Arquivo da categoria: Vegetariano

Domingo tem encontro vegano de verão

No dia 19 de janeiro, domingo, será realizado o “Encontro Vegano de Verão JMA”, que reunirá expositores de diferentes segmentos, palestras, workshop, bazar e muito mais. O intuito é de promover uma tarde de muitas atrações e reforçar o compromisso com o Veganismo, preservação do meio ambiente, saúde e, principalmente proteção aos animais para que não sejam explorados.

Tradicionalmente, os eventos organizados pelo Encontro Vegano JMA J’adore Mes Amis começam com aulas de Yoga Clássico, que são ministradas pelo professor Cláudio Duarte. Este não será diferente, e os interessados podem ir direto à Sala Vegan, no segundo andar para participarem dos exercícios propostos. Horário das 10 às 12 horas.

A partir do meio-dia, o público terá acesso aos stands de marcas que prezam por promoverem produtos sem origem animal. Entre eles: maquiagens, roupas, acessórios, alimentos, utensílios, entre outros. Para conferir as novidades, os participantes só precisam circular pela área térrea do prédio para aproveitar diversas opções.

encontro vegano 2

Para complementar a tarde de contato direto com esse estilo de vida, os organizadores também prepararam duas palestras, uma roda de conversa e um workshop. Para que seja possível compartilhar conhecimento e esclarecer dúvidas, Renata Porto de Menezes, pós-graduada em Cosmetologia, ministrará a palestra “Proteção Solar com produtos veganos” para demonstrar como é possível aproveitar o clima tropical do Brasil sem deixar de lado o ativismo em prol dos animais.

encontro vegano 3

Na sequência, Yo Takase, samurai, atleta vegano e ativista, contará sua história de superação ao enfrentar 3 anos sem andar, após sofrer um acidente, bem como explanará sobre “Dieta Vegetariana e Desempenho no Esporte”. Ao lado dele, a nutricionista Ana Cláudia Abreu contribuirá com o tema proposto e demonstrará como é possível ser saudável e ter um alto desempenho no esporte.

Um tema de suma importância será tratado, durante a roda de conversa, entre a massagista Kau Murua e a jornalista Luciana Teixeira Moraes, que unirão a segunda profissão que exercem: ser doulas. A profissão traz conforto e orientação afetuosa para que as mães consigam ter um parto mas humanizado e tranquilo.

VEGANO ENCONTRO11

Para finalizar, a Sala Vegan receberá um workshop de maquiagem vegana com Juliana Santana, que desde 2016 somente utiliza produtos não testados em animais em seu salão de beleza. A ideia é demonstrar como é possível fazer uma maquiagem bonita, durável e com um excelente resultado.

Um destaque que vale a pena ressaltar é sobre a preocupação de realizar o Encontro Vegano de Verão de um modo acessível, por isso, todas as palestras terão a tradução em Libras.

cartaz encontro vegano

Encontro Vegano de Verão
Quando: 19/01 (domingo)
Horário: das 12h às 10 horas
Endereço: Rua Joaquim Távora, 605 – Vila Mariana
A maioria dos expositores aceita cartão de crédito
WhatsApp (11) 99656-4844

Janeiro tem Festival do Poke na rede Jin Jin

A estação mais quente do ano chegou e a Jin Jin lança mais uma campanha sazonal que promete agitar todas as lojas em janeiro: o Festival do Poke 2020.

Nesta ação, as lojas vão oferecer os pokes de Salmão Misto, Ceviche e as novidades: Vegetariano e Tropical. O objetivo do Festival do Poke é apresentar um produto diferente e típico do verão para novos clientes e também agregar valor à experiência dos clientes fiéis.

O prato, degustado pelos havaianos há centenas de anos, tem como grande estrela o peixe cru. Qual a razão do sucesso do poke? Maurício Albuquerque, superintendente da Jin Jin, explica: “É uma comida leve e saudável, acompanhada do tradicional shari (arroz para sushi), frutas como abacaxi e manga e vegetais. O prato de sucesso mundial ganha um toque especial da Jin Jin, com as novas opções tropical e vegetariano este ano”.

