Arquivo da tag: dermatologista

Avon e dermatologista Jardis Volpe explicam como estimular o colágeno da pele do rosto

Entenda a importância do colágeno e saiba como identificar o melhor tratamento para estimular essa importante proteína em diferentes idades

Os últimos tempos nos levaram a dar uma pausa na nossa rotina. Neste contexto, os rituais de beleza e de bem-estar ganharam um novo valor, inclusive o skincare. Além da alimentação e de um estilo de vida saudável, um bom creme facial é um importante aliado nesse processo de autocuidado. Mas, para identificar o tratamento adequado, é preciso estar atento ao processo de mudança da pele em cada fase da vida.

Sabemos que o colágeno compõe quase 80% da pele e, consequentemente, é a proteína estrutural mais crítica, no entanto, diminui cerca de 1% ao ano a partir dos 30 anos. Para estimular a produção do colágeno, a Avon traz um tratamento revolucionário em skincare com o lançamento da exclusiva tecnologia Protinol. Primeira solução tópica do mercado capaz de impulsionar a produção de dois tipos de colágeno ao mesmo tempo: o tipo I e tipo III.

A inovação que já estava disponível na forma concentrada em ampolas de tratamento, agora passa a integrar os cremes diários de Renew. Foram enriquecidas as tradicionais linhas Reversalist, Ultimate e Platinum dia e noite – indicadas para as faixas etárias de 30+, 45+ e 55+, respectivamente. Renew Reversalist é ideal para vitalidade e renovação após a aparição dos primeiros sinais, enquanto Renew Ultimate entrega firmeza e restauração para rugas moderadas e Renew Platinum promove elasticidade, definição e contorno para peles mais maduras e com rugas profundas.

Para entender um pouco mais sobre como estimular o colágeno por meio dos cuidados de skincare, a Avon convidou o dermatologista Jardis Volpe para falar sobre o tema:

Skincare: um momento de autocuidado

Para o ritual de cuidados com a pele do rosto, a dica é reservar um horário especial para esse momento. Transformando em uma experiência positiva, um momento de autocuidado e de prazer. “Cuidar da pele é como cultivar uma planta. É um processo contínuo e os resultados são percebidos aos poucos. Assim, é preciso manejar as expectativas, celebrando as pequenas mudanças diárias que surgem como resultado desse carinho dedicado para o momento”, explica Volpe.

Identifique os sinais dados pela pele sobre o processo de perda de colágeno

Ao longo dos anos é comum a pele perder a capacidade de produção de colágeno, proteína responsável por dar mais firmeza e sustentação a ela. De acordo com o dermatologista, o processo de perda de colágeno se inicia na faixa dos 30 anos e vai aumentando com o tempo. Na faixa dos 50, durante os anos da menopausa, esse movimento se acentua. Assim, é essencial prestemos atenção na nossa pele para que possamos identificar os sinais que ela emite para nos alertar sobre a perda de colágeno, como por exemplo, a flacidez e a perda de viço. A partir do momento em que constatamos essa deficiência, é importante utilizarmos tratamentos que estimulem a produção de colágeno para a reposição deste nutriente. Mas, mesmo antes dos 30 anos, são indicados os rituais preventivos. Quanto mais cedo incorporamos o cuidado com a pele, maior é o benefício percebido em longo prazo. Para tanto, existem três passos diários básicos: limpeza com um produto indicado para a região, aplicação de tratamento indicado para a faixa etária, e por último, o uso de protetor solar.

Utilize um tratamento específico para a sua faixa etária

Depois de identificar as demandas da pele, é importante buscar um tratamento com produtos específicos para cada idade. “Em cada momento da vida a nossa pele possui uma necessidade diferente, que exige um tratamento específico. É indicado que seja utilizado um produto que corresponda a nossa faixa etária, pois ele terá a formulação ideal para atender as demandas da nossa pele”, alerta Volpe. “Na faixa dos 30 anos, nós precisamos de soluções que entreguem vitalidade e renovação, a partir dos 45 anos, o foco é estimular a firmeza e restauração e, depois dos 55 anos, os tratamentos devem ajudar na elasticidade, definição e contorno facial” reforça o dermatologista.

Dicas para cuidar da pele

No dia a dia, muitas vezes, deixamos de lado alguns hábitos para cuidar da nossa pele e da nossa saúde, por isso, vale reforçar algumas dicas importantes. “Todas as peles, em todas as idades, precisam de um ritual de cuidado de três passos: limpeza, tratamento e proteção. Além disso, é importante beber água regularmente e manter uma alimentação mais saudável, evitando alimentos industrializados e com alto teor de açúcar. Outra dica é incorporar durante o ritual de skincare massagens faciais, realizando movimentos ao aplicar os produtos, facilitando a absorção dos ativos pela pele”, finaliza Volpe.

Todos os produtos Avon podem ser adquiridos por meio das revendedoras Avon ou pelo e-commerce. SAC: 0800 708 2866, de segunda a sábado das 8h às 20h.

Todos os tons de cinza: saiba tudo sobre os cabelos grisalhos

Getty Images

Diz-se que o cabelo de uma mulher é sua maior glória. Mais cedo ou mais tarde, essa coroa começará a ficar cinza. Ela, então, enfrentará uma decisão. Banir cabelos grisalhos com tintura ou balançar uma juba prateada? Seja qual for a escolha, conheça os fatos sobre os fios grisalhos para manter seu cabelo com a melhor aparência e toque.

Ciência dos grisalhos

Thinkstock

Os folículos capilares têm células pigmentares que produzem melanina, uma substância química que dá a cor ao cabelo. Conforme você envelhece, essas células começam a morrer. Sem pigmento, os novos fios de cabelo ficam mais claros e assumem vários tons de cinza, prata e, eventualmente, branco. Assim que o folículo parar de produzir melanina, ele não produzirá mais fios coloridos.

Quando e por que isso acontece

Gety Images

Você pode culpar seu trabalho estressante ou seus adolescentes indisciplinados por seus grisalhos. Mas são principalmente os seus genes que determinam quão cedo e com que rapidez isso acontece. Portanto, se algum de seus pais tiver cabelos fartos e grisalhos na casa dos 30 anos, há uma boa chance que você também terá.

Como a etnia desempenha um papel


Em média, os brancos começam a ficar grisalhos na casa dos 30 anos. Os asiáticos começam com quase 30 anos. E os afrodescendentes geralmente não vêem mudanças de cor antes dos 40 anos.

O que é grisalho prematuro?


Algumas pessoas ficam grisalhas dez ou mais anos antes do que a média. É prematuro se você for grisalho antes dos:

20 se você é branco
25 se você é asiático
30 se você é afrodescendente

Problemas de saúde tornam o cabelo grisalho?

Sim, podem tornar. Essas condições incluem:

=Falta de vitamina B-12
=Certas doenças tumorais hereditárias raras
=Doença da tireoide
=Vitiligo, condição que destrói as células produtoras de pigmentos no couro cabeludo
=A alopecia areata causa a queda de tufos de cabelo (geralmente aqueles com cor). Isso pode parecer um envelhecimento repentino porque os fios que restam são grisalhos ou brancos. Quando seu cabelo volta a crescer, ele poderá ser cinza, branco ou da cor normal.

O estresse faz você ficar grisalha?

Thinkstock

Não diretamente. Mas pode causar uma condição que faz com que seu cabelo caia cerca de três vezes mais rápido do que o normal. É possível que quando seu cabelo cresça de volta, ele esteja cinza em vez da cor original.

