Arquivo da tag: desperdício

7 passos práticos contra compulsão alimentar e a favor do consumo consciente

Nutricionista Clara Miranda defende “volta às origens” por mais saúde e menos desperdício de alimentos

“É passada a hora de termos mais consciência alimentar, porque estamos doentes pelo consumismo, que produz diabéticos, cancerosos e obesos”. É com esta frase que a nutricionista Clara Miranda defende a urgência da conscientização coletiva sobre o que se consome e, principalmente, sobre o que tem ido para o lixo todos os dias na casa dos brasileiros.

Embaixadora do movimento Stop Food Waste Day no Brasil, campanha de educação e sensibilização para redução de desperdício alimentar, Clara Miranda atua há quase duas décadas na área de marketing nutricional, contribuindo para que mais pessoas tenham consciência acerca do que colocam no prato.

Atitudes simples, mas que têm sido ignoradas, podem ajudar a alcançar a meta estabelecida pelo movimento: a de reduzir em 50% a perda alimentar até 2030, a partir da mudança de comportamento e adoção de novos hábitos. Alguns, não tão novos assim, apenas esquecidos, como: colocar menos comida no prato, comer mais devagar e de forma mais consciente. “Sentar para comer, sem distrações, sem estar em frente à TV, como quem está alimentando um templo, como um ritual mesmo, é necessário”, recomenda a nutricionista.

Estes simples passos farão a diferença tanto na redução do desperdício quanto na saúde das pessoas, que, mais atentas ao que consomem e munidas de informação sobre os “elementos de compulsão”, poderão fazer escolhas mais equilibradas.

Miranda elenca alguns passos práticos para combater a compulsão alimentar e favorecer o consumo consciente:

Reaproveite:

“A sobrecoxa assada de hoje que sobrou pode se transformar em frango desfiado para uma tapioca amanhã”, sugere.

Tempere com ervas naturais:

“As prateleiras dos supermercados estão repletas de temperos que causam um estímulo à compulsão alimentar, por conta da presença do glutamato, um realçador de sabores que acrescenta o quinto sabor ao alimento. Troque pelas ervas e temperos naturais, que não apenas temperam, mas também perfumam o alimento. O gengibre, a cúrcuma e a canela são exemplos de alimentos que trazem saúde para o prato de forma muito intensa”, recomenda.

Adote um novo hábito e o mantenha por sete dias

“A resposta do corpo para um novo hábito alimentar é muito rápida. Sete dias são o suficiente para educar o paladar a novos sabores e novos hábitos de saúde”, indica.

Evite os alimentos redondinhos e os que se come com as mãos

“Hambúrguer, biscoitos, pipoca, amendoim. Todos são exemplos de alimentos redondinhos que se come com a mão e que geram compulsão alimentar. Tive uma experiência com um paciente obeso que adorava comer pipoca na bacia. Sugeri, então, uma experiência: comer salada na bacia, com as mãos. Deu certo. Transformar um hábito exige um passo”.

Coma primeiro a salada


“Fazer uma salada é muito fácil, basta reunir cinco elementos crus: um tomate, dois legumes, dois tipos de folhas, sendo que um deles pode ser uma folhinha de manjericão, um fitoquímico maravilhoso. Para completar, passe alecrim num fio de azeite e pronto. Comece a se alimentar comendo primeiro a salada, pela saciedade que ela vai dar”, aconselha.

Três vezes por semana, faça pratos únicos

CyberCook

Clara diz que as receitas de pratos únicos são ótimas aliadas para evitar o desperdício, porque podem ser feitas, inclusive, com aqueles alimentos que estão perto da validade dentro da geladeira, mas podem se transformar em uma sopa nutritiva, por exemplo. A nutricionista dá uma dica: “Para hoje, churrasco de fraldinha; amanhã, fraldinha na panela de pressão, desfiada com mandioca. E no jantar, sopa de mandioca com alho-poró”.

Tenha vasinhos de temperos em casa


Independentemente do tamanho da moradia, vasinhos de temperos cabem em qualquer lugar. “Tenha em casa manjericão, cebolinha, alecrim, e use estes temperos naturais na hora de cozinhar”, diz.

