Arquivo da tag: alimentação

Verde Campo lança Iogurte Grego Lacfree

Novidade completa expansão da Verde Campo em suas linhas de iogurtes em 2019

Pioneira e uma das principais linhas sem lactose do Brasil, a Verde Campo ampliou ainda mais sua variedade de produtos. Após lançar novos iogurtes à base de extratos naturais, agora a Verde Campo incrementa seu mix com novos sabores de Lacfree Grego, uma opção de lanche prático e saboroso.

São três novidades em embalagens de 100g – tradicional, superfrutas (amora, cranberry e mirtilo) e frutas amarelas (manga e maracujá). Os iogurtes gregos se destacam pela cremosidade e mantêm as principais características da linha Lacfree. Com apenas 49kcal, os produtos são triple 0% – 0 gordura, 0 açúcar e 0 lactose – além de 100% naturais, livres de conservantes corantes e aromas artificiais.

21973-MOCKUP - COCA COLA - LACFREE IOGURTE GREGO TRADICIONAL 100G_A0221975-MOCKUP - COCA COLA - LACFREE IOGURTE GREGO SUPER FRUTAS 100G_A0221979-MOCKUP - COCA COLA - LACFREE IOGURTE GREGO FRUTAS AMARELAS 100G_A02

Com as novidades, a linha Lacfree passa a oferecer uma família completa, com mais de 10 de opções de produtos, para pessoas que tem restrição à lactose. Alguns mercados já receberam o lançamento em novembro e a expectativa é que até o final do ano a novidade já tenha chegado em todo o território nacional, com valor sugerido de R$ 2,49.

A Verde Campo assumiu o compromisso de eliminar ingredientes artificiais de todo o seu portfólio e não apenas de uma linha. Todos os produtos utilizam leite fresco recebido diariamente por fazendas certificadas em boas práticas produtivas e bem-estar animal.

Informações: Verde Campo

Bikes itinerantes apresentam as maçãs francesas para o público paulistano

Pontos de degustação gratuita trazem ainda variedade inédita da fruta com sotaque francês

Pelo segundo ano consecutivo a campanha de promoção das maçãs francesas conquista o paladar dos brasileiros. Nesta temporada, as Apple Bikes são a oportunidade para o público paulistano degustar variedades deliciosas de maçãs, como a Kissabel, pela primeira vez no mercado nacional, com a casca e, sobretudo, a polpa naturalmente vermelhas.

Kissabel--2-

A iniciativa é parte da Campanha “Maçãs Francesas: Deliciosamente Crocantes!” organizada pela Interfel – Interprofissão de Frutas e Legumes Frescos e segue até meados de 2020.

maças macieira

4-pommes maçãs

A Apple Bike passará pela rua Oscar Freire, com o apoio da Associação dos Lojistas dos Jardins.

MACA-BIKE-FINAL--2-

Dias 7 (sábado) e 8 (domingo):
Rua Oscar Freire, 940, em frente à loja Clube Morena Rosa

*Sempre das 10h às 18h

Nove alimentos afrodisíacos para aquecer o relacionamento

Para muitas pessoas, comida e sexo são dois prazeres que costumam andar de mãos dadas. Por isso, não é de se admirar que em diversas culturas, dos persas até os astecas, as comidas afrodisíacas têm sido usadas para impulsionar o desejo sexual.
Para quem não sabe, a palavra afrodisíaco vem de Afrodite, a deusa grega do amor e da beleza.

Confira aqui uma pequena lista com alguns deles:

1. Chocolate

Chocolate-bom-pra-saúde
Diz uma lenda asteca, que o líder Montezuma bebia 50 cálices de chocolate todos os dias, pois isso aumentava suas habilidades sexuais com as suas 200 mulheres. Talvez, por isso, até hoje o alimento é considerado um sinônimo de amor e paixão, sendo, inclusive, um dos presentes mais tradicionais no Dia dos Namorados. Mas não é só isso, pesquisas indicam que o chocolate amargo contém certos compostos que elevam o humor, como a feniletilamina, que por sua vez controla a ação da norepinefrina, que nos excita (e dá aquela acelerada nos batimentos cardíacos), da serotonina e da dopamina (que são responsáveis pela sensação de bem-estar e felicidade). E isso, com certeza, pode ajudar as pessoas a entrarem no clima.

2. Café

FreeGreatPicture café casal
Nosso cafezinho de todos os dias também pode ser muito afrodisíaco. A cafeína presente na bebida aumenta a resistência e pode elevar o humor, além de aumentar os níveis de dopamina no cérebro, o que aumenta consequentemente o desejo e o prazer.

3. Pimentas vermelhas

pimenta
A capsaicina, uma substância química encontrada em pimentas vermelhas, elas é responsável pelo ardor e também por aumentar a circulação sanguínea e estimular as terminações nervosas, fazendo com que você se sinta mais excitado. Ela estimula ainda as terminações nervosas da língua, liberando adrenalina.

4. Ostras

ostras
As ostras levam a fama de serem afrodisíacas por terem a forma dos órgãos genitais femininos. No entanto, as ostras contêm altos níveis de zinco, substância que pode melhorar o desejo sexual aumentando a produção de testosterona. Elas também contêm tirosina, um nutriente que ajuda na produção de dopamina, que quando em baixa no organismo pode causar uma queda na libido.