Cigarro

Thinkstock

Fumar afeta seu corpo da cabeça aos pés. Isso inclui o cabelo. Um estudo mostrou que os fumantes têm 2 e 1/2 vezes mais probabilidade de ficar grisalhos antes dos 30 anos do que os não fumantes. Também pode fazer com que o cinza prateado pareça amarelo.

Arrancar ou não …


Há um velho ditado que diz que se você arrancar um cinza, três crescerão de volta. Isso não acontece. Ainda assim, não arranque. Você está apenas atrasando o inevitável – outro fio cinza irá substituí-lo. Além disso, arrancar o cabelo pode danificar tanto os folículos que eles não geram mais cabelo. Isso pode fazer sua juba parecer fina com o tempo.

Grisalhos parecem diferentes?


O cabelo grisalho é mais fino do que o cabelo com cor natural porque sua cutícula é mais fina. Seu cabelo precisa de proteção natural contra água, raios ultravioleta do sol, umidade, produtos químicos e secador. Sem essa barreira, seu cabelo perde água. Portanto, seu cinza ficará seco, frágil e áspero. O cabelo afro tende a ser mais sujeito a danos, em comparação com o de asiáticos e brancos.

Domine essas madeixas


O tratamento de umidade e a oleosidade do cabelo podem combater os tons de cinza opacos e secos. Produtos anti-frizz também podem ajudar. O calor e a luz das lâmpadas ou do sol podem “descolorir” os cabelos grisalhos e torná-los amarelos. Pergunte ao seu cabeleireiro como evitar isso. Um xampu de tonalidade roxa pode ajudar a manter suas madeixas prateadas vibrantes.

Cuidado especial para cabelo afro


O cabelo das pessoas negras geralmente é mais fino, mais seco e quebra com mais facilidade, em comparação ao cabelo de pessoas de outras etnias. Portanto, penteie-o e trate-o com cuidado, especialmente se usar produtos químicos para relaxar os fios. Adicione a umidade com um condicionador leve que penetre nos fios do cabelo, em vez de lanolina ou outros tratamentos oleosos que simplesmente revestem os fios.

Camufle

Thinkstock

Se você tem apenas alguns fios de cabelo grisalhos, pode ocultá-los se for criativa. Use uma bela bandana. Ou mude seu penteado – divida-o onde houver menos cinza. Se você tem cabelo comprido, use um penteado para esconder as raízes grisalhas.

Ou pinte

Thinkstock

Você pode fazer isso sozinha. Procure produtos desenvolvidos para cabelos grisalhos. A tintura permanente cobre melhor as raízes teimosas do que a cor semipermanente. Se você puder pagar, opte por um tratamento em seu salão local. Se alguns dos seus tons de cinza não forem cobertos, tente usar um tom mais claro que se mesclará com os tons de grisalhos.

Henna

Getty Images

Se você se preocupa com os danos dos corantes químicos, considere o uso de henna natural. Ele pode adicionar brilho vermelho, marrom ou preto a qualquer textura de cabelo. Pigmentos em pó das folhas da henna podem funcionar bem para camuflar raízes cinzentas.

Ao natural

Getty Images

Se você estiver pronta para se livrar da tintura, pode ficar graciosamente cinza enquanto o cabelo cresce. Pergunte ao seu cabeleireiro quanto grisalho você realmente tem. Se for muito, você pode clarear os fios para minimizar. Ou você pode mudar de uma cor permanente para uma cor menos opaca, o que pode fazer com que seus fios cinza imitem luzes e se misturem melhor com o resto do seu cabelo.

Obtenha o corte certo


Faça um corte perfeito com muito estilo e textura, e faça isso a cada 6-8 semanas. As mulheres que são 100% grisalhas costumam usar cabelos curtos. Mas considere camadas longas. Eles podem ser bonitos e adicionar movimento ao cabelo saudável e saltitante.

Fonte: Stephanie S. Gardner (dermatologista)/WebMD

Não adianta passar mel, óleo de coco, abacate e ovo no cabelo se você tem uma alimentação ruim

Receitas caseiras têm poder limitado na atuação tópica para melhora dos fios de cabelo. Seria bem melhor introduzir esses ingredientes na alimentação diária, pois trarão benefícios não só para o cabelo, mas para o corpo todo. Em contrapartida, alimentação rica em açúcar só piora qualidade capilar

Uma busca rápida na Internet e encontramos diversos (e bons) ingredientes alimentares em um mix de receitas para melhorar a hidratação e a nutrição dos fios capilares. Mel, óleo de coco, abacate, ovo, aveia, banana, mamão e abóbora estão entre os alimentos que figuram nas receitas caseiras para salvar os fios.

Mas se você só vai ao mercado comprá-los para passar nos cabelos enquanto tem uma alimentação recheada de açúcar e frituras, o resultado será zero (e é melhor você inverter essa lógica e consumir esses ingredientes nas suas refeições).

“O excesso de açúcar na dieta, que geralmente vem acompanhado de uma ingestão reduzida em proteínas, vitaminas, minerais e antioxidantes (condicionais para manter a saúde do organismo como um todo e ainda sobrar para o adequado aporte à pele, cabelo e unhas), pode comprometer a saúde dos folículos capilares aumentando a possibilidade de eflúvio (queda intensa dos cabelos). Muito açúcar circulando é um dos fatores que propicia um desequilíbrio da microbiota e aumenta o perfil inflamatório do organismo como um todo”, diz a médica nutróloga Marcella Garcez, professora e diretora da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

“Como o cabelo não é um órgão ou tecido vital, seu corpo nunca priorizará suas necessidades nutricionais. Portanto, devido à natureza descartável do cabelo, um desequilíbrio nutricional geralmente afeta primeiro o cabelo, causando fraqueza e queda”, afirma Kédima Nassif, dermatologista e tricologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Associação Brasileira de Restauração Capilar. Resumindo: você pode caprichar na receita caseira (que tem um efeito tópico mais limitado), mas se sua alimentação for ruim, o resultado será pequeno e quase irrelevante.

De acordo com a tricologista, o cabelo é composto principalmente de proteínas, portanto, incluir quantidades adequadas em sua dieta é vital para o crescimento dos fios. “Alimentos que são boas fontes de proteínas são peixe, frango, carne magra, ovos, feijão, quinoa, tofu e leguminosas. O ovo por exemplo é um velho conhecido quando o assunto é saúde capilar, sendo incluído em receitas caseiras de hidratação dos fios. Sua boa ‘fama’ vem do fato de que o ovo é rico em proteínas, ácidos graxos, aminoácidos essenciais, vitaminas e minerais como zinco, selênio e ferro. Esses micronutrientes são envolvidos nos processos de formação da fibra capilar e de multiplicação das células da raiz do cabelo, facilitando o processo. É por isso que o consumo de ovos contribui para sua saúde capilar”, diz a tricologista Kédima. Melhor que aplicar diretamente nos fios é ingerir o alimento.

“Aproximadamente 85% do cabelo é formado de queratina, que é uma proteína, e por ser um tecido de excreção, é formado de aminoácidos sobressalentes para essa função. Se não houver sobra de proteínas, não há boa síntese de queratina. Além disso, minerais metálicos como ferro e cobre além de vitaminas do complexo B como a biotina participam da manutenção da saúde capilar”, diz Marcella.

Pexels

O mel, por exemplo, é muito mais que um açúcar natural e conta com outros componentes como ácidos orgânicos, minerais, antioxidantes e aminoácidos. “O mel possui a maioria dos elementos minerais essenciais para o organismo humano, especialmente o selênio, manganês, zinco, cromo e alumínio. Essas propriedades são altamente benéficas à saúde”, diz a médica nutróloga. “O zinco ajuda na recuperação e reparação dos tecidos e contribui para o fortalecimento do seu cabelo. A sua carência pode levar a um aumento da queda de cabelo e a um couro cabeludo seco e escamoso. Já o selênio cria uma barreira nos fios contra os radicais livres”, afirma Kédima.

