Arquivo da tag: cuidados

Dengue: confira os cuidados necessários para evitar a doença

Período de chuvas contribui para a proliferação do mosquito transmissor; no país, casos aumentaram 182% em relação ao ano passado

Com a chegada do verão, as chuvas devem ficar mais abundantes a partir do mês de dezembro, o que contribui para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. O inseto se reproduz em reservatórios com água parada e é responsável por transmitir outras doenças como a chikungunya e a zika.

Dados do Ministério da Saúde apontam que no Brasil, entre janeiro e outubro deste ano, são mais de 1,3 milhão de casos prováveis de dengue, um aumento de 182% em relação à 2021. A maior taxa de incidência é da região Centro-Oeste, seguida pela Sul, Sudeste, Nordeste, e por fim, Norte.

Sábado (19), o Dia Nacional de Combate à Dengue foi lembrado e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h Zona Leste, em Santos (SP), alerta para os cuidados necessários para se proteger da doença, que este ano já atingiu, somente no estado de São Paulo, 344 mil pessoas.

“Na UPA Zona Leste tivemos um baixo número de atendimentos relacionados à doença, com sete notificações e quatro internações. No entanto, o período de chuvas está chegando e precisamos ficar atentos para manter a eficiência das ações de prevenção e combate”, destaca o diretor Clínico da UPA, Carlos Alberto de Oliveira.

A unidade, que pertence a rede pública de saúde da Prefeitura de Santos, sendo gerenciada pela entidade filantrópica Pró-Saúde, atua como referência para urgências em Clínica Médica, Ortopedia, Pediatria e Odontologia, no litoral paulista.

A dengue é uma arbovirose causada por vírus e transmitida pela picada do inseto Aedes aegypti. Geralmente a doença não é grave e seus sintomas mais comuns são: febre, dor de cabeça, dor nos olhos, dor nas articulações, náuseas, vômitos e manchas vermelhas pelo corpo.

“Todos devemos sempre estar atentos a esta doença, pois em alguns casos, o paciente pode ter a forma mais grave, que inclui dores abdominais generalizadas, vômitos persistentes e evolução para dengue hemorrágica, quadro que necessita de atenção médica imediata e pode levar a morte”, alerta o profissional.

Boletim epidemiológico do Ministério da Saúde aponta 945 óbitos da doença em 2022, a maioria no estado de São Paulo (273), seguido por Goiás (140) e Paraná (107).

O médico explica que não existe tratamento específico para a dengue, mas é fundamental buscar assistência médica para receber o atendimento adequado. Entre os cuidados recomendados estão: repouso, ingestão de bastante água e não se automedicar.

Confira orientações para o dia a dia, que ajudam a prevenir a reprodução do mosquito e combater a dengue:

-Não deixe água parada em reservatórios, vasos de plantas, calhas, pneus, garras plásticas, entre outros;
-Substitua água por areia nos pratos dos vasos de plantas;

-Mantenha caixas d’água e piscinas cobertas;
-Evite acúmulo de lixo no seu quintal, nos arredores da casa e mantenha lixeiras trancadas;
-Faça uma revisão semanal de quintais e áreas abertas que podem conter recipientes que acumulam água;

Foto: Litoraneus

-Use roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, período em que os mosquitos estão mais ativos.

Foto: Pró-Saúde

Geração sanduíche: quem são e por que também precisam de cuidados especiais

Especialista explica a importância de dar suporte psicológico, emocional e afetivo aos integrantes dessa faixa da população que se sentem pressionados pelos cuidados que precisam ter com os filhos e pais idosos, somados a vida profissional

A demografia brasileira nas últimas décadas tem passado por movimentos importantes que vem trazendo novos desafios. O aumento da expectativa de vida, que passou de 45 anos na década de 40 para 76 anos em 2020, de acordo com o IBGE, tem dado mais longevidade e pressionado a previdência social, por exemplo. Do outro lado, além de uma diminuição na natalidade, tem sido cada vez mais comum as mulheres terem filho com um pouco mais de idade. De acordo com as Estatísticas do Registro Civil de 2019, também do IBGE, entre 2008 e 2018 aumentou o número de mães com mais de 30 anos.

Canva

No período, cresceram em 26% o número de pessoas que foram mães entre 30 e 34; 56% entre 35 e 39 anos e 36% entre 40 e 44 anos. A tendência de ter filhos com uma idade mais madura é clara, já que o mesmo levantamento mostra uma queda no número de mulheres que tiveram filhos entre 25 e 29 anos (queda de 8%); 20 e 24 anos (-17%) e 15 e 19 anos (-26%).

As novas formatações da sociedade brasileira acabaram criando demandas específicas. O movimento combinado do envelhecimento da população e as mulheres tendo filhos mais tarde criou a chamada “geração sanduíche”, por exemplo. O termo foi concebido pela assistente social Dorothy A. Miller, em 1981, e vem ganhando popularidade no Brasil.

Márcia Sena, especialista em qualidade de vida na terceira idade e fundadora e CEO da Senior Concierge, empresa que pratica um modelo de atenção integrada para dar suporte a pessoas com mais de 60 anos, pontua que o conceito define adultos que estão comprimidos por demandas de filhos – geralmente crianças e adolescentes – e dos pais – normalmente que têm mais de 70 anos.

“Essa é uma realidade que tem se encaixado no panorama de muitas mulheres, que compõem majoritariamente a geração sanduíche. Elas têm filhos que chegaram em uma idade em que precisam que elas tenham muita energia para ajudá-los em diversas áreas e ao mesmo tempo seus pais estão idosos e também precisam de suporte”, explica.

As dores da geração sanduíche

Márcia argumenta que a geração sanduíche representa principalmente mulheres que estão na faixa etária de 35 a 60 anos (com uma predominância maior entre 40 e 55 anos). Como os brasileiros estão se aposentando mais tarde, as pessoas nessa faixa demográfica sofrem ainda com pressões diárias no trabalho.

A especialista faz questão de lembrar que as “ensanduichadas” passam por outras questões que afetam as mulheres, como o machismo, pressões sociais que vem de estereótipos de gênero, racismo (no caso de negras), abandono paterno e mais.

“Com todo esse peso nas costas, é muito comum que essas mulheres se sintam culpadas de não ‘dar conta’ de tudo. Então elas se culpam por não ter tempo para cuidar dos pais idosos, sentem que deveriam passar mais tempo com os filhos, sentem que a vida profissional está estagnada e que a vida afetiva está morna”.

Canva

Passando por todas essas condições, que afetam principalmente o emocional das mulheres, a geração sanduíche apresenta problemas como:
Insônia;
Estresse;
Obesidade;
Depressão;
Irritabilidade;
Esgotamento;
Falta de motivação;
Problemas de memória;
Problemas afetivos;
Falta de concentração;
Imunidade baixa;
Ansiedade;
Baixa produtividade no trabalho (causada por todos os sintomas anteriores).

