Arquivo da categoria: Vegetariano

Chefs renomados desenvolvem receitas com carne vegetal em desafio online

Profissionais irão apresentar suas criações em uma batalha no Instagram, que vai contar com a participação do público para escolher o prato vencedor

Nesta segunda-feira (18), chefs brasileiros renomados vão participar de uma batalha online, com receitas autorais veganas, sem ingredientes de origem animal. Todas as criações levam um ingrediente em comum: a carne vegetal – para mostrar a versatilidade e as possibilidades de combinações com diferentes sabores. 

Quatro profissionais da cozinha vão participar do Desafio dos Chef, promovido pela marca Jasmine Alimentos, empresa especializada em alimentação saudável. No Instagram @jasmine_alimentos, Bruna Pereira, Priscila Stucky e os MasterChefs Luri Toledo e Helton Oliveira vão apresentar suas receitas de Polpetone recheado com queijo de castanhas e spaghetti de abobrinha, Canelone de Berinjela, Lasanha de pupunha e Berinjela Recheada. Além dos alimentos característicos de cada prato, a receita é composta ainda pelo Vegetal Burger, produto lançado pela Jasmine Alimentos no último semestre.

Luri Toledo escolheu preparar Berinjela Recheada
Lasanha de pupunha foi a aposta de Helton Oliveira
Bruna Pereira desenvolveu um Polpetone recheado com queijo de castanhas e spaghetti de abobrinha
Priscila Stucky preparou um Canelone de Berinjela

Sem adição de ingredientes de origem animal, a carne vegetal é o resultado da combinação de soja não transgênica com aveia, linhaça dourada e quinoa, que formam um mix de nutrientes essenciais para o bom funcionamento do intestino, contribuindo para o equilíbrio e a saúde do corpo. Rico em fibras, o Vegetal Burger também tem 27g de proteína em cada porção de 80g, sem colesterol e zero gordura trans. Com selo vegan, o produto traz tempero caseiro, com cebola, alho e sal light, nas opções original e com ervas, sem uso de aromas artificiais.

“Entre os dias 18 e 22 de janeiro, o público terá a oportunidade de acompanhar as etapas do desafio e votar nas receitas que mais gostaram. No dia 25 de janeiro, às 19 horas, o público vai acompanhar uma live do chef vencedor, que irá preparar a receita ao vivo no Instagram”, explica a especialista de marketing da Jasmine Alimentos, Cristiane Alves dos Santos.

Informações: Jasmine Alimentos

Naveia: leite sem lactose, naturalmente doce e vegano/plant-based chega ao mercado

Leite de aveia surge como uma evolução mais sustentável, mais saudável e mais gostosa do leite de origem animal

Felipe Melo, também conhecido como Felipe UFO, é um explorador nato. Depois de cinco anos trabalhando no mercado financeiro, sentia que precisava ver o mundo ao vivo, e não mais pela tela de um computador. Com 20 e poucos anos, tinha muitas perguntas, e sabia que não iria conseguir respondê-las através dos olhos dos outros. Precisava ver com seus próprios olhos, sentir, observar, soar, conversar, carimbar seu passaporte.

Sua primeira investida, que o possibilitava explorar o mundo, foi no mercado da moda. Felipe foi sócio da marca Langak durante dez anos. Em seguida, ajudou a criar e foi produtor/apresentador dos programas “Não Conta Lá em Casa”, exibido por oito anos no Multishow, e “Que Mundo É Esse?” na GloboNews. Foi nessa época que UFO percebeu que as perguntas que tinha ao sair do banco só aumentavam. Mas também já tinha algumas respostas.

Entendia que a relação do ser humano com o mundo precisava mudar, que tudo o que é feito gera uma consequência, e é preciso escolher o impacto a ser causado. Entendia também que se somos o que comemos, o mundo é o que consumimos. E o consumo consciente era uma ferramenta poderosa de transformação. Vegetariano há 23 anos e vegano há oito, precisava encontrar algo que pudesse causar o máximo de impacto positivo no que me movia: os animais e o planeta.

Felipe decidiu passar um ano sabático, em Berlim, na Alemanha, onde morava sua namorada, Alex Soderberg, uma sueca com um estreito elo com o Brasil. Alex viveu durante dois anos no país, por conta do trabalho do pai. “Eu saí do Brasil, mas o Brasil nunca saiu de mim. Sempre tive o sonho de voltar a morar aqui”, afirma.

