Arquivo da tag: educação

Cinco passos para mudar de carreira em 2021

Mudar de carreira sempre é uma decisão difícil e muitos tiveram que transformar as suas carreiras com a pandemia sem planejamento

Estar há muito tempo em um trabalho ou área, pode te levar a questionar se você não deveria mudar de carreira. Em 2020, muitas pessoas enxergaram a mudança e tiveram essa dúvida. Outras tantas, foram demitidas e agora buscam uma nova recolocação, mas em outra área.

Leila Maria de Oliveira a vida toda trabalhou como empregada doméstica. Aos 54 anos, ela decidiu que terminaria os estudos. Se formou no fundamental e no técnico, ainda conciliando a vida de mãe solo e diarista. Mãe de três garotas, ela conta: “Minha filha mais velha sempre me incentivou a estudar, quando elas ficaram mais velhas e foram seguindo suas vidas, eu fui ficando com tempo livre e decidi que iria estudar”. Foi assim que ela chegou ao Cebrac , onde fez o curso de Gastronomia.

O curso abriu uma nova oportunidade para ela. E, de empregada doméstica, Leila decidiu abrir o próprio negócio. Uma empresa de buffet. Com o avanço da empresa, ela fez faculdade e, hoje, aos 62 anos não quer parar: “Já penso em me especializar em algo a mais, aprender novas técnicas de cozinha. O importante é nunca desistir dos seus sonhos”, afirmou.

A decisão é difícil, ainda mais quando estamos vindo de um ano de incertezas. Não há fórmula mágica, porém, especialistas dizem que o principal é o autoconhecimento e estratégia de ações, além de uma boa reserva financeira. “Não é simplesmente ir buscando a esmo uma área que você goste, isso faz muitas pessoas se frustrarem. Sem o planejamento, corre o risco da pessoa se enrolar financeiramente e o sonho nem sair do papel”, alerta Rogério Silva, CEO do Cebrac .

Radoan Tanvir/Pixabay

A pesquisa Pulso Empresa mostrou o impacto da Covid-19 nas empresas: 700 mil CNPJs fechados de março a junho do ano passado. E 99% destas empresas eram micro e pequenas. Com isso, veio o desemprego:quase 14 milhões de pessoas desempregadas no Brasil. Muitas migraram para outras áreas, segundo uma pesquisa lançada em janeiro de 2021, pela Success People – empresa de desenvolvimento pessoal e gestão de pessoas situada em São Paulo – há um movimento para contratações no comércio com a entrada do novo ano.

Segundo a pesquisa, as áreas que mais tiveram recolocações são: Comercial e Vendas (20%), seguidas pela área Industrial (18%) e em terceiro lugar a área de Supply Chain (15%), na sequência aparecem a área Financeira (13%) e a área de Tecnologia (10%).

Para Silva , é na crise que o mercado busca novos profissionais e surgem novas profissões. “As pessoas estão buscando novas oportunidades e, com isso, podem ampliar seus horizontes. E o mercado está em busca de profissionais que qualifiquem o time em diversos âmbitos. O mais importante é fazer uma autoanálise e planejar esta transição”.

Pensando nisso, o especialista em carreiras e CEO da rede Cebrac elaborou algumas dicas para você que quer mudar de carreira e/ou precisa fazer isso hoje mesmo por necessidade:

Avalie sua trajetória

Olhar para trás e perguntar: eu estou feliz neste emprego? De quais aspectos do seu trabalho você gosta? Quais não gosta? Seus descontentamentos estão relacionados ao trabalho, à cultura da empresa ou com as pessoas com as quais trabalha? Se as respostas forem negativas, pense no que você pode fazer. E se não conseguir encontrar a resposta, veja alguma área, pode até ser um hobby que você faria até de graça. Ou seja, algo que você ame fazer e que faça bem. Estude a necessidade desse serviço e mãos à obra. Vale até coincidir esse job pontual com o trabalho atual até conseguir viver apenas do que se ama.

Pense em seus valores e onde você gostaria de chegar

Agora que já analisou seu passado, pense no seu presente. Veja o que você tem de habilidades e competências, faça uma lista. Anote tudo aquilo que você espera de uma empresa e o que espera de você. E determine se isso é reconhecido e se encaixa com sua carreira atual.

Busque saber mais sobre outras carreiras

Isso mesmo, pesquise outras carreiras. Faça uma busca no LinkedIn, no site, nas redes sociais de profissionais da área. Se conecte com eles, leia, faça cursos e se aprimore. Converse com profissionais que atuam na área e veja o que eles dizem. Pesquise a faixa salarial, jornada de trabalho, especificações da área e veja se encaixa na sua vida atual.

Arrume um job shadow ou permaneça na empresa

Se você já trabalha, permaneça na empresa. Agora se está desempregado, busque um job shadow, ou seja, um trabalho sombra. Tenha uma fonte de renda que respalde essa nova jornada. Tenha paciência de procurar as melhores vagas quando ainda está empregado, pode ser que a procura leve alguns meses até você achar o trabalho que goste de verdade.

