Arquivo da categoria: sexo

Sextando no Dia do Sexo com ritual especial

Astróloga Virginia Gaia analisa o céu deste Dia do Sexo, e dá dicas para aproveitar a sexta-feira

Sexta-feira é dia de curtir! E 6/9 – que este ano cai na primeira sexta-feira do mês – é o Dia do Sexo para já começar o final de semana em clima quente. A astróloga Virginia Gaia conta que o céu do dia estará bem bacana para aproveitar a data valorizando relacionamentos saudáveis e saúde sexual.

A Lua estará no signo de Sagitário, chegando à fase crescente, Sol, Marte – que rege a sexualidade -, Mercúrio e Vênus estarão no signo de Virgem, o que facilita os assuntos ligados à saúde e à qualidade de vida, temas que geralmente interessam aos virginianos.

Para comemorar a data em grande estilo, Virginia preparou um ritual para quem está em um relacionamento ou para quem está sozinho no momento. Você vai precisar de um pires ou prato, mel – de preferência com geleia real -, três velas – sendo uma dourada, uma vermelha e uma verde. Coloque o mel no pires ou no prato no qual acenderá as velas, ele pode ficar em volta das velas.

velas pixabay
Pixabay

A vela dourada é para o Sol, a vermelha para Marte e a verde para Vênus (vale lembrar que sexta-feira é o dia da semana dedicado a Vênus, planeta patrono dos relacionamentos). Acender as três velas mentalizando saúde e vitalidade e canalizando a energia sexual – para quem estiver acompanhado pode ser tocando o parceiro e para quem estiver sozinho vale trabalhar o autoamor, tocando a si mesmo – e jogar a energia para o universo.

mel pexels
Pexels

O mel circundando as velas representa o Universo e o magnetismo pessoal e, caso o mel tenha geleia real, ela representa o poder feminino e a Grande Mãe, já que é o alimento das abelhas rainhas.

Sobre Virginia Gaia

virginia-328bxa.jpg

Virginia Gaia é sexóloga, astróloga, taróloga e estudiosa de mitologia e religião comparada há mais de 20 anos. Propagadora do Vama Marga Tantra, foi iniciada no Vajrayana – o chamado Budismo Tântrico ou Budismo Tibetano –, além de ter sido integrante de ordens iniciáticas e ocultistas. Com base na certificação de Capacitação em Sexualidade que obteve pela Abeme (Associação Brasileira das Empresas do Mercado Erótico e Sensual), é também educadora sexual, ministrando cursos e palestras sobre o amor e os relacionamentos que abordam o estreito vínculo entre sexualidade, afetividade e espiritualidade.

Confira sete dicas para curtir o Dia do Sexo

Hoje, seis de setembro, é o Dia do Sexo. Para celebrar a data mais gostosa do ano, a sexóloga Jéssica Siqueira de Oliveira separou algumas dicas para deixar a data ainda mais especial e picante!

=Transe em lugares novos e inusitados: aqui vale soltar a imaginação, a aventura e adrenalina apimentam ainda mais o momento, mas cuidado para não ser pego no flagra em lugares públicos.

casal-relacionamento-praia-onda-768x512.jpg
=Troque nudes durante o dia: para esquentar o clima, descubra a parte do seu corpo que ele/ela mais gosta, faça uma foto e envie. Atenção: não encaminhe imagens em que o rosto apareça, pois nunca se sabe onde essa foto pode parar.
=Utilize jogos ou brinquedos eróticos: o objetivo é sexo e diversão, o casal pode abusar de vibradores, anéis, calcinha ou cueca comestível, gel que esquenta ou esfria. =Também vale usar a criatividade com o que se tem em casa.
=Entre no personagem: depois do filme 50 Tons de Cinza, fazer sexo com submissão e dominação virou uma fantasia. Algemas, vendas nos olhos e até uns tapinhas durante o sexo valem, claro, se for ser de consentimento de ambas as partes.

maos-casal-casamento-768x551.jpg

=Crie roteiros e histórias fictícias: imaginar que você é outra pessoa, ou que vocês estão vivendo outra situação sempre cai bem para sair da rotina.
=Abuse do sexo oral: engana-se quem pensa que sexo oral é só preliminar e para dar um toque especial dá para usar sabores diferentes de menta, morango, chocolate entre outros.

ikamassutra.jpg
=Use a tecnologia para inovar no sexo: já existem aplicativos para ajudar o casal a fazer algo diferente na hora H, entre eles o iKamasutra Lite Sex Positions, Desire e Jogo do Sexo para Casais. É só baixar e experimentar.

Agora é só aproveitar as dicas e abusar da criatividade para comemorar o Dia do Sexo com muito prazer.

Sobre o Sexo Sem Dúvida

Fundada em 2013, a plataforma Sexo Sem Dúvida reúne médicos, psicólogos, fisioterapeutas, sexólogos, entre outros profissionais que atuam diretamente com sexualidade humana. Tem como objetivo levar saúde sexual a todo o Brasil, por meio de artigos, guias digitais e também com a realização de consultas online com sexólogos especializados.

Sexo sem Dúvida em números:
– Mais de 37 milhões de acessos no portal;
– Mais de 60 profissionais envolvidos;
– 375 artigos;
– 3.500 consultas online realizadas
– 37 vídeos no Youtube, somando 1.8 milhão de visualizações.

Oito fatores que diminuem a libido

Segundo uma pesquisa feita pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, por meio do Hospital Pérola Byington, 48% das mulheres procuram ajuda médica por conta de disfunções sexuais – 45% dessas estão entre a faixa etária de 40 a 55 anos; 36,4% entre 25 e 39; e somente 7,9% tem entre 20 e 24 anos.

Já o Estudo da Vida Sexual do Brasileiro aponta que esses problemas independem da idade da mulher, mas variam de acordo com a faixa etária. Falta de desejo é queixa de 5,8% das jovens entre 18 e 25 anos e de 19,9% de quem já passou dos 60. Entre os homens, essa porcentagem diminui bastante: apenas 2,4% dos jovens e 5% dos idosos reclama de baixa libido.

De acordo com Karina Tafner, ginecologista e obstetra; especialista em Endocrinologia Ginecológica e Reprodução Humana pela Santa Casa; e especialista em Reprodução Assistida pela Febrasgo, a falta de libido é uma das maiores queixas no consultório, especialmente entre casais que têm dificuldade para engravidar, pois o sexo deixa de ser prazeroso. Além deste, Karina lista outros motivos que resultam na baixa libido e explica por que acontecem:

– Diminuição da testosterona

mulher calor fogacho menopausa

A testosterona é um hormônio considerado masculino, afinal, sua concentração no corpo do homem é de 20 a 30 vezes maior do que no corpo feminino. Na mulher, quando a testosterona está em seus níveis ideais, é um importante componente regulador das funções biológicas do organismo. Quando os níveis do hormônio na mulher ficam baixos, várias disfunções são ocasionadas, entre elas, a baixa libido. No entanto, a queixa é menor em mulheres na idade reprodutiva. Ela pode acontecer com mais frequência após a menopausa (lembrando que a testosterona nunca deve ser dosada em vigência do uso de contraceptivos hormonais, pois os resultados são mascarados pelo uso de hormônios).

