Arquivo da tag: campanha

Loungerie empodera mulheres fugindo de clichês em campanha para o Dia das Mães

Loungerie, umas das principais marcas brasileira de lingeries, traz para o Dia das Mães a campanha “Eu vejo você assim”, que mostra como os filhos enxergam as mães fugindo do estereótipo comum da mãe “entidade”.

Frases como: “minha mãe é porreta”, “minha mãe é arrojada”, “minha mãe é pra frentex”, “minha mãe é sem filtro”, foram algumas pensadas para ampliar o leque de possibilidades do que as mães, que antes de serem mães são mulheres, podem ser.

Com a campanha, a marca enaltece as mães como mulheres e mostra o quanto esses adjetivos relacionados a força, poder, sensualidade, liberdade e ousadia também as pertence. Com isso, reforça que é possível e empoderador presentear com Loungerie neste Dia das Mães.

“Como você vê sua mãe a empodera, é como se aquele presente junto a palavras de poder e aqueles adjetivos fizessem ela mais forte, são palavras que ressoam pra ela como parte de quem ela é”, reforça Patrícia Elias, Diretora de Marketing da Loungerie.

A campanha, com concepção e produção da Agência Santa Clara, está sendo veiculada nas redes sociais da @loungerie.

Mackenzie realiza campanha A fome não espera!

Chancelaria da instituição promove Live Solidária para arrecadação de cestas básicas e kits de higiene pessoal no próximo dia 17

Nos últimos dias, vemos cada vez mais escancarado os efeitos da pandemia do novo coronavírus na rotina de cada cidadão brasileiro. Há uma multidão de pessoas vulneráveis e desamparadas, um número aproximado de 14 milhões de pessoas desempregadas.

Pensando nisso, a Chancelaria do Instituto Presbiteriano Mackenzie (IPM), instituição confessional que tem por missão cuidar do ser humano, realiza no dia 17 de abril, a partir das 13h, uma Live Solidária A Fome Não Espera afim de arrecadar cestas básicas e kits de higiene pessoal que serão destinados a pessoas com extrema necessidade.

O chanceler do IPM, reverendo Robinson Grangeiro Monteiro, enfatiza a importância de demonstrar o amor que devemos sentir pelo próximo de maneira prática, convocando toda a comunidade a participar da live A Fome Não Espera.

“É preciso atender as pessoas que batem em nossa porta. A fome que não espera, não tem cor, religião ou estado social. Este é um simples ato de amor ao próximo como a si mesmo”, ressalta Monteiro, prosseguindo: “lhe convido a entrar nessa corrente, nessa equipe solidária, de pessoas de boa vontade, que desejam alimentar a quem tem fome e nossa iniciativa não se retarda”, afirma o reverendo.

Esta ação de solidariedade é um ato de todas as unidades do Mackenzie e você pode fazer sua doação em qualquer uma delas: Higienópolis, Campinas, Tamboré, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba, Castro e Palmas.

Para acompanhar a transmissão da live pelo canal da TV Mackenzie no YouTube, clique aqui.

Se quiser conferir o recado completo do chanceler clique aqui.

Live Solidária
Data: 17 de abril
Horário: 13h às 18h
Transmissão: TV Mackenzie/YouTube

Postos de recebimentos de doações:
Unidades Mackenzie:
São Paulo (Higienópolis), Campinas, Alphaville/Tamboré;
Rio de Janeiro (RJ);
Brasília (DF),
Curitiba e Castro (PR);
Palmas (TO).

Lucas Penteado estrela nova campanha de Power Stay da Avon

Em filme que vai ao ar no próximo sábado, 3 de abril, para promover a linha de maquiagens Power Stay e o lançamento do Gel de Sobrancelhas de longa duração da Avon, Lucas aparece ao lado de mais três personagens que retratam suas provas diárias de resistência. A nova campanha, desenvolvida pela Wunderman Thompson, faz parte da estratégia de comunicação de patrocínio da marca no BBB.

O insight “Veio pra Ficar”, que já assina as peças de Power Stay, conecta diretamente com as trajetórias pessoais dos participantes da campanha. Para Lucas Penteado, ex-confinado do reality show, se afirmar e resistir nunca foi tão importante. “A marca faz parte da vida de muitas famílias, inclusive, da minha. A primeira vez na vida que achei uma base no meu tom de pele foi a Power Stay. Quando fui entender mais sobre essa campanha e sobre a história da empresa, aí que as coisas fizeram ainda mais sentido. Diversidade, compromisso antirracista, são bandeiras que a Avon defende e eu também. E resistência, como a linha Power Stay entrega, é um dos meus lemas de vida”, comenta o ator e produtor.

“Para a Avon foi de imensa importância reunir pessoas com histórias fortes para participarem do novo filme de Power Stay, porque falamos de resistência e alta performance na luta diária, benefícios atrelados a nossa linha de produtos. Ter o Lucas em nosso filme só agrega, pois ele representa muito do nosso propósito como marca. Na Avon, acreditamos que maquiagem é uma forma de expressão e é para todas as pessoas que quiserem usar”, finaliza Viviane Pepe, diretora de comunicação da Avon Brasil. Além da estreia em TV, em abril, a campanha publicitária contará com vinhetas e peças para o digital.