Outro oligoelemento importante para o crescimento e fortalecimento do fio de cabelo é o silício, segundo Mika Yamaguchi, farmacêutica e diretora científica da Biotec Dermocosméticos. “Ele é um elemento importante para formação e estrutura do fio, além de ajudar muito nesta melhora da qualidade do cabelo. O ideal, nesse caso, é a suplementação de Exsynutriment, um silício estabilizado em colágeno marinho hidrolisado e que fornece silício biodisponível para o organismo. Associado com cisteína, cistina, bio-arct mais vitaminas pode melhorar a saúde capilar, por esta razão é importante sempre consultar um dermatologista ou tricologista para se ter uma indicação precisa e o melhor resultado no cabelo”, afirma a farmacêutica.

O óleo de coco e o abacate, por sua vez, são fontes de boas gorduras, que ajudam a hidratar e a nutrir os fios. “O abacate, além do magnésio que ajuda a deixar o cabelo mais forte, tem Vitamina E, que além de ajudar na hidratação natural, tem atuação antioxidante interessante contra os danos ambientais”, diz a tricologista. Segundo a farmacêutica Mika Yamaguchi, em alguns casos, a suplementação pode ser bem-vinda. “O In.Cell é um ingrediente funcional preparado a partir da gema do ovo esterilizada rica em DHA. Ele contém aminoácidos essenciais, lipídeos e ácidos graxos mono e poli-insaturados (ômegas 3, 6, 7 e 9) nas proporções adequadas para o consumo humano, garantindo reparação e nutrição celular, ideais para um cabelo sadio e bonito”, diz a farmacêutica.

Segundo Kédima, consumir ferro também ajuda na saúde e beleza dos fios. Os níveis de ferritina (ferro armazenado) são extremamente importantes para o crescimento do cabelo. “Se sua dieta permitir, tente comer carne vermelha magra pelo menos duas vezes por semana. Caso contrário, tente adicionar um suplemento nutricional de ferro à dieta ou invista em folhas verde-escuro como o espinafre, que tem altos níveis, um mineral crucial para a formação do cabelo e para o transporte do oxigênio no sangue, oxigênio esse que chega às raízes capilares favorecendo sua multiplicação e a presença de fios com bom crescimento e espessura”, diz a tricologista.

Foto: Dvir;/Morguefile

Uma dica importante para melhorar a absorção do ferro é, próximo à refeição, apostar na vitamina C. “O ferro de origem vegetal é melhor absorvido se você o ingerir juntamente com a vitamina C. Beba um copo de suco de laranja ou limão espremido na hora ou coma uma de suas frutas e legumes favoritos para ajudar na absorção de ferro”, diz Marcella. O seu cabelo também agradece: a vitamina C é um antioxidante poderoso e cofator na produção de colágeno, essencial para o fortalecimento da pele e do cabelo.

Invista também em fontes de vitamina A, como a cenoura e a abóbora. “Ela vai ajudar na produção normal de sebo. No entanto, cuidado com o excesso desse ingrediente que pode fazer com que o cabelo caia”, afirma Kédima. E antes de investir apenas em receitas caseiras, o ideal é buscar ajuda médica. “Com mudanças no hábito alimentar e a prescrição individualizada de suplementos alimentares, muito do aspecto indesejável do cabelo pode ser minimizado”, finaliza Marcella.

FONTES:
Kédima Nassif é dermatologista e Tricologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Associação Brasileira de Restauração Capilar. Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, possui Residência Médica em Dermatologia também pela UFMG; realizou complementação em Tricologia no Hospital do Servidor Público Municipal, transplante capilar pela FMABC e em Cosmiatria e Laser pela FMABC.
Marcella Garcez é médica nutróloga, Mestre em Ciências da Saúde pela Escola de Medicina da PUCPR, Diretora da Associação Brasileira de Nutrologia e Docente do Curso Nacional de Nutrologia da Abran. Membro da Câmara Técnica de Nutrologia do CRMPR, Coordenadora da Liga Acadêmica de Nutrologia do Paraná e Pesquisadora em Suplementos Alimentares no Serviço de Nutrologia do Hospital do Servidor Público de São Paulo.
Mika Yamaguchi é farmacêutica pela faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP – Universidade de São Paulo, é também cosmetóloga e diretora científica da Biotec Dermocosméticos, empresa fornecedora matérias primas para cosméticos. Especialista em prescrições dermo e nutricosméticas.

 

Dicas para evitar o surgimento de cravos e espinhas causados pela maquiagem

A acne é um problema que atinge grande parte da população, afetando cerca de 90% dos adolescentes e metade da população adulta. Dessa forma, é natural que muitas pessoas busquem na internet soluções para prevenir e tratar a condição. No entanto, é preciso lembrar que o ambiente virtual está repleto de informações incorretas. Uma informação muito disseminada, por exemplo, é que o uso de maquiagem provoca o surgimento de cravos e espinhas, o que, de acordo com a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, não é verdade.

“A maquiagem causa espinhas apenas quando é aplicada de maneira errada, não é retirada corretamente ou os produtos usados não são específicos para a pele oleosa”, afirma. Então, para que você possa utilizar maquiagem sem se preocupar, a especialista listou 5 cuidados que devemos tomar na hora de se maquiar para prevenir o aparecimento de acne. Confira:

makeup brush and cosmetics, on a white background isolated

Escolha sua maquiagem com cuidado – assim como os dermocosméticos, as maquiagens também devem ser escolhidas de acordo com seu tipo de pele. “Por isso, caso você sofra com acne e pele oleosa, o ideal é procurar por maquiagens oil-free e não comedogênicas, ou seja, produtos que possuem uma textura mais leve e contam com ingredientes menos oleosos para evitar o entupimento dos poros”, aconselha a médica. Vale a pena investir também em maquiagens formuladas com ativos que atuem na prevenção, controle e tratamento da acne, como o ácido salicílico. “Porém, evite maquiagens líquidas muito pesadas e de alta cobertura, já que esse tipo de produto favorece o acúmulo de óleo e sujeira, levando ao entupimento dos poros e ao surgimento de cravos e espinhas.”

mulher limpeza pele rosto wiseGEEK
Foto: wiseGEEK

Prepare sua pele – antes de aplicar a maquiagem, lembre-se de realizar a rotina diária de cuidados com a pele. “Comece higienizando a pele com um sabonete que controle a oleosidade e seja formulado com ativos anti-inflamatórios. Após o sabonete, é necessário utilizar um tônico adstringente e, em seguida, aplique seu medicamento para acne, caso utilize algum. Não se esqueça também da hidratação, que deve ser feita com séruns ou géis formulados com ativos que promovam o controle da oleosidade, o que, além de ajudar a prevenir o surgimento de acne, também deixará a maquiagem com um resultado melhor”, recomenda a dermatologista. Para finalizar, aplique o protetor solar, que deve ter, no mínimo, FPS 30 e pode conter cor, o que vai te ajudar a poupar tempo na hora de aplicar a maquiagem.