Melhorando a qualidade de vida da geração sanduíche

Sena começou a estudar e se especializar sobre o conceito de geração sanduíche porque ela mesma passou pela experiência de ser uma ensanduichada. Há alguns anos, ela se viu no papel de cuidar da família (do marido e 4 filhos), dar conta das responsabilidades no trabalho e ainda tomar conta dos pais que estavam precisando de cuidados especiais.

A especialista avalia que a pessoa que se preocupa com tantas coisas externas que acaba deixando a própria pessoalidade – incluindo hobbies, atividades de lazer e relações interpessoais – em segundo plano, acaba tendo problemas sérios de qualidade de vida.

“As mulheres da geração sanduíche precisam do mesmo cuidado e proteção que elas oferecem aos filhos e aos pais idosos. É essencial que elas se percebam enquanto pessoas que estão sujeitas a todas essas pressões e recebam apoio dos familiares, companheiros, companheiras e amigos”, defende.

A CEO da Senior Concierge elenca ações práticas que podem ser tomadas pelas ensanduichadas:

=Converse: depois de reconhecer o problema, é preciso estar aberto para a experiência de expô-lo para outras pessoas. Por isso, é essencial falar sobre os desafios do dia a dia até mesmo com os filhos, principalmente se eles já estiverem na fase de adolescência e começo da fase adulta, e os pais idosos. Ter uma conversa franca pode gerar empatia e trazer para a superfície todas as emoções que acabam negligenciadas no cotidiano. Se for preciso, busque ajuda profissional com um psicólogo ou psiquiatra;

=Priorize-se: é essencial que a mulher que está sofrendo com o peso de ter que cuidar dos pais e dos filhos saibam avaliar o que é realmente importante. A sensação de insuficiência é muito normal para elas, já que é comum não conseguirmos lidar com todas as exigências que a vida contemporânea nos apresenta. Nesse caso, é muito importante saber avaliar os próprios valores e se perguntar o que é realmente importante. A priorização deixa mais claro o que deve ser feito com mais urgência, o que pode esperar mais um pouco e o que deve ser descartado da sua vida, já que o tempo é o bem mais escasso que temos;

=Planeje-se: pensar a própria rotina, estabelecer horários e metas e ter uma agenda bem elaborada de atividades pode ser essencial para evitar estresses com demandas não previstas. Neste quesito, o planejamento financeiro também é superimportante, já que ele pode garantir uma velhice mais tranquila e até mesmo uma vida mais confortável para os filhos;

=Investa em autonomia: de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a autonomia está entre os principais elementos que geram felicidade para a vida de um ser humano. Ou seja, isso indica que as pessoas precisam tentar sempre buscar opções na vida que tragam a independência pessoal e da família, como a independência financeira, por exemplo.

=Aposte na simplicidade: ter uma vida simples não significa renunciar qualquer tipo de bem material, mas sim aprender a viver com o que já temos. Além disso, simplicidade é conseguir ser grato com o que já conquistamos e nos cobrarmos menos de objetivos futuros;

Canva

=Tenha um tempo para si: para ser uma pessoa completa e com significado é essencial respeitarmos quem somos. E parte integrante disso é termos nossa individualidade no quesito hobbies. Mais do que meros passatempos, as atividades de lazer também dão significado as nossas vidas, já que trabalhamos e temos todas essas preocupações com a família para que justamente consigamos aproveitar um momento livre para desfrutar do que nos faz bem.

=Divida as responsabilidades: é fundamental que o cuidador familiar compartilhe os cuidados dos pais idosos com os outros membros da família, para que não se sobrecarregue e possa manter a qualidade de vida.

“O que as pessoas da geração sanduíche precisam saber é que não há como ter um cuidado com os outros se não há um cuidado integral com si mesma. Portanto, é preciso pensar primeiro na própria saúde física e mental antes de pensar em ajudar quem nós gostamos tanto que são nossos filhos e pais”, finaliza Márcia.

Sobre Márcia Sena
É fundadora e CEO da Senior Concierge e especialista em qualidade de vida na terceira idade. Tem MBA em Administração na Marquette University (EUA) e experiência em várias áreas da indústria farmacêutica. Criou a Senior Concierge a partir de uma experiência pessoal de dificuldade de conciliar seu trabalho como executiva e cuidar dos pais que estão envelhecendo. Se especializou nas necessidades e desafios da terceira idade e desenvolveu serviços com foco na manutenção da autonomia de pessoas da melhor idade no seu local de convívio, oferecendo resolução de problemas de mobilidade, bem-estar, tarefas domésticas do dia a dia e segurança contra males súbitos.

Sobre a Senior Concierge
Uma empresa com um novo jeito de dar suporte aos 60+, com um modelo de atenção integrada e centrada nas reais necessidades dos maduros. Uma resposta dos novos tempos para um modelo que se esgotou, que é o modelo curativo baseado nas doenças, praticado por outras empresas, mas que visa a prevenção e cuidado. Com a proposta de garantir um envelhecimento prazeroso, proporcionando qualidade de vida, e bem-estar dos familiares.b b

Jacques Janine lança novo catálogo de produtos para tratamento dos cabelos

Com novas embalagens e formulações, linhas profissionais de cuidados abrangem todos os tipos de cabelos para uso no salão e em casa

A Jacques Janine Professionnel acaba de lançar um novo catálogo de produtos de cuidados com os cabelos para uso no salão e em casa, com novas embalagens e formulações livres de parabenos e sem testes em animais, alinhadas às tendências tecnológicas e de comportamento da atualidade. A marca apresenta as novidades na 17a edição da Beauty Fair, feira que acontece no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), até 6 de setembro.

“As consumidoras e consumidores confiam na nossa marca e já sabem que podem esperar produtos de qualidade e grande efetividade, com muita tecnologia envolvida. Reunimos toda a nossa experiência para trazer estas novidades, que atendem a todos os tipos de cabelos, com o que há de mais moderno em tratamentos e cuidados com os cabelos”, afirma Mayara W. Käfer, do Marketing da Jacques Janine Professionnel.

A linha Blond Yourself Violet Flowers Complex Seriseal matiza, repara e reduz o tom amarelado, proporcionando nutrição e reconstrução para loiros saudáveis, macios e com muito brilho. São produtos de alta performance, indicados para cabelos loiros, brancos e descoloridos que precisam de restauração e neutralização dos tons amarelados. A linha conta com shampoo e condicionador (200 ml), que reduzem o tom amarelado; máscara (240 g), que nutre e hidrata; e tratamento reconstrutor (200 ml), que matiza e repara.

