Arquivo da categoria: visão

Preenchedores faciais podem causar perda da visão

Atualmente, existem vários preenchedores injetáveis capazes de amenizar os efeitos do envelhecimento no rosto, como ácido hialurônico, gordura, hidroxiapatita de cálcio e até o polimetilmetacrilato (PMMA) – não recomendado, mas ainda utilizado. Porém, com a famosa “harmonização facial” e o aumento da popularidade desse tipo de procedimento, é importante ter cuidado antes de optar pela aplicação destes produtos, pois, se realizado de forma incorreta, o procedimento pode resultar em sérias complicações, como a perda parcial ou total da visão.

shutterstock botox

O oftalmologista Hilton Medeiros, da Clínica de Olhos Dr. João Eugenio, em Brasília, teve dois casos de pacientes que perderam a visão em decorrência desses procedimentos. “A aplicação de preenchedores pode, eventualmente, obstruir uma veia da drenagem ocular ou uma artéria fina que leva até uma artéria oftálmica, causando a perda da visão”, explica, apontando que nesse tipo de situação pode ocorrer até um AVC, caso a aplicação atinja uma artéria cerebral.

O risco está presente nesse tipo procedimento independente da substância preenchedora utilizada. Segundo revisão sistemática publicada no periódico científico PRS-Global Open, que analisou casos de perda de visão associados a preenchimentos faciais, de 190 casos, 47% foram causados por injeção isolada de gordura, 28% estavam relacionados a aplicação de ácido hialurônico e os outros 25% foram associados a outros tipos de preenchedores.

Recentemente, a ex-modelo americana Carol Bryan disse, em entrevista ao jornal The Independent, que teve seu rosto deformado após realizar um preenchimento facial para dar volume na testa e nas maçãs do rosto, em 2009, aos 47 anos. Ela passou a realizar uma série de procedimentos corretivos que só pioraram o quadro. Ao remover o volume extra em sua testa, um nervo óptico foi atingido e ela perdeu a visão do olho direito.

Um estudo publicado pelo JAMA Ophtalmology alerta que o preenchimento na área da testa pode causar danos irreversíveis aos olhos. A Food and Drug Administration recomenda que a injeção de gordura ou colágeno, por exemplo, seja feita apenas na área central do rosto, como ao redor da boca.

Além da testa, outra região de elevado risco é a da glabela, entre as sobrancelhas. “Este local é bastante arriscado porque contém uma série de artérias superficiais que se comunicam com as artérias da retina”, diz Medeiros.

cosmetic-injectables-botulinum-toxin botox

A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) alerta que procedimentos estéticos devem ser realizados apenas por médicos, que são profissionais habilitados para também tratar as eventuais complicações. Profissionais que não tenham a devida habilitação e autorização legal para a sua execução podem provocar risco à saúde pública da população.

Outros problemas que podem ocorrer durante o procedimento com preenchedores são: reações urticariformes (lesões na pele), cicatrizes e deformidades; choque anafilático (reação alérgica grave); sequelas como necrose e cegueira, caso os produtos sejam aplicados de forma errada e parem na circulação sanguínea.

Fonte: Clínica de Olhos Dr. João Eugenio

Dieta pobre pode levar à perda da visão

A mídia destaca os riscos para a saúde cardiovascular, obesidade e câncer, associados à má alimentação, mas a má nutrição também pode danificar permanentemente o sistema nervoso, principalmente a visão

Um caso extremo de comer “exigente” causou perda da visão em um jovem paciente, de acordo com um novo estudo de caso publicado no Annals of Internal Medicine. Os pesquisadores da Universidade de Bristol, que examinaram o caso, recomendam que os médicos considerem a neuropatia óptica nutricional em pacientes com sintomas visuais inexplicáveis ​​e dieta pobre, independentemente do Índice de Massa Corporal (IMC), para evitar perda permanente da visão.

junk food

“A neuropatia óptica nutricional é uma disfunção do nervo óptico, importante para a visão. A condição é reversível, se detectada cedo. Mas, se não tratada, pode levar a danos estruturais permanentes no nervo óptico e perda da visão”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do Instituto de Moléstias Oculares (IMO).

Em países desenvolvidos como o Reino Unido, as causas mais comuns de neuropatia óptica nutricional são problemas intestinais ou medicamentos que interferem na absorção de nutrientes importantes para o estômago. As causas puramente alimentares são menos comuns porque o suprimento de alimentos é bom, mas em outros lugares do mundo, pobreza, guerra e seca estão ligadas à desnutrição e a taxas mais altas de neuropatia óptica nutricional.