5. Morangos

morango
Existe uma lenda que diz que os morangos tiveram origem nas lágrimas de Afrodite, que caíram em forma de coração, assim que ela soube da morte do seu amante Adonis. E por isso, a fruta é tão associada ao sexo, amor e paixão. Mas atualmente, os morangos são considerados comidas afrodisíacas porque são ricos em vitamina C, que é importante para a produção de hormônios sexuais e de neurotransmissores químicos no cérebro que aumentam a libido, além é claro, de ajudar a manter o seu sistema imunológico saudável.

6. Açafrão

acafrao condimento especiaria pixabay
Pixabay

A história deste alimento afrodisíaco remonta a Cleópatra. Dizem que ela se banhava em leite com infusão de açafrão para ficar ainda mais sedutora e despertar o desejo dos homens. Já pesquisas recentes, mostraram que o açafrão ajuda a aumentar a mobilidade dos espermatozoides e pode diminuir alguns dos efeitos colaterais sexuais causados pela ingestão de certos antidepressivos.

7. Abacate

abacate 1
No idioma asteca a palavra ahuacatl significa testículo, mas sua fama de alimento afrodisíaco vai muito além do nome. O abacate possui altos níveis de ácido fólico, vitamina B9 (que fornece energia para o organismo) e vitamina B6 (que ajuda na produção de testosterona). Por isso, ele é considerado uma das comidas afrodisíacas mais eficazes.

8. Salmão

tartar de salmao
O salmão é uma das mais conhecidas comidas afrodisíacas, já que é rico em ômega-3, substância importante não só para manter o coração saudável, mas que também ajuda a aumentar a libido, fornecendo o que é necessário para a produção de estrogênio, testosterona e progesterona.

9. Mel

mel pexels
Pexels

Hipócrates, na Grécia Antiga, tinha o costume de prescrever o mel para aumentar o vigor sexual. E não é pra menos. Ele contém boro, mineral que ajuda a regular os níveis hormonais, e o óxido nítrico, que ajuda a aumentar o fluxo sanguíneo durante a excitação.

gettyimages casal chocolate
Getty Images

Esses são apenas nove das centenas de alimentos afrodisíacos. Escolhemos as mais acessíveis e muito fáceis de encontrar. Agora, basta testar os seus efeitos em qualquer outra data, afinal todo dia é dia de amar.

Fonte: A Chef Em Casa

Dezembro terá última edição da “Superbom Aberta” de 2019

Fábrica de alimentos saudáveis abre as portas para oferta de produtos a preços promocionais

A “Superbom Aberta”, evento realizado pela empresa alimentícia especializada na fabricação de produtos saudáveis, será realizada nos próximos dias 6 e 8 de dezembro. O objetivo é ofertar produtos da marca com descontos de até 50% em comparação com os pontos de venda. Ao todo, são mais de 175 de produtos do portfólio da marca disponíveis para compra.

Frango-Vegano-400g-Superbom.png

Entre os itens com desconto, destaque para o Frango Vegano em pedaços, com características idênticas às da carne animal, além de outras proteínas vegetais como o Burger Gourmet, Coxinha, Steak sabor peixe, Burger de Grão-de-bico, todos 100% plant-based.

superbom

De acordo com o diretor de marketing da empresa, David Oliveira, o evento é uma oportunidade para os consumidores encontrarem todo o portfólio da Superbom em único espaço, uma vez que queijos veganos, sucos integrais, snacks, granola, geleias e outros produtos também estarão disponíveis.

O evento ainda terá outras atrações gastronômicas como degustação dos itens Superbom e food truck com comidinhas veganas e vegetarianas.

A fábrica da Superbom está situada no Capão Redondo, em São Paulo. O evento ocorre no dia 6 de dezembro, sexta-feira, das 8 às 14 horas, e no dia 8, domingo, das 8 às 16 horas.

Serviço “Superbom Aberta”
Local: Rua Domingos Peixoto da Silva, 245 – Capão Redondo/ SP, próximo à estação de metrô Capão Redondo da linha lilás.
Data: 6 de dezembro
Horário: das 8h às 14h, e 8 de dezembro, das 8h às 16h
Estacionamento gratuito.

Livro expõe evidências sobre como nutrição pode impulsionar potencial genético humano

Mais de 70 especialistas em saúde discutem como os compostos bioativos presentes nos alimentos podem maximizar as funções fisiológicas para assegurar o bem-estar total, a saúde plena e o melhor desempenho do potencial físico e cognitivo, ao mesmo tempo em que confere um risco mínimo de doenças ao longo da vida.

Embora as disciplinas de nutrição e alimentos sejam estudadas há séculos, a ciência nutricional moderna é supreendentemente jovem. A primeira vitamina foi isolada e quimicamente definida apenas em 1926, ou seja, há menos de 100 anos, inaugurando meio século de descobertas focadas em doenças causadas pela deficiência de nutrientes isolados. As pesquisas sobre o papel da nutrição na etiologia de doenças crônicas não transmissíveis, como cardiovasculares, diabetes, obesidade e câncer, são ainda mais recentes, progredindo nas últimas duas ou três décadas.

Evidências científicas mais atuais conduziram a nutrição humana a outro patamar, evoluindo da estratégia de prevenção primária de deficiências dietéticas – ação associada a uma abordagem reducionista – para elemento fundamental da promoção do bem-estar e da redução do risco de doenças. Nos últimos anos, essa abordagem se expandiu, tornando-se mais holística e visando compreender o papel da nutrição em um contexto ainda mais amplo, culminando no que é reconhecido hoje como o conceito de nutrição ótima.

