Arquivo da tag: alimentação saudável

Como manter uma relação positiva com os alimentos durante a pandemia

Professor no curso de Nutrição da Pitágoras Ipatinga dá dicas de alimentação, o que contribui para o controle da ansiedade durante a quarentena

Com a pandemia causada pelo novo coronavírus, muitas pessoas têm aproveitado o momento para descobrir novas habilidades na cozinha e passar o tempo. Mas este cenário também pode causar muita ansiedade, levando à compulsão alimentar e outros agravos à saúde. É importante destacar que neste período de quarentena, a alimentação saudável é fundamental para ampliar as chances de defesa do organismo.

Diante disso, este não é o momento de se pensar em restringir para emagrecer, pois uma dieta limitada fornece pouca energia e a quantidade de micronutrientes insuficiente (vitaminas e minerais), podendo vir a enfraquecer o sistema imunológico.

gettyimages casal chocolate
Getty Images

Segundo o professor no curso de Nutrição da Pitágoras Ipatinga, Daniel Urils, é possível se alimentar de forma equilibrada e saudável, degustando ocasionalmente chocolate ou outro doce que tanto gosta, sem engordar por causa disso. “Restrição gera compulsão. Se estiver com fome, sacie sua fome, depois aprecie seu doce preferido com muita atenção e sem interferências externas”, orienta.

Conforme explica o especialista, é importante sentir o aroma, mastigar lentamente e aproveitar o alimento em todos os aspectos. “Comendo com calma, é muito mais provável que vá precisar somente de um pedaço pequeno para se satisfazer, do que se comesse em frente à televisão, por exemplo”, reforça.

Para lidar com a ansiedade, muitas pessoas procuram alimentos à base de açúcares, ou com muita gordura. Essa situação pode até acarretar problemas à saúde intestinal, além de interferir no estado de humor. “O momento é de respeitar o seu tempo, o seu corpo, e não exigir demais de você mesmo”, destaca o nutricionista. Segundo o especialista, não existe fórmula mágica para uma alimentação que melhore a saúde, seja para fortalecer a imunidade ou para diminuir a ansiedade. “A chave do sucesso é se alimentar de forma equilibrada”, esclarece.

Nesse sentido, a mudança de hábito, embora importante, pode começar com pequenos passos. Uma dica é colocar mais salada no prato, o que auxilia na saciedade e contribui naturalmente para a redução da quantidade de outros alimentos.

“O importante é lembrar que as metas devem ser estabelecidas conforme a realidade de cada um, sem usar orientações feitas para outras pessoas, como blogueiras e personalidades famosas. Pense em como pode evoluir diariamente, sem pressão de conseguir toda a mudança que você quer em pouco tempo. Esse processo também envolve autoconhecimento e entrega para identificar e dominar os impulsos que nos fazem desistir. Reconhecer que somos humanos e podemos falhar é fundamental, pois muitas vezes desistimos de tentar apenas porque fizemos escolhas menos saudáveis em uma refeição, quando na verdade podemos usar essa vivência para aprender e progredir”, finaliza.

Fazer boas escolhas alimentares ajuda a manter a mente saudável. As diretrizes do Guia Alimentar para a População Brasileira , do Ministério da Saúde, podem auxiliar a população a realizar uma alimentação equilibrada.

Confira mais dicas do professor de Nutrição da Pitágoras Ipatinga:

orgânicos 1

• Faça de alimentos in natura ou minimamente processados a base de sua alimentação: ou seja, priorize o consumo de alimentos obtidos diretamente de plantas ou de animais, como legumes, verduras, frutas, batata, mandioca e outros tubérculos; arroz, milho, feijão de todas as cores, lentilhas, grão de bico e outras leguminosas; castanhas, nozes, amendoim e outras oleaginosas sem sal ou açúcar; farinhas de mandioca, de milho ou de trigo e macarrão feito com essas farinhas e água; carnes; leite e iogurte (sem adição de açúcar);
Evite alimentos processados, como refrigerantes, biscoitos recheados, salgadinhos de pacote e macarrão instantâneo;

chá camomila
Foto: chamomileteaonline

Alguns alimentos podem contribuir com o controle da ansiedade. É o caso de chás calmantes e que não contenham cafeína, como camomila, melissa, maracujá;
• Procure fazer suas refeições diárias em horários semelhantes. Evite ‘beliscar’ nos intervalos entre as refeições. Coma sempre devagar e desfrute o que está comendo, sem se envolver em outra atividade;

alimentação mel
Procure comer sempre em locais limpos, confortáveis e tranquilos, onde não haja estímulos para o consumo de quantidades ilimitadas de alimentos;
• Sempre que possível, prefira comer em companhia das pessoas que gosta, lembrando da importância do isolamento social que se faz necessário neste momento. Procure compartilhar também as atividades domésticas que antecedem ou sucedem o consumo das refeições;

mulher cozinhando
• Se você tem habilidades culinárias, procure desenvolvê-las e partilhá-las com as pessoas com quem você convive, principalmente com crianças e jovens. Se você não tem habilidades culinárias, e isso vale para homens e mulheres, procure adquiri-las. Para isso, converse com as pessoas que sabem cozinhar, peça receitas a familiares, amigos e colegas, leia livros, consulte a internet, eventualmente faça cursos (há tantas opções online) e…comece a cozinhar.