Tende adquirir alguma experiência na área

Shutterstock

Seja freelancer ou voluntário, há vagas temporárias também. Tudo que dá oportunidade de você ter um contato com a área de uma forma prática como é o caso dos cursos do Cebrac, que em sua metodologia Pronline, ensina o aluno de uma forma prática mesmo com aulas remotas. Para saber mais clique aqui.

O Cebrac

Centro Brasileiro de Cursos – possui 25 anos de atuação no segmento educacional, e desde sua fundação, a rede de ensino tem sido responsável por formar profissionais para enfrentar os desafios de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Tem como propósito qualificar e educar pessoas nos seus cursos profissionalizantes, por meio de sua metodologia própria e inovadora, ao qual utiliza a proposta da Construção Interativa, que une os princípios das Metodologias Ativas, Design Thinking, Desenvolvimento Humano Profissional e Empreendedorismo.

Cebrac aprimora a postura profissional e empreendedora dos seus estudantes. Além disso, consegue proporcionar o encaminhamento de seus alunos para vagas no mercado de trabalho por meio da agência Cebrac Empregos. A Rede é pioneira em utilizar a Realidade Virtual em seus cursos, proporcionando experiência prática dentro da sala de aula. Com mais de 30 prêmios em sua história, é a rede de ensino mais premiada do Brasil, destaque para o Selo de Excelência da ABF – Associação Brasileira de Franchising. São 90 unidades, presentes nas 5 regiões do país, para localizar um próximo a você, clique aqui.

Faculdade Arnaldo, em Belo Horizonte, oferece descontos para pessoas com mais de 50 anos

Com o slogan “Nunca é tarde para realizar seu sonho”, a iniciativa da instituição visa incentivar pessoas com 50 anos ou mais a ingressarem em um curso do ensino superior

Dificuldades financeiras, cuidados com a família, falta de tempo. São vários os fatores que, muitas vezes, fazem as pessoas deixarem para depois o sonho de estudar. Os anos passam, mas o desejo de fazer um curso superior permanece. A Faculdade Arnaldo acredita que todos devem ter a oportunidade de cursar a tão sonhada graduação e, por isso, criou a campanha “Nunca é tarde para realizar seu sonho”, que oferece bolsas de 50% de desconto para pessoas com 50 anos ou mais.

João Guilherme Porto, diretor da Faculdade Arnaldo, explica que o intuito é possibilitar uma nova oportunidade ao público interessado a baixo custo. “A população brasileira está envelhecendo cada vez mais. Então, fazemos uma contribuição para a sociedade oferecendo uma educação de baixo custo para as pessoas da melhor idade. Oferecendo as bolsas de estudos, estamos oferecendo também uma atividade, uma ocupação, e isso melhora o bem estar e a qualidade de vida dessas pessoas. Assim, alinhamos qualidade de ensino a uma função social da instituição”, afirma o diretor da instituição de ensino.

O desconto de 50% na mensalidade é válido para novos alunos, ingressantes em qualquer curso de graduação. O candidato poderá escolher entre as seguintes opções: Administração EAD e presencial, Agronomia presencial, Ciências Contábeis EAD, Ciências Econômicas EAD, Comércio Exterior presencial, Direito presencial, Gastronomia presencial, Gestão Financeira EAD, Gestão Hospitalar presencial, Gestão Pública presencial, Logística presencial, Marketing (tecnólogo) EAD e presencial, Medicina Veterinária presencial, Odontologia presencial, Processos Gerenciais EAD, Psicologia presencial e Turismo EAD.

As inscrições para o vestibular online terminam no final deste mês. Interessados devem se inscrever no site ou entrar em contato pelo telefone (31) 9 9391-1115

Admissão de novos alunos

A Faculdade Arnaldo está com inscrições abertas para o vestibular primeiro semestre de 2021. São cursos presenciais e EAD. Os interessados devem se inscrever no site da instituição. Nesse período de pandemia, todo processo do vestibular é realizado de forma remota. O candidato deve agendar um horário e escolher a melhor data para fazer a prova. Não há taxa de inscrição e as aulas começam em fevereiro. Importante destacar que as aulas do primeiro semestre acontecerão de forma remota, seguindo as normas e protocolos para combate à pandemia.

Criada em 2001 pela Congregação do Verbo Divino e já nasceu com a força de uma congregação internacional que atua em 67 países, nos cinco continentes. Os professores e alunos contam com ampla infraestrutura e localização de fácil acesso, nos bairros Funcionários, Anchieta e Pilar.

Filhos machistas – como lidar?*

Nós vivemos em uma sociedade patriarcal, ou seja, a organização social tem relações regidas por dois princípios: as mulheres são hierarquicamente subordinadas aos homens e os jovens estão subordinados hierarquicamente aos homens mais velhos, patriarcas da comunidade. Isso já explica muita coisa.

Mas não é porque crescemos assim que temos que continuar nessa cegueira. Claro que em muitos casos, nós temos mais atitudes reacionárias do que pensadas, mas a ciência explica que até o comportamento cerebral é diferente. Veja:

Publicado pelo site Scientific Reports (do grupo da revista Nature) há alguns anos, o neurocientista japonês da Universidade de Tokohu, Hikaru Takeuchi, desafiou 681 estudantes (306 mulheres), com idade média de 21 anos, a participar de um estudo que procurava perceber até que ponto a estrutura cerebral é diferente nas pessoas que discriminam uma às outras por conta do gênero.