A nutrição ótima (ou otimizada) fundamenta-se na funcionalidade dos alimentos e nos seus compostos bioativos, buscando maximizar as funções fisiológicas de cada indivíduo para assegurar o bem-estar total, a saúde plena e o melhor desempenho do potencial físico e cognitivo, ao mesmo tempo em que confere um risco mínimo de doenças ao longo da vida.

salada legumes verdura

Não é à toa que a nutrição ótima é um dos pilares da “medicina do estilo de vida”, uma abordagem baseada em evidência proposta recentemente pela Harvard Medical School. Além da estratégia nutricional, a abordagem inclui o gerenciamento do estresse, a qualidade do sono e a prática regular de exercícios como ferramentas essenciais para a prevenção, tratamento e, muitas vezes, até reverter doenças crônicas e condições autoimunes específicas.

Cientes de que essa abordagem é a grande quebra de paradigmas no âmbito da saúde pública, em todos os ciclos da vida, mais de 70 especialistas em nutrição, alimentação e saúde se reuniram para lançar a obra “Alimentos Funcionais e Compostos Bioativos” (editora Manole), incluindo os renomados Doutores Mauro Fisberg, Elizabete Wenzel, Carlos Magnoni, Ligia Araujo Martini, Winston J. Craig, Glaucia Pastore e Claudio Lottenberg.

O trabalho inédito, que conta com a organização das médicas Sonia Tucunduva Philippi, Carolina Vieira de Mello Barros Pimentel e Maria Fernanda Elias, foi desenvolvido sob a concepção e perspectiva interdisciplinar, além de contemplar aspectos que envolvem inovação, tecnologia, tendências, mercadologia, gastronomia, sustentabilidade, e outros fatores relacionadas à complexidade e o entendimento das questões alimentares e nutricionais, assim como os seus principais desafios.

“Cada vez mais, as pessoas não querem se alimentar simplesmente por prazer ou para cobrir as necessidades nutricionais básicas. Elas buscam a funcionalidade dos alimentos no sentido de viver mais, com mais saúde, atingindo sua capacidade genética máxima”, explica Maria Fernanda. “Nós reunimos o que existe de evidência científica atual no sentido de tornar esse desejo uma realidade”.

Para Sonia Tucunduva, “Os compostos bioativos presentes no alimentos, incluindo vitaminas, probióticos, fibras, carotenoides e peptídeos, estimulam a curiosidade dos cientistas e estudiosos, que buscam esclarecer seus mecanismos de ação e as várias possibilidades de proteção ao organismo contra o desenvolvimento das chamadas doenças crônicas não transmissíveis, altamente prevalentes no mundo atual”.

Já Carolina Pimentel ressalta: “Nosso desejo é que todos os profissionais de saúde tenham acesso às ferramentas nutricionais que suportam o conceito da medicina do estilo de vida, integrando os comportamentos positivos em suas próprias vidas e, mais importante, incorporando-os em suas práticas clínicas em benefício da sociedade”, conclui.

capa

Alimentos Funcionais e Compostos Bioativos
Organizadores: Carolina Vieira de Mello Barros Pimentel, Maria Fernanda Elias, Sonia Tucunduva Philippi
Editora Manole
Número de páginas: 936
Peso: 1.290 kg
Largura: 15,5 cm
Altura: 22,5 cm
Profundidade (lombada): 5,5 cm
Encadernação Flexível
Preço: R$ 178,00

A importância da água e de alguns alimentos para a cicatrização

Uma das coisas mais importantes nos pós-operatório é a importância da boa hidratação e alimentação para a recuperação do corpo e boa cicatrização.

Após uma cirurgia, o corpo como um todo entende que sofreu uma agressão e dispara vários mecanismos de defesa, mudando assim todo seu metabolismo. Uma das formas para uma boa recuperação é manter o corpo hidratado, com ingestão de dois a três litros de água por dia.

agua copo

A água é um dos principais elementos necessários para nossas reações enzimáticas e para manter o bem-estar de nosso metabolismo, além de ser umas das precauções para evitar eventos tromboembólicos. Faz os rins funcionarem adequadamente excretando os metabólitos tóxicos.

“Após tratamentos estéticos ou cirurgias plásticas há uma série de cuidados para que o resultado do procedimento seja favorável, bem como para mantê-lo. Entre eles, há um método muito simples, eficaz e econômico que é beber água”, afirma o cirurgião plástico Juliano Souto Ferreira .

Segundo o especialista, a água não deve ser ingerida nem muito e nem pouco. Na dose certa, ela evita desidratação e não potencializa o efeito diurético, aquela vontade de fazer xixi muitas vezes.

Portanto, o ideal é que, no período de recuperação de uma cirurgia, sejam ingeridos por volta de dois litros de água por dia.

dieta proteica alimentos proteina

De forma geral a alimentação deve ser baseada em proteínas de alto valor biológico, como carnes, frango, peixes e ovos. Muito importante: os bons carboidratos de baixos índices glicêmicos para dar a energia necessária para a recuperação. Vitaminas como a C é muito importante para a formação do colágeno e uma boa cicatrização. Por isso é contraindicado fazer dietas restritivas nos primeiros 30 dias de pós cirurgia sem orientação adequada.

Isto também vale para manter bem a saúde, independente de fazer uma cirurgia ou não.