Em Berlim, considerada a capital mundial do veganismo e a Meca para o movimento de sustentabilidade, Alex estudou e trabalhou com agricultura sustentável e na indústria de alimentos. Em uma plataforma de startups, buscava soluções inovadoras para os desafios de uma cadeia alimentar mais sustentável, tudo desde serviços logísticos com baixo impacto, embalagens biodegradáveis, produtos com propósito e um senso forte de responsabilidade ambiental e social.

“Os nossos assuntos preferidos sempre foram sobre as infinitas possibilidades de fortalecer esse mesmo movimento no Brasil. Quando começamos a estudar a indústria de laticínios no Brasil, um país com o maior rebanho de gado do mundo, e com 80% de suas pastagens em estado de degradação, fomos atrás da melhor maneira para mudar essa realidade. E enxergamos que uma verdadeira mudança só seria possível se tivéssemos uma bebida mais gostosa do que o leite de vaca e que com o tempo também poderia concorrer com o preço dos leites de origem animal. Uma missão difícil, porém mais necessária do que nunca”, conta Alex.

Em 2017, numa vinda ao Brasil, o casal apresentou para três amigos o projeto de uma empresa de laticínios vegetais. Daquele encontro se formou a sociedade que daria vida à Evolat, marca que tem como objetivo criar os laticínios vegetais mais gostosos e acessíveis possíveis. O primeiro produto da Evolat, lançado em novembro de 2020, é o Naveia, um leite feito de… aveia. Um produto mais sustentável comparado aos outros leites vegetais, como arroz e castanha, mas principalmente comparado ao leite de origem animal.

O objetivo da marca não é conquistar só o mercado vegano, mas também o não vegano, oferecendo uma opção que convence pelo sabor, e pelo preço, além de ser a escolha de consumo mais consciente. A princípio são três sabores: o original, já à venda, o barista, que fica perfeito no café, com lançamento no início deste ano e o achocolatado. Sem lactose, naturalmente doce e vegano/plant-based. A aveia é produzida no Rio Grande do Sul fazendo o produto ser 100% nacional.

Naveia por Naveia

Não somos uma marca com propósito, mas um propósito que criou uma marca! Pra começar, estamos longe de sermos perfeitos. Sim, somos um deleite vegetal (ok, gostoso pra caramba). Mas ser “vegetal” não é caso de medalha olímpica, Nobel da paz, nem homenagem em praça pública — a gente também leva multa no trânsito, esquece aniversário de amigo e acumula louça na pia como quase todo ser humano. Então, ufa, senta aqui porque vamos tocar a real: o que a gente quer é fazer diferença no mundo, oferecendo um produto que é a evolução do leite convencional. E chamamos de “evolução” com toda convicção, afinal, não dá mais pra suportarmos um tipo de atividade que traz tanta destruição e sofrimento ao
planeta.

Ainda temos muito o que aprender e fazer. E, assim como não somos perfeitos, também não somos uma panelinha. No máximo, um liquidificador que mistura tudo: veganos, vegetarianos, flexitarianos (sim, notamos vocês!), simpatizantes e todos os curiosos restantes. Por isso, se você escolheu viver sem consumir nada de origem animal, me abraça. Mas se você só quer um leite delicioso, que cabe no bolso e é bom pro seu corpo, pro mundo, pro futuro (e pra vaca!), ficaremos felizes de estar junto com você nessa escolha.

Uma saga de três anos…

A ideia surge em 2017, e as primeiras pesquisas começam em novembro de 2017. Os primeiros desenvolvimentos de produto começam em fevereiro de 2018, junto com um laboratório de alimentos em SP, especializado em desenvolvimento de alimentos de origem vegetal.Tivemos a sorte de encontrar uma PhD em Alimentos e Nutrição fantástica para nos ajudar. Pessoa incrível que acabou virando grande amiga e está no projeto com a gente desde então. Com todas as dificuldades de sermos os pioneiros no desenvolvimento de um leite de aveia no Brasil, todo esse desenvolvimento demora mesmo.

No início de 2019, sabendo do nosso projeto, fomos procurados por uma empresa alemã com anos de experiência na Europa em leite de aveia para fecharmos uma parceria nesse desenvolvimento no Brasil. A sorte foi ter uma das fundadoras metade sueca, metade austríaca e que morou por oito anos em Berlim, trabalhando com a indústria de alimentos.

Infinitos testes com a aveia do Brasil. A qualidade do produto final surpreendeu a todos. Já estávamos com o nosso primeiro produto, o Naveia Original, pronto no início de 2020, e prevíamos lançar em março desse ano. Aí veio a pandemia…

Seguramos o lançamento, pois entendíamos que não era o melhor momento para lançar um produto tão novo assim no mercado brasileiro. Ao mesmo tempo, queríamos seguir com o desenvolvimento dos próximos produtos, como o nosso leite barista (especialmente feito para misturar com café), só que o nosso laboratório parceiro entrou em lockdown. Com isso, tivemos que comprar todos os equipamentos mais essenciais para a nossa PhD continuar esse desenvolvimento em casa, até a reabertura do laboratório.

