Arquivo da tag: crianças

Gostosuras ou cáries? Dentista dá dicas para aproveitar o Halloween sem ter que escolher

É possível se deliciar com as guloseimas e ainda assim ter os dentes saudáveis

O Halloween está chegando e com ele abóboras, caveirinhas e sacolinhas recheadas, para desespero dos pais, também prometem ‘invadir’ a rotina da criançada nos próximos dias. É fato que doces não combinam com dentes saudáveis, mas é possível abrir uma exceção e curtir a festa sem preocupações com o sorriso.

“Não podemos descuidar da saúde bucal, mas os doces não precisam ser os vilões do Halloween. É possível aproveitar a festa, se divertir e ainda continuar com o sorriso saudável. Se a criança tem uma boa rotina de escovação e vai ao dentista regularmente não há problema em comer alguns docinhos nesta época”, conta Carla Sarni, CEO da Sorridents.

Para não ter problemas pós-Halloween, Carla separou algumas dicas:
-Escovar bem os dentes sempre que consumir os doces
-Não esquecer de passar o fio dental
-Não ingerir todos em um só dia, o ideal é porcioná-los para que sejam consumidos aos poucos
-Dividir com outras crianças e até mesmo com os adultos de casa ou parentes

Já para o dia a dia, com ou sem Halloween, a profissional ressalta a importância de:
-Não esquecer de agendar consultas de rotina a cada 6 meses para cuidar do sorriso das crianças
-Reforçar a importância de escovar ao menos 3 vezes ao dia e passar fio dental
-Não liberar açúcar todos os dias

Vale destacar que o açúcar presente na maioria dessas guloseimas oferecidas na caça aos doces é maléfico para todo o organismo, pois contribui com a obesidade e com outros problemas de saúde quando consumidos em abundância, por isso, é muito importante que os pais e responsáveis se atentem à quantidade de açúcar ingerida diariamente. Não só nos doces, mas também os açúcares disfarçados em outros alimentos, tais como iogurtes, condimentos (mostarda, molhos, catchup), biscoitos, entre outros.

“Para quem vai montar as sacolinhas, uma boa ideia é optar por dar doces mais saudáveis e sem açúcar, por exemplo. Hoje em dia é possível encontrar opções semelhantes aos tradicionais que não perdem em nada no sabor. Entretanto, mesmo assim, ainda é preciso escovar os dentes e não consumi-los em excesso”, finaliza a dentista.

Fonte: Sorridents

Dia das Crianças: relação de amizade entre os pequenos e os pets só traz benefícios

Médica veterinária da Fórmula Animal preparou um guia com as dez principais questões sobre o tema

É cada vez mais comum ver perfis nas redes sociais repletos de fotos que registram momentos de interação entre pets e crianças. E, por trás da ternura e humor que essas imagens retratam, está uma relação repleta de pontos positivos para os pequenos. De acordo com Gisele Starosky, médica veterinária da Fórmula Animal ― rede de franquias de farmácia de manipulação veterinária, que produz medicamentos e produtos voltados à saúde animal de forma personalizada ― cuidar de um animal auxilia em um estilo de vida mais ativo, já que incentiva a criança a realizar brincadeiras com o animal, o que resulta em uma melhor interação social, além de estimular exercícios físicos.

“O convívio com animais de estimação também ajuda a criança a desenvolver responsabilidades, pois o cuidado com o pet é um compromisso diário. Outros pontos benéficos dessa relação é que ter um animalzinho em casa é associado a uma menor probabilidade de ansiedade na infância e um sistema imunológico mais forte”, explica Gisele.

Mas, mesmo diante dos benefícios, ainda há famílias com crianças que acabam hesitando em ter um bichinho, enquanto outras, que já possuem pets, ficam com receio que o animal se sinta deixado de lado com a chegada de um bebê. Assim, com o intuito de ressaltar que com alguns cuidados simples, é possível não só manter uma convivência harmônica entre crianças e pets, como fazer que essa relação se torne uma memória afetiva na vida adulta, a médica veterinária da Fórmula Animal listou as dez principais dúvidas sobre o tema. Confira:

1-Existe algum cuidado especial com a saúde do pet para que ele possa conviver com bebês e crianças?
É importante manter as visitas periódicas ao veterinário para que seja realizado o controle preventivo de doenças, através de vacinas e vermífugos, por exemplo. Além disso, é preciso ficar atento à higiene do animal, mantendo uma frequência adequada de banhos e mantendo as unhas cortadas, para evitar acidentes.