Conheça mais detalhes de cada poke:

poke salmao misto.png
Salmão Misto – salmão, salmão grelhado com molho tarê, cream cheese, salmão skin, pepino, couve crispy e shari.
Ceviche – ceviche, manga, sunomono, nachos, cream cheese e shari.
Tropical – salmão crispy com molho tarê, salmão cru, abacaxi caramelizado, chips de batata doce, kani, pepino e shari.

poke vegetariano.png
Vegetariano – shimeji, berinjela crispy, sunomono, mix de salada, tomate cereja e shari.

O Festival do Poke 2020 vai até 27 de janeiro. As lojas participantes podem ser conferidas no site.

 

Porks também tem hambúrgueres vegetarianos

O burguer, que pode ser adicionado em três preparos, é desenvolvido com nove ingredientes e está disponível em todas as unidades da rede

Tem novidade na rede Porks: um dos principais fenômenos da gastronomia curitibana, que nos últimos meses começou a se espalhar pelo Brasil, ganhou opções vegetarianas. O burguer vegetariano do empreendimento, que poderá ser adicionado em três preparos, conta com uma receita especial, desenvolvida com nove ingredientes: feijão fradinho, grão de bico, cenoura, abobrinha, berinjela, pimenta dedo de moça, curry, louro, tomilho e páprica defumada.

Para saborear o novo preparo do Porks, basta solicitar a versão vegetariana no momento da compra de três hambúrgueres tradicionais da casa: o Porks Bacon Burger (R$ 10), que acompanha creme de cheddar; o Oldwest Burger (R$ 12), que leva queijo canastra, geleia de pimenta e rúcula; e o Pururuca Burger (R$ 12), feito com molho BBQ e queijo mozzarella. Propondo uma harmonização completa, a rede também oferece diversas opções de chopes artesanais com preços a partir de R$ 8.

“O número de pessoas que não consomem carne cresce consideravelmente em todo o planeta, e nós precisamos atender este público. Pensando nisso, desenvolvemos vários testes até chegar em uma receita exclusiva e mega saborosa, que vai surpreender quem ama hambúrguer. Unimos ingredientes de qualidade com o nosso histórico de excelência. O resultado foi extremamente satisfatório e agora poderá ser saboreado em todas nossas unidades no país”, conta José Araújo Netto, fundador da rede Porks – Porco & Chope.

PORKS_VEG_BURGER.png

As opções vegetarianas da rede Porks estão disponíveis em todas as unidades nas cidades de Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Piracicaba (SP) e Brasília (DF). Mais informações nas redes sociais do empreendimento.

Moqueca de Banana da Terra: prato vegetariano ganha destaque na ceia de Ano-Novo

Chef de Cozinha explica relação com gastronomia de origem vegetal e ensina receita

A culinária de origem vegetal sempre esteve presente na vida do chef de Cozinha Renato Vaiano que, apesar de não ser totalmente adepto a essa opção alimentar, sempre foi grande apreciador da modalidade gastronômica. “Desde criança, pelo menos uma vez ao mês, nós íamos até um restaurante vegetariano localizado no Rudge Ramos, bairro do ABC Paulista. A partir daí, fui me habituando aos novos sabores e texturas”, relembra o profissional.

Há alguns anos, após ter seu segundo filho, a relação com a gastronomia vegetariana se estreitou ainda mais quando descobriram que o pequeno tem intolerância a alimentos proteicos, como ovo, leite e oleaginosos. “Me senti perdido, porque embora já tivesse contato com pratos sem proteína animal, ainda conhecia muito pouco sobre essa cozinha. Então, comecei a estudar muito e a gostar do estava descobrindo.”

Desde então, todos os menus criados por Vaiano levam opções vegetarianas e veganas e, com a chegada das festas de final de ano, um prato em especial vem ganhando destaque no cardápio desenvolvido exclusivamente para as ceias de Natal e Ano-Novo.

