Arquivo da tag: água

Refrigerante e bebida zero caloria podem atrapalhar emagrecimento

Tomar uma bebida “zero” fará você emagrecer? Nem sempre: refrigerantes diet adoçados artificialmente podem criar uma compulsão por alimentos doces e de alto teor calórico. Então, mesmo que a contagem de calorias diminua com as bebidas zero, o consumo de açúcares em outros alimentos pode aumentar.

Quem começa uma dieta tende a fazer algumas trocas para preservar algum ‘sabor’ mais palatável e familiar, mas ingerir menos calorias. E uma das mais comuns é a substituição do refrigerante comum por uma bebida zero ou diet ou ainda uma água gaseificada, adoçada e com um pouco de sabor. Mas a verdade é que essas opções, em vez de ajudar, podem atrapalhar o processo de emagrecimento.

“O problema com refrigerantes regulares não são apenas as calorias. Uma preocupação é que os refrigerantes diet adoçados artificialmente podem criar uma compulsão por alimentos doces e de alto teor calórico. Portanto, mesmo que a contagem de calorias diminua com os refrigerantes sem calorias, o consumo açúcares em outros alimentos e bebidas pode aumentar ainda mais. Em estudos com roedores, descobriu-se que pelo menos um adoçante artificial (aspartame) pode ocasionar danos a uma parte do cérebro que identifica quando é o momento que se deve parar de comer. Já outro estudo em humanos descobriu uma tendência de ganho de peso entre pessoas que bebem bebidas adoçadas artificialmente”, explica a médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

Segundo a médica, ainda existem outros problemas de saúde associados aos adoçantes artificiais, incluindo um possível aumento no risco de certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e problemas renais, apesar de que mais estudos ainda precisem provar essa evidência.

Em um terceiro estudo, este também com humanos, 20 estudantes do sexo masculino consumiram cinco bebidas, uma em cada momento durante um período de um mês. As bebidas incluíam água, refrigerante normal, refrigerante zero, refrigerante diet ou água gaseificada. Logo depois, seus níveis de grelina no sangue foram medidos. “A grelina é um hormônio produzido principalmente pelo estômago e intestino, que é responsável por estimular a sensação de fome quando o estômago está vazio”, explica a médica.

“Quando os alunos bebiam qualquer bebida carbonatada (refrigerante normal, zero, diet ou água com gás), os níveis de grelina aumentavam para níveis mais altos do que quando bebiam água natural. Embora este estudo não tenha avaliado a ingestão de alimentos ou alterações de peso dos alunos após beber diferentes tipos de bebidas, os níveis aumentados de grelina após o consumo de bebidas carbonatadas tornam plausível que essas bebidas possam causar fome, aumento do consumo de alimentos e ganho de peso. E isso é motivo de preocupação”, explica a médica nutróloga.

Segundo os autores do estudo, as células do estômago que são sensíveis à pressão respondem ao dióxido de carbono nas bebidas carbonatadas, aumentando a produção de grelina.

O que resta, afinal, para beber diariamente? A resposta curta é fácil: água. “Chá sem açúcar ou água com infusão de frutas também são boas alternativas”, explica Marcella. “Embora a água pura seja a melhor para a saúde, para muitos não é a escolha mais atraente. Variações de águas como a água com gás, as águas saborizadas, a água de coco e os chás, também valem. Sucos, cafés e outros líquidos, não adoçados com açúcar, podem ser também consumidos, mas com moderação. Se você preferir beber refrigerante todos os dias, faz sentido mudar de uma alternativa normal para uma alternativa sem calorias. Uma bebida gaseificada de baixa caloria ainda pode ser uma escolha razoável, contanto que você fique de olho no resto de sua dieta e no seu peso”, diz Marcella.

Foto: iStock

“Outra forma de mudar os hábitos e diminuir o consumo é perceber qual momento você ingere mais refrigerante, buscando opções que podem ser mais vantajosas, por exemplo, comendo uma fruta como sobremesa, ou apostando em um chá. O kombucha também é uma boa opção. A bebida de origem oriental é um chá fermentado com sabor ácido e adocicado, que parece um refrigerante natural, com vários sabores e que pode ser feito em casa a partir de uma cultura de micro-organismos com atividade probiótica, chamada ‘scoby’ ou comprar as versões prontas, que cada vez são mais facilmente encontradas. A kombucha é uma ótima fonte de probióticos e como as outras fontes alimentares enriquecidas com probióticos, auxilia o sistema imunológico, melhora o funcionamento intestinal e melhora a absorção de nutrientes”, finaliza a médica.

