Arquivo da tag: APM

Médica alerta: cuidado com a insolação

A insolação é uma condição séria provocada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor intenso. Ela acontece quando a temperatura corporal ultrapassa os 40ºC, fazendo com que o mecanismo de transpiração falhe e o corpo não consiga se resfriar.

O quadro de insolação merece especial atenção porque com o aumento rápido da temperatura corporal, a pessoa acaba perdendo muita água, sais e nutrientes importantes para manutenção do equilíbrio do organismo.

É importante lembrar que a condição da insolação está bastante associada ao clima quente e seco, mas também pode ocorrer em ambientes úmidos. É uma condição que pode ser fatal. O atendimento médico deve ser imediato, assim que surgirem os primeiros sinais e sintomas, para evitar o óbito e outras complicações, como danos no cérebro, coração, rins e músculos.

Causas

Segundo a dermatologista Leontina da Conceição Margarido, delegada da Associação Paulista de Medicina (APM) e membro da Academia de Medicina de São Paulo, “A insolação pode ocorrer em qualquer tipo de pele, mas é pior nas pessoas com pele e olhos claros. Os ruivos são os mais susceptíveis às queimaduras e suas consequências”.

O problema é causado basicamente por situações de exposição prolongada ao sol e ao calor. Normalmente acontece em ambientes muito quentes ou em situações que provoquem aumento rápido da temperatura corporal, como, por exemplo:

mulher verão praia piscina corpo

=Passar muito tempo exposto ao sol sem protetor solar (na praia, no clube, na piscina etc).
=Praticar atividades extenuantes, ou seja, que causam esgotamento, enfraquecimento físico.
=Usar excesso de roupas, especialmente no calor.
=Ficar sem se hidratar por muito tempo.

A prática regular de atividades físicas é uma orientação padrão dos médicos, especialmente por melhorar a qualidade de vida e prevenir uma série de doenças crônicas, como diabetes, câncer e hipertensão. No entanto, atividades exaustivas, que causam debilitação na pessoa, provocam o efeito inverso, contribuindo para insolação e, em casos mais graves, lesões de diversos tipos e até mesmo a morte.

Apesar de o ambiente externo ser mais propício ao aparecimento do problema, é fundamental ter cautela. Barraca ou guarda sol, por exemplo, não protegem dos raios solares, eles refletem no solo e acabam atingindo mesmo aqueles que estão na sombra. “A proximidade com a água, areia e neve também aumentam a incidência de luz e intensificam a exposição à radiação”, alerta Leontina.

O que fazer

Ela causa sintomas que vão aparecendo aos poucos. Os primeiros sinais são:

.dores de cabeça;
.tontura;
.náusea;
.pele quente e seca;
.pulso rápido;
.temperatura elevada;
.distúrbios visuais;
.confusão mental.

Dependendo do tempo de exposição ao sol, os sintomas podem ser mais graves e podem incluir, entre outras coisas:

.respiração rápida e difícil;
.palidez (às vezes desmaio);
.convulsão;
.temperatura do corpo muito elevada;
.extremidades arroxeadas;
.fraqueza muscular;
.coma;
.morte.

pele-queimada-de-sol

A insolação provoca o aumento de, pelo menos, 25% das chances de desenvolver câncer de pele. Além disso, favorece o aparecimento de sardas, melasma, queimaduras e envelhecimento precoce.

“É preciso estar atento às lesões que mudam de tamanho, de cor, começam a coçar, doer, arder. Feridas que demoram em cicatrizar ou não cicatrizam, são sinais de degeneração e que não pode ser ignoradas”, completa.

É essencial buscar ajuda médica imediata assim que surgirem os primeiros sinais e sintomas de insolação.

Fatores de risco

Alguns fatores, hábitos, posturas, comportamentos e situações podem aumentar os riscos de insolação. Crianças, idosos, pessoas com doenças crônicas, como câncer, diabetes, hipertensão, e pessoas com imunidade baixa, como transplantados e portadores de HIV/Aids, devem ter cuidado especial com a insolação, uma vez que esta condição pode provocar efeitos colaterais graves com maior probabilidade nesse público.

Atenção a:

=Não beber líquidos adequadamente.
=Ingerir muito álcool ou cafeína.
=Pessoas que têm gastroenterites.
=Pessoas que fazem uso de medicamentos para pressão alta, diuréticos, antidepressivos ou antipsicóticos.