Dezembro de 2020, finalmente, fizemos o lançamento do Naveia Original e estamos com Naveia Barista pronto para ser lançado em janeiro de 2021. E muitos outros produtos já desenvolvidos para serem lançados ao longo do ano que vem.

Informações: Naveia

Água Doce cria duas opções de escondidinhos vegetarianos para o novo cardápio

Carro-chefe da marca, o escondidinho é o prato mais vendido nos 80 restaurantes da rede

Água Doce Sabores do Brasil lançou em seu cardápio duas versões diferenciadas de escondidinho para quem aprecia a combinação, mas não consome carne. Dessa forma, os vegetarianos podem apreciar as opções de alho-poró e palmito, que são acompanhados de arroz branco. Os pratos chegaram às unidades da rede em novembro e fazem parte da seção destinada às receitas vegetarianas desenvolvidas pela marca para um público que vem crescendo nos restaurantes.

As novidades fazem parte do cardápio que homenageia os 30 anos de fundação da rede e o Brasil, com as cores aquarela no estilo tropicano. A lista de pratos vegetarianos também conta com estrogonofe de palmito e salada da casa que leva palmito, alface e tomate. “A Água Doce sempre está atenta as necessidades dos clientes. Por este motivo, decidimos incluir versões que além de atender as pessoas que não consomem carne, também agregam para aqueles que preferem opções mais leves no almoço ou jantar, sem adição de proteína animal”, comenta a nutricionista da marca, Jaqueline Lopes.

Fotos: Bruno Marconato

Além das versões de alho-poró e palmito, o escondidinho também está disponível nos sabores tradicional feito com carne de sol, camarão, frango e bacalhau. O prato é o carro-chefe da marca, sendo um dos preferidos dos clientes e campeão de vendas. Para se ter ideia, são vendidos mais de 40 mil escondidinhos por mês nos 80 pontos de operação da Água Doce. Além desta delícia, a marca conta com mais de 300 itens no cardápio entre bebidas, drinques, petiscos, pratos e sobremesas.

Fonte: Água Doce

Carne de jaca verde é opção saudável e criativa

Boa tanto como prato principal quanto como acompanhamento, a carne desfiada de jaca verde é uma opção inusitada e criativa para vegetarianos, veganos, para quem busca alimentação saudável, para quem se importa com os animais e o meio ambiente.

As receitas com esta carne podem ser as mais variadas possíveis, de hambúrgueres, bruschettas e pastéis até saladas, antepastos e ragu defumado.

Os produtos da marca Jakera, fundada em 2018, estão disponíveis em quatro sabores – natural sem tempero, chili, barbecue e jaca-loka (pimentão) – e em embalagens de 200g, 500g, 1kg e 5kg. Todos são veganos, sem nenhuma composição de origem animal no preparo.

Para a fabricação, as jacas são selecionadas e trazidas direto do pomar da empresa, que opta sempre pelas melhores. Desta forma, evita-se o ultraprocessamento da fibra vegetal, garantindo sabor e muita qualidade.

Informações: Jakera, e-mail contato@jakera.com.br ou WhatsApp (11) 2659-4429.

Deseja adotar uma dieta vegetariana? Conheça produtos que podem ajudar na transição

Entre queijos vegetais e produtos feitos à base de planta, Superbom explica como fazer a mudança de vida da forma mais natural possível

Com a forte presença de movimentos cruelty-free nas redes sociais nos últimos anos, as dietas vegetarianas e veganas – muitas vezes vistas como um estilo de vida – passaram a ser cada vez mais disseminadas e aceitas pela população em geral, conquistando cada vez mais adeptos e simpatizantes. Prova disso é que, enquanto em 2012 apenas 8% da população do Brasil se declarava vegetariana, em 2020, 14% dos brasileiros (ou cerca de 30 milhões de pessoas) afirmaram não consumir nenhum tipo de carne em suas refeições.

O estudo realizado pela Sociedade Vegetariana Brasileira ainda vai além, mostrando que 63% dos entrevistados gostaria de reduzir o consumo de produtos de origem animal em seu dia a dia. Os dados e estimativas indicam que as dietas veganas e vegetarianas, agora não sendo vistas sob uma perspectiva restritiva, tendem a seguir este crescimento e se estabilizar ainda mais no país até 2030.

