Arquivo da tag: cambuci

Sorvetes Rochinha distribui bolas de sorvete para vacinados contra a Covid-19

Marca disponibilizará sabores de Uvaia e Cambuci – frutas ícones da Mata Atlântica paulista – para consumidores que apresentarem o comprovante de vacinação com primeira ou segunda doses

A Sorvetes Rochinha lançou uma ação para incentivar a vacinação entre os paulistas. Até dia 24 de setembro, os consumidores que apresentarem a carteirinha de vacinação com a primeira ou a segunda dose da vacina contra a Covid-19, ganhará uma bola de sorvete em lojas selecionadas da marca na capital e litoral norte.

A troca será válida para os sabores de verão da marca Uvaia e Cambuci – frutas ícones da Mata Atlântica Paulista, lançados em 2021. Os sabores levam em suas receitas as geleias de Uvaia e Cambuci, produzidas pela Paca Polaca, marca de empreendedorismo social de Clarice Reichstul, parceira do Instituto AUÁ. As matérias primas são feitas de maneira artesanal, em panela de cobre, com receitas centenárias de tradição judaico-polonesa. As frutas, com tons mais ácidos, encontraram na base de natas desenvolvida pela Sorvetes Rochinha um equilíbrio surpreendente assim que o produto é levado à boca, tornando a experiência de paladar única e especial.

A campanha Vacina Sim com Rochinha surgiu como uma forma de impulsionar pessoas a se vacinarem. “Sabemos que quanto mais pessoas imunizadas, mais rápido poderemos retomar a normalidade. Acredito que, como empresa e como ato de cidadania, podemos fazer a diferença para ajudar esse movimento a favor da vida”, ressalta o CEO da marca, Lupercio Moraes.

Confira os endereços das lojas participantes:

São Paulo-Capital
• Higienópolis: Rua Maria Antônia, 213Tel.: (11) 4304.6070
• Mooca: Avenida Paes de Barros, 2477 Tel.: (11) 2021.1748
• Tatuapé: Rua Itapura, 1424. Tel.: (11) 2096-2555
• Moema: Avenida Pavão, 840. Tel.: (11) 3457-9000
• Vila Madalena: Rua Wisard, 273.

Litoral Norte
• Boiçucanga – SP: Avenida Walkir Vergani, 614 / São Sebastião – SP. Tel.: (12) 99131.3277
• IlhaBela – SP: Rua Doutor Carvalho, 46 – Loja 01 / Centro. Tel.: (12) 3896.6324
• Maresias – SP: Avenida Francisco Loup, 792. Tel.: (12) 3865.7675

Sorvetes Rochinha exalta Mata Atlântica com sabores de frutas ícones uvaia e cambuci

Em parceria com o Instituto AUÁ iniciativa busca fortalecer o cultivo das agroflorestas e o empreendedorismo socioambiental com produtos inéditos nas Praças Rochinha

A Sorvetes Rochinha, tradicional marca do litoral norte paulista, em busca de valorizar as frutas da biodiversidade do Brasil acaba de lançar uma linha inédita desenvolvida especialmente em parceria com o Instituto AUÁ: Sabores da Mata Atlântica: Uvaia e Cambuci, frutos ícones da Mata Atlântica no Sudeste. As novidades estarão nas franquias da marca em São Paulo – litoral e interior, Matinhos e Guaratuba (Paraná), Itapema (Santa Catarina) e Angra dos Reis (RJ), além da Food Kombi.

Os dois novos sabores ressaltam a essência da marca na valorização dos sabores brasileiros e de frutas de verdade, exalta o orgulho caiçara, e mais do que isso, têm em seu conceito uma maneira de fomentar o Ecomercado e a conservação da biodiversidade por meio das agroflorestas.

Os sabores levam em suas receitas as geleias de Uvaia e Cambuci, produzidas pela Paca Polaca, marca de empreendedorismo social de Clarice Reichstul, parceira do Instituto AUÁ. As matérias primas são feitas de maneira artesanal, em panela de cobre, com receitas centenárias de tradição judaico-polonesa. As frutas, com tons mais ácidos, encontraram na base de natas desenvolvida pela Sorvetes Rochinha um equilíbrio surpreendente assim que o produto é levado à boca, tornando a experiência de paladar única e especial.