Ao contrário do estereótipo sobre a culinária vegetariana que muitas pessoas ainda têm, esta opção alimentar não significa fazer dietas restritas. “A verdade é que este é um campo que está em sua fase embrionária, a indústria alimentícia ainda não conseguiu adequar o seu processo produtivo a demanda. As pessoas ainda acham muito complicado somar três ingredientes ou mais para se tornar um, entretanto, a falta de tempo também é obstáculo. Sendo assim, procuro apresentar receitas fáceis para que mais pessoas se lancem a esta experiência tão rica”, encerra Vaiano.

A seguir, o chef explica como fazer a Moqueca de Banana da Terra que, com certeza, vai conquistar o paladar e coração de muitos convidados.

Moqueca de Banana da Terra

Ingredientes:

1kg de banana da terra madura
2 dentes de alho amassados
3 cebolas em rodelas
1 pimentão vermelho em rodelas
1 pimentão amarelo em rodelas
5 tomates picados
1 maço de coentro picado
2 colheres de sopa de salsinha picada
2 colheres de sopa de manjericão picado
1 xícara de leite de coco
1 pimenta dedo de moça picada sem sementes
suco de 2 limões
Sal a gosto
Azeite a gosto
Azeite de dendê a gosto

Modo de preparo

Inicialmente, é preciso cortar a banana em fatias e depois misturá-la com sal, suco de limão e alho, deixando marinar por uma hora. Em seguida, é necessário refogar a cebola, os pimentões e o tomate no azeite por aproximadamente cinco minutos e, então, acrescentar uma pitada de sal. Após esse tempo, desligue o fogo e adicione coentro, salsinha e manjericão. Em uma panela de barro ou de pedra, coloque uma cama do refogado e uma cama de banana, as intercalando. Regue com o leite de coco e deixe cozinhar por 20 minutos em fogo baixo. Nos últimos cinco minutos, acrescente o azeite de dendê.

Tempo: em torno de 35 a 40 minutos

moqueca de banana da terra

 

Dicas

“Se quiser deixar a moqueca ainda mais rica em sabores e texturas, acrescente um caju cortado em cubos e 200g de palmito pupunha fatiado em tiras, junto com o refogado” recomenda o Chef, como dica extra sugere ainda: “para acompanhar o prato, sirva arroz branco ou uma boa farofa, e para fechar com chave de ouro, harmonize a receita com uma taça de vinho branco seco, uma cerveja pilsen ou de trigo.”

A Moqueca de Banana da Terra deve ser mantida sob refrigeração, caso não seja completamente consumida nas ceias de final de ano, e pode ficar até, no máximo, dois dias na geladeira.

 

Cinco dicas para um Natal vegetariano perfeito

Especialista em nutrição do Freeletics mostra que os vegetarianos não precisam sair em desvantagem ao aproveitar a ceia de Natal

De 2012 a 2018, estima-se que o número de vegetarianos no Brasil subiu cerca de 75%, com cerca de 30 milhões de brasileiros se considerando adeptos a essa opção alimentar, atualmente. Com tantas pessoas aderindo ao modo de vida sem carne, as ceias de Natal das famílias precisam ser adaptadas. Diante disso, David Wiener, especialista de nutrição do Freeletics, aplicativo líder em exercícios físicos e nutrição com uso de inteligência artificial, dá algumas dicas práticas para preparar uma ceia de Natal vegetariana, ou adaptar a tradicional ceia da família para o seu novo estilo de vida, sem perder em sabor.

1. Aproveite o recheio

farofa-de-calabresa

Uma das tradições favoritas da refeição de Natal é rechear uma carne assada. São muitas as opções de recheio: farofa, batatas, cogumelos e diversos legumes – como brócolis ou cenoura. A dica para os vegetarianos é aproveitar o recheio, sem a carne. Caso a ceia seja compartilhada com quem come carne, basta reservar uma parte do recheio para comer separadamente.

2. Batatas são versáteis

prato vegetariano.jpg

A batata é um dos alimentos mais versáteis para quem não come carne. Ela pode ser aproveitada de diversas formas. Assada, frita, cozida ou até mesmo como um purê, ela torna-se um acompanhamento perfeito e fácil de fazer para a ceia de Natal. Investindo em temperos o prato com batatas fica ainda mais sofisticado.