2-Com a chegada de um bebê, o bichinho precisa ser colocado em algum cômodo específico da casa ou levado para a casa de algum parente?
O contato entre animais e crianças é muito importante para o desenvolvimento e, até mesmo, para a saúde dos pequenos. Porém, as crianças, principalmente nos primeiros meses de vida, demandam muito cuidado e, consequentemente, maior atenção dos pais. Assim, para que a convivência entre crianças e pets se torne confortável para todos, é fundamental garantir que o bichinho se torne mais independente e confiante. Uma forma de contribuir para isso é investir em adestramento e enriquecimento ambiental, para que o animal se distraia quando o tutor não puder dar total atenção.

3-Como apresentar o bebê ao pet?
Nos casos em que o pet chega depois do bebê, é importante, primeiramente, socializar o animal, para que ele se acostume com o ambiente e para que o tutor observe o seu comportamento e, somente após isso, apresentar a criança a ele. Quando é o bebê que chega depois, é importante permitir que o pet se aproxime primeiro da criança, sinta seu cheiro e se familiarize. Lembrando que essa interação depende do temperamento do animal, em animais ansiosos ou hiperativos, vale a pena realizar adestramento antes dessa apresentação inicial.

Foto: MyZCapital

4-Famílias com crianças que tomam a decisão de adotar um pet, devem atentar-se a quais pontos antes de tomar a decisão?
É importante que os pais se atentem que os animais também exigem muitos cuidados como consultas periódicas no veterinário, vacinação, cuidados com higiene e interação social, entre outros. Todas essas questões devem ser levantadas antes de trazer um pet para a família.

5-Existe alguma forma de escolher o “pet ideal” para a família?
Antes da chegada de um animal na família, é extremamente importante avaliar o espaço físico que ele terá, assim os tutores conseguirão avaliar se o porte do animal que está chegando será compatível com o espaço fornecido. Além disso, é necessário avaliar como o animal adotado se comporta com crianças, com outros animais, com carinhos e a interação com outras pessoas.

6-Crianças que convivem com animais precisam de cuidados extra em relação à higiene?
Os cuidados são os mesmos de higiene diária geral. É importante incentivar a criança a lavar as mãos após brincadeiras com os pets, principalmente antes das refeições, e evitar que os animais deem “lambeijos” muito próximos à boca. Lembrando que é importante, da mesma forma, manter a higiene do animal em dia, com banhos regulares e escovação dos pelos, bem como a administração de vermífugos, vacinas e outros tratamentos preventivos.

7-Os gatos podem fazer com que bebês e crianças desenvolvam asma?
Gatos normalmente perdem muitos pelos ao longo do dia e é possível que a pessoa tenha crises alérgicas ao inalá-los ― assim como qualquer outro tipo de sujidade ou poeira. Dessa forma, os gatos não podem ser os culpados pelo desenvolvimento das crises asmáticas. É necessário que o local seja limpo e aspirado frequentemente, além de manter a escovação dos bichinhos em dia, a fim de reduzir os pelos que caem no ambiente. É importante frisar que alguns estudos já demonstraram que o convívio com animais de estimação pode reduzir as chances de desenvolvimento da doença.

8 -O que fazer caso a criança apresente alergia ao pet? Há formas de amenizar o problema?
De forma geral, é importante somente manter o ambiente sempre limpo e arejado para evitar a inalação dos pelos e, consequentemente, reduzir as crises alérgicas. Além disso, é preciso escovar a pelagem do animal sempre que possível.

9-Cães grandes e de raças classificadas como “bravas”, a exemplo do Pit bull e do Rottweiler, podem conviver com crianças?
Animais de porte grande, apesar de terem fama de agressivos, são animais muito carinhosos e sociáveis. É importante frisar que o comportamento do animal é muito relacionado com a forma em que é criado, ou seja, se o animal crescer em um ambiente amável e carinhoso, muito provavelmente se tornará um animal dócil. Porém, é importante também lembrar que às vezes animais maiores e mais fortes podem perder a noção da própria força e acabar machucando sem querer. Portanto, brincadeiras com crianças muito pequenas devem ser sempre acompanhadas de um adulto.