– Álcool

casal festa vinho pixabay
Pixabay

Em pequenas doses, pode levar ao aumento da libido em algumas pessoas, pois diminui a inibição e torna o indivíduo mais “relaxado” e menos inseguro. Entretanto, mais do que quatro doses de álcool por semana podem comprometer a libido da mulher. Isso porque, aparentemente, o álcool pode “imitar” o estrogênio e atrasar ou impedir a ovulação (exatamente no período em que a mulher alcança o auge da sua libido, segundo um estudo australiano). Os especialistas acreditam que o fato de não ovular pode comprometer também a atuação dos hormônios. O ideal é substituir o copo de vinho ou cerveja por água tônica, que contém relaxante natural para o corpo.

– Estresse

casal-discussao

Interfere no sistema nervoso autônomo pelo aumento do cortisol (popularmente conhecido como “hormônio do estresse”, o cortisol, que é produzido pelas glândulas suprarrenais, é liberado em momentos de nervosismo). Sendo assim, este desequilíbrio acaba alterando o humor, a sensação de bem-estar e, consequentemente, o desejo sexual.

– Hipotireoidismo

problemas-na-tireoide

A tireoide é uma glândula situada na parte anterior de nosso pescoço, responsável pela produção dos hormônios T4 e T3, fundamentais para o crescimento, metabolismo, para a fertilidade, entre outras funções. O funcionamento insuficiente da tireoide é chamado de hipotireoidismo. Os sintomas relacionados ao hipotireoidismo são consequência, principalmente, dos níveis baixos dos hormônios produzidos pela glândula. Entre eles, a baixa libido. O hipotireoidismo é mais comum em mulheres, especialmente acima dos 40 anos. Se não tratado, além da diminuição da libido, pode causar cansaço excessivo, alteração da função intestinal e até depressão, afetando ainda mais o desejo sexual.

– Pílulas anticoncepcionais

pilula anticoncepcionaç

Podem diminuir a libido, pois inibem a ovulação e, com essa inibição, não há o pico de testosterona que acontece nessa fase. O efeito se observa principalmente nas pílulas que contêm progesterona com efeito antiandrogênico. Também pode diminuir o desejo sexual das mulheres que usam pílulas com baixíssima dosagem hormonal, de 15 a 20 gramas de etinilestradiol.

– Sedentarismo

mulher dormindo sofá

Pesquisadores da Universidade do Texas estudaram mulheres entre 18 e 34 anos, e descobriram que aquelas que pedalaram por 20 minutos foram 169% mais animadas sexualmente quando confrontadas a imagens sexuais do que quando não se exercitavam. Um outro estudo indicou que a regra também se aplica aos homens, já que os que se exercitam de 20 a 30 minutos diários diminuem as chances de disfunção erétil em até 50%. Além disso, o aumento do peso corporal afeta a libido devido a diversas alterações hormonais decorrentes do acúmulo de gordura, assim como outros desajustes fisiológicos e psicológicos que afetam a saúde e a autoestima.

– Alimentação inadequada

mulher comendo chocolate

Uma dieta carregada em açúcar e alimentos processados afeta determinados hormônios e glândulas, privando o corpo dos nutrientes aliados da libido. Aposte em alimentos que levantam o ânimo sexual, como pimenta, abacate, castanha-do-pará, avelãs, cebolinha, aveia, noz-moscada, romãs, morangos e salmão selvagem, além de gergelim esmagado com mel.

– Tabagismo

mulher cigarro fumando

O hábito de fumar pode danificar o revestimento dos vasos sanguíneos, afetando a musculatura do pênis e inibindo o sangue de fluir. Os homens que fumam são 51% mais propensos a ter disfunção erétil do que os não fumantes, segundo uma meta-análise feita na China. A boa notícia é que um ano após parar de fumar, 25% dos ex-fumantes perceberam uma melhora nas ereções. Já para as mulheres, o tabagismo agride o sistema reprodutor, altera a lubrificação vaginal e aumenta a dificuldade de sentir prazer.

casal separado

“Mas nada é tão prejudicial para a vida sexual do casal quanto a falta de compreensão e amor do parceiro. Se não há romantismo e companheirismo na vida a dois, dificilmente haverá desejo e prazer na vida sexual”, reforça a ginecologista.

Sexo aos 50: por que é melhor nesta faixa etária?

A experiência de vida conta muito nesta faixa de idade, especialmente porque boa parte delas já foram experimentadas e, apesar das controvérsias sobre a capacidade física dos cinquentões, a sexóloga Carla Cecarello, consultora do site Solteiros50 e a psicóloga Iris de Souza, especialista em relacionamentos do site Amor&Classe, confirmam: “esta é a melhor idade para tudo, inclusive para os relacionamentos e para o sexo”, afirmam.

Para Carla, há algumas razões para o sexo ter mais qualidade nesta faixa etária, porém, se houver informação e cuidados, há ainda muitas formas de melhorar a vida sexual dos novos 50+. Já para Iris, está é também uma fase em que os homens já vivenciaram muitas experiências e podem se dedicar a uma relação afetiva mais contundente.

Ambas as especialistas dizem existirem argumentos suficientemente reveladores de como o sexo e a relação amorosa vai melhorando com o passar dos anos. No caso deles, as relações tornam-se muito mais fáceis de serem conduzidas. Para elas, nem tanto, principalmente pelos erros deles em serem menos interessados anteriormente. Por isso, as especialistas listaram dez razões do porquê tanto o sexo quanto as relações podem ser interessantes aos 50 anos. Confira:

Autoconfiança

casal 50
Para as especialistas, aos 50 anos, tanto ele quanto ela já possuem maior conhecimento de suas capacidades pessoais e determinações. Sabem também de tudo o que gostam e do que não gostam. Nesta faixa etária já estão como queriam estar e como querem ficar na vida, de forma que não precisam se autoafirmar continuamente para outras pessoas. Por essa razão, as pessoas de 50 anos se concentram nas coisas que são realmente importantes para elas. Essa autoconfiança permite a elas viverem melhor cada momento e abraçar de forma muito mais responsável suas escolhas, notadamente na intimidade e nos relacionamentos.

