Arquivo da tag: creme dental

Use Orgânico lança o Creme Dental Natural e Vegano de Menta e Melaleuca

Após um ano de pesquisas e desenvolvimento do produto, a marca inova no mercado trazendo um creme dental com sabor agradável, não nocivo à natureza e benéfico para a saúde bucal

A Use Orgânico, loja física e virtual especializada em cosméticos naturais, orgânicos e veganos, visando ampliar sua atuação e fomentar o segmento, inova mais uma vez e lança no mercado o Creme Dental Natural e Vegano de Menta e Melaleuca.

Após mais de um ano de pesquisa, a Use traz seu produto sem flúor, parabenos, triclosan, corantes e aromas artificiais, e com xilitol, que auxilia na prevenção de cáries e óleos puros de menta, eucalipto, melaleuca orgânica e coco orgânico, antibacterianos naturais que também promovem sabor e refrescância ao hálito, além de cuidar da saúde das gengivas.

Outro ponto favorável do lançamento é o fato de ser vegano e não testado em animais; sua embalagem é ‘verde’ e faz parte do programa Eu Reciclo, que tem como base o modelo de compensação ambiental como solução para a logística reversa de embalagens. Oriundos da cana-de-açúcar, uma fonte renovável, os tubos têm o selo “I’m green (Bio-based)”.

“Nossa embalagem verde foi mais uma das preocupações da Use Orgânico em oferecer um conjunto de melhores escolhas, em um único produto. O novo Creme Dental Natural da Use Orgânico é consciente!”, afirma José Youssef, CEO da Use Orgânico.

Disponível tanto no e-commerce da marca, como na loja física de São Paulo, a fórmula do Creme Dental Natural e Vegano de Menta e Melaleuca é composta por óleo de tea tree orgânico, óleo de coco orgânico, água, sorbitol, dióxido de silício, carbonato de cálcio, lauril sulfato de sódio, xilitol, goma xantana, óleo de folha de menta arvensis, gliceril caprilate, óleo da folha de eucalipto glóbulos, óleo de coco (orgânico), glicerol, menthol, sucralose, ácido caprilhidroxâmico, óleo da folha de melaleuca alternifolia (orgânica).

Em 2020, a Use Orgânico cresceu 170% e em 2022 pretende expandir mais 72%, portanto o lançamento do creme dental é fundamental para essa estratégia. “Buscamos desenvolver um creme dental com sabor agradável, não nocivo à natureza e benéfico para a saúde bucal, e conseguimos. Estamos muito otimistas em entrar no segmento de saúde bucal”, finaliza José Youssef, CEO da Use Orgânico.

Informações: Use Orgânico

Conheça os riscos das pastas de dente de carvão ativado

As pastas de dentes de carvão ativado se tornaram uma grande tendência e vêm sendo muito utilizadas como uma maneira mais rápida e fácil de clarear os dentes. Porém, estudos indicam que é desaconselhável a sua utilização. Cientistas concluíram que não existem benefícios comprovados para as pastas de dentes a base de carvão ativado. O marketing criado, é que elas têm efeito clareador e são antibacterianas, mas as pesquisas se contrapõem a isso, mostrando que podem aumentar o risco de cáries e manchas nos dentes.

A dentista e especialista Karin Stamer, da clínica odontológica Eclinic Odontologia, esclarece de vez essas dúvidas: “Dentre 50 pastas de dente de carvão ativado, as pesquisas revelam que apenas 8% contêm flúor. Isso mostra que oferecem uma proteção mínima e limitada contra cáries. Além de não apresentarem propriedades clareadoras e antibacterianas, há um risco extra. Pastas de dente de carvão ativado são abrasivas, isso pode trazer desgastes para o esmalte dentário, gerar recuo das gengivas e provocar sensibilidade dental”.

O uso de carvão para limpar os dentes não é um conceito novo, foram os antigos gregos que o usaram pela primeira vez para remover manchas dos dentes e disfarçar odores de gengivas não saudáveis. Entretanto, o que se sabe atualmente, e que resume mais de 15 estudos, é que essa prática não é eficaz e nem saudável.