10-O que os pais podem fazer para evitar que as crianças acabem machucando os bichinhos na hora da brincadeira?
É importante sempre conversar com as crianças e explicar que os animais não são brinquedos e que devem ser sempre respeitados. Além disso, a criança deve saber dosar a força ao fazer carinho, por exemplo, sempre entendendo os cuidados que deve ter com o animal. Uma dica é incentivar a criança a interagir com o bichinho dando comida, água e banho, para que ela entenda a importância do cuidado com o pet.

Fonte: Fórmula Animal

Ninho lança primeiro leite em pó sem lactose do mercado

“A diferença vem de quem cuida bem” reforça a importância da atenção com a nutrição de crianças com intolerância à lactose e estará disponível até outubro em marketplaces e redes sociais

Em atenção aos pequenos com intolerância à lactose, Ninho apresenta uma nova campanha ao público do estado de São Paulo. “A diferença vem de quem cuida bem” reforça o cuidado dos pais com crianças intolerantes à lactose, açúcar natural encontrado no leite e conscientiza sobre a importância de uma alimentação nutritiva e balanceada. Com a veiculação em redes sociais e parceiros de venda on-line – como o Empório Nestlé e Amazon, a campanha possui como porta-voz Bella Falconi, uma nutricionista e influenciadora com uma filha intolerante à lactose.

Produzida pelo Facebook com parceria da Genero e identidade visual da Publicis, a campanha conta com conteúdo da Bella Falconi e Ninho para o Instagram, com temas sobre os cuidados para uma nutrição saudável, saborosa e segura. Por isso, a influenciadora apresenta Ninho® Zero Lactose como uma solução para a condição de intolerância e com todo o sabor de Ninho® e um apoio para trazer mais nutrientes, como ferro e cálcio, na alimentação das crianças.

“A campanha ‘A diferença que vem de quem cuida bem’ traduz a especialização de Ninho® para entregar a melhor nutrição para diferentes necessidades das crianças brasileiras e, por meio de constantes estudos, buscamos oferecer a melhor qualidade em produtos, sendo que Ninho® Zero Lactose traz a fortificação Forti+ e todo o sabor de Ninho. Nossa intenção com a nova campanha é aumentar o conhecimento e acesso de uma solução nutritiva para pessoas intolerantes à lactose e se conectar com esse público”. diz Stephanie Arnesen, diretora de marketing de Ninho.

Ninho Zero Lactose é um produto sem glúten e fonte de nutrientes. Disponível para compra por meio dos portais do Empório Nestlé, Amazon e/ou Mercado Livre, participantes da campanha.

Dia das Crianças: deliciosa receita caseira de Petit Suisse para preparar com os pequenos

Dia das Crianças é tempo de alegria, celebração e curtição! Para tornar a data ainda mais especial, Mococa traz a incrível ideia para os pais e/ou cuidadores convidarem os pequenos a prepararem a saborosa receita caseira de Petit Suisse e proporcionar a diversão culinária.

Levar as crianças para a cozinha com a proposta de fazer uma sobremesa é a oportunidade perfeita de apresentar novos gostos, sabores e texturas. Além disso, é uma ótima forma de recreação para o dia que transborda alegria e doçura.

O preparo da receita leva dois grandes produtos da marca, leite condensado e creme de leite, e conta com a ajuda da Vaquinha Mococa em um divertido vídeo com o passo a passo dessa delícia. Assista aqui.

Avisa a criançada que o dia será doce e divertido. Confira como é fácil e rápido o modo de preparo:

Petit Suisse Caseiro

Ingredientes
1 caixinha de leite condensado Mococa
2 caixinhas de creme de leite Mococa
1 pacote de suco de morango em pó
1 pote de iogurte natural

Modo de preparo:
Bata todos os ingredientes no liquidificador, até virarem um creme homogêneo.
Leve a geladeira por 4 horas, e está pronto para servir.