limpando pincel everygirl
Every Girl

Utilize pincéis de maquiagem ou os próprios dedos – segundo Paola, o importante é evitar aplicar a maquiagem com os dedos ou pincéis sujos para que a oleosidade e sujeiras presentes nas mãos ou materiais não sejam transferidas para o rosto, favorecendo assim o entupimento dos poros. “Não se esqueça de limpar essas ferramentas após cada uso ou pelo menos a cada duas semanas, já que pincéis e esponjas podem acumular resíduos que, além de influenciarem no acabamento, textura e até na cor de sua maquiagem, podem causar alergias, irritações ou dermatites na pele, chegando até a contribuírem para a formação de cravos e espinhas”, alerta.

maquiagem annca pixabay
Pixabay

Não compartilhe pincéis e esponjas – “Apesar da acne não ser contagiosa, bactérias e sujidades que estão envolvidas na formação de cravos e espinhas podem ser transferidos de uma pessoa para a outra por meio dos pincéis e esponjas de maquiagem. Então, evite o compartilhamento dessas ferramentas.”

demaquilante limpeza pele mulher

Não se esqueça de remover a maquiagem – um dos principais cuidados para prevenir o surgimento de acne devido ao uso de maquiagem é removê-la de toda a face para evitar a obstrução dos poros. Mas não adianta utilizar produtos de higiene básica, como sabonetes e loções de limpeza, pois eles não são capazes de eliminar todas as impurezas. No lugar, aposte em um demaquilante ou cleansing oil. “Os demaquilantes em forma de loção, gel e espuma são ótimos para retirar os resíduos mais leves da pele, como restos de batom, blush e sombra em pó. Porém, para remover produtos de longa duração e a prova d’água, o melhor é utilizar demaquilantes bifásicos ou cleansing oil”, afirma a médica.

Beautiful girl wearing towel on her head worried about acne

Paola reforça que, caso você esteja sofrendo com um quadro constante e persistente de acne, o mais importante é visitar um dermatologista. “Apenas ele poderá identificar o real causador da acne e indicar o melhor tratamento para o seu caso, seja tópico ou oral”, finaliza.

Fonte: Paola Pomerantzeff é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais.

Pele ressecada e sem brilho? Aprenda cuidados essenciais para o inverno

No inverno, a umidade do ar fica cada vez menor e a queda da temperatura promove a diminuição da transpiração corporal o que aumenta a sensação de ressecamento da pele. Além disso, o clima frio leva as pessoas a tomarem banhos mais quentes e longos, contribuindo para a disruptura da barreira hidrolipídica que protege a pele, causando mais secura e o surgimento de vermelhidão, descamação e coceira.

As células da camada superficial da pele formam uma barreira física protetora, com impermeabilidade relativa à água, evitando a perda acentuada do líquido de dentro para fora. Produzem ainda uma substância denominada fator de hidratação natural que possui alto poder higroscópico, ou seja, capacidade de captar moléculas de água, a fim de manter o equilíbrio hídrico da pele.

Se a barreira cutânea fosse uma parede, as células seriam os tijolos, mas para uma eficiente proteção os espaços entre os tijolos deveriam ser preenchidos com um bom cimento. Neste caso, o cimento é o produto secretado pelas células da pele, associado a lipídeos secretados pelas glândulas sebáceas, que também possui propriedades antimicrobianas e substâncias precursoras da vitamina D. Por isso não se deve tentar eliminar toda oleosidade da pele, pois ela é benéfica quando na medida certa.

Para manter a beleza e saudabilidade da pele é recomendado realizar uma limpeza gentil, hidratação e proteção contra agentes oxidantes e irritantes como sol, poluição, químicos, cigarro, entre outros; além de ingerir líquido e manter uma alimentação saudável. Investir em procedimentos dermatológicos também é recomendado, e a soma dessas ações trazem benefícios a longo prazo, muito além do clima frio.

Tratamentos de pele

Peeling-de-Cristal-Diamante-Moema-AmadiSpa

As estações mais frias são ótimas para realizar procedimentos dermatológicos mais intensos, pois requerem que o paciente evite a excessiva exposição ao sol. Nessa época, são recomendados tratamentos com lasers para problemas como manchas, rugas, cicatrizes de acne e estrias. Além de peelings com ácidos mais concentrados para uma renovação da pele.

A hidratação da pele deve ser feita em casa com cremes, loções, óleos e máscaras, de forma rotineira. Nas clínicas há a opção de realizar uma hidratação mais profunda, através de técnicas que aumentam a permeabilidade de substâncias reparadoras e antioxidantes que melhoram o viço da pele. O turgor cutâneo também pode ser restaurado rapidamente, por meio de aplicações de ácido hialurônico específico chamado de “skin booster”.

Lembre-se: é importante consultar um dermatologista para saber quais os procedimentos disponíveis para cada objetivo, assim como manter um acompanhamento para os tratamentos realizados.

Alimentação saudável

organicos legumes

Para prevenir o envelhecimento da pele, o ideal é escolher alimentos que são fontes de vitaminas e minerais que neutralizam os radicais livres. Por exemplo, legumes e hortaliças, frutas ricas em vitamina C como morango, laranja, mexerica, limão e cereja; entre os vegetais, o brócolis, o repolho e a cenoura – rica em carotenoides – são exemplos de alimentos para essa estação.

Existem alimentos que são aliados importantes e devem ser adicionados à dieta: a soja é rica em isoflavonas, substâncias que evitam o ressecamento e melhoram a elasticidade da pele; castanhas, nozes e amêndoas são ricas em vitamina E; e o selênio contém antioxidantes. Todos são compostos importantes para manter a pele saudável e bonita.

Beba água!

Hidratacao agua mulher

Um erro brutal, que muitas pessoas cometem, é diminuir a ingestão de líquidos no frio. Beber água é extremamente importante para conservar a hidratação da pele e o pleno funcionamento de todo o organismo que pode fica mais debilitado nesta época por conta das gripes e resfriados. Um corpo hidratado apresenta uma pele mais macia e elástica.

Para quem possui dificuldade em tomar água, uma dica é inserir na dieta o consumo de chás claros ou de frutas e sucos naturais, além de sopas. Dividindo a quantidade indicada para um dia, de dois litros, entre água e as opções escolhidas. Dessa forma, o consumo torna-se mais prazeroso.

Doenças da estação

Durante o inverno, algumas doenças podem surgir, ou piorar, por causa do frio e ressecamento da pele. As principais são:

dermatite seborreica belgravia centre
Foto: Belgravia Centre

Dermatite seborreica: inflamação crônica e recorrente que ocorre principalmente nas áreas oleosas e que contêm pelos como: couro cabeludo, face (área de barba, sobrancelhas), virilha e tórax anterior, mas também afeta com frequência a lateral do nariz e orelhas. A causa não é totalmente conhecida, e a inflamação pode ter origem genética ou ser desencadeada por agentes externos, como o fungo Pityrosporum ovale. Os sintomas são caracterizados por intensa produção de oleosidade, vermelhidão, descamação e coceira. A descamação pode causar caspa, que varia desde fina até a formação de grandes crostas aderidas ao couro cabeludo, a chamada seborreia.

dermatite_atopica

Dermatite atópica: é caracterizada pelo ressecamento e excesso de lesões avermelhadas na pele. A interação entre predisposição genética, fatores ambientais, defeito da barreira cutânea e desregulação imunológica é o que leva ao aparecimento dos eczemas atópicos. O principal sintoma é a coceira, que pode começar antes das lesões cutâneas se manifestarem, podendo atingir a face, tronco e membros. Na infância, as lesões surgem nas bochechas – ainda com poucos meses de idade – podendo disseminar para os braços e pernas. Nos adolescentes e adultos, as feridas localizam-se nas áreas de dobras da pele, como posterior dos joelhos, pescoço e dobras dos braços, além da cabeça. Locais em que a pele se torna mais grossa, áspera e escurecida. Pode estar associada à asma e rinite.