A Avon frisa que o filme foi gravado antes do período de agravamento da Covid-19.

Avon lança campanha “Olhos nos olhos, cada mulher, uma história”

Além de contar as histórias por trás dos olhares de Sandy, Thelma Assis, Maya Gabeira e Thainá Duarte, o projeto reverte 7% do valor das vendas para ações do Instituto Avon

Os olhos dizem muito sobre uma pessoa. Transparecem sua jornada, pensamentos e sentimentos. Cada um possui um olhar próprio, mas, ao mesmo tempo, familiar a tantos outros. Diante do poder do olhar, a Avon estreia a sua campanha “Olhos nos olhos, cada mulher, uma história” para o lançamento da nova máscara de cílios Super à Prova D’Água e destaca as máscaras mais vendidas da marca que, em parceria com o Instituto Avon, terão 7% do valor de suas vendas revertida para apoiar ações de enfrentamento à violência contra mulheres e meninas. O projeto é estrelado pela Sandy, Maya Gabeira, Thelma Assis e Thainá Duarte, que compartilham as suas histórias de vida, mostrando a beleza por trás do olhar.

Em cada relato, os olhares marcantes e evidenciados pelas máscaras de cílios, demonstram a verdade de suas trajetórias, carregado do passado, presente, e uma perspectiva do futuro.

Cada uma das quatro estrelas, com as suas particularidades e similaridades, representa uma das supermáscaras de cílios da Avon, incluindo o lançamento, a máscara Super À Prova D’Água.

Em uma campanha de autoconhecimento e superação, a Avon convida a todos a acolher a trajetória de diferentes mulheres inspiradoras, celebrando o orgulho, a alegria e a beleza de cada história com a maquiagem. As histórias das personalidades se fundem na resiliência e na beleza por trás de cada olhar. E para realçar cada um deles, a Avon possui a máscara de cílios ideal, confira abaixo.

Máscara Super a Prova D’Água

“Meu olhar resiste a tudo” diz Maya Gabeira. Em uma história inspiradora de superação nas ondas de Nazaré, a atleta Maya Gabeira encontrou na nova Máscara Super a Prova D’Água o produto ideal para a sua rotina, “Com ela, encaro o calor do dia a dia e até as maiores ondas do mundo sem borrar” afirma a atleta. O lançamento é super à prova d’agua e resiste ao calor e a umidade. Com aplicador cônico, que facilita a aplicação e alcança até os fios mais difíceis, deixa os cílios mais curvados, elevados e separados. Sua fórmula contém o complexo Caring Triple Oil, com óleo de mamei, amêndoa e rícino, que fortalecem e previnem a queda dos cílios. Cílios intactos e curvados, mesmo embaixo d’água.

Máscara Super à Prova D’Água (preço promocional de lançamento de R$ 29,99 por R$ 19,99)

Máscara Super Extend

“Meu olhar me leva muito mais longe” diz Sandy. Ao compartilhar a jornada da sua carreira com diversos desafios e momentos decisivos, a cantora Sandy encontrou na Máscara SuperExtend uma aliada para compor os seus looks de maquiagem clássicos. “A máscara SuperExtend deixa meus cílios superlongos, do jeito que eu amo!” comentou a cantora. Ela promove cílios alongados, até 92% maiores. Seu aplicador lifting estica e esculpe os fios com fibras triangulares, permitindo melhor aderência ao contorno dos cílios. Com a tecnologia Magnalift Plus, a máscara age como um ímã atraindo a queratina dos cílios para levantar e alongar cada fio.

Máscara Super Extend (Preço: R$ 29,99)

Máscara SuperShock Max Volume

“Meu olhar revela o máximo de mim” diz Thelma Assis. Com uma trajetória inspiradora, repleta de superações de desafios na luta contra o racismo, o olhar de Thelma, médica e campeã do BBB20, é destacado pela Máscara SuperShock Max Volume. “Com a Máscara SuperShock eu consigo volume máximo, é a minha cara” afirma Thelma. O produto promove cílios volumosos, com 15 vezes mais impacto por até 24 horas. Seu aplicador em hélice combina cerdas curtas e longas para alcançar até os menores cílios. Possui a tecnologia Pumpling Complex com pantenol para hidratar e condicionar os fios.

Máscara SuperShock Max Volume (Preço: R$ 29,99)

Máscara Supreme Oil

“Meu olhar é minha força e sensibilidade” diz Thainá Duarte. Ao encontrar na sua visibilidade na televisão a oportunidade de elevar a voz de vítimas de relacionamentos abusivos e apoiar mulheres, a atriz Thainá Duarte possui em seu olhar uma trajetória de força e luta. E para realçar a beleza dos seus olhos, ela conta com a Máscara Supreme Oil. “A Máscara Supreme Oil deixa meus cílios mais saudáveis e é superfácil de remover no fim do dia. Adoro!” exclama a atriz. Com o complexo Lash Rejuvenating, a máscara possui fórmula enriquecida com óleo de argan, de coco e vitamina E, que ajuda a proteger e fortificar cada cílio da raiz às pontas. Além disso, possui o aplicador Lash Caress, que não repuxa e desliza pelos cílios sem esforço, ajudando a alongar os fios. Com remoção fácil, previne a quebra e queda de cílios.

