Arquivo da tag: acne

Aparelho portátil multifuncional depila, trata acne e rejuvenesce a pele com rapidez

Desenvolvido pela Basall, iPilator conta com sistema de substituição de lâmpadas para oferecer três funções no mesmo aparelho, atuando na remoção de pelos, rejuvenescimento e combate à acne com segurança e agilidade.

iPilator é um portable device desenvolvido pela Basall para agir na remoção de pelos, rejuvenescimento facial e combate à acne. Com um sistema de substituição de lâmpadas, sendo que as lâmpadas para rejuvenescimento e combate à acne são vendidas separadamente, o aparelho age na depilação dos pelos ao converter a luz pulsada em calor, enfraquecendo progressivamente os folículos pilosos e, consequentemente, inibindo o crescimento dos pelos.

ipilator_produto02

Com ponteiras que abrangem maior área por disparo, acelerando assim a duração do tratamento, o iPilator também é capaz de rejuvenescer diversas partes do corpo, incluindo mãos, face e colo, ao estimular a produção de colágeno e fibras elásticas, sendo assim um aliado importante para recuperar a elasticidade e a firmeza da pele, reduzindo rugas, linhas de expressão e manchas que surgem devido ao processo de envelhecimento.

Portátil, podendo ser facilmente transportado e utilizado em qualquer lugar, o equipamento também age no tratamento da acne ao incentivar o desenvolvimento de substâncias fotoativas na epiderme que serão, em seguida, absorvidas pela pele, favorecendo assim a liberação de íons de oxigênio individuais capazes de destruir a Propionibacteriom acnes, bactéria causadora da acne. O produto tem uso contraindicado para peles bronzeadas e de fototipos mais altos.

ipilATOR 333

Com três funções no mesmo aparelho, o iPilator tem mecanismo de ação à base de Luz Intensa Pulsada, sendo o único aparelho do tipo a possibilitar disparos contínuos, o que aumenta a agilidade e a eficácia dos tratamentos. Além disso, o dispositivo também é extremamente fácil de ser usado, pois conta com um display LCD capaz de mostrar o nível de energia, o número de pulsos suportados pelas lâmpadas e o tipo de lâmpada conectada ao aparelho.

Por fim, o iPilator é ainda extremamente seguro, pois é o único aparelho para tratamento com luz pulsada do mercado que conta com um leitor de cor de pele que só libera o dispositivo para uso quando em contato com fototipos dentro do espectro de cor permitido para luz pulsada.

Indicação: Depilação, tratamento da acne e rejuvenescimento facial e corporal.

ipilator

iPilator  – Preço: R$ 1.850,00

Informações: Basall– SAC: (35) 3559 2518

 

Cresce o número de casos de mulheres adultas com acne

O Brasil virou referência mundial no tema ao lançar guia de conduta prática para abordagens terapêuticas da condição que afeta a qualidade de vida e a autoestima das paciente

Ao contrário do senso comum, a acne é uma doença que acomete também os adultos, especialmente mulheres entre 25 e 40 anos. Estima-se que haja mais de 16 milhões de brasileiras com esta condição, sendo que a proporção é de quatro pacientes do sexo feminino para o masculino. Mas esse número pode ser maior, já que tem se observado que a incidência da acne em adultos vem aumentando.

mulher acne mnt

Estimativas indicam que 40% das mulheres acima de 25 anos têm acne e, é importante ressaltar que nesta faixa etária, a doença conserva características específicas. Chamada de AMA (Acne da Mulher Adulta), a condição diferencia-se da acne vulgar por estar relacionada a alterações genéticas, além de fatores relevantes como histórico familiar, alterações hormonais, tipo de pele, estresse, hábitos de vida, entre outros fatores. A AMA ainda se caracteriza por ter evolução crônica, o que exigirá um tratamento de longo prazo.

Recentemente, um estudo conduzido pelo dermatologista Marco Rocha, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), ajudou a esclarecer um dos aspectos dessa doença, que interfere diretamente na autoestima e qualidade de vida das pacientes. Após acompanhar um grupo de mulheres entre 26 anos e 44 anos, o pesquisador chegou à conclusão de que a acne neste perfil de pacientes está associada à uma alteração genética, que mantém o estímulo da reação inflamatória presente na condição. O mesmo estudo também apontou como a acne afeta o estado emocional dessas mulheres, levando à depressão e transtornos de ansiedade, independentemente da gravidade do quadro.

Nessas pacientes, explica o médico, foram notadas alterações genéticas que mantém a reação inflamatória da pele. “As glândulas sebáceas presentes na pele possuem receptores (Toll-like 2) que podem se ligar a determinados micro-organismos. Em mulheres adultas com acne, há maior expressividade desses receptores que, ao se ligarem à bactéria Cutibacterium acnes, comum na pele de toda a população, resultam em um tipo de acne com características mais inflamatórias, com pápulas avermelhadas e dolorosas”, informa o dermatologista, responsável pelo levantamento.

