Arquivo da tag: ada tina

Ada Tina lança campanha ‘Never Tested’ e se posiciona contra testes em animais

Marca nunca realizou testes cosméticos em animais e também exige que todas as matérias primas não sejam testadas nos ‘bichinhos’. Além disso, mais de 95% dos produtos da Ada Tina são veganos

Ada Tina, marca italiana de dermocosméticos, lança a campanha Never Tested – Contro i Teste Sugli Animali, posicionando-se contra testes de produtos e ingredientes cosméticos em animais e convidando seus consumidores e parceiros a defender essa causa.

“Desde sua origem, a Ada Tina segue os ideais italianos de não realizar testes em animais, além de não utilizar ingredientes de fonte animal ou produzidos por qualquer processo que envolva o sofrimento deles”, afirma o farmacêutico Maurizio Pupo, diretor de Pesquisa e Desenvolvimento da Ada Tina. Atualmente mais de 95% dos produtos da marca são veganos.

Pupo conta que a Ada Tina desenvolve produtos obedecendo ao conceito Life Concept, que segue rigorosamente três princípios: “Respeito à Natureza”, “Respeito à Pele” e “Respeito aos Animais”. “A Ada Tina respeita todos os tipos de vida e acredita que não é necessário causar dor a um animal inocente, já que esta é uma ferramenta antiga e desnecessária e que já existem métodos alternativos e eficazes para garantir a segurança de um produto cosmético”, enfatiza.

Em mais de 80% do mundo, incluindo o Brasil, ainda é permitido que testes sejam realizados em animais para produção de cosméticos.

Histórico dos testes em animais

Até o início do século 20, os cosméticos lançados no mercado não possuíam nenhuma garantia de segurança ao consumidor. Já na década de 1940, conta Pupo, testes em animais eram o único recurso disponível que a indústria cosmética possuía para avaliar o potencial tóxico de uma substância, ou antecipar se um composto tinha capacidade de causar algum tipo de irritação à pele ou aos olhos.

“Com o passar do tempo, esses testes passaram a ser alvo de críticas devido ao sofrimento causado aos animais e pelas diferenças entre o organismo de animais e seres humanos, o que pode levar a falsos resultados na conclusão dos experimentos”, afirma. Com o avanço tecnológico e científico, pesquisadores têm se dedicado ao desenvolvimento de métodos alternativos, sofisticados e precisos para garantir segurança e eficácia sem sofrimento aos animais.

logo_never_tested_left.png

Dados mundiais

A China é reconhecida como um dos países mais cruéis em relação ao teste de animais, já que exige obrigatoriamente que produtos vendidos em seu território sejam testados nos bichinhos. “Estima-se que, para o desenvolvimento de cada produto sejam utilizados 72 animais, o que resulta no sofrimento de mais de 300.000 deles no período de um ano. Por hora, 34 animais são mortos na China por conta de testes cosméticos. Isso precisa acabar”, defende o especialista.

Nos 28 países da União Europeia é proibido testar produtos cosméticos acabados e ingredientes em animais. É proibida, também, a comercialização de qualquer produto importado que tenha realizado esse tipo de teste. No Brasil, um projeto de lei está tentando impedir que produtos cosméticos acabados sejam testados em animais, o que não veta testes de novos ingredientes. Sendo assim, o projeto de lei proíbe um teste que quase não é realizado, resultando em nada para impedir o sofrimento dos animais.

 

 

Produtos rejuvenescedores ideais para quem é vegano

No Dia do Veganismo, marcas mostram produtos livres de crueldade animal que auxiliam na renovação da pele e na diminuição dos sinais de envelhecimento

 O mercado dermatológico vem investindo cada vez mais em produtos naturais e veganos. Já é possível encontrar nas prateleiras produtos para acne, anti-idade e fotoprotetores totalmente veganos.

“Um produto vegano é aquele que não tem ingredientes animais e também não usa do sofrimento animal para testes de eficácia, de irritabilidade ou de qualquer outro tipo. Nos cosméticos veganos tomamos o máximo de cuidado na formulação e aquisições de matérias-primas, tendo sempre o objetivo de não causar nenhum mal aos animais”, explica Márcio Accordi, biólogo especialista em cosmetologia e diretor da Biozenthi Laboratórios Cosméticos.

Entre os dermocosméticos, os produtos anti-idade, que auxiliam na diminuição de rugas e da flacidez da pele, são muito procurados. E, ao contrário do que muitos pensam, já existe uma variedade de produtos veganos com essa finalidade, com excelentes resultados. Para mostrar isso, selecionamos 5 produtos veganos que auxiliam na diminuição dos sinais de envelhecimento. Confira:

pure_c_20_mousse

Pure C 20, da Ada Tina Italy, é um anti-aging com alta propriedade antioxidante que auxilia na redução de rugas e da flacidez. Com uma fórmula composta por 20% de Vitamina C, o Pure C previne o envelhecimento causado pelos radicais livres e atua na síntese de colágeno, promovendo uma pele mais jovem e firme, livre de linhas de expressão.

sustent_blur

Sustent Blur, da Ada Tina Italy, é um antirrugas instantâneo com ação preenchedora que corrige imperfeições e aumenta a firmeza da pele. Com efeito lifting progressivo, o produto confere à pele uma aparência lisa e uniforme, corrigindo imediatamente as irregularidades do rosto.

stone_gold

Stone Gold, da Buona Vita, é uma máscara litoterápica com efeito lifting que reduz rugas e linhas de expressão. Formulado com Vederine, um ativo que atua restaurando as funções dos receptores da Vitamina D lesados pelo processo de envelhecimento, o produto restaura e revitaliza a aparência da pele, deixando-a mais sedosa e hidratada.

tenso_active_50g

Tenso Active, da Buona Vita, é um creme firmador que tonifica a pele e estimula a formação de novas fibras de colágeno, aumentando a elasticidade da pele e minimizando os sinais de envelhecimento. Com DMAE Liquid Base, que exerce efeito tensor, o produto auxilia no combate as rugas, melhorando a aparência da pele.

lisskin

Lisskin, da Biozenthi, é um creme facial tensor e rejuvenescedor que age diretamente na pele promovendo ação antirrugas e antioxidante. O produto conta com ácido lático, que auxilia na renovação celular, e óleo de semente de uva, que possui alta propriedade hidratante e antioxidante.

Fonte: Márcio Accordi – Biólogo microbiologista, especialista em cosmetologia clínica. Márcio Accordi é diretor pesquisador de matérias-primas vegetais, orgânicas e veganas.