“Como todas as habilidades, o preparo de alimentos melhora quando é praticada. Descasque mais e desembale menos”, finaliza Urils.

Fonte: Faculdade Pitágoras

Up na imunidade: boa alimentação é aquela que faz bem ao corpo e à mente*

Já faz um tempo que a nutrição está em evidência, sendo um dos assuntos mais comentados. Ao ligar a televisão, o rádio ou se conectar às mídias sociais, tem sempre alguém falando sobre comida, alimentação, nutrição e sobre como devemos ou não comer. O argumento é sempre o mesmo: a busca por uma vida saudável.

Atualmente o foco tem sido por uma alimentação que melhore nossa imunidade e o que vemos são dicas de alimentos milagrosos, “shots” de imunidade ou alimentos que “devemos” consumir, que prometem nos ajudar a manter a saúde e evitar doenças. Nesse momento tão atípico das nossas vidas é importante relembrar que uma boa alimentação é fundamental para a manutenção da saúde, seja para trazer energia e substratos para o bom funcionamento do corpo, seja para trazer prazer, memória, segurança, praticidade e até alívio para o estresse do dia a dia.

Logo podemos dizer que uma alimentação saudável é composta por alimentos nutritivos e comidas gostosas. Sim, para se ter uma alimentação saudável é preciso comer comidas gostosas.

E para melhorar a imunidade, o que devo comer?

jantar almoço comida vinho mulher

Você deve comer de tudo, de tudo mesmo. Uma dieta equilibrada é fundamental para manter nossa saúde e, como consequência, melhorar nossa imunidade. Não precisamos ter as “cinco cores no prato” em todas as refeições. Essa variedade pode acontecer ao longo do dia ou da semana. Uma refeição equilibrada é composta por alimentos de todos os grupos, sendo eles construtores, reguladores e energéticos.

prato-comida

Os alimentos construtores são os proteicos, como carnes, ovos, leite, feijões, grão de bico etc. Já os alimentos reguladores são as fontes de vitaminas e minerais, como os legumes, verduras e frutas. Os alimentos energéticos são os que nos trazem energia, como os pães, massas, cereais. Se a sua refeição é composta por pelo menos um alimento de cada grupo, ela está completa.

É importante saber também que dietas restritivas, sejam de calorias ou de grupos de alimentos não são bem-vindas nessa época ou quando pensamos na manutenção da imunidade. Comer menos do que nosso organismo precisa não ajuda em nada à nossa saúde, pelo contrário, atrapalha, pois podemos ficar mais cansados, desanimados, tristes e com fome.

lavando os legumes

Outro ponto que devemos lembrar é que uma alimentação saudável é composta por alimentos livres de doenças. Apesar de não haver evidências de transmissão de determinadas doenças por meio dos alimentos em si, devemos levar em consideração a manipulação que ele sofreu, sendo fundamental a realização da higienização dos alimentos e embalagens com hipoclorito de sódio antes do consumo.

mulher frutas alimentos FreeGreatPicture 3

Por fim, quero deixar claro que não existe alimento bom ou ruim, muito menos milagre. Existe apenas a comida e a forma como lidamos com ela, que deve ser sempre saudável!

*Maria Claudia Santos, coordenadora do curso de Nutrição da Universidade Anhembi Morumbi. Especialista em alimentação saudável e comportamento alimentar.

Alimentos que minimizam os efeitos do tempo seco

O tempo seco auxilia no aumento da transmissão do novo coronavírus, favorecido pela combinação do ar frio e baixa umidade, mas a alimentação pode ajudar nesse combate

Se o tempo seco e os dias frios já aumentam naturalmente os casos de gripes e resfriados, em época de pandemia os alertas ficam em nível máximo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o ideal para a saúde humana é que a umidade do ar seja superior a 60%. Para driblar o problema, a médica nutróloga Ana Luisa Vilela, da capital paulista, ensina como minimizar os malefícios desse clima por meio da alimentação.

melao

Engana-se quem acha que a regra de ingestão de dois litros por dia é a solução para tudo. “A real quantidade de consumo ao dia varia de acordo com alguns padrões individuais e não adianta encher a barriga de água junto com as refeições. O consumo deve ser feito entre os intervalos e nunca durante para não comprometer a absorção dos nutrientes e aumentam ainda o consumo de bons alimentos ricos em água na alimentação”, alerta a médica.

suco melancia 1zoomme
Foto: 1zoomme

Por isso que alguns cuidados são fundamentais para atravessar o clima e essa fase de contágio sem esquecer da dieta e da saúde. “A melancia e o melão, por exemplo, apresentam cerca de 90% de concentração de água, além de serem ricas em vitaminas e minerais, que colaboram para manter a hidratação, inclusive a da pele”, diz.

cebola e alho - hot black
Foto: Hotblack

Para Ana alguns alimentos ricos em enxofre ajudam a descongestionar as vias respiratórias nesses dias secos do ano, pois evitam o muco provocado pela poluição. “O enxofre, junto com o consumo de água, torna mais fácil a eliminação desse muco nas vias respiratórias. São eles: gengibre, cebola, alho, batata doce, salsinha e cebolinha”, finaliza.