Outro ponto que diferencia esta nova forma de acne é que, enquanto a acne da adolescência (ou vulgar) costuma se manifestar na “zona T” do rosto (testa, região superior das bochechas e nariz), a acne na mulher adulta conta com a distribuição das lesões mais frequente na “zona U” – composta pela mandíbula, queixo e pescoço.

acne mulher mnt

Mas por que é tão importante diferenciar a AMA da acne vulgar, aquela que surge na adolescência? “Além de afetar negativamente a autoestima das mulheres, impactando até mesmo na rotina de trabalho, a prevalência da acne da mulher adulta vem aumentando”, alerta a dermatologista Ediléia Bagatin, professora da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Além disso, diferenciar os dois tipos da doença é essencial para a escolha do tratamento adequado para a mulher adulta e o melhor controle da doença”, completa.

A vida moderna explica parte deste aumento no número de casos da acne em mulheres adultas. Alguns hábitos de vida, como consumo excessivo de alimentos com alta carga glicêmica e certos laticínios, a obesidade, o estresse, o tabagismo e a exposição excessiva ao Sol estão entre as causas e os fatores agravantes para a acne na mulher adulta.

Além disso, lembra a dermatologista, “é preciso investigar ainda se o quadro está relacionado com alterações hormonais ou doenças endócrinas, como a síndrome do ovário policístico, por exemplo”.

A boa notícia é que é possível tratar a doença, e o caminho pode estar na combinação de terapias. O guia de conduta clínica da AMA, publicado em fevereiro de 2019, sugere a utilização de um produto tópico, como o ácido azelaico, e um antiandrógeno sistêmico, como a pílula anticoncepcional, como ferramentas terapêuticas eficazes no tratamento da doença.

Referência na área

274172_573153_saiba_como_se_livrar_da_acne_web_

As particularidades dessa modalidade de acne são tantas que existe um movimento dentro da dermatologia para que ela seja classificada como uma doença à parte da acne comum. E o Brasil tem sido considerado uma das referências nesta área de estudo.

O guia de condutas clínicas, “Acne da mulher adulta: Um guia para a prática clínica”, foi desenvolvido por um grupo de médicos especialistas no assunto, coordenados pela Professora Ediléia Bagatin, na Unifesp. Publicado nos Anais Brasileiros de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o artigo científico ganhou destaque na comunidade científica por ser dedicado apenas a essa doença.

No Brasil, a pesquisa dermatológica na área tem se diferenciado não só por liderar uma série de descobertas e ganhado expertise no assunto, mas também por enxergar a paciente de forma holística. “Não se trata somente de uma doença de pele, mas de uma paciente que tem a sua vida totalmente afetada pela condição. Acredito que a área ganhou destaque nos últimos anos, não apenas por conta do nosso conhecimento na área e estudos científicos avançados, mas também pela relação médico-paciente”, conclui Rocha.

Fonte: LEO Pharma

Alimentos que favorecem o surgimento e piora do quadro acneico

Dermatologista Claudia Marçal explica quais alimentos consumidos em nosso dia a dia podem aumentar as probabilidades da acne se desenvolver

A acne é uma das doenças de pele mais comuns e atinge a maior parte da população em algum momento da vida, independentemente do sexo e idade. “O problema acontece quando há uma hiperprodução de sebo pelas glândulas sebáceas. Este sebo, quando misturado com as células mortas da pele, acaba entupindo os poros, que ficam inflamados devido as bactérias que compõem a microflora do tecido cutâneo, levando então a formação das espinhas”, afirma a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Segundo a médica, as causas da doença são variadas e podem ser devido a herança genética, alterações hormonais e até mesmo disfunções psicológicas. Mas o que poucos sabem é que a alimentação também é um fator de grande influência no surgimento do quadro acneico, pois age diretamente em vários processos metabólicos do organismo humano. E, quando se trata dos gatilhos alimentícios para acne, a lista é longa. Enquanto alguns alimentos ainda estão em estudo para verificar se podem realmente causar acne, outros já são praticamente um consenso entre os especialistas.

Abaixo você pode conferir 4 destes alimentos:

whey

– Leite: “Diversos estudos têm relacionado o consumo excessivo de leite ao surgimento da acne sob a teoria de que os hormônios do laticínio podem promover o estímulo da atividade hormonal, da inflamação e da produção de sebo e bactérias, fatores que estão diretamente associados a doença.” O uso de suplementos como Whey Protein, que é a proteína do leite, também merece acompanhamento mais rigoroso, uma vez que ele já foi indicado em estudos como influenciador importante no desenvolvimento de acne resistente, já que, por ser rico em IGF-1, um hormônio semelhante à insulina 1, o pó pode aumentar a produção de sebo, que está associada ao desenvolvimento da acne. “Além disso, esse suplemento pode desencadear a produção de andrógenos, ou hormônios que funcionam como hiperestimulantes das glândulas sebáceas e causam também inflamação. Isso pode obstruir os poros e favorecer o aparecimento da acne”, afirma a dermatologista. Também é preciso ter cuidado com os derivados do leite, como iogurtes e queijos.