Máscara Supreme Oil (R$ 29,99)

Diante da relevância das histórias de vida de cada mulher, a Avon incentiva por meio da campanha “Olhos nos Olhos, cada mulher, uma história” o acolhimento e o compartilhamento do olhar de cada uma delas, estimulando um sentimento de sororidade e união.

Todos os produtos Avon podem ser adquiridos por meio das revendedoras Avon ou pelo e-commerce

SAC: 0800 708 2866, de segunda a sábado das 8h às 20h

Iniciativa global “Take Care With Peanuts” espalha mensagens sobre cuidados

Do papel para a vida real, ficam os temas das tirinhas de Charles Schulz para espalhar mensagens sobre cuidados e resiliência. A iniciativa “Take Care With Peanuts” alinha a propriedade com os movimentos culturais e relembra a todos de sermos bons cidadãos globais, tirar uma pausa para cuidarmos de nós mesmo, dos outros, do nosso lar, dos animais e do planeta.

Take Care with Peanuts apresenta três mensagens vitais – Take Care of Yourself (cuide de si mesmo – com foco no bem-estar físico e mental), Take Care of Each Other (cuidem-se entre si – comunidade e filantropia) e Take Care of the Earth (cuide da Terra – natureza e sustentabilidade) – que inspiram um grande esforço em todo o mundo filantrópico, entre outros componentes.

“Take Care With Peanuts é uma iniciativa que vem do meu coração, pois celebra todos os temas que meu marido apresentava regularmente em seus quadrinhos”, disse Jeanne Schulz, viúva do criador de Peanuts, Charles Schulz. “Sparky compartilhou mensagens de cuidar uns dos outros e respeitar a natureza por anos – ele sempre foi um homem à frente de seu tempo!”, diz ela, referindo-se ao marido pelo apelido pelo qual era conhecido.

A estratégia do programa Take Care with Peanuts localmente irá envolver: produtos exclusivos, eventos, áreas tematizadas, ações de varejo e cobranding a partir do 1º semestre de 2021. Abaixo estão alguns programas desenvolvidos globalmente e futuros lançamentos, locais e internacionais.

Filantropia: parceria com a Foundation for Hospital Art

Projetos filantrópicos serão o componente chave das iniciativas, começando com o programa de murais em hospitais. Em parceria com a Foundation for Hospital Art, a Peanuts Worldwide está doando 70 murais de Snoopy e Woodstock para serem colocados em hospitais ao redor do mundo. Os primeiros murais foram lançados em 01/10/2020 em Nova York e na Califórnia, e seguirão o cronograma para implementação em outros hospitais, sendo que a mesma arte será replicada em demais regiões ao redor dos seis continentes. Esse projeto é apenas o começo de um esforço filantrópico de vários anos, com o objetivo de expandir e reativar relacionamentos existentes com organizações sem fins lucrativos, trazendo à tona uma carinha amigável já conhecida mundialmente.

Plano de Aulas: ensinando mensagens sobre cuidados às crianças

Conteúdo para professores e pais com temas específicos estão sendo disponibilizados no site da Peanuts, desde novembro. Projetado para estudantes de 4 a 11 anos, as aulas apresentarão os personagens da Peanuts com temas exclusivos do Take Care with Peanuts, ajudando crianças a desenvolverem suas habilidades, incluindo linguagem e estudos sociais.

Conteúdos na Apple TV+

A partir de cinco de fevereiro de 2021, a nova série “The Snoopy Show” será lançada na Apple TV+. Os episódios, com target para crianças de 6 a 10 anos, são estrelados por Snoopy e suas várias personas com uma porção de episódios relacionados ao programa Take Care with Peanuts, incluindo alguns temas especiais, como o Dia da Terra.

Peanuts

Os personagens de Peanuts e propriedade intelectual relacionada são propriedade da Peanuts Worldwide, que é 41% propriedade da WildBrain Ltd., 39% propriedade da Sony Music Entertainment (Japão) Inc. e 20% propriedade da família de Charles M. Schulz, que apresentou Peanuts ao mundo em 1950, quando a história em quadrinhos estreou em sete jornais. Desde então, Charlie Brown, Snoopy e o resto da gangue Peanuts deixaram uma marca indelével na cultura popular.

Além de desfrutar dos amados programas e especiais do Peanuts na Apple TV +, fãs de todas as idades celebram a marca Peanuts em todo o mundo por meio de milhares de produtos de consumo, bem como atrações de parques de diversões, eventos culturais, mídias sociais e histórias em quadrinhos disponíveis em todos os formatos, do tradicional para o digital. Em 2018, a Peanuts fez uma parceria com a NASA em um Acordo Espacial de vários anos com o objetivo de inspirar uma paixão pela exploração espacial e pelas ciências entre a próxima geração de estudantes.