Fontes: Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Está difícil beber água? Conheça formas alternativas de se hidratar

Nem só de litros de água por dia a gente vive. Nutricionista ensina como driblar a dificuldade de ingerir água

Apesar da água ser necessária para a saúde física, para muitas pessoas pode ser um desafio ingerir os famosos dois litros por dia, e com as baixas temperaturas que vêm e vão em boa parte do país, beber diariamente essa quantidade necessária para o corpo humano fica ainda mais difícil. Mas engana-se quem pensa que somente a água pura conta para a hidratação do corpo.

A nutricionista Beatriz Fausto, da Clínica Corporeum, de Brasília, explica que para quem tem dificuldade, ou não gosta de beber água, algumas táticas podem ser usadas. “Uma sugestão é consumir água saborizada, basta cortar rodelas de limão, laranja ou abacaxi e hortelã, colocar dentro de uma garrafa com água e ir consumindo durante o dia. Assim o líquido fica com um gosto agradável e suave”, aconselha a especialista.

Chás e frutas também são excelentes alternativas para driblar a dificuldade de beber água. A melancia, por exemplo, é uma das frutas que mais hidratam, contendo cerca de 95% de água em sua composição, além de ser rica em vitamina A, B6 e C, potássio, ferro, cálcio, licopeno e ter baixo valor calórico. “As frutas são ótimas aliadas para os dias mais secos, pois são compostas por mais de 70% de água, além de serem ricas em vitaminas, antioxidantes, minerais e fibras”, alerta Beatriz.

As melhores alternativas

Algumas frutas, além da melancia, são mais indicadas para quem deseja ingerir água de uma forma diferente e saudável. A laranja ocupa o segundo lugar no ranking das frutas com mais água em sua composição, com 89,6%, além de ser rica em fibras, antioxidantes, vitamina C, cálcio, potássio, magnésio, fósforo e ferro.

Abacaxi, mamão e melão também estão na lista das frutas campeãs da hidratação. Mesmo assim, ainda acha difícil levar frutas para o trabalho, faculdade ou escola para consumir durante o dia? Então aposte nos chás!

Process brewing tea, tea ceremony, Cup of freshly brewed fruit and herbal tea, dark mood .Hot water is poured from the kettle into a cup with tea leaves.

Quentes ou frios, os chás têm incontáveis benefícios nutricionais. Aposte em chás de camomila, hortelã, frutas vermelhas, gengibre, erva doce, entre outros, mas fique de olho nos ingredientes do rótulo: os que contém cafeína devem ser consumidos com moderação.

Foto: chamomileteaonline

“Já foi provado que a camomila, por exemplo, ajuda a evitar problemas cardiovasculares e fortalece o sistema imunológico. O chá de gengibre alivia enjoos, o de erva doce ajuda com as gases e assim por diante. Além de serem uma ótima alternativa para ajudar na hidratação, trazem outros benefícios para o corpo”, explica Beatriz.

Aos amantes de suco, podem incluí-los na rotina. Os sucos naturais, feitos, de preferência, com a fruta in natura, são excelentes aliados. Mas a nutricionista da Corporeum recomenda: “dê preferência aos sem açúcar!”. Além do mais, uma dieta rica em vegetais contribui para a saúde, emagrecimento e consumo diário de água.

Pixabay

Alguns alimentos são compostos, em sua maioria, por água, sendo ótimas opções na missão de consumir o mínimo indicado de líquidos diários. O alface, por exemplo, possui cerca de 96% de água em sua composição, enquanto o pepino tem 95%. O leite também entra na lista de parceiros, com cerca de 91%.

Indispensável para a saúde

A pergunta que pode ficar é: por que a água é tão importante? Mais de 70% do corpo humano é composto por água, ela ajuda a levar nutrientes como oxigênio e sais minerais até as células, além de expulsar as substâncias tóxicas do corpo por meio do suor e da urina. Por isso é indicado que, de acordo com as recomendações gerais, cada indivíduo consuma de 30 a 40ml de água por quilo, então uma pessoa com 70kg deve consumir cerca de 2L por dia.

A nutricionista separou 10 ganhos da ingestão de água, para incentivar o consumo: regula a temperatura do organismo; ajuda a eliminar toxinas por meio da urina; ajuda a prevenir infecções urinárias; lubrifica articulações; favorece o funcionamento do intestino; melhora a absorção de nutrientes; auxilia na digestão; favorece o emagrecimento; ajuda no controle da pressão arterial e favorece uma melhor aparência da pele.