276832_581079_chocolate_em_barras_1

– Chocolate ao leite: “O chocolate ao leite é um dos alimentos que ainda gera controvérsia entre os estudiosos, pois, apesar de existirem poucos estudos sobre a guloseima propriamente dita, sabe-se que outros componentes presentes nos chocolates, como açúcar e leite, estimulam a produção de óleo, sendo assim prejudiciais para quem sofre com acne.”

carne moida pixabay
Pixabay

-Alimentos ricos em Ômega-6: “Alimentos como milho, soja e carne vermelha também podem aumentar o risco do aparecimento de acne, isso porque são alimentos ricos em ácidos graxos do ômega-6, substância com efeitos que favorecem a inflamação.”

farinha werbefabrik pixabay
Foto: WerbeFabrik/Pixabay

– Farinha branca e frituras: “Alimentos que contam com farinha branca também devem ser evitados por quem sofre com acne, pois o ingrediente é rico em carboidratos simples que aumentam a produção de insulina, substância que favorece a produção de hormônios que, assim como os alimentos gordurosos, estimulam a pele a secretar grandes quantidades de óleo e de sebo, o que aumenta a probabilidade de desenvolver acne.”

274172_573153_saiba_como_se_livrar_da_acne_web_

Sendo assim, é fundamental a consulta com um dermatologista caso você sofra com acne. A maioria dos dermatologistas está ciente de que a dieta influencia o surgimento de acne e poderão incentivar você a melhorar sua alimentação para ajudar no tratamento do problema. “Além disso, através da avaliação de sua pele, o médico poderá indicar os melhores tratamentos, que podem incluir desde cosméticos tópicos até medicamentos orais e procedimentos em consultório. Vitaminas orais como FC Oral (Fosfoliopídeos de Caviar e probióticos também podem ser usadas para diminuir a inflamação, bem como cremes com Acneol SR”, diz Claudia.

Fonte: Claudia Marçal é médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da American Academy Of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). Possui especialização pela AMB e Continuing Medical Education na Harvard Medical School. É proprietária do Espaço Cariz, em Campinas – SP.

Celacyn hidrata e suaviza pele com cicatriz

Hidrogel Celacyn combina Ácido Hipocloroso Microcyn Technology e silicone para o cuidado da pele com cicatrizes hipertróficas ou queloides, antigas ou novas. Produto também pode ser usado após procedimento ou ferimento, segundo estudo comparativo, reduzindo vermelhidão, dureza e textura da cicatriz

Para melhorar, hidratar e suavizar a pele com cicatrizes resultantes de procedimentos estéticos, cirurgias, queimaduras, acne e outros ferimentos, a Medical Doctor lançou Celacyn, um poderoso hidrogel que combina Ácido Hipocloroso com tecnologia única e silicone.

De acordo com a dermatologista Juliane Requena, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e consultora médica da Medical Doctor, o produto é especialmente desenvolvido para o manejo de cicatrizes hipertróficas ou queloides, antigas ou novas, podendo ser utilizado após o ferimento, pós-procedimento ou sutura.

“O hidrogel conta com a tecnologia Microcyn, que consiste em compostos reativos de oxigênio e cloreto altamente estáveis, sendo um destes o Ácido Hipocloroso (HOCl), uma substância endógena, que também é produzida pelo sistema imunológico humano com a finalidade de eliminar bactérias e invasores patógenos do organismo”, afirma.

“O Ácido Hipocloroso sempre foi um importante antisséptico, mas persistia o desafio de estabilizar a molécula em pH neutro para que ela se tornasse segura para uso em humanos. Essa tecnologia garante o Ácido Hipocloroso, com pH neutro, estável e eficaz, com ação: anti-inflamatória e antimicrobiana, bactericida e bacteriostática, antisséptica e antipruriginosa, além de não tóxica e não irritante”, afirma a médica.

Dessa forma, o produto é capaz de reduzir a vermelhidão, dureza e textura da cicatriz, promover a oxigenação e a ótima vascularização do processo cicatricial, além de hidratar a pele, atuar na melhora do processo de granulação e epitelização, aliviar a coceira e sensação de dor. Estudos comparativos da marca indicaram que Celacyn tem superioridade comprovada sobre o gel de silicone isolado na questão da vermelhidão, dureza, altura, dor e coceira das cicatrizes.

celacyn_full

Sem fragrâncias, não-tóxico, não-irritante e livre de parabenos, o produto é ideal para todo tipo de pele e auxilia o processo normal de cicatrização. Com relação ao modo de uso, o produto deve ser aplicado na pele limpa em uma fina camada com massagem suave. Logo após, é indicado deixar a pele secar e absorver naturalmente o produto, que pode ser utilizado três vezes ao dia, ou conforme orientação médica.