Fonte: Ana Luisa Vilela é graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá – MG, especialista pelo Instituto Garrido de Obesidade e Gastroenterologia (Beneficência Portuguesa de São Paulo) e pós graduada em Nutrição Médica pelo Instituto GANEP de Nutrição Humana também na Beneficência Portuguesa de São Paulo e estágio concluído pelo Hospital das Clinicas de São Paulo – HCFMUSP. 

Alimentos funcionais: contribuição para uma vida saudável

A alimentação exerce forte influência na vida das pessoas, a escolha dos alimentos é fundamental para uma vida equilibrada e saudável. Isso é fato, além de conferirem sabor, as plantas também podem ajudar a combater alguns males, prevenir outros. A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, via extensão rural exercida pelos extensionistas da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) tem procurado ao longo dos anos oferecer vários treinamentos para que tanto a população rural, quanto urbana possam se beneficiar do uso das plantas em sua alimentação, atingindo, dessa forma, toda uma cadeia produtiva, ou seja, oferecendo alternativas para o cultivo no campo até o consumo.

Então por que não se integrar a essa corrente pela alimentação saudável e deixar um espaço em seu quintal, jardim, varanda, para um verde que além de embelezar, pode contribuir com novos hábitos alimentares? Esse momento de ficar em casa pode ser também um bom momento para o cultivo desses novos hábitos.

A engenheira agrônoma da Divisão de Extensão Rural da CDRS, Maria Cláudia Silva Garcia Blanco, tem levado esse questionamento em treinamentos gratuitos que oferece em várias regiões do Estado, sob demanda das Casas da Agricultura. Para entrar nesse mundo dos alimentos funcionais, Maria Cláudia explica que “são aqueles que, além de nutrir, possuem componentes ativos que atuam no organismo produzindo efeitos benéficos para a saúde, podendo auxiliar na redução do risco de diversas doenças, principalmente as crônico-degenerativas como diabetes, câncer, osteoporose, doenças cardiovasculares, entre outras.

Podem produzir efeitos protetores e de defesa no organismo que, no dia a dia, são gerados por diversos fatores externos, promovendo a inativação dos radicais livres formados a partir de maus hábitos da vida moderna, como o consumo abusivo de alimentos industrializados ricos em corantes artificiais e/ou conservantes, frituras, açúcares, carboidratos refinados, temperos industrializados, embutidos, entre outros e o baixo consumo de frutas, verduras e legumes”.

Ervas aromáticas

modernas ervas giuliana flores

O olfato, a visão e o paladar são sentidos fundamentais para a apreciação e o consumo dos alimentos. Os pratos que contêm ervas exalam um aroma especialmente agradável, que provoca aumento na salivação, facilitando a digestão, mastigação, deglutição e degradação dos nutrientes, colaborando com a absorção e o aproveitamento dos nutrientes pelo organismo.

Embora as ervas aromáticas possuam vitaminas A, C, do complexo B e fibras, elas não podem ser consideradas fontes desses nutrientes, uma vez que a quantidade consumida geralmente é pequena; mas o consumo diário, associado a uma dieta saudável e equilibrada, colabora com a reposição de alguns nutrientes, mesmo em pequenas quantidades. E como as ervas possuem compostos bioativos, elas podem auxiliar na redução de risco e/ou na prevenção de doenças como câncer, hipertensão, doenças coronarianas, diabetes, doenças autoimunes e osteoporose.

A característica comum entre as ervas aromáticas, a qual lhes confere a propriedade de aromatizar e temperar, é a produção de óleo essencial típico do metabolismo destas espécies. O óleo essencial é bastante volátil e é encontrado na planta em estruturas especializadas como os pelos glandulares e as bolsas secretoras.

As ervas aromáticas possuem um valor energético desprezível, porém uma quantidade relevante em antioxidantes, por isso se enquadram na família dos alimentos funcionais. Elas podem ser utilizadas frescas ou secas, lembrando que as frescas contêm mais vitaminas e minerais do que as secas. Como o calor faz a erva liberar a molécula responsável pelo aroma, recomenda-se o uso das ervas frescas no final do cozimento.

Considerando a relevância dos compostos benéficos à saúde associados às plantas e ervas aromáticas e medicinais, é bom saber que esta riqueza é muito simples de ser utilizada na culinária convencional, desmistificando seu uso somente por grandes chefes de cozinha, em pratos mais elaborados. Além disso, é relativamente fácil o cultivo doméstico das plantas aromáticas e medicinais, podendo ser realizado em canteiros ou até mesmo em vasos.