Com a ajuda da ressonância magnética, o neurocientista descobriu que aqueles que manifestaram atitudes abertamente machistas tinham duas áreas cerebrais diferentes dos que acreditam na igualdade: mais densidade neuronal no córtex cingulado posterior e menor na amígdala direita.

A primeira está muito relacionada com as relações interpessoais e com a raiva, o medo e a dor. Ainda segundo o mesmo estudo, quem tinha um comportamento mais igualitário partilhava uma morfologia na amígdala direita, associada a uma menor predisposição ao medo ou ao ver o outro como rival.

Como perceber que o filho é machista?

Quando criança, se atente à forma com que ele trata as amigas, pergunte o que ele acha das amizades, abra sempre para o diálogo, deixe que ele fale, assim se houver qualquer comportamento em que as diminua, você perceberá.

Preste atenção nas amizades, para que ele não seja influenciado. Em qualquer sinal de brincadeira ofensiva, repreenda.

Perceba os comportamentos dentro de casa, se ele não quiser ajudar em alguma tarefa por “ser de menina”, inicie um diálogo e explique que as tarefas precisam ser divididas entre os moradores da casa.

Na distribuição de tarefas domésticas, as meninas representam 84,1%, com a função de arrumar a cama, contra 11,6% deles. Entre as meninas, 76,8% lavam a louça e 65,6% limpam a casa. Outra tarefa predominantemente destinada às meninas é a de cuidar dos seus irmãos: 34,6% são responsáveis por essa função, contra 10% dos meninos. São dados da ONG Plan Brasil, que realizou uma pesquisa com meninas de 6 a 14 anos em todas as regiões do país.

Como evitar ter um filho machista?

Em meus grupos de terapia, percebo que é difícil para a mulher assumir que muitas vezes quem ensina o machismo e a opressão de um gênero, é ela mesma, sem perceber. Por exemplo: Quando uma mãe acabou de jantar e pede à filha que a ajude na cozinha enquanto o filho pode ficar vendo televisão com o pai, se há uma constância nessa dinâmica familiar, ela está definindo os papéis de quem serve quem, que pode ter como consequência o machismo.

Quando uma mãe aceita que o companheiro grite com ela, duas mensagens são passadas por meio de uma dinâmica relacional:
Para os filhos:“Está tudo bem gritar com as mulheres”;
Para as filhas: “Está tudo bem se calar diante do abuso”.

É uma tarefa difícil entender e tomar a responsabilidade de que somos modelo para os nossos filhos, o primeiro passo é não aceitar isso conosco, assim conseguimos ensinar e quebrar esse padrão na sociedade, pois sabemos que muito do que as crianças absorvem é o comportamento dos pais.

Analise se o círculo de amizades, incluindo os adultos, não está replicando estereótipos machistas que podem influenciar na definição de personalidade das crianças.

O machismo é uma forma de opressão que mantém a superioridade do homem em relação à mulher. Como combater isso? Com muito diálogo!

Desde cedo converse com os filhos, dê exemplos do que está acontecendo no mundo, mostre o quanto é errado a repressão que acontece com as mulheres. Deixe claro que é inaceitável qualquer desrespeito e brincadeira ofensiva. Inspire-o, valorizando desde cedo as mulheres de sua convivência, as enalteça, elogie, pratique a sororidade. Sabemos que as crianças absorvem muito de nossas atitudes, então que essa mudança de sociedade e criação de meninos não machistas, comece por nós.

*Cris Linnares é psicóloga e terapeuta de mulheres há mais de 20 anos, palestrante internacional, mãe e autora da comédia feminina teatral e do best seller “Divas no Divã”. Após 15 anos, a autora volta a trabalhar no Brasil com sua nova obra “Doidas no Divã” – livro lançado durante a pandemia que aborda saúde mental por meio da fé, ‘loucura’ e vida da autora – a obra reverte parte da renda do livro à ONG Recomeçar, apoiando mulheres em situação de violência. É a única brasileira considerada pela revista Glamour americana uma das 50 heroínas dos Estados Unidos por seu trabalho com saúde mental e empoderamento feminino. Possui no currículo cursos de aprofundamento em Terapia Cognitiva pela Universidade de Harvard, e Estudo da Mulher pela Universidade da Califórnia.

EPM-Unifesp abre processo Seletivo de Residência Médica 2020/2021

A Comissão de Residência Médica da Escola Paulista de Medicina -Unifesp informa que estão abertas as inscrições do Processo Seletivo para preenchimento de vagas de médicos residentes em seus Programas de Residência Médica da Escola Paulista de Medicina, devidamente credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM) do Ministério da Educação, para o ano 2021.

A inscrição será efetuada, exclusivamente, via Internet, nos endereços eletrônicos http://www.coreme.epm.br e http://www.fapunifesp.edu.br/coreme2021, até às 20 horas e 59 minutos do dia 27 de novembro de 2020, considerado o horário de Brasília-DF, mediante o pagamento da taxa a ela pertinente, no valor de R$ 670, 28 (seiscentos e setenta reais e vinte e oito centavos), por meio de boleto, pagável em toda a rede bancária. No momento da inscrição o candidato deverá escolher onde realizará a prova teórica, na cidade de São Paulo ou no Distrito Federal (em locais a serem definidos).