Cientistas clínicos da Bristol Medical School e do Bristol Eye Hospital examinaram o caso de um paciente adolescente que primeiro procurou um clínico geral com queixa de cansaço. A ligação entre seu estado nutricional e a visão não foi detectada muito mais tarde, quando sua deficiência visual tornou-se permanente.

Apesar de ser um “comedor exigente”, o paciente apresentava IMC e altura normais, sem sinais visíveis de desnutrição e não tomava medicamentos. Os testes iniciais mostraram anemia macrocítica e baixos níveis de vitamina B12, que foram tratados com injeções de vitamina B12 e orientação dietética.

Quando o paciente voltou ao hospital, um ano depois, os sintomas de perda auditiva e de visão haviam se desenvolvido, mas nenhuma causa foi encontrada. Aos 17 anos, a visão do paciente piorou progressivamente, a ponto de chegar à cegueira.

Investigações posteriores descobriram que o paciente apresentava deficiência de vitamina B12, baixos níveis de cobre e selênio, alto nível de zinco e acentuado nível reduzido de vitamina D e densidade mineral óssea. Desde o início do ensino médio, o paciente consumia uma dieta limitada a batatas fritas, pão branco e um pouco de carne de porco processada. No momento em que a condição do paciente foi diagnosticada, ele apresentava visão prejudicada permanentemente.

Os pesquisadores concluíram que a dieta junk food (alimentos com alto teor calórico, mas com níveis reduzidos de nutrientes) do paciente e a ingestão limitada de vitaminas e minerais nutricionais resultaram no aparecimento de neuropatia óptica nutricional. Eles sugerem que a condição pode se tornar mais prevalente no futuro, dado o consumo generalizado de junk food, em detrimento de opções mais nutritivas, e a crescente popularidade do veganismo (se a dieta vegana não for suplementada adequadamente para evitar a deficiência de vitamina B12).

That Vegan Brand - Gnocchi de Espinafre 4
Gnocchi de espinafre vegano

“A visão impacta nossa qualidade de vida, educação, emprego, interações sociais e saúde mental. O caso relatado no estudo destaca o impacto da dieta na saúde visual e física e o fato de que a ingestão de calorias e o IMC não são indicadores confiáveis ​​do estado nutricional”, afirma a neuro-oftalmologista Márcia Marques, que também integra o corpo clínico do IMO.

A equipe de pesquisadores recomenda que o histórico da dieta faça parte de qualquer exame clínico de rotina, como perguntar sobre tabagismo e ingestão de álcool. “Isso pode evitar que o diagnóstico de neuropatia óptica nutricional seja esquecido ou descartado, pois algumas perdas visuais associadas podem ser recuperadas totalmente se as deficiências nutricionais forem tratadas com antecedência suficiente”, afirma a oftalmologista Márcia Marques.

Fonte: IMO-Instituto de Moléstias Oculares

Quais problemas de saúde repentinos devemos observar após os 50 anos

Supere sua idade

casal meia idade feliz

Mais de 9 em 10 adultos de meia idade ou idosos têm algum tipo de doença crônica e quase 8 em 10 têm mais de uma. Então, é provável que você tenha uma mais cedo ou mais tarde. Mas há coisas que você pode fazer para viver uma vida mais saudável.

Pressão alta

hipertensao coração pressao alta pixabay

À medida que você envelhece, seus vasos sanguíneos ficam menos flexíveis e isso pressiona o sistema que transporta sangue pelo seu corpo. Isso pode explicar porque cerca de 2 em cada 3 adultos acima de 60 anos têm pressão alta. Mas existem outras causas que você pode controlar: observe seu peso, faça exercícios, pare de fumar, encontre maneiras de lidar com o estresse e coma de forma saudável.

Diabetes

teste-de-glicemia-diabetes-tipo

Desde 1980, o número de adultos de meia-idade e mais velhos com diabetes quase dobrou. Nos Estados Unidos, já consideram a doença uma epidemia. O risco de contrair a doença aumenta após você atingir os 45 anos, e isso pode ser sério. Pode levar a doenças cardíacas, renais, cegueira e outros problemas. Converse com seu médico sobre a verificação de seu açúcar no sangue.