“Para não esquecer de ingerir água, ande sempre com uma garrafinha e conte com a ajuda de aplicativos que emitem notificações para lembrar de beber água durante o dia. Isso ajuda a beber mais líquidos e sem sofrimento!”, finaliza a nutricionista.

Fonte: Clínica Corporeum

Beber muita água é sempre positivo: mito ou verdade?

Um dos conselhos mais difundidos junto a quem procura uma vida saudável é beber bastante água. Quem nunca escutou que é preciso consumir, no mínimo, dois litros do líquido por dia? Apesar da importância para o bom funcionamento dos rins e de outros sistemas do organismo, é necessário cautela na hora de seguir esta recomendação.

Segundo o urologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Sandro Nassar, dentro das patologias renais, há tanto as que demandam alto consumo de água quanto as que exigem cuidado com o volume ingerido. 

No cenário mais amplo, a orientação para consumo abundante de água está associada essencialmente a dois fatores: desidratação e formação de cálculos renais. O primeiro fator, segundo o médico, tem maior risco de ocorrer entre crianças e idosos que tendem a ter quadros de vômitos e diarreia mais frequentes. “A perda de líquido por esses meios pode gerar desidratação, que aumenta a chance de insuficiência renal. Para evitar isso, indicamos uma ingesta satisfatória de água diariamente”, complementa. 

Do outro lado, quando existe diagnóstico de insuficiência renal, a orientação vai na contramão: a ideia é que o consumo de líquido se torne cada vez mais restrito conforme a gravidade do problema. Nassar explica que nestes casos, o rim tem uma incapacidade de filtração e, se a demanda hídrica for alta, ocorre inchaço. 

“A perda da função do rim pode ocorrer por diferentes motivos, como uso de medicamentos, diabetes e hipertensão. Para os pacientes com o quadro, é preciso limitar o consumo de qualquer líquido, até mesmo os presentes nos alimentos, para evitar inchaço – que geralmente é percebido nas pernas. Em casos graves, por exemplo, essa ingestão pode ser de no máximo 800 ml ao dia”.

Adobe Stock

O urologista ressalta, no entanto, que para uma população saudável e que mantém acompanhamento médico constante, a dica de consumo de 1,5 a 2 litros de água por dia pode ser seguida. “Essa é uma orientação generalizada que auxilia na prevenção de cálculo renal. Porém, vale ressaltar que essa quantidade não vai impedir o problema em todos. Algumas pessoas vão necessitar de mais líquido, por isso é preciso sempre ter um acompanhamento médico”, conclui. 

Fonte: Hospital Edmundo Vasconcelos

Conheça o jeans produzido com um copo d’água

Malwee dá um novo passo em direção a um jeans com menor impacto para a natureza, com redução de 98% de água no processo fabril

Anunciado no fim do ano passado, o reposicionamento de marca da Malwee, Moda Sem Ponto Final, defende uma moda mais durável, versátil, sustentável e consciente. Com o Lab Malwee Jeans, a primeira lavanderia 5.0 da América Latina, a marca produz todos os jeans com redução de mais de 80% de água no processo de fabricação. Agora, o jeans mais sustentável do Brasil evoluiu. Em 20 de maio último, Dia Mundial do Jeans, a Malwee lançou oficialmente, nas lojas físicas e online, as primeiras peças produzidas com um único copo d’água, que equivale a uma redução de 98% deste líquido.

São dois modelos de calça; skinny feminina e slim masculina, que chegam ao mercado com o preço semelhante aos demais produtos da marca. “O fato de ser produzida com tecnologia que permite tamanha economia de água, não significa que o valor do produto será elevado. Elas custam o mesmo preço de uma calça jeans produzida da forma convencional. Além disso, todas as peças são confeccionadas com a mesma garantia flex jeans, trazendo, além da sustentabilidade, o conforto e a qualidade do jeans que não laceia”, explica Jaqueline Devegili, Coordenadora de Estilo do Jeans da Malwee.

O processo fabril do novo jeans da Malwee apresentou uma economia de mais de 7 milhões e 600 mil litros de água na produção de 127 mil peças. Essa quantidade de água seria suficiente para abastecer uma família de três pessoas pelo período de 63 anos. Sobre a tecnologia utilizada, Luiz Thiago de Freitas, Gerente Industrial Têxtil da Malwee, explica que esse resultado pôde ser alcançado a partir da junção de diferentes processos.

Tecnologia ditando tendências

“Ao contrário do modo tradicional de produzir o jeans, no qual muitos processos químicos usam água para obter os efeitos de lavagem, puídos e rasgos na peça, no Lab Malwee Jeans esses efeitos são produzidos com laser. Eles são desenhados em um software e aplicados por um equipamento de alta precisão. Os feixes de laser, nessa fase do processo, substituem grande parte da água e os químicos nocivos, que seriam utilizados num processo convencional”, afirma Freitas.