Fonte: Juliano Souto Ferreira é Cirurgião Plástico, formado pela Universidade do Oeste Paulista (Unoeste). Fez residência médica de cirurgia geral no Hospital Prof. Dr. Alipio Corrêa Neto. Residência de cirurgia plástica no Hospital dos Defeitos da Face (atual Hospital da Cruz Vermelha Brasileira). Membro especialista em cirurgia plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Preceptor da residência de cirurgia plástica do Hospital da Cruz Vermelha Brasileira. Médico do corpo clínico do Hospital São Luiz do Itaim e do corpo clínico do Hospital Sírio Libanês.

Nutricionista dá dicas para evitar a intoxicação alimentar em dias quentes

Os maiores vilões são a água, maionese, frango, carne bovina, ovos e, principalmente, a ostra. Se forem mal preparados ou indevidamente manuseados, esses produtos ficam suscetíveis a contaminações. Quando ingeridos, esses agentes podem causar diversos problemas

Com as altas temperaturas aumentam os casos de intoxicação alimentar, como é popularmente chamada a gastroenterocolite aguda, causada principalmente pela ingestão de água ou alimentos contaminados por micro-organismos. Nesta época do ano, grande parte da população frequenta praias e clubes, lugares bastante propícios para contrair uma intoxicação alimentar. Por isso, é preciso ficar atento. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, janeiro e fevereiro são os meses em que há mais notificações de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA’s).

A principal causa do aumento de intoxicação alimentar são as altas temperaturas da estação que podem comprometer a conservação de alimentos e favorecer a proliferação dos microorganismos nocivos à saúde, entre eles bactérias (salmonela e estafilococos) e vírus (rotavírus).

De acordo com a nutricionista do Clinic Check-up do HCor, Maria Fernanda D’Ottavio, essa ocorrência está ligada à temperatura mais alta nesse período, o que favorece a proliferação de micro-organismos nocivos à saúde. “Nessa época, temos que ter mais cuidado com o que comemos e onde comemos”, alerta a nutricionista.

Fique atento aos vilões!

Ostra_3

Os maiores vilões são água, maionese, frango, carne bovina, ovos e, principalmente, a ostra. Se forem mal preparados ou indevidamente manuseados, esses produtos ficam suscetíveis a contaminações. Quando ingeridos, esses agentes podem causar diversos problemas. “De modo geral, os sintomas mais comuns são vômito, diarreia, náuseas, dor abdominal e cólicas, às vezes com presença de febre, ou até mesmo paralisia, se for caso de botulismo. A manifestação dos sintomas, após a ingestão, pode variar de horas (no caso da salmonela) até semanas (hepatite A)”, esclarece Maria Fernanda.

Cuidado redobrado com a alimentação no verão

Para a nutricionista do HCor, poucos casos exigem internação, mas é importante que um posto médico seja procurado assim que os sintomas se manifestarem. Para amenizar o mal-estar, o ideal é muito repouso e hidratação. “Os cuidados que temos usualmente com os alimentos devem ser redobrados, principalmente ao nos alimentarmos fora de casa. Na praia, os cuidados devem ser ainda maiores, já que além do calor intenso, vários alimentos são vendidos sem os devidos cuidados com a higiene”, recomenda.

Dicas da nutricionista do HCor para evitar a intoxicação alimentar no período de altas temperaturas:

sashimi peixe cru pixabay
Pixabay

=Evitar alimentos crus ou malcozidos. Prefira alimentos que passem por altas temperaturas para serem preparados;

geladeira cheriedurbin morguefile
Morguefile

=Atente-se à temperatura dos refrigeradores onde os alimentos são armazenados. Temperaturas inferiores a 4ºC são mais seguras para evitar a proliferação de micro-organismos;

geladeira aberta

=Consuma imediatamente os alimentos cozidos. Caso sobre, guarde-os em recipientes na geladeira;

carne

=Mantenha os alimentos crus longe dos cozidos;

comida estragada mulher.jpg

=Não consuma alimentos com alteração de odor, cor e sabor;

palmito.JPG

=Evitar alimentos em conserva como palmito e molhos caseiros como maionese;

lata amssada

=Não ingira alimentos em embalagens danificadas;

mesa jantar comida pixabay

=Evitar porções feitas com excessiva antecipação;

mulher meia idade tomando agua

=Consuma apenas água potável;

restaurante praia mar.jpg
Pixabay

=Evite o consumo de alimentos em ambulantes. Prefira quiosques, lanchonetes ou estabelecimento com estrutura e higiene adequada;

quiosque praia mar férias

=Atente-se a higiene do local, desde higiene pessoal dos funcionários e também dos utensílios e local.

Fonte: HCor

Cúrcuma e açafrão: entenda a diferença entre as duas especiarias

Estudos demonstram que, além do aroma, cor e sabor, esses dois ingredientes têm muito mais a oferecer

Quando se trata de saúde, é sempre bom lembrarmos que a nossa alimentação e, principalmente, os alimentos que escolhemos consumir têm um impacto primordial sobre como nos sentimos física e mentalmente. Muitos temperos e especiarias que acrescentamos a nossos pratos são bastante reconhecidos por suas propriedades terapêuticas. Um exemplo é a cúrcuma (fonte de curcumina) e o açafrão: segundo um artigo publicado no jornal Foods, a curcumina está sendo reconhecida e usada em todo o mundo sob muitas formas e para múltiplos benefícios potenciais para a saúde.