Fonte: Mococa

Chegaram as máscaras da Galinhas Pintadinha

Galinha Pintadinha é a primeira marca infantil a lançar uma máscara descartável para crianças com produção nacional

Com o retorno gradual às aulas presenciais, as crianças precisam se adaptar ao uso da máscara por longos períodos nas escolas. Se unirmos proteção e eficácia ao personagem favorito dos pequenos, temos um produto para ajudar nos cuidados contra a contaminação por Covid-19. É exatamente assim que são as máscaras da Galinha Pintadinha produzidas pela SP Protection, diversão e cuidado garantidos.

A marca Galinha Pintadinha já está presente na vida das famílias brasileiras de diversas maneiras, com conteúdo na internet ou mesmo nos produtos licenciados. Como estamos passando pela pandemia e o uso de máscara é obrigatório, nada melhor que utilizar os vários modelos de máscaras da Popó que, por terem nas estampas nossos queridos personagens, prometem agradar aos pequenos.

É a primeira marca infantil a lançar uma coleção de máscaras descartáveis feitas totalmente no Brasil. Há vários modelos: a de tecido branco com a estampa da Popó; e a Galinha Pintadinha versão escolar, com mais cores e o mesmo conforto e proteção.

Há também as máscaras Galinha Pintadinha Mini, Pintinho Amarelinho Mini e Borboletinha Mini. Todas elas são cirúrgicas e têm proteção tripla camada com Índice de Eficiência de Filtração de Bactérias de até 98%, ou seja, elas são eficazes contra o vírus da Covid-19. As máscaras contêm clip nasal e três pregas horizontais, que as tornam práticas e confortáveis.

Além de proteger as crianças da Covid-19, as máscaras da Galinha Pintadinha protegem contra outros vírus e bactérias que ocasionam doenças, como amigdalite, pneumonia, sarampo e tuberculose.

É fundamental que as crianças utilizem máscaras, já que a pouca idade não as impede de transmitir ou receber o coronavírus. É essencial reforçar que se trata de um vírus que circula principalmente pelo ar. Então, com o uso da máscara, as chances de infecção e transmissão vão ser reduzidas. Na volta às aulas, vamos preservar nossos pequenos e suas famílias, estando em dia com os cuidados sanitários indicados pelas autoridades. Entretanto, não é porque o uso é obrigatório que a máscara tem que ser básicas, não é mesmo? Com as máscaras da Galinha Pintadinha, as crianças ficam protegidas e charmosas, pertinho dos personagens que elas adoram.

Rever os amigos, reencontrar professores e funcionários da escola, voltar a brincar pelo pátio, as crianças estavam esperando ansiosamente por tudo isso. Com máscaras feitas especialmente pensando nelas, elas estão prontas e mais seguras para o retorno ao convívio social, respeitando o distância.

Informações: Galinha Pintadinha

Novos roteiros na Cave do Sol, vinícola para adultos e crianças

Meditação, experiência kids com suco de uva e degustação com chocolate são as novidades que já estão em operação

Novidades não param de brotar no Vale dos Vinhedos. A Cave do Sol, mais nova vinícola do destino, inaugurada em setembro de 2020, acaba de lançar mais três roteiros para quem busca viver experiências únicas e seguras, que vão além de visitas guiadas e degustações orientadas. Pensadas para adultos e crianças, em grupos limitados, essas vivências contemplam yoga e meditação na cave, degustação de suco de uva para as crianças e uma degustação harmonizada com chocolate.

No espaço mais particular e restrito, a própria Cave do Sol, destino das degustações especiais e onde está a Enoteca da vinícola, acontece a ‘Saudação ao Sol’, uma aula de yoga e meditação para apenas seis pessoas, conduzida pelos instrutores Augusto e Manoela Schiavenin. Na Cave, o sol, imortalizado na arte de um mosaico multicolorido, ganha a luz natural do astro, faça chuva ou faça sol, iluminado naturalmente por uma cavidade idealizada pela família.

Ali, de forma inédita, os visitantes poderão relaxar para, posteriormente, visitar a vinícola e suas obras de arte, além de degustar espumantes e sucos de uva e saborear uma mesa de antepastos. Cada participante ganha uma taça de cristal personalizada.