3. Aproveite os ingredientes típicos

arroz com castanha e frutas secas foodneverythingelse
Foto: Foodneverythingelse

Para garantir que a ceia refeição tenha o sabor familiar de Natal é preciso acionar os clássicos: canela, cravo, nozes e frutas secas são o segredo. Para que não estejam acompanhados de carne, eles podem ser adicionados na salada, arroz ou até mesmo nos legumes.

4. Molho vegetariano

caldo vegetal eatingwell
EatingWell

Outra atração natalina é o molho feito a partir do caldo que a carne libera quando é assada. O vegetariano pode adaptar essa receita fazendo um caldo de legumes para servir como base do molho. Em uma panela, refogue cebolas até caramelizarem. Acrescente, cogumelos, uvas passas, se desejar, e extrato de tomate. Aos poucos, adicione o caldo de legumes e ferva a mistura até reduzir. Tão apetitoso como o original, esse molho vai dar vida à refeição.

5. Transforme os vegetais na atração principal

legumes assados - thats some good cookin
Tthat’s some good cookin’

O mais comum é usar os vegetais como acompanhamento, mas para quem aderiu a um estilo de vida sem carne, é preciso transformá-los na atração principal. Assando-os com ervas frescas e mel e raspas de limão ou laranja, por exemplo, é possível dar um toque extra de sabor nos legumes e a variedade é bastante ampla. Abóbora, cenoura, repolho, berinjela ou abobrinha são apenas algumas opções.

Fonte: Freeletics foi construído a partir de uma única visão: desafiar e inspirar pessoas para que se tornem a melhor versão delas mesmas. Freeletics é o criador de alguns dos principais aplicativos fitness da Europa, promovendo e aumentando a aptidão física, assim como força mental, força de vontade e autoconfiança – todas ferramentas vitais para seguir a vida de acordo com seus desejos e metas. Fundada em 2013, a companhia já criou um dos mais bem sucedidos movimentos fitness no mundo, com 34 milhões de usuários em 160 países diferentes.

Cinco dicas nutricionais para quem deseja se tornar vegano

Nutricionista cadastrada na GetNinjas esclarece algumas das dúvidas mais comuns apresentadas por quem deseja abolir a proteína animal da dieta

Impulsionada pela crescente preocupação com o meio ambiente, a alimentação vegana vem conquistando cada vez mais adeptos. Apesar de não existirem dados oficiais, a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) estima que cinco milhões de brasileiros sejam veganos.

Substituir uma dieta onívora por uma vegana pode ser uma mudança e tanto. Por conta disso, é recomendada que a transição seja feita com cuidado e, de preferência, com a supervisão de um profissional.

“Primeiro de tudo, é preciso uma reeducação alimentar para adaptar o corpo à mudança”, afirma Alice Cristina Coca, nutricionista que atende pelo GetNinjas, maior aplicativo de contratação de serviços da América Latina. A pedido do app, a especialista respondeu algumas das dúvidas mais comuns apresentadas pelos iniciantes na alimentação vegana. Confira abaixo:

1 – Frequentar restaurantes veganos ajuda no processo?

latife22
Sim, pelo fato de estimular a familiarização com outras texturas e gostos. Além de tomar contato com uma uma gama diferente de pratos, frequentar um restaurante vegano pode incentivar a aprender a cozinhar novas combinações saborosas e práticas.

2 – Ao começar, eliminar a proteína animal de uma vez ou aos poucos?

Vegano 09

Segundo a profissional, a decisão varia de acordo com estilo de vida de cada pessoa. Aqueles que estão com uma boa condição de saúde e têm hábitos alimentares saudáveis podem tirar a carne de uma vez. Para os que possuem uma alimentação defasada, ou seja, que apresenta a falta de alguns nutrientes, é recomendado substituir a proteína animal aos poucos.