As provas teóricas serão aplicadas em 06/12/2020,às 13h (horário de Brasília), em locais a serem divulgados nos sites citados acima, a partir de 25/11/2020, por meio do número de inscrição do candidato. Os resultados da 1ª fase serão divulgados a partir de 18/12/2020, exclusivamente via on-line (Internet) nos sites já citados. Os convocados para a 2ª fase, prova prática dos Programas de Acesso Direto, Especialidades Clínicas, Clínica Médica Ano Opcional e Especialidades Cirúrgicas, irão realizá-la em 10/01/2021. Vale lembrar que todos os protocolos de saúde necessários serão tomados durante as provas.

Os resultados finais serão divulgados juntamente com a convocação para a matrícula a partir de 04/02/2021 nos sites citados acima. O Programa de Residência Médica terá início no dia 01/03/2021 ou conforme normativa do CNRM. São 100 programas de residência médica para 622 ingressantes.

Seleção em Brasília facilitará a mobilidade de candidatos

“Temos poucos médicos em algumas regiões do Brasil? Sim. Então, a EPM – Escola Paulista de Medicina vai aplicar prova de seleção em Brasília (cidade que facilita o acesso a vários estados das regiões mais distantes). Assim, estudantes de medicina de outras regiões estarão mais próximos da oportunidade de fazer residência em uma das melhores escolas de medicina do Brasil. Um gesto assim alimenta a possibilidade de ter mais médicos em outras regiões”, afirma Luiz Jurandir Simoes de Araújo – Diretor Administrativo FapUnifesp.

O edital está disponível aqui.

A FapUnifesp (Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo) viabiliza a realização deste e de outros projetos e eventos da Unifesp.

Dengue: como as crianças podem gerenciar riscos e construir o futuro*

É fato conhecido há muito tempo que a educação continuada é a melhor forma de induzir e manter mudanças comportamentais desejáveis. É também amplamente aceito que quanto mais cedo essas atividades ocorrem na vida dos indivíduos mais firmes e permanentes as mudanças comportamentais desejadas se consolidam e perpetuam no cotidiano da sociedade. Para mencionar apenas alguns exemplos, lembremos das campanhas de prevenção ao fumo e de educação no trânsito conduzidas nos países desenvolvidos.

O Brasil convive com epidemias recorrentes e com número crescente de casos de dengue há quase 40 anos, desde a reintrodução da doença no país no início dos anos 1980. Quando inúmeras campanhas de esclarecimento foram divulgadas pelo governo, ensinando a população sobre Aedes aegypti, risco de dengue e medidas necessárias para controle do vetor.

Aedes_aegypti 2- Muhammad Mahdi Karim - Wikipedia
Foto: Muhammad Mahdi Karim – Wikipedia

Sempre se mostrou nas peças publicitárias a importância do envolvimento populacional nas medidas de controle deste mosquito. No entanto, essa ênfase não gerou resultados comportamentais práticos nas vidas das pessoas. Não são todos que estão abertos a mudanças. Mudar é um verbo difícil de ser conjugado. É muito mais producente educar crianças.

Infelizmente, até hoje, decorridos 40 anos da existência da doença em nosso meio, e mesmo com o advento de novos agravos como chikungunya e zika, a mudança comportamental esperada não se fixou na população.

Por isso é imprescindível a educação infantil sobre o Aedes aegypti, doenças por ele transmitidas e medidas de controle necessárias. Educação infantil é a forma mais eficiente de provocar mudanças comportamentais na sociedade, não apenas pela fixação nas crianças, mas, também, e principalmente, pelo exemplo e cobrança que elas exercem na população adulta.

A Unifesp e a FapUnifesp (Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo), em parceria com profissionais genuinamente engajados na educação de crianças do Fundamental I e II, articulou um projeto sistemático de educação infantil para instigar a força do agente de gestão de risco e de construção do futuro nas crianças.

O sucesso no controle do Aedes aegypti e das doenças por ele transmitidas é um pilar importante para o futuro de milhões de crianças e adultos. Desenvolver um programa de educação infantil com material e ações inovadoras de ótima qualidade técnica e científica é, de longe, uma das melhores iniciativas de educação populacional já feita no Brasil nessas décadas de epidemias de dengue.

O futuro começa a ser construído hoje, com ações firmes e transformadoras. Riscos negligenciados hoje serão dor e sofrimento amanhã. Portanto, tem todo sentido civilizatório as crianças serem agentes proativos de gestão de risco e de construção do futuro. Afinal, o futuro é delas, assim como todas as consequências das negligências e omissões do presente.

alunos crianças escola

Não temos tempo a perder. Políticas públicas brasileiras gastaram muito dinheiro e tempo. Várias com resultados aquém do aceitável. Urge acharmos soluções producentes e velozes. Esse é o foco e pilar do projeto.