Supershopping Osasco apresenta Natal no Mundo dos pets para celebrar família e solidariedade

Shopping center faz parceria com Coco Bambu e ONGs da região em ação solidária e presenteia clientes com compre e ganhe oferecido com a L’Occitane

O SuperShopping Osasco comemora a família neste fim de ano tão especial, com o Natal no Mundo dos Pets. O shopping center destaca os bichinhos de estimação, que garantiram a companhia e a afetuosidade para crianças e adultos diante da distância física imposta pela pandemia por meses, e convida seu público a ajudar quem precisa em uma ação solidária em parceria com ONGs da região, além de presentear seus clientes com um mimo da L’Occitane na campanha compre e ganhe de 2020.

“Foi um ano marcado por muitos desafios, mas, mesmo com a distância física por alguns meses, o shopping center ficou sempre juntinho dos seus públicos, com serviços de entrega, campanhas que divulgaram atitudes simples do dia a dia que ajudam a aproximar pessoas pela tecnologia e orientam como se proteger em tempos de covid-19 e a nova loja virtual. Foi complexo, mas 2020 mostrou a grande família que é o SuperShopping Osasco e convidamos todos a comemorá-la neste Natal”, afirma Caroline Alves, gerente de Marketing do SuperShopping Osasco.

O shopping center recebe sua decoração especial, que destaca o papel dos pets neste ano. O tradicional pinheiro natalino ganha uma decoração inspirada nos bichinhos de estimação, localizada na Praça de Eventos, que recebe ainda um carrossel para inspirar o público. Os pets também protagonizam a Fonte dos Desejos. Um simpático Shitzu promete trazer amor e boas energias em 2021 para todos que jogarem uma moedinha nas suas águas. O valor arrecadado na fonte será somado à ação solidária que o shopping center preparou para ajudar quem mais precisa na região.

Para participar é fácil. Quem lançar moedinhas na Fonte de Desejos do Shitzu ajudará a ONG Avama, que receberá todo dinheiro arrecadado. Mas quem prefere ajudar com doação de alimentos ou ração para pets, poderá deixá-la nos pontos de arrecadação, que estarão dentro do Coco Bambu. O SuperShopping fez também uma superparceria com o restaurante e todo produto doado será dobrado para ajudar a ONG Avama e o Projeto Social Ações do Bem. Para conhecer melhor as entidades beneficiadas, basta entrar nos sites.

O Papai Noel não ficou de fora da festa. Este ano, ele está de home office, mas trará sua mensagem de Natal, com muito amor e solidariedade nas redes sociais do empreendimento @supershoppingosasco. O Bom Velhinho também preparou dicas de presentes superespeciais para quem conferir o Instagram do shopping center. Quem escolher o SuperShopping para as compras de Natal ganhará um mimo da L’Occitane com a supercampanha compre e ganhe deste ano. A cada R$ 400 em compras, o cliente ganha um creme de mãos da linha Abraço ou da linha Brésil.

O SuperShopping reúne as melhores opções de presente nas lojas físicas e na virtual. Quem aderiu ao e-commerce, pode escolher os mimos de Natal clicando aqui. Os serviços de delivery e drive thru seguem os horários do empreendimento. É só combinar com o lojista como prefere receber. Para quem não abre mão de escolher o presente pessoalmente, o shopping center segue com as normas de saúde e segurança contra covid-19 para garantir o conforto do público. É obrigatório o uso de máscara, o acesso ao empreendimento se dá com medição de temperatura, os pisos estão com demarcação para sinalizar a distância segura e todos os ambientes estão com a limpeza e desinfecção intensificados.

SuperShopping Osasco: Av. dos Autonomistas, 1.828 – Vila Yara – CEP: 06020-010 – Osasco – SP

Verdades e mentiras a respeito das vacinas contra a Covid-19

Profª Drª Lúcia Abel Awad, imunologista com pós-doutorado em doenças infecciosas, esclarece as dúvidas

Há muitos mitos e inverdades sobre as vacinas que estão sendo produzidas para o combate da Covid-19. Para esclarecer as dúvidas, a Profª Drª Lúcia Abel Awad, imunologista com pós-doutorado em doenças infecciosas, respondeu algumas perguntas a respeito do tema.