Karin comenta que as pesquisas mostram que as pastas dentais à base de carvão vegetal podem trazer prejuízo à saúde bucal, especialmente pelo fato de não conter ingredientes essenciais à proteção contra as cáries. Um creme dental deve conter entre 1.350 a 1.500 ppm de flúor para proteger os dentes contra as cáries, e muitas das pastas à base de carvão não contém flúor nesse nível. Dessa forma os usuários estão mais expostos aos riscos de desenvolvimento de cáries.

“Quando usados com muita frequência, em pessoas com restaurações por exemplo, o carvão da pasta pode acabar aderindo e pigmentando essas restaurações as deixando escuras” , ressalta. “As partículas de carvão também podem ficar presas na gengiva, deixando-a irritada e até mesmo causando piores problemas” completa a dentista.

É de extrema importância que os consumidores verifiquem os ingredientes nas embalagens das pastas dentais de carvão se optarem por usá-las. “É fundamental e imprescindível que ao menos elas incluam flúor, cálcio e fosfato para o fortalecimento e a proteção do esmalte e da saúde dos dentes” argumenta Karin.

Ela alerta que essas pastas não são a solução para quem busca um sorriso perfeito, os riscos que apresentam são muito maiores. Uma pessoa preocupada com manchas ou dentes amarelados, deve consultar um dentista especialista e capacitado em resolver concretamente e de forma segura esse problema.

Fonte: Karin Stamer é ortodontista e especialista em harmonização orofacial. Graduada em Odontologia pela Universidade Paulista – Unip. Especialista em Ortodontia e Ortopedia Facial pela Universidade Paulista – Unip e Odontopediatria pela Abeno- Associação Brasileira de Ensino Odontológico. Residência em Ortodontia pela Michigan University, Ann Arbor e Pós-graduada em Harmonização Orofacial HOF com aperfeiçoamento pela Harvard University, Cambridge Massachusetts.

Mitos & verdades sobre a escovação dental

Consultora da GUM esclarece quais são os cuidados necessários para uma higiene bucal adequada

Ao longo da vida, ouvimos várias dicas sobre como manter o sorriso sempre saudável. Dizem que se deve escovar os dentes logo após as refeições, que o café pode escurecer os dentes, que a troca da escova dental deve ser recorrente, entre outras indicações. Mas será que de fato todas elas são verdadeiras?

Abaixo, a consultora da GUM, Sara Paz, analisa as dúvidas mais frequentes quando o assunto é higiene bucal e revela quais afirmações são verdade e quais não passam de um mito. Confira:

A troca de escovas deve ser frequente:

Verdade. Com o tempo, as cerdas vão perdendo sua eficácia, necessitando de mais força na hora da escovação. Sara Paz recomenda que a troca do utensílio seja realizada a cada três meses. “A troca frequente da escova evita que sua dentição e gengiva sejam prejudicadas”, afirma.

Cerdas duras limpam melhor:

Foto: Pixabay

Mito. Escovas com as cerdas duras podem causar desgaste da superfície dental. “O ideal é que é que ela possua cerdas macias, que se adaptam às diferentes áreas da cavidade oral”, explica a consultora.

É preciso usar grande quantidade de creme dental:

Foto: Bruno/Germany-Pixabay

Mito. As grandes responsáveis pela limpeza são as escovas de dentes. O excesso de creme dental pode ser considerado um desperdício, pois gera a necessidade de se livrar mais rápido do produto. A consultora ressalta que a quantidade de pasta ideal é correspondente a um grão de ervilha.

É preciso escovar os dentes imediatamente após as refeições:

Foto: StayAtHomeMum

Mito. A higienização é realmente necessária depois das principais refeições, mas é recomendado que se espere ao menos 30 minutos após o consumo de alimentos. “Esse tempo é necessário para que a saliva cumpra seu papel e neutralize o pH de alimentos e bebidas”.