Doença cardíaca

mulher infarte

O acúmulo de placa nas artérias é uma das principais causas de doenças cardíacas. Começa na infância e piora com a idade. É por isso que as pessoas de 40 a 59 anos têm mais de cinco vezes mais chances de sofrer de doenças cardíacas do que as de 20 a 39 anos.

Obesidade

obesidade mulher obesa gorda pixabay
Pixabay

Se você pesa muito mais do que é saudável para a sua altura, pode ser considerado obeso – não está apenas com alguns quilos a mais. Obesidade está ligada a pelo menos 20 doenças crônicas, incluindo cardíacas, derrame, diabetes, câncer, pressão alta e artrite. A taxa mais alta entre todas as faixas etárias é em adultos com idades entre 40 e 59 anos – 41% dos quais são obesos.

Osteoartrite

joelho

Os médicos atribuíram essa doença das articulações ao desgaste da idade, e isso é um fator (37% das pessoas com 45 anos ou mais têm osteoartrite do joelho). Mas genética e estilo de vida provavelmente têm algo a ver com isso também. E lesões articulares anteriores, falta de atividade física, diabetes e excesso de peso também podem desempenhar um papel.

Osteoporose

Osteoporosis 1a

Cerca de metade das mulheres com mais de 50 anos e até 25% dos homens nessa faixa etária têm fraturas porque perderam muita massa óssea e seus corpos não a substituíram. Algumas coisas que podem ajudar: uma dieta saudável rica em cálcio e vitamina D (você precisa de ossos fortes) e exercícios regulares de sustentação de peso, como dançar, correr ou subir escadas.

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

usando bombinha asma mulher

Essa doença causa inflamação e bloqueia o ar dos pulmões. É uma doença lenta que você pode ter durante anos sem saber – os sintomas geralmente aparecem nos seus 40 ou 50 anos. Isso pode causar problemas para respirar e tossir, chiar e cuspir muco. Exercício, dieta saudável e evitar fumaça e poluição podem ajudar.

Perda de audição

surdez

Talvez nada diga “você está envelhecendo” mais do que ter que perguntar: “O que você disse?”. Cerca de 18% dos americanos de 45 a 64 anos, por exemplo, têm algum tipo de problema de audição e tende a piorar com a idade. Barulho alto, doença e seus genes desempenham um papel. Alguns medicamentos também podem causar problemas auditivos. Consulte o seu médico se você não conseguir ouvir o que costumava ouvir.

Problemas de visão

olhos glaucoma catarata

Esse borrão irritante quando você tenta ler o tipo pequeno em rótulos ou menus não é a única ameaça à sua visão à medida que envelhece. Cataratas (que ofuscam as lentes do seu olho) e glaucoma (um grupo de doenças oculares que danificam seu nervo óptico) podem prejudicar sua visão. Consulte seu oftalmologista para exames regulares.

Problemas de bexiga

agua torneira trestletech
Foto: Trestletech

Você não pode ir ao banheiro quando precisa, ou precisa ir com muita frequência, são os problemas com o controle da bexiga que tendem a acontecer à medida que envelhecemos. Eles podem ser causados por problemas nos nervos, fraqueza muscular, tecido espessado ou aumento da próstata. Exercícios e mudanças no estilo de vida – beber menos cafeína ou não levantar coisas pesadas, por exemplo – geralmente ajudam.

Câncer

cancer de mama

A idade é o maior fator de risco para o câncer. A doença também afeta os jovens, mas suas chances de tê-la mais que dobram entre 45 e 54 anos. Você não pode controlar sua idade ou seus genes, mas pode ter algo a dizer em coisas como fumar ou passar muito tempo tomando sol.

Depressão

mulher pensando depressao grisalha

Pessoas entre 40 e 59 anos têm uma taxa mais alta de depressão do que qualquer outra faixa etária. Muitas pessoas caem à medida que surgem problemas de saúde, perdem ou se afastam de entes queridos e outras mudanças na vida acontecem. No entanto, após 59, os números caem para apenas 7% das mulheres e 5% dos homens.

Dor nas costas

dor nas costas

Quanto mais velho você fica, mais comum essa dor se torna. Muitas coisas podem torná-lo mais propenso a tê-lo: estar acima do peso, fumar, não fazer exercícios suficientes ou ter doenças como artrite e câncer. Observe seu peso, exercite-se e obtenha bastante vitamina D e cálcio para manter seus ossos fortes. E fortaleça os músculos das costas – você precisará deles.