Sorvete de Cambuci

A Sorvetes Rochinha nasceu no coração da Mata Atlântica e, se aliar com uma ação que visa a preservação agroflorestal, o desenvolvimento do pequeno agricultor e o fomento do ecomercado está intrinsecamente ligado ao posicionamento adotado pela marca em seus manifestos. A chegada da linha Sabores da Mata Atlântica reforça a preocupação com a sustentabilidade que a Sorvetes Rochinha adota desde 2018 em suas ações.

Segundo Lupercio Moraes, CEO da Sorvetes Rochinha, esse é mais um dos passos de uma série de novas ações socioambientais que a empresa pretende angariar nos próximos anos. “Nós entendemos que a indústria de hoje tem papel fundamental no desenvolvimento socioeconômico e ambiental, com responsabilidade. A parceria com o Instituto AUÁ faz total sentido e chegou em um momento chave da marca. Vamos produzir sorvetes de alta qualidade, com frutas da Mata Atlântica, que tem tudo a ver com a história caiçara que tanto nos orgulha, por pertencer ao litoral norte”, ressalta.

Sorvete de Uvaia

Para Gabriel Menezes, presidente do Instituto AUÁ, a parceria com a Sorvetes Rochinha é o começo da materialização do propósito de se unir com marcas importantes, que tenham consciência sustentável e força para apresentar para o público as frutas nativas da Mata Atlântica.

“Quando fechamos uma parceria com uma indústria do porte da Rochinha, entendemos que é uma vitrine para que o consumidor conheça nossos sabores e também todo o trabalho executado por nós para preservar a floresta e suas riquezas, incentivar o pequeno produtor e fomentar o ecomercado. É mostrar para o consumidor toda a riqueza do bioma paulista por uma marca tradicionalmente paulista”, explica.

Com a iniciativa, a Sorvetes Rochinha acredita que é possível potencializar os pequenos negócios e contribuir com a preservação dos biomas brasileiros de maneira sustentável e, ao mesmo tempo, lucrativa para todas as esferas do desenvolvimento socioeconômico.

“A partir do momento que uma indústria do porte da Rochinha se alia à um Instituto com a credibilidade do AUÁ, sabemos que uma roda de desenvolvimento sustentável gira de maneira que preserva e transforma a vida de pessoas que vivem dos seus pequenos cultivos e negócios. Essa é a essência do lançamento do Sabores da Mata Atlântica: incentivar a preservação dos biomas pela agrofloresta, a economia local e os pequenos produtores”, revela Moraes.

Informações: Sorvete Rochinha

Ribeirão Pires terá 6º Festival do Cambuci neste fim de semana

Nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro, Complexo Ayrton Senna sediará programação com atrações culturais e gastronômicas com fruta sensação do momento

Neste fim de semana, Ribeirão Pires recebe o 6º Festival do Cambuci, no Complexo Ayrton Senna. O evento reúne produtores do fruto para exposição e comercialização de itens variados. Além de Ribeirão Pires, o Festival conta com participantes de cidades como Bertioga, São Paulo, São Bernardo do Campo, Santo André, Salesópolis, Rio Grande da Serra e São Lourenço.

Entre os produtos oferecidos, será possível encontrar doces, licores, cachaças, geleias, mousses, sucos, xaropes, cerveja, sorvete, bolo de pote, antepastos e muitas outras delícias derivadas do fruto.

Originário da Mata Atlântica, o cambuci é a fruta sensação entre os produtores. No estado de São Paulo, a produção tem aumentado a cada ano e, em 2019, a expectativa é de colher 80 toneladas. Para o plantio, é preciso apenas roçar o terreno para controlar o mato. Além disso, o gado não come e nenhuma praga consegue atacar a fruta.

Origem tupi-guarani

cambuci

A palavra cambuci vem do tupi guarani kãmu-sí, que significa “pote de água”. O formato da fruta lembra o de um vaso de cerâmica. Por dentro, ela tem bastante polpa, mas o ideal não é consumir a fruta desse modo, já que ele é bastante cítrica e azeda.

Uma das possibilidades é consumir em forma de geleia, mergulhado na cachaça ou transformado em suco. O suco tem o sabor semelhante ao de goiaba verde e, no final, pode ficar com gosto de caju.

