Arquivo da tag: bacalhau

Namorados no Bacalhau, Vinho&Cia: paella é protagonista em três versões para celebrar a dois

A data nacional do romance cai em um sábado, dia 12 de junho, muito oportuno para comemorar a dois, nesta tradição que se mantém viva através dos anos. Nas duas casas do Bacalhau Vinho & Cia, na Barra Funda e no Itaim, foi criado menu especial do chef Caique Pallas, com entradinhas, três opções de paellas, e sobremesa, podendo ser consumido no local ou por delivery. Para quem prefere ir ao restaurante, todos os cuidados de higiene e distanciamento social são rigorosamente mantidos.

Foto: Gustavo Steffens
Foto: Gustavo Steffens

As entradas incluem os famosos bolinhos de bacalhau da casa e a tosta de bacalhau – com o bacalhau assado em cama de broa; São três versões de Paellas, para serem saboreadas a dois ( uma opção para duas pessoas), a começar pela Valenciana, com frutos do mar, frango e linguiça defumada, a Paella Mariñera, à base de frutos do mar, e a Paella de Bacalhau, que leva bacalhau e frutos do mar. O menu custa R$ 320,00 e ainda inclui como cortesia a sobremesa – dois pastéis de nata.

Ao adicionar R$ 100,00 o casal ganha uma garrafa de vinho tinto e 1/2 garrafa de Freixenet Ice para brindar e harmonizar com o jantar.

Bacalhau, Vinho & Cia
Barra Funda: Rua Barra Funda 1067 Reservas e encomendas(11) 3666.0381
Itaim Bibi: Rua Joaquim Floriano 541 Reservas e encomendas(11) 3071.4077

Ou pelo WhatsApp 11-96333.1225

Açorda de Bacalhau, um prato perfeito para o outono

Café no Bosque apresenta Açorda de Bacalhau, um prato perfeito para o outono

Conhecida pela alta qualidade de sua gastronomia, a cafeteria Café no Bosque oferece diversas opções de pratos para curtir o outono em Campos do Jordão (SP). São duas unidades para conhecer, sendo que as duas possuem cardápio idênticos e são coordenadas pela chef Andrea Aires.

Com uma unidade no bairro Vila Inglesa e outra no caminho do Horto Florestal, mais de 90% dos produtos usados pela cafeteria Café no Bosque são orgânicos e regionais, estimulando assim a produção local. Além disso, alguns dos pratos são o Cheese Cake de Frutas Vermelhas e a Truta Ibérica. Mas no momento o que se destaca é a Açorda de Bacalhau, que combina perfeitamente com esse momento do ano.

Conheça a receita de Açorda de Bacalhau

Foto ilustrativa: Food From Portugal

Ingredientes:
1kg de bacalhau dessalgado;
100ml de azeite;
150g de tomate picado em cubos;
150g de cebola picada em cubos;
25g de alho picado;
sal e pimenta a gosto;
1 unidade de pão italiano;
1 unidade de pão ciabatta.

Modo de preparo:
Primeiramente, corte o pão ciabatta em fatias finas e leve ao forno por aproximadamente 20 minutos até tostar. Aproveite esse tempo no forno para fazer o resto da receita. Passe o bacalhau pela água fervente e, em seguida, desfie-o, retirando toda a pele e as espinhas. Dica: deixe a água fervendo antes mesmo de começar a preparar a receita. No azeite, refogue a cebola, o tomate e o alho. Assim que começar a dourar, entre com o bacalhau e tempere com sal e pimenta a gosto. Tire a panela do fogo e reserve. Retire a casca do pão italiano e corte-o em fatias. Depois molhe as fatias em água fria e, em seguida, esprema para retirar o excesso de água. Volte a panela com bacalhau pro fogo, coloque o pão italiano e cozinhe tudo por mais 10 minutos. Sirva o bacalhau acompanhado das torradas de ciabatta.

Fonte: Café no Bosque

Quinta do Olivardo celebra Dia das Mães com menu caprichado

A Quinta do Olivardo, tradicional restaurante Português, que retomou atendimento ao público no final de abril, se prepara para receber os apreciadores da boa culinária portuguesa com menu recheado de sabores para o Dia das Mães.