Mais prazer e menos pressão
Antes de chegar aos cinquenta anos, as pessoas levam a vida em uma intensidade tão grande que é preciso se autoafirmar constantemente. Quando se é jovem, por exemplo, existe uma pressão muito maior para que haja correspondência entre o corpo (parte física) e o sexo. Essa tensão na parte física do sexo exige mais correspondência no que diz aos resultados, o que, em vez de ajudar, na maioria das vezes, atrapalha. Os mais jovens vivem sobre pressão para se apresentar bem fisicamente, especialmente sobre a cama e sobre o corpo do outro, para oferecer prazer. Com a idade e com o autoconhecimento, percebem que não é a duração do sexo, nem a quantidade de prazer e orgasmos que têm ou dão que conta, mas o prazer e a satisfação de ambos em completa e absoluta sintonia e sincronia. Por essa razão, sexo depois dos 50 é conexão. Mesmo que seja sexo casual, o foco mudou da performance para o conectar-se ao outro.

Sem pressa

casal meia idade feliz
O passar dos anos ensina muita coisa, uma delas é dar tempo ao tempo e não viver apenas em relação a ele, mas conectado ao seu redor e com todos, inclusive com o próprio Chronos*. Desta forma, as pessoas aprendem a gerir melhor o seu tempo e ganham, assim, oportunidades para apostar mais na vida sexual. Dar tempo ao tempo significa que elas passam a uma posição privilegiada de poder investir em si mesmas e a possuir mais tempo para cultivar gostos, hobbies e namoros, que incluem o prazer sexual, não como objetivo, mas como forma de expressar a forma de encarar a vida.

Experiência e qualidade
Se o sexo já não é apenas uma capacidade física e tampouco uma demonstração de força, mas de jeito e forma, só com o tempo as pessoas percebem-se melhor e valorizam outras formas de atingir o prazer sexual. A leitura de bons livros ou a consulta com especialistas, como sexólogas, psicólogas ou terapeutas entram no circuito de conhecimento e informação dessas pessoas. Existem livros sobre satisfação sexual e novas experiências sexuais que antes eram impensáveis de ser lidos, ou eram considerados objetos que jamais seriam contemplados. Conhecer-se a si mesmo e a sexualidade abre novas fronteiras de relacionamentos e experiências que aqueles que têm mais de 50 se colocam disponíveis e abertos para conhecer.

Liberdade absoluta

casal na cama iStock
iStock

Há durante o percurso até os 50 anos inúmeras preocupações, especialmente em relação as questões profissionais, financeiras e suporte material. Atribui-se a elas um peso maior. Quando se obtém as experiência de vida, percebe-se que o peso pode ser igual para todos os assuntos e temas, o que é libertador. Isto permite à pessoa priorizar o que é realmente importante para ela e, de acordo com o que gosta, dedicar mais ou menos atenção e prioridade. Na vida sexual, a libertação, principalmente em relação a questão física, permite que se procure e se entregue a novas aventuras.

O ápice com mais facilidade
A libertação da questão da prática sexual concede às pessoas com mais de 50 atingir o orgasmo com muito mais facilidade e qualidade, mesmo várias vezes. O prazer completo, o ápice da relação, pode ser conseguido mais facilmente porque as pessoas são mais seletivas na escolha dos parceiros e as escolhas são baseadas em gostos, compatibilidades e não apenas por beleza física, comum nos jovens, como processo de seleção. Além disso, a pressa para se levar alguém para a cama não permite que se conheça tão bem o outro, como em uma relação aos 50 anos.

Espontaneidade

lareira inverno casal
Outra razão é a quebra da rotina, que pode aumentar a libido do casal. As mudanças de hábitos trazem novidades. Inovar ajuda no aumento da atividade sexual, sobretudo quando os casais já se conhecem há muito tempo.

Relações mais simples e claras
Honestidade nem sempre é o forte das relações mais jovens. Aprende-se com o tempo que a necessidade de se falar com clareza e ser honesto naquilo que diz é fundamental para que a relação ocorra de forma simples e verdadeira. Aos 50 anos, essa é outra das coisas que se ganha: clareza e honestidade nas relações interpessoais. As pessoas sentem-se mais à vontade com o outro e dão mais liberdade para se autoafirmarem ou apresentar suas ideias e opiniões. É algo fabuloso. Ser direto e objetivo na relação com os outros não é algo apenas para pessoas aos 50, mas deve ser para todas as idades, em que os estereótipos deveriam ser deixados de lado e os estigmas esquecidos para facilitar a experiência da vida.

Tolerância

casal na banheira
Desde que o ser humano é ser humano deveria ser tolerante com o outro. Numa relação interpessoal ou amorosa, a tolerância deveria ser central, pois evitaria o desperdício de tempo entre duas pessoas que não se respeitam ou não se conhecem por não serem diretas e objetivas ou porque vivem com seus estigmas e montam seus estereótipos (de como deve ser a pessoa ideal para elas). Ser tolerante com o outro não é aceitar suas ideias e opiniões, mas entender quais são essas ideias e opiniões. Se ambos agem com tolerância, as opiniões serão claras e as decisões tomadas suavemente tanto para a vida em conjunto quanto não. Aos 50, isso está claro.

Inovar e experimentar
Aos 50, a inovação não tem de ser uma barreira para o sucesso, mesmo que as experiências já tenham sido vividas. Ainda há tempo para aprender. Esse aprendizado é sempre obtido com muita qualidade e, por isso, capaz de inovar e experimentar, de forma a analisar os ganhos e as perdas em torno da inovação. Nos relacionamentos, a inovação e experiência se tornam mais fáceis e muito mais aceitas.

Dez programas para aproximar e esquentar o romance no inverno

Psicóloga especialista em relacionamentos lista programas para casais românticos realizarem neste período

Apesar de algumas baixas na temperatura, apenas a região Sul do país parece de fato encarar o inverno no Brasil. Por isso, falar em uma programação romântica para os casais aproveitarem a estação mais fria do ano pode não ser exatamente o que pensam aqueles que estão no Norte e Nordeste, por exemplo. Para quem pretende fazer uma programação especial para este período, algumas dicas preparadas pelo site Amor&Classe são interessantes para esquentar o clima entre casais.

O site, que é especializado em romantismo com foco na aproximação de pessoas que querem encontrar ou conquistar um grande amor, listou dez planos para melhor aproveitar o inverno. As dicas ajudarão os românticos a agendar – desde um primeiro encontro até um fim de semana para engatar ou reativar o relacionamento – programas cheios de romance. O objetivo é fazer os casais utilizarem este que é um dos melhores períodos do ano para fazer o quê? Namorar.

Para jamais esquecer que o romance vale a pena, a psicóloga Iris de Souza, especialista em relacionamentos e consultora do Amor&Classe, listou algumas dicas de programas que saem muito mais barato quando feitos por um casal. As dicas são para um final de semana super-romântico.