Seja em dietas vegetarianas, veganas ou flexitarianas (quando a pessoa faz frequentes refeições sem produtos de origem animal, mesmo que não completamente), uma importante pauta é como realizar a transição alimentar de forma gradual e sem extremismos para que a mudança ocorra da maneira mais natural possível. Pensando nisso, a Superbom conta em seu catálogo com diversos produtos que podem facilitar na transição daqueles que desejam adaptar sua alimentação às dietas livres de produtos animais.

“Uma das nossas principais preocupações é oferecer alimentos saborosos e nutritivos que façam com que as pessoas sintam o mesmo prazer de comer carnes e queijos ‘tradicionais’. Nossos produtos vegetais plant-based passam por diversas etapas de curadoria e controle de qualidade que, quando chegam à mesa dos nossos consumidores, fazem com que eles percebam que dietas vegetarianas e veganas não são necessariamente sinônimos de restrição, mas sim de prazer e satisfação”, declara David Oliveira, Diretor de Marketing da empresa.

A Superbom conta em seu catálogo com diversos produtos como carnes plant-based e queijos veganos que são ideais para aqueles que desejam adotar a dieta, mas que têm dificuldade em desapegar de produtos de origem animal. Enquanto as carnes vegetais da marca têm cheiro, sabor e textura semelhantes à da carne tradicional, os queijos são compostos em grande parte por água, amido, óleo de coco e extrato de levedura, sendo livres de leite e qualquer componente animal.

Outra preocupação relatada muitas vezes ao adotar uma dieta vegetariana é ideia de que este estilo de vida pode levar a alguma deficiência nutricional, pois acreditam que os alimentos de origem animal são mais completos nutricionalmente. Cyntia Maureen, nutricionista da Superbom, explica, no entanto, que é importante atentar-se à inclusão de fontes de proteínas vegetais na dieta e, quando necessário, suplementar alguns nutrientes como a vitamina B12. Segundo a profissional, as leguminosas como feijões, grão de bico, lentilha e ervilha (presente nas carnes vegetais da marca) são uma ótima alternativa para substituições, proporcionando uma alimentação que favorece a saciedade e supre as necessidades do organismo.

“As pessoas estão percebendo cada vez mais que dietas vegetarianas e veganas podem ser tanto saborosas quanto nutritivas, trazendo benefícios ao nosso corpo quando feitas de forma balanceada e saudável. Assim como em toda alimentação, equilíbrio é a chave. Minha dica para aqueles que desejam se aventurar nas dietas livres de componentes animais é que fiquem atentos aos rótulos dos produtos e prefiram sempre aqueles que são feitos com alimentos naturais e sem aditivos químicos. Sendo feitos com base em alimentos de verdade, você terá uma alimentação equilibrada e saudável e realizará sua transição alimentar da melhor maneira possível”, finaliza a nutricionista.

Sugestão de produtos disponíveis no catálogo da Superbom para a transição alimentar:

Burger Gourmet Vegan da Superbom

O Burger Gourmet Vegan da Superbom é uma inovação no mercado vegetariano/vegano. Um burguer vegano com cheiro, sabor e textura semelhante ao de origem animal, no entanto, totalmente plant based por ser um hambúrguer à base de ervilha. Com 15g de proteína, esse hambúrguer vegano complementa o cardápio com facilidade, sendo o elemento que faltava para criar os melhores lanches com mais sabor e nutrição. Rico em proteínas vegetais, o hambúrguer de ervilha contém vitaminas A, B9 e B12 além dos minerais zinco e ferro, sendo uma ótima opção para substituir o hambúrguer de origem animal. O hambúrguer pronto sem carne animal da Superbom está disponível em embalagem com 227g.

Frango Vegano em Pedaços à Base de Ervilha

O Frango Vegano à base de ervilha Superbom é uma inovação para o mercado vegetariano. Depois da versão ovolactovegetariana, demos um upgrade e apresentamos a versão de frango vegano que substitui o frango de carne animal.

Enriquecido com vitaminas A, B9 e B12, bem como dos minerais ferro e zinco, o frango vegano pronto é prático e permite excelentes combinações na elaboração de diferentes receitas, como aperitivos, saladas ou pratos quentes.

Com textura macia e sabor único, o frango sem carne animal vem em pedaços e está disponível em embalagem de 400g.

Steak à Base de Ervilha Sabor Frango

Crocante, delicioso e super saudável, os famosos empanados ganharam uma versão vegetariana, à base de ervilha. O Steak Vegetariano sabor Frango da Superbom é uma ótima opção para qualquer refeição. Contém vitaminas A, B9 e B12, e os minerais ferro e zinco. Vai ser difícil resistir!