Fonte: Associação Paulista de Medicina (APM)

 

 

Saúde realiza “XV Caminhada Agita Mundo” na Avenida Paulista

Evento, que celebra o Dia Mundial da Atividade Física, ocorre domingo, dia 2 de abril, a partir das 9h

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo promove no domingo, dia 2 de Abril, a XV Caminhada Agita Mundo. O evento, coordenado pelo Programa estadual “Agita São Paulo”, acontece na avenida Paulista, a partir das 9 horas. O local para a concentração dos participantes será atrás do Museu de Arte de São Paulo.

O evento, realizado anualmente, integra a programação pelo “Dia Mundial da Atividade Física”, celebrado no dia 6 de abril. A caminhada é aberta para a população e apresenta este ano o tema “Pessoa ativa, pessoa feliz”.

A expectativa dos organizadores é que o tema leve as pessoas a refletirem não somente sobre os benefícios biológicos obtidos com a adoção de um estilo de vida fisicamente mais ativo, mas também em relação aos benefícios psicossociais, afetivos e emocionais obtidos

Para tanto será mais uma vez realizada a tradicional caminhada em prol da cidadania ativa, saúde e qualidade de vida. Toda a população da cidade está convidada a participar desta que é a mais democrática e acessível prática de atividade física para a saúde, a caminhada.

Fórum de Boas Práticas

Também em comemoração ao Dia Mundial da Atividade Física, será realizado, na terça-feira, dia 4 de abril, o XIV Fórum de Boas Práticas em Promoção da Atividade Física e Saúde do Estado de São Paulo. O encontro acontece no salão nobre da Associação Paulista de medicina (APM), localizada na região central da capital paulista.

Considerado o mais importante evento da área da promoção da saúde relacionada a prática da atividade física, o Fórum reúne Instituições governamentais, não governamentais, Instituições da sociedade civil organizada, além de empresas privadas para a apresentação de experiências exitosas, com exemplos reais e concretos de ações sociais, em prol de uma melhor saúde e qualidade de vida da população. O objetivo é permitir um rico intercambio de projetos para a promoção da atividade física e da saúde nos mais diferentes setores da nossa sociedade.

agita mundo
Foto da edição 2016

Serviço
XV Caminhada Agita Mundo
Dia 02/04 (sábado) às 9h.
Local da largada: Avenida Paulista, atrás do MASP (Museu de Arte de São Paulo).

XIV Fórum de Boas Práticas em Promoção da Atividade Física e Saúde do Estado de São Paulo
Dia 04/04, a partir das 9h.
Local: Associação Paulista de Medicina (APM)
Endereço: avenida Brigadeiro Luis Antônio, 322. Centro – São Paulo.

Médicos invadem Praia do Gonzaga para orientar mulheres sobre contracepção, DST e Zika

SOGESP e APM promovem atividade educativa e ações junto à comunidade sobre diversos temas de saúde feminina em 28 e 29 de janeiro, das 9h às 14h

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP), em parceria com a Associação Paulista de Medicina (APM), promove um mutirão para orientar as mulheres sobre importantes temas de saúde feminina, na praia do Gonzaga, Santos, nos dias 28 e 29 de janeiro, das 9 às 14 horas.

Médicos especialistas e estudantes esclarecerão as dúvidas de participantes. Também haverá distribuição de camisinhas, folders explicativos, panfletos, brindes, água, suco, além de sorteio de livros, música ao vivo e zumba.

Batizada de Verão Mulher SOGESP, a ação receberá o público na tradicional barraca da APM, localizada próxima ao Canal 3. Haverá, de maneira gratuita e acessível a todos os banhistas, palestras curtas, com duração de dez a quinze minutos, que abordarão relação de zika, dengue e gravidez; higiene genital feminina; sífilis adquirida e congênita; gravidez não planejada; e mortalidade materna e infantil.

A Associação de Obstetrícia e Ginecologia tem preocupação permanente com a saúde da mulher brasileira. É fundamental para nós a aproximação com a comunidade, a fim de tornarmo-nos ponto de referência para quem busca informação de qualidade.

Atividades como essa são idealizadas exclusivamente em prol do cidadão, daí a importância dessa união da APM com a SOGESP, pois transmitiremos conhecimento de excelência à saúde da mulher, em particular para a prevenção de doenças e cuidados pré-natal.