A ideia é oferecer opções para que os pombinhos sintam-se cheios de energia e tenham um inverno inesquecível. Além disso, as dicas são uma forma de resgatar o romantismo que, em tempos de correria e individualismo, parece ter sido esquecido. Para retomar o carinho e a intimidade entre os casais algumas opções de programas são conhecidas, mas fazem, segundo a especialista, “um bem danado” para a relação.

Passeio na neve

casal neve passeio pixabay
Pixabay

Que tal um passeio na neve com a pessoa da sua vida? Tudo que precisa para realizá-lo é encontrar uma paisagem de neve. Lá poderá brincar de fazer bolas de neve e atirar um no outro, montar um boneco de neve ou esquiar… sempre ao lado um do outro. Neste período de inverno, as montanhas de alguns países no continente sul-americano estão cobertas de neve e formam um ambiente incrível para passar ótimos e inesquecíveis momentos. “Além das brincadeiras, a viagem pode ser uma forma de aumentar a intimidade e aproximação, especialmente se a relação estiver patinando”, afirma a psicóloga do Amor&Classe.

Patinação no gelo

skimountainpark-189
Infelizmente no Brasil o inverno é incapaz de congelar lagos, portanto, fazer uma patinação no gelo só mesmo nas pistas montadas especialmente para tal representação. Mesmo assim, oferecer um programa do tipo patinação no gelo pode ser bastante legal e diferente, se os dois se prontificarem a cair juntos ou percorrer o caminho se equilibrando e ajudando um ao outro para não rolarem gelo (ou corpo) abaixo. Numa paisagem de inverno nevado, como ocorre em países vizinhos como Chile e Argentina, apreciar as belezas das montanhas seria a melhor localização para este plano romântico e gelado. No entanto, uma pista de patinação artificial no centro da cidade também servirá para desfrutar de um encontro romântico com o(a) parceiro(a). “É um programa perfeito para quem está se conhecendo ou para quem quer se divertir a qualquer momento ao lado de quem ama”, ressalta Iris de Souza.

Tarde relaxante em casa

casal na banheira.jpg

De máscaras faciais nutritivas a banhos de espuma: relaxe em casa com um spa pessoal . Encha o banho de água quente, coloque uma cápsula de banho perfumado e vão ambos para a banheira. Tem algo melhor que isso? Relaxamento e erotismo são garantidos em partes iguais e é o plano perfeito para muitos casais, porque não? “É um momento de entrega e aproximação, que satisfaz o corpo e a mente e diz quem somos no relacionamento”, destaca a consultora do Amor&Classe.

Filminho no Data Show

lareira inverno casal
Aproveite a programação em casa e crie opções, como a de ver um filme com apoio de um data show. “Escolha as películas de acordo com o que os dois gostam e claro saiba dividir: uma hora o filme e o gênero de um e outra hora o filme e gênero que o outro gosta”, lembra a psicóloga especializada em relacionamentos do site Amor&Classe. Assim ambos ficam felizes e curtem estar juntos e aquecidos embaixo de um cobertor na sala ou na cama, depende de onde ficará o aparelho que vai transformar a parede em um verdadeiro cinema. Além disso, o local tem de ser o melhor para os acompanhamentos: um chá ou chocolate quente, um lanche, uma pipoca quente. As dicas são sempre escolher entre uma comédia romântica, um clássico ou um thriller que faz seu cabelo ficar em pé. O requisito mais importante para uma noite de cinema com um final feliz é dividir o sofá entre os dois. Para quem é casado não há nada mais romântico que ver a um filme em casa com os filhos.

Videogame

698-09143857
Masterlife

Não importa qual é o jogo, mas sim se divertir em conjunto. Pode ser no videogame ou qualquer outro jogo de mesa. Uma noite de jogos em casa é uma ótima opção para passar as noites frias de inverno acompanhadas. “Os jogos também são sempre divertidos e aproximam as pessoas, não é diferente para o casal que além de se divertir pode conhecer-se mais um ao outro, especialmente em começo de relacionamento”, destaca Iris. Se já é um relacionamento duradouro, um passeio no frio também pode ser interessante ao final dos games.

Escalada

escalada equador pixabay

Se ambos forem mais radicais uma sessão de escalada é um ótimo plano para casais, especialmente se estiverem procurando uma dose de adrenalina e aventura. “Supõe-se que se ambos estão realizando a escalada juntos, pelo menos um deles tem alguma experiência e, portanto, será de fundamental importância para auxiliar o outro, ou seja, troca de confiança e entrega”, afirma a consultora do Amor&Classe. Se não, há outras opções a considerar, como cursos ou instrutores para ajudá-los na primeira vez. Então, divirtam-se! Entre uma paradinha e outra na subida, façam um lanchinho e aproveitem para aquela champanhe comemorativa do primeiro passeio às alturas. Lá em cima, nas montanhas, pode fazer um piquenique e quem sabe algo mais. É relaxante e confirma a relação entre o casal. Nas opções, para quem gosta de escalar montanhas, estão os pequenos hotéis rurais que podem oferecer ótimas comidas e quartos para se desconectar dos centros urbanos e das loucuras do dia a dia, prestando mais atenção um ao outro. Vale a pena!

Sessão de spa

casal na sauna.jpg
É claro que duas pessoas que vão juntas à sauna têm muito pouco ou nenhum segredo entre si. Seminu e sem disfarce, este plano fará a abordagem aumentar, não apenas emocionalmente, mas também fisicamente. Encontre uma experiência relaxante para dois em qualquer spa em sua cidade ou surpreenda-o com aquele nas montanhas em uma região fria e afastada das badalações turísticas para que tenham total privacidade. Assim, a sauna pode ser um detalhe apenas se vier acompanhada de uma massagem durante ou ao final, com uma ducha à vontade para os dois. “Tenha certeza que além de relaxante, ambos vão adorar”, aponta a psicóloga.

Uma ópera ou balé

balé casal bailarinos pixabay
pixabv

O teatro sugere uma noite romântica para o casal curtir e compartilhar. Trata-se de uma forma de perceber os gostos culturais um do outro. Além disso serve também para ter muitas boas conversas sobre o enredo das histórias ou mesmo o significado das passagens seja das cenas ou das músicas e canções entoadas. “O casal se conhece melhor quando troca informações e opina sobre coisas que curtem juntos”, afirma Iris de Souza. O balé também pode ser uma ótima opção para compartilhar um momento especial e que muito contribui para a aproximação de um casal.

Cozinhando juntos

casal
Um jantar especial para por fogo no relacionamento? Então, para quem quer esquentar um pouco mais a relação no inverno a dica é a cozinha para preparar um jantar romântico. “Estar na cozinha e preparar o jantar em conjunto é ótimo para amenizar o estresse do dia a dia”, ressalta a psicóloga do Amor&Classe, pois permite a troca de experiências comuns entre o casal de forma que possam reconhecer os dotes de um e de outro, culinariamente falando, é claro. Nem mesmo o melhor chef restauranter colocaria tanto amor que o casal, cozinhando um para o outro. E ao final degustar o que for preparado amplifica o clima de intimidade e inspiração. Claro que a receita pode aproveitar as dicas de alimentos afrodisíacos e assim colocar um pouco mais de pimenta ou fogo na relação.