A No More Frizz é uma linha de blindagem leve e natural que proporciona 24 horas de disciplina, nutrição, maciez, redução do frizz e proteção térmica para os fios. Sua fórmula inovadora foi desenvolvida com Symoleo Vita7 e Ama-Oil, que garantem que as cutículas fiquem protegidas contra a umidade e seladas por muito mais tempo. Indicada para cabelos indisciplinados, que costumam ficar com os fios arrepiados. Toda voltada para a redução do frizz, conta com shampoo (240 ml) para nutrição e maciez, condicionador (240 ml) e máscara (240 g) para nutrir e desembaraçar; além de spray (120 ml) e ampola (15 ml), para 24 horas de disciplina e proteção térmica.

Já a Hair Sun Protect é para todos os tipos de cabelos, protegendo os fios contra os danos externos causados pelo sol, cloro, poluição e sal. Desenvolvida com Óleo de Coco, Extrato de Caviar e Pérolas, os produtos que compõe a linha restauram, protegem, fortificam e hidratam profundamente os fios, proporcionando um aspecto belo e saudável. Conta com shampoo (200 ml) para limpeza suave e proteção; condicionador (200 ml) para fortificar, proteger e hidratar; protetor capilar (120 ml) para proteção solar e hidratação; e máscara (240 g) para brilho, maciez, hidratação e proteção.

E para o fortalecimento, proteção e reparação dos fios danificados, porosos e quebradiços, a Damage Repair foi desenvolvida com Manteiga de Karité, Proteína do Trigo, Ceramidas, Óleo de Argan e Óleo de Macadâmia. Ela restaura a maciez e o brilho, além de proporcionar um aspecto naturalmente saudável. Inclui o shampoo (200 ml) sem sal e condicionador (200 ml) para reparação dos fios, brilho e fortalecimento; sérum (30 ml) para redução do frizz e proteção térmica; ampola (15 ml) autoaquecida e máscara (240 g) para reparação dos fios e fortalecimento.

A Jaques Janine está lançando ainda as linhas Perfect Curls, para cabelos cacheados, crespos e ondulados; Ultra Blond, para fios loiros naturais, descoloridos ou grisalhos; Luminous Glow, para cabelos opacos e sem vida; Reconstrução Total, para madeixas quebradiças e com pontas duplas; After Colors, para cabelos coloridos; Oil Control, para cabelos oleosos; Liso Absoluto, para cabelos volumosos e indisciplinados; Hidratação Profunda, para fios secos; Mega Volume, para cabelos finos e sem volume e Power Nutrition, para cabelos ressecados, porosos ou opacos.

Informações: Jacques Janine Professionnel

Queratina: conheça os benefícios que ela traz aos cabelos

Nutriente essencial para a saúde da fibra capilar, a queratina é item indispensável em todo cronograma capilar

Você com certeza já ouviu falar sobre produtos capilares com queratina, mas você sabe qual a real função e importância dessa proteína para o cabelo? 

“A função principal da queratina no cabelo é a força. Ela ajuda a estruturar a fibra capilar, preenchendo o fio, reduzindo a quebra e deixando os cabelos com volume e brilhantes. Quando o cabelo está saudável e sem danos que comprometem a queratina da fibra, até os tratamentos, como as colorações, possuem maior durabilidade, uma vez que os pigmentos terão onde se acoplar no interior da fibra capilar”, explica Pedro Henrique Guimarães, educador da Keune Haircosmetics Brasil.

A queratina no cabelo tem a função de envolver e proteger o fio, reduzindo as chances dele sofrer com os efeitos de agressões externas, ao mesmo tempo que preserva a umidade natural e seus nutrientes, além de ser responsável por conferir-lhe elasticidade e impermeabilidade. Essa função combinada de proteger e fortalecer os fios faz com que a perda ou diminuição desse nutriente impacte diretamente na saúde do fio capilar.

A queratina é produzida naturalmente pelo corpo e compõe 90% do fio, além de estar presente em outras estruturas do nosso organismo, como nas unhas, mas a exposição exagerada ao sol, maus hábitos alimentares, uso excessivo de ferramentas térmicas e procedimentos químicos fazem com que boa parte da queratina no cabelo se perca diariamente. Um cabelo com déficit de queratina é quebradiço, embaraçado e com frizz, necessitando da reposição desse elemento estrutural tão essencial para a fibra capilar. E então entram os produtos capilares com queratina.

Ao escolher um produto com queratina, deve-se atentar à existência de 3 tipos diferentes dessa proteína: a queratina líquida, a hidrolisada e a oxidada, cada uma com sua própria função. Enquanto a queratina líquida é usada em pequenas doses para potencializar os resultados dos produtos, a queratina hidrolisada pesa menos e penetra mais facilmente nos fios. Já a queratina oxidada é a menor em nível molecular, conseguindo penetrar na cutícula (parte externa do fio) até o centro do córtex capilar (parte interna).

Apesar de todos os tipos de cabelos se beneficiarem da reposição de queratina, o uso de produtos com esse ativo é indispensável principalmente no cronograma capilar de quem fez coloração ou descoloração. Nos fios cacheados mais finos, ela torna-os drasticamente menos suscetíveis à quebra e a danos externos. Já nos fios lisos, faz com que fiquem mais alinhados e com menos frizz.

Ficou interessada em um tratamento com queratinas? Uma boa opção é a linha Keratin Smooth, da Keune Haircosmetics. Com itens que vão de shampoo a defrizante, os produtos dessa linha contam com infusão de queratina líquida, hidrolisada e oxidada, fortalecendo os fios e conferindo penteabilidade e brilho. O condicionador tem ainda manteiga de karité para uma hidratação intensa e um complexo pró-vitamina B5, também presente no shampoo, que penetra profundamente na fibra capilar e regula o equilíbrio da umidade dos fios.

Os diferentes tipos de queratina se complementam para uma revitalização completa dos cabelos. Além do haircare básico, a linha Keratin Smooth possui máscara de tratamento intensivo de queratinas e peptídeos, ambos formados por aminoácidos para restaurar a saúde dos cabelos de dentro para fora. Mas o verdadeiro diferencial da Keratin Smooth Mask é o complexo Keravis, que fortalece e protege os cabelos com um efeito encapsulador, resultando em fios leves e nutridos.

Depois do banho também é muito importante continuar o haircare. O Keune Care Miracle Elixir Keratin Spray, que combina a queratina ao óleo de coco, revigora a estrutura dos cabelos, restaurando a fibra capilar e trazendo proteção e hidratação. Todos os produtos foram pensados para o cuidado diário e, por isso, oferecem resultados expressivos sem deixar a praticidade de lado.