psoriase-mulher-peq

Psoríase: doença crônica de pele que geralmente causa lesões avermelhadas em placas e descamativas no couro cabeludo, cotovelos e joelhos, mas pode afetar qualquer região do corpo. Outras formas de apresentação também existem, como a pustulosa. É causada por fatores genéticos e distúrbio do sistema imunológico. Atinge igualmente homens e mulheres e pode se desenvolver em qualquer idade, mais comumente entre os 20 e 40 anos. Estresse, trauma da pele, medicamentos, infecções e frio atuam como fatores desencadeantes da doença. O quadro da pele pode ser acompanhado por alterações nas unhas e inflamação de articulações.

ictiose-vulgar

Ictiose vulgar: condição hereditária que resulta em uma pele extremamente seca com descamação fina ou até rachaduras de aspecto geométrico. É causada por mutações dos genes que codificam a proteína filagrina, uma das moléculas responsáveis pela impermeabilidade da pele e por sua hidratação. Aparece geralmente na infância e as áreas mais atingidas são os membros, podendo afetar também a face, tronco e o couro cabeludo.

Resumo de dicas para manter a pele hidratada:

Young woman enjoy shower

• Beber, no mínimo, dois litros de água por dia;
• Evitar banhos quentes e demorados. Use um aquecedor portátil no banheiro para aquecer o ambiente e não aumentar a temperatura da água.
• Evitar se ensaboar demais e usar buchas, esponjas, toalhas, escovas para esfregar o corpo, pois isso contribui para retirar o manto hidrolipídico (hidratante natural produzido pelo organismo) que protege a pele;
• Escolha sabonetes líquidos hidratantes ou para pele sensível/alérgica e passe especialmente nas dobras corporais (axila, virilha, genital), áreas oleosas (face, tórax anterior) e áreas mais sujas como os pés. Nos braços, pernas e abdome prefira o uso de cremes ou óleos higienizadores.

-royalty-free- mulher corpo creme
Royalt Free Image

• Usar hidratante após o banho ajuda na absorção do creme;
• Para peles oleosas e acneicas utilize hidratantes oil free, gel ou sérum;
• Os lábios também costumam ressecar muito no inverno. É importante usar hidratantes específicos com FPS e assim evitar rachaduras; Evite molhar os lábios com a saliva pois piora o ressecamento.

mulher madura rosto creme olhos grisalha
• Use filtro solar diariamente, mesmo nos dias nublados e com chuva. Ele forma um filme protetor que ajudar a bloquear a ação do frio bem como a radiação solar.

Mesmo no inverno, podemos redobrar os cuidados diários com a pele para que ela se mantenha saudável e bonita durante todo o ano. Procure seu dermatologista e mantenha uma rotina de cuidados.

lilian odo

Fonte: Lilian Odo é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Academia Americana de Dermatologia. Fez especialização em Laser na Universidade de Hokkaido, Japão; e de Cicatrização na Universidade de Boston, EUA. Atualmente, é convidada para ministrar aulas em Congressos de âmbito Nacional e Internacional.

A beleza dos cabelos brancos que também devem ser sedosos, macios e saudáveis

Cabelos estão sempre sujeitos a estilos e tendências. Seja o corte que a atriz adotou na novela, a cor que combina mais com a estação, o estilo liso de ser, os cachos libertadores, mas ninguém esperava que cabelo branco poderia estar na moda. É isso mesmo, exibir uma vasta cabeleira branca está em alta, quando o assunto é o que o seu cabelo diz sobre você. Mas não esqueça que a regra é clara, vale para qualquer tipo, os cabelos devem ser saudáveis e bonitos sempre, em todas as formas e variações.

mulher cabelos grisalhos
Os fios brancos individuais aparecem de repente, mas se multiplicam assustadoramente para as mulheres. E o que é pior, em locais no couro cabeludo que podem comprometer a sua aparência. Pensando nisso muitas mulheres resolveram assumir os cabelos brancos e dar um basta nas aplicações de tinturas todo mês e, até mesmo, a cada quinze dias.

Mas esses cabelos brancos também precisam de cuidados especiais. A diretora da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo, no Rio de Janeiro, a dermatologista e tricologista Joana D’arc Diniz, explica que não se pode descuidar da saúde dos cabelos, mantendo o fio mais branco e brilhante. “Para evitar o amarelamento, comum na cor branca, existem xampus específicos. Diversas opções ajudam a realçar a cor prata dos fios brancos, remover o amarelo dos grisalhos e neutralizar o amarelo do descolorido”, informa a especialista.

Cabelos brancos exigem cuidados redobrados. Quem assume os fios brancos tem grande preocupação em mantê-los bonitos. Além dos xampus específicos para o tipo de cabelo, a terapia capilar permite a melhor irrigação sanguínea na região, o que vai otimizar a nutrição celular. Outra técnica com resultados eficazes é a laserterapia, que garante a oxigenação das células no couro cabeludo.

O que causa o cabelo branco?

shutterstock mulher cabelo grisalho curto
É bom esclarecer que o fio branco não é um fio doente, ruim, nem menos liso ou macio que os demais. Eles até ficarão mais grossos, mas com o tempo, voltam a ficar com a espessura natural. O que define a cor dos cabelos é a quantidade e o tipo de melanina contida nos fios.

“A melanina é encontrada sob diversas formas. Cabelos pretos e castanhos contêm eumelanina, um pigmento escuro. Ruivos e louros possuem um pigmento brilhante chamado feomelanina. Já os cabelos grisalhos contêm uma pequena porção de melanina, enquanto que cabelos brancos, nenhuma”, diferencia a especialista em tricologia, a ciência que estuda a diversidade dos cabelos.

O cabelo branco aparece porque ocorre um fenômeno anatômico chamado apoptose, que é a morte da célula que produz a melanina. A morte desta célula (melanócito) é determinada geneticamente. Portanto, a questão genética é um fator crucial para desencadear o problema. Existem famílias em que jovens, antes dos 18 anos, já apresentam cabelos brancos. Analisando pelo ponto de vista racial, nos brancos, se manifestam entre os 35 e 45 anos, nos amarelos, entre os 45 e 55 anos, e nos negros, a partir dos 55 anos.

Além da questão genética, um déficit nutricional pode impulsionar a profusão de cabelos brancos. É raro, mas a baixa ingestão de cobre pode levar a um embranquecimento precoce dos cabelos. Para retardar o surgimento de uma vasta cabeleira branca, é necessário a ingestão regular do mineral, encontrado no chocolate meio amargo e nos frutos do mar.

mulher meia idade grisalho
O estresse pode desencadear indiretamente o processo de embranquecimento dos fios. “Traumas que geram queda capilar, como o eflúvio telógeno, o vitiligo capilar ou a alopecia areata, podem levar os próximos fios a nascerem sem pigmentação”, finaliza a a dermatologista.

Fonte: Joana D’arc Diniz é Diretora Científica da Sociedade Brasileira de Medicina Estética – RJ e Diretora da Sociedade Brasileira do Cabelo – RJ. Coordena o Curso de Pós-Graduação em Medicina Estética da F.T.E. Souza Marques, onde atua como Coordenadora Médica do Ambulatório de Toxina Botulínica e Preenchimentos Temporários. É professora convidada do Mestrado em Medicina Estética da Universidade das Ilhas Baleares na Espanha. É membro da U.I.M.E. (Union Internationale de Médecine Esthétique) e integra o G.I.S.C. (Grupo Internacional para Estudo da Carboxiterapia).