3 – É preciso ingerir suplemento vitamínico?

suplemento omega 3
Algumas vitaminas só estão presentes em carnes, vísceras e ovos, tais como as do complexo B. Por isso, é necessário repor essas vitaminas de alguma maneira, seja com substituições ou a partir do consumo de suplementos. Outro ponto que pode ser determinante para a adoção de um suplemento é a fase da vida na qual o vegano se encontra. Dependendo da faixa etária, o metabolismo necessita de diferentes vitaminas para manter seu bom funcionamento. Uma mulher vegana grávida e um idoso vegano têm necessidades nutricionais distintas. Por conta dessas especificações, é recomendado agendar uma consulta com um nutricionista.

4 – É necessário fazer acompanhamento nutricional?

mulher consulta medica
Foto: Is-Med.com

É importante porque o acompanhamento de um profissional garantirá à pessoa a elaboração de um plano alimentar personalizado ,e com a indicação de todos os nutrientes necessários para o seu organismo. Sem o devido acompanhamento e adaptação, os iniciados na dieta vegana correm o risco de desenvolver doenças devido à falta ou ao excesso de nutrientes. “A deficiência de vitamina B9, por exemplo, pode gerar depressão e doenças psiquiátricas”, alerta a profissional.

5 – Quais alimentos não podemos deixar de consumir?

soja
Uma alimentação vegana não pode excluir a proteína vegetal, que pode ser encontrada em legumes e verduras. Além disso, a nutricionista ressalta a importância da inclusão da soja na dieta, que tem todos os nutrientes presentes na proteína animal. A profissional indica o consumo da soja orgânica, que não envolve agrotóxicos.

Para saber mais informações sobre a dieta vegana, consulte um nutricionista. No GetNinjas, você encontra profissionais em diversas regiões do país.

Dezembro terá última edição da “Superbom Aberta” de 2019

Fábrica de alimentos saudáveis abre as portas para oferta de produtos a preços promocionais

A “Superbom Aberta”, evento realizado pela empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, será realizada nos próximos dias 6 e 8 de dezembro. O objetivo é ofertar produtos da marca com descontos de até 50% em comparação com os pontos de venda. Ao todo, são mais de 175 de produtos do portfólio da marca disponíveis para compra.

Frango-Vegano-400g-Superbom.png

Entre os itens com desconto, destaque para o Frango Vegano em pedaços, com características idênticas às da carne animal, além de outras proteínas vegetais como o Burger Gourmet, Coxinha, Steak sabor peixe, Burger de Grão-de-bico, todos 100% plant-based.

superbom

De acordo com o diretor de marketing da empresa, David Oliveira, o evento é uma oportunidade para os consumidores encontrarem todo o portfólio da Superbom em único espaço, uma vez que queijos veganos, sucos integrais, snacks, granola, geleias e outros produtos também estarão disponíveis.

O evento ainda terá outras atrações gastronômicas como degustação dos itens Superbom e food truck com comidinhas veganas e vegetarianas.

A fábrica da Superbom está situada no Capão Redondo, em São Paulo. O evento ocorre no dia 6 de dezembro, sexta-feira, das 8 às 14 horas, e no dia 8, domingo, das 8 às 16 horas.

Serviço “Superbom Aberta”
Local: Rua Domingos Peixoto da Silva, 245 – Capão Redondo/ SP, próximo à estação de metrô Capão Redondo da linha lilás.
Data: 6 de dezembro
Horário: das 8h às 14h, e 8 de dezembro, das 8h às 16h
Estacionamento gratuito.

Flormel lança caixas personalizadas para público com restrição alimentar

A Flormel começou a vender em seu e-commerce, para todo o país, quatro caixas temáticas visando satisfazer necessidades específicas cada vez mais comuns entre os consumidores: zero adição de açúcares (Doces Momentos), sem glúten (Delícias Sem Glúten), sem lactose (Lac Zero) e vegetariano (Vida Veg).

O lançamento comercial integra o projeto Flormel do Meu Jeito, que reforça o zelo cultivado pela empresa para com seus públicos, desta vez oferecendo caixas de produtos selecionados pela equipe de nutricionistas para atender as demandas de quem tem restrição alimentar e, assim, facilitar a escolha e a compra.

“Este segmento de mercado é tendência no mundo e o Brasil vê essa demanda crescer a cada ano. Alguns fatores ajudam como a maior preocupação com o consumo consciente, a popularização do conceito clean label e o boom do estilo de vida saudável que reflete imediatamente na alimentação”, avalia Alexandra Casoni, CEO da empresa que é líder nacional em sobremesas sem adição de açúcares.