Todos os produtos da Keune podem ser encontrados no site oficial da marca, nas lojas e salões parceiros

Cabelos grisalhos: saiba mais sobre os cuidados necessários com os fios despigmentados

Influenciados pela genética e pelo envelhecimento das células responsáveis pela coloração, eles podem aparecer em qualquer idade

Os cabelos brancos chegam para todo mundo e, por mais temidos que sejam, são resultado de um processo natural que geralmente se inicia por volta dos 35 anos. Carlos Correa, gerente de pesquisa e produtos da Mahogany, marca especializada em produzir e comercializar cosméticos de alto padrão, explica que na raiz do cabelo existe um grupo de células chamadas de melanócitos, que são as responsáveis pela fabricação dos pigmentos de melanina.

“Essa célula é especializada na produção do pigmento de coloração marrom-escura e encontram-se na junção da derme com a epiderme. Quando sua produção diminui, o fio começa a crescer completamente branco”, afirma.

De acordo com o especialista, essa alteração costuma acontecer a partir dos 40 anos, mas há uma grande variação de acordo com fatores fisiológicos e genéticos. “Muda muito de pessoa para pessoa, mas em geral os fios brancos podem surgir por motivos de estresse, problemas hormonais e pela principal causa, que é o envelhecimento”, declara.

Carlos informa que muitas vezes os cabelos brancos são confundidos com os grisalhos. “Existe uma diferença entre os fios despigmentados. Enquanto as madeixas esbranquiçadas são definidas por ter a mesma cor em todo o comprimento, os acinzentados são o meio termo desse processo, e se caracterizam pela mistura dos dois tons, mesclando o branco com a cor original”, explica.

O gerente esclarece que o visual grisalho é caracterizado pela união dos primeiros cabelos brancos com os fios naturais, que vão desbotando com o passar do tempo. “Eles surgem devido à redução na produção de melanina, que é o pigmento que dá cor aos fios. Esse processo que é conhecido como encanecimento, acontece de forma natural e gradual”, pontua.

Para ajudar na transição para o grisalho sem grandes complicações, a dica do especialista é apostar em soluções que farão diferença na rotina de cuidados. “Opte por produtos que promovam tratamento intenso desde a primeira lavagem. A linha Silver Gray Intense, da Mahogany, por exemplo, possui uma combinação de ativos que proporcionam limpeza profunda, nutrição e brilho, além de fórmula com extrato de centáurea, que elimina a coloração amarelada dos fios brancos”, finaliza.

Confira abaixo os benefícios da linha Silver Gray Intense, da Mahogany, que não pode faltar na rotina de cuidados com os fios grisalhos:

Especialmente desenvolvido para limpar e promover a tonalização das nuances prateadas dos fios brancos e grisalhos, o Shampoo Silver Gray Intense possui uma combinação de pigmentos orgânicos e ativos que proporcionam aos fios de cabelo, um brilho levemente roxo para neutralizar e eliminar tons de amarelo. Formulado com Extrato de Centáurea, Pró-Vitamina B5 e outros ativos, esse shampoo entrega uma tonalização e realce mais potente e eficaz, sem agressão ao couro cabeludo. Realce toda elegância e beleza de seus cabelos brancos e grisalhos. Indicado para cabelos grisalhos e brancos.

Shampoo Silver Gray Intense 300 ml R$ 64,90

Informações: Mahogany

7 maiores dúvidas sobre cuidados com a pele durante o frio respondidas por experts de beleza

Time de especialistas responde as principais questões que envolvem os cuidados com a pele e com o corpo durante as estações mais frias do ano

Com a chegada do frio, o tempo fica mais seco e, como consequência, nosso organismo passa por uma série de alterações, levando ao surgimento de dúvidas. Por exemplo, os aficionados por beleza passam a questionar sobre como realizar sua rotina diária e quais novos cuidados devem passar a fazer parte de seu dia a dia. Ainda há necessidade de aplicar protetor solar? Os cabelos merecem cuidados especiais? A rotina skincare pode continuar a mesma do verão? Para te ajudar nesse momento, reunimos um time de especialistas para responder essas e outras questões. Confira:

1-É normal a pele ficar mais ressecada no inverno? Sim. “A baixa umidade do ar e a queda da temperatura levam a uma diminuição da transpiração corporal. Dessa forma, a pele torna-se mais ressecada e áspera, podendo até mesmo apresentar descamação e vermelhidão em algumas áreas”, afirma o dermatologista Abdo Salomão Jr., membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. O estudo “Changes in filaggrin degradation products and corneocyte surface texture by season”, publicado em março de 2018 no British Journal of Dermatology descobriu exatamente por qual razão isso acontece: as células da pele literalmente encolhem no frio e prejudicam uma proteína chamada filagrina, que ajuda na hidratação natural.

“A filagrina é uma importante proteína da pele que desempenha um papel importante na barreira cutânea. Ela é degradada em aminoácidos que mantêm a hidratação dentro das células e fornecem proteção. E esse processo é essencial para garantir que sua pele continue produzindo seu fator de hidratação natural (NMF)”, explica o dermatologista. Além disso, a pele é prejudicada pelos banhos quentes e demorados, pois a água quente provoca a remoção intensa da oleosidade natural do tecido, diminuindo o manto hidrolipídico que retém a umidade e protege a pele. “Evitar banho quente é um cuidado importante. Outro cuidado essencial com a pele é em relação à hidratação, pois é a etapa do skincare responsável por prevenir o ressecamento da pele, devendo ser então realizada de acordo com o tipo de pele de cada paciente”, recomenda o especialista.

Além disso, é importante evitar produtos de limpeza agressivos para a pele e investir na hidratação com produtos que vão reduzir a perda de água, como é o caso do Gel-Creme Complex Antissinais, da Età Cosmetics, um hidratante anti-idade capaz de formar um filme altamente protetor e hidratante sobre o tecido cutâneo, além de auxiliar na recuperação da firmeza e elasticidade, reduzindo a aparência de manchas, promovendo ação preenchedora de rugas e conferindo luminosidade ao tecido cutâneo. Não devemos também esquecer de ingerir bastante água e investir em uma alimentação saudável, que deve conter legumes, frutas e vegetais ricos em vitaminas e minerais, como a Vitamina C.

2-Preciso aplicar fotoprotetor no inverno? Sim! Não tem jeito, o fotoprotetor é de uso diário e eterno. “A radiação ultravioleta, também no inverno, provoca danos que comprometem a estrutura de sustentação da pele, causando o aparecimento precoce de rugas e flacidez, além das manchas como reação à fotoexposição. E isso também vale para quem está dentro de casa, já que a radiação UV ultrapassa vidros e janelas. Então, a orientação continua a ser a de reaplicar o fotoprotetor de quatro em quatro horas em ambientes fechados. O filtro deve ter dióxido de titânio ou óxido de zinco na formulação: esses são bloqueadores físicos importantes”, explica a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Então seu filtro solar deve ter amplo espectro de proteção solar e ação antioxidante, como o protetor solar Bonelli Solare, da Be Belle.