DST

O número de infecções sexualmente transmissíveis não para de crescer. Estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que no Brasil há, por ano, 937 mil novos casos de sífilis, 1,5 milhão de gonorreia, 1,97 milhão de clamídia, 640 mil de herpes genital e 685 de HPV. Relatório emitido pelo Ministério da Saúde, em 2009, calcula que cerca de 10 milhões de brasileiros já apresentaram sintomas de alguma DST. “As pessoas acreditam que são imunes às doenças sexualmente transmissíveis e praticam sexo desprotegido. A sociedade construiu um preconceito perigoso ao redor das DST, acreditando que só acometem determinadas classes sociais, faixas etárias e orientação sexual. Isso não é verdade: todos podem ser infectados”, alerta Rose Luce Amaral, médica do Hospital da Mulher CAISM, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), responsável por palestra sobre o tema no Verão Mulher SOGESP.

camisinhas

Sífilis Congênita

Dados da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, divulgados em 2015, afirmam que, em seis anos, a sífilis congênita teve aumento de 135%; já em gestantes, o percentual chegou a 1.407%. Encarada como epidemia pelo Ministério da Saúde, é uma doença silenciosa, capaz de acarretar problemas sérios, como aborto, má formação do feto ou morte no nascituro.
Diante deste cenário preocupante, João Carlos Francez, especialista em Doenças Sexualmente Transmissíveis pela Sociedade Brasileira de DST, abordará a incidência, as formas de transmissão, os sintomas, o tratamento e, principalmente, a prevenção.
“Devido ao expressivo crescimento do número de infectados, é fundamental informar a comunidade a respeito da sífilis, tanto a adquirida quanto a congênita”, reforça.

Mortalidade materna

Levantamento da Secretaria Estadual de Saúde, desta vez conjunto à Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (SEADE), aponta que a Baixada Santista apresenta a maior taxa de mortalidade materna e infantil de São Paulo – os índices estão 36,4% acima da média. Este tópico será discutido em apresentação do professor do Centro Universitário Lusíada e diretor da Regional de Santos da SOGESP, Francisco Lázaro Pereira de Souza.
Segundo Souza, “os indicadores apontam as condições de saúde de uma população e o compromisso que a sociedade tem com o direito das mulheres. Estima-se que 90% dos óbitos de mulheres grávidas poderiam ser evitadas com atendimento adequado. A morte materna tem nome e história, não é apenas um número”.

Contraceptive pill

Contracepção

Jarbas Magalhães, vice-presidente da SOGESP, tratará dos principais métodos de contracepção. “No mundo, a taxa média de gravidez é de 133 a cada dez mil mulheres entre 15 e 44 anos. Destas, 40% não foi planejada. Em países em desenvolvimento, mais de 200 milhões desejam evitar a gestação, mas não fazem uso de contraceptivos”, informa.
Segundo Magalhães, o cenário é agravado pela falta e uso incorreto desses mecanismos. “Por isso, vamos desmitificar as opções de longa duração, como DIU e implante, que reduzem significativamente a ocorrência de gravidez não planejada”.

Zika

A falta de políticas públicas para saúde reprodutiva voltou a preocupar a população geral após a descoberta da relação da infecção por zika com a microcefalia. Estudo da Universidade de Brasília identifica que 50% das mães em potencial preferem evitar engravidar por medo do vírus. Sergio Floriano Toledo, diretor científico da Regional de Santos da SOGESP e professor mestre da Faculdade de Ciências Médicas de Santos, orientará sobre os perigos às gestantes ocasionados pela dengue e zika. “Também abordarei a proliferação de larvas do Aedes aegypti, que podem ficar em latência por até um ano. Repassarei dicas sobre proteção contra os mosquitos, com uso de repelentes e de roupas claras que cubram as pernas e braços – áreas mais suscetíveis às picadas. Não somente, grávidas devem sempre usar camisinha nas relações sexuais com os parceiros, uma vez que
a doença geralmente pode ser assintomática nos homens”, anuncia.

calcinha2

Higiene íntima

Aliada à prevenção de doenças, a manutenção do microbioma feminino auxilia na preservação da saúde da mulher. Paulo Girado, presidente da SOGESP, apresentará aula referente à higiene íntima, destacando a utilização de produtos adequados, como absorventes, depilação e lingerie. “Manifestações consequentes à higienização incorreta podem ser confundidas com doenças como candidíase. O ideal é adotar uma limpeza que não peca por falta nem excesso e que remove a maior parte do material orgânico acumulado, além da aplicação de produtos que não agridam a pele e a mucosa vulvar”, diz. “Logo, dedicarei meu tempo para esclarecer mitos e verdades presentes no senso comum”.

Verão Mulher SOGESP

O evento Verão Mulher SOGESP faz parte de um amplo projeto da SOGESP para todo estado com atividades mensais, cujo objetivo é aproximar a instituição da população, priorizando assuntos pertinentes à saúde das mulheres.