*Marcelo Nascimento Burattini é médico infectologista, professor da Unifesp e FMUSP e consultor do Programa Nacional de Controle das Doenças Transmitidas por Aedes aegypti desde 1986

Belas Artes lança curso superior em gastronomia

Interessados podem se inscrever para prova que será realizada em 1º de fevereiro

O segmento de Gastronomia é uma das 15 áreas da Economia Criativa, afinal, comer não é só uma necessidade, mas também um prazer. O sucesso é grande e refletiu no crescimento do interesse das pessoas nas profissões como: chefes de cozinha (+43,2%), enólogos (+28,7%), chefes de bar (+7,9%) e chefes de confeitaria (7.6%).

A gastronomia é uma força transformadora poderosa na economia atual e a Belas Artes passa a ensinar a receita do sucesso na área e lança o curso Superior de Tecnólogo em Gastronomia. Coordenado pela experiente professora Heloisa Rodrigues, o curso tem duração de 2 anos e uma grade curricular pensada para atender os mais exigentes mercados. O primeiro vestibular está com inscrições abertas no site e a prova será no dia 1º de fevereiro.

No curso, os alunos serão preparados para criar, desenvolver ou adaptar cardápios, assim como conceber, planejar, organizar, gerenciar e liderar equipes nos mais diversos estabelecimentos e setores da área de alimentos e bebidas. As disciplinas também vão explorar gestão, construção e condução de negócios, respeito socioambiental, importância da sazonalidade, cadeia produtiva e os impactos causados pelo consumo alimentar e desperdício.

“O curso tem um olhar além da gastronomia. A criatividade, arte, design e a propriedade sensorial dos alimentos serão tratas na sala de aula. A cultura também é um tema importante que associaremos aos alimentos que serão preparados. Os alunos terão a disposição matéria prima de altíssima qualidade para explorar o número máximo de técnicas que existem na área”, explica Heloisa.

O programa é composto por aulas práticas – duas vezes por semana na cozinha da Accademia Gastronômica – e teóricas, na instituição. Serão 4 módulos com carga de 2.220 horas/aulas. Com professores altamente qualificados com experiência acadêmica e vivência de mercado, a Belas Artes quer ser referência no ensino do segmento.

gastronomia curso cozinha aula shutterstock
Shutterstock

“Nossa expectativa com o curso é muito boa. Vamos preparar profissionais com visão ampla de mercado para contribuírem de maneira criativa e eficaz com o crescimento da área.”, completa a coordenadora.

Para saber mais detalhes sobre a graduação em Gastronomia, visite a página no site, clicando aqui.

Inscrição – Vestibular Centro Universitário Belas Artes de São Paulo
Local: São Paulo
Inscrição pelo site 
Valor: R$120,00
Prova agendada: consulte as datas disponíveis aqui

Unisa lança programa de desconto para pessoas acima de 45 anos

Universidade não tem Idade oferece descontos permanentes de 15% para qualquer curso de graduação

A Universidade Santo Amaro – Unisa acaba de lançar o Programa Universidade não Tem Idade, iniciativa que visa estimular o ingresso no ensino superior de pessoas com idade a partir de 45 anos. O egresso será isento da primeira mensalidade, mediante pagamento de taxa administrativa no valor de R$ 20,00; e sob as demais mensalidades, terá 15% de desconto adicional até o final do curso.

A iniciativa abrange incentivos financeiras, com descontos de 15% nas mensalidades (exceto para o curso de Medicina). O candidato pode optar dentre as mais de 100 opções de cursos de graduação disponíveis tanto na modalidade presencial quanto a distância.

O acesso à Unisa e ao Programa Universidade não Tem Idade se dará por meio de aprovação no processo seletivo. O candidato poderá optar pelo Vestibular Tradicional, Vestibular Agendado, Ingresso com a nota do Enem ou redação on-line.

mulher livros estudar pixabay
Pixabay

As inscrições podem ser feitas por meio do site ou pelo telefone 0800 171 796. O candidato aprovado deverá realizar matrícula online ou presencialmente em um dos campi ou polo da Unisa.

Prorrogadas as inscrições para processo seletivo de Residência Multiprofissional Unifesp

A Comissão de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) informa que o Processo Seletivo de Residência Multiprofissional (prova) 2020 será realizado no dia 8 de dezembro de 2019 e que o prazo para as inscrições foi prorrogado para o dia 1º de dezembro e o pagamento da taxa para dia 2 de dezembro.

O processo seletivo 2019/2020 será constituído por três etapas: prova objetiva, prova teórico-prática e pontuação acadêmica. Podem participar profissionais que tenham graduação nos cursos oferecidos, sendo que para Psicologia será exigido o Título de Psicólogo.

A Residência Multiprofissional é oferecida pela Unifesp desde 2010. O processo seletivo 2018/2019 teve quase mil inscritos e a expectativa da comissão para este ano é que os números aumentem. Hoje, a Universidade Federal de São Paulo tem 11 Programas de residência multiprofissional em saúde no campus São Paulo, dois no Campus Baixada Santista e três programas de residência Uniprofissional em Saúde campus São Paulo.