3O inverno é realmente a melhor estação para realizar procedimentos estéticos? Sim, pois, durante essa época do ano, a exposição solar é menos frequente e intensa. “A exposição solar de áreas que acabaram de passar por cirurgia pode causar manchas na pele e o escurecimento das cicatrizes”, alerta Beatriz Lassance, cirurgiã plástica e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Segundo a especialista, a temperatura amena também minimiza o inchaço após a cirurgia plástica, o que pode ajudar a otimizar o tempo de recuperação, se comparado aos dias mais quentes. “O calor pode levar a um maior inchaço e causar incômodo, especialmente quando o paciente já tem uma tendência natural à retenção de líquidos”, destaca a médica.

“Os dias mais frescos também dão maior conforto para o uso de malhas compressivas, necessárias no pós-operatório de algumas cirurgias, o que acaba fazendo com que o paciente o utilize da forma recomendada, garantindo resultados satisfatórios.” Os tratamentos não cirúrgicos, mas que ‘retiram’ a primeira camada da pele, também são interessantes. Para o tratamento de rugas, o laser Pro Collagen promove um efeito fototérmico que resulta no rejuvenescimento facial. “O tratamento faz uma ‘ablação’, ou seja, ele queima os tecidos. O organismo entende que aquele tecido não serve mais, então ele será eliminado, ocorrendo ao mesmo tempo o estímulo para um novo colágeno. Com isso, temos uma melhora da textura da pele e de rugas, por meio da neocolagênese”, explica Ana Paula Urzedo, dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Apesar de não ser um tratamento indolor, o procedimento é bem tolerado com a aplicação de anestésico tópico. No geral, são necessárias três sessões, com intervalo mensal.

4-A rotina skincare do inverno deve ser igual à do verão? Não, pois as necessidades da pele mudam de acordo com a estação. “No inverno, a pele fica naturalmente mais seca por conta do frio, baixa umidade, banhos quentes e ventos constantes. Então, temos que adequar os produtos do necessaire a esse novo momento, procurando por cosméticos que privilegiem a pele nessa estação”, recomenda Paola. Nessa época, o uso dos ácidos também é mais acentuado.

“Mas nem todos os ácidos são iguais. Os alfa-hidroxiácidos (AHAs), por exemplo, são clareadores, reparadores e suavizantes. Os beta-hidroxiácidos (BHAs) são melhores para peles oleosas e com tendência acneica e têm propriedades antibacterianas. Também existem os menos conhecidos poli-hidroxiácidos (PHAs), com características semelhantes aos alfa-hidroxiáciados, porém como apresentam moléculas maiores trabalham apenas na camada mais superficial da pele”, explica o dermatologista Daniel Cassiano, da Clínica GRU e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Mas cuidado com o uso sem orientação de ácidos, retinol e peelings muito agressivos: eles podem ser um dos motivos do aparecimento dos vasinhos faciais.

“Quando fazemos peeling, estamos criando um processo inflamatório, “queimando a pele” para ela descamar. Se esse processo for excessivo, abusivo, pode gerar, sim, os vasinhos no rosto. Peelings químicos intensos e com muita frequência, sem orientação médica, provocam um grande processo inflamatório. Para quem já tem tendência, essa circulação não vai embora, então os vasinhos aparecem”, argumenta a cirurgiã vascular Aline Lamaita, membro da diretoria (comissão de marketing) da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV). A estação também é excelente para tratar imperfeições da pele, por isso investir em um esfoliante suave pode ser interessante. O esfoliante Tribeca, da B.URB, traz sementes de Apricot (damasco) em sua composição, para ajudar na renovação celular da pele, e pode ser usado diariamente.

5-É verdade que a poluição que prejudica a pele é maior no inverno? Sim, pois no inverno ocorre um fenômeno conhecido como inversão térmica, quando o ar frio é impedido de circular por uma camada de ar quente. Como resultado, a camada de ar fria fica retida nas regiões próximas à superfície terrestre com uma grande concentração de poluentes, que são extremamente prejudicais à pele. É interessante então investir em cosméticos formulados com ativos antipoluição, que possuem mecanismos diferenciados para combater a ação dos poluentes na pele, como a formação de um escudo biomimético ou um filme de proteção sobre o tecido cutâneo.

“Grande parte desses cosméticos também possuem ação antioxidante, promovendo reparo e, principalmente, impedindo os mensageiros pró-inflamatórios que levam ao dano celular. Alguns ativos poderosos para evitar o problema são: Exo-P, Alistin, Coffee Skin e Arct-Alg”, explica a farmacêutica Maria Eugênia Ayres, gestora técnica da Biotec Dermocosméticos. Ou então, você pode incluir na sua rotina um cosmético de alta capacidade antioxidante e hidratante, como o Derm Deep C, da Be Belle. O sérum clareador, antioxidante e rejuvenescedor é formulado com Vitamina C encapsulada em permeadores biocompatíveis de Silício Orgânico.

6-Os cabelos também devem ser uma preocupação no inverno? Sim. “Com a queda da temperatura, os banhos se tornam mais longos e quentes e o couro cabeludo, que é rico em glândulas sebáceas, sofre um ressecamento excessivo causado pela alta temperatura. O resultado é a produção de oleosidade rebote, o que torna os fios pesados e favorece o surgimento da caspa e da queda capilar”, alerta Abdo. Além disso, com a baixa umidade do ar, é comum os fios ficarem mais ressecados e sujeitos à quebra. “Por isso, devemos investir em cuidados como evitar banhos quentes, utilizar uma máscara capilar de efeito nutritivo semanalmente, diminuir a frequência de uso do secador, sempre aplicando protetor térmico quando utilizá-lo, e não esquecer de consumir água, frutas e verduras, que auxiliam na hidratação”, aconselha.

7-Que outros problemas estéticos podem surgir no inverno? Um problema menos comentado, mas frequente no frio é o surgimento de vasos sanguíneos que podem comprometer a beleza das pernas. “O tempo frio estimula a contração dos vasos sanguíneos, principalmente das artérias periféricas, o que pode ser perigoso principalmente para pessoas com quadro de obesidade e sedentarismo, pois o excesso de gordura na parede das artérias atrapalha ainda mais a chegada do sangue até alguns tecidos”, explica Aline.

E, nesse caso, o problema não é apenas estético. “Essa má circulação pode ser extremamente perigosa, porque há riscos de desenvolvimento de insuficiência arterial periférica, infartos do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC)”, alerta. O fenômeno de Raynaud também costuma aparecer com maior frequência no frio, provocando um espasmo da artéria em reação ao frio, o que torna os pés ou mãos gelados, pálidos e com alteração de coloração. “Por isso, no frio é especialmente importante tomar alguns cuidados para melhorar a circulação, como usar roupas confortáveis e quentes, evitar peças justas que possam comprimir os músculos das pernas e cintura e consumir alimentos ricos em fibras, que auxiliam na boa digestão e controle do colesterol. É importante também realizar exercícios físicos regularmente, optar pelo consumo de alimentos com gorduras poli-insaturadas e beber muita água”, finaliza a especialista.