Enxaguantes bucais previnem a escovação:

Mito. Os enxaguantes bucais devem ser utilizados como um complemento da rotina de higiene bucal, sem o auxílio da escovação e do fio dental seu uso praticamente não tem utilidade. “Quando utilizados como auxiliares, promovem a redução de placa bacteriana, mau hálito e gengivite”, informa.

A higienização noturna é mais importante:

Foto: JanFidler/Morguefile

Verdade. O fluxo de saliva é menor durante a noite, deixando os dentes mais vulneráveis. Dessa forma, a umidade na cavidade oral, somada a pouca movimentação, colabora para a proliferação de bactérias presentes na boca. A consultora chama atenção para a importância do uso de creme dental com flúor na última escovação do dia. “Ele é o responsável repor todos os minerais perdidos durante o dia”.

Excesso de escovação prejudica a dentição:

Foto: J. Durham

Verdade. O excesso de escovação de escovação pode desgastar o esmalte do dente e encolher a gengiva. Sara orienta que escovar a cavidade oral três vezes ao dia é ideal. “Escovar após as principais refeições e antes de dormir é mais do que suficiente para uma boa higiene bucal”, garante.

Café escurece os dentes:

Verdade. Bebidas e alimentos com muito corante podem manchar os dentes por conta da porosidade do esmalte dentário. De acordo com a consultora da GUM, bebidas como café, chá, vinhos e refrigerantes e alimentos como açaí e ketchup devem ser consumidos de forma moderada.

Chiclete sem açúcar auxilia contra cáries:

Foto: Isilaltay

Mito. “Apesar de não causarem cáries, chicletes sem açúcar não as previnem. Eles não substituem a limpeza realizada por meio da escovação, uso do fio dental e enxaguante bucal, que são a melhor forma de garantir um sorriso saudável”, aponta.

Fonte: GUM

Mitos e verdades sobre clareamento dental

Apesar do aumento da procura, ainda existem muitas dúvidas sobre este procedimento estético

A busca pelo sorriso perfeito aumenta cada vez mais a procura pelo clareamento dental nos consultórios odontológicos. Apesar de não existirem estatísticas sobre o assunto, os cirurgiões dentistas afirmam que atualmente os pacientes não priorizam apenas a saúde bucal, mas buscam também procedimentos estéticos para garantir, por exemplo, dentes alinhados e brancos.

O método, no entanto, ainda gera algumas dúvidas, por isso o especialista em dentística restauradora, mestre em prótese dentária e membro da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética, Ricardo Luiz Annibelli, esclarece o que é mito e o que é verdade, quando se fala em clarear os dentes. Confira:

Qualquer pessoa pode fazer clareamento.

275522_577052_look_1_gravidas_web_

Mito: o tratamento é contraindicado para pacientes gestantes, lactantes ou menores de 15 anos. Também deve ser evitado em pacientes com patologias periodontais (doenças na gengiva), com rizogênese incompleta (a raiz do dente permanente não completou sua formação) e pacientes com alergia aos peróxidos de carbamida e de hidrogênio, que são substâncias químicas presentes nos produtos utilizados para clarear os dentes.

O clareamento dental é apenas uma questão de estética.

sorriso boca dentes perfeitos

Mito: na maioria dos casos, sim. Porém, existem situações em que o procedimento é indicado para garantir um melhor resultado no tratamento dentário no que se refere ao aspecto visual dos dentes. Por exemplo, quando colocamos uma coroa com pino de metal no paciente. Essa peça contém substratos muito escuros e para minimizá-los, usamos zircônia. Com isso, recorremos ao clareamento dos outros dentes para que essa diferença na luminosidade passe despercebida.

Os dentes ficam mais sensíveis após o clareamento.

dor de dente

Mito: isso acontece apenas se o protocolo de dessensibilização, com o uso de nitrato de potássio e Glu-hema, não for realizado antes do procedimento. Isso é fundamental para fechar os canalículos dentinários e as trincas.

