
Foto: Technology and Us

Microfibra é o material mais recomendado para evitar acúmulo de fiapos nos plugs do celular.

4. Higienize as capinhas

Coronavirus - Disinfection Smartphone

Se elas forem de plástico, silicone ou material semelhante, basta lavar com água e sabão e deixar secar. Outros materiais que nãos sejam os citados acima, como couro, por exemplo, devem ser limpos com produtos específicos.

Essas passos devem ser feitos diariamente e, apesar de o indicado ser não entregar o celular na mão de outra pessoa, caso isso ocorra, repita o procedimento imediatamente.

Fonte: Yesfurbe