Medical Doctor: uma das empresas da U.SK Dermatology, que faz parte do Grupo NC, um dos 180 maiores conglomerados econômicos do País, Medical Doctor apresenta ao Brasil inovações farmacêuticas, com desenvolvimento brasileiro e supervisão do laboratório Italiano Monteresearch, com ampla experiência em pesquisas e patentes.

Estudo diz que mudança alimentar ajuda a tratar inflamações na pele

Estudo publicado no Skin Therapy Letter no começo de 2018 afirma que alguns alimentos são altamente maléficos para causar ou piorar inflamações de pele, enquanto outros podem ajudar e muito o tratamento da acne, psoríase, envelhecimento, dermatite e rosácea

Definitivamente, ‘você é o que você come’, mas um novo estudo vai um pouco além disso e diz que você sente na pele muita coisa por conta da sua alimentação. A pesquisa científica Skin and Diet: An Update on the Role of Dietary Change as a Treatment Strategy for Skin Disease, publicada em janeiro no Skin Therapy Letter, afirma que a mudança na dieta pode servir como um componente importante na terapia para certas condições da pele, incluindo acne, rosácea, envelhecimento, psoríase e dermatite.

“Certos nutrientes, alimentos ou padrões alimentares podem agir como ‘gatilhos’ de doenças, enquanto outros podem ser benéficos. Por exemplo, um padrão alimentar que enfatize o consumo de alimentos integrais em vez de alimentos altamente processados pode ajudar no tratamento de certas condições da pele, principalmente àquelas ligadas à inflamação”, afirma a dermatologista Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD).

De acordo com a médica, esse artigo foi uma importante revisão para esclarecer as relações entre dieta e pele, uma vez que uma simples pesquisa na internet já revela que há muita desinformação. “Um exemplo é o chocolate. Muitas vezes ligado ao aparecimento de acne, esse produto só é maléfico se tiver alta quantidade de carboidratos e gorduras e menor concentração de cacau. De forma que não é o cacau o responsável por piorar inflamações de pele e, sim, a gordura e o carboidrato”, exemplifica. Na sequência, a médica destaca os principais pontos do estudo:

Acne

274172_573153_saiba_como_se_livrar_da_acne_web_

Alimentos perigosos: a evidência mais forte até o momento sobre os gatilhos dietéticos para acne é para dietas de alta carga glicêmica. “Em um estudo, pacientes com acne demonstraram melhora significativa após 12 semanas de uma dieta de baixa carga glicêmica. Estudos posteriores documentaram que esse padrão alimentar resultou em menor biodisponibilidade de andrógenos e alteração na produção de sebo da pele”, diz a médica. O uso de suplementos como Whey Protein já foi indicado em estudos como influenciador importante no desenvolvimento de acne resistente.

Ostra_3

A dieta ideal: as recomendações alimentares para pacientes com acne incluem alimentos ou suplementos contendo probióticos, ácidos graxos ômega-3, zinco, antioxidantes, fibras e vitamina A. “Alimentos com zinco tem papel importante para o controle da produção de sebo, de acordo com estudos”, afirma a médica.

Envelhecimento da Pele

mulher-espelho-rosto-rugas

Alimentos perigosos: para os pacientes que apresentam fotoenvelhecimento, os fatores do estilo de vida que afetam esse processo são um aspecto importante do tratamento. “Embora o tabagismo e a proteção solar sejam comumente indicados como maléficos a esse tipo de paciente, os fatores dietéticos também devem ser considerados”, diz Valéria. Uma das grandes preocupações é o açúcar e o carboidrato: “Níveis mais altos de açúcar no sangue podem resultar na produção de produtos finais de glicação avançada (conhecidos como AGEs), que agem no endurecimento das fibras de colágeno, o que resulta em perda de elasticidade e flacidez. O consumo de AGEs pré-formados, criados durante certos processos de cozimento, como a fritura, também pode ser prejudicial”, afirma a médica.

goji berry dry

A dieta ideal: muitos estudos em laboratório e em animais descobriram que vários antioxidantes encontrados em alimentos (frutas, vegetais, folhas de chá e sementes) atuam para limitar os efeitos cutâneos nocivos da radiação ultravioleta (UV). “Em um estudo, indivíduos que consumiram pasta de tomate diariamente por 12 semanas apresentaram menos eritema induzido por UV, bem como níveis mais baixos de metaloproteinases (enzimas que degradam colágeno)”, diz a médica. Outras pesquisas em humanos sugerem que uma dieta rica em fitonutrientes pode limitar o fotodano. “Um estudo relatou que a maior ingestão de vegetais, legumes e azeite parece proteger contra danos do fotoenvelhecimento. Em outra pesquisa com mais de 4.000 mulheres, concluiu-se que as vitaminas A e C são importantes para uma pele ser menos envelhecida”.