Palavra de Dermato: SBD lança podcast para tirar dúvidas da população

Nesta sexta-feira (8), entra no ar o canal de podcasts Palavra de Dermato, que reúne episódios que trazem respostas para algumas das principais dúvidas da população sobre a saúde da pele, cabelos e unhas. O projeto desenvolvido pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) permite que especialistas de renome nacional e internacional ofereçam, gratuitamente, esclarecimentos de forma didática e amigável, sempre com base científica, afastando o ouvinte das ameaças das fake news e das promessas mirabolantes.

Na estreia, dois episódios serão apresentados aos ouvintes por meio do canal da SBD no Spotify. No episódio 1, o ouvinte saberá “O que o dermatologista pode fazer por você”. Numa rodada, que contou com a participação de Mauro Enokihara, Beni Grinblat e de Heitor de Sá Gonçalves, vice-presidente da SBD, são abordadas questões como a formação desses especialistas, os tipos de ajuda que eles podem oferecer e a importância de contar com eles nas etapas de prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças, bem como durante os cuidados cosmiátricos.

“A dermatologia é um campo extremamente rico e diverso. Por isso, é importante que a população entenda como um especialista é capaz de ajudar de forma ampla. No mesmo dia, podemos ajudar pacientes com queixas mais simples e outros que estão numa luta mais intensa como alguma doença de pele, que sabemos que mexe diretamente com a autoestima. É uma formação linda e que pode ajudar na melhora da vida de uma pessoa”, declara Heitor Gonçalves.

Cuidados com a pele

No episódio 2, o ouvinte do Palavra de Dermato terá acesso a orientações sobre o chamado skincare, a rotina de cuidados com a pele recomendada pelos especialistas. O tema foi abordado durante um bate-papo descontraído com a participação de Cláudia Alcântara, secretária geral da SBD; Alessandra Romiti, assessora do Departamento de Cosmiatria Dermatológica da SBD; e Grinblat.

Na conversa, os especialistas falaram sobre a ordem de uso dos diversos produtos; as diferenças entre fazer skincare de manhã e à noite; os riscos de dormir sem tirar a maquiagem; as características de cada abordagem; as necessidades dos vários tipos de pele; a idade recomendada para começar a ter essa rotina; e as indicações para homens crianças.

Na oportunidade, Cláudia lembra ainda da importância do dermatologista e como ele pode auxiliar o paciente em diversas queixas. “Nós, dermatologistas, cuidamos não só da pele como também de cabelos e unhas. E os cuidados com os cabelos e unhas também são questões frequentes nos nossos consultórios e a gente não pode esquecer de cuidar deles também”, conclui a secretária geral da SBD.

Projeto

A cada sexta-feira, será lançado um novo episódio novo, que sempre serão anunciados pelo site da SBD, bem como pelos seus perfis de redes sociais, sendo que a população tem acesso gratuito ao conteúdo aos episódios. Uma inovação neste projeto é incorporar as dúvidas e comentários que forem encaminhados pelos ouvintes como fontes para alimentar pautas e debates.

“Há inúmeros sites e blogs que falam sobre cosméticos e procedimentos dermatológicos. No entanto, há muitas fake news espalhadas pelas redes sociais. Com o Palavra de Dermato, a SBD quer divulgar informação séria, de qualidade, mas numa linguagem acessível e amigável a todos os públicos. Por isso, estaremos atentos às contribuições que chegarem”, enfatiza Enokihara, presidente da SBD .

Com o Palavra de Dermato, a Sociedade Brasileira de Dermatologia pretende, além de orientar a população, reforçar a importância dos médicos especialistas nos cuidados com a saúde de cabelos, unhas e pele. Segundo Grinblat, que é 2º secretário e diretor de Comunicação da SBD, a proposta “inaugura um novo canal de diálogo com a comunidade, ampliando o espaço de SBD como referência no que se refere à saúde e dando à população subsídios para evitar conteúdo inadequado, sem embasamento científico e com risco de causar danos”.

Fonte: SBD

Conheça os principais hábitos que prejudicam o couro cabeludo

Especialista da Mahogany aponta o que deve ser feito para evitar o aparecimento de problemas como a caspa e o enfraquecimento dos fios

Ondulados, crespos, lisos ou cacheado, independentemente do tipo de cabelo, as mulheres apostam em tudo que pode ajudar no crescimento, força e aspecto dos fios. Prova disso é a grande quantidade de produtos das mais variadas categorias, como shampoo, condicionador, hidratantes, máscaras, óleos e finalizadores, criados justamente para satisfazer esse público, que está a cada dia mais exigente e preocupado com a saúde capilar.

Carlos Correa, gerente de pesquisa e produtos da Mahogany, marca especializada em produzir e comercializar cosméticos de alto padrão, explica que a raiz dos cabelos é a base para fios fortes e o excesso de uso de produtos, aliado à falta de informação, podem causar o surgimento de diversos problemas no couro cabeludo como a caspa e a oleosidade. “É dele que os fios se originam e se esse local estiver com excesso de oleosidade, por exemplo, não há corte que resolva, as madeixas serão afetadas sempre pelos mesmos problemas”, explica.

A boa notícia é que basta um pouquinho de atenção para garantir um couro cabeludos saudável. Confira abaixo alguns vilões capilares e a forma correta para driblar esses problemas:

Lavar com água quente
A água também pode ser uma vilã do cabelo saudável, se estiver na temperatura errada. Um banho quente pode ser bom, mas o calor estimula a produção de oleosidade no couro cabeludo e aumenta o ressecamento das pontas. Segundo o especialista, o ideal para a saúde capilar é priorizar água de morna a fria na higienização, pois não são agressivas para o couro cabeludo nem para os fios. “Quando extremamente quente pode ser muito prejudicial à região, provocando a perda de nutrientes e interferindo na saúde da cútis”, afirma.

486339964

Realizar vários procedimentos químicos de uma vez
Coloração, permanentes e relaxamento são procedimentos químicos que penetram profundamente na fibra capilar, alterando sua estrutura interna. “Para evitar danos, o indicado é esperar pelo menos duas semanas entre os procedimentos e fazer grandes mudanças de forma mais gradativa”, diz. Quando se trata de pintar os cabelos, o expert destaca que a melhor saída é optar por uma transformação gradual e utilizar shampoos específicos para cabelos coloridos. “Hidratar os fios pelo menos uma vez por semana também é fundamental para madeixas com qualquer tipo de química”, aconselha.