Programação 28/01

Horário Atividades
09h00 – 10h00 Abertura do evento
Atividades física integrada Profª Camila Geanoni
10h00 – 10h40 Mortalidade materna e infantil – Dr. Francisco Lázaro Pereira de Sousa
10h40 – 11h20 Sífilis Adquirida / Congênita – Dr. João Carlos Francez
11h20 – 12h00 DST – Dra. Rose Luce Gomes do Amaral
12h00 – 12h40 Zika / Dengue e gestação – Dr. Sérgio Floriano de Toledo
13h00 – 14h00 Apresentação da bateria (Estudantes de Medicina do Centro Univers. Lusíada)

Programação 29/01

Horário Atividades
09h00 – 10h00 Abertura do evento
Atividades física integrada Profª Camila Geanoni
10h20 – 10h40 Higiene Genital Feminina – Dr. Paulo Cesar Giraldo
10h20 – 10h40 Gravidez não planejada – Dr. Jarbas Magalhães
10h40 – 11h00 DST – Dra. Rose Luce Gomes do Amaral
11h00 – 12h00 Sorteio de Brindes e Livros
12h00 – 12h20 Zika / Dengue e gestação – Dr. Sérgio Floriano de Toledo
12h20 – 12h40 Sífilis Adquirida / Congênita – Dr. João Carlos Francez
12h40 – 13h00 Mortalidade materna e infantil – Dr. Francisco Lázaro Pereira de Sousa
13h00 – 14h00 Apresentação Dr. Ronaldo/Encerramento

Relacionamentos destrutivos em pauta no Cine Debate da APM

Filme O Anjo Azul será foco da discussão

Amor e sedução norteará a próxima edição do Cine Debate, evento cultural promovido pela Associação Paulista de Medicina (APM). Em 21 de outubro, a partir das 19 horas, a discussão será pautada pelo clássico do expressionismo alemão O Anjo Azul, datado de 1930 e dirigido por Josef von Sternberg.

Inspirado no livro Professor Unrat de Heinrich Mann, narra a história de um respeitado professor, Immanuel Rath, que se apaixona por uma cantora de cabaré, Lola Lola. O amor à primeira vista acontece durante uma visita ao clube Anjo Azul, que dá nome ao longa, na qual Rath foi obstinado a pedir que a cantora pare de seduzir seus alunos.

Pouco tempo depois deste encontro, Immanuel é ridicularizado por seus pupilos, que descobriram sua paixão por Lola, e demitido da escola em que lecionava, devido ao seu mau exemplo aos estudantes. Desesperado, pede a mulher em casamento e vive ao lado dela como um casal feliz por quatro anos. Porém, sustentado pela esposa, enxerga-se como vagabundo e descobre uma traição. Termina o filme, então, sentindo-se rejeitado e humilhado.

blueangel8
Cena do filme O Anjo Azul

De acordo com Wimer Bottura Júnior, presidente do Comitê Científico de Adolescência da APM, a intenção do encontro é compreender as razões pelas quais uma pessoa entra na vida de outra e causa sua destruição.

“Trataremos dos fenômenos e fantasias que conduzem uma pessoa inteligente a comprometer toda sua existência por uma relação destrutiva e abusiva – cenário que é perceptível aos olhos de terceiros, mas não de quem está vivendo essa situação; ou, ainda que esteja consciente de seu caso, não consegue se desvencilhar”, explica.

Arthur Kaufman, professor doutor do Departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e coordenador da Disciplina de Graduação em Psicologia Médica, e Monica Zilberman, pesquisadora do Laboratório de Psicofarmacologia LIM-23 do Instituto de Psiquiatria da USP e professora do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Psiquiatria da FMUSP, contribuirão ao bate-papo mediado por Bottura Júnior.

“Os debatedores, psiquiatras e psicoterapeutas experientes, contribuirão sobremaneira com sua prática e conhecimento a fim de promover significativas reflexões”, adianta Wimer.

O evento é gratuito e aberto ao público. As inscrições devem ser realizadas com antecedência, pelo telefone (11) 3188-4281 ou eventosculturais@apm.org.br – não será permitida a entrada após o início do filme.

cine

APM | Cine Debate – O Anjo Azul
Data: 21 de outubro de 2016
Horário: 19 horas
Local: APM
Endereço: Av. Brigadeiro Luís Antônio, 278 – São Paulo/SP
Telefone: (11) 3188-4281