6 - BOX VEGETARIANO
Box Vegetariano
2 - BOX 0 ACUCAR
Box Zero Açúcar
8 - BOX ZERO GLUTEN 1
Box Zero Glúten

 

4 - BOX LACTOSE
Box Zero Lactose

As novas caixas custarão R$ 129,90 e são compostas de produtos que conquistaram o paladar de crianças, adultos e idosos, tais como chocolates, cremes de avelã, doces tradicionais, bombom, chips de coco, crispy de ervilha, crispy de grão de bico, barras de castanha e bananada. Além do mix selecionado, os 50 primeiros compradores ganharão uma lancheira exclusiva da Flormel.

Tendências do Mercado de Alimentação Saudável

• Segundo dados da pesquisa Q.Trends, realizada em 2017 pela consultoria Equilibrium, 49% dos brasileiros se mostram preocupados em consumir produtos mais saudáveis, embora o sabor ainda seja o fator determinante para a escolha. A mudança de comportamento também foi impulsionada pelos “processados do bem”, produtos com ingredientes mais naturais e inovadores contendo rótulo com comunicação mais transparente (clean label).

• Segundo dados da Euromonitor Internacional, as vendas de produtos naturais, orgânicos e funcionais movimentaram R$ 93,9 bilhões no Brasil em 2018, com um crescimento médio de 8,8% ao ano.

• Em 2015, a mesma Euromonitor mostrou que o Brasil ocupava o 5º lugar no ranking de vendas para o mercado de saudáveis, com crescimento de 98% entre 2009 e 2014.

• As soluções customizadas também decorrem de um maior nível de conhecimento do consumidor sobre valor nutricional, funcionalidade, saudabilidade e sustentabilidade, além de o consumo ser cada vez mais uma maneira de fortalecer a identidade cultural pessoal e tribal.

• Segundo pesquisa do Ibope Inteligência e da Sociedade Vegetariana Brasileira, realizada em 2018, cerca de 30 milhões de pessoas ou 14% da população brasileira declaram-se adeptas ao vegetarianismo, o que justifica a notoriedade crescente de entidades como a SVB. A pesquisa ainda diz que 55% dos entrevistados consumiriam mais produtos veganos se estivessem indicados na embalagem.

• A Q.TRends 2017-2018 também aponta outras tendências: em alguns países estrangeiros como os Estados Unidos tem crescido a inclusão de etiquetas veganas nos produtos; e o mercado se prepara para o desafio de atender os chamados flexitarians, as pessoas que substituem parcialmente o consumo de produtos de origem animal por alternativas mais naturais ou veganas.

• Já a versão 2018-2019 da Q.TRends indica que a categoria snack industrializado tem a maior taxa de crescimento da indústria alimentícia e abre espaço para a criatividade e inovação. Dentre os entrevistados, 97% haviam consumido ao menos um produto deste tipo no último mês; 21% haviam ingerido mais snacks que o ano anterior, número que sobe para 32% entre os jovens.

Informações: Flormel

Dia Mundial do Veganismo: confira cinco mitos e verdades sobre o tema

Especialista esclarece principais dúvidas sobre o estilo de vida e hábito alimentar que exclui carnes e derivados de animais

Celebrado em várias partes do mundo, 1º de novembro é dedicado ao Dia Mundial do Veganismo, estilo de vida que exclui o consumo de qualquer produto de origem animal. Apesar do assunto estar em alta, com a manifestação inclusive de celebridades que estão, aos poucos, tirando carne animal da alimentação, ainda restam muitas dúvidas sobre o que é o veganismo.

Por isso, Jessica Santos, nutricionista da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, explica alguns mitos sobre o assunto:

Adotar uma alimentação vegana pode ser mais saudável.

pad_thai_vegano

Verdade. Quando a substituição da carne é feita com sucesso dentro uma alimentação balanceada com a ingestão de verduras, grãos e leguminosas, esse hábito se traduz em uma melhora significativa, tanto da saúde física como emocional.