Já no processo úmido, a água é substituída por ozônio para obter os efeitos de clareamento das peças. A aplicação de amaciantes é feita através de uma tecnologia de nanobolhas, que ao invés de aplicar o produto com água, o aplica diretamente na peça por meio de uma nuvem de nanopartículas. Além disso, toda a água usada nesse processo é tratada internamente por um equipamento chamado H2Zero, para então voltar ao sistema. “Essa água fica num circuito fechado e é reaproveitada na produção de novas peças. A reposição necessária é feita apenas pela perda em evaporação”.

Para produzir as roupas em jeans com um processo muito mais sustentável que o convencional, a Malwee investiu 9 milhões de reais e montou um laboratório de desenvolvimento, que conta com tecnologia inédita na América Latina, embarcada da Espanha e desenvolvida pela empresa Jeanologia. Segundo a companhia, além da Malwee, apenas outras quatro empresas no mundo possuem esse tipo de processo completo para a fabricação de jeans, conhecido como “Lavanderia 5.0”.

A Moda Sem Ponto Final da Malwee

Todo esse investimento tem como objetivo viabilizar o desenvolvimento de práticas mais sustentáveis, e possibilitar que a moda seja feita de forma mais limpa e com menos impacto para o planeta. O Lab Malwee jeans é mais uma iniciativa que busca revolucionar o jeito de fazer jeans, possibilitando o consumo de um produto pelo mesmo preço de antes, mas feito de uma forma completamente diferente. “Água é vida e sem esse recurso não há futuro. A indústria da moda precisa buscar alternativas para desenvolver produtos com menos impacto e, mais do que isso, buscar formas de conscientizar os consumidores para um novo jeito de vestir”, diz Guilherme Moreno, Gerente de Marketing da Malwee.

As calças jeans da Malwee produzidas com apenas um copo d’água estão disponíveis nos tamanhos 34 a 48 no modelo feminino e do 36 ao 48 no modelo masculino. Elas podem ser encontradas no e-commerce da marca e nos mais de 20 mil pontos de vendas do Brasil, entre multimarcas e lojas fidelizadas Malwee.

Veja quais hábitos alimentares ajudam a manter a saúde e o bem-estar no outono

Nutricionista da Dietbox afirma que alimentos ricos em nutrientes e vitaminas tornam o organismo fortalecido, ficando menos suscetíveis aos resfriados

Outono, época de temperaturas amenas, das tradicionais folhas caídas ao chão, dias mais curtos e noites mais longas. Com temperaturas mais baixas, tornando propenso o aparecimento de resfriados, é importante alertar para os cuidados com a saúde e como fortalecer o sistema imunológico com uma alimentação balanceada, conforme ressalta Júlia Canabarro, nutricionista da Dietbox, software de nutrição.

“Doenças como gripes acometem as pessoas com sistema imunológico frágil e uma alimentação rica em nutrientes e vitaminas pode ajudar a reforçar as defesas do organismo. Opte pelo consumo de frutas, legumes, verduras, grãos e carnes magras para variar o cardápio e manter o organismo mais resistente”, pondera a especialista.

Nas estações mais frias, costuma-se ingerir alimentos ricos em calorias, uma vez que o corpo gasta mais energia para se manter aquecido. “Uma dica é preparar alimentos chamados comfort foods para aquecer o organismo, mas que não sejam necessariamente hipercalóricos”, orienta Júlia Canabarro.

A nutricionista da Dietbox lista dicas importantes para seguir na alimentação saudável e manter a saúde e o bem-estar no Outono:

=Consuma alimentos ricos em vitamina C: alimentos que possuem alta concentração dessa vitamina têm o poder de ajudar na prevenção de doenças infecciosas do sistema respiratório, podem reduzir as chances de anemia ao favorecer a absorção de ferro e aumentam a imunidade.

=Tente ingerir uma menor quantidade de produtos industrializados.

Foto: Pinterest

=Aposte em sopas com legumes, verduras e proteínas magras. É uma comida que vai aquecer o corpo e dar aquela sensação de conforto e saciedade.

=Evite alimentos calóricos e cheios de gorduras. O corpo pode pedir por alimentos calóricos para tentar se aquecer e manter a temperatura corporal. Nesses casos, procure por chás quentes e café com canela.

iStock

=Beba água: independente da estação e das temperaturas, a água é fundamental para o funcionamento do corpo. Mas, nessa época, o organismo também precisa de água para se manter hidratado, mesmo se não sentir sede.