O evento realizado Festival Sabor do Brasil tem o apoio da Prefeitura da estância turística de Ribeirão Pires, por meio de parceria entre a Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico e a Rota do Cambuci. O 6º Festival do Cambuci ocorre na sexta-feira (29/11) – das 19h às 22h; sábado (30/11), das 12h às 22h; e domingo (1º/12), das 12h às 22h, na Tenda Multicultural do Complexo Ayrton Senna – Av. Prefeito Valdírio Prisco, 193, Centro. A entrada é gratuita.

Diversas opções gastronômicas

cambuci_2

A 6ª edição do Festival do Cambuci também contará com diversas opções de lanches – pernil, calabresa, hambúrguer artesanal, fondue no pote, pipoca gourmet, milk-shake, churros, entre outros, disponíveis em foodtrucks.

Valorização de artistas locais

O evento também promove a valorização dos artistas locais. Todas as atrações são de Ribeirão Pires. Estão confirmados “On The Vibe”, “Ricardo Reis”, “Siderais” “Aya”, “Paulo Barbosa”, “Carol Melo”, “Luana Giampietro e Junior Gomes”, “Hosana Anjos”, “Steve Sill” e apresentações de Dança da Escola Municipal (confira a programação artística completa).

Confira a programação artística:

29/11/19 – Sexta
19h – On the Vibe
20h – Ricardo Reis
21h – Siderais

30/11/19 – Sábado
12h – Abertura
13h – Workshop / Palestra
15h – Escola Municipal de Dança
16h30 – Aya
19h – Paulo Barbosa
21h – Carol Melo

1º/12/19 – Domingo
12h – Abertura
13h – Workshop/Palestra
15h – Escola Municipal de Dança
16h30 – Luana Giampietro e Junior Gomes
19h – Hosana Anjos
21h – Steve Sill

Festival_Cambuci.jpg

6º Festival do Cambuci
Sexta-feira (29/11) – das 19h às 22h
Sábado (30/11), das 12h às 22h
Domingo (1/12), das 12h às 22h
Local: Tenda Multicultural do Complexo Ayrton Senna
Endereço: Av. Prefeito Valdírio Prisco, 193, Centro, Ribeirão Preto (SP) 
Entrada gratuita

Geleia de cambuci é premiada em concurso no Reino Unido

Demorou, mas chegou o tão aguardado presente de aniversário da Mermeleia: o Certificate of Merit do Delemain Marmalade Festival – Home of the World’s Original Marmalade Awards, um dos principais concursos de geleias do mundo, realizado anualmente em Penrith (Cumbria, norte da Inglaterra). O anúncio da premiação aconteceu em 17 de março, mas o certificado aterrissou na Casa Mermeleia somente no dia 11 de maio.

certificate_of_merit___mai_18.jpg

A Mermeleia de Cambuci concorreu na categoria “para acompanhar peixe” e foi a primeira geleia brasileira a conquistar uma premiação nessa prestigiada competição, o que encheu de orgulho e alegria o chileno Mauro Concha (37) e o brasileiro Thiago Henrique (33), criadores da marca que completou quatro anos no dia 1º de abril.

“Há tempos paquerávamos esse concurso, pois queríamos o retorno de uma competição de alto nível, e este ano decidimos nos inscrever”, conta Thiago. “Ser uma empresa tão nova e pequena e já ter o reconhecimento internacional como o do Marmalade Awards, com seu júri rigoroso, nos dá a certeza de estarmos no caminho certo na busca pela excelência”, completa Mauro.

A geleia de cambuci tem sabor acentuado, predominantemente cítrico, e textura cremosa, pois a fruta se desfaz durante o processo de cocção. No cardápio da Mermeleia desde junho do ano passado, são comercializados cerca de 150 potes mensais, o que corresponde a aproximadamente 10% da produção total da empresa

thiago__esq__e_mauro_sob_a_sombra_de_um_cambucizeiro
Thiago, à esquerda, e Mauro sob à sombra de um cambuzeiro

“A categoria em que decidimos nos inscrever – acompanhar peixe – pedia um sabor cítrico, e decidimos enviar a de cambuci por harmonizar perfeitamente com qualquer pescado, e também por ser uma fruta brasileira, símbolo da cidade em que moramos”, explica Mauro: “Se você quiser surpreender, sirva um peixe com a Mermeleia de Cambuci, que também vai muito bem com queijos leves, sorvete de creme e até mesmo como recheio de bolo”. A geleia pode ser adquirida em vários pontos de venda espalhados pelo país ou no site da marca por R$ 25,00.