Para o domingo (9), a Quinta apresenta quais pratos estão disponíveis para celebrar essa data tão especial e afetiva. Tradicional em seu cardápio, as entradas de Bolinho de Bacalhau, Alheira Defumada e Sardinha Aperitivo, estão confirmadas. Já para os pratos principais, o famoso bacalhau poderá ser encontrado nas versões com Natas, Gomes de Sá, Moda da chef, Moda da casa, Moda do Valdir e Lagareiro, conquistando o paladar de todas as mães.

A Quinta do Olivardo São Roque e a Quinta do Olivardo Tasca Brooklin ainda contam com opções à base de carne como: Parmegiana à moda da Quinta, Picanha à moda do Oliveira, Espetada Madeirense e Bitoque, além disso, as opções veganas e vegetarianas são encontradas no prato Vegano da casa e também no Penne Vegetariano. Na Tasca Brooklin o menu inclui também o Polvo à Lagareiro. Em são Roque o destaque também fica para o famoso Leitão à Bairrada.

As entradas custam a partir de 9,90 reais. Já os pratos principais, que servem 2 pessoas e acompanham porção de arroz branco, saem a partir de 169,00 reais o à Parmegiana e 279,00 reais o bacalhau com natas. A casa ainda conta com uma repleta carta de vinhos ideais para harmonização com cada um dos pratos.

Por conta das medidas restritivas definidas pelo Governo Estadual as unidades localizadas na cidade de São Roque e no bairro do Brooklin em São Paulo, estão atendendo com limitações de espaço, sendo São Roque por ordem de chegada e a unidade da capital paulista mediante a reserva antecipada. Além do atendimento no local, ambas as unidades estão funcionando tanto no serviço de drive-thru, através de encomendas antecipadas, quanto para delivery no caso da Tasca Brooklin, através dos aplicativos iFood e Uber Eats.

Quinta do Olivardo Tasca Brooklin
Drive thru / retirada – Rua Arizona, 1.485 – Brooklin – São Paulo
Telefone para contato: (11) 94223-0195 (11) 5505-7305 (11) 99110-1777
Empório e Restaurante – segunda a domingo das 10h às 16h
Também nos aplicativos Uber Eats e iFood

Quinta do Olivardo – São Roque
Drive thru / retirada – Estrada do Vinho, km 4
Empório – segunda a sexta – das 9h30 às 17h30
Restaurante – segunda a sexta – das 11h às 17h / sábado e domingo – das 11h às 18h
Encomendas WhatsApp (11) 97088-5401

Aprenda a receita do Bacalhau Alla Tia Lina

Chef Carol Góes, da Cantina Tia Lina, revela o segredo de um dos pratos mais pedidos do tradicional restaurante italiano de São Roque

Amanhã é a Páscoa e está na hora de começar a pensar em quais pratos preparar para a Semana Santa. O bacalhau é presença garantida na mesa de muitos brasileiros, pelo menos nesta ocasião. Uma boa bebida para combinar e deixar sua refeição com sabor inigualável também não pode faltar.

Por isso, a Chef Carol Góes, da Cantina Tia Lina, localizada no km 10 da Estrada do Vinho em São Roque (SP), ensina a fazer a receita do Bacalhau Alla Tia Lina de um jeito prático, que deixa o prato bem colorido e, claro, com uma apresentação de dar água na boca. O prato com lombo de bacalhau e legumes ganhou um toque especial característico da casa, a alcachofra, flor rica em nutrientes.

A combinação com o vinho Felino garante um sabor surpreendente, pois este é um vinho certeiro para harmonizar com peixes. Quem garante é o sommelier da Cantina, Celso Andrade, responsável pelo empório Grand Gru de São Roque.

O Felino é um vinho argentino, feito com uvas chardonnay, que tem a cor amarela com tonalidade esverdeada, notas de frutas tropicais, como abacaxi e maracujá, e notas florais com flores brancas. Vai agradar quem prefere um paladar equilibrado, de final longo e fresco e deve ser servido de 8°C a 10°C.