Linguiça Tradicional à Base de Ervilha

A Linguiça Tradicional à Base de Ervilha Superbom é um alimento ovolactovegetariano pronto para o consumo. É fonte das vitaminas A, B9 e B12, bem como dos minerais ferro e zinco. Excelente combinação no preparo de aperitivos, acompanhamentos ou pratos mais elaborados. Sua textura é macia e, no paladar, é surpreendente.

Salsicha à Base de Ervilha

Excelente na elaboração de cachorro quente vegetariano, a salsicha à base de ervilha é versátil, podendo ser usada em muitas outras preparações.

Com a salsicha ovolactovegetariana seu hot dog nunca mais será o mesmo! A textura é macia e o sabor é surpreendente. Estando disponível em embalagem de 300g, a salsicha ovolactovegetariana substitui a salsicha de carne animal.

Vegan Cheese Mussarela 200g

O Queijo Mussarela Vegano da Superbom não possui leite e não tem nenhum componente de origem animal, além de ser um produto de grande versatilidade. Vegan friendly, esse queijo vegano é um alimento 100% vegetal. Escolha o prato e faço sucesso com deliciosas receitas com queijo vegano. É um produto livre de alergênicos e com um sistema abre e fecha, prático e fácil de armazenar – também disponível na versão 480g.

Vegan Cheese Gourmet Parmesão 200g

O Queijo Vegano sabor Parmesão Gourmet é um alimento 100% vegetal e vegan friendly. Esse queijo vegano é livre de alergênicos e e, em comparação ao queijo brie tradicional, possui baixo valor calórico.

Muito prático, o queijo vegano sabor parmesão não possui leite e não tem nenhum componente de origem animal, podendo ser consumido frio ou quente. Sirva como aperitivo ou prepare deliciosas receitas com queijo vegano.

Sanduíches, macarronadas, molhos ou até mesmo pizzas veganas e pão de queijo vegan agora ficaram bem mais fáceis de preparar e agradar!

Vegetale

A maionese vegana Vegetale é um alimento 100% vegetal, ou seja, não contém leite animal ou qualquer outro componente de origem animal, ou até mesmo que possa causar algum dano ao reino animal.

Sobre a Superbom

Hambúrguer vegetal Mari Mari a R$ 1,90 para democratizar acesso a produtos veganos

Criada pela Mr. Veggy, a nova marca tem como objetivo garantir uma opção saborosa e de bom custo-benefício ao público pertencente às classes C e D

Com a experiência de quem desenvolve produtos veganos há 15 anos, a Mr. Veggy decidiu apostar em um novo mercado em 2020. A empresa, conhecida por delícias congeladas de origem 100% vegetal – como hambúrgueres, quibe de abóbora, falafel e coxinhas de jaca – acaba de lançar a marca Mari Mari, cuja proposta é garantir uma opção saborosa a preços acessíveis, ao público pertencente às classes C e D.

“Há muito tempo, vínhamos pensando em uma solução para este nicho, uma vez que os produtos de marcas veganas tradicionais sempre foram financeiramente inviáveis para estas populações”, afirma Mariana Falcão, fundadora da Mr. Veggy e da Mari Mari. A alternativa encontrada por ela foi desenvolver um hambúrguer de soja, com tempero sabor churrasco, que será comercializado individualmente pelo preço sugerido de R$ 1,90.

Segundo Mariana, o produto será vendido em mercados populares de bairro e redes de atacado e representará uma possibilidade de variação do cardápio para todos que desejam reduzir o consumo de carne.

“Muitas pessoas têm o desejo de fazer uma transformação em seus hábitos alimentares, porém elas não conseguem porque não encontram alternativas que caibam no bolso”, analisa ela. Com este lançamento, a fundadora deseja atingir camadas diferentes da população que já vem consumindo produtos vegetais. “Nossa missão sempre foi motivar a redução do consumo dos alimentos de origem animal, mas não estaríamos fazendo isso plenamente, em um país como o Brasil, se falássemos apenas com as classes mais abastadas”, diz ela.

O hambúrguer da Mari Mari é preparado com ingredientes naturais. Fonte de proteína, o produto é produzido à base de soja e com 0% de colesterol. Se comparado ao hambúrguer de carne tradicional, a opção da Mari Mari possui nível de gordura 55% menor e 30% de calorias a menos.