Degustação de vinhos

Casal degustando vinhos em casa típica, Alentejo_Crédito - Divulgação Turismo do Alentejo
Pode parecer cafona e careta, mas saber quais são os próximos seminários de degustação de vinhos ou mesmo apresentação das safras pode ser interessante e atrativo para ambos, mesmo quando para ela ou para ele a bebida não seja lá muito conhecida ou apreciada. Mas o ambiente e a possibilidade de obter uma boa oferta no local dos seminários ou mesmo on-line de experiências para dois pode ser super agradável e diferente. Uma degustação de vinhos pode ser um plano perfeito para os dias frios, especialmente se for um daqueles dias ou noites que não dá para fazer nada fora de casa ou no ambiente exterior. Se um dos parceiros for ousado, algumas curiosidades sobre a bebida pode transformar o programa em uma atividade cultural de extremo bom gosto e romântica demais para ser esquecida na semana seguinte. Conhecer a gastronomia da área ou simplesmente aprender mais sobre a enologia nunca é demais. Com certeza ir a uma degustação gera boas fotos e recordações que serão uma razão para fazer tudo novamente em outras oportunidades e em momentos distintos do relacionamento. “Quem oferecer se dará muito bem ao final. As curiosidades sobre o vinho causam boa impressão, aproximam e dão mais intimidade ao casal”, complementa a consultora do site de relacionamentos.

Fonte: Amor&Classe

Mix de frutas promete bom humor e melhor desempenho sexual

A linha que atende ao consumidor vegano vem com proposta diferenciada com maior quantidade de ingredientes nobres

A Qpod, marca brasileira de snacks saudáveis, que desde sua inserção no mercado vem apostando em inovação e sabor, lança a linha Mix dentro do conceito de mix de frutas sementes e castanhas.

O mercado de snacks saudáveis possui uma variedade de marcas, porém, com limitações que desagradam ao paladar do consumidor. Por exemplo, a maioria das embalagens com 30g vem com uma grande quantidade de amendoim e uva passa. A explicação é por conta de serem ingredientes baratos. Porém, o ponto de maior relevância é o baixo valor nutricional.

Com a missão de informar melhor o consumidor, a aposta no lançamento é para conquistar mais espaço no mercado de alimentação saudável. Os quatro novos produtos, sendo cada embalagem com 50g, se destacam por conter grão-de-bico, amêndoas, semente de cacau e cranberry, todos categorizados como ingredientes nobres.

qpod.jpg

A junção de ingredientes visa melhorar diversos fatores da saúde e bem-estar. Itens afrodisíacos como amêndoas e sementes de abóbora, presentes no Honeymoon, contribui para uma melhor qualidade de vida sexual, tendo uma boa concentração de zinco e mineral, que dilatam os vasos sanguíneos e elevam o nível de testosterona. O grão-de-bico é o protagonista do Chocopeace, uma semente rica em tripofano, que contribui para o aumento de serotonina, resultando em bom humor, ainda mais sendo coberto por chocolate, um dos doces preferidos dos brasileiros.

“Criamos um mix balanceado com frutas, sementes e castanhas nobres pensando em seus benefícios e em uma combinação agradável ao paladar, agridoce e mistura de texturas. Ao falarmos de misturas, a explicação fica bem clara com o mix chocopeace, chocolate e grão-de-bico, que promovem tranquilidade. Além disso, no verso de cada embalagem a marca destaca os principais nutrientes encontrados em cada ingrediente”, declara Marta Moraes, fundadora da Qpod.

Conheça mais sobre a linha:

good modd

GoodMood – elaborado com ingredientes que possuem nutrientes que promovem o bom humor, ricos em triptofano, como banana, sementes de cacau caramelizadas, castanha-do-pará e cranberries.

choco

Chocopeace – não é exatamente um mix, trata-se do grão-de-bico torrado e crocante coberto por chocolate zero açúcar e lactose e sementes de gergelim. O grão-de-bico possui uma grande quantidade de triptofano, um aminoácido utilizado para produzir serotonina, substância responsável pela ativação dos centros cerebrais que nos dão bem-estar, satisfação e autoconfiança, disposição física e melhora o raciocínio, 6,2g de proteína 10g de fibras.

honey

Honeymoon – mix contém grão-de-bico temperado com mostarda e mel, pedacinhos de damasco, sementes de abóbora e amêndoas defumadas. O nome remete ao sabor do grão-de-bico e também aos ingredientes afrodisíacos como as amêndoas e sementes de abóbora, devido ao alto teor de zinco, mineral que aumenta os níveis de testosterona no organismo, além de dilatar os vasos sanguíneos, dentre outros benefícios, 10g de proteína 9,1g de fibras

milho

Milhonaire – mix à base de milho assado, castanha-de-caju, favas e cubinhos de maçã desidratada surpreende pela explosão de sabores e texturas. A fonte de proteína vem das favas, uma espécie de feijão. Rica em antioxidantes, fibras e vitaminas naturalmente presentes nos ingredientes, 7,8g de proteína 4,8g de fibras

A Qpod disponibiliza ao mercado linha de snacks saudáveis, com a mesma técnica das refeições dos astronautas, a liofilização. Com o objetivo de proporcionar alimentação saudável, nutritiva, prática com sabor, resultando em satisfação de consumo sem culpa.

Informações: Qpod

Sexo impacta positivamente no humor e na vida profissional

No Dia dos Namorados, especialista do Hapvida explica os benefícios de um relacionamento sexual saudável

O Dia dos Namorados é comemorado nesta quarta-feira, dia 12 de junho, e uma vida sexual satisfatória é fundamental para proporcionar bom humor, sentimentos positivos e estabilidade hormonal. O sexo, além de trazer benefícios à saúde, influencia diretamente no comportamento e na relação amorosa e afetiva das pessoas.

O psicólogo do Hapvida Saúde, André Isaac Assunção, afirma que o sexo pode ter impacto também na vida profissional. “Ter estabilidade de humor, uma vida sexual que satisfaça cada um, pode favorecer a saúde emocional nas relações interpessoais e no trabalho. Estudos apontam que o sexo gera felicidade. Isso acontece porque durante o ato o corpo libera sensações de bem-estar”, comenta.

Apesar de ser positivo, o sexo pode se tornar um problema para aqueles que, por algum motivo, não se satisfazem nesta área. Quando isso acontece, é necessário entender qual é barreira e buscar o melhor tratamento com urologista, ginecologista ou psicólogo. A psicoterapia é importante no auxílio de traumas, angústias, dificuldades e outros fatores emocionais que estejam acumulados e que proporcionam negatividade.