Fonte: Stop Food Waste Day

5 dicas para uma alimentação saudável

Nutricionista cadastrada no GetNinjas ensina como manter uma dieta balanceada e rica em nutrientes

A alimentação saudável é um hábito que vem conquistando os brasileiros aos poucos e com a pandemia, muitas pessoas repensaram suas refeições especialmente preocupadas com o sistema imunológico. Sendo assim, comer de forma equilibrada é um fator de extrema importância, mas também um desafio cotidiano. A nutricionista Bárbara Ramires, que atende pelo GetNinjas, maior plataforma de contratação de serviços do Brasil, selecionou algumas dicas que podem ajudar. Confira:

Prefira os alimentos orgânicos
Passe longe dos fast foods, comidas congeladas ou alimentos pré-prontos. “Essas comidas são altamente calóricas e gordurosas e não contém nenhum nutriente, nem vitaminas e tampouco minerais”, explica Bárbara. “É importante sempre optar por alimentos orgânicos ou frescos e conhecer as feiras da sua região, o que além de econômico é mais saudável”.

Pixabay

Consumo consciente
Não ultrapasse o limite. Tudo que é demais não faz bem à saúde. Reduza o sal, opte pela segunda sem carne.

Gordura do bem
Existem gorduras que são importantes para o nosso corpo, como por exemplo, o azeite de oliva, óleo de coco, e gordura de porco.

Opte por reeducação alimentar
Reeducação alimentar é a melhor escolha para quem deseja perder peso. Não existe dieta milagrosa. Não faça dieta sem acompanhamento de um profissional de saúde.

Adobe Stock

Frutas são de extrema importância!
Não exclua as frutas, verduras, legumes, sementes e grãos da sua alimentação diária, são eles que darão o equilíbrio necessário para manter a sua alimentação mais saudável.

No GetNinjas, é possível encontrar mais de 500 tipos de serviços, que são oferecidos por mais de 3 milhões de profissionais cadastrados na plataforma, entre eles, serviços de saúde e serviços domésticos, como nutricionistas, personal chef, entre outros.

Sem desperdício: aprenda a reaproveitar o arroz do dia anterior

Dica é da Food To Save, startup que ajuda a acabar com excedentes em estabelecimentos, e auxilia também, nas redes sociais, os consumidores a manterem hábitos mais conscientes

Cerca de 41 mil toneladas de alimentos em perfeitas condições deixam de ser aproveitadas todos os dias. Os dados são de 2020, do Programa Mundial de Alimentos (WFP), que pertence à Organização das Nações Unidas (ONU), e deixam ainda mais evidente um problema que poderia ser evitado: boa parte desses produtos acabam no lixo.

Pensando nisso, a Food To Save, foodtech sustentável que nasceu para revolucionar o desperdício de alimentos no Brasil, traz uma dica incrível e simples para deixar o arroz do dia anterior com gosto de novo, soltinho e fresquinho, e assim, evitar que seja jogado fora.

Para colocá-la em prática, você vai precisar de: arroz pronto, feito no dia anterior, gelo e uma panela (ou recipiente de sua preferência). Confira o passo a passo:

-Em uma panela ou recipiente de sua escolha, coloque o arroz pronto e gelo (para cada duas xícaras de arroz, use 1 pedra de gelo);
-Leve ao fogo baixo, ou se preferir, aqueça no micro-ondas;
-Deixe o tempo necessário para que o gelo derreta e o arroz fique aquecido;
-E está pronto! Seu arroz ficará soltinho e delicioso como se fosse feito no mesmo dia.

Para mais dicas e detalhes sobre outros hábitos que ajudam a evitar o desperdício de alimentos, acesse o site ou o perfil no Instagram da Food To Save

5 maneiras de evitar o desperdício de alimentos e ajudar o planeta*

Um dos maiores problemas que assolam o mundo é o desperdício de alimentos. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, cerca de 1,3 bilhão de toneladas é perdido ou vai para o lixo, impactando a insegurança alimentar no mundo, número que corresponde a um terço de todos os alimentos produzidos globalmente.

É um cenário difícil de entender especialmente quando temos a sorte de ter comida na geladeira ou na despensa sempre que sentimos fome. Mas esse privilégio também pode nos inspirar a fazer escolhas mais conscientes.