O nome da fruta vem do tupi-guarani Kãmu-si, pote de cerâmica utilizado para beber água, cujo formato é bem semelhante à fruta, que também lembra um disco voador. De acordo com o site Árvores de São Paulo, “o fruto azedo, agridoce e de cheiro agradável era muito usado na culinária paulistana do século 19. Mas isto se perdeu conforme a cidade foi se tornando metrópole: as árvores foram desaparecendo e as receitas também”.

Porém, essa situação está mudando graças ao esforço de algumas entidades, como o Instituto Auá, fornecedor da Mermeleia, produtores e pesquisadores que enxergam no Cambuci, fruta que estava ameaçada de extinção, uma boa fonte de renda – um pé chega a produzir, em apenas um ano, 200kg da fruta que pode ser utilizada no preparado de doces, salgados e bebidas.

mermeleia_de_cambuci___tony_chen
Foto: Tony Chen

 

História resumida da Mermeleia

Durante a infância na Patagônia Chilena, Mauro via sua avó fazendo geleias. De vez em quando ela o deixava mexer a mistura, mas nunca deu nenhuma aula sobre como fazer a guloseima. E o garoto nunca pensou que um dia faria geleias profissionalmente. Já no Brasil, para onde veio em 2010, teve alguns empreendimentos com Thiago. Primeiro fizeram sucos naturais, quando aprenderam muito sobre frutas. Depois uma amiga abriu um espaço cultural e os convidou para montar um bar. Para não ser “mais um bar”, eles começaram a oferecer ceviche, Pisco Sour e outros pratos e bebidas da gastronomia latina. Surgiu então a ideia de criar uma sobremesa e pensaram em uma releitura do Romeu e Julieta – queijo com geleia. Mas como não encontraram uma que os satisfizesse, resolveram produzir o próprio doce, que os clientes passaram a encomendar.

Em 2013, o espaço cultural fechou e os rapazes tiveram a ideia de desmontar a sala do apartamento uma vez por mês, montar um bar, e convidar os amigos para uma “Noite Chilena”. Mais de 90 pessoas apareceram ao primeiro evento que tinha como sobremesa queijo com geleia. E o que aconteceu? Os convidados queriam levar as geleias para casa. Tal sucesso levou Thiago a criar uma página com as geleias no Facebook e pedir aos amigos para divulgar. Pouco tempo depois, já em 2014, a Flávia Queiroz (@Noiva Ansiosa) pediu 30 unidades da geleia pequena para um chá de cozinha em troca de uma publicação em seu blog, e a partir daquele post chegaram muitos e muitos pedidos de noivas. O próximo passo foi participar de um evento, o Bazar Que tal Hostel, para onde levaram 50 potes achando que era demais e voltaram com apenas 4. Foi ali que perceberam que as geleias poderiam ser o negócio da vida deles e resolveram se dedicar a isso – vale ressaltar que os geleieiros, como gostam de ser chamados, não são chefs: Mauro é formado em dança e Thiago, em artes cênicas.

A dupla já criou mais de 90 sabores, todos aprovados pelos clientes, misturando frutas, legumes, chás, bebidas alcoólicas, ervas e especiarias: entre as campeãs de vendas estão as de cambuci, cebola roxa com Cabernet Sauvignon, manga com maracujá, alho negro, banana com chocolate, e abacaxi com gengibre. E quem pensa que basta juntar frutas com açúcar e colocar no fogo para obter uma bela geleia está muito enganado. Para garantir a qualidade de cada pote de MEЯMELƎIA que produzem, eles utilizam diversos equipamentos e instrumentos, e ressaltam que precisam estar atentos ao pH (acidez), ponto, textura, cor, presença de frutas, quantidade de açúcar e intensidade da chama que vai cozinhar a mistura. A que eles creditam o sucesso da Mermeleia em uma palavra? À persistência!

Oficinas de geleias artesanais

O sucesso da Mermeleia levou os empreendedores a abrir outra frente de trabalho: oficinas de geleias. Desde 2016, mais de 400 pessoas já participaram da atividade em várias cidades do país como São Paulo (SP), Goiânia (GO), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ) e Brasília (DF).

Para inscrições e informações detalhadas sobre as oficinas é só enviar um e-mail para contato@mermeleia.com.br. E para ficar sempre por dentro das oficinas, cursos, eventos e novos sabores siga a marca no Facebook e Instagram.