São oferecidas 196 bolsas distribuídas nas áreas: enfermagem, enfermagem obstétrica, psicologia, nutrição, terapia ocupacional, serviço social, farmácia, odontologia, fisioterapia, fonoaudiologia e física médica. A carga horária nos dois anos ultrapassa 5.000 horas.

Interessados que atendam ao perfil das vagas podem se inscrever clicando aqui, até as 18 horas do dia 1º de dezembro. É cobrada taxa de R$ 320,00, que pode ser paga até dia 2 de dezembro, e o valor da bolsa é de R$ 3.330,43.

Atendimento SUS

nurse-2536963_960_720.jpg

Os programas têm docentes, tutores e preceptores qualificados para desenvolver tanto a parte teórica quanto a prática. Todos estão engajados em integrar as diferentes categorias profissionais em um único propósito, atender o usuário do SUS.
O atendimento ao usuário do SUS e sua família, por uma equipe multiprofissional, vem sendo incorporada de maneira progressiva e contribuirá oferecendo ao cliente e comunidade conhecimento e motivação para adotar atitudes de mudança e vencer os desafios. Vale frisar que é oferecida aos residentes do segundo ano a oportunidade de realizar estágio optativo em diferentes instituições públicas e privadas, inclusive do exterior.

A residência multiprofissional em saúde e uniprofissional são modalidades diferenciadas de formação, oferecendo aprofundamento dos conhecimentos teóricos e práticos, sobretudo favorecendo uma articulação entre a academia e os serviços que atendam as diretrizes do SUS. Os programas são orientados por uma visão diferenciada na qual as diversas profissões devem efetivamente estar integradas para o cuidado do usuário do SUS.

Informações: Unifesp

A FapUnifesp (Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo) viabiliza a realização deste e de outros projetos e eventos da Unifesp.

FapUnifesp

FapUnifesp é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos. Tem como Missão prover infraestrutura, logística e suporte administrativo relativos ao desenvolvimento de projetos acadêmicos em ensino, pesquisa e extensão da Unifesp, além de prestar serviço à sociedade nessas respectivas áreas, em âmbito público ou particular. O objetivo principal da FapUnifesp é apoiar a Universidade Federal de São Paulo em ações, projetos e iniciativas de ensino, pesquisa, extensão, inovação e transferência de conhecimento, assim como no seu desenvolvimento institucional e relacionamento com o ambiente externo. A Fundação busca colaborar para a inserção internacional da Unifesp e procura ser um elemento integrador para a formação de uma Universidade multicampi. Seu objetivo é ser uma Fundação de notório reconhecimento por sua capacidade de apoio administrativo à Unifesp em termos de execução de projetos educacionais em ensino, pesquisa e extensão, bem como de apoio à Universidade em suas relações institucionais com a sociedade, voltadas para o desenvolvimento científico, tecnológico, atividades educacionais, artísticas e de preservação ambiental.

Residência Multiprofissional

checklist-3222079_960_720.jpg

Apesar de já existir há vários anos, a Residência Multiprofissional ainda é pouco divulgada e conhecida, especialmente pela população que, quando muito, tem noção da residência médica. Podemos defini-la como um projeto de cooperação intersetorial para beneficiar a inserção qualificada de profissionais da saúde no mercado de trabalho, especialmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde. Alguns até chegam a considerá-la uma Pós-Graduação Lato Sensu como todo curso de especialização, só que voltada para a educação em serviço e destinada às categorias que integram a área de saúde.

Os programas de Residência se submetem à Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde – CNRMS, coordenada conjuntamente pelo Ministério da Saúde e do Ministério da Educação. De acordo com a Resolução CNS nº 287/1998, os programas de Residência Multiprofissional devem receber profissionais graduados nos seguintes cursos: Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional.

E a melhor parte é que não importa se o candidato se formou este ano ou há décadas. É possível ingressar em uma Residência Multiprofissional em Saúde a qualquer momento da carreira. O CNRMS não impõe idade limite ou tempo máximo de atuação na área para que o profissional possa se candidatar a uma vaga. No entanto, as Instituições têm autonomia para estabelecer algumas regras.

Um pouco de história

“Em 1999, o então Departamento de Atenção Básica, da Secretaria de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, junto a atores do Movimento Sanitário, articularam-se formando grupos interessados em criar, reavivar e reinventar residências em saúde da família. A proposta, construída em um seminário, era criar um modelo de Residência Multiprofissional, onde embora fossem preservadas as especialidades de cada profissão envolvida, seria criada uma área comum, especialmente vinculada ao pensamento da velha saúde pública, acrescida de valores como a promoção da saúde, a integralidade da atenção e o acolhimento.

Um movimento que contou com a participação dos órgãos formadores, das Associações de Ensino das respectivas áreas, da Federação Nacional dos Trabalhadores da Área da Saúde (Fentas), da Comissão Intersetorial de Recursos Humanos (CIRH) e do Conselho Nacional de Saúde (CNS), conseguiu elaborar e propor diretrizes curriculares para os cursos de graduação da área da Saúde, publicadas a partir de 2001 na forma de resoluções pelo Conselho Nacional de Educação. No ano de 2002 foram criadas 19 residências multiprofissionais em saúde da família, com financiamento do Ministério da Saúde, com formatos diversificados, mas dentro da perspectiva de trabalhar integradamente com todas as profissões da saúde.