Uma pesquisa conduzida pela Herbalife Nutrition nos Estados Unidos sobre dietas a base de plantas mostrou que 40% das escolhas alimentares dos entrevistados são motivadas pelo interesse em ser mais ecologicamente correto. Reduzir o desperdício de alimentos é uma ação adicional e simples que pode ter um grande efeito.

Como causar um impacto positivo

Existem várias maneiras de reduzir o desperdício de alimentos e viver de forma mais sustentável. Confira cinco delas:

Planeje com antecedência


Preparar refeições nutritivas para a semana ou planejar o menu do próximo encontro em família são ótimas maneiras de garantir que você prepare apenas a comida que irá consumir e evitar servir quantidades além do que seus convidados podem comer.

Considere cozinhar com ingredientes mais sustentáveis

As pessoas estão buscando dietas baseadas em vegetais por muitas razões. Dentre elas: saudabilidade, perda de peso e preocuação com o meio ambiente. Para aqueles que estão começando, um cardápio flexível, baseado principalmente em vegetais com a inclusão ocasional de carnes, aves, peixes ou ovos, pode ser um bom início e é uma ótima maneira de manter uma dieta saudável e equilibrada. Ao mesmo tempo, ajuda a proteger o meio ambiente, reduzindo a energia e os recursos que a produção da carne vermelha requer.

Proporcione adequadamente o alimento em seu prato

Foto: Stocksnap/Pixabay

Deixe as panelas sobre o fogão e se sirva na cozinha. Este simples hábito evita a sobra de alimentos no prato. Com os pratos servidos na mesa é muito mais fácil colocar “apenas mais uma colherada”, que pode acabar sobrando. Aliás, os restos deixados no prato são uma das maiores fontes de desperdício de alimentos que acabam no lixo. Isso ainda ajuda a controlar as porções.

Reaproveite os alimentos que estão prestes a estragar

Christopher Chilton/Pixabay

Existem muitas maneiras de aproveitar os alimentos perecíveis, mesmo quando eles começam a parecer um pouco “tristes”. Quando seus tomates ficarem moles demais para serem usados na salada, considere transformá-los em molho caseiro. As bananas estão ficando marrons e moles? Descasque e congele para usar como ingrediente saudável para preparar deliciosos smoothies. Sopas, refogados e saladas também são ótimos pratos que podem incluir diferentes ingredientes com vida útil mais curta.

Doe o excedente para quem precisa

Foto: Onehundreddollarsamonth

Quando for organizar a despensa, considere doar os alimentos não perecíveis extras para bancos de alimentos e instituições de caridade locais. E da próxima vez que for limpar a geladeira, o freezer ou a despensa, preste atenção no que você jogou fora e faça um esforço para reduzir o desperdício de alimentos no futuro.

*Por Susan Bowerman, Diretora Sênior Global de Educação e Treinamento em Nutrição da Herbalife Nutrition

Nestlé traz dicas de ações e receitas para aproveitar melhor alimentos e reduzir desperdício

Utilizar cascas, sementes e outras partes de vegetais e frutas em receitas, reaproveitar itens e investir no congelamento podem ajudar a fazer render mais os alimentos

O momento atual é uma fase propícia para repensar com criatividade o uso de alimentos, já que com as pessoas mais em casa aumenta a tendência de cozinhar as próprias refeições, além da necessidade de restringir o número de saídas para compras. Utilizar cascas e sementes, reaproveitar grãos já cozidos para outros fins e congelar itens como frutas e legumes são medidas que podem contribuir para que os alimentos rendam mais.

“Além de trazer benefícios imediatos para o momento que vivemos, como reduzir o volume de compras e os gastos em casa, aproveitando melhor os itens que já se tem, um novo modo de pensar os alimentos pode também ajudar a reduzir o desperdício de comida, um problema mundial. Atualmente, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçadas por ano no mundo, o que representa 30% de toda a comida produzida por ano no planeta. No Brasil, são mais de 26 milhões de toneladas perdidas por ano”, aponta a Head de Criação de Valor Compartilhado da Nestlé, Barbara Sapunar.