Existem casos em que as pessoas apresentam problemas comportamentais, mas não têm consciência de que eles estão relacionados à vida sexual. “Mudanças de comportamento, angústias, preocupações e sensações de incapacidade são fatores observáveis. Além disso, a autoestima e autoconfiança também precisam de investigação e autoconhecimento”, completa Assunção.

casal na cama iStock
iStock

Por fim, para comemorar o Dia dos Namorados com sexo saudável, vale destacar a importância do uso do preservativo. Além disso, o diálogo entre as partes envolvidas pode gerar uma experiência ainda mais prazerosa com resultados positivos na vida de cada um.

Fonte: Hapvida

Chocolate afrodisíaco promete aumentar desempenho sexual de homens e mulheres

Com 70% de cacau e adoçado apenas com stevia e manitol, Chocolove Men e Women, da Pharmapele, é formulado com ativos 100% naturais que potencializam o desejo e a atividade sexual

Com o dia dos namorados próximo, a busca por produtos e mimos para presentear o amado começa. E um dos grandes procurados neste momento é o chocolate, afinal, é difícil encontrar quem não goste da guloseima. O problema é que o chocolate, apesar de ser sempre uma boa pedida, se tornou um presente clichê para o dia 12 de junho. Pensando então em trazer uma inovação capaz de ganhar corações, a Pharmapele desenvolveu o Chocolove, um chocolate 100% natural com ativos estimulantes de poder afrodisíaco.

362066_884586_lAmina_de_apoio___choco_love__a5_

“Com 70% de cacau em sua composição, o Chocolove está disponível em duas versões, sendo uma voltada para o público masculino e a outra para o feminino. E o melhor é que o produto é adoçado com apenas com manitol e stevia, o que, em combinação a grande concentração de cacau, torna o chocolate muito saudável, podendo ser ingerido até por aqueles que não querem sair da dieta”, afirma Luisa Saldanha, farmacêutica e diretora técnica da Pharmapele.

Segundo a especialista, o Chocolove Men é capaz de potencializar a atividade sexual masculina e aumentar o desejo sexual do homem, já que aumenta sutilmente a liberação de testosterona, principal hormônio sexual masculino, no organismo. “Isso por que o produto conta com ingredientes como o Tribulus terrestris, erva rica em esteroides e flavonoides capaz de restaurar a libido sexual, prolongando a duração da ereção e estimulando a espermiogênese, o que aumenta o número e a locomoção dos espermatozoides.

O ativo também é capaz de aumentar em 33% os níveis de testosterona no organismo, sendo então comumente utilizado no tratamento de infertilidade, disfunções sexuais e baixa libido”, explica. O produto também traz como destaque o Black Nocaute, um suplemento natural potencializador da libido. “O ativo ajuda a manter os níveis normais de testosterona organismo, assim melhorando a performance sexual masculina e aumentando a vascularização e fluxo sanguíneo, o que tem impacto na prolongação do desempenho sexual.”

Já o Chocolove Women atua no aumento da função sexual e da libido feminina através de um mix de ativos 100% naturais com propriedades afrodisíacas. “Além do Tribullus terrestris, que nas mulheres restaura a libido sexual através do estímulo da ovulação, a função do Chocolove Women deve-se também a presença do Ginkgo Biloba, que, por meio do aumento da circulação microvascular e do fluxo sanguíneo para a vagina, melhora a função sexual”, ressalta a farmacêutica.

“O produto também é formulado com Maca Peruana, uma raiz comestível capaz de melhorar disfunções sexuais e a libido por possuir um composto semelhante a molécula da testosterona, e Mucuna pruriens, que conta com propriedades afrodisíacas, promovendo o aumento da atividade sexual e da libido”, completa.

Sobre o modo de uso, Luisa Saldanha explica que o Chocolove Men deve ser ingerido uma vez ao dia, enquanto o Chocolove Women é indicado para ser usado de uma a duas vezes ao dia. Porém, o uso do Chocolove Men não deve exceder 12 semanas contínuas.

“É importante ressaltar também que o produto é contraindicado para menores de idade, gestantes, lactantes e pessoas que sofrem de câncer, disfunções hormonais, doença de Parkinson, hipertensão, hipertrofia da próstrata e doenças cardiovasculares, de tireoide, rim e fígado. Além disso, os produtos não devem ser combinados com outros boosters de testosterona e medicamentos antidepressivos e inibidores de monoamina oxidase (MAO)”, finaliza.

362066_884587_whatsapp_image_2019_05_28_at_2.52.42_pm__1_

As caixas com 10 unidades do Chocolove Men e Women custam, respetivamente, R$ 65,90 e R$ 58,60, mas têm 15% de desconto quando compradas em conjunto.

Fonte: Pharmapele 

Sexo aos 50: deixe a vergonha e o medo de lado

Sexóloga e terapeuta de casais diz que estágio inicial para voltar a vida sexual e recomeçar um relacionamento aos 50 anos ou mais, o início pode ser a internet

Apesar de muitas pessoas ainda criticarem, os sites de relacionamento têm sido de grande ajuda para quem quer retomar a vida sexual, iniciar um relacionamento amoroso e quem sabe até topar com a cara metade. A facilidade para encontrar um parceiro e conhecer pessoas diferentes são os principais atrativos para quem, por exemplo, ficou muito tempo em um relacionamento apenas e ao chegar nos 50, 60 anos se vê sozinho após o fim de um casamento.

“Essas pessoas estão destreinadas, têm vergonha ou até mesmo medo de recomeçar e dar tudo errado novamente e os sites podem ser um estágio inicial”, afirma a sexóloga e terapeuta de casais Carla Cecarello, consultora do site Solteiros50.

Os sites do relacionamento mostram como as pessoas estão agindo, onde elas marcam para se encontrar, que tipo de papo conversam. Segundo a especialista, é um ótimo começo, pois a pessoa pode participar de grupos, fazer um curso de dança em clubes, participar de bailes.

casal meia idade feliz

Mudanças de comportamento

O fim de um relacionamento sempre causa alguma frustração pessoal, porém, existem pessoas que se adaptam bem ao fim para recomeçar outro. Há, no entanto, aquelas que demoram para reagir. Nestes casos, as dificuldades serão maiores para enfrentar o medo e a vergonha de ter contato com alguém novamente. Não existem regras de como se preparar para o primeiro encontro para recomeçar.

“É complicado para quem nunca teve um relacionamento ou para quem já teve dezenas”, diz Carla. De acordo com a especialista, normalmente, as pessoas costumam cuidar da aparência e treinam como vai falar ou deixar de falar sobre tais assuntos. “Mas é natural que a ansiedade e um certo receio aconteçam no primeiro encontro. Não tem como fugir disso”, salienta a sexóloga do Solteiros50.