O veganismo se restringe apenas aos hábitos alimentares.

rato laboratoria teste_em_animais

Mito. “Ser vegano não está relacionado apenas com a alimentação, mas sim com um estilo de vida, que procura evitar o consumo de produtos ou marcas que envolvam a exploração de animais para a fabricação, sejam eles alimentícios ou não”, comenta a nutricionista da Superbom.

Ovolactovegetarianismo é diferente do veganismo.

farinha ovos receita
Fotos: FreeFoodPhotos

Verdade. Quando alguém se declara como ovolactovegetariano exclui proteína animal do cardápio, ou seja, não come nenhum tipo de carne, mas continua comendo ovos, laticínios e outros derivados dos animais. Já veganos excluem qualquer derivado de animal.

Plant-based e veganismo são iguais.

plantmade 12

Mito. Apesar de ambos excluírem carne ou derivados de animais do cardápio, a alimentação plant-based tem como princípio o consumo de produtos de origem vegetal, priorizando sua forma mais natural possível. Além da busca por uma alimentação saudável, quem segue uma dieta plant-based também procura melhorias quanto à qualidade de vida e ao meio ambiente.
Atletas amadores e profissionais não podem ser veganos.

Carl-Lewis-head-shot_mini-363x499
Carl Lewis é um atleta norte-americano, vegano, que ganhou dez medalhas olímpicas, nove delas de ouro

Mito. Não há nada que impeça praticantes de atividades físicas de adotarem uma alimentação livre de derivados de animais. Inclusive, atletas veganos podem ter mais energia e tempo de recuperação muscular menor. “Para quem busca excluir carne animal do próprio prato, adotar o consumo equilibrado de verduras, grãos, frutas e, principalmente, leguminosas, pode ser suficiente para suprir as necessidades de nutrientes que o organismo precisa”, conclui.

Sugestão de produtos para quem busca reduzir o consumo de carne

Superbom.jpg

O Burger Gourmet Vegan Superbom é semelhante ao de origem animal, porém feito à base de ervilha e saboroso, ideal para composição de lanches saborosos e nutritivos.

Superbom-para-press-manager

Outras opções de proteínas plant-based são: a minicoxinha vegana, a steak vegano sabor peixe e o frango vegano em pedaços. Todos feito à base de proteína da ervilha com características e sabor semelhantes dos produtos de origem animal.

Queijos veganos Superbom

queijos superbom.jpg

Queijos veganos da Superbom disponíveis nos sabores cheddar, prato, mussarela, provolone, parmesão e na versão gourmet brie, cheddar, parmesão e mussarela.

Fonte: Superbom

Opções saborosas para aproveitar a “segunda sem carne”

Eliminar totalmente a carne das refeições não é uma tarefa fácil para a maioria das pessoas. Por isso, o movimento “Segunda sem Carne” vem ganhando cada vez mais adeptos. A campanha incentiva retirar a proteína animal pelo menos um dia na semana, além de conscientizar a população sobre o impacto do consumo de carne. Para os que entraram no movimento, há ótimas opções nos cardápios dos restaurantes de São Paulo. Confira:

Lolla.jpg

No restaurante Lolla, no Itaim, há entradas para compartilhar e pratos principais com um sabor único em sua maioria finalizados na parrilla e pit de defumação. Vale destacar a abóbora e cebola na brasa, hommus, dukka (R$ 25), a Tortilha de berinjela (R$ 18), servida em duas unidades com salsa de tahine, picles de couve flor, sumak e o Quiabo na brasa, missô e malagueta (R$ 17). De principal o chef prepara o arroz de cogumelos e ovo frito (R$ 49).

imakay.jpg

Para começar bem a semana, no Imakay – restaurante oriental com influência da cozinha peruana, também no Itaim – como prato principal, o tempura de vegetais (R$ 41) e a degustação de sushis (R$ 49) são apenas uma opção da sessão ”Go Veggie” que o endereço oferece.