O Ministro da Saúde afirmou em outubro que, em janeiro de 2021, vai começar a vacinar todo mundo. Mas o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, disse que a vacina não deve ser disponibilizada para toda a população. A vacina deve ou não ser para todos? Ou só para os grupos de risco?
R. Sim, a vacina deve estar disponível para todos. Porém, estamos diante de um enorme desafio, que é o de avaliarmos as vacinas em plena pandemia. Temos que compreender o tempo da ciência, as vacinas nunca foram testadas com tanta rapidez. Antes de qualquer situação, precisamos saber se elas irão conferir proteção, ou seja, se serão capazes de induzir a produção de anticorpos neutralizantes contra o SARS- CoV-2. Para termos esta resposta, temos que aguardar os resultados dos estudos da fase III. É compreensível que a pressão seja enorme para termos uma vacina, mas ressalto a importância de termos os resultados dos estudos para, de fato, comprovarem seu efeito, segurança e toxicidade e, a partir daí, iniciarmos o processo de imunização em massa. Está previsto que as primeiras doses das vacinas sejam disponibilizadas entre dezembro deste ano e janeiro de 2021. O Ministério da Saúde assumiu inicialmente a compra de 30 milhões de doses da vacina de Oxford, enquanto aguardamos a finalização dos testes clínicos. Sendo assim, esta quantidade de doses estará disponível para 15 milhões de pessoas, visto que serão necessárias duas doses da vacina, com prioridade aos profissionais da saúde, pessoas de grupo de risco como idosos, indivíduos com diabetes, obesidade, hipertensão e outras doenças nas quais exista algum comprometimento do sistema imunológico. Uma vez comprovada a segurança e a eficácia da vacina de Oxford, estão previstas mais 70 milhões de doses. Enquanto aguardarmos as vacinas com os resultados da fase III, investimentos em fábricas, logística, distribuição, infraestrutura e qualificação de profissionais são fundamentais para o início do processo de imunização em massa.

Foto: Fernando Zhiminaicela/Pixabay

No mundo há grupos contra a vacinação, inclusive com correntes, nos Estados Unidos, se manifestando contra as vacinas. No caso da Covid-19, qual a sua opinião?
R.
Eu acredito que esses movimentos antivacinas estão perdendo força neste momento da pandemia, por se tratar de uma doença de curso rápido e alta letalidade para alguns pacientes. Uma pesquisa feita recentemente, mostrou que cerca de metade dos adultos nos EUA (51%) receberia a vacina, caso estivesse disponível, ao passo que 49% disseram que não tomariam ou provavelmente não receberiam. Comparativamente às pesquisas anteriores, o número de norte-americanos a favor da vacina vem aumentando, indicando uma maior aderência ao processo de imunização. Aqui no Brasil, graças ao acesso gratuito à uma ampla variedade de vacinas, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Programa Nacional de Imunizações (PNI), as pessoas acreditam nos benefícios das vacinas, visto que as campanhas de vacinação resultaram na erradicação de doenças importantes. O Japão está entre os países com maior desconfiança com relação às vacinas, de acordo com trabalho publicado na revista The Lancet no mês de setembro. Hoje, a maior preocupação das pessoas está no fato de que os interesses políticos e das indústrias farmacêuticas estejam à frente das etapas que devem ser cumpridas com os testes vacinas, temendo uma aprovação precoce antes mesmo da finalização dos testes clínicos. Por outro lado, os movimentos antivacinas comprometem os esforços de imunizar a população visando acabar com a pandemia. Existem grupos alegando que as vacinas com RNA mensageiro, cujo propósito é promover a produção de resposta imune contra o Sars-Cov-2, podem alterar o DNA das nossas células, mas essas informações são falsas e não têm embasamento científico.

O presidente Jair Bolsonaro afirma que a vacina não pode ser obrigatória. Na sua opinião, deve ser ou não?
R.
Na minha opinião, o presidente não foi feliz nesta fala, já que criticou a obrigatoriedade da vacinação. Vale lembrar que ele mesmo sancionou uma lei que prevê a obrigatoriedade da vacina em fevereiro deste ano, na gestão do então ministro Luiz Henrique Mandetta. Não vejo isso como uma questão de opção, uma vez que, caso alguém se negue a tomar a vacina, poderá transmitir a doença para outra pessoa. É dever do nosso presidente e das autoridades públicas conscientizarem a população e mostrarem a importância do procedimento, visando não apenas a proteção individual, mas também a coletiva.

Pixabay

Com relação aos idosos, a vacina será 100% eficaz?
R.
À medida que envelhecemos as condições de saúde associadas ao envelhecimento como aparecimento de doenças cardíacas, câncer, doenças metabólicas e autoimunes, podem surgir com maior frequência. A senescência do sistema imunológico trabalha em condição menos efetiva e mais inflamatória em idosos, o que poderia prejudicar a resposta às vacinas contra a Covid-19. Entretanto, se os outros grupos de pessoas mais jovens tomarem a vacina, estarão protegidas e protegerão os mais idosos. Os testes em andamento com a vacina de Oxford ampliaram a idade para maiores de 65 anos, com o objetivo de avaliar se a vacina será efetiva. As outras vacinas também contemplam a inclusão de grupos de pessoas idosas; a ideia é que proteja também essas pessoas, assim como outras vacinas hoje disponíveis.

Há alguma contraindicação com relação à vacina? Ou todos podem tomar?
R.
As vacinas são contraindicadas para pessoas com imunodeficiências que façam uso de corticoides, a pacientes imunossuprimidos, como, por exemplo, transplantados, ou que tenham doenças autoimunes. Imunidade pré-existente em resposta a algum componente vacinal pode interferir na eficácia das vacinas.