Demência

alzheimer-ebook

A doença de Alzheimer, uma forma de demência, geralmente não aparece até os 65 anos. Uma em cada nove pessoas nessa faixa, ou mais, tem Alzheimer, mas a taxa sobe para 1 em cada 3 para as idades de 85 anos ou mais. Alguns fatores de risco (como idade e hereditariedade) são incontroláveis. Mas as evidências sugerem que uma dieta saudável para o coração e observar sua pressão e açúcar no sangue podem ajudar.

Fonte: WebMD

Alimentos que fazem bem aos nossos olhos

Num mundo rodeado de telas de fortes luzes, precisamos cuidar dos nossos olhos

A nutrição desempenha um papel importante em manter nossos olhos saudáveis, principalmente para os mais idosos que precisam fazer cirurgia de catarata. Eles necessitam de certas vitaminas e minerais para se manterem sadios. Dentre os principais nutrientes para os olhos encontram-se as vitaminas C e E.

Precisamos da vitamina C, pois ela ajuda a manter os nossos olhos saudáveis e reduz as chances de contrairmos doenças oculares, como degeneração macular ou catarata. Precisamos de vitamina E, porque ela protege os nossos olhos dos radicais livres. Estes radicais livres causam impacto na saúde das células, por isso que, ao tomarmos vitamina E, os nossos olhos ficam mais saudáveis.

Outros nutrientes que nossos olhos precisam incluem vitamina A, zinco e ácidos graxos ômega 3. Aqui estão alguns alimentos que devemos comer para ajudar a proteger nossos olhos.

Cenouras

cenouras Scarletina
Foto: Scarletina/Morguefile

Um dos principais alimentos que pode ajudar a proteger os olhos. Ela é uma fonte significativa de vitamina A. As crianças que não têm vitamina A sofrem frequentemente de problemas com a cegueira. Se você quiser manter seus olhos saudáveis, considere adicionar cenouras à sua dieta.

Ostras

OSTRAS_Business

Quando comemos ostras, consumimos uma grande quantidade de zinco. Precisamos dele para muitos processos do nosso corpo. Ele ajuda a obter a vitamina A do fígado para as retinas em nossos olhos. Nós precisamos de zinco para processar vitamina A, por isso devemos comer alimentos como ostras, que são ricos em teor de zinco.

Folhas verdes

folhas-verdes-nutri-living
Foto: Nutri Living

Vegetais de folhas verdes-escuras são muito saudáveis para nos ajudar a proteger os olhos de doenças como catarata e degeneração macular. Esses alimentos estão cheios de nutrientes importantes que o nosso corpo necessita, e esses nutrientes também ajudam a manter a saúde dos nossos olhos. Alimentos como brócolis, alface, espinafre, couve e outros verdes-escuros são excelentes opções para ajudar a manter a saúde dos nossos olhos.

Salmão

tartar de salmao

Um dos melhores peixes que devemos comer para sustentar a saúde dos olhos é o salmão. Rico em ácidos graxos ômega-3 que ajudam a proteger nossos olhos de doenças. Outros peixes, como sardinha e atum devem ser incluídos em nossa dieta. Peixes em geral são muito saudáveis e protegem nossos olhos.

Cítricos

frutas-citricas

Frutas cítricas, como laranja, limão e toranja, contêm quantidades elevadas de vitamina C. Nossos olhos precisam de um alto nível desta vitamina para se manter funcionando da melhor maneira possível. A vitamina C é um antioxidante muito potente e pode ajudar a proteger nossos olhos contra danos. Outros alimentos ricos em vitamina C incluem morangos, tomates e pimentões vermelhos.

Resumo

olhos esverdeados.jpg

Manter uma dieta saudável e equilibrada é muito importante para manter nosso olhos saudáveis. Segundo Itamar Serpa, especialistas do IORJ (Insitituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro), devemos ter uma dieta rica em frutas e legumes, peixes e alimentos similares. Se mantivermos uma dieta natural, repleta de vitaminas e minerais, isso vai nos ajudar a percorrer um longo caminho livrando a nossa visão de danos, bem como a reduzir as chances de termos doenças oculares. E não deixe de se consultar regularmente com um oftalmologista.