Algumas cidades e empresas apostam em Bancos de Alimentos que arrecadam comida em bom estado para doá-las para asilos, creches, entre outras instituições. A Nestlé é parceira, desde 2010, do Mesa Brasil SESC, uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício. Em 2019, foram mais de 400 mil quilos de produtos Nestlé doados para a iniciativa, beneficiando 5 mil instituições e mais de 1 milhão de pessoas.

Combatendo os motivos do desperdício

legume organicos raízes

Segundo levantamento realizado pela Nestlé nas redes sociais, com dados de mais de 18.400 postagem feitas entre janeiro de 2019 e fevereiro de 2020, os motivos mais relatados pelas pessoas para desperdiçar comida são alimentos comprados em grande quantidade, não consumidos e que estragam na geladeira; excesso de comida no prato; receitas que não deram certo; e sobras de comida do dia anterior que acabam descartadas .

Algumas medidas simples podem ajudar a prevenir isso, como planejar as compras em uma lista antes de ir ao mercado, evitando comprar itens desnecessários ou em quantidades maiores do que precisa. Organizar a despensa e colocar os itens que vão vencer primeiro na frente ou em uma parte onde consiga enxergá-los com facilidade também ajuda a lembrar de consumir os alimentos antes de seu vencimento. Ler o rótulo para ver a validade de cada alimento depois de aberto e escrever a data com uma caneta permanente na própria embalagem quando abrir algum produto pela primeira vez também é uma boa dica.

Já para evitar errar nas receitas ou na quantidade de comida, algumas medidas como conferir o rendimento de porções e seguir instruções de receitas confiáveis pode ajudar. Além disso, congelar adequadamente tanto alimentos in natura quanto comidas já prontas ajuda a aproveitar melhor os alimentos guardados na geladeira.

Receitas práticas, saudáveis e conscientes

Muitas vezes as principais propriedades nutritivas dos alimentos estão concentradas justamente nas partes que são descartadas pelas pessoas, como cascas e sementes. Elas costumam concentrar altos índices de vitaminas, por exemplo. Pensando nisso e também com foco em ajudar as pessoas a repensar o uso dos alimentos e evitar desperdícios, o time de Receitas Nestlé desenvolveu uma série de receitas que ensinam como aproveitar ao máximo grãos, legumes, vegetais e frutas.

Receitas para uso total da beterraba:

farofa

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/farofa-super-rapida-de-beterraba

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/salada-refrescante-de-abobora-com-folhas-de-beterraba

Receitas para utilizar sobras de arroz e feijão:

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/tortilla-de-arroz

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/farofa-de-feijao

Receitas com melão e sementes:

salada de rucula nestle

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/salada-de-rucula

Receitas para aproveitar sementes:

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/salada-de-frango-thai-com-mango-chutney

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/petiscos-doce-de-sementes-de-abobora-noz-peca-e-frutas-secas

Receitas para utilizar brócolis com suas folhas:

arroz com brocolis

http://www.receitasnestle.com.br/receitas/arroz-com-brocolis-e-amendoas

O site da Nestlé, na parte de Receitas, conta com uma ferramenta chamada “O que tem em casa”, que ajuda o usuário a encontrar receitas com o que tem na geladeira, evitando compras desnecessárias. Ao informar de um a três ingredientes disponíveis em casa, a ferramenta apresenta um cardápio com sugestões de receitas.

Congelando itens para evitar perdas

Conservar os alimentos aptos para consumo por mais tempo também é uma boa medida para evitar desperdício, principalmente de frutas, vegetais, legumes e ervas, que podem estragar mais rapidamente. Para isso, Receitas Nestlé também criou dicas para congelar alimentos corretamente, garantindo que eles continuem nutritivos e com suas propriedades preservadas.

Confira abaixo algumas dicas:

http://www.receitasnestle.com.br/dica/2017/03/24/como-conservar-ervas-frescas-para-usar-na-cozinha

http://www.receitasnestle.com.br/dica/2017/02/13/como-cozinhar-e-conservar-vegetais

Além dessas dicas, também pode ser uma boa medida congelar em pequenas porções as refeições já prontas para poder comer em um outro dia, evitando que estraguem.