Tendo tido sua primeira versão elaborada em 1998, e sua terceira versão editada em 2000, sob a coordenação da Comissão Intersetorial de Recursos Humanos (CIRH), do Conselho Nacional de Saúde, o documento “Princípios e Diretrizes para a Gestão do Trabalho no SUS, a NOB/RH-SUS vem subsidiar a gestão do trabalho, bem como a política de desenvolvimento dos trabalhadores do SUS”*.

*Residência Multiprofissional em Saúde: experiências, avanços e desafios – Ministério da Saúde (2006)

 

Inscrições para processo seletivo de Residência Multiprofissional Unifesp vão até dia 26

ATUALIZAÇÃO: o prazo das inscrições foi prorrogado para o dia 1º de dezembro

 

A Comissão de Residência Multiprofissional e em Área Profissional da Saúde da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) informa que o Processo Seletivo de Residência Multiprofissional (prova) 2020 será realizado no dia 8 de dezembro de 2019.

O processo seletivo 2019/2020 será constituído por três etapas: prova objetiva, prova teórico-prática e pontuação acadêmica. Podem participar profissionais que tenham graduação nos cursos oferecidos, sendo que para Psicologia será exigido o Título de Psicólogo.

A Residência Multiprofissional é oferecida pela Unifesp desde 2010. O processo seletivo 2018/2019 teve quase mil inscritos e a expectativa da comissão para este ano é que os números aumentem. Hoje, a Universidade Federal de São Paulo tem 11 Programas de residência multiprofissional em saúde no campus São Paulo, dois no Campus Baixada Santista e três programas de residência Uniprofissional em Saúde campus São Paulo.

São oferecidas 196 bolsas distribuídas nas áreas: enfermagem, enfermagem obstétrica, psicologia, nutrição, terapia ocupacional, serviço social, farmácia, odontologia, fisioterapia, fonoaudiologia e física médica. A carga horária nos dois anos ultrapassa 5.000 horas.

Interessados que atendam ao perfil das vagas podem se inscrever clicando aqui,  até as 18 horas do dia 26 de novembro. É cobrada taxa de R$ 320,00 e a bolsa é de R$ 3.330,43.

Atendimento SUS

nurse-2536963_960_720.jpg

Os programas têm docentes, tutores e preceptores qualificados para desenvolver tanto a parte teórica quanto a prática. Todos estão engajados em integrar as diferentes categorias profissionais em um único propósito, atender o usuário do SUS.
O atendimento ao usuário do SUS e sua família, por uma equipe multiprofissional, vem sendo incorporada de maneira progressiva e contribuirá oferecendo ao cliente e comunidade conhecimento e motivação para adotar atitudes de mudança e vencer os desafios. Vale frisar que é oferecida aos residentes do segundo ano a oportunidade de realizar estágio optativo em diferentes instituições públicas e privadas, inclusive do exterior.

A residência multiprofissional em saúde e uniprofissional são modalidades diferenciadas de formação, oferecendo aprofundamento dos conhecimentos teóricos e práticos, sobretudo favorecendo uma articulação entre a academia e os serviços que atendam as diretrizes do SUS. Os programas são orientados por uma visão diferenciada na qual as diversas profissões devem efetivamente estar integradas para o cuidado do usuário do SUS.

Informações: Unifesp

A FapUnifesp (Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo) viabiliza a realização deste e de outros projetos e eventos da Unifesp.

FapUnifesp

FapUnifesp é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos. Tem como Missão prover infraestrutura, logística e suporte administrativo relativos ao desenvolvimento de projetos acadêmicos em ensino, pesquisa e extensão da Unifesp, além de prestar serviço à sociedade nessas respectivas áreas, em âmbito público ou particular. O objetivo principal da FapUnifesp é apoiar a Universidade Federal de São Paulo em ações, projetos e iniciativas de ensino, pesquisa, extensão, inovação e transferência de conhecimento, assim como no seu desenvolvimento institucional e relacionamento com o ambiente externo. A Fundação busca colaborar para a inserção internacional da Unifesp e procura ser um elemento integrador para a formação de uma Universidade multicampi. Seu objetivo é ser uma Fundação de notório reconhecimento por sua capacidade de apoio administrativo à Unifesp em termos de execução de projetos educacionais em ensino, pesquisa e extensão, bem como de apoio à Universidade em suas relações institucionais com a sociedade, voltadas para o desenvolvimento científico, tecnológico, atividades educacionais, artísticas e de preservação ambiental.

Residência Multiprofissional

checklist-3222079_960_720.jpg

Apesar de já existir há vários anos, a Residência Multiprofissional ainda é pouco divulgada e conhecida, especialmente pela população que, quando muito, tem noção da residência médica. Podemos defini-la como um projeto de cooperação intersetorial para beneficiar a inserção qualificada de profissionais da saúde no mercado de trabalho, especialmente em áreas prioritárias do Sistema Único de Saúde. Alguns até chegam a considerá-la uma Pós-Graduação Lato Sensu como todo curso de especialização, só que voltada para a educação em serviço e destinada às categorias que integram a área de saúde.