Há algum efeito colateral? As vacinas contra influenza apresentam alguns. A vacina da Covid pode apresentar efeitos adversos mais severos?
R.
As reações adversas mais comuns até agora evidenciadas nos testes vacinais foram dor e inflamação no local da aplicação da injeção. Os efeitos menos comuns e de curta duração: febre, fadiga, dor de cabeça e dor muscular. A maioria dos eventos adversos relatados foram de gravidade leve ou moderada. Processos alérgicos decorrentes de algum componente vacinal podem ocorrer, mas são raros. Outro risco que merece atenção, e foi observado recentemente em um voluntário com a vacina de Oxford, foi o desenvolvimento de uma resposta autoimune. Estes casos devem ser avaliados com muita atenção. Mas, um dos principais temores dos cientistas está na possibilidade da vacina provocar uma doença mais aguda para quem tomá-la, caso seja infectado pelo SARS-Cov-2. Esse receio tem origem em estudos feitos com outros tipos de coronavírus, que mostraram que animais imunizados com vacinas contra outros tipos de coronavírus, nos testes pré-clínicos, tiveram uma doença pior em relação àqueles que não foram vacinados. Isso é um fenômeno que acontece quando não detectamos uma resposta imune com produção de anticorpos neutralizante do vírus. Todos os testes pré-clínicos realizados com as vacinas contra a Covid-19 em andamento, mostraram que essas vacinas promoveram a produção de anticorpos protetores.

Pete Linforth/Pixabay

Após tomar a vacina, quanto tempo a pessoa fica imunizada?
R.
Estudos realizados pela Instituto de Biotecnologia de Pequim, em parceria com a empresa Cansino, e publicados na revista The Lancet, demonstraram que, utilizando um vetor viral, ou seja, um vírus do resfriado humano vivo, porém enfraquecido pelo adenovírus 5, a vacina é tolerável e imunogênica, com resposta de anticorpos após 28 dias da vacinação, com resposta de células T evidenciadas, 14 dias após a vacinação. Entretanto, alguns pacientes apresentaram uma resposta imune a parte do adenovírus (AD5) da vacina e não contra a SARS-Cov-2, ou seja, contra a proteína da espícula. Por conta disso, vacinas com este vetor AD5 foram descontinuadas. A vacina de Oxford, por sua vez, que utiliza o adenovírus de macaco expressando a proteína da SARS-Cov-2 (proteína da espícula), os resultados mostram uma forte resposta de anticorpos neutralizantes após 28 dias da imunização, com resposta imune de linfócitos T específicas no 7o dia, com pico no14 o dia, e mantidas até o 56 o dia, de acordo com os resultados publicados na revista Lancet. A vacina se mostrou imunogênica e bem tolerada; estudos com pacientes idosos e crianças com maior número de voluntários expostos ao vírus estão sendo analisados neste momento. O uso de vacina com adenovírus de chipanzés garante não existir uma imunidade pré-existente em voluntários, o que torna a vacina de Oxford muito promissora.

A vacina terá que sofrer alterações por causa das mutações do vírus?
R.
Um estudo recente publicado na revista PNAS, mostrou que o vírus da Covic-19 sofreu mutações mínimas desde dezembro de 2019, o que nos mostra que não teremos problemas na elaboração de vacinas contra a Covid-19. A presença de mutações em vírus é um fator limitante no desenvolvimento de vacinas como no caso do HIV, influenza e dengue

Há algumas vacinas que estão sendo produzidas. Oxford, Butantan, americana… Há alguma melhor, mais eficaz? Ou as informações são ainda muito prematuras?
R.
O Brasil tem quatro vacinas contra a Covid-19 em fase III de testes clínicos em andamento. A vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford do Reino Unido, a vacina das farmacêuticas Pfizer (EUA) e Biontech (Alemanha), e a vacina Coronavac da empresa Chinesa Sinovac e a da empresa Johnson & Johnson. A vacina de Oxford e a Coronavac estão em fase mais adiantada, a fase III dos testes clínicos, e são as vacinas candidatas para registro. Os resultados da vacina de Oxford apresentaram resultados muito promissores e foram publicados recentemente. Na minha opinião é a mais promissora.

A Covid-19 ‘do futuro’ deverá ser sazonal como outros vírus respiratórios. Artigo recente publicado no periódico Frontiers in Public Health, indica que, após a imunidade coletiva ser atingida, a Sars-CoV-2 poderá ser mais problemática em determinadas épocas do ano.
R.
Ao que tudo indica esse novo coronavírus também se tornará uma doença respiratória sazonal, como outros tipos de coronavírus, possivelmente trazendo mais problemas no inverno. A Covid-19 veio para ficar e continuará a causar surtos ao longo do tempo até que a imunidade coletiva seja atingida. As pessoas precisarão aprender a viver com a doença e a continuar praticando as medidas de prevenção, principalmente o uso de máscaras, evitar aglomerações, manter o distanciamento social e a higiene das mãos. Apesar de sabermos muita coisa sobre esse novo coronavírus, ainda estamos aprendendo sobre a doença.