Quarentena sem desperdício: garrafa “single” e como armazenar vinho aberto

Contrariando Tom Jobim, dados recentes do IBGE indicam que é possível ser feliz sozinho: no Brasil, mais de 10 milhões de pessoas não dividem suas casas com amigos ou familiares.

Com o distanciamento social causado pela pandemia do coronavírus, os encontros foram postergados e o consumo individual promove rearranjos em cotidianos e hábitos. Um deles é o de tomar vinho. E a impossibilidade de dividir uma garrafa com os amigos traz dúvidas: como armazenar o vinho que sobrou? Existem boas opções de meias-garrafas?

Não consumi o vinho todo, e agora?

bomba vinho

Para o consumo individual de uma garrafa de vinho de 750 ml, existem várias maneiras de armazenar a bebida que ficou, sem prejudicar sua qualidade. O primeiro ponto a observar é o tempo indicado para guardar cada tipo de vinho depois de aberto: vinhos brancos e rosés devem ser consumidos em no máximo 3 dias. Os tintos, em até 6 dias.

As garrafas devem ser estar bem vedadas, na geladeira ou adega, na posição vertical, minimizando o contato da superfície da bebida com o ar. No mercado existem acessórios para fechar as garrafas abertas e conservar as qualidades do vinho durante mais tempo. Tampas específicas para vinhos e espumantes são uma opção acessível e simples, porém, são mais sensíveis no quesito “preservação do vinho”, pois ele pode perder algumas de suas características.

Quem quer garantir as particularidades originais da bebida deve optar pela bomba a vácuo, que requer um manuseio especial, mas garante a retirada do ar de dentro da garrafa, o que significa que o vinho poderá ser conservado por mais dias, sem perder suas qualidades. Uma forma prática de vedar o vinho é usando a própria rolha, um método menos eficiente, mas a solução imediata para quem vai consumir o restante do vinho em no máximo um dia.

Garrafa “single”

vinhos

Tiago Dal Pizzol, CEO da Total Vinhos, destaca que no mercado há excelentes vinhos em versão “single”, ideais para quem vai consumir sozinho, pois a garrafa de 375 ml equivale a duas taças. “As marcas estão atentas às demandas e ao comportamento do consumidor. Com o aumento no número de pessoas que moram sozinhas, vinícolas do mundo todo elaboram vinhos de alta gama também em meia-garrafa”, resume.

É o caso da gigante portuguesa Lusovini, que elabora versões 375 ml de alguns de seus mais premiados rótulos, como o Pedra Cancela Seleção do Enólogo e o Terras de Fialho, ambos à venda na Total Vinhos. “Com as pessoas cozinhando mais em casa, a meia-garrafa traz a oportunidade de consumir diferentes rótulos durante uma refeição; é possível harmonizar um vinho com uma salada e outro com o prato principal”, detalha Dal Pizzol.

A Total Vinhos aplicou desconto de 25% em todos os vinhos da loja online e frete grátis para todo o Brasil. As facilidades serão válidas enquanto durar o período de distanciamento social.

Informações: Total Vinhos

Como congelar alimentos e evitar o desperdício

Em época de pandemia não pode haver desperdício de alimentos. Por isso, congelar alguns deles pode ser uma boa saída para não jogar nada fora. A médica nutróloga Ana Luisa Vilela, de São Paulo, explica a melhor maneira de fazer o congelamento e, assim, manter os produtos em casa em um estado mais próximo ao original, já que o processo imobiliza a água presente nele e isso dificulta as reações microbiológicas.

“Assim, evitamos o crescimento de micro-organismos que podem causar intoxicações, mas para congelar qualquer alimento, é necessário estar atento a dois importantes itens: temperatura, que deve ser de pelo menos -18ºC, e ao tempo que os produtos ficam no freezer”, avisa a médica que deixa algumas dicas:

agua arroz pixabay
Pixabay

Arroz (3 meses) em recipientes de plástico com total vedação na tampa, próprios para o freezer.

Carnes cozidas (2 a 3 meses) congeladas em embalagens ou saquinhos sempre de plástico.