No Japão, o açafrão-da-terra – que contém a curcumina – é servido no chá; na Tailândia, em cosméticos; na China, é usado como corante; na Coreia, é servido em bebidas; na Malásia, é utilizado como antisséptico; no Paquistão, como agente anti-inflamatório; nos Estados Unidos, é colocado em molhos de mostarda, queijo, manteiga e batatas fritas, como conservante e agente colorante, além de estar presente em cápsulas para a saúde. Mas esses são só alguns dos múltiplos usos das especiarias.

Cúrcuma ou açafrão: você sabe a diferença?

curcuma pixabay
Foto: Pixabay

A cúrcuma (Curcuma longa) é conhecida também como açafrão-da-terra, possui um rizoma subterrâneo e é da mesma família do gengibre. Já o açafrão é proveniente dos estigmas de flores da planta Crocus sativus. São duas plantas distintas, mas com cores bastante parecidas e propriedades medicinais semelhantes.

A cúrcuma sempre foi muito utilizada por populações do sul da Ásia, em pratos com o famoso molho curry, por exemplo. Já o açafrão, foi e continua sendo muito utilizado pelas populações próximas ao Mediterrâneo – principalmente nos pratos conhecidos como paellas.

Açafrão: propriedades antioxidantes

açafrão

Estima-se que o açafrão seja cultivado há mais de 3.500 anos, por várias civilizações, culturas e continentes. Ao longo da história, sempre foi uma das substâncias mais caras do mundo, justificadamente: cada flor possui somente três estigmas, sendo que, para obter 1kg da especiaria, são necessárias, em média, 225 mil estigmas, ou seja, 75 mil flores.

Muitos estudos indicam que as propriedades encontradas no açafrão são atribuídas em especial aos carotenoides – crocina e safranal -, com propriedades antioxidantes e coletores seletivos de radicais livres. “O açafrão vem mostrando efeitos positivos em aplicações ainda mais abrangentes, incluindo antidepressivas e anticonvulsivantes, analgésicas, anticâncer e outros efeitos terapêuticos em diferentes partes do corpo, como cardiovascular, imunológico, visual, respiratório, geniturinário, sistema nervoso central e para desordens digestivas”, explica a médica Elisa Urban.

Para se ter uma ideia do potencial antioxidante de uso diário desse alimento, um estudo clínico mostrou que 50mg de açafrão dissolvido em 100ml de leite, ingerido duas vezes ao dia, diminuiu a suscetibilidade à oxidação de lipoproteínas, protegendo assim de doenças cardiovasculares.

O que é a curcumina?

açafrão da terra

Além de conhecida como açafrão-da-terra, a cúrcuma também é conhecida como turmérico, açafrão-da-índia, açafroa, raiz-de-sol, gengibre-amarelo, e tem sido associada a muitos benefícios, desde a redução de processos inflamatórios até a melhora da saúde cerebral; isso devido a presença de fitoquímicos denominados curcuminoides encontrados em grande quantidade nos rizomas da planta.

Os curcuminoides são pigmentos que possuem poderosas propriedades: antioxidantes, antimicrobianas, anti-inflamatórias e moduladora do sistema imune. Dentre esses curcuminoides, a curcumina é o principal: representa 77%.

Na área da saúde, a curcumina, com seu tom amarelo-ouro vibrante, atua como um anticancerígeno, ajuda a reverter a resistência à insulina, a equilibrar o nível de colesterol ao reduzir o colesterol de baixa densidade (LDL) e triglicerídeos. Ainda, age também como um coletor seletivo de radicais livres (prevenindo assim o dano oxidativo do DNA), reduz a inflamação sistêmica por regular marcadores inflamatórios e também melhora os sintomas de artrite.

Como aproveitar ainda mais a cúrcuma e a curcumina?

curcuma

Para que a cúrcuma leve benefícios medicinais, através da curcumina, a forma e a concentração são essenciais. Tradicionalmente, na culinária, quando comprada em mercados e feiras a especiaria em pó, o rizoma da planta se encontra seco e moído. O sabor é um pouco amargo, sendo muito usado em pós de curry, mostardas, manteigas e corantes. Nesses casos, a curcumina representa apenas aproximadamente 3% da concentração – quantidade não suficiente para benefícios significativos.

Já é possível encontrar o extrato de cúrcuma padronizado com 95% de concentração. A procedência e padronização do extrato são fundamentais, pois qualidade tem custo e características bem definidas.

“A biodisponibilidade da curcumina é muito baixa por ser rapidamente metabolizada e eliminada pelo fígado, por isso, sua associação à piperina, um composto natural encontrado na pimenta-preta, ajuda na absorção. Boas fontes de gorduras como a do coco, também potencializam a absorção, uma vez que a cúrcuma é uma substância lipofílica, ou seja, é melhor absorvida em um meio gorduroso”, esclarece a médica.

Atualmente, também são utilizadas formas farmacêuticas como a formulação que usa a nanotecnologia (nanocurcumina) associada à ciclodextrina ou outro componente que favoreça a absorção. Outra forma de uso é por meio dos fitoquímicos, também conhecidos como compostos bioativos, como os desenvolvidos pela Essentia Pharma, farmácia de manipulação referência no Brasil, que usa matérias-primas como a curcumina e sua riqueza medicinal natural na nutrição.