Para quem aprecia chocolates, a Cave do Sol está oferecendo em qualquer dia da semana mediante agendamento prévio, a ‘Experiência Vinhos & Chocolates’. O roteiro inclui visita à vinícola e suas obras de arte, além da degustação de cinco estilos de chocolates com vinhos e espumantes. O participante ganha uma taça de cristal personalizada. Para crianças, a experiência é adaptada, substituindo os vinhos por três tipos de suco de uva.

Pensando nos ‘baixinhos’, a Cave do Sol criou uma experiência lúdica e saudável. Enquanto os pais fazem a visita pela vinícola, as crianças se divertem degustando três tipo de suco de uva puro, além de chocolates ou cookies infantis e de um kit pinturinha que acompanha o livreto Purinho, personagem do suco de uva. Como recordação, cada criança ganha um copo de suco de uva personalizado. É a ‘Experiência Kids Suco Puro’.

Para a diretora Cristiane Passarin, as novidades foram pensadas para contemplar toda a família. “O Sol é a nossa grande inspiração. A partir dele, criamos espaços como a própria Cave do Sol que reúnem uma energia mística que faz com que as pessoas queiram desfrutar deste ambiente. Ao mesmo tempo, recebemos famílias com crianças pequenas que podem se divertir com os nossos sucos sem adição de açúcar, água, conservantes, aromatizantes ou qualquer outro tipo de aditivo, somente uva”, destaca.

Novos Roteiros Cave do Sol

Saudação ao Sol (Adultos)
O quê? Aula de yoga e meditação, visita à vinícola e suas obras de artes, degustação de espumantes e sucos de uvas e uma mesa de antepastos. Uma taça de cristal personalizada por participante.
Quando? 10 de julho7 de agosto.
Horário: das 9h30min às 11h30min
Valor: R$ 180,00 por adulto.

Experiência Vinhos & Chocolates (adultos e crianças)


O que? Visita à vinícola e suas obras de arte, degustação de cinco estilos de chocolates harmonizado com vinhos e espumantes e uma taça de cristal exclusiva.
Quando? Diariamente, mediante agendamento prévio.
Horários: de segunda a sábado, às 11h 13h, 14h30min e 15h30min. Aos domingos, às 11h, 13h e 14h30min.
Valor: R$ 90,00 por adulto; R$ 45,00 por criança

Produtos degustados:


Drágeas de Amêndoas com chocolate meio amargo
Vinho: Cave do Sol Chardonnay
Bombom 70% Cacau
Vinho: Cave do Sol Cabernet Sauvignon
Barra de Café 70% Cacau
Vinho: Cave do Sol Tannat
Damasco com chocolate ao leite
Espumante: Solar do Vale Prosecco
Chocolate branco com nozes
Espumante: Solar do Vale Moscatel

Experiência Suco Puro (Crianças)

Degustação de 3 tipos de suco de uva puro
Degustação de cookies infantis ou Degustação de chocolates
Kit pinturinha, contendo um livreto do Purinho, personagem do suco de uva, e uma caixa de lápis para colorir
Ganha 1 copo de suco personalizado
R$ 45,00 se optar por chocolates / R$ 30,00 se optar por cookies no acompanhamento.
Diariamente, horários agendados conforme a escolha da experiência dos pais.

Cave do Sol: RS 444 KM 20,7, no Vale dos Vinhedos. Agendamento pelo e-mail turismo@cavedosol.com.br ou pelo telefone/WhatsApp 54 98418.9882

Mês da família: campanha arrecada doações em prol de crianças e adolescentes com câncer

Instituto Ronald McDonald busca aumentar as chances de cura do câncer infantojuvenil no Brasil aos mesmos patamares dos países com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH)

No mês de maio é celebrado o Dia Internacional da Família (15), e para reconhecer o valor da instituição familiar e ajudar tantas famílias que lutam pela vida dos seus filhos em tratamento oncológico, o Instituto Ronald McDonald está promovendo uma campanha de arrecadação online. A instituição sem fins lucrativos, que há 22 anos atua para aproximar famílias da cura do câncer infantojuvenil no Brasil, pede apoio de toda a sociedade para manter seus projetos e ajudar crianças e adolescentes com câncer, que apresentam um quadro de imunidade muito frágil devido ao tratamento oncológico, sendo mais um perfil no grupo de risco da Covid-19.