Fonte: IORJ

Cinco erros que podem prejudicar a visão no verão

Férias de verão costumam ser associadas a descanso, diversão e sol – muito sol. De modo geral, as pessoas são menos rígidas com relação às regras, podendo acordar, comer e dormir quando sentirem vontade. Mas é preciso estar atento aos hábitos que podem arruinar a saúde, principalmente a visão. A seguir, o médico oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, aponta cinco erros mais comuns que as pessoas cometem por negligência ou desinformação:

1. Levar as crianças para brincar em tanques de areia. “Tanques de areia não tratada representam sempre um risco a mais para crianças, já que muitas costumam levar a mão aos olhos automaticamente enquanto brincam. Por isso, pais ou responsáveis devem procurar oferecer um tipo de distração mais seguro ou redobrar a higienização das mãos dos pequenos. Normalmente, esses tanques de areia estão contaminados por fezes ou urina de animais, podendo causar infecções oculares”.

crianca-areia-sideshowmom
Foto: SideShowMom/Morguefile

 

2. Nadar em piscinas públicas ou em locais com água não-tratada. “A água do mar ou ainda de piscinas de hotéis e clubes bastante frequentados no verão representa um grande risco para a visão. Trata-se de um jeito fácil de contrair conjuntivite – doença que deixa os olhos bastante avermelhados e as pálpebras chegam a grudar durante a noite, dificultando abrir os olhos pela manhã. Vale ressaltar que piscinas com cloro em excesso também comprometem a saúde ocular”.

nadando piscina
Foto: Vchar01/Morguefile

3. Dormir com lentes de contato. “Por mais cansada que a pessoa esteja depois de um dia cheio de diversão, é preciso tirar as lentes de contato e garantir um mínimo de asseio antes de ir para a cama. Como durante o sono o nível de lubrificação dos olhos diminui bastante, as lentes podem ressecar junto com o globo ocular e desencadear uma série de problemas. Além de usar os produtos de limpeza recomendados pelo fabricante das lentes, é fundamental checar se não há resíduos sólidos ou irregularidades nas lentes. Mesmo sujeiras quase imperceptíveis podem resultar no desenvolvimento de fungos, levando à inutilização do produto e podendo desencadear infecções”.

lentes de contato - Foto J. Durham
Foto: J. Durham/MorgueFile

4. Sair de casa sem óculos de sol. “A exposição aos altos índices de raios ultravioleta provoca degeneração macular – doença que afeta a parte central da retina, membrana posterior dos olhos onde as imagens são transmitidas para o nervo óptico. Como não existe tratamento eficaz para alterações retinianas, a prevenção ainda é o melhor remédio. Daí a importância de investir em óculos de sol de boa procedência, com proteção UVA e UVB nas lentes, e jamais cair na tentação de comprar modelos ‘baratinhos’, de origem duvidosa. A irregularidade da superfície das lentes pode causar desconforto visual, dor de cabeça e astigmatismo – deformidade da córnea que torna a visão desfocada para perto e para longe.”

mulher-sol

5. Compartilhar objetos de uso pessoal em viagens. “Muita gente acaba compartilhando objetos de uso pessoal durante a viagem de férias. No geral, isso já é um erro. Com relação à visão, é ainda pior – principalmente quando se trata de toalhas de rosto e maquiagem. Sempre que alguém usa batom ou rímel, por exemplo, está potencialmente introduzindo germes no produto. Ou seja, quanto mais gente usar aquele item de maquiagem, maiores são as chances de disseminar uma doença. Como as membranas mucosas são mais suscetíveis a contrair uma infecção, a maquiagem para boca e olhos jamais deveria ser compartilhada. Novamente, o risco de contrair conjuntivite é grande, sendo a conjuntivite viral responsável por mais de 90% dos casos.”

jdurham olhos maquiados
Foto: J. Durham/MorgueFile

Fonte: Renato Augusto Neves, médico oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos. 

 

Visão dupla pode ser sintoma de algo mais grave, alerta especialista

A diplopia, popularmente chamada de visão dupla, nada mais é que enxergar duas imagens em vez de uma quando se olha para um objeto, uma paisagem, uma pessoa etc. A diplopia não é uma doença, mas sim um sintoma associado à outra condição de saúde. Por isso, ao apresentar esse sintoma, é preciso procurar um neuroftalmologista imediatamente.

Segundo Marcela Barreira, neuroftalmologista e especialista em estrabismo, quem apresenta a diplopia pode se sentir muito desconfortável e ficar incapacitado para realizar as tarefas diárias, como ler, escrever, andar e trabalhar.