Dermatite Atópica

dermatite_atopica

Alimentos perigosos: as alergias alimentares estão altamente correlacionadas com a dermatite atópica e os seis alimentos mais comuns a funcionar como gatilhos são: leite, ovos, trigo, soja, frutos do mar ou nozes.

493ss_thinkstock_rf_five_panel_prebiotic_foods
Thinkstock

A dieta ideal: os simbióticos, que são probióticos em combinação com prebióticos, mostraram-se promissores no tratamento da dermatite atópica. “Probióticos são bactérias vivas, similares àquelas encontradas naturalmente no corpo humano, e que podem ser benéficas para a saúde. Os prebióticos, como certas fibras vegetais, são definidos como carboidratos não digeríveis que estimulam o crescimento de bactérias probióticas no intestino”, explica.

Psoríase

psoriase-mulher

Alimentos perigosos: a importância da dieta deve ser enfatizada para todos os pacientes com psoríase, principalmente devido ao maior risco de doenças relacionadas, incluindo diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares, que podem ser evitadas ou melhoradas por abordagens dietéticas. “É bem reconhecido que o tabagismo e o aumento da ingestão de álcool estão associados à psoríase. Mas alimentos contendo glúten podem atuar como um gatilho em alguns pacientes, e testes para anticorpos celíacos são necessários para aqueles que relatam sintomas gastrointestinais de acordo com o estudo”, explica.

óleo de peixe pixabay

A dieta ideal: em uma revisão sistemática da literatura, o aumento da gravidade da psoríase pareceu correlacionar-se com um maior índice de massa corporal (IMC), e acredita-se que a obesidade provavelmente predisponha à psoríase e vice-versa. De acordo com o artigo, embora as recomendações dietéticas específicas não sejam claras, um estudo observacional encontrou uma associação benéfica de melhora com pacientes que seguiram a dieta mediterrânea. “Em termos de suplementos nutricionais, vários estudos apostam no óleo de peixe como o mais promissor e a vitamina D oral demonstrando alguma promessa em estudos abertos. Houve evidência limitada para o benefício da suplementação de vitamina B12 e selênio”, afirma a médica.

Rosácea

AdobeStock_ rosacea

Alimentos perigosos: pacientes com rosácea devem evitar os desencadeantes alimentares e nesse grupo entram várias especiarias, molho picante, chocolate ao leite e branco, frutas cítricas, álcool (incluindo vinho e bebidas destiladas), além de bebidas quentes como café e chá. “Não significa que o paciente com o paciente com rosácea deve deixar de ingerir todas essas substâncias, mas ele deve ficar de olho, juntamente com o médico, se esses alimentos não influenciam negativamente na vermelhidão da pele e inflamações”, afirma a médica.

muesli fibras pixabay
Pixabay

A dieta ideal: a pesquisa indica o possível papel de uma conexão intestinal na rosácea, sugerindo um aumento do consumo de fibras e da ingestão de água ou o uso de simbióticos por via oral.

Fonte: Valéria Marcondes é dermatologista da clínica que leva seu nome, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia com título de especialista e da Academia Americana de Dermatologia. Foi fundadora e é membro da Sociedade de Laser.

Tratamentos rejuvenescedores para um rosto impecável e rápida recuperação

Alterações na textura da pele, flacidez e manchas são alterações estéticas difíceis de serem tratadas com dermocosméticos, por esse motivo é melhor recorrer a procedimentos dermatológicos, que usam tecnologias como lasers e radiofrequências para acelerar os resultados

Nos últimos anos, as cirurgias plásticas com cunho estético despencaram em número, enquanto os procedimentos menos invasivos obtiveram crescimento expressivo. Além disso, a procura por procedimentos dermatológicos tem crescido. “As manchas do sol, as alterações de textura, os poros abertos e as olheiras são problemas que podem ser solucionados de maneira muito mais rápida e efetiva com lasers”, aponta Abdo Salomão Jr, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia.

O especialista explica quatro tratamentos menos invasivos que podem ser feitos nos consultórios dermatológicos e com curto tempo de recuperação:

Manchas e olheiras – Procedimento: Vektra QS

olhos olheiras
Usado no tratamento de melasma, manchas, olheiras e remoção de tatuagens, o laser Vektra QS, da plataforma Solon, tem duração de pulso de 15 nanossegundos e é fracionado. “Solon Vektra age no melanócito (células produtoras de melanina) impedindo a célula de liberar o pigmento para as células mais superficiais. É como se o melanócito guardasse o pigmento para ele, por isso acaba clareando”, afirma o médico. Com relação às olheiras, Vektra melhora a textura e principalmente clareia: “Ele age tanto no castanho que é o pigmento de melanina quanto no pigmento férrico que é o da hemoglobina”, afirma. O ideal é fazer uma sessão a cada 15 dias (total de quatro a seis sessões rápidas). O resultado dura um ano, depois é necessário fazer manutenções. “Esse procedimento é bem interessante porque consegue chegar onde não conseguíamos com as tecnologias anteriores”.