Informações: Mr. Veggy/Mari Mari

Beco do Batman terá ação com peixe vegano para celebrar Dia Mundial do Veganismo

Neste final de semana, quem comprar um Fakie Fish & Chips grande no Sirène Fish & Chips ganha outro

No próximo domingo, 1º de novembro, será celebrado o Dia Mundial do Veganismo, que tem como objetivo disseminar a prática de abster o uso de produtos de origem animal, seja na alimentação ou no vestuário, para reduzir os impactos ambientais e a exploração animal, além de difundir os efeitos benéficos para a saúde humana.

O Sirène Fish & Chips, tradicional rede brasileira de fish & chips, entrou nessa corrente junto com a Germinou, empresa que propõe uma mudança na alimentação trocando produtos feitos de proteína animal por produtos à base de plantas, e fará uma ação especial entre os dias 31 de outubro a 2 de novembro: quem comprar uma unidade do cone grande de Fakie Fish & Chips, ganha outra.

O Fakie Fish & Chips é o tradicional Fish & Chips em sua versão vegana, feito com o “Fakie Fish’, desenvolvido em parceria com a Germinou, sua base é de soja não transgênica em um preparo que utiliza técnicas chinesas milenares, aprimoradas através de séculos, acompanhadas das deliciosas batatas rústicas da casa.

Dados da última pesquisa Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), divulgada em 2018, apontam que cerca de 30 milhões de brasileiros já se declaram vegetarianos, cerca de 14% da população. Segundo a mesma pesquisa, nas regiões metropolitanas de São Paulo, Curitiba, Recife e Rio de Janeiro, esse número sobe ainda mais, chegando a 16%.

O preparo é exclusivo do estabelecimento e para a ação do Dia Mundial do Veganismo ele será comercializado nas três unidades da rede em Curitiba (Jockey Plaza, Vicente e Trajano) e, também, nas unidades das cidades de Balneário Camboriú (SC), Florianópolis (SC) e São Paulo (SP), com preços a partir de R$ 33.

fish

“É a nossa manobra para a galera que não consome proteína animal voltar a se sentir em casa no Sirène”, comenta o sócio fundador da rede Sirène, Alexandre Lopes. A promoção é válida até o final do dia 2 de novembro ou até durarem os estoque para delivery, take away ou ainda para quem quiser consumir em uma das lojas, com toda segurança e protocolos de distanciamento exigidos para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Sirène Fish & Chips: Rua Harmonia, 150 – Vila Madalena, São Paulo. Horário de funcionamento: terça a sexta, das 16h às 22h; sábado e domingo, das 14h às 22h.

Crescimento do veganismo movimenta mercado de produtos substitutos lácteos no Brasil

O mercado de produtos lácteos à base de vegetais cresce e se torna uma grande aposta da indústria no Brasil. O fenômeno observado atualmente no mercado brasileiro já foi presenciado nos Estados Unidos; Associação Brasileira de Supermercado (Abras) avalia que a demanda por produtos vegetarianos é maior do que a oferta no país

Domingo, 1ª de novembro, comemoramos o Dia Mundial do Veganismo. E o mercado de produtos lácteos à base de vegetais é a nova grande aposta da indústrias vegana e vegetariana do Brasil. Após a consolidação dos produtos à base de vegetais que imitam o sabor e a textura da carne animal, como hambúrgueres e embutidos, agora é a vez dos leites vegetais. O grande diferencial neste caso é perfil da demanda, que cresce com a mesma velocidade do surgimento de doenças e intolerâncias associadas ao consumo do leite animal – direcionando um público enorme para os leites alternativos.

Embora não exista um cálculo específico sobre o tamanho do mercado brasileiro de produtos livres de proteína animal, a Associação Brasileira de Supermercado (Abras) avalia que a demanda por produtos vegetarianos é maior do que a oferta no país e responde por boa parte dos R$ 55 bilhões faturados pelo segmento de produtos naturais, anualmente. Empresários estimam ainda que o mercado vegano tenha crescido a uma taxa anual de 40%, nos últimos anos, em média.

Os dados refletem um fenômeno social: atualmente, 14% da população se declara vegetariana, segundo pesquisa divulgada pelo Ibope Inteligência, em abril de 2018. Em grandes capitais como São Paulo, Recife, Curitiba e Rio de Janeiro, esse percentual sobe para 16% — o que representa um crescimento de 75% da população vegetariana nessas regiões, nos últimos seis anos. A mesma pesquisa do Ibope Inteligência encomendada pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) mostra que 55% dos brasileiros consumiriam mais produtos veganos, se existissem indicações sobre os produtos no ponto de venda.