Existem alimentos que devem ser evitados para não escurecer os dentes.

café jurerer2

Verdade: todos os alimentos e bebidas com corantes devem ser evitados ou ter consumo reduzido, após o clareamento dental, para não prejudicar o resultado e prolongar o efeito do tratamento. Entre eles, estão o café, vinho tinto, chás em geral, refrigerantes, sucos industrializados e alimentos com condimentos pigmentantes.

Clareamento dental pode ser feito em uma única sessão.

dia do dentista mulher

Mito: quando feito no consultório, os resultados já começam a aparecer em uma única sessão, diferente do clareamento caseiro que necessita de uso do kit clareador. Depois de fazer o protocolo de dessensibilização dos dentes, o dentista aplica um gel clareador, com intervalo de sete dias entre uma sessão e outra. Em média, são realizadas duas sessões.

Clareamento caseiro tem o mesmo resultado do que realizado no consultório.

clareamento dentario dentes

Parcialmente verdade – “Na minha opinião, o melhor método é o tratamento combinado, no qual o paciente recebe uma sessão de clareamento no consultório, sob o acompanhamento do cirurgião dentista. Paralelamente a isso, ele recebe uma moldeira pré-fabricada para fazer a aplicação caseira por duas horas de gel de peróxido de hidrogênio. Feito isso, após sete dias, retorna ao consultório quando será reavaliado para ver se há necessidade de repetir o procedimento”, aponta Annibelli.

Os cremes dentais que prometem clareamento podem prejudicar o esmalte dos dentes.

dentes

Verdade: os produtos disponíveis hoje no mercado contêm bicarbonato de sódio ou partículas abrasivas que desgastam a superfície do esmalte, por isso clareiam, então é necessário estar atento às fórmulas. A ação de clareamento é bem pequena. A indústria prevê lançamentos que prometem um bom clareamento. Vamos aguardar para ver essas novidades.

Fonte: Dental Cremer

Black is White: creme dental de cor preta auxilia o clareamento dos dentes

Sem espuma, o creme dental tem baixa abrasividade

Produzido na Suíça, Black is White, da Curaprox, promove uma escovação diferente, a começar pela cor preta do creme dental sobre os dentes. O produto sensação no mercado europeu é Black (preto) por causa da cor do creme dental, que possui o carbono como ingrediente ativo, e White (branco), devido à função clareadora. Ele auxilia na remoção das manchas sem danificar o esmalte dos dentes.

275998_578313_blackiswhite_zahnbu_erste_m_zahpaste_web_

Mas, além disso, trata-se de um produto cosmético mais natural, que conta com enzimas que ajudam nas funções da saliva. Hugo Lewgoy, cirurgião-dentista e doutor pela USP, explica que a saliva possui um papel importante em relação à proteção da boca contra as bactérias e doenças orais.

O creme clareador também não tem o produto químico SLS (Sodium Laryl Sulphate), no caso, um tipo de detergente que provoca espuma e ainda conta com baixa abrasividade. “A remoção da placa bacteriana deve ser executada pelas cerdas da escova e não as custas da abrasividade dos cremes dentais. O excesso de abrasividade pode contribuir para o desgaste do esmalte e retração da gengiva. Quando a escova é eficaz, indicamos o uso de cremes dentais menos abrasivos”, afirma o cirurgião-dentista.

Black is White pode ser usado, normalmente, todos os dias como creme dental na rotina de higienização dos dentes e tem como função principal a manutenção do clareamento profissional realizado no consultório odontológico pelo cirurgião-dentista. O produto está disponível em embalagens com duas opções em cores: branco e preto.

275998_578312_blackiswhite_zahnpaste_m_zahnbu_erste_web_

Informações: Curaprox

Cremes dentais suíços Enzycal chegam ao Brasil

Não são abrasivos e não possuem Sodium Lauryl Sulfate (detergente) que pode irritar os tecidos da boca. Além disso, têm um sistema que estimula a ação natural anticárie.

Pasta de dente não é sabonete. “A grande maioria dos produtos disponíveis no mercado contém SLS (Sodium Lauryl Sulfate), que é um surfactante (um tipo de detergente). Este produto é utilizado para promover a formação de espuma e proporcionar um efeito de frescor residual. Porém, este produto pode irritar as mucosas orais, causar a formação de aftas e outros problemas na boca”, alerta o Cirurgião-dentista, Mestre e Doutor em Odontologia pela USP, Hugo Lewgoy.

