Arquivo da tag: couro cabeludo

Conheça os principais hábitos que prejudicam o couro cabeludo

Especialista da Mahogany aponta o que deve ser feito para evitar o aparecimento de problemas como a caspa e o enfraquecimento dos fios

Ondulados, crespos, lisos ou cacheado, independentemente do tipo de cabelo, as mulheres apostam em tudo que pode ajudar no crescimento, força e aspecto dos fios. Prova disso é a grande quantidade de produtos das mais variadas categorias, como shampoo, condicionador, hidratantes, máscaras, óleos e finalizadores, criados justamente para satisfazer esse público, que está a cada dia mais exigente e preocupado com a saúde capilar.

Carlos Correa, gerente de pesquisa e produtos da Mahogany, marca especializada em produzir e comercializar cosméticos de alto padrão, explica que a raiz dos cabelos é a base para fios fortes e o excesso de uso de produtos, aliado à falta de informação, podem causar o surgimento de diversos problemas no couro cabeludo como a caspa e a oleosidade. “É dele que os fios se originam e se esse local estiver com excesso de oleosidade, por exemplo, não há corte que resolva, as madeixas serão afetadas sempre pelos mesmos problemas”, explica.

A boa notícia é que basta um pouquinho de atenção para garantir um couro cabeludos saudável. Confira abaixo alguns vilões capilares e a forma correta para driblar esses problemas:

Lavar com água quente
A água também pode ser uma vilã do cabelo saudável, se estiver na temperatura errada. Um banho quente pode ser bom, mas o calor estimula a produção de oleosidade no couro cabeludo e aumenta o ressecamento das pontas. Segundo o especialista, o ideal para a saúde capilar é priorizar água de morna a fria na higienização, pois não são agressivas para o couro cabeludo nem para os fios. “Quando extremamente quente pode ser muito prejudicial à região, provocando a perda de nutrientes e interferindo na saúde da cútis”, afirma.

486339964

Realizar vários procedimentos químicos de uma vez
Coloração, permanentes e relaxamento são procedimentos químicos que penetram profundamente na fibra capilar, alterando sua estrutura interna. “Para evitar danos, o indicado é esperar pelo menos duas semanas entre os procedimentos e fazer grandes mudanças de forma mais gradativa”, diz. Quando se trata de pintar os cabelos, o expert destaca que a melhor saída é optar por uma transformação gradual e utilizar shampoos específicos para cabelos coloridos. “Hidratar os fios pelo menos uma vez por semana também é fundamental para madeixas com qualquer tipo de química”, aconselha.

Dormir de cabelo molhado
Ao dormir de cabelo úmido ou molhado, deixamos o ambiente perfeito para a proliferação de bactérias, que precisam de calor e umidade. “O travesseiro prolonga o tempo de secagem dos fios e dificulta a dissipação do calor, criando um ambiente úmido e abafado. Para tentar controlar esse crescimento excessivo dos fungos, o organismo mobiliza suas células de defesa gerando inflamação. O quadro inflamatório que se desenvolve, chamado dermatite seborreica, é o responsável por sintomas como coceira, dor, caspa e queda de cabelo”, esclarece.

Usar condicionador no couro cabeludo
O erro é comum principalmente em quem tem cabelo mais curto. O produto deve ser aplicado somente no comprimento e pontas, evitando os excessos. A raiz do cabelo já é naturalmente hidratada, pois recebe oleosidade de forma natural. “O pior erro é aplicar condicionador diretamente no couro cabeludo. Essa prática pode causar problemas como oleosidade excessiva e obstrução dos poros, podendo levar até à queda dos fios”, alerta.

Veja abaixo produtos da Mahogany essenciais na rotina de cuidado com os fios:

Tônico Antiqueda Enerfol Vital Dermo 120 ml – R$ 125,00

Enerfol é o tônico antiqueda da Mahogany, um produto tecnológico especialmente formulado com ativos modernos que auxiliam no fortalecimento da estrutura do cabelo. Melhora a densidade capilar (número de fios por cm²), estimula o crescimento de novos fios, retarda o envelhecimento do folículo e ativa a microcirculação das células do bulbo capilar. Com eficácia comprovada*, é um tratamento cosmético para a queda da raiz até a pontas.

Máscara Repair Recuperação e Hidratação 300 g – R$ 99,90

Os tratamentos mais intensos exigem uma ação de reparação constante. A Máscara Repair trata os danos mais profundos reestruturando intensivamente as fibras capilares, através da penetração de ativos diretamente na cutícula do fio, restaurando desde o córtex capilar, até a camada mais externa, ao mesmo tempo, forma um filme que protege sua superfície. Fórmula rica em ingredientes de alto poder de hidratação e reparo, atua na reposição da massa capilar, fortalece e aumenta a resistência do fio, prevenindo a quebra e a formação de pontas duplas. Protege o cabelo contra danos térmicos, químicos, ambientais e mecânicos. Ação antipoluição que evita a deposição de resíduos ambientais nos fios, tornando-os mais luminosos. Mantém e realça a cor. Indicada para todos os tipos de cabelos principalmente cabelos com danos profundos. Recomendamos o uso por aproximadamente 2 ou 3 vezes na semana.