=Para os chocólatras, é possível comer chocolate, mas investindo em um meio amargo ou no amargo – eles têm maior teor de cacau, dão energia e são fontes de gorduras boas. Consuma moderadamente.

Foto: California Avocado Comission

=Consuma alimentos que deem mais saciedade. Frutas com aveia ou farelo de aveia, abacate, batata doce e cereais integrais são ótimas opções.

Pixabay

=Para quem ingere bebidas alcoólicas, uma tacinha de vinho também está liberada. Vinhos são fontes de flavonoides e protegem a saúde cardiovascular.

Fonte: Dietbox

Atum sólido em óleo e ao natural, da Robinson Crusoe, agora em packs triplos de 80 gramas cada

Embalagem com três unidades garante economia, praticidade e frescor

As prioridades da Robinson Crusoe – sabor, qualidade e praticidade – estão reproduzidas na embalagem do atum sólido, ao natural e em óleo comestível, que era oferecido em dose dupla. O produto, agora, pode ser encontrado também em dose tripla.

A novidade da Robinson Crusoe, para atender as necessidades do mercado, são os packs com três latas de 80 gramas cada. O atum oferece cinco vezes mais vitamina D e uma boa dose de ômega-3. O consumidor levará mais do melhor atum do mundo, pagará menos e conseguirá degustar o produto sem desperdícios.

O produto chega às prateleiras com a embalagem metálica que traz o exclusivo sistema easy peel e facilita a abertura. “Os clientes terão ainda mais opções em um cenário atual de pandemia, em que as pessoas ficam mais em casa e precisam se alimentar com qualidade e praticidade”, diz Douglas R. Santos, diretor comercial da Robinson Crusoe.

Informações: Robinson Crusoe

Sete sinais de que você está bebendo pouca água

Nutricionista dá dicas para reconhecer e prevenir a desidratação

Há pouco mais de um mês para o início do verão, é importante manter a atenção para os níveis de hidratação do organismo. Isso porque, com a chegada dos dias mais quentes, o corpo perde ainda mais água para controlar a temperatura interna e torna-se necessário aumentar a ingestão de líquidos.

“A ingestão de 2 a 3 litros de água ao dia é importante para uma boa circulação sanguínea, manutenção do metabolismo, regulação da temperatura corporal e eliminação de toxinas”, explica a nutricionista ortomolecular Claudia Luz, do Departamento de Inovação da Via Farma.

Na prática, é possível saber quando o organismo está precisando de mais água – é só ficar atento a alguns sinais do corpo. “Boa parte das pessoas espera ter sede para se hidratar, mas isso não deve acontecer, já que a sede é um dos primeiros sinais de desidratação”, orienta a nutricionista. Assim, vale usar outros parâmetros para avaliar se a quantidade diária de água ingerida está sendo suficiente.

Confira abaixo alguns indícios que o corpo dá quando está desidratado

Urina escura


Observar a urina é uma boa forma de medir os níveis de hidratação do organismo. Quando falta água, ela fica escura e com um odor mais forte, devido à alta concentração de ureia.

Prisão de ventre


O ajuste da ingestão de água pode, muitas vezes, resolver casos de prisão de ventre. Isso porque os níveis de hidratação no intestino precisam estar ideais para que ocorram os movimentos peristálticos e o bolo fecal seja eliminado com facilidade.

Cãibras


Os músculos também precisam estar hidratados para desempenhar sua função. A falta de água e minerais impede que as contrações musculares aconteçam de forma adequada, provocando cãibras frequentes.

Irritabilidade, cansaço e falta de memória


A falta de água deixa o sangue menos fluido, por isso, o oxigênio e nutrientes importantes demoram mais para chegar até o cérebro, trazendo prejuízos cognitivos, como raciocínio lento, alterações de memória e irritabilidade, entre outros sinais.

Dores de cabeça

Com a baixa nos níveis de água, a capacidade de eliminar toxinas do organismo também diminui, o que pode estar por trás de muitas cefaleias. Para quem sofre de enxaqueca, a falta de água também pode ser um gatilho.

Mau hálito

Um corpo desidratado produz menos saliva e essa “secura” pode favorecer o mau cheiro ligado à multiplicação de bactérias, já que a saliva também é responsável por controlar o crescimento de micro-organismos.

Pele seca

A baixa ingestão hídrica também desidrata a pele, deixando-a sem viço e até mesmo flácida. A dificuldade em eliminar toxinas também pode favorecer, a longo prazo, um processo mais acelerado de envelhecimento cutâneo.