Os fabricantes de produtos para higiene oral, sobretudo na comunidade europeia, estão investindo em cremes dentais menos abrasivos e sem elementos químicos que possam agredir a cavidade oral, como o SLS, que é um produto bastante comum em quase todos os dentifrícios disponíveis no mercado nacional.

Sem muita opção, o brasileiro utiliza o chamado produto padrão, quer dizer, a família toda utiliza o mesmo creme dental. Mas, o consumidor já tem à disposição a linha de cremes dentais Enzycal, importada pela Curaden, empresa que também trouxe para o Brasil a consagrada escova Suíça Curaprox de 5460 cerdas. De acordo com a empresa, há três diferentes apresentações dos cremes dentais Enzycal (1450, 950 e Zero), que podem se adequar a situações específicas de acordo com as necessidades individuais de cada pessoa ou faixa etária. Estes números indicam a concentração de Flúor dos produtos, ou seja, concentração convencional de Flúor (Enzycal 1450 ppm), baixa concentração de Flúor (950 ppm) e ausência de Flúor (Enzycal Zero). Todas as versões possuem um sabor neutro e suave.

“A indicação principal, continua recaindo sobre o creme dental Enzycal com 1450 ppm (partes por milhão) de Flúor. Este produto alia os benefícios do Flúor (que aumenta a resistência do esmalte dental contra a dissolução), com um sistema de enzimas lácteas (Lactoperoxidase), que ajuda a prevenção das doenças orais. É uma forma mais natural de proteção dos dentes e gengivas, pois a proteção se dá através da potencialização da ação protetora da própria saliva. As apresentações com 950 ppm de Flúor e principalmente a Zero, só devem ser utilizadas com recomendação profissional”, reforça o Dr. Lewgoy.

Os cremes dentais Enzycal possuem uma baixa abrasividade, o que previne a abrasão dos dentes (desgaste) e a recessão gengival (retração) no longo prazo. Eles são produtos inovadores e que refletem o que existe de mais moderno e sofisticado para auxiliar a escovação.  “Podem ser utilizados sem a necessidade de enxágue da boca após a escovação, porém, devem ser utilizados sempre em pequena quantidade. Como são produtos com menos aditivos químicos, apesar de não recomendarmos a sua ingestão de forma proposital, não existe problema se apenas expelirmos o excesso e não efetuarmos um bochecho final com água. Assim, o mecanismo da Lactoperoxidase continua agindo por mais tempo. Porém, caso se prefira remover qualquer resíduo do dentifrício, não existe problema em se lavar a boca ao término da escovação, a única consequência é que o efeito protetor vai demorar um pouco mais para se instalar”, observa Erik Vidal, diretor  comercial da empresa.

261341_531523_pasta1450

*Creme Dental Enzycal (1450 ppm de Flúor): É um produto com concentração convencional de Flúor, indicado para crianças e adultos ou por recomendação do cirurgião-dentista. Sua formulação não contém SLS (Sodium Lauryl Sulfate) e óleos essenciais.
*Creme Dental Enzycal (950 ppm de Flúor): É um produto com baixa concentração de Flúor. Pode ser indicado para crianças e adultos, quando existir esta recomendação por parte do cirurgião-dentista. A formulação não contém SLS (Sodium Lauryl Sulfate) e óleos essenciais.
*Creme Dental Enzycal Zero: É um produto sem Flúor, indicado para casos específicos onde exista a indicação de um cirurgião-dentista como, por exemplo, crianças menores de seis anos, pessoas que possuem alguma alergia ao Flúor e para as pessoas que não possuem mais dentes naturais e/ou utilizem uma prótese implanto-suportada. A formulação não contém SLS (Sodium Lauryl Sulfate) e óleos essenciais.

Preço sugerido: R$ 34,90

Informações: Curaprox