Poros abertos -Procedimento: Eletroderme (+ Laser Pro Collagen)

poros
Segundo o dermatologista, a associação da radiofrequência microagulhada Eletroderme com o laser 2940 Pro Collagen resolve o problema dos poros abertos com efeito benéfico sobre a textura da pele. “A radiofrequência microagulhada Eletroderme penetra profundamente na pele, promovendo coagulação, aquecimento e reorganização das fibras de colágeno. A temperatura da derme chega até a 70ºC, estimulando a regeneração celular por meio do processo de cicatrização, a proliferação de células-tronco e estímulo da síntese de elastina, da neocolagênese (produção de colágeno) e angiogênese (proliferação de vasos sanquíneos)”, explica o médico. Já o laser 2940 Pro Collagen age na derme estimulando intensamente o colágeno. Este novo colágeno melhora o tônus da derme fazendo com que os ductos das glândulas se fechem com melhora da sua aparência”, completa. A associação é feita da seguinte maneira: um mês é feito o Eletroderme, no segundo o Pro-Collagen. “Em três meses a melhora é exuberante e definitiva”, garante.

Alterações na textura e cicatriz de acne – Procedimento: Eletroderme

274172_573153_saiba_como_se_livrar_da_acne_web_

“Para cicatriz de acne, o recurso mais moderno e atual, que se fala em todo congresso, também é o Eletroderme, uma radiofrequência microagulhada segura, profunda, com resultados rápidos e oferece a possibilidade do drug delivery, com abertura de canais para inserção de fármacos como o ácido retinoico, Vitamina C, Ácido Hialurônico Hyaxel, Silicium P e Progenitrix, que ajuda na renovação das células”, explica. A ação de neocolagênese da radiofrequência microagulhada é potencializada com o uso das substâncias.

Flacidez facial – Procedimento: D&D (Drug Delivery Digital)

mulher rosto
A novidade D&D, drug delivery digital, é um procedimento que acaba com a flacidez facial em sessões rápidas. “A técnica permite a inserção de ácido hialurônico na região facial por meio de agulhas, com total controle do médico e na dosagem perfeita, que é 100% aproveitada”, explica. A substância promove firmeza ao estimular as fibras de sustentação da pele. Segundo o dermatologista, diferente da técnica de drug delivery comum, em que as microagulhas perfuram a pele e as substâncias são aplicadas posteriormente aproveitando esses canais de entrada das agulhas, o D&D funciona como uma injeção, então não há perda de substância na camada mais superficial da pele. “Com a nova tecnologia D&D, as agulhas fazem a entrega dos ativos diretamente no alvo, como se fosse uma ‘injeção’. Por isso, D&D permite um tratamento homogêneo e preciso”, afirma o médico. O tratamento para flacidez facial é feito em quatro sessões mensais. “Após 30 dias da primeira sessão já é possível notar mais firmeza, com melhora do aspecto geral da pele. Diferentemente de cirurgias, que tem pós-operatório complicado, o D&D tem tempo de recuperação tranquilo. Além disso, não fica cicatriz”, finaliza o médico.

Fonte: Abdo Salomão Jr é doutorando em Dermatologia pela USP (Universidade de São Paulo), sócio-efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Membro da Sociedade Brasileira de laser em Medicina e Cirurgia e da American Academy of Dermatology. Diretor da Clínica Dermatológica Abdo Salomão Junior.

Eudora lança Máscara Facial Carvão Ativado que combate cravos e espinhas

Quem sofre com acne sabe a importância de ter um aliado na hora de cuidar da pele. Pensando nisso, Eudora apostou em mais um lançamento da linha Neo Essens, que combate cravos e espinhas.

Neo Essens Máscara Facial Carvão Ativado possui em sua formulação o carvão, reconhecido por sua ação detox que auxilia na absorção do excesso de oleosidade e eliminação de pontos pretos e cravos na pele. Além disso, possui o exclusivo Complexo TriAction A que proporciona ação antisséptica e impede a proliferação da bactéria causadora da acne – combatendo, prevenindo e tratando as imperfeições da pele do rosto.

Conta, também, com ação purificante e antioxidante, que acalma e reduz a vermelhidão da pele, removendo o excesso de oleosidade e auxiliando no controle e formação do óleo ao longo do dia.

Segundo a marca, os resultados são comprovados desde a primeira aplicação.