Esses são alguns dos sinais que devem ser observados a fim de manter uma boa hidratação do corpo, principalmente durante o verão. “O ideal é que essa ingestão ocorra de forma fracionada ao longo do dia. Para facilitar, é possível criar metas para cada horário do dia, carregando sempre uma garrafinha de água, para não esquecer de tomar”, indica Claudia.

Foto: 1zoomme

Uma dica para quem tem dificuldade para consumir os dois litros mínimos indicados é saborizar a água com frutas. Optar por alimentos ricos em água, como melão, melancia, laranja, chuchu, pepino e alface também é uma boa forma de aumentar a ingestão diária de líquidos. Mas não se esqueça: nada substitui a água pura.

Outra opção muito efetiva para potencializar a hidratação do organismo e repor sais minerais é a água de coco. A bebida é tão pura que sua composição assemelha-se ao plasma humano – o que faz dela um elixir para a saúde.

“Mas é preciso ficar atento às versões industrializadas, já que elas podem sofrer adição de açúcar e conservantes. Prefira a água de coco natural, ou mesmo as desidratadas, que são uma boa novidade para quem gosta de praticidade. Elas podem ser encontradas na forma de sachê, em farmácias de manipulação, e preservam todas as propriedades nutricionais do fruto, sem nenhum tipo de conservante”, indica a nutricionista.

Fonte: PocketCoco/Via Farma

Quatro alimentos que favorecem a hidratação do corpo

Com a chegada da primavera, Superbom indica produtos ideais para uma pele mais saudável durante a estação mais seca do ano

Precedendo o verão, a primavera chegou oficialmente ao Brasil e se estende até o final de dezembro. Uma das estações mais coloridas do ano, também é marcada, entre outras particularidades, por seu característico tempo seco. Apesar da beleza ocasionada pelos florescimentos de diversas espécies de plantas, o clima árido do inverno ainda pode ser notado nos próximos meses e requer certos cuidados com a pele que, graças à falta de umidade, pode ficar ressecada e até descamada.

Cyntia Maureen, nutricionista da Superbom , marca pioneira na produção alimentos saudáveis, explica que, além do uso de produtos estéticos, uma boa alimentação pode ser uma grande aliada na hidratação da pele. Segundo a profissional, alimentos antioxidantes e ricos em vitaminas A e C são ideais para a manutenção da pele durante o período.

“Muitas pessoas tendem a negligenciar o poder que os nutrientes dos alimentos têm nos nossos corpos. Certos alimentos são super benéficos e indicados para esse e outros cuidados, tendo características responsáveis por não só aumentar nossa imunidade, mas também proporcionar a reposição do colágeno, responsável por aumentar a elasticidade da pele e retardar o surgimento de rugas e linhas de expressão, por exemplo” afirma Cyntia.

Abaixo, a nutricionista listou os principais alimentos que auxiliam na hidratação da pele. Confira:

Frutas cítricas

Foto: Nicole Franzen

Ricas em vitamina C, além de serem antioxidantes, frutas como laranja, tangerina e limão atuam diretamente na formação do colágeno da pele, ajudando a mantê-la firme e saudável.
“Além de ricas em vitaminas, as frutas cítricas também são ricas em água, e podendo ser consumidas na forma de sucos, elas se tornam grandes aliadas na hidratação e proteção da pele”, comenta Cyntia.

Nozes e castanhas

As nozes e castanhas – também conhecidas como oleaginosas – sendo alimentos que proporcionam muita energia, são ricas em gorduras monoinsaturadas e antioxidantes, responsáveis diretos pela hidratação e elasticidade da pele. Os nutrientes também atuam contra agentes externos que provocam o ressecamento ao estimular a regeneração e proteção das células da pele.

Uvas e derivados

Os flavonoides encontrados nas uvas e seus derivados agem diretamente defendendo as células de radicais livres (um dos maiores causadores do envelhecimento da pele) e funcionam como nutrientes fotoprotetores contra os raios UV transmitidos pelo sol. “Quando usadas em complemento com o filtro solar, as uvas e seus derivados ajudam diretamente na proteção contra o sol, retardando o envelhecimento e evitando manchas ocasionadas na pele. A Superbom conta com diversos produtos que podemos incluir na nossa alimentação diária, desde seu suco de uva integral à geleia da fruta, ideal para refeições rápidas no dia a dia” continua Cyntia.