Fonte: Mahogany

Câncer de pele pode atingir couro cabeludo: saiba identificar e evitar que doença passe despercebida

Região que muitas vezes é ignorada também precisa de cuidados específicos. Especialista reforça importância do autoexame e sinais para ficar de olho

Câncer de pele é assunto sério e manchas, pintas ou feridas não devem ser ignoradas, principalmente se surgirem no couro cabeludo, local que muitas vezes pode acabar passando despercebido. No verão, esse cuidado deve ser redobrado, por isso, o Dezembro Laranja reforça a importância de olhar mais a fundo para o tema.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), é estimado que haja 185 mil novos casos de câncer de pele a cada ano, representando cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados. Uma das principais causas da doença é a exposição prolongada sem proteção aos raios solares, o que além de provocar o envelhecimento precoce da pele, aumenta em até 10x o risco de câncer.

Dentre os casos, o câncer de pele não melanoma é o tipo mais comum. A boa notícia é que quando descoberto precocemente, as chances de tratamento e cura da doença aumentam significativamente. Segundo a Dra. Sheila Ferreira, oncologista da Oncoclínicas São Paulo, é muito importante investigar as manchas que aparecem no couro cabeludo.

“Uma das maneiras de identificar o câncer de pele no couro cabeludo é a partir do autoexame e da avaliação do dermatologista na dúvida se uma lesão pode ser câncer. Apesar de muitas vezes ser uma região deixada de lado, é fundamental estar atento aos sinais do próprio corpo. As manchas, pintas ou feridas podem aparecer de tamanhos e formas diferentes e, por isso, devem ser investigadas por um especialista”, explica.

Cuidados que valem ouro

Apesar dos cabelos oferecerem uma certa proteção ao couro cabeludo contra os raios ultravioletas, a oncologista recomenda o uso de bonés ou chapéus durante a exposição solar. “É muito importante ainda não esquecer de proteger as orelhas. Para isso, deve-se usar protetor solar na região e reaplicar a cada duas horas ou após o mergulho e atividades ao ar livre”.

No couro cabeludo, a recomendação é que em pessoas com cabelos ralos ou calvície o protetor também seja passado na região. Uma alternativa são os produtos mais fluidos, justamente por espalharem melhor. “O filtro solar deve ser aplicado, pelo menos, 30 minutos antes da exposição ao sol. Além disso, é importante que o FPS seja de 30 para cima. Usar o produto em pouca quantidade ou vencido prejudica a eficácia da proteção”, alerta.

Pintas, manchas e feridas não devem ser ignoradas

Segundo Sheila Ferreira, a doença pode começar com uma pequena mancha ou ferida no couro cabeludo que, conforme o tempo, vai aumentando de tamanho e sofrendo alterações em sua cor, por exemplo. Essas mudanças podem ser identificadas a partir da regra “ABCDE” – Assimetria, Bordas irregulares, Cor, Diâmetro e Evolução.

=Assimetria: quando metade da lesão é diferente da outra parte
=Bordas: se a pinta, sinal ou mancha apresenta um contorno irregular
=Cor: quando a lesão possui cores diferentes, podendo ser entre vermelho, marrom e preto
=Diâmetro: caso a lesão apresente um diâmetro maior do que 6 mm
=Evolução: mudanças nas características da lesão ao longo do tempo (tamanho, forma, cor)

Como fazer o autoexame

Nem sempre a detecção do câncer de pele no couro cabeludo é fácil, afinal, é uma região de difícil acesso. Apesar de poder ser feita individualmente, a dica é pedir ajuda para outra pessoa. A oncologista recomenda a inspeção uma vez ao mês, em ambiente bem iluminado. É fundamental passar os dedos por todo o couro cabeludo e abrir os cabelos para observar o local.

“De preferência, essa análise deve ser feita de dia, com luz natural, para uma melhor visibilidade da região. Porém, se algo diferente for encontrado ou houver dúvidas, é importante que o paciente procure um especialista para a investigação adequada”.

Sintomas para ficar de olho

=Lesões com crescimento rápido
=Feridas que não cicatrizam e que podem estar associadas a sangramentos, coceira e dor
=Lesões que mudam de cor, tamanho e formato
=Manchas avermelhadas ou acastanhadas

Câncer de pele também pode atingir outros órgãos

Quando a doença não é tratada em estágio inicial, as células cancerígenas podem se espalhar pela corrente sanguínea ou pelo sistema linfático, acometendo outras regiões do corpo e levando ao surgimento de metástases. Por isso, assim que a lesão é identificada em sua forma primária, é muito importante que seja retirada, evitando o crescimento, sangramento e piora do quadro.

Na grande maioria dos casos, o tratamento é realizado a partir de cirurgia, mas também pode ser combinado com radioterapia, imunoterapia e terapia alvo. “As chances de cura podem chegar a 90% quando o câncer é identificado precocemente. Por isso, é essencial a realização do autoexame mensalmente e o acompanhamento periódico com dermatologista, além da avaliação especializada caso haja uma lesão suspeita no couro cabeludo”, conclui.

Na grande maioria dos casos, o tratamento é realizado a partir de cirurgia, mas também pode ser combinado com radioterapia, imunoterapia e terapia alvo. “As chances de cura podem chegar a 90% quando o câncer é identificado precocemente. Por isso, é essencial a realização do autoexame mensalmente e o acompanhamento periódico com dermatologista, além da avaliação especializada caso haja uma lesão suspeita no couro cabeludo”, conclui.

Fonte: Oncoclínicas