Foto: Fernando Zhiminaicela/Pixabay

No caso da vacina, o objetivo inicial é proteger contra a doença, mas também protegerá contra a infecção?
R.
Por isso há a importância de se testar a vacina em um grande número de pessoas; não sabemos se isso vai gerar uma resposta imunológica boa o suficiente para proteger contra a Covid-19. Espera-se que a vacina seja capaz de induzir a produção de anticorpos neutralizantes impedindo a entrada do vírus nas células e, consequentemente, a disseminação da doença. A outra possibilidade é que o vírus consiga infectar a pessoa, mas graças à vacina, provoque uma manifestação menos grave da doença. O vírus continuará a circular na população porque não está sendo impedido de infectar, mas sua capacidade de causar os sintomas e as consequências mais graves da infecção será reduzida. O ideal é que a vacina proteja as pessoas do grupo de risco.

Fonte: Lúcia Abel Awad é imunologista, professora e doutora em doenças infecciosas

SBD faz campanha de conscientização sobre a psoríase

Ação anual é mais uma oportunidade para informar pacientes e população sobre a doença, que é lembrada mundialmente no mês de outubro

Hoje, 29 de outubro, é Dia Mundial da Psoríase, e a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) começou mais uma campanha de conscientização para a população. Neste mês de outubro, são divulgadas informações sobre esta doença crônica inflamatória, não contagiosa e que tem tratamento, apesar de ser recorrente.

Coordenada pelo médico dermatologista Ricardo Romiti, a iniciativa tem como objetivo orientar e esclarecer as dúvidas da população. Este ano, a campanha foi pensada para dar dicas, as #TopTipsemPsoríase, para pacientes com a doença. A psoríase provoca alterações na pele, nas unhas, no couro cabeludo e até nas articulações (artrite psoriásica).

“No Brasil, a prevalência da doença é de 1,3%, variando entre 0,9 a 1,1% nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste e 1,9% no Sul e Sudeste. Acomete qualquer faixa etária, com maior incidência entre 30 e 40 anos e 50 e 70 anos, sem distinção quanto ao gênero”, afirma Sérgio Palma, presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Psoriasis Hand

Os sintomas mais frequentes da psoríase são manchas vermelhas e descamativas que persistem por semanas. No caso da artrite psoriásica são comuns as fortes dores nas articulações. Como os sinais da psoríase na pele se parecem com os de outras doenças, como alergias e micoses, a SBD orienta a busca por um médico dermatologista para uma avaliação correta. Além disso, formas mais extensas e graves de psoríase podem estar associadas a outras alterações sistêmicas do organismo, como pressão alta e obesidade.

“Ao notar os primeiros sintomas, a recomendação é procurar um médico dermatologista para diagnóstico preciso e prescrição dos tratamentos mais adequados. É importante evitar a automedicação ou receitas caseiras com a intenção de eliminar lesões”, explica Palma.

As causas da psoríase ainda são desconhecidas, mas sabe-se que envolvem questões autoimunes e genéticas. Também já está confirmado que alguns fatores externos podem causar o surgimento ou a piora das lesões, como o tempo frio, as infecções e o estresse. O hábito de coçar ou de mexer nas lesões e os banhos quentes e prolongados pioram o quadro, provocando, muitas vezes, até ressecamento e coceiras da pele. Por isso, os bons aliados no tratamento diário da psoríase são os cremes hidratantes sem perfume, shampoos neutros, banhos curtos e mornos, alimentação saudável e banhos de sol por tempo limitado e sob a orientação do dermatologista. Evitar o uso de sabonetes abrasivos ou esfoliantes que ressecam a pele é um cuidado importante no dia a dia.

Quanto aos tratamentos disponíveis para controle da psoríase, eles são prescritos levando em consideração o grau e o tipo da lesão. Para a psoríase leve o tratamento engloba cremes, loções e shampoos. Já para lesões moderadas a graves são indicados tratamentos sistêmicos que envolvem a fototerapia (exposição a radiação ultravioleta UVA E UVB), medicamentos orais e, em casos mais graves, as medicações injetáveis, os biológicos (ou imunobiológicos), que foram incorporados recentemente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

“Apesar de não ter cura, atualmente dispomos de medidas bastante eficazes para o controle dessa dermatose. Lembramos de que mesmo durante a pandemia de Covid-19, os tratamentos da psoríase não devem ser adiados ou interrompidos, a não ser que o paciente desenvolva sinais da infecção”, afirma Ricardo Romiti, coordenador da Campanha Nacional de Psoríase da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Mesmo não sendo contagiosa, os pacientes com a doença sofrem muito preconceito por causa das lesões aparentes na pele. O impacto da doença não fica restrito ao corpo e também pode causar depressão, ansiedade e ganho de peso. “Um acompanhamento multidisciplinar é importante para a melhora da qualidade de vida do paciente”, reforça Romiti.

A ação deste ano conta com o apoio e patrocínio da AbbVie, Janssen e Novartis e mais uma vez será integrada com as Regionais da SBD, buscando alcance em todo o território nacional. E assim como nos anos anteriores, as atividades realizadas serão divulgadas no site e redes sociais da SBD Nacional.