 

ED_CF11_2018_ROSTO_STILL_NEO_ESSENS_MASCARA_FACIAL_CARVAO_73338_02.png

Neo Essens Máscara Facial Carvão Ativado – Preço: R$ 34,99

O produto pode ser encontrado por meio de representantes Eudora, no e-commerce, nas lojas próprias e quiosques

Informações: Eudora – SAC 0800 727 45 35

Renew Clinical Peeling Rejuvenescedor Avançado da Avon combina cinco ácidos

A prestigiada linha Renew da Avon acaba de ganhar mais um produto. Desenvolvido pelos cientistas do Avon Skincare Institute, o Renew Clinical Peeling Rejuvenescedor Avançado com Complexo Multi Acid 5 é um novo tratamento para o rosto com uma combinação exclusiva de cinco ácidos, que garantem os efeitos de peeling ao alcance de um disco umedecido.

Essa combinação esfolia a pele e ajuda a reduzir visivelmente a aparência dos poros, deixando o visual mais uniforme e radiante, melhorando a textura e o brilho e minimizando a aparência de manchas, linhas finas e marcas pós-acne.

O Renew Clinical Peeling Rejuvenescedor Avançado deve ser usado na pele limpa e seca, duas ou três vezes por semana e incluí-lo na rotina de beleza é simples: basta passar o disco umedecido pelo rosto e pescoço em movimentos circulares, evitando a área dos olhos. Não é preciso enxaguar e, após a aplicação, basta deixar a pele secar por alguns minutos antes de aplicar o protetor solar facial.

Renew-clinical-alta

Preço: R$ 51,99

O lançamento pode ser adquirido por meio de uma revendedora Avon ou no site da marca.

SAC Avon: 0800 708 28 66

 

 

Dia Mundial do Chocolate: dependendo do tipo, ele pode ser benéfico ou maléfico

É possível aproveitar o Dia Mundial do Chocolate, comemorado hoje, 7 de julho, com boas escolhas para sua pele: enquanto o chocolate ao leite e o branco podem piorar inflamação da acne, opções mais amargas, que trazem alta concentração de cacau, têm efeito anti-idade

Sempre quando falamos de chocolate surgem dúvidas quanto aos benefícios ou malefícios do cacau à pele. “Eficaz contra o mau humor, além de trazer sensação de bem-estar, o chocolate deve ser consumido com parcimônia; as versões brancas e ao leite devem ser evitadas, por conta da quantidade de açúcar e gordura presente nesses produtos, que podem favorecer a inflamação e envelhecer a pele. Enquanto o chocolate amargo é uma excelente opção para oferecer benefícios antioxidantes”, afirma a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology.

Chocolate e acne

mulher jovem acne espinha

A principal dúvida com relação aos chocolates é se eles causam ou não acne. De acordo com a médica, o cacau em si é um alimento extremamente benéfico e a sua concentração não está relacionada ao surgimento ou piora da acne, pelo contrário: esse ingrediente é um aliado da saúde e da pele.

“Ele é um poderoso antioxidante e ajuda a promover luminosidade e hidratação. O cacau contém flavonoides, que são fitonutrientes com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Eles [flavonoides] auxiliam na proteção aos danos dos raios UV, prevenindo as rugas e combatendo os radicais livres que ajudam a deixar a pele mais brilhante e saudável”, afirma a dermatologista.

Portanto, que fique bem claro: o cacau não causa espinhas. O problema está no açúcar e nas gorduras. “Alimentos com gorduras, açúcares e hidratos de carbono, como os chocolates ao leite e branco, têm alto índice glicêmico. Muitos estudos sugerem que a alta carga glicêmica na dieta habitual está envolvida com a ocorrência e gravidade da acne vulgar em pacientes predispostos, na medida em que favorece a hiperinsulinemia que, em consequência, influencia no crescimento epitelial folicular, na queratinização e, também, na secreção sebácea e desenvolvimento de acne. A gordura e o leite presente em chocolates podem colaborar também para o agravamento do quadro”, explica a dermatologista.

Estudos realizados pela Universidade de Miller School of Medicine, em Miami (EUA), mostraram que as pessoas que comeram mais chocolate (branco e ao leite) tiveram aumento de acne e da inflamação na pele.

Chocolate amargo

chocolate amargo cacau elsenaju

Chocolates com mais de 50% de cacau e o padrão ouro (com mais de 70%) fornecem os benefícios antioxidantes dos flavonoides do cacau e podem ser ricos em vitamina C, vitamina E, cálcio, fósforo, ferro, potássio e sódio.

“De forma geral, o chocolate amargo tende a ser uma boa opção – com menos quantidade de carboidratos e açúcar, pois ele ajuda a combater doenças cardiovasculares, tem ação antioxidante e anti-inflamatória. Além disso, as versões deste chocolate com oleaginosas trazem mais benefícios e nutrientes, principalmente para pacientes com pele seca”, diz. Mas atenção à dose: 30 gramas ao dia é o recomendado – portanto uma barra de chocolate pode ser consumida, em média, em uma semana.