Como dito pelo “pai da Medicina”, Hipócrates, “adoecemos à medida que nos distanciamos da natureza”. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda no máximo 2g de sódio por pessoa/dia, o que equivale a 5g de sal, mas os brasileiros consomem mais que o dobro da quantidade recomendada. As ervas aromáticas são aliadas na diminuição do consumo exagerado do sal, pois uma vez misturadas a ele, é possível reduzir, proporcionalmente, pela metade o seu uso. Essa substituição ainda acentuará o sabor das preparações, conferindo um paladar mais agradável aos alimentos.

manjericao crative commons
Foto: CreativeCommons

O manjericão (Ocimum basilicum) é muito utilizado na culinária italiana no preparo de molhos de tomate, pesto, tempero de carnes, saladas, omeletes e como aromatizador de azeites. O manjericão também é conhecido por ter propriedades antioxidantes muito potentes, que podem proteger o corpo contra os danos dos radicais livres, prevenindo o envelhecimento celular, as doenças comuns de pele, além de acalmar os espasmos digestivos.

Alecrim MGD©
Alecrim – Foto: MGD©

O alecrim (Rosmarinus officinalis), planta originária do Mediterrâneo, é empregado em temperos de carnes, aves, peixes, além de ser um excelente aromatizador de água de cozimento. É também conhecido como erva da lembrança, pois revigora a memória e melhora o humor, além de melhorar a circulação, ter efeito antidepressivo, antisséptico e estimulante da digestão.

salsinha

A salsa (Petroselinum crispum) é riquíssima em nutrientes como vitamina A, do complexo B e C e sais minerais, e pode enriquecer molhos, patês, saladas, legumes, peixes, sopas, guisados. Seu consumo alivia os sintomas de bronquite, asma, cólicas menstruais e cistite, além de auxiliar no tratamento de cálculos renais e cólicas.

green leaf plant on wooden surface
Foto: Nika Akin/Pexels

A sálvia (Salvia officinalis) é usada para aromatizar carnes, aves, peixes, vegetais, molhos e queijos. Possui sabor e aroma muito característicos, portanto a mistura com outras ervas deverá ser cautelosa a fim de evitar a perda desse aroma. Ela possui ação antioxidante, é digestiva, auxilia no tratamento de problemas de fígado, ansiedade, depressão e sintomas da menopausa.

hortelã
Foto: Maria Mas/Morguefile

A hortelã (Mentha crispa) com folhas arredondadas e muito perfumadas, é indicada para sucos, chás, saladas, molhos e cozidos. No Nordeste do Brasil é usada no combate de parasitas intestinais em crianças; também é estimulante e digestiva.

tomilho

O tomilho (Thymus vulgaris), muito utilizado nas preparações à base de tomate, enriquece o sabor de sopas, peixes, carnes, saladas e vinagres. Possui ação expectorante, desinfetante e antisséptica, além de ser digestivo.

acafrao condimento especiaria pixabay
Pixabay

O açafrão-da-terra (Curcuma longa) é uma preciosa especiaria e tem sido muito estudado pelos seus possíveis benefícios na prevenção e no tratamento do mal de Alzheimer. Suspeita-se que ele seja mais eficaz se associado à vitamina D3. Seus benefícios seriam decorrentes da ação anti-inflamatória e antioxidante e na remoção das placas b-amiloides do cérebro, características da doença. Outras ações benéficas da planta estão ligadas à prevenção de cânceres gástricos, de cólon, oral, esofágico, de mama e pele, segundo o American Institute for Cancer Research. Na culinária, podem ser utilizados seus próprios rizomas ou em pó para colorir laticínios, bebidas, sopas, risotos, ensopados, massas, frango, batatas e até pães.

oregano pixabay
Foto: Pixabay

O orégano (Origanum vulgare) é muito conhecido, tipicamente utilizado como finalizador em pizzas, também é empregado em molhos, massas e ensopados. Tem ação no processo digestivo, é analgésico, auxilia no tratamento de gripes e resfriados, pois possui ação antimicrobiana semelhante ao ácido acetilsalicílico, assim como o tomilho e o alecrim.

Fonte:  Maria Cláudia Silva Garcia Blanco – Engenheira Agrônoma (Divisão Extensão Rural – CDRS/SAA)

Um pouco de história

alecrim oregano casa

O uso terapêutico de plantas medicinais é um dos traços mais característicos da espécie humana, tão antigo quanto o Homo sapiens e utilizado por praticamente todas as civilizações e/ou grupos culturais desde os primórdios da humanidade. Assim, desde tempos remotos, o homem dependeu do uso de plantas para temperar e conservar alimentos, no preparo de perfumes e medicamentos e para proteção na construção de abrigos, sendo amplamente produzidas em hortas e jardins desde a Antiguidade.

Algumas crenças ainda associavam o uso de ervas aromáticas aos rituais sagrados, pelo fato de exalarem odor marcante ao serem queimadas. Com o passar dos anos, começaram a ser usadas no tratamento de doenças, feridas e contusões. Nas civilizações orientais, as plantas eram principalmente utilizadas na prevenção das doenças e, ainda hoje, a medicina chinesa as emprega com bons resultados.