Os programas de Residência se submetem à Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde – CNRMS, coordenada conjuntamente pelo Ministério da Saúde e do Ministério da Educação. De acordo com a Resolução CNS nº 287/1998, os programas de Residência Multiprofissional devem receber profissionais graduados nos seguintes cursos: Biomedicina, Ciências Biológicas, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional.

E a melhor parte é que não importa se o candidato se formou este ano ou há décadas. É possível ingressar em uma Residência Multiprofissional em Saúde a qualquer momento da carreira. O CNRMS não impõe idade limite ou tempo máximo de atuação na área para que o profissional possa se candidatar a uma vaga. No entanto, as Instituições têm autonomia para estabelecer algumas regras.

Um pouco de história

“Em 1999, o então Departamento de Atenção Básica, da Secretaria de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, junto a atores do Movimento Sanitário, articularam-se formando grupos interessados em criar, reavivar e reinventar residências em saúde da família. A proposta, construída em um seminário, era criar um modelo de Residência Multiprofissional, onde embora fossem preservadas as especialidades de cada profissão envolvida, seria criada uma área comum, especialmente vinculada ao pensamento da velha saúde pública, acrescida de valores como a promoção da saúde, a integralidade da atenção e o acolhimento.

Um movimento que contou com a participação dos órgãos formadores, das Associações de Ensino das respectivas áreas, da Federação Nacional dos Trabalhadores da Área da Saúde (Fentas), da Comissão Intersetorial de Recursos Humanos (CIRH) e do Conselho Nacional de Saúde (CNS), conseguiu elaborar e propor diretrizes curriculares para os cursos de graduação da área da Saúde, publicadas a partir de 2001 na forma de resoluções pelo Conselho Nacional de Educação. No ano de 2002 foram criadas 19 residências multiprofissionais em saúde da família, com financiamento do Ministério da Saúde, com formatos diversificados, mas dentro da perspectiva de trabalhar integradamente com todas as profissões da saúde.

Tendo tido sua primeira versão elaborada em 1998, e sua terceira versão editada em 2000, sob a coordenação da Comissão Intersetorial de Recursos Humanos (CIRH), do Conselho Nacional de Saúde, o documento “Princípios e Diretrizes para a Gestão do Trabalho no SUS, a NOB/RH-SUS vem subsidiar a gestão do trabalho, bem como a política de desenvolvimento dos trabalhadores do SUS”*.

*Residência Multiprofissional em Saúde: experiências, avanços e desafios – Ministério da Saúde (2006)

 

Uma em cada 100 pessoas no mundo tem autismo

Amanhã é o Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Cada pessoa tem um ritmo diferente de vida e de aprendizagem. A nossa capacidade de aprender algo novo é influenciada por diferentes fatores, como a cognição, a personalidade, as experiências de educação e as oportunidades culturais. A dificuldade de aprender é bastante comum em diferentes crianças, mas torna-se ainda mais especial naquelas com Transtorno de Espectro Autista (TEA).

A TEA é um distúrbio do desenvolvimento que tem como características os prejuízos sociais e de comunicação, o interesse restrito a poucos temas e os comportamentos repetitivos e estereotipados. “O TEA é uma condição diagnosticada cada vez mais precocemente e as estatísticas apontam para uma a cada 100 pessoas em todo o mundo”, conta a fonoaudióloga Ana Lúcia Duran, que reforça a importância da capacitação de pais e professores para garantir a melhor aprendizagem e adequação da criança autista.

“É preciso focar nas peculiaridades desta criança. Ela aprende melhor quando é instruída de forma clara e quando as regras e expectativas são simples. As metodologias de ensino que focam na intuição para a aprendizagem não são indicadas a esses alunos, visto que eles têm dificuldade para entender a linguagem corporal, as expressões faciais e a entonação de voz das outras pessoas. São crianças muito literais e que não compreendem conceitos abstratos e piadas, por exemplo”, explica.

Em alguns casos parece difícil por ser pouco linear ou fluído, o aprendizado é totalmente possível e deve ser constantemente estimulado nas crianças com TEA. “Mesmo que pareça que ela não está evoluindo, deve-se insistir na transmissão do conhecimento repetidas vezes”, indica Ana Lucia. “As dificuldades não são permanentes e muitos alunos pulam etapas da aprendizagem, chegando a conseguir acompanhar seus colegas de sala que não têm TEA.”

musica criança autismo shutterstock
Foto: Shutterstock

Para facilitar a aprendizagem, é indicado ser claro e consistente nas explicações, dar dicas visuais, treinos com teatro e instruções curtas e claras. “Os estímulos visuais e a criação de uma rotina são essenciais para ajudar a criança com TEA na escola”, conta a fonoaudióloga, que reforça que cada caso deve ser acompanhado de forma individual.

Fonte: Ana Lúcia Duran é fonoaudióloga clínica (graduada pela EPM/UNIFESP) e educacional (responsável pelo projeto oficina de linguagem do colégio Cermac/ vencedor do PNGE – Prêmio Nacional de Gestão Educacional/2015), pós graduada em psicomotricidade