Água

Além de todos os alimentos mencionados acima, talvez o mais importante para a hidratação da pele seja também o encontrado mais facilmente: a água. Seja pura ou presente em alimentos e sucos, o indicado é o consumo de 1,5 a 3 litros de água por dia. A ingestão do liquido é responsável pela eliminação de toxinas do corpo e, novamente, pela reposição de células da pele que ajudam na saúde e hidratação da mesma.

Sugestão de produtos disponíveis no catálogo da Superbom:

Suco de Tangerina Integral

O suco de tangerina da Superbom Integral é um suco 100% fruta, feito especialmente para quem deseja ter uma vida mais equilibrada. Saboroso, o suco de tangerina é uma bebida saudável feita a partir de frutas selecionadas que oferecem a doçura característica da tangerina somada ao valor energético da vitamina C.

Suco de Uva Integral


O suco de uva integral Superbom é um produto 100% natural, produzido a partir de uma única variedade de uva: a Isabel. Tendo características próprias e extremamente marcantes dessa uva, esse saboroso suco de uva tem um sabor único desde 1925. Excelente como acompanhamento para refeições, lanches, também é indicado para pré e pós treino, o suco de uva integral Superbom é uma bebida saudável que oferece muitos benefícios à saúde e também está disponível em 300 ml ou 1l.

Geleia de Uva


Além da qualidade, as geleias dão um toque especial aos pratos, são fontes de fibras solúveis, importante na atuação reguladora do intestino. E para aqueles que praticam atividades físicas, também são excelentes fontes de energia. Geleia 100% fruta de Uva.

Frutts Krock Maçã Desidratada


Fruts Kroc é feito de maçã desidratada com casca e temperada com canela. Elaborado com a fruta in natura, da variedade gala ou fugi, esse petisco low carb é produzido a partir de processos de desidratação que mantém todo o sabor da fruta, além de ser muito crocante. A maçã desidratada em pacote é prática, sendo excelente como aperitivo e ideal para o consumo entre as refeições – um lanche saudável fácil de carregar e com baixo teor calórico.

Fonte/informações: Superbom

Inchaço matinal no rosto é constante na quarentena? Você precisa seguir estas dicas

Várias são as causas para acordar com o rosto inchado pela manhã. Alguns são fáceis de consertar, enquanto outros exigem atenção médica. Saiba algumas dicas para lidar com o problema

Durante o isolamento social, por conta da pandemia do novo coronavírus, estamos mais atentos aos cuidados de saúde e beleza dentro de casa. E é comum perceber que, às vezes, mesmo após uma noite bem dormida, o temível inchaço matinal aparece – e ele tem várias causas.

“Durante o sono, o sistema linfático fica mais lento e, sendo ele o responsável pela absorção de líquido das células, há uma predisposição para esse inchaço. Além disso, há uma influência também da alimentação, bebidas alcoólicas, remédios, alterações hormonais, posição de dormir e até causas genéticas”, explica a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De acordo com a médica, a tireoide fora de sintonia também tem relação com esse tipo de inchaço. “A glândula produz um hormônio que regula o metabolismo e a temperatura corporal. Se estiver produzindo muito pouco, as alterações metabólicas podem fazer com que aumente o inchaço também”, diz. “Nesse caso, é aconselhável procurar um médico para prescrever a medicação correta”, completa.

Abaixo, ela dá algumas dicas para melhorar o aspecto inchado do rosto durante a quarentena:

mulher bebendo água ibbl

Beba mais água e consuma menos sódio – começando pelo básico, a médica indica o consumo de pelo menos dois litros de água por dia, pois isso é essencial para desinchar o corpo todo. “Água de coco e chá verde também são opções. Mas sempre se lembre de controlar a quantidade de sódio nas refeições, pois ele colabora na retenção de líquido. Temos visto que, dentro de casa por conta da pandemia, as pessoas acabam descuidando muito da alimentação e consumem mais produtos enlatados e processados, ricos em sódio. E fique de olho em sucos de caixinha, que também têm muito sódio na composição”, afirma a médica.

shutterstock_ mulher lavando o rosto
Shutterstock

Lave o rosto com água fria – assim que acordar, lave o rosto com água fria e com um sabonete específico para seu tipo de pele, de preferência com extratos botânicos com ação anti-inflamatória, calmante e descongestionante, como a camomila e erva doce. Eles vão ajudar na diminuição do edema.

mulher agua termal pele beleza

Use água termal (gelada) – na noite anterior, deixe sua embalagem de água termal com ativos calmantes na geladeira. Logo após lavar o rosto, pela manhã, borrife no rosto. “A temperatura fria do produto refresca e descongestiona a pele”, explica.