Nas civilizações Grega e Romana, os banhos aromáticos com anis, cominho, mirra e tomilho eram indicados no tratamento de ‘doenças da mulher’. Assim, a natureza veio proporcionando aos homens uma infinidade de plantas com valores medicinal, nutricional e funcional. Hoje, as pesquisas científicas comprovam e atestam essas propriedades.

Receitas

Patê de ricota com hortelã

pate paes thetalent zone
Foto meramente ilustrativa – TheTalentZone

Ingredientes:
250g de ricota;
1 pote de iogurte natural;
2 colheres (sopa), bem cheias, de hortelã picada
cebola ralada, salsa fresca picada e sal a gosto.

Modo de preparo:
Amassar a ricota com o garfo, adicionar os demais ingredientes, misturando bem.
Servir o patê com pão, biscoitos, cenoura crua cortada em palitos ou talos de salsão.

Frango assado inteiro

frango assado com ervas e limão
Foto meramente ilustrativa – Foto: Paleo Newbie

Ingredientes:
1 frango inteiro, de tamanho médio;
1 limão;
1 colher (sopa) rasa de sal;
3 colheres (sopa) de margarina;
1 cebola picada em pedaços grandes;
2 dentes de alho;
2 colheres (café) de alecrim ou estragão seco ou 1 colher (sobremesa) cheia de alecrim ou estragão fresco.

Preparo:
Retirar o excesso de gordura do frango e passar o caldo do limão, por dentro e por fora do frango; colocar dentro do frango a margarina, a cebola picada, o alho amassado e o alecrim ou o estragão; levar para assar em forno quente, com o lado do peito virado para cima, regando sempre que possível, ou, se preferir, colocar em papel ou plástico especial para assados. Servir quando estiver corado.

Pão de ervas e temperos

pao com ervas melissas southern style kitchen
Foto meramente ilustrativa – Melissa’s Southern Style Kitchen

Ingredientes:
1 xícara (chá) de óleo;
2 colheres (sopa) rasas de açúcar;
1 xícara (chá) de leite morno;
3 ovos;
1 colher (sopa) cheia de sal;
3 cebolas médias;
½ maço de cheiro-verde (salsinha e cebolinha) picado;
2 colheres (sopa) de orégano;
½ maço de manjericão (ou manjerona) picado;
3 dentes de alho;
3 tabletes ou 45 gramas de fermento biológico (de pão)
farinha de trigo – cerca de 1 quilo.

Modo de preparo:
Bater no liquidificador o óleo, o açúcar, o leite, os ovos, o sal, as cebolas, o alho, o orégano, as outras ervas e o fermento; acrescentar farinha de trigo aos poucos, mexendo sempre com uma colher. Quando ficar difícil de mexer, continuar acrescentando a farinha de trigo, sovando a massa até não grudar mais nas mãos (cuidado para não colocar farinha demais, deixará a massa dura). Transferir a massa para uma mesa e continuar sovando no sentido das laterais para o centro, até que fique homogênea. Fazer uma bola com toda a massa e deixar crescer, coberta por um pano de prato limpo, até dobrar de volume. Fazer os pães no formato desejado e deixá-los crescendo nas assadeiras, cobertos com pano de prato limpo, até que, quando pressionados com o dedo, a massa permaneça afundada, não retornando ao ponto original. Assar com o forno em temperatura baixa e aumentar para média somente pouco antes de começar a dourar.

Receitas elaboradas e testadas na Cozinha Experimental da CDRS pela nutricionista Beatriz Cantusio Pazinato da Divisão de Extensão Rural – CDRS/SAA

Açaí é rico em antioxidantes e fortalece a imunidade

Andrea Takayama, nutricionista da Oakberry, reúne dicas para ajudar a fortalecer o sistema imunológico

A alimentação é uma das formas mais efetivas de prevenir doenças e com a pandemia do coronavírus não seria diferente. Além das medidas de higiene, que são fundamentais para lutar contra o vírus, existem algumas medidas que podem ser tomadas com o objetivo de fortalecer o sistema imunológico e deixar o corpo mais preparado para evitar a contração da Covid-19.

Pensando nisso, Andrea Takayama, nutricionista da Oakberry , rede de alimentação saudável focada em açaí, separou algumas orientações sobre os benefícios da fruta.
• Antioxidantes

acai com frutas pixabay
Pixabay

“Os antioxidantes presentes no açaí protegem as células e têm um efeito profundo na redução do estresse oxidativo, melhorando a efetividade do sistema imunológico e protegendo o corpo de organismos nocivos externos”, afirma a nutricionista. Além disso, o produto possui alta capacidade de proteger as células sadias dos radicais livres, desta forma, ajudando na regeneração muscular e fortalecendo o corpo.

• Vitamina B

acai fruta pinterest
O açaí é rico em vitaminas do complexo B, importantes eletrólitos e minerais que são necessários no nosso metabolismo celular. “Esse nutriente também age no auxílio da defesa do organismo e ajuda no funcionamento do sistema nervoso, garantindo um melhor desenvolvimento para as funções do coração, olhos e pele”, completa Andrea.