A ansiedade é importante para que a pessoa perceba e se sinta viva. “Uma ansiedade controlada ajuda a dizer como você deve agir e a perceber, por exemplo, se a pessoa com quem vai se encontrar é realmente com quem quer estar”, acrescenta. Apesar de a internet facilitar esses contatos, essa ansiedade permite você ter consciência e analisar as características da pessoa, ver se está de acordo com o que quer, para que se sinta seguro no primeiro encontro.

 

“Existe sempre esse receio: será que vai dar certo? Será que eu estou bem? Será que eu não estou. O medo e a vergonha fazem perguntar tudo isso, mas é um impulso para ir ao encontro e fazer os ajustes necessários para os próximos encontros”, salienta a sexóloga.

casal festa vinho pixabay
Pixabay

E se a ansiedade ajuda de um lado pode estragar do outro. Se tudo correu bem no primeiro encontro, a ansiedade, mesmo para aquele que tem medo ou vergonha, pode fazê-lo agir sem pensar. A especialista explica: no dia seguinte ao encontro o ideal é aguardar porque se for para um relacionamento estável não é indicado extrapolar.

“Aguarde e espere a outra pessoa também se manifestar, ver de que jeito ela vai avaliar como foi o encontro. Assim você pode ver quais são os pontos fortes e fracos. Não ficar na marcação pelo telefone ou redes sociais para marcar outro encontro. As coisas devem fluir com uma certa tranquilidade e naturalidade”, orienta a especialista do Solteiros50.

Informe-se

mulher computador lendo

O ideal é procurar o máximo de informação possível da pessoa, passar alguns dias até fazer uma manifestação e fazer um novo convite para sair. “Tudo com calma porque pessoas com mais de 50 são pessoas que costumam ter mais maturidade, não são muito aflitas, sabem esperar o melhor momento para reagir”, destaca Carla.

As regras para encontros marcados pelos sites de relacionamento ou internet, em que o contato é distante, continuam sendo as mesmas. O primeiro encontro de praxe deve ocorrer num lugar público. Não ir direto num motel ou local desconhecido, porque é um pouco complicado. “Mesmo que já tenha conhecido no site de relacionamento, ainda assim é necessário ter cuidado”, observa a consultora do Solteiros50.

Ela, no entanto, reforça que pessoas com mais de 50 anos, muitas vezes, ficaram presas num relacionamento por muito tempo e podem perder o jeito de lidar com as malícias do dia a dia, ainda mais dos momentos que a gente se encontra hoje. “Então, procurar marcar um encontro num lugar público para conhecer e ter mais segurança, principalmente as mulheres, e só quando estiver segura partir para uma situação posterior, de mais intimidade e tudo mais”, completa.

Benefícios

casal na cama iStock
iStock

Segundo Carla, os benefícios são muitos quando se recomeça a viver numa perspectiva de se relacionar novamente. Primeiro, porque o bom humor se faz presente, a autoestima se mantém alta, porque a pessoa vai querer se cuidar, mas vai cuidar não só da aparência física como também de sua saúde física e mental. Poderá procurar uma psicoterapia, fazer uma atividade física e criar seu nível com as pessoas, ter relacionamento social, ficando mais disposta e mais alegre.

“Tudo resulta em qualidade de vida. A manutenção de relacionamentos seja social ou sexual são positivos e podem trazer mais ânimo e a pessoa estará mais disposta para tudo. De modo geral, ela passa a investir mais nela mesmo em todos os sentidos, espiritual, físico e mental”, finaliza a sexóloga e terapeuta de casais do Solteiros50.

carla cecarello
Carla Cecarello

Fonte: Solteiros50

O sexo e a síndrome do intestino irritável

“Minha SII parece incendiar-se depois de eu ter tido relações sexuais. Isso me afastou de qualquer ideia de sexo. Como posso lidar com essa situação?”

 

casal-separado

Sexo e comida são os nossos dois impulsos essenciais e também são dois dos fatores principais associados com à SII, mas apenas um deles é realmente falado. O sexo permanece privado e secreto, mas é ainda mais poderoso. Quando questionados, um terço das mulheres e uma fração muito menor de homens com a síndrome, admitem que o sexo é um problema, mas isso ainda parece subestimado.

Eles relatam que a SII corrói qualquer desejo que tenham por sexo, que a relação sexual em si é dolorosa e dolorida e que depois o estômago fica perturbado por dias. Embora muitos digam como o sexo piora a dor e o inchaço, algumas mulheres nos disseram que fazer sexo pode causar um ataque de diarreia. Um episódio de incontinência pode matar qualquer paixão em segundos. A constipação, por outro lado, pode tornar a penetração difícil e dolorosa.

casal-cama-separado

O sexo é o drama e o quarto é o teatro. Como o intestino irritado, o sexo é uma interação complexa de ação e emoção. Durante a construção do sexo, os sentimentos de desejo aumentam a atividade dos nervos parassimpáticos, o mesmo sistema que facilita a digestão e o movimento intestinal. O desejo também libera o hormônio do amor, a oxitocina, que facilita o apego e altera a fisiologia reprodutiva.

Essas ações fazem com que o clitóris inche e se torne sensível, aumentando o fluxo sanguíneo vaginal, a secreção e a sensibilidade, relaxando as fibras musculares vaginais e inibindo o tônus ​​dos músculos estriados do assoalho pélvico e do períneo, o que torna a mulher receptiva. Mas não é apenas uma questão de fisiologia, ela também precisa estar aberta emocionalmente. Se houver muito medo ou desconfiança, a fisiologia simplesmente não funcionará.

Ações análogas nos homens fazem com que o pênis inche e se torne rígido, aumentando o fluxo sanguíneo para este órgão e reduzindo seu escoamento, prendendo-o nos espaços entre uma rede de cartilagem. O desejo também aumenta a secreção de líquido rico em potássio das vesículas seminais e da próstata, enquanto as contrações dos ductos deferentes impulsionam esse fluido para um bulbouretral, um reservatório, logo abaixo da próstata. O medo e a desconfiança inibem todas essas ações, deixando o pênis flácido.

A estimulação regular do pênis, do clitóris e da vagina durante a relação sexual aumenta esses efeitos. A oxitocina se constrói junto com uma mistura do sistema nervoso simpático, a excitação aumenta em um crescendo e, no orgasmo, o fluido seminal é bombeado por contrações regulares do músculo bulbocavernoso por meio da uretra e depositado no alto da vagina. Se o momento for correto, ocorrem contrações orgásmicas semelhantes nas mulheres, aumentando a excitação e a ligação.