Este rótulo e muitos outros podem ser adquiridos no empório da Cantina Tia Lina, que tem parceria com a Grand Cru, maior importadora e distribuidora de vinhos da América Latina. Já o Bacalhau Alla Tia Lina faz parte do cardápio fixo da casa e pode ser saboreado no restaurante o ano todo. Para fazer em casa, anote a receita:

Bacalhau Alla Tia Lina

Ingredientes
700g de lombo de bacalhau;
3 colheres (sopa) de óleo;
6 batatas pequenas cozidas;
6 azeitonas azapa;
6 tomates cereja;
2 fundos de alcachofra;
2 colheres (sopa) azeite extravirgem;
1 cebola média fatiada;
1 pimentão vermelho fatiado;
1 pitada de manjericão;
1 pitada de orégano;
1 pitada de sal;
Salsinha a gosto picada;
Alho-poró a gosto picado;
1 ovo cozido;
*brócolis no alho e óleo para decorar.

Modo de preparo
Aqueça uma frigideira antiaderente para grelhar o bacalhau dos dois lados.Em outra frigideira, aqueça o óleo para saltear as batatas com as azeitonas e os tomates. Finalize com alho-poró e sal. Reserve. Numa outra panela ou frigideira, aqueça o azeite para saltear a cebola e o pimentão. Tempere a gosto com manjericão, orégano, salsinha e sal. Reserve. Coloque o bacalhau em uma travessa, e ao lado coloque os legumes salteados e por cima a cebola com pimentão, finalize com os brócolis e ovo cozido.

Rendimento: 2 porções.
Tempo de preparo: 30 minutos.

Cantina Tia Lina: Estrada do Vinho, km 10 – Canguera, São Roque/SP

Receita especial para semana santa: salada de bacalhau confitado com grão-de-bico

Celebrar a semana santa e a Páscoa com um delicioso prato feito à base de bacalhau é uma tradição milenar. Mas, que tal diversificar? Inspire-se nesta receita

O bacalhau é o pescado mais usado para o almoço de Páscoa. Mundialmente apreciado, podemos dizer que este é um alimento milenar. O hábito brasileiro de saborear esse peixe é herança da colonização portuguesa, que começou a se espalhar a partir do descobrimento do Brasil.

Mas somente com a chegada da corte portuguesa e dos comerciantes lusos no país, no início do século XIX, que o consumo do pescado foi impulsionado e difundido entre a população. Hoje é indispensável e muito procurado em períodos de Quaresma, Semana Santa, Páscoa, entre outros. Para o nosso Especial de Páscoa trouxemos um prato feito a base que bacalhau que vai te surpreender.

O que preparar?

Nesta época do ano surgem várias dúvidas sobre o que preparar para servir aos convidados. Pensando na sua comodidade, trouxemos mais uma receita para você se inspirar. Convidamos a chef Lili Miarelli, da Ares de Cozinha, para preparar uma deliciosa salada de bacalhau confitado com grão-de-bico.

Salada de bacalhau confitado com grão-de-bico

Ingredientes:
300g de Lombo de bacalhau Pesca Nobre, já dessalgado
Azeite Grego Minos, o quanto baste
200g de Grão-de-Bico Pink cozido e escorrido
2 colheres (sopa) de cebola picada
1 tomate sem sementes cortado em cubinhos
2 dentes de alho
1 colher (sopa) de salsinha picada
4 colheres (sopa) de azeite de oliva
2 colheres (sopa) de suco de limão
10 azeitonas Pretas Azapa picadas
Pimenta-do-reino a gosto

Modo de preparo:
Preaqueça o forno a 190ºC. Unte um refratário com um fio de azeite e disponha as postas de bacalhau com a pele para baixo (se tiver, se não tanto faz o lado). Regue o bacalhau com mais azeite e tempere com uma pitada de sal. Coloque os dentes de alho com a casca em algum cantinho do refratário.Leve para assar por 30 minutos, ou até que enfie o garfo e perceba que está soltando as lascas.Retire do forno e deixe esfriar até ficar morno (reserve o azeite pois você irá usá-lo). Se a sua posta tinha pele, provavelmente ela terá ficado grudada no refratário, e se não ficou sairá facilmente. Retire toda a pele e as espinhas que encontrar e desmanche as postas com as mãos em lascas grandes e pequenas. Descasque os alhos assados e amasse-os com um garfo. Em um grande bowl misture, o alho amassado e a salsinha. Misture bem. Aí então junte as lascas de bacalhau e tempere com limão, o azeite que ficou do bacalhau no refratário, misture. Cubra e leve para gelar até o momento de servir, ou sirva de imediato.

