Arquivo da tag: bettina del pino

Alimentos que não podem faltar no verão


Segundo nutricionista da Dietbox, refeições leves, frutas e verduras ajudam na digestão e na manutenção do metabolismo nesta época do ano

Porém, além dos cuidados para evitar estes problemas de saúde, a alimentação precisa de uma atenção especial, uma vez que boa parte das pessoas aproveita o verão para tirar férias e, com isso, a rotina alimentar também pode ter alterações.

Bettina Del Pino, nutricionista da Dietbox, startup de nutrição, lembra que é necessário apostar em alimentos que facilitem a digestão e contribuem para o melhor funcionamento do organismo nesta temporada.

“No verão, o essencial é se hidratar, principalmente, com água, mas sem deixar de lado os sucos naturais e a água de coco. Frutas, saladas e carnes magras também devem fazer parte do cardápio no verão porque são mais leves, de fácil digestão e não causam aquela sensação de mal-estar após as refeições”, comenta Bettina.

Escolher os alimentos

“Antes de definir quais alimentos são os mais indicados para o verão, é importante conhecer a procedência deles. Procure dar preferência aos não industrializados, de origem orgânica e in natura como os produtos frescos, sem conservantes e adição de açúcar e sal, além dos alimentos com menos gordura trans”, pondera a profissional.

Leveza e substituição

Para deixar o prato leve e não sucumbir à moleza e má digestão depois de um almoço em dias muito quentes, alimentos com gordura monoinsaturada, que reduzem o colesterol como o abacate e as castanhas, são boas opções. Também é recomendado evitar frituras e outras porções com muita gordura,

Anti-inflamatórios

Para evitar inchaços, os ingredientes anti-inflamatórios são as melhores alternativas. Fonte de ômega-3, os peixes grelhados no azeite, acompanhados de verduras e hortaliças, além de frutas vermelhas na sobremesa, são alternativas interessantes para a dieta.

Frutas cítricas

A nutricionista também recomenda as frutas cítricas que contribuem com o sistema imunológico por fornecerem boas quantidades de vitamina C. Frutas cítricas como laranja, abacaxi, acerola e limão são as mais indicadas para o verão.

Fonte: Dietbox

Alimentação pode ajudar no controle dos sintomas de ansiedade

Nutricionista da Dietbox elenca grupos alimentares que aumentam a produção de serotonina, hormônio responsável pela nossa felicidade

A ansiedade pode não ser temida pelo público geral como a depressão – a chamada “doença do século” -, mas seu impacto negativo na vida daqueles que sofrem com ela não deve ser negligenciado, principalmente quando se observa um aumento no número de pessoas que sofrem com o transtorno.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 9,3% dos brasileiros foram diagnosticados com o distúrbio só em 2020, número impulsionado pela pandemia da covid-19 e o isolamento social, tornando a população do país a que mais sofre com o mal ao redor do mundo. Entre os principais sintomas da doença, pode-se elencar a preocupação e medo desmedidos, angústia, dificuldade de concentração e até mesmo sinais físicos como inquietação, enjoo e coração acelerado.

Pensando nisso, Bettina Del Pino, nutricionista da Dietbox, startup de nutrição, listou alguns alimentos ricos em propriedades e nutrientes, que convertidos em serotonina, geram a consequente diminuição da ansiedade. A profissional explica: “Acrescentar alguns alimentos na dieta pode ajudar no controle do transtorno, principalmente quando damos preferência àqueles ricos em probióticos, triptofano, magnésio, ômega-3, e vitamina C. Esses nutrientes ajudam a regular a flora intestinal e aumentam a produção de serotonina, hormônio conhecido por ser o responsável pela nossa felicidade”.

Abaixo, a nutricionista comenta em quais alimentos esses nutrientes podem ser encontrados:

Probióticos

Foto: BenefitsHeader

Podem ser encontrados em alguns iogurtes, leite fermentado, alguns queijos e kombucha. “Eles favorecem a saúde intestinal, melhorando a absorção de nutrientes”, declara Bettina Del Pino.

Triptofano

“O triptofano é um aminoácido essencial e, por não ser produzido pelo nosso organismo, precisa ser obtido pelos alimentos”. Exemplos se dão com ovos, leite e derivados, peixes, oleaginosas, cereais integrais, banana e cacau.

Magnésio

“O magnésio participa no processo que converte o triptofano em serotonina, e pode ser encontrado em alimentos como carnes, peixes, vegetais verde-escuros, leite, cacau, cereais e oleaginosas”.

Ômega 3

Pixabay

“Ele é um tipo de gordura benéfica para o nosso organismo e possui a capacidade de atenuar as respostas inflamatórias, por meio da redução da produção de citocinas”. Segundo a profissional, o Ômega 3 está presente em alguns peixes como sardinha, atum, salmão, e em alimentos como linhaça e chia.

Vitamina C

Essa vitamina possui propriedades antioxidantes que combatem o estresse oxidativo. “Mais popular na laranja, a vitamina C também está presente em frutas como tangerina, goiaba, acerola, e limão e algumas hortaliças como brócolis e pimentão”.

Bettina Del Pino, nutricionista da Dietbox, alerta que a dieta, apesar de amenizar os sintomas da ansiedade, não deve substituir o acompanhamento psicológico, e sim complementá-lo. É recomendável consultar um psiquiatra caso os sintomas persistam.

Fonte: Dietbox  

Dicas de como evitar mau hálito com a ajuda da alimentação

Maçã, pepino e gengibre auxiliam na manutenção da saúde bucal

A halitose, ou mau hálito, é um problema presente na vida de milhares de pessoas. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), aproximadamente 40% da população mundial sofre com este incômodo. A higiene bucal, com o uso de fio dental e a escovação completa, é essencial, porque previne o acúmulo das bactérias responsáveis pelo mau cheiro, além de evitar cáries e tártaros. Mas, a alimentação também pode ser uma forte aliada, segundo Bettina Del Pino, nutricionista da Dietbox, startup de nutrição.

“Alguns hábitos alimentares ajudam a regular nosso organismo e, com isso, ajudam a combater o mau hálito. Além disso, é importante entender que alimentos gordurosos e industrializados, pela digestão mais lenta agravam o problema. Como, por exemplo, carnes gordurosas, pele de frango, fritura, queijos amarelos, doces e refrigerantes”, pondera Bettina Del Pino.

A especialista da Dietbox orienta sobre algumas dicas de alimentação para evitar o mau hálito. Confira:

Evite jejuns prolongados

Quando há um período prolongados de jejum, pode aumentar a produção de substâncias que são eliminadas por meio da respiração, causadoras do odor desagradável.

Mantenha-se hidratada

Ingerir no mínimo 2 litros de água por dia é um dos fatores mais importantes, pois estimula as glândulas salivares.

Opte por carnes magras

Uma troca inteligente é evitar carnes mais gordurosas e ter como preferência carnes magras, como: peixes e peito de frango.

Coma maçã, cenoura e pepino

Esses alimentos fazem uma limpeza dental quando comidos crus e, assim, evitam o acúmulo de bactérias que podem causar mau hálito.

Canela, gengibre e hortelã

Pixabay

Os três alimentos facilitam e estimulam a digestão, além de terem ação antioxidante, adstringente e termogênica.

Alerta

O mau hálito pode indicar algum problema estomacal ou de higiene dental, por isso recomenda-se procurar um médico ou dentista. Os alimentos citados são dicas e não substituem o atendimento profissional.

Fonte: Dietbox