• Energia e fortalecimento muscular

acai-oak-tamanhos-res
“Com grande concentração de gorduras boas e carboidratos, o açaí é um fruto altamente energético e consegue repor, de maneira rápida, a energia e a glicose, que são fundamentais para um bom funcionamento das vias metabólicas”, finaliza a profissional da saúde.

Fonte: Oakberry

Nutricionista reforça a necessidade do consumo de frutas, hortaliças e legumes

De acordo com Angela Hayashi, a ingestão de vitaminas C, E e K deve ocorrer em qualquer época da vida, principalmente durante o isolamento social

As mudanças de hábitos durante o período de quarentena têm sido inevitáveis, ainda mais no que se refere ao consumo de alimentos. No entanto, é fundamental que as refeições do dia a dia sejam ricas em vitaminas para fortalecer o sistema imunológico, sobretudo, nessa época em que as pessoas estão buscando a preservação de sua saúde.

Cuidar da alimentação é importante em qualquer fase da vida, principalmente, durante esse período de isolamento social, pois nosso cotidiano foi modificado o que aumenta a importância da gestão de alimentos saudáveis.

abacaxi pixabay
Pixabay

“É essencial cuidar do corpo e manter a imunidade alta e, por isso, é recomendável o consumo de vitaminas C, E e K, presentes em alimentos como abacaxi, laranja, cenoura, mamão, abacate, brócolis, espinafre, batata doce, mandioquinha, beterraba e oleaginosas. Eles auxiliam nas defesas para infecções e invasores como vírus e bactérias”, explica a nutricionista Angela Hayashi.

salada legumes verdura

Especialista em nutrição clínica, funcional, e pediátrica, ela reforça que o consumo diário de frutas (in natura ou não), hortaliças e legumes podem fortalecer o sistema imunológico. É importante ter, no mínimo, três refeições diárias bem equilibradas, considerando duas porções de legumes e hortaliças (almoço e jantar) e, uma fruta para acompanhar cada refeição.

frutas vermelhas skyangel

O açúcar das frutas ajudará na manutenção da saciedade e reduzirá a vontade de consumi-lo além do necessário. “A ansiedade faz com que se consuma mais carboidratos do que seu corpo tem necessidade, manter uma dieta equilibrada ajudará ter uma vida mais saudável”, explica Hayashi.

organicos legumes

Além das escolhas na alimentação, é necessário destacar as boas práticas de fabricação e manipulação no que diz respeito à transmissão do coronavírus por meio de alimentos. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e autoridades estrangeiras relacionados ao controle sanitário de alimentos, como nos Estados Unidos e na Europa, indicam não haver evidências de contaminação do vírus por meio de alimentos.

Por esse motivo, a entrega para a população brasileira está segura. “O transporte de alimentos e suas matérias-primas obedecem a uma série de regras, além da higienização dos transportes e colaboradores envolvidos em todas as etapas”, finaliza.

Fonte: Angela Hayashi é nutricionista pós graduada em Nutrição Clínica, Funcional e Pediátrica

Coronavírus: cartilha da Turma da Mônica ensina como cuidar dos alimentos

Orientado pelo Centro de Pesquisa em Alimentos da USP (FoRC), o material será divulgado nas plataformas da Turma da Mônica

Com a pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas têm dúvidas sobre como higienizar corretamente os alimentos para evitar qualquer tipo de risco. Por mais que frutas, vegetais e legumes não transmitam o vírus, é importante orientar a forma correta de manuseá-los, sejam produtos entregues por deliveries ou até mesmo frutas, vegetais e legumes comprados nos supermercados – todos precisam ser limpos da melhor maneira possível antes mesmo de serem armazenados.

A Mauricio de Sousa Produções, com apoio do FoRC, preparou a cartilha “Como cuidar dos alimentos em tempos de coronavírus”, na capa a maior fã de comida que o Bairro do Limoeiro conhece, a Magali. Além das orientações básicas de prevenção, é ensinado como higienizar cada tipo de alimento com os produtos indicados para cada situação.

Você sabia, por exemplo, que o vinagre para fins culinários não tem efeito sanitizante? Pois é, o material mostra que somente os produtos comerciais à base de cloro são eficientes para eliminar a contaminação por micróbios, vírus e bactérias! Além disso, dá dicas dos cuidados com compras de mantimentos e alimentos em pontos de venda com entrega em domicilio.

Com o passar do tempo, surgem mais novidades, conhecimentos e, consequentemente, dúvidas sobre o tema. Segundo Mônica Sousa, diretora executiva da MSP, as pessoas e fãs confiam nas informações passadas pela MSP, por isso entende que a empresa tem um papel importante neste cenário ao levar orientações corretas para ao maior número de pessoas possível.

“Com um material de fácil entendimento podemos colaborar na orientação das famílias brasileiras. É uma forma de trazer benefícios a todos os cidadãos”, completa a diretora executiva da MSP.