Fonte: Grupo Super Nosso

Consumidor precisa estar atento na hora de escolher pescados para a Páscoa

CRMV-SP alerta para os cuidados na aquisição, armazenamento e preparo desse tipo de alimento

Na época da Páscoa, o consumo de pescado aumenta e alguns cuidados são necessários para garantir a qualidade do alimento e preservar a saúde dos consumidores. Além de avaliar o aspecto do produto e as condições de armazenamento e comercialização, é importante verificar a procedência de peixes, crustáceos e moluscos.

De acordo com o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), todos os alimentos de origem animal devem passar por inspeção sanitária de médicos-veterinários, para a detecção de riscos à saúde pública.

Segundo o médico-veterinário e zootecnista Ricardo Moreira Calil, presidente da Comissão Técnica de Alimentos do CRMV-SP, uma questão importante é a conservação do produto, pois a carne do pescado, pela sua constituição, é mais delicada que as demais.

A falta de refrigeração facilita a multiplicação de bactérias, que podem causar intoxicação. “No caso do produto fresco, a temperatura deverá estar próxima de zero graus Celsius (0°C) e o pescado deve estar em contato com gelo. Já os produtos congelados devem estar a dezoito graus Celsius negativos (-18°C), para que a durabilidade seja a maior possível mantendo as suas propriedades nutricionais”, explica Calil.

Por ser um alimento perecível, o pescado deve ser adquirido por último na compra realizada pelo consumidor e transportado o mais rapidamente possível para ser armazenado sob refrigeração ou congelamento até o momento do preparo.

Riscos à saúde

Peixe Arabaiana – Foto: Pinterest

Além do risco de intoxicação, de acordo com a médica-veterinária Elma Pereira dos Santos Polegato, presidente da Comissão Técnica de Saúde Ambiental do CRMV-SP, o pescado também é responsável por parasitoses em humanos.

“As doenças causadas por parasitas são muito comuns atualmente pelos atuais hábitos no consumo do pescado cru e também pelo fato de alguns peixes conseguirem viver em águas já poluídas”, revela.

Também é necessário um cuidado especial ao adquirir algumas espécies de pescado, como o baiacu e a arabaiana, que armazenam biotoxinas produzidas por algas. “Essas toxinas são transmitidas às pessoas, podendo causar transtornos graves e até levar a óbito, como ocorreu recentemente em Recife”, comenta Elma, referindo-se ao caso da Síndrome de Haff, conhecida como “doença da urina preta”, que levou a morte uma mulher que ingeriu um peixe da espécie arabaiana comprado diretamente de um pescador.

Produtos inspecionados são mais seguros

Para diminuir os riscos, o ideal é optar por fornecedores que conheçam os locais próprios para a pesca, e que respeitem a legislação pesqueira e sanitária. “No caso de peixes, crustáceos e moluscos de cativeiro, o recomendado é adquirir somente de empresas registradas no serviço de inspeção, seja ele federal (SIF), estadual (SIE) ou municipal (SIM)”, complementa Elma.

Numa inspeção sanitária são verificadas as condições de procedência, armazenamento e exposição dos diferentes alimentos de origem animal. “Sem dúvida, o alimento identificado com rótulo, data de validade e constando a inspeção pelo qual foi submetido, é muito mais seguro”, afirma Ricardo Calil.

Se todas as etapas do processo forem monitoradas e seguirem os parâmetros legais, é possível a obtenção de um pescado com excelente qualidade. “Tanto o pescado de aquicultura, quanto o pescado de pesca extrativa que seguirem os programas de controle, resultarão em um produto de qualidade”, garante Calil.

Como escolher o pescado

Segundo Ricardo, para quem aprecia o pescado fresco, algumas características visuais são importantes e fáceis de se verificar, como se as escamas estão bem aderidas ao corpo, se os olhos estão salientes e com o líquido interno transparente, se as nadadeiras estão firmes ao corpo e se, ao pressionar a carne, a marca da impressão não permanece.