Aves cozidas (4 meses) armazenadas em recipientes de plástico com vedação completa, para evitar a entrada de bactérias.

carne moida pixabay

Carnes e aves cruas (até 12 meses) podem ser conservadas em recipientes de plástico, específicos para congelamento de alimentos, ou nas próprias bandejas do mercado e armazenadas sem tempero.

Leite se for retirar da embalagem original, ele deve ser colocado em um recipiente que possa ir ao freezer e que seja grande o suficiente para deixar espaço para a expansão do leite ao congelar. O leite congelado pode ficar no freezer por até 4 meses, e para descongelar o recomendado é fazer isso lentamente na geladeira e pode ser consumido sem problemas e é tão nutritivo quanto o leite fresco.

Peixes magros (4 a 6 meses) podem ser armazenado em potes de plástico com tampa e pode ser mantido no freezer por um período de quatro a seis meses. Já os mais gordurosos (2 meses) como o salmão, duram menos tempo.

Massas prontas (3 meses) mas precisam ser congeladas em embalagens de plástico e o molho, o ideal é uma embalagem de vidro.

sopa potes fit foodie finds
Fit Foodie Finds

Molhos e sopas (2 a 3 meses) congelados em recipientes de vidro bem tampados.

Queijo (1 mês) os frescos não devem ser congelados por conterem muito líquido. Os demais, embora sejam mais consistentes, têm uma durabilidade curta devido à facilidade de entrada de bactérias por isso, devem ficar congelados por no máximo um mês.

Fonte: Ana Luisa Vilela é graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina de Itajubá – MG, especialista pelo Instituto Garrido de Obesidade e Gastroenterologia (Beneficência Portuguesa de São Paulo) e pós-graduada em Nutrição Médica pelo Instituto GANEP de Nutrição Humana também na Beneficência Portuguesa de São Paulo e estágio concluído pelo Hospital das Clinicas de São Paulo – HCFMUSP. Hoje, dedica-se a frente da rede da Clínica Slim Form a melhorar a autoestima de seus pacientes com sobrepeso com tratamentos personalizados que aliam beleza e saúde.

Instituto Stop Hunger lança 5ª edição do livro de Receitas Sustentáveis

Estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), mostra que cada brasileiro desperdiça mais de 41 quilos de alimentos por ano. No total, são quase 37 milhões de toneladas de lixo orgânico (restos de alimentos), o que representa cerca de 50% do lixo recolhido em todo o país.

Com a missão de estimular a produção sustentável, promover a alimentação saudável e combater o desperdício, o Instituto Stop Hunger, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) e sem fins lucrativos mantido pelo Grupo Sodexo, anunciou a 5ª edição do Ebook de Receitas Sustentáveis.

A publicação, disponibilizada gratuitamente, apresenta seis pratos exclusivos, que foram formulados por um time de nutricionistas a partir da utilização de legumes, hortaliças e outros ingredientes ricos em valoração nutricional. O conteúdo reforça a importância de desenvolver hábitos alimentares mais saudáveis e proporciona novas alternativas para utilização de matérias geralmente descartadas, em receitas que fazem parte do gosto popular brasileiro, são elas:

Biscoito Salgado de Resíduo de Leite Vegetal
Bolo de Casca de Banana
Sopa Cremosa de Salsão
Quibe de Berinjela
Bolo de Batata-Doce
Bolo Nutritivo de Abobrinha

O material está disponível para download aqui.

CAPA E-BOOK.JPG

Dedicação à causa

O lançamento do e-book encerra um ciclo de iniciativas realizadas pela Sodexo e o Instituto Stop Hunger ao longo de outubro, para celebrar o mês da alimentação saudável. A agenda que envolveu bate-papo com nutricionista em Paraisópolis e Osasco, lançamento de hortas comunitárias na Academia Pérolas Negras (RJ) e um webinar que reuniu especialistas em alimentação, evidencia o compromisso da companhia em conscientizar parceiros, voluntários e o público em geral sobre questões relativas à nutrição e à alimentação, sensibilizando-os para o desperdício de alimentos, orientação nutricional e impacto causado nas comunidades locais.