Dermatologista dá dicas fáceis para cuidar da pele em casa

Hellisse Bastos revela que com cuidados caseiros e simples de ter é possível ficar linda e com a pele em dia mesmo durante a quarentena

Agora, nesta época de quarentena, muitas pessoas estão ficando mais em casa e, com isso, se sentindo mais incomodadas com a estética do rosto e contornos, além de imperfeições que na correria do dia a dia passavam despercebidas.

Apesar do uso das novas tecnologias disponíveis nos consultórios e clínicas de estética certificadas ser altamente recomendadas para a melhora da pele, tanto na diminuição dos poros quanto no tratamento da pele oleosa como na formação de colágeno e diminuição de rugas, com o isolamento e a quarentena fica mais difícil sair de casa para ir a um consultório ou clínica de estética.

dra hellisse 3 (002)

No entanto, a dermatologista Hellisse Bastos, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e que atende em Belo Horizonte(MG), aponta alternativas caseiras para cuidar da sua pele. Confira as dicas e tratamentos caseiros para deixar sua tez linda:

Tratamentos caseiros para a pele

Maquiagem com efeito de preenchimento

maquiagem antes e depois callistalorian
Reprodução Instagram da makeup artist Callista Lorian

O preenchimento com ácido hialurônico é como se fosse um jogo de sombra e luz, que realça e destaca partes do rosto. Hoje existem várias técnicas de maquiagem que fazem a mesma coisa que um preenchimento e podem adicionar brilho e cor à pele, como um blush, que pode dar um aspecto mais rosado e saudável ao rosto. Com maquiagem é possível afinar um pouco o nariz jogando contornos nas laterais e iluminando a área central com maquiagem.

Hidratação

pele mulher jovem creme

Tenha um bom hidratante para a pele em casa para manter a textura sempre bonita, diminuindo rugas e o aspecto de ressecamento. Escolha um hidratante que seja de boa qualidade, dermatologicamente testado e adequado para o seu tipo de pele.

Esfoliação

mulher rosto esfoliante liveabout
Foto: LiveAbout

Importante para renovação da pele e remover células mortas do rosto. Deve ser feita de 15 em 15 dias para melhorar a oleosidade e retirar impurezas. Esfoliantes caseiros não são totalmente recomendados porque podem causar alergias e ressecamento da pele, além de existir o risco dos ingredientes mancharem a pele quando expostos ao sol. Alguns ingredientes usados nessas receitas caseiras, como o sal grosso e o açúcar cristal, podem agredir a pele, pois as partículas esfoliantes são pontiagudas demais. Por isso, a maneira mais segura para esfoliar a pele é utilizar produtos específicos recomendados por dermatologistas, que podem ser encontrados em farmácias ou feitos por manipulação com prescrição.

Máscaras clareadoras

Existem máscaras caseiras que podem ser usadas para uniformizar o tom da sua pele. Quanto mais uniforme o tom da pele do rosto melhor o aspecto e aparência de rejuvenescida.

Máscara caseira para clarear e melhorar acne

O melhor horário de utilizar a misturinha é antes de dormir, já que depois disso você não entrará em contato direto com o sol, evitando o aparecimento de manchas. O ideal é que você faça essa máscara, ao menos, duas vezes por semana. Em casos mais extremos, faça em dias intercalados (um dia sim e outro não). O legal é que ela é simples de fazer e pode ser aplicada em qualquer tipo de pele.

mulher usando esfoliante pinterest
Pinterest

Ingredientes
2 (duas) colheres de sopa de borra de café
1 clara de ovo batida em neve
1 ou 2 gotas de óleo de gerânio ou de amêndoas

Modo de preparo e aplicação
Misture todos os ingredientes até obter uma pasta com aspecto arenoso. Antes de tomar banho, aplique essa mistura no rosto e tenha bastante cuidado para não esfregar a área dos olhos. Faça movimentos circulares e tenha controle da força para não agredir a pele. Na área dos olhos, aplique a máscara com bastante cuidado. Deixe agir por 10 minutos. Em seguida, retire a máscara com água em temperatura ambiente (ou morna, aproveitando a água do banho). Seque o rosto com cuidado e aplique o creme que você usa normalmente. Se a sua pele for oleosa, use cremes que não utilizem óleos em sua composição.

Dia Mundial do Chocolate: o bem e o mal que cada um pode fazer para pele, circulação e saúde

Especialistas explicam os benefícios e malefícios de cada tipo de chocolate e dão dicas para consumir a guloseima sem prejudicar a saúde

Com a chegada do Dia Mundial do Chocolate, comemorado hoje (7), a tentação de consumir a guloseima cresce ainda mais. Enquanto alguns resistem e preferem se privar do consumo desse alimento delicioso, alegando que pode causar espinhas e outras doenças relacionadas à ingestão excessiva de açúcar e gordura, outros não veem a hora de apreciar um pedaço de chocolate, visando suas propriedades antioxidantes e promotoras de bem-estar.

Mas, afinal, o chocolate traz benefícios ou malefícios para a saúde? De acordo com a angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, a resposta para essa pergunta depende de uma série de fatores. “O chocolate pode, sim, ser uma boa opção desde que você saiba consumi-lo corretamente. Uma barra de chocolate pode ter vários componentes, como cacau, açúcar, gorduras e até oleaginosas, e a concentração de cada um desses ingredientes é o que vai determinar o benefício ou malefício para o consumo”, explica a médica.

Para entender melhor, confira abaixo a diferença entre cada tipo de chocolate:

chocolate amargo cacau elsenaju

Chocolate amargo – Para quem quer manter a saúde sem se privar de aproveitar a guloseima, o melhor é optar por produtos que tragam, no mínimo, 65% de cacau e massa de cacau como primeiro item da lista de ingredientes que aparece, geralmente, na parte de trás da embalagem. “O cacau é rico em polifenóis, substâncias que, se consumidas com frequência, possuem uma série de benefícios à saúde, incluindo poderosa ação antioxidante e preventiva da formação de radicais e efeito protetor contra os danos ao DNA das células. Além disso, o ingrediente possui propriedades analgésicas, antimicrobianas, anti-inflamatórias e anticarcinogênicas (previne o aparecimento de câncer)”, afirma a médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia Marcella Garcez.

Segundo Aline, o chocolate amargo, por conta dos flavonoides presentes no cacau, ainda possui benefícios comprovados para a circulação, conferindo ação vasodilatadora, prevenindo a formação de placa de gordura dentro das artérias e controlando os níveis de colesterol no sangue.

Além disso, de acordo com a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o chocolate amargo não causa espinhas, ao contrário do que muitos acreditam. “Devido à alta concentração de cacau em sua fórmula, o chocolate amargo é, na verdade, um aliado da saúde da pele, pois suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias ajudam a conferir luminosidade e hidratação ao tecido cutâneo, além de auxiliarem na proteção aos danos dos raios UV, prevenirem rugas e combaterem os radicais livres”, destaca.

Marcella  ainda ressalta que o chocolate amargo é a melhor opção inclusive para crianças, que, apesar de serem resistentes às versões mais amargas devido ao paladar infantil, devem ser educadas desde pequenas a evitarem o excesso de açúcar na alimentação.