Dormir de cabelo molhado
Ao dormir de cabelo úmido ou molhado, deixamos o ambiente perfeito para a proliferação de bactérias, que precisam de calor e umidade. “O travesseiro prolonga o tempo de secagem dos fios e dificulta a dissipação do calor, criando um ambiente úmido e abafado. Para tentar controlar esse crescimento excessivo dos fungos, o organismo mobiliza suas células de defesa gerando inflamação. O quadro inflamatório que se desenvolve, chamado dermatite seborreica, é o responsável por sintomas como coceira, dor, caspa e queda de cabelo”, esclarece.

Usar condicionador no couro cabeludo
O erro é comum principalmente em quem tem cabelo mais curto. O produto deve ser aplicado somente no comprimento e pontas, evitando os excessos. A raiz do cabelo já é naturalmente hidratada, pois recebe oleosidade de forma natural. “O pior erro é aplicar condicionador diretamente no couro cabeludo. Essa prática pode causar problemas como oleosidade excessiva e obstrução dos poros, podendo levar até à queda dos fios”, alerta.

Veja abaixo produtos da Mahogany essenciais na rotina de cuidado com os fios:

Tônico Antiqueda Enerfol Vital Dermo 120 ml – R$ 125,00

Enerfol é o tônico antiqueda da Mahogany, um produto tecnológico especialmente formulado com ativos modernos que auxiliam no fortalecimento da estrutura do cabelo. Melhora a densidade capilar (número de fios por cm²), estimula o crescimento de novos fios, retarda o envelhecimento do folículo e ativa a microcirculação das células do bulbo capilar. Com eficácia comprovada*, é um tratamento cosmético para a queda da raiz até a pontas.

Máscara Repair Recuperação e Hidratação 300 g – R$ 99,90

Os tratamentos mais intensos exigem uma ação de reparação constante. A Máscara Repair trata os danos mais profundos reestruturando intensivamente as fibras capilares, através da penetração de ativos diretamente na cutícula do fio, restaurando desde o córtex capilar, até a camada mais externa, ao mesmo tempo, forma um filme que protege sua superfície. Fórmula rica em ingredientes de alto poder de hidratação e reparo, atua na reposição da massa capilar, fortalece e aumenta a resistência do fio, prevenindo a quebra e a formação de pontas duplas. Protege o cabelo contra danos térmicos, químicos, ambientais e mecânicos. Ação antipoluição que evita a deposição de resíduos ambientais nos fios, tornando-os mais luminosos. Mantém e realça a cor. Indicada para todos os tipos de cabelos principalmente cabelos com danos profundos. Recomendamos o uso por aproximadamente 2 ou 3 vezes na semana.

Fonte: Mahogany

Saiba como cuidar das roupas de inverno

Após meses guardados, chegou a hora de tirar os casacos do guarda-roupa. Aprenda algumas dicas para manter as peças sempre novas

O inverno nem chegou, mas o frio já se espalhou por quase todo Brasil. Na época mais gelada do ano, as roupas leves dão espaço para os casacos mais pesados, tricôs e luvas. Após meses no fundo do guarda-roupa, as peças podem apresentar mofo, poeira e o famoso “cheiro de guardado”. Para resolver estes problemas, o CEO da rede de lavanderias self-service Lavô, Angelo Max Donaton, separou algumas dicas para mantê-las sempre com cara de nova.

Foto: Pixabay

Trocando o guarda-roupa: o inverno começa oficialmente no dia 21 de junho, mas a melhor hora de organizar as roupas de frio é agora. Para evitar a rinite, o ideal é pegar as peças mais quentes e avaliar quais precisam ser lavadas e quais precisam ser estendidas para arejar um pouco. Deixar para conferir se aquele casaco de lã está bom apenas quando a temperatura abaixar pode ser a receita para um dia de espirros e alergias.

Foto: Depositphotos

Aproveite para doar: a mudança do guarda-roupa de verão para o de inverno é sempre um bom momento para separar algumas peças em bom estado para doação. Pelo Brasil, existem diversos pontos que recebem este tipo de material, que podem ser associações de bairro, igrejas, terminais de ônibus e estações de metrô.

iStock

Lavanderia não é luxo: lavar roupas pesadas durante o frio é um pesadelo. A água gelada e os dias no varal sem secar desanimam qualquer um. Até pouco tempo atrás, lavanderias eram luxo, mas hoje existem modelos self-service, como a Lavô, que democratizam o serviço. Se na etiqueta estiver que podem ir à máquina, a dica é apostar nesta solução: em uma hora as peças saem limpas, secas e praticamente passadas, pagando em média 14 reais por 10 quilos de roupa.

Não guarde peças úmidas: não guarde as peças imediatamente após usá-las para evitar que mofem por conta da chuva ou do suor do corpo. Coloque-as em um cabide e deixe tomar um ar para não armazená-las úmidas. No entanto, se o local também for muito úmido, vale colocar pedaços de giz ou cal em saquinhos de tule para absorver um pouco a umidade.

Quando o inverno acabar: na hora de voltar ao guarda-roupa, utilize sacos de TNT ou outro tipo de tecido que permita a ventilação da peça, assim, evita o acúmulo de pó. De tempos em tempos, também é interessante deixar as portas do guarda-roupa abertas para aumentar a ventilação, assim as peças estarão prontas para o próximo inverno.

Fonte: Lavô

Hoje é o Dia Mundial da Esclerose Múltipla

Saiba por que o conhecimento sobre a doença é fundamental, inclusive para a saúde bucal do paciente

O Dia Mundial da Esclerose Múltipla é em 30 de maio, data escolhida para a divulgação de informações sobre a doença, que atinge atualmente cerca de 2,3 milhões de pessoas no mundo. O conhecimento acerca da esclerose múltipla é fundamental, inclusive na Odontologia, uma vez que a condição ocasiona limitações que prejudicam até mesmo o processo de higienização bucal.

Saber mais sobre a esclerose múltipla também é importante para avaliar e definir o melhor tratamento e quais as orientações adequadas para cada fase da doença. Mas, afinal, o que é esclerose múltipla?

A doença e os sintomas mais comuns

A esclerose múltipla (EM) é uma doença autoimune, neurodegenerativa, que acomete o sistema nervoso central levando à incapacidade progressiva, problemas pessoais, familiares, sociais e profissionais, de origem desconhecida. Afeta em geral adultos na faixa de 18 a 55 anos de idade, sendo observada no Brasil uma taxa de prevalência de aproximadamente 15 casos por 100 mil habitantes.

A doença apresenta quadros de agravo e remissão, caracterizados por surtos ou ataques agudos da atividade. Os sintomas mais comuns são a neurite óptica, paresia ou parestesia de membros, disfunções da coordenação e equilíbrio, mielites, disfunções esfincterianas, alterações cognitivas e comportamentais, espasticidade, ataxia, tremor, fadiga, fraqueza muscular, depressão, levando à deficiência progressiva e dependência de cuidados.