Andreia Dutra, presidente do Instituto Stop Hunger Brasil, destaca um dado alarmante: “Segundo cálculos da FAO, 8,7 milhões de toneladas de comida vão para o lixo no Brasil, enquanto 13 milhões de pessoas passam fome. Esses números mostram a importância de se aproveitar o alimento como um todo”. Ela ainda afirma que é preciso alertar sobre o grande volume de desperdício que acontece diariamente.

“Durante o mês de outubro celebramos a alimentação saudável e fechar esse importante mês com o ebook de receitas sustentáveis foi mais uma oportunidade de promover mudanças de hábitos e conscientizar sobre o impacto que nossas atitudes geram no meio ambiente e na sociedade de maneira geral”, finaliza Andreia.

“Ano após ano, o Instituto tem atuado com empenho e dedicação para combater a fome e a má nutrição que ainda assola o país. Por meio de ações como estas, realizadas no Mês da Alimentação Saudável, temos contribuído para o desenvolvimento nas comunidades em que atuamos. Daqui para frente, nosso objetivo é progredir com as iniciativas e beneficiar ainda mais pessoas”, afirma Fernando Cosenza, vice-presidente do Instituto Stop Hunger Brasil.

Fonte: Instituto Stop Hunger

Como aproveitar ao máximo os alimentos

O desperdício, que já não é bem-vindo em tempo algum, em tempos de crise é um grande inimigo. Por isso o aproveitamento máximo dos alimentos é uma alternativa muito atraente, ainda mais quando resulta em pratos saborosos e fáceis de fazer

Essa é uma das especialidades da Consultora em Gastronomia e Gestão de Negócios em Alimentação, Elis Cavalcante, com experiência de mais de 20 anos no segmento.

lata de lixo pixabay
Pixabay

Elis aponta os cinco maiores desperdícios na cozinha, tanto em casa quanto no bar ou restaurante:
· Estocar alimentos por longos períodos;
· Comprar sem planejamento;
· Preparar mais do que a demanda;
· Descartar partes comestíveis dos ingredientes;
· Demora no consumo de alimentos perecíveis, reduz o aproveitamento ou leva ao descarte;
· Colocar no prato quantidade maior do que a que será consumida.

FreeGreatPicture compras supermercado
FreeGreatPicture

A especialista enumera alguns caminhos para corrigir esses vícios do dia a dia, que, à primeira vista, podem até parecer simples, mas que devem servir como uma espécie de mantra para quem cozinha:
1. Planeje as compras de alimentos;
2. Compre apenas a quantidade que será consumida;
3. Não mantenha alimentos frescos em geladeira por mais de uma semana;
4. Branqueie vegetais ou prepare os alimentos e congele;
5. Utilize partes dos alimentos que seriam dispensadas no preparo de caldos: aparas de carnes e ossos (caldo de carne), cabeças e espinhas de peixe (caldo de peixe), ossos de frango (caldo de galinha) e cascas, talos e folhas (caldo de legumes);
6. Use os vegetais de forma integral ou utilize as cascas, folhas, talos e sementes em outras preparações;
7. Crie o sentido de respeito ao alimento e sobre o impacto que a produção de alimentos gera no meio ambiente e social.

alimentos

Em seus cursos e palestras a Consultora Elis Cavalcante também ensina truques para deixar os alimentos mais saborosos, tais como:
· Use alimentos frescos;
· Faça o pré-preparo antecipado;
· Reduza o cozimento em água;
· Use temperos não convencionais em alimentos do dia a dia;
· Adeque a temperatura de cozimento ao tipo de alimento;
· Aplique corretamente as técnicas de cocção;
· Exclua temperos prontos e alimentos industrializados;
· Livre-se de velhos paradigmas da alimentação;
· Inove!

Elis Cavalcante também ensina a preparar pratos saborosos e muito práticos usando aquelas partes dos alimentos que, habitualmente são dispensados, não só pelas donas de casa, mas também nos restaurantes, como nessa torta, onde ela usa as cascas da banana e o resultado é maravilhoso.