Ao utilizar o rizoma do açafrão-da-terra na culinária, ralado ou em pó, mesmo que a concentração da curcumina seja inferior à forma padronizada, certifique-se de adicionar pimenta-preta e boas fontes de gordura. Dessa forma, você garantirá melhores benefícios desses nutrientes. Essa é uma das bases de uma receita popular de origem asiática: o golden milk. Uma bebida preparada com leite (animal ou vegetal) e especiarias como a pimenta-preta, canela e cúrcuma.

Quem deseja incluir a bebida na dieta pode encontrar opções prontas, como a da Essential Nutrition, marca brasileira de nutrição funcional, que uniu as especiarias em sua forma mais pura com altas doses de cúrcuma, açafrão, pimenta preta e vermelha, canela, gengibre e cardamomo, à cremosidade e sabor do leite de coco na bebida nutritiva Golden Lift. A receita, difundida na medicina ayurvédica, reforça a importância do equilíbrio entre corpo e mente: trata-se de um elixir rico em compostos bioativos que se complementam e com diversos benefícios terapêuticos.

Benefícios do golden milk

Turmeric-Golden-Milk-Recipe-Image-1-9310

Com superingredientes vindos da natureza, o golden milk é fonte de antioxidantes e anti-inflamatórios que oferecem sensação de conforto, bem-estar e saciedade – atendendo às necessidades biológicas, psicológicas e até emocionais do corpo. Isso porque sua fórmula nutricional é rica em compostos bioativos que atuam em sinergia, proporcionam maior biodisponibilidade ao organismo. Ou seja, eles aumentam o poder de absorção dos ingredientes, otimizando seus efeitos positivos.

Conheça os benefícios do golden milk para a saúde:

=Anti-inflamatório, antioxidante, analgésico e detoxificante;
=Promove equilíbrio dos níveis de colesterol;
=Ajuda na saúde imunológica e cerebral;
=Auxilia na digestão e no metabolismo energético;
=Atua no equilíbrio dos níveis de açúcar do sangue;
=Oferece sensação de conforto e bem-estar;
=Contribui no gerenciamento do peso, reduzindo a compulsão alimentar.

Mas, para que serve o golden milk? Efeitos terapêuticos anti-estresse e ansiedade

Golden-Lift-Essential-Nutrition

Cada ingrediente da receita do golden milk tem um papel importante na composição. E é essa combinação única com açafrão que aumenta os níveis de dopamina e serotonina, neurotransmissores que oferecem sensação de conforto e bem-estar, além de ajudar no controle dos sintomas de estresse e ansiedade.

Ou seja: além de delicioso, golden milk serve também para auxilia a acalmar e pode ser um bom aliado para induzir o sono antes de dormir. E além de ajudar na ansiedade, também promove saciedade, o que o torna uma boa opção para ajudar a matar a vontade de um doce depois do almoço.

Cúrcuma e açafrão para ajudar na depressão e ansiedade

Golden-Lift-pode-ser-misturado-com-cafe

Nas últimas décadas, pesquisadores vêm descobrindo que a depressão maior está associada com uma inflamação crônica, estresse oxidativo e danos microscópicos no nível neural. Devido ao efeitos anti-inflamatórios e antioxidantes da cúrcuma e do açafrão, ambos demonstram proteger contra uma série de condições degenerativas.

Esse papel protetor é muito importante para a saúde geral do cérebro e está associado ao tratamento para condições de depressão e ansiedade. Muitos estudos demonstraram melhora de sintomas relacionados ao humor, a ansiedade e a depressão. Além de, em alguns casos, terem produzido os mesmos efeitos que uma medicação antidepressiva, porém, sem efeitos colaterais. Ou seja, a cúrcuma e o açafrão vão muito além do que meras especiarias, atuando como verdadeiros aliados da saúde do organismo como um todo.

Com-curcuma-e-acafrao-Golden-Lift-da-Essential-Nutrition-tem-inumeros-beneficios

Golden Lift
Preço Sugerido: 210g | 30 doses: R$145,00
105g | 15 sachês: R$ 80,00

Fonte: Essential Nutrition

 

 

“Batidão” oferece mistura de açaí com outras frutas

Inspirado no smoothie, a Fast Açaí, única com polpa de açaí 100% orgânica, traz o Batidão, uma mistura de açaí e frutas. Com versões de 300ml e 500ml, o produto é mais um do mix com o conceito de healthy food, em que os clientes poderão acrescentar ao açaí frutas como: banana, manga, morango, kiwi, abacaxi, criando sabores únicos ao misturar até três opções.

“O Batidão é mais uma opção saudável que a Fast Açaí oferece. O produto chega para integrar nosso mix, que conta também com wraps, tapioca, suco de açaí e energético com açaí (parceria com a Red Bull)”, explica André Braga, gerente de operações da Fast Açaí.

açai.png

O produto pode ser encontrado nas unidades da marca em 12 estados e no Distrito Federal.

Fonte: Fast Açaí

Oito grandes mentiras sobre o açúcar que devemos desaprender*

Existem algumas coisas que todos podemos dizer com certeza sobre açúcar. Número um, está ótimo. E número dois? É muito, muito confuso.

Embora todos possamos concordar que o açúcar não é exatamente um alimento natural, há muitas informações erradas sobre como se deve levar os doces em consideração na sua dieta – se é que existem. Por exemplo, alguns tipos de açúcar são mais saudáveis que outros? E cortá-lo realmente colocará você no caminho mais rápido para perder peso, aliviar a acne, evitar mudanças de humor ou outros problemas de saúde?