Os casais geralmente se sentem relaxados e sonolentos após a relação sexual. Durante esse sono pós-coito, a oxitocina relaxa o colo do útero e contrai o útero ritmicamente, fazendo com que a poça de sêmen na parte de trás da vagina ao redor do colo do útero seja sugada para dentro do útero e da trompa de Falópio, onde, se o sexo tiver ocorrido na época da ovulação, o espermatozoide pode encontrar um óvulo e a concepção ocorrer.

casal-relacionamento

Uma mulher pode permanecer em um patamar sexual elevado e receptivo por algum tempo e pode atingir o orgasmo várias vezes, cada vez aumentando a chance de concepção. Enquanto isso, seu parceiro pode ter se tornado refratário, perdeu o interesse e foi dormir. Você pode pensar que isso permitiria que as mulheres escapassem da cama e procurassem outro parceiro aumentando suas chances de concepção. Fenômenos semelhantes ocorrem em alguns mamíferos e aves promíscuos. A fisiologia não está em conformidade com a moralidade e é sempre oportunista.

Isso tudo é muito interessante, você pode exclamar, mas o que isso tem a ver com a minha síndrome? Bem, a excitação durante a estimulação pode transbordar para outros órgãos abdominais ou pélvicos, por meio de conexões neurais na medula espinhal, aumentando a sensibilidade do intestino e provocando sintomas da SII, que se distraem dolorosamente do prazer. Também pode estimular contrações e secreções no intestino para que o orgasmo possa ser acompanhado da liberação de mais do que espermatozoides. Isso pode tornar o que deve ser o epítome do prazer, uma crise de medo e vergonha.

A SII é sempre acompanhada por um grau de ansiedade. Também pode haver sentimentos negativos ou ambivalentes em torno da ideia e do ato sexual: eu serei bom o suficiente? Ele realmente me ama? Eu o amo? Eu realmente quero fazer isso? É meu dever? Tenho medo de engravidar? Há mais pensamentos e sentimentos conflitantes em torno da ideia de sexo do que qualquer outra função fisiológica.

Não é apenas uma função fisiológica, o apego e identificação com a pessoa amada, a maneira como ela é vista, a maneira como ela fala, nossas fantasias podem alimentar a experiência, aumentando a tensão e o prazer, mas induzindo sentimentos negativos que tão facilmente estragam as coisas, inibindo a tumescência e a lubrificação durante a excitação, contraindo os músculos ao redor da vagina (vaginismo) suprimindo o orgasmo ou precipitando-o, ou apenas tornando-o um trabalho e não um prazer. “Meu marido e eu vamos tentar um bebê de novo hoje à noite.”

Ansiedade durante a relação sexual geraria conflitos no intestino da mesma forma que a ansiedade durante uma refeição; um antagonismo entre os ramos simpático e parassimpático do sistema nervoso autônomo. Há muito o que dar errado e tanta vergonha, embaraço e culpa.

O sexo também é uma das principais causas de trauma. Mais abuso e coerção sexual acontecem atrás de portas ou em quartos de hotel do que gostaríamos de ouvir. Meninas jovens vulneráveis, quase na puberdade e algumas até mais jovens, podem estar expostas ao aliciamento na Internet, à pressão dos colegas nas redes sociais, ao abuso sexual e à coerção e à desinibição de drogas recreativas. Reguladores tradicionais do comportamento sexual, a igreja, a lei, os pais e a escola não são mais eficazes.

Muitas mulheres tiveram algum prazer sexual prejudicado pela experiência sexual traumática no início da vida. Como resultado, o sexo sempre foi manchado pelo medo, de modo que o prazer é suprimido, tanto que as mulheres afetadas se fecham e tornam-se não receptivas, secas e tensas, de modo que o sexo é doloroso, se não impossível. Como o controle neural do reto e da vagina é muito semelhante, efeitos análogos podem ocorrer no intestino, causando falta de secreção, peristaltismo deficiente e contração paradoxal do esfíncter anal (anismus), o que torna a defecação muito difícil.

Tem sido relatado que mais de 40% das mulheres que sofrem de distúrbios anorretais inexplicáveis ​​têm uma história de abuso sexual. O ato sexual anal também é mais comum do que é geralmente reconhecido, adicionando a possibilidade de dano físico ao reto e ânus ao trauma psicológico.

casal-dormindo

O trauma sexual não afeta apenas meninas jovens; meninos e homens jovens também podem ser afetados. Estima-se que cerca de 10% dos homens são abertamente homossexuais e alguns são predatórios (embora, eu acrescente, este não é um estereótipo). Jovens garotos vulneráveis ​​podem ser estuprados e maltratados de outra maneira, principalmente, mas não apenas, em ambientes institucionais.

Jovens vulneráveis ​​também podem ser traumatizados pelas exigências sexuais e por  mulheres predatórias. Na área do sexo, tudo é possível e a maioria das coisas acontece. O que deveria ser um jardim de prazer pode se tornar uma zona de guerra e resultar em distúrbios no intestino e na função da bexiga em ambos os sexos.

Eu me concentro nos aspectos psicológicos da disfunção sexual e retal, porque isso é mais comum, mas é importante não ignorar a possibilidade de uma doença física afetar ambos. A menos que você tenha sintomas óbvios como corrimento ou sangramento, é improvável que você tenha alguma outra doença, por meio de algumas possibilidades que precisam ser consideradas.

A endometriose geralmente causa dor, especialmente no momento da menstruação, embora tenha um distúrbio na motilidade da trompa de Falópio análogo aos distúrbios na motilidade do cólon na SII, que permitiram que o endométrio perdido fosse refluído para os tubos e aderisse a alças intestinais. Os cistos ovarianos podem tornar o sexo desconfortável e podem estar associados ao inchaço. Os ovários policísticos (síndrome de Stein Leventhal) podem prejudicar a função sexual, causar infertilidade e, muitas vezes, SII.

Pesquisas recentes sugerem que distúrbios no tecido elástico associados à dupla articulação (Síndrome de Ehlers Danlos) podem tornar o sexo difícil e induzir à constipação. Mas coisas comuns ocorrem e as conexões entre a experiência de uma pessoa, sua emoção e função pélvica parecem ocorrer com muito mais frequência.

casal dançando pixabay

Para a maioria das pessoas, a reversão da função sexual e intestinal requer primeiro um reconhecimento do problema e, depois, trabalhar com o corpo por movimentos rítmicos, caminhar, dançar, dessensibilizar os movimentos dos olhos, trabalhar os pontos de acupuntura, desenhar, fazer música, o que for que funcione individualmente para obter um senso confiante de sua própria identidade que lhes permita explorar e falar sobre o que aconteceu.

Com o tempo, com essa abordagem, a tensão emocional pode desaparecer e o corpo relaxar e começar a funcionar normalmente, mas, às vezes, pode ser necessário que a pessoa se sinta forte o suficiente para se afastar de uma situação que as traumatize novamente.

Texto original retirado de: The Sensitive Gut – blog do médico gastroenterologista, nutricionista e fisiologista norte-americano Nick Reed.