“Muitos casos de diplopia são consequências de alterações neurológicas, como a paresia (disfunção ou interrupção dos movimentos de um ou mais membros) dos nervos cranianos, alterações musculares, como a miastenia ocular e oftalmopatia de Graves, além de traumatismo craniano, AVC ou tumores cerebrais. Outros casos estão ligados a estrabismos descompensados”, explica Marcela.

“Precisamos alertar as pessoas que a visão dupla pode ser uma das primeiras manifestações de doenças sistêmicas, como as musculares e neurológicas, como também pode indicar a presença de tumores cerebrais ou aneurismas”, afirma a médica. Sendo assim, é fundamental procurar o médico especialista assim que possível.

diplopia.jpg

Causas da visão dupla

Cada olho cria sua própria imagem do ambiente. O cérebro é responsável por juntar essas imagens e fundi-las em uma única. Se há algum dano nos músculos oculares ou nos nervos que controlam os movimentos, pode ocorrer a visão dupla.

De acordo a neuroftalmologista, descompensação de desvios oculares prévios (estrabismo), problemas na tireoide, doenças vasculares (derrame, aneurisma cerebral) e tumores cerebrais que levam ao enfraquecimento dos músculos, como a miastenia gravis, esclerose múltipla e traumatismos cranianos, estão entre as principais condições de saúde que levam à visão dupla.

“Como podemos ver, as causas são graves e requerem tratamento médico imediato, assim como o acompanhamento periódico. Outro ponto de atenção é que a diplopia pode vir acompanhada de outros sintomas, como visão embaçada, dor nos olhos, sensibilidade à luz (fotofobia), ardência, olhos saltados, fraqueza muscular, entre outros”, explica Marcela.

beautiful_colored_eye_free_vector_47736

Como há um número enorme de doenças que causam a diplopia, o tratamento varia e deve ser totalmente individualizado. Algumas causas são mais simples, e outras mais complexas. Por isso, ao apresentar a visão dupla, é fundamental consultar um médico especialista nessa condição, o neuroftalmologista. “A diplopia é um sintoma que deve ser valorizado mesmo na ausência de outros sinais e sintomas adicionais, por isso o paciente precisa procurar o médico precocemente”, conclui a especialista.

Como o excesso de álcool pode comprometer a visão

Cientistas canadenses estudaram quanto e de que forma a visão é comprometida pelo consumo de bebidas alcoólicas – mesmo quando os níveis de consumo estão dentro de parâmetros aceitáveis. A conclusão é que a visão pode ser prejudicada em até 30% antes mesmo de o bafômetro acusar que a pessoa atingiu ou passou do limite.

Além de o álcool afetar as habilidades motoras da pessoa e a tomada de decisão, o estudo também revelou uma redução no contraste visual, dificultando a noção de profundidade e a distinção de tudo o que for claro e escuro. De acordo com Brian Timney, coordenador das pesquisas, no começo da manhã e ao cair da tarde, especialmente quando a luz do sol está baixa, a noção de contraste ajuda muito na hora de evitar um acidente de carro.

mulher bebendo

Na opinião do cirurgião-oftalmologista Renato Neves, diretor do Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, olhos avermelhados e reações lentas são sinais claros de ingestão moderada ou alta de bebidas alcoólicas. Mas o pior é o impacto que isso causa no cérebro e, consequentemente, na visão a longo prazo.

“Entre os sintomas mais comuns estão a visão dupla e a visão embaçada. Com a repetição desses episódios, os músculos que controlam o foco da visão ficam comprometidos, prejudicando grandemente a noção de distância e profundidade. Também a visão periférica, que dá uma noção do que está acontecendo ao redor da pessoa, fica altamente prejudicada com o tempo – e isso é especialmente ruim para quem vai dirigir”, diz o médico.

Neves chama atenção para outro estudo, desenvolvido pela Faculdade de Medicina da Hallym University, na Coreia do Sul, que revela que o consumo de álcool também está relacionado a distúrbios da superfície ocular, como olho seco.

jdurham olhos maquiados3

“Quando o consumo de álcool é prolongado, é possível identificar uma mancha permanente nos olhos: vermelha ou amarela. Esse é, inclusive, um dos sinais físicos encontrados nos alcoólatras. Com o tempo, a pressão ocular elevada pode danificar o nervo óptico, resultando em glaucoma e na perda permanente da visão”, finaliza.

Fonte: Renato Augusto Neves, cirurgião-oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos (SP) e autor do livro Seus Olhos.