“Sem a ajuda que recebemos, nem sei se teria minha filha comigo hoje. O sonho dela é ser curada do câncer. Depois que isso tudo passar e quando ela crescer, Júlia será modelo e estilista. E eu tenho certeza que ela vai realizar todos esses sonhos”. Esse é o relato emocionado de Milene Pereira, mãe da pequena Julia Moreno Faria, de 13 anos, que desde os primeiros meses de vida luta contra o câncer. Julia é uma das crianças que integra as famílias auxiliadas através de doações e projetos do Instituto Ronald McDonald.

Vicente Nascimento e o filho Antônio, de 13 anos, hóspedes da Casa Ronald McDonald Belém

No Brasil, o câncer é a doença que mais mata na faixa etária de 1 a 19 anos, segundo o Instituto Nacional de Câncer, o Inca. A cada hora, no país, surge um novo caso em crianças e adolescentes. No atual cenário da pandemia da Covid-19, o dado se torna ainda mais alarmante, visto que pacientes oncológicos costumam apresentar imunossupressão, seja pela própria doença, seja pelo tratamento, o que os tornam mais suscetíveis a infecções, e não podem interromper o tratamento oncológico.

Devido ao contexto mundial, o Instituto Ronald McDonald realizou em 2020 uma revisão estratégica, e suspendeu a grade de eventos presenciais de arrecadação prevista, principal fonte de doações da instituição. A suspensão resultou em uma queda nas receitas. Mesmo com esse cenário, a organização sem fins lucrativos impactou, só no ano passado, de 154 mil crianças e adolescentes e seus familiares, através de 78 projetos apoiados em 17 Estados e o Distrito Federal no Brasil.

Em 22 anos de história na oncologia pediátrica do Brasil, o Instituto Ronald já investiu mais de R$ 341 milhões mudando a vida de milhares de famílias que lutam pelas vidas de seus filhos. A organização já apoiou 1.624 projetos de mais de 100 instituições de todo o país.

“Ao longo desses 22 anos de história, o Instituto investiu em diversos programas com o objetivo de promover saúde e qualidade de vida de crianças e adolescente com câncer antes, durante e após o tratamento. Mas nada disso teria sido possível sem a parceria e auxílio de voluntários, parceiros e amigos da causa, que através da dedicação incansável, se doaram para mudar a realidade e futuro de milhares de famílias. Mas agora, temos mais um desafio, enfrentar a pandemia do Coronavírus e mais do que nunca precisamos de doações”, solicita o superintendente do Instituto Ronald McDonald, Francisco Neves.

Os recursos arrecadados serão investidos na causa da oncologia pediátrica. Para doar, basta clicar aqui.

Alienação parental vira problema com a pandemia

Paulo Eduardo Akiyama, advogado atuante em Direito de Família, indica curso on-line do CNJ para evitar esse tipo de conflito

A incidência de atos de alienação parental teve um crescimento bastante relevante desde março de 2020 segundo pesquisas feitas por institutos como o Observatório da Alienação Parental. A crise entre casais separados tornou-se mais constante, com discussões e demais conflitos no que se refere aos filhos. Além da privação de convivência imposta ao genitor não guardião, ainda se estendeu a toda família deste. As crianças acabaram sendo afastadas da convivência dos parentes com a desculpa da pandemia e eventual contaminação pelo coronavírus.

Paulo Eduardo Akiyama, advogado atuante em Direito da Família e sócio do escritório Akiyama Advogados Associados, informa que, em 25 de abril, é lembrado o Dia Internacional Contra a Alienação Parental, e sugere aos pais que realmente desejam o melhor aos seus filhos que se inscrevam na oficina de pais e mães do CNJ – Conselho Nacional de Justiça para poderem entender como os casais separados devem se comportar em relação à prole, afim de evitar a prática de atos alienantes.