Não deixe de procurar um médico dermatologista para diagnóstico e tratamento no site da SBD ou nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Informações: Psoríase Tem Tratamento

O Boticário promove ação para capacitar mulheres 40+ para serem novas influenciadoras digitais

“Geração Botik” é uma iniciativa inédita que quer transformar o espaço de influência e marca o lançamento da linha de cuidados faciais

O Boticário acaba de lançar Botik, nova marca de cuidados faciais e, com a proposta de democratizar o skincare e os ativos presentes nos produtos, convida o público a deixar ‘seu rosto no modo ativo’.

Potencializando ainda mais esse convite, a marca desenvolveu, em parceria com a Youpix, um treinamento inédito para capacitar mulheres acima dos 40 anos para serem influenciadoras digitais. Com essa iniciativa, Botik vai colocar o rosto de novas mulheres, que não são nativas digitais, no modo ativo, protagonizando mais espaços e celebrando as diferenças. “Vamos dar voz à Geração Botik, uma geração que não se limita ou define por idade, mas que tem muitas experiências e conteúdos incríveis para compartilhar nas redes sociais”, conta Gustavo Fruges, diretor de Comunicação do Boticário.

Com a iniciativa, a marca vai selecionar 200 candidatas para serem capacitadas em um curso online, com linguagem e olhar específicos para elas. As inscrições acontecem a partir de 20 de outubro no site da marca. Para se candidatar, todas as mulheres – com 40 anos ou mais – interessadas devem inserir seus dados para cadastro e uma mini biografia. A seleção será feita por um júri técnico que vai avaliar o potencial de geração de conteúdo das candidatas, especialmente, no que diz respeito a autoestima e autocuidado.

A criação, inédita e necessária, tem como ideia central dar voz às mulheres de todas as idades, provando que nada deve limitá-las, bem como Botik que foi desenvolvida para a diversidade brasileira, abrangendo todos os tipos, cores e idades de pele. “Ao incluir essas mulheres nas redes sociais em posição e responsabilidade de serem influenciadoras, queremos que mais e mais mulheres, em toda a sua diversidade, incluindo a etária, sejam inspiradas a dividir experiências, independente de idade. Mostrando como todas podem estar ativas, tanto na sua rotina como na internet “, completa Gustavo.

Para estrelar essa campanha e abrir o debate com o público a partir da provocação “Quem são as mulheres acima dos 40 que te influenciam nas redes sociais?”, Botik lança um manifesto com um time de mulheres 40+ inspiradoras que pode ser conferido nas redes sociais da marca.

“No mundo digital, a influência para além da idade tem pouca representatividade e o Boticário quer abrir esse caminho. Ficamos muito felizes em fazer parte dessa história! Mais do que dar protagonismo para mais mulheres, estamos provocando gerações mais jovens a terem um leque mais rico de referências. Vamos ver mais mulheres de 20 e 30 anos trocando experiências com mulheres de 60, por exemplo, sobre assuntos diversos, como autocuidado, autoconhecimento, bem-estar e beleza em qualquer fase da vida”, comenta Bia Granja, sócia e CCO da Youpix.

Após o período do curso, as novas influenciadoras da Geração Botik serão acompanhadas e apoiadas pela marca. “A forma de apresentar produtos e serviços mudou. Marcas buscam influenciadores que estejam engajados em causas, que sejam verdadeiros e empáticos e acreditamos que a construção desse programa contribuirá para essa demanda do mercado e para uma sociedade cada vez mais inclusiva, finaliza Gustavo.

A ação foi idealizada pela agência Pros.

Inscrições: de 20 a 25 de outubro pelo site d’O Boticário

Domino’s Pizza lança promoção ‘Quarentena Eterna’: vencedor ganhará um ano de pizza

Ação vai premiar vencedores com até um ano de pizza grátis

Quem não comeu uma pizza num almoço rápido, entre uma reunião e outra do home office, durante esta pandemia? Quem não recorreu ao jogo de tabuleiro para se divertir com a família, no sábado à noite, dividindo as fatias da redonda? Para mostrar o valor da pizza neste período de quarentena, a Domino’s Pizza convida os fãs da marca a criarem um vídeo caseiro em que “ela” – a pizza – seja a estrela dessa nova rotina. ‘Quarentena eterna’ vai premiar os melhores vídeos com pizza grátis.

“Queremos saber como a pizza, em especial, a pizza da Domino’s, tem feito parte da rotina das pessoas. O que vai contar para a escolha dos vídeos é a criatividade”, afirma a CMO da Domino’s, Flávia Molina.

Nesta primeira etapa, os participantes devem preencher um formulário simples e cadastrar o vídeo de até 30 segundos, que pode ser gravado pelo celular, na página até o dia 13 de setembro. Na etapa de seleção, o público vai poder escolher os três melhores em uma votação nas redes sociais da Domino’s.

O grande vencedor vai receber um ano de pizza grátis! Para o segundo lugar, a Domino’s Pizza vai oferecer quatro meses de pizza grátis e para o terceiro colocado, dois meses de pizza grátis. Todas as etapas serão divulgadas nas redes sociais da rede.

Cronograma da campanha:
3 a 13 de setembro – Inscrição dos vídeos
17 a 21 de setembro – Votação dos melhores conteúdos
23 de setembro – Divulgação dos vencedores

Informações: Domino’s