Chocolates não recomendáveis

“O ideal é evitar os chocolates ao leite e branco, que possuem mais gordura e açúcar, ambos envolvidos com o processo de inflamação e aceleração do envelhecimento da pele”, explica. Pacientes de pele oleosa devem evitar esse tipo de chocolate principalmente se ele ainda tiver amendoim e castanhas, que trazem mais gorduras saturadas (e muitas vezes mais açúcar) para a pele e as glândulas serão as responsáveis por excretar este acúmulo de gordura.

“Além disso, sabemos que alimentos com alto índice glicêmico são mais inflamatórios levando ao estresse oxidativo e glicação”, finaliza a médica.

Fonte: Claudia Marçal é dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School

Chocolate amargo tem efeito anti-idade, já os demais podem piorar inflamação de acne

É possível aproveitar a Páscoa sem deixar de comer ovos de chocolate. Mas para isso, a opção deve ser por chocolates menos calóricos, como o amargo, que traz alta concentração de cacau, um poderoso antioxidante

Com a proximidade da Páscoa, a procura por ovos de chocolate aumenta e, frequentemente, surgem dúvidas quanto aos seus benefícios ou malefícios à pele. “Eficaz contra o mau humor, além de trazer sensação de bem-estar, o chocolate deve ser consumido com parcimônia; as versões brancas e ao leite devem ser evitadas, por conta da quantidade de açúcar e gordura presente nesses produtos, que podem favorecer a inflamação e envelhecer a pele”, afirma a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da American Academy of Dermatology.

Chocolate e acne

acne

A principal dúvida com relação aos chocolates é se eles causam ou não acne. De acordo com a médica, o cacau em si é um alimento extremamente benéfico e a sua concentração não está relacionada ao surgimento ou piora da acne, pelo contrário: esse ingrediente é um aliado da saúde e da pele. “Ele é um poderoso antioxidante e ajuda a promover luminosidade e hidratação. O cacau contém flavonoides, que são fitonutrientes com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Eles [flavonoides] auxiliam na proteção aos danos dos raios UV, prevenindo as rugas e combatendo os radicais livres que ajudam a deixar a pele mais brilhante e saudável”, afirma a dermatologista.

Portanto, que fique bem claro: o cacau não causa espinhas. O problema está no açúcar e nas gorduras do chocolate. “Alimentos com gorduras, açúcares e hidratos de carbono, como os chocolates ao leite e branco, têm alto índice glicêmico. Muitos estudos sugerem que a alta carga glicêmica na dieta habitual está envolvida com a ocorrência e gravidade da acne vulgar em pacientes predispostos, na medida em que favorece a hiperinsulinemia que, em consequência, influencia no crescimento epitelial folicular, na queratinização e, também, na secreção sebácea e desenvolvimento de acne. A gordura e o leite presente em chocolates podem colaborar também para o agravamento do quadro”, explica a médica.

Estudos realizados pela Universidade de Miller School of Medicine, em Miami (EUA), mostraram que as pessoas que comeram mais chocolate (branco e ao leite) tiveram aumento de acne e da inflamação na pele.

Chocolate amargo

chocolate amargo pixabay

Chocolates com mais de 50% de cacau e o padrão ouro (com mais de 70%) fornecem os benefícios antioxidantes dos flavonoides do cacau e podem ser ricos em vitamina C, vitamina E, cálcio, fósforo, ferro, potássio e sódio. “De forma geral, o chocolate amargo tende a ser uma boa opção – com menos quantidade de carboidratos e açúcar, pois ele ajuda a combater doenças cardiovasculares, tem ação antioxidante e anti-inflamatória. Além disso, as versões deste chocolate com oleaginosas trazem mais benefícios e nutrientes, principalmente para pacientes com pele seca”, diz.

Mas atenção à dose: 30g ao dia é o recomendado – portanto um ovo de chocolate pode ser consumido, em média, em uma semana.

Chocolates não recomendáveis

ovo de pascoa

“O ideal é evitar os chocolates ao leite e branco, que possuem mais gordura e açúcar, ambos envolvidos com o processo de inflamação e aceleração do envelhecimento da pele”, explica. Pacientes de pele oleosa devem evitar esse tipo de chocolate principalmente se ele ainda tiver amendoim e castanhas, que trazem mais gorduras saturadas (e muitas vezes mais açúcar) para a pele e as glândulas serão as responsáveis por excretar este acúmulo de gordura.

“Além disso, sabemos que alimentos com alto índice glicêmico são mais inflamatórios levando ao estresse oxidativo e glicação”, finaliza a médica.

Fonte:  Claudia Marçal é dermatologista da Clínica de Dermatologia Espaço Cariz, com especialização pela Associação Médica Brasileira (AMB), membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e membro da American Academy of Dermatology (AAD), CME (Continuing Medical Education) na Harvard Medical School