Acontece que as respostas podem não ser o que você pensa. Aqui estão oito coisas que mesmo as pessoas com conhecimento em nutrição podem não perceber sobre o açúcar – e o que você deve saber sobre como encaixá-lo em sua dieta.

1. “Todo açúcar é açúcar ruim”

frutass

Você provavelmente já ouviu várias vezes sobre como todos nós devemos comer menos açúcar. Mas o que os especialistas realmente querem dizer é que devemos comer menos açúcar adicionado. Este é o açúcar adicional nos alimentos para que eles tenham um sabor mais doce – como o açúcar mascavo nos biscoitos de chocolate ou o mel que você rega no iogurte.

O açúcar adicionado é diferente do açúcar que ocorre naturalmente em alguns alimentos, como frutas ou leite. Por um lado, o açúcar natural vem com um pacote de vitaminas, minerais e nutrientes que ajudam a compensar alguns dos aspectos negativos do conteúdo de açúcar, explica Georgie Fear, autora de “Lean Habits for Lifelong Weight Loss” (Hábitos magros para perda de peso ao longo da vida, em tradução livre). Por exemplo, frutas têm fibras que fazem com que nosso corpo absorva açúcar em uma taxa mais lenta.

O fato? Não se preocupe com coisas como frutas inteiras ou laticínios comuns (como leite ou iogurte sem açúcar). Fontes de açúcar adicionado – sobremesas, bebidas açucaradas ou alimentos embalados – são as coisas que você precisa observar.

Açúcar vs. Açúcar

Também existe o fato de que alimentos com açúcar natural tendem a conter menos açúcar no geral. Por exemplo, você recebe 7 gramas de açúcar em uma xícara de morangos frescos, mas 11 gramas de açúcar em uma snack de lanches com frutas com sabor de morango.

2. “Açúcares minimamente processados ​​ou naturais são melhores para você”

mel pexels
Pexels

É verdade que os adoçantes minimamente processados, como mel ou xarope de bordo, contêm mais nutrientes do que os altamente processados, como açúcar branco. Mas a quantidade desses nutrientes é pequenininha, então, eles provavelmente não terão um impacto mensurável em sua saúde. Para o seu corpo, todas as fontes de açúcar são iguais.

Além disso, esses adoçantes naturais não recebem nenhum tipo de tratamento especial em seu corpo. O trato digestivo divide todas as fontes de açúcar em açúcares simples chamados monossacarídeos.

“Seu corpo não tem ideia se é proveniente de açúcar de mesa, mel ou néctar de agave. Ele simplesmente vê moléculas de açúcar monossacarídico ”, explica Amy Goodson, nutricionista e consultora registrada na área de Dallas-Fort Worth, com ênfase em saúde geral, bem-estar e nutrição esportiva. E todos esses açúcares fornecem 4 calorias por grama, para que todos tenham o mesmo impacto no seu peso.

3. “Você deve cortar completamente o açúcar da sua vida”

alimentação saudável

Você não precisa cortar completamente o açúcar adicionado da sua vida. Diferentes organizações de saúde têm recomendações diferentes para a quantidade de açúcar que você deve limitar por dia. Mas todos concordam que há espaço para um pouco de açúcar em uma dieta saudável.

A Fonte Confiável de Diretrizes Dietéticas dos EUA diz que um adulto que ingere 2.000 calorias por dia deve ter menos de 12,5 colheres de chá ou 50 gramas de açúcar adicionado diariamente. (Isso é aproximadamente o valor de um refrigerante de 473 ml). Já a American Heart Association diz que as mulheres devem ter menos de 6 colheres de chá (25 gramas) e os homens devem ter menos de 9 colheres de chá (36 gramas) por dia.

Por fim, seu corpo não precisa de açúcar. Então, ter menos é melhor, diz Georgie. Isso não significa que você não possa ter nenhum. É tudo sobre – você adivinhou – moderação.

4. “É impossível evitar o açúcar”

MULHER IPAD COMENDO DOCE.jpg

Cerca de 75% dos americanos consomem mais açúcar do que deveriam, de acordo com as Diretrizes Dietéticas dos EUA. Não tem certeza se você é um deles? Tente registrar sua ingestão alimentar em um aplicativo de rastreamento de alimentos por alguns dias. Isso pode lhe dar uma ideia do quanto você está realmente comendo coisas doces e facilitar o consumo de menos açúcar adicionado.

Se você está exagerando, cortar não precisa ser doloroso. Em vez de exaltar suas delícias favoritas, tente comer porções menores. “Afinal, há metade dos gramas de açúcar em meia xícara de sorvete em comparação com uma xícara inteira”, diz Georgie.

Fique de olho nos alimentos embalados também. Coisas como pão, iogurte com sabor, cereais e até molho de tomate podem ter mais açúcar do que você imagina. Portanto, preste atenção aos rótulos nutricionais e procure opções que ajudem você a permanecer dentro do seu limite diário de açúcar.

5. “O açúcar está deixando você doente”

mulher depressao cansaço cama pixabay p

Talvez você tenha ouvido falar que comer açúcar causará doenças cardíacas, Alzheimer ou câncer. Mas comer açúcar com moderação não vai tirar anos da sua vida. Um estudo do American Journal of Clinical NutritionTrusted Source, que acompanhou mais de 350.000 adultos por mais de uma década, descobriu que o consumo de açúcar adicionado não estava vinculado a um risco aumentado de morte. Contanto que você não exagere.