O advogado destaca que os casos aumentaram por conta da obrigatoriedade do distanciamento social e deslocamento, causando mudança nas visitas pré-estabelecidas. “Muitos detentores da guarda, utilizando-se desta desculpa, atuando fortemente na prática de atos alienantes. Não podemos esquecer que filhos não são mobília da casa, mas sim, seres humanos que necessitam conviver com ambos os genitores e seus familiares. Claro que dentro de uma segurança sanitária, mas também deve-se garantir a convivência para a segurança psicológica”, alerta.

Akiyama ainda ressalta que a comunicação por videoconferência não substitui a convivência presencial entre o genitor não guardião e a prole. “A videochamada, como antes da pandemia, sempre é vista como um meio de comunicação temporária, ou seja, naqueles dias em que não esteja estabelecida a visita, mas não substitui a visita presencial, o contato, o calor humano, o diálogo, a participação em atividades, tudo isto é salutar a criança. A videoconferência trata-se apenas de um paliativo para contato, mas não é convivência”, observa.

Para o advogado, comportamentos alienantes que devem ser sempre evitados pelos genitores, como por exemplo, interromper abruptamente a ligação ou fazer comentários do tipo “chega de lero-lero”, entre outras manifestações. “Isto é prejudicial principalmente para a criança. Muitos pais esquecem que seus atos vão de encontro ao subconsciente da criança, que grava estas informações de repúdio e que, em um futuro próximo, se manifestará no seu comportamento”, adverte.

Ainda segundo Akiyama, qualquer um dos lados que age desta forma, esquece que as crianças crescem e um dia se darão conta do que lhes foi imposto, criando assim uma enorme decepção, em especial, com relação ao genitor praticante dos atos alienantes. “Na internet podemos encontrar vídeos que descrevem este comportamento, depoimentos de pessoas que foram vítimas da alienação parental”, exemplifica.

O advogado orienta sempre seus clientes a agirem em consenso para manter a convivência presencial, prolongando os dias de visita estabelecidos, visto que as aulas não têm ocorrido de forma presencial e também é optativo para os pais que não desejam enviar seus filhos à escola por medo da pandemia. “Há casos em que recomendei ao invés de o genitor visitante pegar o filho na sexta-feira ou no sábado, buscar na quinta feira e em vez de devolver no domingo, retornar com a criança na segunda-feira. Em vários casos isto ocorreu com enorme sucesso, quando não há prática de alienação parental”, comemora.

Fonte: Paulo Akiyama é formado em economia e em direito desde 1984. É palestrante, autor de artigos, sócio do escritório Akiyama Advogados Associados e atua com ênfase no direito empresarial e direito de família.

Campanha Páscoa Solidária da Fundação Nestlé está aberta à participação de consumidores

Pessoas que realizarem doações ganharão cupom de 10% de desconto na loja própria da companhia, o Empório Nestlé

Para garantir que suas tradicionais ações de voluntariado pudessem atender instituições em diferentes localidades e contar com a colaboração de pessoas de todo o País, mesmo à distância, a Fundação Nestlé criou uma campanha virtual especial de Páscoa Solidária.

Por meio do site da campanha, as pessoas podem doar qualquer valor que desejarem. O montante arrecadado será revertido para compra de ovos de Páscoa e de caixas de bombom que serão doadas para a Casa do Zezinho e para ONG Social Skate. A expectativa é beneficiar 1.500 crianças.

A plataforma pode ser acessada clicando aqui, e as doações podem ser realizadas entre até 26 de março.

Como forma de estimular a participação na campanha, a Fundação Nestlé vai disponibilizar, para todos que realizarem doações, cupons de 10% de desconto para compras na loja própria da Nestlé, o Empório Nestlé , disponível também como e-commerce, com entregas para todo o Brasil. O prazo para uso do cupom de desconto é de 2 a 30 de abril, e ele será disponibilizado automaticamente no checkout, sendo uma promoção não cumulativa.

Sobre a Fundação Nestlé

Criada em 1987, a Fundação Nestlé Brasil tem como missão conectar o impacto social ao propósito da marca: revelar o poder dos alimentos para melhorar a qualidade de vida de todos, hoje e para as próximas gerações. Todas as iniciativas desse projeto são financiadas por doações. O diferencial fica por conta das contribuições feitas pelos colaboradores da companhia: a cada R$ 1,00 doado, a Nestlé duplica o valor.