“Quando eviscerado, a cavidade do pescado deve apresentar cor natural e odor próprio da espécie, mas se ainda estiver com as vísceras, elas têm que estar íntegras e sem extravasamento de conteúdo, evitando contaminações”, acrescenta o médico-veterinário.

Ainda quanto às características, Elma diz que é importante observar nos peixes se a musculatura está resistente, o ventre cilíndrico e as aberturas naturais bem vedadas. “O cheiro é peculiar e não pode ser amoniacal, pois denota sua deterioração”, alerta.

Bacalhau, o peixe mais famoso nesta época

Outra forma de consumir o pescado é o produto salgado, como o bacalhau. De acordo com Elma, o bacalhau deve ser dessalgado a uma temperatura menor que 5°C, portanto sob refrigeração.

Calil explica que o bacalhau verdadeiro é o Gadus morhua (Cod), também denominado de Porto, nas áreas de venda. Outra espécie, o Gadus macrocephalus, tem semelhança com o verdadeiro, porém não se desfaz em lascas e tem uma carne fibrosa, por isso, deve ter um preço mais acessível.

“As demais espécies comercializadas, como Ling, Zarbo ou Saithe, não são consideradas bacalhau, mas um peixe salgado seco. O consumidor deve ficar atento para não ser enganado”, alerta o médico-veterinário.

Como identificar problemas no bacalhau

Pixabay

Alguns sinais de anormalidade podem ser encontrados no bacalhau, como manchas vermelhas intensas, característica que sinaliza a presença de bactérias no sal. Apesar de não causar problemas à saúde humana, o vermelhão deixa a superfície do produto limosa, com odor acentuado e desagradável.

“Outro problema é o emboloramento, com aparecimento de pontos pretos que vão se espalhando na superfície do produto, causando um aspecto ruim, embora não seja um problema de saúde pública”, diz Calil.

Cuidados quanto ao preparo

O pescado pode ser consumido cozido, assado ou cru. Neste último caso, os cuidados devem ser redobrados, pois não haverá o tratamento térmico que colabore para manter a inocuidade do alimento.

“Deve-se evitar manipular o pescado com outros alimentos ao mesmo tempo, para não ter contaminação cruzada. Além disso, as sobras devem ser guardadas imediatamente em refrigeração após a refeição. O reaquecimento deve ser acima de 70°C”, indica Elma.

Vale ressaltar, em tempos de Covid-19, principalmente se a ingestão for de pescado cru, a importância da higienização das mãos com água e sabão antes e após a manipulação do peixe.

“São medidas preventivas abrangentes também a outros microrganismos patogênicos que possam estar presentes”, reforça a médica-veterinária.

Fonte: CRMV-SP

Páscoa do delivery garante tradição do bacalhau

Quinta do Olivardo tem drive-thru e entregas dos tradicionais pratos portugueses

Mais uma vez, a Páscoa será uma comemoração restrita com poucos lugares à mesa. Mas se tem uma coisa que o brasileiro não abre mão é de saborear um delicioso bacalhau.

No tradicional restaurante português Quinta do Olivardo Tasca Brooklin, as encomendas para o almoço do feriado Paixão de Cristo, no dia 2 de abril, e para o domingo de Páscoa, dia 4, já estão a todo vapor.

Para o período, o chef Olivardo Saqui preparou kits combinados com entrada, prato principal e sobremesa, que servem de 4 a 10 pessoas com opções que incluem bacalhau, alheira portuguesa e até pratos com carnes com valores a partir de 399,00 reais.

Bacalhau à Lagareiro
Bacalhau à Moda da Quinta

No menu a la carte, o público encontra também pratos que resgatam o paladar típico da “terrinha”. As opções vão desde o clássico Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau à Moda da Quinta e Bacalhau com Natas até o histórico Bacalhau Zé do Pipo. Os pratos principais servem duas pessoas.

Quem está acostumado a se deliciar nos Bolinhos de Bacalhau (9,90 reais unidade) da Quinta do Olivardo, também pode pedir esse quitute quentinho para comer em casa. De sobremesa, nada mais nada menos do que o premiado Pastel de Belém (8 reais a unidade), considerado o Melhor do Estado de São Paulo, e que vale cada mordida.