De olho nesse mercado em ebulição, empresas como a brasileira Vida Veg apostam alto no Brasil. A companhia está prestes a inaugurar a maior e mais moderna fábrica de substitutos lácteos do País, o que irá causar um grande impacto no segmento de produtos veganos, nos próximos anos. O portfólio de produtos 100% vegetal oferece aos consumidores iogurtes, shakes, queijos e a nova linha de leites vegetais frescos nos sabores de coco, amêndoas e castanha-de-caju.

Anderson Rodrigues, diretor executivo da Vida Veg, afirma que os lácteos de origem vegetal produzem menor impacto ambiental em comparação com os produtos de origem animal. “A produção de cada litro de leite de amêndoas ou de coco demanda 70% menos água em comparação ao leite de vaca, além de não precisar explorar nenhum animal”, explica.

A multinacional de origem grega Violife também enxerga o atual momento como oportunidade. O desembarque dos produtos está previsto para setembro e deverá contemplar uma linha completa de queijos do tipo mozzarela, prato, provolone, parmesão, entre outros. Os queijos veganos da Violife estão entre os mais consumidos nos Estados Unidos e ficaram entre as 20 marcas de queijo mais vendidas no Reino Unido em 2018 – sendo o primeiro do tipo vegano a aparecer na tradicional pesquisa da The Grocers.

“O queijo Violife é unanimidade entre as pessoas que já experimentaram. No teste cego, é muito comum confundirem os produtos com o queijo de origem animal”, explica Paulo Treu, diretor da Global Picks Brasil, empresa responsável pela venda no país.

Mercado Americano

O fenômeno observado atualmente no mercado brasileiro já foi presenciado nos Estados Unidos, há alguns anos. O mercado por lá está mais consolidado e com fôlego cada vez maior. De acordo com dados da Consultoria Nielsen, o mercado varejista de leites vegetais nos Estados Unidos apresentou crescimento de 20% no volume de vendas, em comparação a 2017. As receitas destes produtos cresceram 9% no mesmo período, atingindo US$ 1,6 bilhão e representando um percentual de 13% do mercado total de leites. Os iogurtes (+55%), queijos vegetais (+43%) ocuparam lugar de destaque, seguidos pelas carnes vegetais (+24%) e ovos/maioneses (+16%). Um detalhe em comum que pode ser observado é o crescimento na casa dos dois dígitos.

Mais do que um simples movimento ou tendência, o vegetarianismo e o veganismo se tornaram hoje um grande reflexo do comportamento veggie que tomou conta do Brasil.

Fonte: Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB)

Veganismo na infância, pode?

Nutricionista explica como pais veganos podem educar os filhos dentro do estilo de vida que elimina o consumo de produtos de origem animal

No domingo, 1º de novembro, comemora-se o Dia Mundial do Veganismo. E muitos adultos, adeptos ao veganismo, estão ensinando os filhos a seguirem o mesmo estilo de vida, mas ainda restam dúvidas sobre como substituir produtos de origem animal na rotina das crianças, inclusive quando se trata da alimentação, por ser um fator decisivo no desenvolvimento saudável dos pequenos.

“É importante que os pais informem o pediatra sobre o hábito alimentar da família, principalmente após o período de aleitamento materno exclusivo, para que o médico atue na prevenção de carência de nutrientes na criança, recomendando a suplementação de vitaminas se necessário”, informa a nutricionista Jessica Santos, da Superbom.

Confira abaixo alimentos que não podem faltar no cardápio de uma criança vegana

Vegetais de folhas escuras: espinafre, escarola e rúcula devem fazer parte das refeições de todo vegano porque o principal nutriente presente nesses tipos de vegetais é o ferro, encontrado também na carne vermelha, e extremamente necessário para as crianças já que melhora a resistência a infecções e previne a anemia. 

Leguminosas: variedades como feijão, grão-de-bico e ervilha além de também serem fontes de ferro, são considerados ótimos substitutos da carne animal porque têm alta concentração de proteínas, fundamentais para o bom funcionamento do organismo das crianças.

Pixabay

Cereais integrais: ricos em vitaminas do complexo B e de fibras alimentares, os cereais contribuem para a melhora do sistema digestivo e também são uma ótima fonte de energia por terem carboidratos complexos. “Esses cereais podem ser introduzidos na alimentação dos pequenos através de pães, biscoitos e massas feitos com farinhas integrais”, sugere. 

Miroro/Pixabay

Substitutos de carnes e queijos: por fim, a nutricionista indica ainda alimentos prontos enriquecidos com vitaminas que podem substituir os de origem animal no cardápio das crianças como proteínas vegetais e queijos veganos, sendo que algumas opções ainda tem a vitamina B12, importante para quem tirou a carne animal da alimentação. 