mulher-dormindo-sono

Fique de olho na posição de dormir – deitar de bruços é a opção que mais favorece o inchaço matinal do rosto. Se possível, eleve a cabeça com mais de um travesseiro e durma de barriga para cima. “Isso também ajuda a não marcar tanto o rosto, o que favorece o aparecimento de rugas”, diz a dermatologista.

mulher madura fazendo exercicio em casa 123rf
123RF

Atividade física e dieta – mesmo confinados dentro de casa, é necessário lembrar que corpo em movimento é corpo saudável, então procure fazer uma atividade física durante o dia, de preferência dentro de casa. “A própria contração muscular já contribui para a drenagem dos líquidos. Alie os exercícios com uma dieta equilibrada, aumentando o consumo de couve, brócolis, repolho, couve-flor, pois tais vegetais melhoram a eliminação de toxinas. Isso vai beneficiar o corpo todo na diminuição do inchaço”, finaliza.

Fonte: Paola Pomerantzeff é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Antiga dica de consumir grãos, frutas, verduras e legumes nunca foi tão moderna quanto agora*

Temos sempre que discutir a importância do tipo de alimentação para manter a saúde dos indivíduos. Agora, uma nova perspectiva científica introduz outro conceito, muito importante também: de que precisamos discutir o tipo de alimentação dos indivíduos para a saúde do nosso planeta.

Isso foi fundamentado em um artigo publicado pela revista científica britânica Nature Food, no dia 18 de fevereiro, que destacou a influência da nossa alimentação para as mudanças climáticas que a Terra vem sofrendo. Aliás, o último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas (IPCC) já havia repercutido este tema, que lança um novo olhar dentro dos estudos do aquecimento global.

O que se revela agora é que o uso da terra e o consumo de alimentos são fatores determinantes para o fenômeno de mudanças climáticas. A professora de Planejamento Energético da Coppe/UFRJ, Joana Portugal Pereira, foi uma das autoras do artigo da Nature Food e em uma entrevista à revista Época, ela explica melhor a relação entre o que comemos e o clima do planeta:

agua torneira trestletech
Foto: Trestletech

“Temos muitas campanhas de redução de água nos ambientes domésticos, mas não podemos esquecer que nossos pratos devoram água. Ao longo de toda a vida de uma vaca, de um boi, em média temos o consumo de 12 mil a 16 mil litros de água por quilograma de carne. A ração consome água, o animal bebe água. Em cenários de escassez hídrica, com mudanças climáticas e maior frequência de eventos extremos, é um ponto a se considerar. O que defendemos é aumentar a informação disponível para o consumidor, torná-lo mais consciente dos impactos de suas ações no dia a dia.”

Quem trabalha por uma alimentação mais saudável, já caminha nessa direção há anos. É o caso do Instituto Melhores Dias, do qual sou presidente, que realiza programas que incentivam o consumo de frutas, legumes, verduras e cereais no cotidiano de crianças brasileiras desde 1993. Promovemos a construção de hortas orgânicas escolares e o uso de tudo que é colhido.

As crianças saem da sala de aula para interagir com o meio ambiente e despertam o cuidado por meio do estabelecimento de uma relação direta com o solo, a água e as plantas.

Essa intervenção, de mexer na terra, cultivá-la e colher plantas, é muito produtiva e pedagógica, além de nutritiva, pois auxilia no consumo de alimentos saudáveis e informa sobre a procedência e produção dos alimentos. Isso contribui para a aprendizagem contextualizada e a formação humana e cidadã das crianças.

A agricultura e a importância de seus produtos deveriam estar mais presentes na vida escolar. O Instituto Melhores Dias, insistentemente fala sobre a riqueza dos alimentos regionais brasileiros, estimula seu consumo nas diferentes localidades onde atua e até ressalta a importância das abelhas nativas brasileiras para este processo.

Existe uma cultura de consumo da carne, mas vivemos um momento de reflexão sobre sua importância e, principalmente sobre os substitutos vegetais que podem suprir as necessidades proteicas de nossas crianças.

Toda e qualquer atitude na direção de melhorar a vida no planeta Terra e de deixar um legado saudável para futuras gerações é emergencial e imediata. Por isso rever hábitos alimentares, procurar mudanças saudáveis e ter abertura para novos hábitos se faz indispensável.

getty images frutas legumes

Avalie seu cardápio, alimente-se melhor, com mais colorido natural em seu prato. Consuma mais grãos, frutas, legumes, verduras… Essa dica antiga nunca foi tão moderna quanto agora.

*Artigo de Joyce Capelli, Presidente do Instituto Melhores Dias