Durante o feriado do dia 2 de abril e no sábado, o serviço de drive-thru funciona das 11h às 21h30. Para o almoço do domingo de Páscoa o atendimento acontece das 11h às 15h. A Tasca Brooklin também oferece delivery pelos aplicativos de entrega iFood e Uber Eats. Os pedidos para retirada podem ser realizados com antecedência pelo WhatsApp.

Quinta do Olivardo Tasca Brooklin – Avenida Arizona, 1485, Brooklin – São Paulo
Informações e Encomendas: (11) 94223-0195 (11) 5505-7305 (11) 99110-1777

Sexta – Jantar – 19h às 22h
Sábado – Almoço 11h às 15h e Jantar 19h às 22h
Domingo – Almoço 11h às 15h
Drive thru / retirada – Rua Arizona, 1.485 – Brooklin
Também nos aplicativos Uber Eats e iFood.

Vinhos para harmonizar com os pratos típicos da Páscoa

Vinícola Góes preparou dicas de vinhos para combinar com pratos tradicionais desta época

Faltam poucos dias para a Páscoa e já é o momento de pensar nas receitas que podem ser preparadas em casa para as celebrações da Semana Santa.

Nesta data, o bacalhau aparece com frequência na mesa das famílias brasileiras, então, que tal combinar um bom vinho e deixar a Páscoa com sabores ainda mais apetitosos?

A sommelier Silvia Mascella Rosa, da Vinícola Góes de São Roque (SP), preparou dicas de harmonização de vinho com este peixe reconhecido pelo sabor marcante.

Vinho Tinto Simis Carménère Reserva 2018

O bacalhau ao forno, com pimentão, tomate, batata, azeite e, em algumas preparações, com azeitonas e couve, é uma das receitas mais tradicionais aqui no Brasil. Os sabores intensos dos legumes, do azeite e dos temperos pedem, como acompanhamento, um vinho tinto com boa acidez, como o Carménère Simis.

Vinho fino tinto seco, da uva Carménère, tem origem na Viña Santa Irene, região do Vale do Curicó, a 200 km ao sul de Santiago no Chile, local considerado um dos melhores terroirs para essa uva. Em 2018, a Vinícola Góes e a Viña Santa Irene se uniram para produzir este vinho de corpo médio, taninos macios e de fácil consumo.

Vinho Branco Tempos de Góes Trópicos Lorena Seco

Uma iguaria que faz sucesso não só na Páscoa, em bares e restaurantes ou em casa, é o bolinho de bacalhau. Servido como aperitivo ou no começo da refeição, seu acompanhamento é, também, um vinho indicado para os aperitivos e até para uma torta de bacalhau como prato principal (ou até mesmo uma torta vegetariana): o vinho branco Trópicos Lorena Tempos de Góes. A uva Lorena é produzida nos vinhedos próprios da Vinícola Góes em São Roque (SP). Leve, aromático, muito refrescante, é um vinho bastante versátil e com menor teor alcoólico.

Vinho Branco Tempos de Góes Sauvignon Blanc Reserva 2019

Pra fechar com chave de ouro, que tal preparar uma receita com lombo de porco para o domingo de Páscoa? Se esta for a sua escolha, principalmente se o prato for preparado ao forno com ervas, a combinação sugerida é o Sauvignon Blanc Tempos de Góes. Seus aromas que lembram ervas e ligeiro frutado, vão harmonizar perfeitamente com a carne de porco branca. Com bom frescor e acidez, o paladar encontrará um delicioso equilíbrio entre a carne e a intensidade do vinho. Uma dica preciosa para temperar a carne de porco é utilizar um vinho branco seco. Evite os vinhos suaves, pois eles vão interferir no sabor final da carne.

Nem é preciso sair de casa para procurar o vinho, pois todos os rótulos da Vinícola Góes são encontrados na loja virtual. Basta clicar aqui.

Páscoa: kits com pratos dos Festivais Ceagesp podem ser encomendados

Com o atendimento presencial suspenso, pelas restrições necessária para o combate à Covid-19, os Festivais Ceagesp atendem pelo serviço de Delivery. Para esta Páscoa, foram criados cinco kits com alguns dos principais pratos servidos no Festival do Pescado e Frutos do Mar Ceagesp – Edição de Verão, que estava em curso quando precisou ser interrompido, devido à pandemia.