Embora uma quantidade moderada de açúcar não pareça prejudicial, o excesso pode colocar você em risco de ganhar peso. Mas o mesmo pode acontecer com muitas batatas fritas, muito queijo ou até muito arroz integral.

“O excesso de calorias totais em nossas dietas, incluindo as de açúcar, contribui para o ganho de peso, o que pode levar à obesidade e à possibilidade de aparecimento de doenças crônicas”, explica Kris Sollid, diretor sênior de comunicações nutricionais da Fundação Conselho Internacional de Informação sobre Alimentos.

O ponto de partida? Mimar-se com um donut nas manhãs de domingo não vai doer. Mas se você sabe que isso fará com que você coma vários donuts além do seu limite diário de calorias, convém ficar longe. Da mesma forma, não use essa circunstância para pressionar alguém a comer açúcar quando não quiser.

6. “O açúcar é uma droga e um vício”

mulher comendo sorvete na cama

“Comparar açúcar com drogas abusivas é um atalho simplista”, diz Giuseppe Gangarossa, PhD, para PLOS. Os especialistas sabem que a ingestão de açúcar estimula caminhos no cérebro associados a sentimentos de prazer e recompensa. Os caminhos sobrepostos podem produzir efeitos semelhantes ao uso de substâncias, mas isso não os torna viciantes como drogas, explica Ali Webster, diretor associado de comunicações nutricionais da Fundação Conselho Internacional de Informação sobre Alimentos.

Então, por que algumas pessoas ficam com tanta pressa quando comem lanches açucarados e sentem que precisam de uma correção regular para não desabar? Comer coisas doces faz com que o açúcar no sangue aumente e caia rapidamente, o que pode causar cansaço e dor de cabeça. “Isso geralmente faz as pessoas procurarem mais açúcar para estabilizar o açúcar no sangue e ajudá-las a se sentir melhor”, explica Amy.

A comparação de açúcar e drogas continua sendo debatida. Uma análise recente do European Journal of Nutrition encontrou poucas evidências para apoiar a ideia de que o açúcar realmente possui propriedades viciantes e similares a drogas. A Scientific American também observou que mudar nosso ambiente alimentar pode ajudar a atenuar esses desejos. Ao permanecer comprometido em evitar adição de açúcar em casa, como doces no café da manhã, cereais rápidos ou iogurtes carregados, você poderá encontrar menos desejos por doces.

Sobre o uso da palavra vício

As pessoas podem desejar açúcar, mas é improvável que uma pessoa comum seja viciada. O vício é uma condição médica séria baseada em mudanças cerebrais reais que dificultam as pessoas a interromper o uso de uma droga. Comparar casualmente o açúcar com as drogas diminui o vício.

7. “Substituições sem açúcar são uma boa alternativa”

ADOÇANTE.jpg

Pode ser tentador trocar alimentos açucarados por alimentos feitos com adoçantes de baixa ou nenhuma caloria, como refrigerante diet ou biscoitos sem açúcar. Mas fazer essa troca pode sair pela culatra, e provavelmente não será mais saudável.

O consumo de adoçantes como aspartame, sacarina e sucralose está relacionado ao ganho de peso, não à perda, de acordo com uma análise de 37 estudos publicados no Canadian Medical Association Journal. Além disso, eles estavam associados a um risco maior de pressão alta, diabetes tipo 2, síndrome metabólica, ataques cardíacos e derrame.

Os especialistas ainda não entendem completamente como esses tipos de adoçantes afetam o corpo. Mas evidências crescentes sugerem que podem ter um impacto negativo no açúcar no sangue, dificultar o controle do apetite e até mexer com as bactérias intestinais. E essas coisas podem colocar você em risco de obesidade e problemas de saúde relacionados.

8. “Seguir uma dieta com pouco ou nenhum açúcar ajudará você a perder peso”

alimentação-saciedade
Foto: Shutterstock

Certamente, limitar sua ingestão de açúcar pode ajudá-lo a atingir suas metas de perda de peso. Mas apenas se você também estiver atento à ingestão total de calorias. “É muito fácil trocar alimentos açucarados por outros que realmente contêm mais calorias, o que pode levar ao ganho de peso”, diz Georige, apontando que uma dieta com pouco ou nenhum açúcar não pode garantir a perda de peso.

Em outras palavras, comer um sanduíche de ovo e salsicha de 600 calorias no café da manhã, em vez da tigela habitual de 300 calorias de cereal açucarado, não o levará de volta ao seu jeans skinny, mesmo que o sanduíche tenha muito menos açúcar.

O que ajudará? Escolhendo versões sem açúcar dos alimentos que você normalmente consome, como iogurte natural em vez de um com sabor, recomenda o Georgie. E se você não encontrar um bom substituto? Reduza gradualmente a quantidade de açúcar que você adiciona a alimentos como aveia, café ou smoothies.

Em consideração ao açúcar

O açúcar não é um alimento natural, mas também não é o veneno do mal que às vezes se faz parecer. Embora a maioria de nós possa ter menos dele, é perfeitamente bom ter um pouco. Então vá em frente e aproveite o doce ocasional – sem um lado de culpa.

*Marygrace Taylor é jornalista de saúde e bem-estar de publicações como Parade, Prevention, Redbook, Glamour, Women´s Health e outros. 

Publicado originalmente no site Healthline