“Para quem não gosta do chocolate amargo, o chocolate meio amargo, com concentração de cacau de 40 a 50%, pode ser uma opção interessante e mais saborosa, pois, apesar de trazer mais açúcar que a versão amarga, também possui benefícios antioxidantes”, recomenda Aline. Porém, antes de oferecer chocolate para crianças é importante lembrar que o cacau é contraindicado para crianças menores de 12 meses de idade e o Ministério da Saúde não recomenda o consumo de açúcar para crianças menores de dois anos.

chocolateeee

Chocolate ao leite – este, por sua vez, não possui quantidade significativa de cacau e, por isso, não traz benefícios à saúde. “Para que o chocolate ao leite mantenha os benefícios do cacau é necessário que seja composto por, no mínimo, 35% do ingrediente, possuindo, nesse caso, metade da capacidade antioxidante do chocolate amargo. O problema é que, segundo resolução da Anvisa, um chocolate brasileiro precisa conter apenas 25% de cacau para ser considerado chocolate, concentração abaixo da necessária para realmente conferir benefícios à saúde”, diz Marcella.

Por conter grandes quantidades de açúcar e gordura em sua composição, o chocolate ao leite pode, na verdade, trazer malefícios à saúde quando consumido em excesso. “O açúcar está relacionado com a obesidade e com a diabetes mellitus. Estudos mais recentes vêm apontando o carboidrato como grande vilão também para o aumento de colesterol. A diabetes favorece o desenvolvimento de problemas arteriais, causando espessamento e acúmulo de placas de gordura dentro da parede das artérias, o que pode levar a seu entupimento. Dependendo da artéria afetada, pode ocorrer um infarto, um derrame ou um problema de claudicação ¬— quando se sente dificuldade de andar por falta de sangue nas pernas”, alerta Aline. “Já a gordura também favorece o aumento do colesterol e pode levar a um processo de aterosclerose, condição caracterizada pela formação de placas de gordura na parede das artérias.”

Além disso, essa alta quantidade de gorduras e açúcares presentes no chocolate ao leite o tornam um alimento de alto índice glicêmico. “Muitos estudos sugerem que a alta carga glicêmica na dieta habitual está envolvida com a ocorrência e gravidade da acne vulgar em pacientes predispostos, na medida em que favorece o aumento da secreção sebácea e desenvolvimento de acne. A gordura e o leite presentes em chocolates podem colaborar também para o agravamento do quadro”, explica Paola.

Estudos realizados pela Universidade de Miller School of Medicine, em Miami (EUA), mostraram que as pessoas que comeram mais chocolate ao leite tiveram aumento de acne e da inflamação na pele. E o mesmo vale para o chocolate branco.

chocolate- branco Enotovyj por Pixabay
Foto: Enotovyj/Pixabay

Chocolate branco – por também favorecer a inflamação e o aumento da oleosidade da pele, o chocolate branco também deve ser evitado. “O chocolate branco é fabricado a partir da manteiga de cacau, sendo composto basicamente de gordura, açúcar, leite e aromatizantes. Por não ser feito com a massa de cacau, mas sim com a gordura da fruta, o chocolate branco não deveria nem ser considerado um chocolate, sendo, na verdade, apenas um doce”, afirma a médica nutróloga.

Dessa forma, é mais calórico e rico em gorduras, não possuindo funcionalidades e podendo causar danos à saúde. “Alguns chocolates brancos sequer têm algum resquício de cacau na composição, sendo produzidos apenas com óleos vegetais hidrogenados, cujo consumo resulta no aumento dos níveis do mau colesterol (LDL) e na redução do bom colesterol (HDL). Por isso, mesmo se você optar por esse tipo de chocolate, vale a pena dar uma olhada no rótulo”, destaca a angiologista. Por ser pró-inflamatório, o chocolate branco também pode retardar a circulação e colaborar para o aparecimento de doenças circulatórias.

Mas quem não abre mão do chocolate branco pode optar pelas versões sem açúcar para minimizar seus malefícios à saúde, sem esquecer que a guloseima ainda é rica em gorduras, podendo até mesmo trazer uma concentração maior de lipídios, para suprir a falta do açúcar. “Chocolates recheados e que trazem ingredientes que agregam ainda mais açúcar ao produto, como doce de leite e brigadeiro, também devem ser evitados”, recomenda Marcella.

Ruby chocolate food trend

Chocolate rosa – para quem procura por alternativas mais saudáveis ao chocolate ao leite e branco, mas não aprecia o chocolate amargo, vale a pena apostar no chocolate rosa, que tem se tornado tendência na internet e nas prateleiras dos mercados. Feito a partir da semente do cacau rubi, esse chocolate distingue-se dos demais devido a sua coloração rosada natural, não possuindo corantes artificiais em sua composição.

“Sendo geralmente mais caro que o chocolate amargo, o chocolate rosa se destaca pelo seu sabor diferenciado, sendo mais cremoso, frutado e adocicado, com um leve toque cítrico. Além disso, o chocolate feito a partir do cacau rubi possui uma quantidade maior de polifenóis do que o chocolate convencional, pois os flavonoides presentes no ingrediente são mantidos até o produto final devido ao processo de fermentação especial pelo qual as sementes passam para que não percam o sabor e a coloração natural”, explica Marcella. Pela maior quantidade de polifenóis, o chocolate rosa mostra-se uma boa opção para quem quer manter a saúde, desde que não seja muito rico em açúcar e gorduras.

chocolate- com amendoa pixabay
Pixabay

Chocolate com oleoginosas – outra opção saudável para substituir o chocolate ao leite e branco é o chocolate amargo combinado com oleaginosas, como avelã, noz e amendoim. “Apesar de serem calóricas, as oleaginosas adicionam nutrientes ao produto, como o ômega-3, que ajuda no controle do colesterol, possui propriedades anti-inflamatórias, melhora a circulação e o desempenho cognitivo”, afirma a nutróloga.

Porém, a dermatologista Paola ressalta que pacientes de pele oleosa devem evitar esse tipo de chocolate, pois as oleaginosas podem estimular a produção de oleosidade pelas glândulas sebáceas e, consequentemente, favorecer o aparecimento de cravos e espinhas.

Mas atenção. Mesmo que você opte pelo chocolate amargo é importante tomar cuidado com o consumo excessivo, pois, independentemente da concentração de cacau, o chocolate ainda tem açúcar e gorduras saturadas. “Existem, claro, as opções sem açúcar, adoçadas com edulcorantes, sendo assim ideais para pessoas que sofrem com diabetes ou estão em dieta de emagrecimento. Porém, o consumo desse tipo de chocolate também não deve ser indiscriminado, já que ainda contém calorias e gorduras”, ressalta Marcella.

No final das contas, é importante controlar o consumo diário. O ideal é consumir de 25g a 50g de chocolate por dia, dando preferência às opções com maior concentração de cacau, como o chocolate amargo e o chocolate rosa. “Ou seja, uma barra de 200g de chocolate deve ser consumida, em média, em uma semana”, recomenda Paola.

chocolate_barra foto_alexandre_mazzo_df268bb0
Foto Alexandre Mazzo

Seguindo essas dicas, a guloseima pode ser consumida sem culpa, não havendo necessidade de estratégias para inibir o apetite antes do consumo ou para diminuir o índice glicêmico do alimento. “Isso porque, no geral, o chocolate possui baixo índice glicêmico e, se composto por mais de 65% de cacau, também é um alimento funcional, possuindo índice glicêmico ainda mais baixo”, finaliza Marcella.

 

Frio e uso de máscaras de proteção: como evitar tendência à irritação e alergia na pele

Da mesma forma que o uso constante do álcool gel ou a limpeza da mão com água e sabão se fazem necessário nesse momento para diminuir o risco de contágio pelo novo coronavírus, a máscara também é. O problema é que – assim como a limpeza e desinfecção das mãos – a nossa pele pode sentir os efeitos do uso da máscara – ainda mais nesse frio.