O público pode escolher kits com Bacalhau, Paella, Bobó de Camarão, com Moqueca de Cação e outros itens, como casquinha de siri, acarajé, entre outros comidas servidas no evento. Dependendo do kit, serve até três pessoas, com preços que variam de R$ 121,90 até R$ 239,90, mais o frete. Todos os kits oferecem ainda brindes, como doces ou bebidas, dependendo do kit escolhido.

Confira o que vem em cada Kit

Kit Bobó de Camarão – (serve até duas pessoas) – R$ 121,90*
Bobó de Camarão (600g) e porção de arroz branco (250g)
Cuscuz Paulista de Camarão (400g)
Casquinha de Siri (duas unidades)
Brinde: um Pudim Leite Condensado com Calda de Caramelo (250 g)

Kit Coelhinho Baiano – (serve até duas pessoas) – R$ 148,90*
Moqueca de Cação à Baiana (600 g)
Arroz de Coco (400 g)
Farofa de Banana da Terra (300 g)
Um kit Acarajé (quatro unidades de acarajé, vatapá, caruru, vinagrete, camarão e pimenta)
Cocada Cremosa (350 g)
Brinde: uma minigarrafa de cachaça (50 ml)

Kit Coelhinho da Páscoa – (serve até duas pessoas) – R$ 188,90*
Bacalhau com Natas e Batatas (600 g)
Arroz com Brócolis (400 g)
Maionese de Camarão (500 g)
Casquinha de Siri (duas unidades)
Cocada Cremosa (350 g)
Brinde: um Espumante Lambrusco

Kit Paella – (serve até duas pessoas) – R$ 189,90*
Paella Marinera (1,2 kg)
Casquinha de Siri (duas unidades)
Um pudim Leite Condensado com Calda de Caramelo (400 g)
Brinde: uma cerveja Black Princess (600ml)

Kit Lagosta – (serve até três pessoas) – R$ 239,90*
Lagosta ao Molho Thermidor (duas bandas)
Paella à Marinera (600g)
Moqueca de Cação à Baiana (600g)
Arroz Branco (250g)
Farofa de Banana da Terra (150g)
Salada do Mar (Marisco, Lula, Polvo e Camarão)
Casquinha de Siri (duas unidades)
Brinde: um Pudim de Leite Condensado com Calda de Caramelo (250 g)

(*) Mais o valor do frete.

Os pratos são entregues resfriados para finalização em casa. As entregas são feitas em toda a região metropolitana de São Paulo, e as encomendas precisam ser feitas com no mínimo um dia antecedência. Os pedidos podem ser realizados pelo site, pelo aplicativo de celular “Os Festivais Delivery” (Android e IOS), ou pelo What’sApp 11-9-4023-0500.

Farabbud sugere prato para a semana santa

Para a semana santa deste ano, o tradicional restaurante árabe Farabbud – comandado por Paulo Abbud – sugere alguns de seus pratos para os clientes que optam por não consumir carne vermelha nesse período, entre os dias 28 de março e 4 de abril.

É possível experimentar o Bacalhau à Vila Nova, combinação feita pela mezze de legumes assados e grelhados coberto por uma posta desconstruída de bacalhau do Porto confitado no azeite, finalizado com coalhada fresca e hortelã (R$ 77). No lugar do kibe assado tradicional, a sugestão é o Kibe Sue Sue, um mix de peixes brancos e trigo, recheado de cebola e uva passas, acompanhado por salada de rúcula com molho de laranja (R$ 56), ou ainda o Kibe Emílio Abbud – uma homenagem ao criador de toda a extensa história da família -, bolinhas de trigo e farinha cozidos e passado no azeite de oliva com cebolas caramelizadas (R$ 40).

Bacalhau à Vila Nova

Pode-se pedir os pratos pelo delivery da marca – que completou 18 anos recentemente -, tanto pelo telefone e WhatssApp (11) 5054-1648 quanto na plataforma própria ou nos aplicativos iFood, Rappi ou UberEats. Também é possível que o cliente retire na casa, em sistema de drive thru, na unidade de Moema (Alameda dos Anapurus, 1247).