Tortinha de chocolate e banana brulê

chocolate_caramel_banana_slice
Foto meramente ilustrativa

Ingredientes
4 bananas nanicas
1 xícara (chá) água
1 xícara (chá) de açúcar
2 colheres (sopa) de manteiga
4 colheres (sopa) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de leite morno
1 xícara (chá) de leite em pó
2 colheres (sopa) chocolate em pó
1 colher (sopa) de cacau em pó

Preparo
Descasque as bananas, enrole os frutos com filme plástico, deixando bem aderido às frutas, e guarde em geladeira. Triture a casca da banana com o açúcar e a água e cozinhe em fogo baixo até engrossar. Coloque essa mistura no liquidificador e bata com os outros ingredientes, menos a banana. Coloque novamente na panela e cozinhe, mexendo sem parar até que desprenda do fundo da panela. Coloque a mistura em forminhas de empada, aperte bem e deixe esfriar. Desenforme, coloque fatias de banana, salpique açúcar e caramelize com maçarico.

Rendimento: 10 porções

elis

Fonte: Elis Cavalcante é consultora em gestão estratégica de serviços de alimentação. É diretora da Ideias e Tendências – e uma das maiores especialistas do Brasil nos métodos Cook Chill e Sous Vide, apontados como os novos caminhos da culinária, por serem mais econômicos e deixarem os alimentos mais saudáveis e saborosos. Possui MBA em gestão empresarial pela HSM Educação/The Drucker Institute, é graduada em Turismo e Hospitalidade pelo Instituto Federal de São Paulo e é Técnica em Nutrição e Dietética pela ETE Getúlio Vargas.

Evento reúne chefs e produtores contra o desperdício de alimentos

Festival do Consumo Consciente: Semeando Bons Hábitos terá oficinas gratuitas com chefs e feira de produtores engajados na redução do desperdício

O Brasil participa pela segunda vez da campanha internacional contra o desperdício de alimentos Stop Food Waste Day. Hoje, 24 de abril, dia D da campanha, será realizado em São Paulo o Festival do Consumo Consciente: Semeando Bons Hábitos, que vai reunir chefs, nutricionistas e produtores engajados na redução do desperdício. O evento acontece na Unibes Cultural, das 14h às 18h com entrada gratuita.

A iniciativa é idealizada pelo Grupo Compass em mais de 30 países. No Brasil, a ação acontece por meio da GRSA – Compass, responsável por servir mais de um milhão de refeições por dia em todo o País. Entre os embaixadores da campanha estão os chefs Renato Caleffi, do restaurante Le Manjue, e Morena Leite, do Capim Santo; e as nutricionistas Carina Muller, Alessandra Luglio e Cynthia Antonaccio.

“Queremos estimular a mudança de hábitos que podem fazer grande diferença. Aproveitar melhor os alimentos, ter uma horta em casa e planejar melhor as refeições e compras são atitudes simples do dia a dia que podem gerar um impacto muito positivo”, explica Mara Cristina Maran Baggio, nutricionista e gerente de Segurança e Qualidade da GRSA Compass.

alimentos

Durante o evento, o público poderá participar de oficinas com temas variados. A chef Morena Leite vai mostrar como usar sobras da geladeira para criar farofas bem brasileiras; a nutricionista e chef Carina Muller vai ensinar como fazer leites vegetais e reaproveitar o resíduo; a ONG Banco de alimentos apresentará receitas com aproveitamento Integral dos Alimentos e a Sabor de Fazenda participa com a aula “Mãos à Horta: como plantar ervas aromáticas”. O evento é aberto ao público e gratuito.

Para participar das oficinas é preciso fazer inscrição clicando aqui.

Programação:
14h às 18h – Feira aberta ao público
16h – Oficinas práticas (inscrições limitadas)
1 – Oficina com Morena Leite, chef proprietária do grupo Capim Santo
Tema: Farofa: a mistura brasileira (reaproveitamento da geladeira)
2 – Oficina de Sabor da Fazenda
Tema: Mãos à Horta: como plantar ervas aromáticas
17h – Oficinas práticas (inscrições limitadas)
3 – Oficina com Carina Muller, chef e nutricionista funcional
Tema: Leites vegetais: como fazer e reaproveitar o resíduo
4 – Oficina com Banco de Alimentos
Tema: Aproveitamento integral de alimentos

Festival do Consumo Consciente: Semeando Bons Hábitos
Dia 24 – das 14h às 18h
Local: Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2500 – ao lado do metrô Sumaré