“A utilização constante das máscaras de proteção desencadeia uma alteração da fisiologia da pele, produzindo a nível cutâneo o que denominamos de dermatite de contato – irritativo ou alérgico. E como estamos em uma estação mais fria, essa combinação tende a deixar a nossa pele mais irritada, seca e com inflamação”, explica a dermatologista  Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Em casos de usos mais constantes, é ainda possível observar o aparecimento de secura, vermelhidão, descamação, infecções secundárias e maceração na pele.

NickyPe-pixabay mascara oculos virus
Nickype/Pixabay

“E isso também pode causar o agravamento de algumas doenças preexistentes, como a dermatite atópica, acne, rosácea, psoríase e dermatite seborreica”, acrescenta a médica.

Além do uso de máscaras e do frio, essa inflamação, que precede a sensibilidade da pele, pode ter fatores emocionais envolvidos e um dos maiores vilões nesse sentido é o estresse – que é cada vez mais comum na quarentena.

“Muitos tipos de células da pele, incluindo as imunológicas e as endoteliais (células das paredes dos vasos sanguíneos), podem ser reguladas por neuropeptídeos e neurotransmissores, que são substâncias químicas liberadas pelas terminações nervosas da pele. O estresse pode liberar um nível maior dessas substâncias e, quando isso ocorre, pode afetar o modo com o qual nosso corpo responde a muitas funções importantes, como sensação e controle do fluxo sanguíneo. Além disso, a liberação desses produtos químicos pode levar à inflamação da pele, que pode ficar mais sensível e irritada”, explica a médica.

Evidentemente, a recomendação para o uso das máscaras ainda continua. “Os estudos mostraram que muitas pessoas são assintomáticas. Mas essas pessoas têm o vírus e o transmitem ao falar, mesmo sem nenhum sintoma. Como não sabemos se somos assintomáticos ou não, ao sair de casa, devemos usar máscara”, afirma a dermatologista. “Mas a primeira recomendação para evitar os ‘efeitos adversos’ da máscara é a de não sair de casa. Até porque esses problemas de sensibilidade na pele geralmente nos fazem levar mais a mão ao rosto, por isso é fundamental evitá-los”, acrescenta.

Mas para quem realmente precisa sair e usar a máscara, é possível ter alguns cuidados para evitar os problemas. Para a dermatologista, torna-se essencial adotar algumas medidas de proteção a fim de manter a função barreira cutânea. No momento da higienização, por exemplo, o melhor é optar por uma lavagem suave, evitando uma fricção acentuada e o uso de sabões perfumados.

Também é necessário ficar atento aos produtos e ingredientes que devemos ou não aplicar na pele sensibilizada. Como explica a dermatologista, é importante evitar a utilização de produtos com fragrâncias e alguns conservantes, bem como a aplicação de cremes com retinol, alfa-hidroxiácidos e esfoliantes na pele sensível da face.

Em alternativa, se a sua pele está mais sensível ou irritada, você pode utilizar antes do hidratante uma máscara (cosmética) com ativos calmantes. “Aloe vera e alfabisabolol são boas opções, pois tem efeito anti-inflamatório e anti-irritante”, diz a médica. Outra boa opção é a nicotinamida (vitamina B3), que reforça a barreira cutânea.

mulher bicicleta mascara freepik
Freepik

“Lembre-se que, nesse momento, a hidratação diária da pele é de suma importância a fim de restaurar e manter o equilíbrio fisiológico; use cremes hipoalergénicos (sem perfumes nem conservantes), com uma ação emoliente, hidratante, regeneradora, anti-irritante e anti-inflamatória. E, para finalizar os cuidados durante o dia, mesmo dentro de casa é necessário usar o fotoprotetor”, finaliza a médica.

Fonte: Paola Pomerantzeff é dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), tem mais de 10 anos de atuação em Dermatologia Clínica. Graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina Santo Amaro, a médica é especialista em Dermatologia pela Associação Médica Brasileira e pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, e participa periodicamente de Congressos, Jornadas e Simpósios nacionais e internacionais.

Quarentena: aproveite para ficar atenta aos sinais suspeitos de câncer de pele

Maio é o Mês Internacional de Combate ao Melanoma; diagnóstico precoce é fundamental para aumentar as chances de cura desse câncer de pele agressivo

O isolamento social imposto pela pandemia relacionada ao novo coronavírus (SARS CoV-2) tem permitido que as pessoas cuidem mais de si mesmas em vários aspectos: seja com alimentação mais saudável, prática de exercícios em casa ou passando mais tempo com a família. Então, por que não aproveitar também para cuidar da nossa pele?

Como maio é o Mês Internacional de Combate ao Melanoma, este é um ótimo momento para aprender a identificar possíveis sinais da doença. Apesar de ser o menos incidente dos cânceres de pele (são estimados 8.450 novos casos por ano), melanoma é o tipo mais agressivo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 55 mil pessoas morram por conta da doença todos os anos, o que representa seis mortes por hora.

Pensando nisso, Antônio Carlos Buzaid, diretor geral do Centro Oncológico da Beneficência Portuguesa de São Paulo e membro do Comitê Gestor do Centro de Oncologia do Hospital Israelita Albert Einstein, traz algumas dicas para a realização do autoexame. “Como a maioria das pessoas estão em casa, usem esse tempo para observar todo seu corpo e analisar se há pintas ou manchas que se enquadrem na regra ABCDE”, sugere o médico. Essa regra foi criada para contribuir com o diagnóstico precoce e cada letra representa um ponto a ser analisado:

• Assimetria: uma metade da pinta ou mancha é diferente da outra parte.
• Borda: as bordas são irregulares, entalhadas ou dentadas.
• Cor: muitas vezes apresentam cor desigual. Tons de preto, marrom e canela ou áreas brancas, cinza, vermelha ou azul podem estar presentes.
• Diâmetro: o diâmetro é maior que 5 milímetros.
• Evolução: uma pinta ou mancha vem mudando de tamanho, forma, cor, aparência ou coçando ou sangrando.

melanomaimage10b-large

O oncologista ressalta que esses sinais não significam que você esteja com melanoma, mas são um indicativo para procurar por um dermatologista. “Essa regra é uma maneira que encontramos de ajudar a promover o diagnóstico precoce do melanoma. Dado que, quando identificado em seus estágios iniciais, o câncer é tratável e as chances de cura podem ser superiores a 90%”, reforça Buzaid.

Com base no estágio da doença e outros fatores (como idade e saúde geral do paciente), as principais opções de tratamento para melanoma são: cirurgia, terapia-alvo, quimioterapia, imunoterapia e radioterapia. Mediante os avanços dos estudos sobre a linha terapêutica mais adequada para cada perfil de paciente, identificou-se que existem dois tipos de melanoma: o que apresenta mutação genética (como o gene BRAF) e o que não apresenta.

Para os casos em que há mutação no gene BRAF – cerca de 50% dos pacientes[iii] -, uma modalidade de tratamento muito efetiva é a terapia-alvo. Este tipo de tratamento consiste em medicamentos administrados por via oral que atacam as células tumorais que são portadoras da mutação do BRAF e poupam as células normais, o que garante menos efeitos colaterais, por exemplo.

pele pinta indylasercenter
Foto: Indylasercenter

Durante todo o mês de maio, especialistas e associações de pacientes se mobilizam para combater o câncer melanoma com campanhas de conscientização sobre a doença e como realizar o autoexame para obter o diagnóstico precoce. É importante lembrar que o autocuidado também deve ser dedicado ao maior órgão do nosso corpo, que nos protege de tudo: a nossa pele.

Fonte: Novartis