kibe vegano.png

Conhecido pelos seus pratos orgânicos, o Le Manjue possui uma parte do cardápio somente com sugestões Plant Based, conceito usado para dietas baseadas em vegetais, grãos e alimentos na sua forma de origem. A sugestão é o Kibe vegano que é preparado com quinoa, painço e sorgo, envolvidos em biomassa de banana verde, suco de cambuci, cebola, hortelã, salsa e especiarias, servido com bionese de avocado e alecrim. Acompanha salada de folhas verdes com molho de cebola confit em caramelo de balsâmico, legume da estação ralado, tomatinhos frescos e amêndoas (R$ 50).

nobu.png

No icônico restaurante Nobu, nos Jardins, a chef Leticia Shiotsuka criou opções como Couve Flor Jalapeño, Salsa e Soy Salt (R$ 34); Nasu Misu (R$ 34), feito à base de berinjela e missô, produzido a partir da fermentação de arroz, cevada e soja com sal; New Style Sashimi de Tofu (R$ 26) e Vegetais da Estação com Spicy Garlic (R$ 38).

Bruno Lima – Palmito Pupunha
Foto: Bruno Lima

Localizado no Bixiga, o Jamile, uma das casas de Henrique Fogaça, prepara para o dia do detox as carnes, um palmito pupunha assado com óleo de castanha do Brasil e manjericão (R$ 28), para começar. O prato principal fica por conta do risoto de cogumelos com azeite e couve crocante (R$ 75).

noma sushi

O Noma Sushi desembarcou em São Paulo diretamente de Florianópolis trazendo em sua bagagem um menu diferenciado, com ingredientes da Ilha. As apostas são o Shimeji ou Shitake Vegano, feito com cogumelos salteados no óleo de coco, shoyu e sake (R$38); o Temaki Vegano, com brócolis, shimeji, edamame e tofu (R$ 36), além do Roll vegetariano, com shimeji e aspargo, laminados com abacate (R$ 32). Para finalizar, o Petit Gateau Fit para sobremesa, elaborado com chocolift Essential, cacau 100% puro barry callebaut, whey protein isolado, óleo de coco, adoçantes 100% naturais e 12% de proteína (R$ 22).

su restaurante
Inaugurado há poucos meses no Shopping Pátio Higienópolis, o restaurante Su também oferece opções sem carne em seu cardápio: o tradicional Aguêdofu – tofu empanado (R$ 19) e gunkans veganos de brócolis (R$ 16), edamame (R$ 16), shimeji (R$ 28) e wakame (R$ 29), entre outros.

Estrogonofe vegano.png

Se for ao Santo Grão, a sugestão é experimentar o menu assinado pela influencer Roberta Ferraz que possui alguns pratos veganos. De entrada, a sugestão é a salada Thai de legumes, que leva spaghetti de cenoura e abobrinha ao molho de shoyu de coco (R$ 33). Para o principal, vale apostar no estrogonofe vegano de palmito e cogumelos, com arroz de couve flor e chips de batata doce (R$ 47), livre de proteína animal. Para a sobremesa, o pavê na taça granola low carb é uma boa pedida e leva creme branco, morango e ganache de chocolate (R$ 28). O cardápio está disponível apenas na unidade do Itaim.

tadeu brunelli Ummi Finnest Sushi
Foto: Tadeu Brunelli

Aberto recentemente no bairro do Itaim Bibi, o Ummi Finnest Sushi também é opção para quem procura pratos sem carne. Em seu cardápio, o Shoujin Auge, o tempurá vegetariano (R$ 38) é a opção para quem quer aproveitar o movimento.

Marcio Shaffer - Gunkan de shimeji, edamame e brócolis
Foto: Marcio Shaffer

O restaurante Kitchin, com unidades no Itaim e no Shopping JK, oferece um menu vegano com diversas opções. Para começar, salada preparada com mix de legumes, mix de folhas, tofu e moyashi (R$ 25). Nos temakis, a sugestão é o de shitake (R$ 20). Grande variedade de niguiris integram o cardápio, como o de cenoura (R$ 12), de milho (R$ 15) e de aspargos (R$ 16). Para completar, a sobremesa fica por conta da Mousse de Chocolate Vegano, feita à base de tofu (R$ 21).