A cartilha é totalmente digital e gratuita e pode ser acessada pelas redes sociais da Turma da Mônica: Instagram e Facebook.

Alimentos que fortalecem os ossos

Nutricionista da Superbom elenca alimentos que atuam no enrijecimento da ossatura

Quando se trata de fortalecimento dos ossos, os itens derivados do leite são os primeiros a vir a mente. Porém, existem outros alimentos que são ótimas fontes de cálcio e nutrientes, auxiliando na prevenção de doenças como a osteoporose.

Segundo dados da Fundação Internacional de Osteoporose, a doença afeta uma em cada três mulheres com mais de 50 anos, enquanto nos homens a proporção é de um a cada cinco. O problema progride gradativamente e, raramente, apresenta sintomas antes que aconteça algo com mais gravidade, como uma fratura.

Para auxiliar quem busca uma alimentação saudável visando o fortalecimento dos ossos, a nutricionista da Superbom, empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, Jessica Santos, selecionou cinco alimentos que não podem ficar de fora dessa dieta. Confira abaixo:

soja

• Soja: alimentos à base de soja atuam beneficamente para o enrijecimento da ossatura. “É rica em isoflavona, substância semelhante ao hormônio feminino estrógeno, atuando na absorção dos minerais e, consequentemente, diminuindo a eliminação de cálcio na urina “, explica a especialista.

tomates
• Tomate: é rico em minerais como ferro, magnésio, fósforo e potássio, componentes ligados à formação dos ossos. Além de possuir vitamina A, que age na prevenção do câncer.

vegetais2
• Vegetais verdes: de acordo com pesquisadores da Universidade de Berna, na Suíça, a ingestão de grandes quantidades de vegetais verdes como brócolis, couve-flor e espinafre ajudam a aumentar a densidade óssea em até 3%, devido ao fato desses alimentos serem ricos em cálcio e vitamina D.

leite de amendoas
• Amêndoas: essa semente oleaginosa é uma ótima fonte de cálcio e magnésio. Em 26 gramas de amêndoa se encontra 60mg de cálcio, além de ser altamente nutritiva.

oleo de canola - alibaba
Foto: Alibaba

• Óleos de semente: óleo das sementes de canola, linhaça e gergelim são ricos em ômega-3, que agem no aumento da absorção de cálcio pelo organismo.

Sugestão de produtos que fortalecem os ossos:

Proteínas da soja – Superbom

superbom

As proteínas da soja da Superbom são ideais para fazerem parte de uma alimentação saudável porque além de contribuírem para o fortalecimento dos ossos, são ricas em fibras e têm alto teor proteico. Disponíveis nas versões: Bife, Carne, Salsicha, Almôndegas ao molho sugo, Vegan Meat, Salsicha defumada aperitivo, Hambúrguer, Salsicha defumada, Medalhão ao molho madeira, Molho bolonhesa, Cubinhos ao molho mexicano, Escalope ao molho caseiro e Jardineira ao molho caseiro.

Informações: Superbom

Empresa de delivery saudável lança Kit Alta Imunidade

Proposta da Lucco Fit é composta por itens que fortalecem o sistema imunológico em tempos de Covid-19

Lucco Fit, empresa que faz delivery de alimentação saudável e que foi adquirida no início do ano pela Sapore – maior empresa de capital 100% nacional no segmento de restaurantes corporativos – amplia seu portfólio e anuncia a comercialização do exclusivo Kit Alta Imunidade.

O lançamento vem ao encontro das recomendações da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) para que todos fortaleçam o sistema imunológico por meio de refeições nutritivas e balanceadas, com o intuito de mitigar os efeitos da pandemia da Covid-19.

“São pratos ricos em Ômega 3 que, além de ajudar a termos uma boa imunidade, também melhora o funcionamento das células, atua como anti-inflamatórios e ajuda no aumento de produção da serotonina, o hormônio do bem-estar”, afirma Gabriela Birochi Cerri, nutricionista da Lucco Fit. As refeições do Kit Alta Imunidade utilizam em sua composição sucos naturais de laranja e limão, ricos em vitaminas C e A, fibras e cálcio e propriedades antioxidantes, que contribuem para o combater os radicais livres.

A disponibilização de refeições que visam fortalecer o organismo e ainda oferecem a praticidade de entrega em casa segue a tendência de adotar uma vida mais saudável, principalmente nesse momento que vivemos.

“O delivery é a alternativa que atende à necessidade de permanecermos mais tempo em casa e não impacta a rotina de quem faz home office ou estuda, mesmo em isolamento”, diz Gustavo Brunello, CMO da Lucco Fit. Os números comprovam o crescimento deste mercado. A empresa aumentou em 182% suas vendas em março, comparado ao mesmo período do ano passado.

risoto
Risoto negro com parmesão, couve-flor com cúrcuma e frango grelhado

O Kit Alta Imunidade é composto de 14 refeições, cada uma com média de 761 calorias, programadas para serem consumidas em uma semana (duas refeições ao dia). Entre os pratos encontrados no kit estão Risoto negro com parmesão, couve-flor com cúrcuma e frango grelhado; Fusili integral com molho rosé e tilápia grelhada; e Frango desfiado com bolinho de quinoa, batata doce e mix de vegetais. O lançamento já está disponível no e-commerce da marca por R$ 282,60, é necessário consultar a área de entrega.