A cirurgiã-dentista Juliana Franco, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Hospital Auxiliar de Suzano e Instituto Central – HCFMUSP) e Doutora em Patologia Oral e Maxilofacial e Pacientes Especiais pela FOUSP, explica que, em relação à Odontologia, o paciente portador de esclerose múltipla pode apresentar sinais e sintomas pertinentes à região da face e cavidade oral, como neuralgias cranianas, paralisia facial, disfunções temporomandibulares, complicações visuais, disfagia, disartria, espasmos hemifaciais, distonias e dormência em face. “As alterações orofaciais encontradas ou reportadas pelo paciente, juntamente com uma anamnese bem realizada, são importantes e servem de alerta para que o cirurgião-dentista tenha a esclerose múltipla como hipótese diagnóstica auxiliando no diagnóstico precoce pelo médico neurologista, com melhor prognóstico da evolução da doença”.

A esclerose múltipla em suas fases de progressão

A especialista esclarece que a esclerose múltipla apresenta quatro formas de evolução e, de acordo com o tratamento, da resposta ao mesmo e às morbidades apresentadas, é possível encontrar o paciente em diversas situações clínicas. “Atualmente, sabe-se que os tratamentos controlam bem os surtos da doença, melhorando o prognóstico e qualidade de vida do paciente”.

Com relação ao atendimento, Juliana explica que ele será efetuado de acordo com a fase da doença. “Quando no estado inicial, o atendimento será o convencional, realizado no consultório odontológico. Com a evolução da doença, principalmente os pacientes com dificuldade de adesão ao tratamento multidisciplinar/farmacológico ou do tipo de esclerose múltipla, podemos ter um paciente dependendo de cuidados e que necessite do atendimento odontológico domiciliar. Já no caso em que há agravamento, podemos ter um paciente hospitalizado, em que o dentista habilitado em Odontologia Hospitalar realizará o atendimento na internação”.

Neste contexto, a cirurgiã-dentista destaca que a Odontologia, hoje, se apresenta de forma muito mais acessível, possibilitando o atendimento do paciente em qualquer lugar e condição clínica.

Medicações utilizadas no tratamento e seus possíveis efeitos

O tratamento da esclerose múltipla é multidisciplinar, baseado na reabilitação do paciente, associado ao tratamento farmacológico com o uso de corticoides, imunossupressores e imunobiológicos de uso contínuo, ou na forma de pulsoterapia nos momentos de surto da doença. Esses medicamentos, segundo a Dra. Juliana, ocasionam uma modulação do sistema imune, diminuindo a sua atividade, aumentando o risco de infecções, no geral, incluindo as infecções orais. “O cuidado odontológico de rotina é fundamental para o tratamento e prevenção das infecções dentárias, que podem ser agravadas e apresentarem uma rápida evolução por conta da imunossupressão medicamentosa, assim como nos casos do desenvolvimento de infecções oportunistas em cavidade oral, como a candidíase oral e herpes simples”.

A cirurgiã-dentista lembra, também, que nos pacientes com doenças neurodegenerativas pode haver a associação de um quadro de hipossalivação (diminuição da produção de saliva) ocasionado pela polifarmácia e de uma perda progressiva e gradual da força muscular e coordenação motora. Segundo ela, a simples diminuição do volume da saliva traz riscos para os dentes (aumento do número de cáries), para as gengivas (progressão da doença periodontal), para as mucosas orais (traumas e infecções oportunistas) e de qualidade de vida do paciente (dificuldade para mastigar, deglutir os alimentos, falar, utilizar próteses dentárias).

A importância da higienização bucal do paciente com esclerose múltipla

A higienização bucal do paciente com esclerose múltipla é um item de extrema importância para a prevenção de doenças bucais. Alguns estudos associam à doença uma maior prevalência de cáries e problemas orais. Com relação a isso, Dra. Juliana explica que a dificuldade de higienização pode ser proveniente da falta de orientação do paciente e do cuidador sobre a importância da higiene bucal ou da melhor técnica para realizá-la, da perda progressiva da força muscular ou do déficit cognitivo que resultarão em uma higiene bucal deficiente, levando a danos cumulativos à saúde bucal do paciente.

“O aumento de cáries e de doenças bucais é devido a uma associação de fatores que deve ser diagnosticada pelo cirurgião-dentista, o qual deve elaborar um plano terapêutico contemplando o tratamento odontológico, consultas de rotina para prevenção e trabalho conjunto com o paciente e cuidador para adequar forma e estratégias para a realização da higiene bucal”.

De acordo com a cirurgiã-dentista, além do treinamento voltado aos cuidadores e familiares com relação à higiene bucal do paciente, existe a possibilidade de recorrer a adaptações das escovas dentárias, à utilização de dispositivos para manter a boca do paciente aberta durante a realização da higiene, às técnicas de escovação mais indicadas para cada paciente e ao uso de escovas elétricas. “A aspiração da cavidade oral durante e após a higiene bucal para evitar a possível broncoaspiração da saliva e espuma da pasta dentária, além do uso de colutórios e outros dispositivos para realizar a higiene oral, como os swabs orais de esponja, estão entre os recursos disponíveis”.

O importante, segundo Dra. Juliana, é deixar que o paciente faça o seu autocuidado e, caso comece a ser observada deficiência para realizá-la, o cuidador/familiar pode completar a higiene oral.

A especialista chama a atenção para a frequência da higienização. “Além da orientação de como realizar a higiene oral, é importante alertar para a frequência e momentos em que a mesma será feita, pois muitos pacientes podem fazer o uso de alimentação por sonda, ou seja, não comem pela boca, o que leva muitos familiares a não realizarem os cuidados orais por não saberem que, independentemente da forma que o paciente se alimenta, é essencial fazer a higiene oral”.

Cuidados gerais

Orientações sobre a dieta também são indispensáveis, especialmente em relação ao açúcar e carboidrato, que aumentam o risco de cárie, assim como o não consumo de dieta não condimentada, ácida ou gaseificada por conta da hipossalivação.

Conforme Dra. Juliana, a Odontologia deve ser baseada em cuidados gerais preventivos e curativos nos pacientes com deficiências. O cirurgião-dentista especialista em Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais é o profissional capacitado para entender de forma global o processo de saúde-doença e a sua evolução, devendo adequar o atendimento desde o preventivo, curativo e adaptações de acordo com as fases de doença. “Acolhimento, comunicação, empatia e humanização são fundamentais para a criação de vínculo com o paciente e sua família, possibilitando maior aderência ao tratamento odontológico, às orientações sobre higiene oral, à dieta e aos cuidados orais”.

Fonte: Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (Crosp)