Sugestões de produtos – Superbom

Proteínas da ervilha – Superbom

As opções de carnes 100% plant-based feitas a partir da proteína da ervilha da Superbom são enriquecidas com vitaminas A, B12, B9, além dos minerais ferro e zinco, portanto nutritivos para as crianças e toda a família. Estão disponíveis nas versões: Frango Vegano, Coxinha Vegana, Steak sabor Peixe e Burger Gourmet vegan.

Queijos veganos Superbom

Os queijos veganos da Superbom são nutritivos e saborosos, ideias para compor lanches e refeições das crianças. Disponível nos sabores cheddar, prato, mussarela, provolone, parmesão e na versão gourmet brie, cheddar, parmesão e mussarela.

Fonte: Superbom

Julí Comida de Verdade se adapta ao delivery e reabre em meio à pandemia

Restaurante segue no atendimento de salão e serviço de entrega

Juliana Mantovani

Neste momento em que boa parte da população ainda se resguarda, o Julí Comida de Verdade, de Juliana Mantovani, se adapta e oferece para sua fiel clientela saborear em casa os pratos do restaurante via delivery. Os pedidos podem ser realizados no aplicativo iFood ou pelo WhatsApp e entregues no raio de até 10 km. Além da serviço de entrega, a unidade Vila Olímpia aderiu à flexibilização de quarentena e está aberta de segunda a sexta, das 11h15 às 15h.

Filé de frango na panko e creme de milho
Nhoque de Banana da Terra

Apreciadores da comida caseira, preparada com ingredientes frescos e bem selecionados, podem solicitar os pratos que seguem toda cautela e processos de higienização, em utensílios, bancadas, alimentos e áreas de operação. Foram escolhidas com cuidado as receitas que viajam bem até o cliente, entre as sugestões: o Picadinho (R$ 34), feito com patinho cortado na ponta da faca, ovo frito, farofa, couve e arroz bem soltinho; Filé Mignon Parmegiana (R$ 165), que serve toda família acompanhado de arroz, brócolis, cenoura, purê ou batata frita; para os vegetarianos, uma boa pedida é o Bowl Vegano (R$ 47), que inclui shimeji, guacamole fresquinho, manga, tomate cereja, ervilha torta, bifum com molho oriental, alface e finalizado com amendoim e gergelim torrado, entre outros pratos do cardápio.

Polpetone gratinado

Clássicos da casa que também nos remetem à memória afetiva são as massas frescas, caseiras e preparadas pela equipe de cozinha diariamente. O Julí apresenta variações no menu com o Fettucine, Linguine, Raviole, Nhoque e Sorrentine, que podem ser acompanhados dos molhos, Branco, Sugo, Concassê e Funghi.

Ainda para compartilhar com amigos e família, os Dadinhos de Tapioca (R$ 32) são uma ótima opção de entrada. Já a Quiche (R$ 65 – 12 pedaços), conta com as versões Caprese, com Mussarela de Búfala, Tomate e Manjericão; e a Lorraine, com Creme de Leite, Cebola e Bacon, para incluir no almoço ou jantar. Assim como muitos itens disponíveis no restaurante, as embalagens do delivery são de material reciclável, mantém a temperatura dos alimentos e seguem os protocolos de higiene e segurança alimentar da OMS (Organização Mundial da Saúde).

Juliana é formada em nutrição e a ideia de abrir um restaurante teve início nos anos em que morou em Florianópolis, Santa Catarina. Apaixonada por comida, Juliana sempre teve como objetivo proporcionar para seus clientes os mesmos pratos que prepara para sua família: comida de casa, na linha comfort food, com ingredientes frescos e que nos faça viajar no tempo com referências afetivas.

Ao voltar para São Paulo, “tirou o projeto do papel” e abriu a primeira unidade do Julí Comida de Verdade, no bairro do Morumbi, no ano de 2015. Com tamanho sucesso inaugurou mais duas unidade: Jardins em 2018 e Vila Olímpia em 2019. Mesmo com o crescimento, a sócia-proprietária não deixa de colocar a mão na massa e apresenta receitas de sua autoria. Atualmente, por conta da pandemia da Covid-19, apenas a unidade Vila Olímpia segue com operação presencial e delivery.

Fotos: Ligia Skowronski

Julí Comida de Verdade – Unidade Vila Olímpia – Rua Ministro Jesuíno Cardoso, 411
Delivery – iFood ou WhatsApp (11) 99910-4918