Informações: Lucco Fit

 

Nutricionista dá dicas de alimentação para a quarentena e ensina duas receitas

Especialista em nutrição do Oba Hortifruti, Renata Guirau, orienta sobre os alimentos que devem estar presentes à mesa e quais cuidados de higiene e preparo são necessários

As organizações de saúde e órgãos públicos do país já alertaram: quem puder, fique em casa pelos próximos dias. Evitar aglomerações é a principal recomendação para tentar conter a pandemia do coronavírus.

Neste período em que devemos reduzir a circulação, as idas ao mercado também devem ficar mais restritas. Mas, isso não significa que devemos colocar na despensa apenas alimentos industrializados e não perecíveis, como explica a nutricionista do Oba Hortifruti, Renata Guirau.

“É importante tentar ao máximo manter uma rotina alimentar balanceada e saudável. O consumo frequente de frutas e vegetais é imprescindível, ainda mais em um momento em que precisamos estar com uma boa saúde. Quando as defesas do organismo estão em dia, favorece que o vírus cause menos danos ao organismo e reduz o tempo de recuperação em caso de doença”, comenta a profissional.

Para quem vai cumprir com o isolamento social pelos nas próximas semanas e está preocupado com o que colocar no carrinho, Renata listou algumas orientações. Confira:

prato-saudavel
• Reduza a quantidade de alimentos nas refeições, já que durante a quarentena a tendência é ficar menos ativo. “O ideal é comer conforme a fome e finalizar a refeição assim que sentir saciedade”, explica Renata.

congelados produtos aimee law
Foto: Aimee Law

• Mantenha em casa opções de alimentos saudáveis com maior durabilidade, como feijão, lentilha, vegetais congelados, polpa de frutas.

FreeGreatPicture compras supermercado
FreeGreatPicture

• Compre frutas mais “verdes”, que também terão uma durabilidade maior.

suco cenoura organic facts
OrganicFacts

• Vegetais mais resistentes, como cenoura, vagem, repolho, batata doce também devem entrar na rotina.

lavando os legumes
• Vegetais que são consumidos crus, precisam ser lavados em água corrente e em seguida deixados de molho em solução de água com cloro. “Uma opção mais prática é comprar saladas e vegetais já higienizados e cortados, como os disponíveis no Oba Hortifruti”, indica a profissional.

ovo cozido markgraf
Foto: Mark Graf/Moguefile

• Carnes e ovos não devem ser consumidos crus ou malpassados, para eliminar qualquer possibilidade de contaminação.

frutas-citricas
• Inclua alimentos fontes de vitamina C (frutas cítricas), de selênio (castanhas), de zinco (feijões), e de ferro (carnes e vegetais verdes escuros) para ajudar a manter a imunidade em dia.

mulher bebendo agua pixabay
pixabay

• Não se esqueça de manter um bom nível de hidratação. De acordo com Renata, o ideal é beber água de forma fracionada ao longo do dia, de modo que a urina fique bem clara.

E, para quem precisa de algumas ideias criativas de receitas para variar na cozinha, Renata indica o passo a passo de arroz de forno e de um picadinho de frango com legumes:

Arroz de forno

Arroz de Forno (002)

Ingredientes
2 xícaras de arroz cozido
1/2 xícara de ervilhas congeladas
1/2 xícara de cenoura cozida cortada em cubos
1 xícara de molho de tomate
1 xícara de queijo mussarela ralado
300g de carne moída
Alho, cebola e sal a gosto
2 colheres de sopa de azeite

Modo de preparo
Aqueça o azeite e refogue o alho e a cebola. Acrescente a carne moída e deixe “fritar”. Quando a carne estiver bem cozida, acrescente o molho de tomate e acerte o sal. Em um refratário, misture o arroz, a cenoura e a ervilha. Por cima, acrescente a carne moída com o molho vermelho. Finalize polvilhando o queijo ralado e leve ao forno por 10 minutos para gratinar.

Picadinho de frango com legumes

Picadinho de Frango com Legumes (002)

Ingredientes
500g de peito de frango cortado em cubos
1 cebola média cortada em cubos
3 dentes de alho amassados
2 xícaras de chá de jardineira de legumes congelada
1/2 lata de tomates sem pele
1 colher de sopa de azeite
Sal e cheiro verde a gosto

Modo de preparo
Aqueça o azeite e doure o alho e a cebola. Acrescente o frango e deixe grelhando em fogo baixo, mexendo para não grudar. Com o frango já cozido, acrescente a jardineira de legumes e os tomates sem pele. Acerte o sal e deixe ferver. Desligue o fogo, finalize com o cheiro verde picado e sirva em seguida.

Fonte: Oba Hortifruti