Pais separados: quem fica com as crianças nas férias escolares?

As férias podem ter um significado diferente para os casais que estão em processo de divórcio ou perto de se divorciar. Quando há filhos e o casamento termina, os pais buscam dividir o tempo de convivência com as crianças. Mas, nas férias escolares, aceitar quem fica com os pequenos pode se tornar um problema.

A convivência é geralmente estabelecida por meio de uma decisão judicial ou então em um acordo entre as partes. Mesmo que o seu divórcio ainda não seja definitivo, deve ser ajustado um regramento temporário e que fornecerá as orientações.

O regime de guarda compartilhada é a regra atual no que se refere à guarda de filhos, salvo exceções estabelecidas pelo juiz. Tanto a mãe quanto o pai tem responsabilidade sobre a criação dos filhos quando a vida conjugal chega ao fim. Mas nessa época do ano surgem dúvidas e disputas. Como serão as viagens e as férias escolares?

Foto: Stocksnap/Pixabay

A maioria dos arranjos inclui uma dessas três opções: não há uma programação especial para feriados e férias; pode haver um cronograma especificado, mas os pais podem concordar em flexibilizar esse cronograma; ou são inflexíveis, seguindo acordos sem negociação entre as partes.

Muitas famílias têm o hábito de passar as férias de verão na casa de tal vô/vó ou na casa da praia dos tios ou padrinhos. E agora? Mesmo que a lei não defina claramente uma regra para esse tipo de situação, o ideal é que haja diálogo e equilíbrio entre pai e mãe separados.

“O importante é pensar nas crianças. Mesmo que a busca por alegria e paz durante esse período seja um desafio gigantesco, certamente isso é possível se os pais concordarem em permanecer flexíveis e colocarem as necessidades dos filhos em primeiro lugar”, comenta a advogada gaúcha Martina Madche, colaboradora do site Idivorciei.

Se o filho ainda é pequeno, por exemplo, o período de convivência exclusiva deve ser mais curto e mais frequente. Isso se aplica, inclusive, quando a criança ainda não dorme sozinha na casa nova de um ou de outro. É preciso paciência na adaptação. Por isso, não é aconselhável, nestes casos, que se tire muitos dias de férias com a criança. Ela pode ficar triste e não aproveitar os dias de descanso.

“Se você está pedindo ao ex-parceiro ou parceira que desista de algo, esteja disposto a dar, em troca, algum tempo extra com os filhos. Embora você tenha a opção de rediscutir tudo em juízo, os tribunais preferem que as partes resolvam seus problemas entre si e decidam o que é melhor para as crianças, em vez de pedir para um juiz que o faça”, lembra Martina.

Uma modificação nas regras provavelmente não terá sucesso se for simplesmente baseada na própria conveniência ou na conveniência do/a ex. O ideal é consultar um advogado especializado em direito da família para receber orientações, já que é comum que os pais separados priorizem suas próprias emoções ao tomar decisões importantes sobre as férias.

“Você e o/a ex devem sempre tentar manter o foco nos filhos, deixando-os saber ao longo da temporada de férias que eles são amados por vocês dois. Mas se estiver enfrentando qualquer tipo de questão jurídica familiar, como divórcio, guarda, pensão alimentícia ou necessidade de modificações, pode entrar em contato com diversos advogados por meio do Idivorciei para agendar uma consulta inicial”, aconselha a advogada.

Em relação às viagens, é bom lembrar que, desde 2019, uma lei federal determina que nenhum menor até 16 anos pode viajar para fora da cidade onde mora desacompanhado dos pais ou responsáveis, sem autorização judicial. A nova lei modificou o artigo 83 do Estatuto da Criança e do Adolescente que regula as viagens de crianças e adolescentes em território nacional. Para viagens ao exterior, se a criança estiver acompanhada apenas de um dos pais, precisa ter autorização expressa do outro, com firma reconhecida em cartório. Outra forma de conseguir essa autorização é por meio de decisão judicial.

Fonte: Idivorciei